Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Gurgel estuda pedir investigação ao STF

26 de março de 2012 0

Está nas mãos do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidir se pede ou não ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para investigar o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), envolvido em denúncias de cobrança de propina e favorecimento pela máfia dos caça-níqueis em seu Estado.

Confrontado diariamente com o episódio de sua renúncia à prefeitura de São Paulo em 2006, José Serra desistiu de fazer eventos abertos na semana anterior à prévia do PSDB.

Com a medida, o tucano espera escapar de ter de responder às críticas de outros pré-candidatos ou explicar suas declarações recentes sobre o assunto, quando minimizou a renúncia.

A situação do parlamentar se complicou ontem, após a divulgação de informações, pela revista Carta Capital, de que ele receberia 30% da arrecadação do bicheiro Carlinhos Cachoeira com o jogo ilegal para alimentar o caixa 2 de campanha eleitoral. Na reportagem, três relatórios do delegado Deuselino Valadares dos Santos, ex-chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal em Goiás, informam que o senador recebia comissão sobre a arrecadação do esquema, que teria arrecadado R$ 170 milhões em seis anos. A parte do parlamentar seria de R$ 50 milhões, dinheiro que seria destinado a sua futura campanha ao governo do Estado.

Os documentos integrariam relatório da Operação Monte Carlo, que prendeu 35 pessoas em 29 de fevereiro, entre elas Cachoeira e o próprio delegado. Deuselino teria parado suas investigações depois de ser “comprado” pelo grupo do bicheiro e Demóstenes. Também estariam envolvidos os deputados federais Carlos Alberto Lereia (PSDB), Jovair Arantes (PTB) e Rubens Otoni (PT).

Gravação mostraria senador pedindo R$ 3 mil a bicheiro

Um dos relatórios citados mostraria que, após uma investida da PF para estourar um cassino do advogado Ruy Cruvinel, envolvido no bicho, ele contou que, dos R$ 200 mil mensais arrecadados, 50% iriam para Cachoeira e outros 30% para o senador.

Em sua edição de ontem, o jornal O Globo publicou reportagem sobre gravações feitas pela Polícia Federal envolvendo Cachoeira e Demóstenes. Em um dos diálogos entre os dois, o senador goiano teria pedido R$ 3 mil a Cachoeira para pagar uma despesa de táxi aéreo. Em outro, o senador faria confidências sobre reuniões reservadas com autoridades

Envie seu Comentário