Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Consumidores denunciam "lista negra" de financeiras

30 de maio de 2010 74

Financeiras de todo o país estão negando crédito a consumidores que ingressam na justiça com as chamadas ações revisionais de juros contra bancos. Advogados, vendedores de lojas e até o representante de uma dessas instituições admitem a existência de uma espécie de “lista negra”, na qual constam os nomes desses clientes . A denúncia foi apresentada hoje pelo “Fantástico”, em reportagem produzida pela RBSTV.

Segundo denúncias de consumidores, a lista foi organizada pelos próprios bancos para evitar novas ações judiciais, que visam a reduzir o valor das prestações de financiamentos. Assim, quem faz parte dessa lista, tem o crédito rejeitado, mesmo sem estar no SPC ou Serasa.

Em Erechim, no norte do estado, a reportagem localizou um mecânico que teria sofrido esse tipo de discriminação. Alegando que a financeira havia cobrado encargos e tarifas abusivas, ele obteve liminar na justiça local que reduziu a prestação do financiamento da compra de um caminhão em 40%. Ao tentar adquirir um novo caminhão, o crédito foi negado , mesmo sem estar no SPC e Serasa.

- Agora, os bancos me tiram o direito, como se eu fosse um caloteiro, não tava pagando ninguém. Como se estivesse com o nome sujo na praça, o que eu compro não pago. É o inverso. O que eu compro eu pago, mas com o valor correto , reclama o mecânico.

A pedido da equipe da RBSTV, o mecânico gravou uma conversa com o funcionário da financeira onde tentou obter o crédito.

-O banco acabou recusando a ficha em função de uma ação, agora em 2009. Apareceu e eles recusaram por este motivo, disse o funcionário, que confirmou que o cliente estaria na suposta lista.

Com uma câmera escondida, a reportagem confirmou a existência do cadastro paralelo em várias revendas de carros de Porto Alegre, que se valem de financeiras para negociar os automóveis, à crédito.

-Eles têm uma caixa preta lá que eles … que todos que entram com revisional ficam queimados nas financeiras. É um acordo entre eles, declarou um vendedor.

Outro funcionário chegou a fazer uma comparação:

- É mesma coisa que ter o CPF sujo. Mesma coisa, disse.

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) afirmou desconhecer a existência de qualquer tipo de cadastro envolvendo ações revisionais de juros. Também em nota, a Associção Nacional das Instituições de Crédito (Acrefi) admitiu que bancos e financeiras fazem, “dentro da lei”, consultas a diversas bases cadastrais, que podem incluir levantamento de informações públicas do poder judiciário.

O artigo 43 do Código de Defesa do Consumidor, a abertura de cadastro, ficha, registro de dados pessoais e de consumo deverá ser comunicada por escrito ao consumidor. O descumprimento desta norma, segundo a coordenadora do Procon no Rio Grande do Sul, Adriana Burger, pode resultar em multa de até R$ 30 milhões.

-O problema desses cadastros é a falta de transparência. O crédito é simplesmente negado para a pessoa sem esclarecer a razão, diz Adriana.

Confira atualizações do caso também no twitter.com/giovanigrizotti

Comentários (74)

  • dilmar santana maciel diz: 30 de maio de 2010

    Realmente essa prática discriminatória está sendo adotada, há muito tempo, por bancos e por financeiras em geral. Isso é uma vergonha porque afronta a própria Justiça, uma vez que a “lista negra” é interna, não admitida formalmente pelas instituições envolvidas. Com essa relevante denúncia, espera-se que a partir de agora sejam tomadas medidas para que esse crime contra o consumidor cesse definitivamente. Parabéns ao Giovani por mais esse magnífico trabalho!

  • Daniel diz: 30 de maio de 2010

    Outro aspecto, do meu ponto de vista muito mais grave, é que o Poder Judiciário é omisso nesta questão, ou até pior, quando confrontado com ações de indenização pela negativa de crédito pela referida “lista negra”, julga improcedente as ações, ou alegando falta de provas, ou alegando exercício regular de um direito, porque seria direito da financeira conceder ou não crédito segundo seus critérios. O fato,como diz a matéria, é que esses critérios não são objetivos e, por isso, ofendem os direitos do consumidor.

  • jorge walter diz: 30 de maio de 2010

    Realmente sito é uma pratica normal usada por todos os bancos.O banco o qual recebo meu salario não me da nenhum credito mesmo adiquirindo produtos do banco pois segundo o gerente o meu nome esta ok mas se eu coloquei alguma instituição financeira na justiça ainda mais se foi alguma que o Itau comprou não adianta nada não tem credito nem nada!!!!

  • Éttoli Schmitzhaus diz: 30 de maio de 2010

    Além de não conseguir um emprestimo no Banco Sicredi,a empresa pettenati de Caxias do sul me negou um emprego depois de verificar nesta lista negra das revisionais.

  • Boris diz: 30 de maio de 2010

    Se eu sou dono de um banco, antes de emprestar $$ eu acredito ter o direito de verificar se o cliente costuma fazer contratos e depois descumpri-lo ou modifica-lo na justiça. Na hora de pegar o crédito o contrato serve, na hora de pagar, não serve mais. Por que obrigar os bancos a te-los como clientes? E a suposta lista negra nem deve existir, mas basta se olhar o nome da pessoa no site dos tribunais de justiça e verificar se processam bancos após pegar $$ emprestado. (não sou banqueiro)

  • aristides diz: 30 de maio de 2010

    Pobreza é duro mesmo, não tem dinheiro e quer comprar, se quer comprar tem que pagar.

  • Heitor diz: 30 de maio de 2010

    Concordo inteiramente com o Bóris. Na hora da concessão do crédito, o mutuário aceita integralmente os termos do contrato. Depois, não serve mais. Como assim?
    Há muito o RS têm os juros mais elevados do país justamente pela indústria da ação revisional, onde muitos mutuários chegam ao absurdo de não pagarem nenhuma prestação e já entrram com ação revisional. Isto é o cúmulo do absurdo! Se o sujeito não concordo com os juros, ou não pega o empréstimo, ou devolve o bem financiado.

  • Tripa_rs diz: 30 de maio de 2010

    quem entra com revisional é mais salafrário que o banco que empresta a grana com juro alto!

