Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Rio Grande do Sul deve receber aproximadamente R$ 25 bilhões do Plano safra 2013/2014

04 de junho de 2013 1


O governo federal lançou hoje o Plano Safra 2013/2014. Serão R$ 136 bilhões para custeio, investimentos e comercialização da produção agrícola e pecuária do país.

O Plano Safra 2013/ 2014 é o maior em volume financeiro já lançado no país. O total de recursos liberados chega a R$ 136 bilhões, deste montante R$ 97,6 bilhões para financiamento de custeio e comercialização e R$ 38,4 bilhões para programas de investimento. O total de recursos é 18% superior ao liberado na safra passada. Durante o anúncio a presidente Dilma Roussef ressaltou que não faltaram recursos para agricultura.

_ Se forem gastos em todas as áreas previstas, não faltarão recursos. Nós iremos complementar. R$ 136 bilhões é o que vocês têm colocado à disposição hoje. Gastem e terão mais porque não olhamos a agricultura como um problema, mas como uma solução, por isso que é: gastem e terão mais_ destacou a presidente.

O dinheiro poderá ser utilizado, por exemplo, para a compra de equipamentos e investimentos em melhorias nas propriedades rurais. A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul estima que o estado receba 18% do total, cerca de R$ 24,84 bilhões, sendo R$ 21 bilhões para custeio e comercialização e R$ 3,84 bilhões para investimentos.

Outra novidade foi o anúncio da liberação de R$ 25 bilhões, ao longo dos próximos 5 anos, para investimentos na construção de armazéns privados. Para 2013/2014 serão R$ 5 bilhões. O prazo para pagamento será de 15 anos. Segundo a FARSUL, no estado o déficit de armazenagem chega a 4 milhões de toneladas.

Também foi anunciada a aplicação de R$ 500 milhões pela Companhia Nacional de Abastecimento para a recuperação da estrutura de armazenagem e construção de 10 novos silos, um deles será no município de Estrela, no norte do estado.

Os créditos oferecidos pelo Governo terão taxa média de juros de 5,5% ao ano, mas modalidades específicas de investimento terão taxas diferenciadas. É o caso dos programas voltados à aquisição de máquinas agrícolas, equipamentos de irrigação e estruturas de armazenagem, com taxas de 3,5% ao ano, produtores que utilizam práticas sustentáveis terão taxas de 5% ao ano, já médio produtores  serão beneficiados com juros anuais de 4,5%.

Também para os médios produtores, a maioria no Rio Grande do Sul, foram disponibilizados R$ 13,2 bilhões. Os limites de empréstimos para custeio passaram de R$ 500 mil para R$ 600 mil, já os créditos para investimento subiram de R$ 300 mil para R$ 350 mil.


Comentários (1)

  • JULIO BRAGA diz: 16 de junho de 2013

    O ANUNCIADO PLANO SAFRA 2013/2014 ANUNCIADO RECENTEMENTE,PELA PRESIDENTA DILMA EM TORNO DE 136 BILHÕES DE REAIS DESTE MONTANTE MAIS DE 25 BI SERÃO PARA O NOSSO RS. É EVIDENTE QUE É MUITO IMPORTANTE O APORTE DE RECURSOS,PRINCIPALMENTE QUANTO MAIS CEDO MELHOR A LIBERAÇÃO DOS RECURSOS,PARA QUE O PRODUTOR POSSA SE PLANEJAR MELHOR E CONSEQUENTEMENTE OS RESULTADOS SERÃO SATISFATÓRIOS NÃO SÓ PARA O PRODUTOR,MAS PARA A SOCIEDADE COMO UM TODO.
    UM DOS PONTOS QUE O GOVERNO DEVE ANALISAR COM MUITO CARINHO É A INSERÇÃO DOS PRODUTORES QUE ESTÃO FORA DO CREDITO OFICIAL,POR TEREM FICADO IMPEDIDOS DEVIDO AOS PLANOS ECONÔMICOS DA ÉPOCA.PORQUE SÃO PESSOAS VOCACIONADAS E QUE POR TRADIÇÃO FAMILIAR SEMPRE VIVERAM DA ATIVIDADE,E DEPOIS DE ANOS E DÉCADAS SEMPRE CUMPRINDO SEUS COMPROMISSO SEJA JUNTO AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PUBLICAS E PRIVADAS,E SETOR PRIVADO DE MANEIRA GERAL,EM UM ESTALAR DE DEDOS TORNARA-SE “PERSONAS NON GRATAS” FICANDO ALIJADOS TOTALMENTE DO CREDITO OFICIAL,MAS MESMO ASSIM CONTINUAM PRODUZINDO E GERANDO RIQUEZAS PARA OS MUNICÍPIOS.

Envie seu Comentário