Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Dnit-RS é um dos alvos do Planalto

26 de julho de 2011 0

Após varrer a cúpula dos Transportes em Brasília, a presidente Dilma Rousseff pretende estender sua “faxina” para as superintendências estaduais do Dnit. À frente de quatro obras rodoviárias sob suspeita, o escritório gaúcho da autarquia deve ser um dos primeiros a sofrer intervenção.

Área de influência do ex-diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit Hideraldo Caron, o Rio Grande do Sul foi um dos pivôs da carraspana de Dilma nos ex-dirigentes da pasta. Inconformada com o inchaço nos orçamentos de obras rodoviárias, a presidente teria dito que o ministério estava “descontrolado” e que os valores deveriam retornar à previsão original. Dias depois, veio à tona um suposto esquema de corrupção que o partido PR teria montado no ministério.
Nos últimos dias, Dilma advertiu assessores de que o próximo passo da limpeza será desmontar supostos focos de corrupção nos Estados. Ela quer tirar dos cargos afilhados de dirigentes do PR. Das 23 superintendências do Dnit no país, pelo menos 15 enfrentariam suspeitas de irregularidades. Orçada em R$ 968 milhões, a duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, é o empreendimento que mais tem atraído as atenções dos órgãos de fiscalização. A rodovia faz parte do rol de oito obras federais com as mais relevantes suspeitas de fraude, revela o Tribunal de Contas da União (TCU).
Apesar de não ter sido multado pelo TCU (é citado sem gravidade em dois acórdãos da Corte), o superintendente do Dnit no RS, Vladimir Casa, deverá ser atingido pelo efeito dominó que implodiu o alto comando dos Transportes e promete reoxigenar em agosto as superintendências. Dilma assegurou que, assim que escolher o sucessor de Luiz Antonio Pagot na diretoria-geral do Dnit, ordenará um Raio X nas estruturas regionais. Interlocutores da presidente garantem que as unidades com as denúncias mais graves entrarão na linha de frente da vassoura.

Envie seu Comentário