  • Jorge diz: 30 de maio de 2010

    Mas não pensem que é só revisional, não. Se vocês esteve no Serasa, SPC, há pouco tempo atrás, você também está na lista. Fui comprar um carro em outro estado, e mesmo estando com o nome limpo, meu cadastro foi negado pelas financeiras. Inclusive o da minha esposa, devido a minha ficha estar “suja”. Depois de passar por umas 3 financeiras, um funcionário do Banco Itaú me abriu o jogo, dizendo que eu tinha entrado com uma revisonal contra o Unibanco, hoje Itaú, anos atrás. Isso foi lá em 99/2000. Mas eu estava na “lista negra”.
    Se alguma conta sua “caducou”, ou seja, passou 5 anos e você não pagou, você está na lista “suja” deles também.
    Eu posso estar com o nome sujo até ontem, mas se eu paguei minhas contas, e não estou mais no SPC e Serasa, tenho o direito como cidadão, também ter crédito, porque nem todo mundo que está com o nome sujo, está por ser mal pagador.
    Isso é um absurdo. E ninguém nos defende. Nem o Procon. Eita paísinho, viu…..

  • Abreu diz: 30 de maio de 2010

    Até qenfim alguem reclamou desse abuso.Confirmo tudo isso qaconteceu c/o mecânico,prq meu filho teve esse problema ao tentar adquirir um automóvel na LOCALIZA,aqui em POA.Exatamente como foi apresentado nesta matéria.Ele pediu uma revisão qndo tinha comprado um Fiat-Palio atravez do BANCO ITAÚ.Td bem.Ganhou a causa e foi pago tudo conforme os novos jrs.Passado um tempo,mais precisamente uns 20 meses passados,sofreu essa mesma discriminação.Ñtinha nenhum EMPECILHO no SERASA e SPC,mas lhes foi negado em tres revendas,LOCALIZA, VIA PORTO e SANMARINO,sendo qentão nessa última fui eu o comprador de um carro Fiat-Siena,porque ele ESTÁ NESSA LISTA NEGRA,e qtmb lhes foi confirmado por outra revenda.Quer dizer:ñpoderá nunca mais comprar nenhum bem em seu nome,carro,casa,etc.Isso é caso para o MP realizar uma ação,por solicitação de tds os prejudicados,entre eles,meu filho.Isso é abuso do poder econômico e isso,qeu saiba,é passivel de uma ação penal.Ou ñé?Estou disponivel para quaisquer outros esclarecimentos ou participar de uma ação penal contra os bancos,principalmente o banco ITAÚ qainda faz propaganda enganosa na midia.Meu e-mail está ai disponivel para qualquer contato.

  • Poliana diz: 30 de maio de 2010

    Seu Heitor, mas de que lado o senhor está? Do lado dos caloteiros? Isso envergonha uma nação e no seu caso até a sua família com esta posição.

  • Éttoli Schmitzhaus diz: 30 de maio de 2010

    Posso ate concordar na questão do banco negar credito,mas na questão da empresa negar emprego?Como pagarei o que devo,e não nego,se não consigo emprego???

  • Max diz: 30 de maio de 2010

    Um contrato é para ser lido analisado ver se as condições estão de acordo com o meu orçamento, ou seja assino levo o bem, depois percebo que não consigo pagar devido a outros imprevistos e peço uma revisional ? Na hora compra tudo está ótimo, depois quem está errado são as emresas que concedem crédito, francamente.

  • Pedro D. Pachada diz: 30 de maio de 2010

    Não existe “direito ao crédito”, como se isto fosse líquido e certo. O dinheiro é do banco e ele empresta para quem quiser! O fato é que o brasileiro é muito hipócrita: quem contrata ex-presidiário? Quem não liga para buscar referência na hora de contratar um empregado junto ao ex-patrão? Tu emprestaria dinheiro para uma pessoa que, anteriormente, ajuizou um processo contra ti? Ou seja, o banco está fazendo o que todos fazem, mas não querem admitir.

  • André diz: 30 de maio de 2010

    Essa lista existe a anos e todo mundo sabe, e quem vai faser alguma coisa? a gente mora no Brasil, os bancos e financeiras deitam e rolam na agiotagem, enrriquecendo nas costas dos pobres.

  • Marques diz: 30 de maio de 2010

    Eu estou na lista negra por ter negociado algumas dividas, onde paguei juros sim, mais não o juros total e recentemente me foi negado um financiamento de um automóvel por causa dessa suposta lista. não sei se si trata da mesma lista pois nunca movi nenhuma ação contra qualquer empresa de créditos, o fato é que, esse tipo de assunto tem que ficar bem claro no ato da renegociação. se a empresa aceitou que o cliente pague um valor mais baixo é por que estão entrando em acordo de quitação e se não quiser conceder crédito novamente a essa pessoa eu concordo. agora nào concordo que ela divulgue em uma lista, histórico desse cliente que renegociou sua divida e ela ceitou o pagamento de um valor que ela mesmo recalculou. pensem nisso…

  • Luis Fernando diz: 30 de maio de 2010

    Essa lista existe e fui descobrir isso na prática. Comprei um carro na Localiza em 2000, e depois de pagar 3/4 da dívida fiquei em uma situação financeira instável e resolvi pedir a revisional para ver se reduziria meus custos, junto com outros cortes. Aos que comentaram que os bancos estão certos, esse é um disposito legal que TODOS os consumidores tem direito, inclusive vocês. E ainda corri o risco de perder a causa e ter de pagar a diferença. Revisional não obriga o banco à perder dinheiro, apenas reduz suas poupudas margens de lucro, isso se for verificada como abusiva. Por fim, passados mais ou menos 4 anos do fim do processo, precisei comprar outro carro financiado e fui sabendo que no Itaú, que foi o banco que movi a ação, não teria chances por se tratar de um direito deles. Acontece que mesmo cumprindo todas as exigências (SPC, Serasa, renda, tempo de conta, etc…) sempre era o negado o crédito. Inclusive alguns vendedores ficavam intrigados com o fato. A única coisa que sabiam dizer é que “não alcancei a pontuação da financeira/banco”. Questionava então em qual ponto eu perdia os tais pontos que era para poder “corrigir a situação” e viabilizar a compra. E todos diziam a mesma coisa: é o sistema, não temos como saber. Então é uma situação de total abuso de poder econômico e falta de transparência na transação, pois em nenhum momento omite o fato de ter posto uma revisional no Itaú, em contra-partida eles adotam uma conduta de mascarar suas ações através da “pontuação do sistema”. A consulta ao Itaú foi até engraçada, pois avisei que não adiantaria pela revisional, e bastou colocar meu CPF para de imediato dar como negado, não precisou mais nenhum dado. Isso já era esperado, e é um direito legítimo do banco. Foi quando em outra concessionária o vendedor me perguntou se eu já havia posto alguma revisional e disse que sim, à uns 4 anos, e a resposta: então não vai ter jeito, porque os bancos mantém uma lista entre eles de quem já fez revisional e vão sempre negar o crédito. A tal “lista negra”. Isso foi o próprio vendedor da revenda quem me explicou. Falei do tempo que fazia e ela disse que, até onde sabia, não havia prazo para caducar. Quem acha uma situação dessas correta, como alguns que postaram aqui, devem comprar tudo à vista ou não se importar de pagar 2 carros (1 comprado e outro de juros). Muitos fizeram isso por “esperteza” e os que fizeram por necessidade, que foi meu caso naquele ano, é que se prejudicam. Espero que o MP leve adiante e apure tudo, apesar que isso aqui é Brasil, e os bancos mandam aqui, principalmente nos últimos 8 anos.

