Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

PT faz pressão para investigar senador

26 de março de 2012 0

Algoz do Planalto ao longo das suspeitas de corrupção que derrubaram vários ministros de Dilma Rousseff, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) sofre agora com a pressão governista que quer ver apuradas denúncias que o envolvem com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA) disse ontem que seu partido, o PDT e o PSB querem que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, explique a demora em investigar o senador do DEM.

Conforme Pinheiro, as legendas preparam para amanhã uma representação cobrando um posicionamento de Gurgel sobre o caso. A decisão foi tomada depois da descoberta de que, desde 2009, Gurgel já tinha informações sobre as ligações do senador com Cachoeira.

– Ele (Gurgel) tem dados desde 2009. O procurador tem de explicar essa demora toda até agora em abrir um inquérito, um processo, algo parecido – afirmou Pinheiro.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, esse primeiro inquérito de 2009 ficou aguardando o resultado das investigações de outro inquérito, o da Operação Monte Carlo, que desmontou no mês passado um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na exploração de jogos. Cachoeira foi preso na operação.

Jornal aponta relação entre senador e ministro do STF

O material da Monte Carlo já está com Gurgel, que disse estar analisando as informações em conjunto com os dados de 2009. Ele não tem prazo para tomar a decisão de investigar ou não o senador do DEM. Como Demóstenes tem foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF), somente o procurador-geral pode investigá-lo no âmbito criminal, dependendo ainda do aval dos ministros da Corte.

O líder do PT no Senado ainda mostrou-se preocupado com a revelação feita pela Folha de S.Paulo em sua edição de ontem, de que uma enteada do ministro do STF Gilmar Mendes é assessora de Demóstenes no Senado.

Envie seu Comentário