  • Abreu diz: 30 de maio de 2010

    Se me permitirem,quero dizer a Poliana qninguém é ou foi caloteiro,como ela diz.Tds pagaram o qde direito.Acho que ela deve trabalhar em algum desses bancos,para defende-los.Qnto a envergonhar uma nação,acho até graça,quem está envergonhando a nação são o seu presid.molusco e tds aqueles qo cercam e votaram nele.Vc deve ser com certeza uma delas.
    pense antes,e não diga bobagens como essa.AH! deve ser rica…ñ quem é rico ñentra em polemicas desse tipo,ou entra?Poliana,se ñsabes,existe limites de juros a serem cobrados,mas tu nunca deve ter atrasado nenhuma divida portanto ñestás nessa lista.Certo?

  • adriano mendes diz: 30 de maio de 2010

    Boa matéria Giovani. Sou advogado e conheço esta prática das financeiras por mais de 10 anos. E o pior de tudo que isto é uma lista fornecida pelo próprio SERASA. E te conto mais: O SERASA tem a informação de clientes tipo “nada consta” com as letras DP ou LM. Isto significa que são clientes que sairam do SERASA por DP (decurso de Prazo), passou os cinco anos e foram excluidos da lista ou por LM (liminar) sairam por liminar, tipo cancelamento de protestos e por ai vai. Acho q as relações deveriam ser mais transparentes entre cliente e financeira, sendo q esta poderia informar a verdadeira recusa do crédito. Sei que existem muitos abusos praticados por clientes através de revisionais mas o nosso Tribunal, de 5 anos atrás, vem coibindo esta prática, exigindo o depósito em juizo das prestações, evitando-se assim a mora. O mal cliente não deposita; o bom, fica todo mês lá depositando.
    ABraço,

  • Heitor diz: 31 de maio de 2010

    Não entendi as ponderações da Poliana sobre o meu texto. Critiquei de forma veemente a indústria da ação revisional. Não entendi.
    E sobre as ponderações acima, reitero que entendo o posicionamento dos bancos, pois infelizmente, muitos autores de revisionais são reincidentes.

  • Leandro diz: 31 de maio de 2010

    Também acho errado a existência desta lista negra, ou agora teremos que aceitar as cobranças abusivas dos bancos e nem poder contestar esta prática abusiva? ou nossos direitos? As ações existem apenas porque os bancos querem cobrar juros altíssimos.

  • fernando diz: 31 de maio de 2010

    ae pessoal os bancos eh quem mandam no brasil…so olhar os juros

  • dejalmiro diz: 31 de maio de 2010

    ESSE COMENTÁRIO É PARA O BORIS, ARISTIDES, HEITOR E O VULGO (TRIPA), POIS ESTE DEVE ESTAR FICHADO NA POLÍCIA SENÃO USARIA O NOME E NÃO O APELIDO. TORÇO QUE VOCÊS NUNCA SE DEPAREM COM UMA SITUAÇÃO FINANCEIRA DESESPERADORA, POIS NESTE MOMENTO AS PESSOAS (PARTE FRACA NESTA RELAÇÃO) FAZEM LOUCURAS, COMO ACEITAR EMPRÉSTIMO DESSAS INSTITUIÇÕES SALAFRÁRIAS, NO ENTANTO QUE NO BRASIL, ELAS SE MULTIPLICARAM COMO BARATAS. ANTERIORMENTE NOSSA CONSTITUIÇÃO REGULAVA OS JUROS EM 12% AO ANO, HOJE NÃO EXISTE UMA LEI ESPECIFICA QUE REGULE O PERCENTUAL DE JUROS A SEREM COBRADOS, POIS ME DIGAM EM QUE DISPOSITIVO LEGAL, VERSA QUE OS JUROS COBRADOS POR ESSAS FINACEIRAS DEVEM SER NESTES PERCENTUAIS COBRADOS POR ELAS.

    O BOM SERIA QUE ESTA LISTA VIESSE A PÚBLICO, PARA QUE TODOS OS QUAIS FAZEM PARTE DELA, PROCESSASEM ESTAS INSTITUIÇÕES SALAFRÁRIAS QUE SE APROVEITAM DO DESESPERO DAS PESSOAS. PORQUE ELAS NÃO COBRAM JUROS MAIS REAIS AS CONDIÇÕES FINANCEIRAS DOS BRASILEIROS QUE GANHAM UMA MISÉRIA, ASSIM NINGUÉM ENGRESSÁRIA NA JUSTIÇA.

  • Apolônio diz: 31 de maio de 2010

    Para quem reclama da tal “lista negra”, apresento a seguinte hipótese. Digamos que vocês contratem alguém para fazer um serviço e paguem essa pessoa com cheques. Digamos que a pessoa não cumpra o acordado e você tente receber na justiça, mas passado o prazo legal e não logrando êxito, você não consegue mais nada. Agora, terminado o processo, terminados todos os prazos, vocês voltam a negociar com essa pessoa?

    Os bancos e financeiras são pessoas, de natureza jurídica, mas ainda assim pessoas assim como você não querem se envolver com gente que não honra seus compromissos. Você pode até se escapar de uma dívida depois de 5 anos, mas certamente o banco não fará mais negócios com você e com TODA A RAZÃO.

    O brasileiro só quer saber “do seu direito” e acha que as instituições financeiras estão aí para DAR DINHEIRO e não emprestar.

    Engraçado que eu nunca peguei dinheiro emprestado pois vivo com o que ganho e não tenho sonhos de grandeza com o dinheiro dos outros. Não gosta das regras do jogo? Não pegue emprestado, simples assim.

    E assim como um bandido não pode se empregar na polícia, um caloteiro não pode de forma alguma trabalhar em uma instituição financeira. Os bancos e financeiras vítimas de roubo muitas vezes sofrem com a participação de funcionários que por estarem em situação de débito optam por usar o conhecimento que possuem para cometer toda sorte de crimes, inclusive conta idosas aposentadas, caixas escolares e todo tipo de gente indefesa.

    Você que tem problemas financeiros, volte para o básico e para a “economia da dona de casa’. Pare de gastar o que não tem e sua vida será uma maravilha.

  • Diego diz: 31 de maio de 2010

    Do ponto de vista econômico, essa discriminação de preços (que não deve ser entendida em sentido pejorativo) é perfeitamente razoável. Seria um absurdo o banco dar o mesmo tratamento a quem entra com revisionais e a quem cumpre suas obrigações, simplesmente pelo fato de aquele envolver maiores riscos. Maiores riscos = maiores juros (ou então, a não concessão do crédito). Esse tipo discriminação ocorre em várias áreas (por exemplo, desconto por volume comprado, preços variando conforme faixa etária do consumidor, etc.), mas, nesse caso, não é permitida por lei (na minha opinião, equivocadamente).Aí, como resultado, todos pagam juros maiores (porque o banco não pode cobrar juros mais altos dos maus pagadores), isto é, os bons pagadores pagam pelos outros.

  • CADEIA PRA ESSA GENTE diz: 31 de maio de 2010

    É um caso de polícia. Onde estão as ditas autoridades? Para reprimir greves e prender trabalhadores eles são rápidos. Para coibir um buso desse tamanho eles são omissos. CADEIA PRA ESSE BANDO DE SALAFRÁRIOS.

  • Leonardo diz: 31 de maio de 2010

    As pessoas falam como se quem coloca um banco em revisional fosse caloteiro. Se eu abro um processo de revisional quem decide se é justo ou não é a JUSTIÇA, se a justiça me dá ganho de causa pq o banco é que estaria certo?

    No mais é abuso sim, se todos bancos cobram juros abusivos e eu preciso de financiamento para sobreviver, é claro que aceitarei qualquer juros e depois irei reclamar na justiça, ou então ficarei sem meu financiamento. Está bem claro na lei, é proibido a cobrança de JUROS ABUSIVOS.

    Continuem comprando e colocando os bancos na revisional, no final eles sempre perdem e é uma forma de ajudar a acabar com o roubo que pagamos de juros para bancos, financeiras e cartões de créditos.

    O nome do sistema que cadastra os clientes com pedido de revisional é IRIS, ele existe e não cadastra apenas processos de revisional, também cadastra pagamento antecipado de financiamentos e outros casos.

    Os que se dizem super honestos e dizem que revisional é coisa de caloteiro, fiquem sabendo que já ouve casos de clientes que não entraram com revisional sendo incluidos no IRIS e que não tem como corrigir esse erro, afinal o SISTEMA NÃO EXISTE.

  • claudio diz: 31 de maio de 2010

    Cada um se protege como pode. Se tu aceita um financiamento por um determinado juro, assina um contrato e depois coloca o banco na justica, e’ obvio que vai entrar na lista negra. Capitalismo, democracia, bla bla bla!!!!!!!!

  • Denis diz: 31 de maio de 2010

    Bem alertado pelo leitor Daniel.
    A nossa maravilhosa Caixa Econômica Federal negou-me um financiamento imobiliário sem me dar o motivo, mas que em off foi revelado pelo funcionário que era porque eu havia anos antes entrado com ação revisional.
    Mas o mais absurdo é que entrei na justiça com essas alegações e perdi sob a alegação de que basicamente o banco pode fazer o que bem entender. Decisão ratificada pelo nosso glorioso TJ-RS.
    São os bancos mandando na justiça. Única empresa sem risco algum no nosso país.

  • Davi Teixeira diz: 31 de maio de 2010

    se não tem grana,não compra.agora pegar o dinheiro pra andar de carro novo e depois reclamar,tem mais é que se ferrar mesmo.o povo tem que aprender duas coisas:1° bancos foram criados pra ganhar dinheiro e nunca pra perder 2°Comprar somente o que pode pagar.
    Viva feliz,sem dever nada.

  • Rainor diz: 31 de maio de 2010

    Listas secretas são um absurdo, é uma agressão da qual não se tem defesa. Um Estado de Direito não pode permitir isso. Ora, entrar com uma ação na Justiça é direito de qualquer cidadão, se o juíz condena a financeira é pq ela descumpriu a lei, simples assim. Crédito é um direito de todas as pessoas honestas. Bloquear o crédito de quem procura seus direitos é chantagem. E o pior é que um monte de gente ignorante fica chamando os autores dessas ações de caloteiros. Deviam estudar um pouco antes de escrever idiotices.

  • Luiz Rafael Culik diz: 31 de maio de 2010

    Caso de juros e simples. Basta o Bancen Regular isso.

    eu queria saber qual a formula que os 9.5% da Selic( 0,79% ao mes) viram abusivos > 300% ao ano ( de inicio 25% ao mes)
    Acho que esta no hora do nosso excelentisimo congresso e senado aprovar uma lei estabelecendo que os juros maximos ao consumidor pode ser no maximo 2x a taxa selic

    []s
    Luiz

  • Claudio P. Dias diz: 31 de maio de 2010

    Qualquer cidadão tem o direito de obter crédito junto a bancos/financeiras e quando precisa faze-lo para satisfazer qualquer necessidade ou imprevisto(saúde, etc.) ou aceita os termos ditatoriais do Lobby bancario nacional ou abre mão desse direito. Ora se o cidadão precisa tomar um dinheiro emprestado não significa que tenha de ser espoliado e pagar duas ou três vezes ou a vida toda o capital que pegou. Quando esse cidadão viu que foi vitima do ágio extorsivo e entra com uma ação judicial visando a revisão do juro abusivo não significa que ele não vá pagar nada, mas sim que vai pagar o valor justo com o juro justo e com o lucro justo do banco através de uma decisão judicial baseada em normas de proteção contra esses abusos de quem domina o mercado financeiro. É de lamentar que alguns compactuem com este estado de ilegalidades ou por ignorância ou por interesses próprios.

  • Fernando diz: 31 de maio de 2010

    Não estou aqui para ofender ninguém. Mas, existe uma prática comum entre “alguns Consumidores” que é de realizar um financiamento para compra de veículos já pensando em pedir revisão dos valores logo após o pagamento das primeiras prestações!!! É ISTO MESMO!! Elém de ficar por algum tempo sem pagar até que a justiça resolva apreciar a questão, depois da revisão ganha-se um bom desconto.

    Eu sou da opinião de que um contrato representa a vontade das duas partes. Portanto, não tem nada que fazer “revisões” depois de assinados.

    Criem vergonha na cara e honram seus compromissos!!!!

  • irineu ermel diz: 31 de maio de 2010

    Isso é uma grande picaretagem. Assumir compromissos e depois discutir os juros na justiça. Os juros são os mesmos da assinatura do contrato na hora da compra e não sofreram nenhuma modificação. Pena que ainda tem juizes que dão parecer favorável a esse tipo de maracutaia.

  • Roberto M Barreto diz: 31 de maio de 2010

    É mais uma arbitrariedade existente no Brasil, e com impunidade, e ainda vem o FEBRABAN, um orgão oficial dos bancos dizer na maior cara de pau que desconhece o assunto.
    Quero ver como vai ficar esta imoralidade, pois se o poder judiciário da ganho de causa para quem entra na justiça com revisional, quem são os bancos para punir quem procura este direito.

  • albnerto diz: 31 de maio de 2010

    Caloteiro tem que se ferrar…assina um documento aceitando as condições do banco, recebe os R$, compra um bem, usufrui dele, não paga nem a primeira parcela e entra na “justiça” para revisar o valor que ele mesmo aceitou, e na maior cara de pau quer “comprar” outro e fazer a mesma coisa ?

    Se eu for na “oficina ” deste mecânico, fazer um orçamento para reformar um motor, aceita-lo, autorizar o serviço, e depois entrar na “justiça” alegando preço muito alto, ele vai reformar outro para mim ? palhaçada…

    Deve ser algo assim como “namorar” uma garota, prometer casamento, conseguir o “premio”, e depois cair fora, e buscar outra… he he he

  • Alexandre diz: 31 de maio de 2010

    Está certo mesmo. Pediu TEM QUE PAGAR!!!!! Só num pais de VIGARISTAS é que as pessoas de acham injustiçacas e nao querem pagar as contas!!!

    VIGARISTAS SAFADOS!!!!

  • henrique pawlak diz: 31 de maio de 2010

    acho que a população esta certa em denunciar esses escandalos pois quem tira empréstimo realmente paga juros e taxas exorbitantes. Não entendo como o povo gosta de pagar tanto juro a essas financeiras. tenho um conselho a dar, compro todas minhas coisas, carro, moto através de consórcios, e nunca tive problemas com juros excessivos, pois no consórcio só pago uma pequena taxa de administração em 50 ou 60 meses. Livrem-se dessas financeiras que cobram absurdos. Se colocarmos nossas reservas em uma aplicação ou poupança o banco nos paga 0,50 a 0,70% ao mes mas se formos buscar um emprestimo pagamos em um unico mes o que precisamos deixar na poupança 1 ano, é um abuso de poder economico. salvem-se enquanto é tempo, e a lei da oferta e procura funciona muito bem também.

  • antonia raimunda collares diz: 31 de maio de 2010

    Nada mais justo ou será que tenho que cair no mesmo conto do vigário outra vez? Caloteiro não honra assinado , aí vai atrás de advogados mais caloteiros ainda. Infelizmente a classe dos advogados não gera nenhuma confiança.

  • cesar diz: 31 de maio de 2010

    QUE ABSURDO!
    ONDE ANDA O MINISTERIO PUBLICO A TODAS ESSAS?
    PASSEM NA ANDRADAS E VEJAM O QUE É A VERGONHA DESSAS FINANCEIRAS CATANDO APOSENTADOS PARA ” DAR DINHEIRO ” QUE PRECISAM!
    DEVE TER MAIS DE CEM AQUI PELO CENTRO, DISPUTANDO ” CLIENTES ” OU VITIMAS, PELA RUA

  • Apolônio diz: 31 de maio de 2010

    Faltou aos santinhos dizer que no Brasil existe a indústria da ação revisional. Que há no país uma prática de contratar com empréstimos e financiamentos para logo em seguida ingressar na justiça paralisando os pagamentos. Que há inclusive laranjas que ganham a vida só com esse tipo de ação.

    São todos ingênuos na hora de contratar, ninguém lê nada e não sabem do juros, mas como mágica ficam super espertos na hora de entrar com uma ação revisional. O mais legal de tudo é que esse povo enrola, mas no fim das contas os bancos e financeiras ganham a ação pois esse assunto de juros já está mais do que pacificado no STJ e no STF. Só serve para o caloteiro enrolar para pagar.

  • Vinicius diz: 31 de maio de 2010

    É lamentável a devesa que alguns hipócritas fazem aos bancos nos comentários acima.Concerteza devem ser alguns de nossos bens sucedidos que existem neste país, que muitas vezes fazem riquezas nas costas dos outros, fazendo exatamente o mesmo que esses bancos e banqueiros, fazem fortunas nas costas do povo exercendo toda a forma de abuso e atrocidades possíveis.Essa prática deveria ser estendida a esses vermes da política que causam rombos milhonários nos cofres públicos(dinheiro nosso, diga-se de passagem), esses também, senhores devensores, fazem os juros estrapolarem.E para finalizar, deixo uma pergunta para esses hipócritas.Se vcs tiverem passando por um problema grave de saúde com um filho, cujo seus ganhos não são o suficiente para salvar a vida dele,vc se obriga a contrair um empréstimo, mesmo sabendo dos juros, pergunto:Vc deixaria de ó fazer? e mais, é justo lhe ser negado crédito o resto da vida por essa situação?Poderia deixar tantas outras perguntas para esses burgueses, mas perderia toda a manhã.Desejo que nunca sejam traídos pela lingua e sorte que possuem!!!!

  • Mulher infiel X novo casamento diz: 31 de maio de 2010

    Conheci pessoas que entraram com revisional na mesma semana em que assinaram o contrato, tomando o crédito. Não chegaram a pagar nem uma prestação. Isso aconteceu em Gravataí e o cliente tomou crédito no BB e no Banrisul, e questionou os dois. Também conheci muitos outros que entraram na justiça depois de alguns meses em atraso da primeira prestação não paga.
    Mesmo em financiamentos de imóveis, com taxas a partir de 4% ao ano e subsídio do governo, tem “clientes” que não pagam, e entram com revisional.
    O lamentável é que ou os bancos se previnem desse tipo de “cliente” ou aumentam os custos do empréstimo para todos, inclusive os que pagam em dia.
    Fácil de perceber que essa questão tem dois lados, dois pontos de vista distintos, importante é conhecer e respeitar os dois, ao invés de fomentar o caos a partir de novas ações judiciais ou incentivar o calote.
    Eu pergunto aos que nos lêem se eles tivessem a oportunidade de iniciar um relacionamento com uma pessoa que históricamente é promíscua ou infiél, eles iniciariam?
    Se o cliente tem opção de escolher o crédito e quem lhe fornecerá o mesmo, porque os fornecedores não podem dizer não, conhecendo o cadastro do mesmo? Ou será que quem tem o hábito de não pagar e entrar com revisionais vai deixar de fazê-lo justamente agora?
    O que sobra disso tudo é que para aqueles que só tomam crédito que podem pagar e em pagando, não tem e não terão esse tipo de problema.

  • Rainor diz: 31 de maio de 2010

    O povo brasileiro jamais vai se desenvolver enquanto ele mesmo ficar apoiando quem lhe oprime. Os que acusam quem entra na Justiça de caloteiro deviam se informar melhor e verão que a maioria desses “empréstimos” são puro roubo. Eles embutem taxas não previstas no contrato, cobram juros muito maiores que os acordados e, nos casos de débito na folha de pagamento ou aposentadoria, CONTINUAM a cobrar mesmo o débito tendo sido quitado. Ingressar na Justiça é direito de todos e se o pedido for improcedente o autor terá que pagar toda a dívida e ainda as custas e a sucumbência. O problema do povinho ignorante é que todo mundo emite opinião raivosa sem saber de coisa alguma.

  • todo mundo diz: 31 de maio de 2010

    Quando algo não previsto no contrato está sendo cobrado, existe o direito de busca na justiça de reparação/adequação. Isso é inalienável.
    O bom senso e atenção ao contrato, propaganda, dicas e orientações disponíveis na mídia, no entanto, deveriam ser suficientes para que muitos não caíssem em propagandas enganosas.
    Como trabalho no comércio, sei que muitos vão para financeiras e trambiqueiros justamente por estarem comprometidos em seus limites legais. Estes, para se precaverem de inadimplência, acabam encarecendo o crédito.
    Mas aqueles que tem o nome limpo e se preocupam com seu crédito, não tomam valores maiores do que podem pagar e não caem nas mãos de financeiras e picaretas. Esses não estão em listas negras, marrons ou azul-grená (ou qualquer outra cor).
    O que concordo com o Rainor é que a ignorância leva a opiniões raivosas, como as dele, porque não é a maioria que faz errado (povo ou financeiras), é a minoria. A maioria não tem esses problemas e é fácil comprovar: o crédito já teria parado se fosse o contrário. As lojas vendem a pelo menos 100 clientes enquanto negam a menos de 2, por listas coloridas.

  • lucas diz: 31 de maio de 2010

    Srs. a revisão de contrato esta na lei, é direito com certeza, mas há muito tempo que os juros não são exorbitantes e ninguém COLOCA UMA ARMA na cabeça dos cliente para assinar, acontece que isso virou um indústria onde a má fé dos clientes e dos picaretas de advogados de porta de cadeia ( que cobram mensalidade dos TROXAS e dão brindes no final do ano para quem paga em dia, olha que ironia a MENSALIDADE DOS HONORÀRIOS) e ainda quando fecham acordo cobram mais honorários, ( ou seja, não paga o banco mas paga o advogado ) recorrem a justiça para tentar pagar menos e se favorecer dos descontos que muitas vezes sáo menores do que a divida e do que foi emprestado, mesmo que um banco receba com esse valor, ele recebeu com prejuízo.

    Por isso as taxas acabam ficando mais altas, até para quem paga em dia, pois há um risco envolvido e o judiciário e conivente com esses clientes, sei de um caso onde a taxa era 0,99% AO MÉS e mesmo assim o cliente entrou com revisional, ou seja , MÁ FÉ autorizada pelo judiciário!!!

    Quem assinou deve pagar, passar por dificuldade financeira é uma outra coisa, isso pode ser renegociado com o Banco e a financeira, eu mesmo já fiz, mas não ajudei a atolar ainda mais o judiciário com BOBAGENS!!!!!

  • Eduardo diz: 31 de maio de 2010

    Tambem passei por este tipo de constragimento pelo unibanco, entrei com uma revisional em 2005, fui financiar 1 veiculo pelo itau e deu codigo 91, nem mesmo o cara da agencia sabia dizer o significado deste codigo e porque tive o credito negado

  • Alexandra diz: 31 de maio de 2010

    Sou advogada militante, tenho vários clientes que me procuraram para fazer ações de revisão de financiamento, no entanto, momentaneamente, tenho entrado somente para receber as taxas ilegais (TAC, TEC, etc…). Será que nesse caso, eles também estarão nessa “lista negra”?

  • JULIÃO diz: 1 de junho de 2010

    Dá mesma forma que o Banco não é obrigado a emprestar dinheiro para todo mundo, ninguém é obrigado é pegar dinheiro no Banco.

    Se acham que estão sendo mal atendidos nos Bancos, porque não poupam, formem um capital e depois comprem o bem que precisam sem financiamentos e sem precisar de créditos dessas Instituições finaceiras. Se todo mundo fizer isso, os JUROS caírão rapidamente e os Bancos é que correrão desesperadamente atrás de clientes e não o contrário, como acontece hoje.

    Poupando encheremos o Sistema financeiro de dinheiro e tomando menos empréstimos caros desvalorizaremos ainda mais a mercadoria dessas instituições, o dinheiro, e com o tempo teremos a disposição empréstimos fáceis nos mesmos padrões de juros do mundo todo.

    O problema é essa ansiedade em CONSUMIR, em trocar o carro que tem apenas 3 anos de uso, em morar em casas que não temos dinheiro para sustentar, em usar celulares e tênis da última moda… Para esses só resta se submeter as regras deles.

  • vinicius diz: 1 de junho de 2010

    Chega a ser cômico o comentário do Sr. Julião.Ou com muita sorte, é bem empregado, não mora no Brasil ou é jogador de futebol.Juntar dinheiro para comprar à vista, isso já estamos cansados de ouvir dos economistas.Mas pergunto, como se consegue isso?Com todas as obrigações que temos e o salário que é proposto para a maior parte da classe social, a qual, me incluo.Comprar à vista Sr. Julião, é o sonho de todos, mas se estamos dependendo disso para que os bancos nos tratem com mais respeito, estamos perdidos, precisamos que o Sr. entre no congresso e faça mudar todo o sistema.Mas quando o Sr. entrar lá, já irá conseguir comprar tudo à vista, mas por favor não esqueça dos outros milhões de brasileiros que ainda estarão à espera.A por favor, é por essas hipocrisías que ficamos refém das coisas…

  • Gabriela diz: 1 de junho de 2010

    O que o consumidor deve fazer se seu nome encontra-se nesta “lista negra”? É como falaram logo acima: se o banco sabe que vai fazer isto, deveria deixar explícito para o consumidor dos riscos que estará correndo após quitar a dívida com desconto dado pelo próprio banco. Porque pagar se o nome continuará sujo impedindo fazer qualquer tipo de crédito?

  • Daniel diz: 1 de junho de 2010

    Muito me admira que algumas pessoas defendam esse posicionamento abusivo e ilagal dos bancos. Primeiro, porque podem eles sim negar crédito, desde que o façam de forma objetiva, fundamentada e clara, que permita ao consumidor tomar conhecimento das razões e ponderar, justificar ou retificar alguma informação errônea. Segundo, porque se o acesso ao judiciário – garantia constitucional a qualquer cidadão – tornar-se justificativa para restrições, significa que o DIREITO não mais assim pode ser chamado e que a sociedade não tem credibilidade nos seus Juízes. Se há consumidores que extrapolam – e há – também há muito abuso de bancos e financeiras que não cumprem a lei, portanto, deixemos o Poder Juciário julgar caso a caso, o que não se pode admitir é que ao buscar o Poder Judiciário o consumidor reste excluído do mercado, e lembremos vivemos em uma sociedade de mercado, onde o crédito é figura preponderante e fundamental a qualquer atividade.
    No meu caso, tive uma ação revisional (cheque especial) contra o Santander E GANHEI, tiveram que me devolver dinheiro, depois disso nunca mais pude financiar veículos em meu nome, o grave é que antes disso tive seis financiamentos de veículo nas mais variadas instituições e QUITEI TODOS, porém, a lista negra só mostra a revisional os contratos quitados esses foram varridos da memória. É justo?

  • Luciano Duarte Peres diz: 1 de junho de 2010

    Vivemos no Brasil o período da ditadura financeira, num período na qual os juros viraram uma epidemia, servindo não para representar uma lucratividade justa e perfeita de uma relação contratual, mas sim o enriquecimento dos bancos em detrimento ao empobrecimento dos consumidores.
    Desde que o art.192 da CF foi revogado, no Brasil não temos Lei que regule a prática de juros, sendo tudo determinado através das Resoluções do CMN.
    O fato é que a limitação de juros é fixada por uma taxa média de mercado, de acordo com uma constução jurisprudencial do STJ, taxa esta que corresponde a média aritmética dos juros cobrados pelas instituições autorizadas pelo Banco Central, quando do fechamento dos seus balancetes, assim, desta média compõe-se os juros autorizados no Brasil.
    O grave é que mesmo com a taxa média de juros sendo fixada através da determinação dos bancos, em 90% casos os juros são cobrados acima desta média, sendo omitidas estas informações do BACEN.
    Em 1999, o CMN criou o SCR, ou seja, sistema de controle de riscos, que tem por objetivo conhecer e classificar todas as operações financeiras realizadas pelos consumidores e seus co-responsáveis no mercado financeiro.
    A tal lista negra, não é nada mais nada menos do que a centralização das informações de cada consumidor e sua classificação junto ao Banco Central.
    Todas as operações finaceiras são classificadas em letras “AA até H”, letras que correspondem ao período de adimplencia e inadimplência dos contratos bancários, e que geram valores a serem depositados “provisionados” pelos bancos quando do fechamento mensal dos seus balancetes.
    Assim as informações são obrigatórias.
    O grave é que os bancos como objetivo de maquiarem seus balancetes, sonegarem impostos, e diminuirem os provisionamentos, estão prestando informações diferentes ao BA Cen, ou seja o cadastro SCR, tem servido para negar crédito, quando seu objetivo principal, éo acompanhamento por parte do governo do grau de liquidez dos bancos, e o controle dos depósitos no compulsório, cumulado com lançamento mensal dos impostos sobre as operações financeiras.
    OS BANCOS ESTÃO ENTRE OS MAIORES SONEGADORES DE IMPOSTOS DO PAÍS, BEM COMO TEM COMETIDO INÚMEROS CRIMES FINANCEIROS AS BARBAS DOS PODERES CONSTITUÍDOS.
    Existem uma grande quantidade de casos em que os bancos mantém cobrança de dívidas no judiciário, bem como o nome dos clientes no SPC, SERASA, e contabilizaram valores a menor, ou sequer contabilizaram.
    Assim, o que poderia ser uma ferramenta de controle governamental para assegurar o aumento de arrecadação sobre as operações financeiras, tornou-se um mecanismo para negar crédito aos clientes, ferindo o livre acesso ao judiciário, bem como a igualdadade entre as partes que desejam litigar em juízo.
    Pergunto: Como procurar o Judiciário com o nome com restrição? Isso é igualdade ?
    Em 90% dos casos os bancos ferem o CDC e nada é feito por nossas autoridades.
    Hoje, muitos contratos bancários existem, sem estar contabilizados pelos bancos “OU SEJA, QUANDO TEMOS ALGO POR FORA,TEMOS CAIXA DOIS”.
    O que tentei resumir é objeto das resoluções 2692/99, 2724/99, 3658/08 todas do CMN. Vivemos o período da ditadura financeira, onde temos os Bancos como um dos maiores sonegadores de impostos do Brasil com os maquiamentos dos seus balancetes, precisamos moralizar.
    E a tal lista negra, “SCR Sistema de Controle de Risco” com um desvio de função, tornou-se um mecanismo para desmoralizar e negar crédito aos que ousam litigar contra os bancos.

  • Rainor diz: 1 de junho de 2010

    Aos que defendem essa lista ilegal e infame, imaginem o seguinte: Eu compro uma mercadoria num super-mercado e ela vem estragada, causando doença em mim e nos meus familiares. Entro em contato com o estabelecimento e ele se recusa a dar qualquer satisfação. Procuro a Justiça para fazer valer meus direitos como consumidor. Agora visualizem que, independentemente do resultado da ação, esse super-mercado….não, TODOS os super-mercados se recusem a vender para mim outra vez em virtude de eu haver recorrido à Justiça. Eu poderei até passar fome pois terei minha capacidade de comprar reduzida, ou até totalmente eliminada.

    Pois bem, se me cortam o crédito sem que eu deva nada, condenam-me à morte em caso de doença, decretam que nunca poderei ter um imóvel ou até trocar de carro. Isso é crime, é usurpação, é chantagem. Retaliar quem procura seus direitos legais é o abuso mais descarado do poder econômico, e o pior é que essa “vingança” é oculta, secreta, e dura a vida toda.

  • Claudio diz: 2 de junho de 2010

    Caro leitor REINOR, antes de escrever besteiras da uma lida na reportagem e tenta entender, teu comentario nao tem nada a ver!!!!!

  • Davi Teixeira diz: 2 de junho de 2010

    Sinceramente, pelo que se le aqui,o povo não a mínima razão em reclamar dos políticos.
    o cara,SEM GRANA,vai la e compra um CARRÃO,ai ASSINA e CONCORDA com os juros e tudo mais,mas ai depois se acha no direito de reclamar?sinceramente,vão se enxergar,comprou,assinou,tem que pagar.
    aprenda a em vez de comprar o que seu dinheiro não alcança,a comprar só o que ele pode e viva feliz,dando um passo de cada vez e não se enterrando em dividas.
    não sou funcionário publico,não sou rico,mas tenho minha casa paga ,meu filho estuda em escola particular e não devo nada pra ninguém.aprenda a administrar seu dinheiro.

  • Rainor diz: 2 de junho de 2010

    Caloteiro é quem não paga o que deve. Se alguém não paga suas contas será incluído no SPC, se passa cheques sem fundo terá seu nome inscrito no SERASA, nada mais normal. Enquanto não sanar seus débitos não poderá usufruir de crédito, não poderá fazer financiamentos; ninguém defende o contrário. Mas qualquer pessoa que se julgar injustiçado (p.ex. taxas abusivas não previstas no contrato, cálculo de juros e descontos feitos “por dentro” ou “por fora” sem que isto conste no que foi assinado) tem o direito de ingressar na Justiça para ter seu pleito julgado. Ter o crédito cortado por haver exercido um direito legal, constitucional, é extorção, simples assim. Aos ignorantes que não sabem o que são juros compostos, juros simples, descontos, que jamais estudaram matemática financeira, é melhor que fiquem quietos e não passem ridículo escrevendo asneiras. Para essas pessoas, alguém que fez um empréstimo consignado na folha de pagamento, ao continuar sendo cobrado mesmo depois de haver quitado a dívida não poderia reclamar, não poderia procurar a Justiça. Isso é ridículo. Se algumas pessoas ingressam com ações revisionais agindo de má-fé estarão apenas protelando o pagamento da dívida, pois se não provarem o que alegam terão de pagar tudo com juros mais custas e a sucumbência aos advogados do banco.

    Agora, Claudio, nada ver é o que você escreve, pois dá uma de “troll” chingando sem argumento nenhum. Da próxima vez tente argumentar, ok?

  • Diogo diz: 2 de junho de 2010

    Dr. Luciano, parabéns pelo comentário, tive a honra de participar em uma de suas palestras e adquiri seu livro, mais uma vez apreendi com sua vasta experiência e competência no Direito Banário, Parabéns mais uma vez.

  • Roberto diz: 2 de junho de 2010

    Com todo o respeito, nunca vi tanta besteira junta como o comentario do Sr. Rainor. Abrir um livro de juros, que com certeza nunca leu ou estudou e copiar no comentario e’ facil. Aconselho a este pobre leitor, que com certeza esta na lista negra e nunca mais vai conseguir credito, a ler o contrato financeiro antes de assinar e sair correndo para colocar na justica e nao pagar nenhuma prestacao. Estou com as finaceiras e os bancos, caloteiro nao pode ter acesso a credito, ponto final.

  • JULIÃO diz: 3 de junho de 2010

    Brasil = país dos caloteiros e dos advogados dos caloteiros… e das faculdades de direito que não param de formar defensores de calateiros e advogados de porta de cadeia.

  • JULIÃO diz: 3 de junho de 2010

    “Como se consegue isso? (POUPAR) Com todas as obrigações que temos e o salário que é proposto para a maior parte da classe social”

    Se o salário não cobre as despesas, daí mesmo que não se deve pegar dinheiro emprestado, pois além da dívida terá de pagar JUROS, aumentando ainda mais suas contas. A menos que acha que Banco é um Instituição de caridade…

  • Ana Paula diz: 10 de junho de 2010

    Acredito que esta “lista negra” não seja só para casos de revisionais junto aos bancos em razão de compra de veículos, a mais de 3 anos tinha o cartão do carrefour, em razão de problemas financeiros quando chegou a fatura acabei pagando o mínimo e nos meses seguintes não conseguia quitar minha dívida e os juros acumulando, tentei parcelamento junto ao próprio carrefour que não concordou, portanto fui ao PROCON verificar meus direitos pois queria pagar, mas ao invés de pagar sempre o valor mínimo gerando juros queria parcelar em parcelas fixas e lógico que teriam juros, consegui o parcelamento, já paguei toda minha dívida e com juros altos e desde então meu cartão carrefour foi cancelado, ano passado me ofereceram cartão do BIG, nunca estive no SPC ou SERASA, e me foi negado, me ofereceram cartão das Americanas, fiz um teste e tb tive negado cartão, porém consegui um financiamento junto a CEF no valor de 100.000,00 e tb adquiri carro financiado……enfim, existem listas negras de todos os tipos, até de supermercados.

  • pedro diz: 15 de junho de 2010

    de uma olhada nesse link que traz a sentença judicial sobre um caso semelhante
    http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=19096

  • claudiopdias diz: 17 de junho de 2010

    Os bancos e financeiras dese País, além praticarem agiotagem legalizada(POIS O GOVERNO OU ORGÃOS AFINS NÃO REGULAM JUROS OU LIMITAM O ABUSO – SOMENTE , AOS CORRENTISTAS) E DIZEM QUE O JURO ABUSIVO É DEVIDO ÀS AÇÕES REVISIONAIS DE QUEM NÃO ACEITA TAIS EXPOLIAÇÕES “LEGALIZADAS” , ORA TENHAM A PACIENCIA… É MUITA HIPOCRISIA…

  • claudiopdias diz: 17 de junho de 2010

    Os bancos e financeiras desse País, além de praticarem agiotagem legalizada(POIS O GOVERNO OU ORGÃOS AFINS NÃO REGULAM OS JUROS, LIMITANDO OS ABUSOS, ALIAS APENAS LIMITAM O JURO DE DEPOSITA NA PUPANÇA “UM ABSURDO DE APENAS UM POR CENTO”) AGORA VEEM DIZER QUE O JUROS ABUSIVOS APLICADO POR ELES É DEVIDO À AÇÕES REVISIONAIS. ERA SÓ O QUE FALTAVA… É MUITA HIPOCRISIA.

  • Pedro diz: 17 de junho de 2010

    Vi a reportagem de hoje. Espero que o link tenha ajudado….

  • Irineu diz: 17 de junho de 2010

    tODO MUNDO SÓ QUER LEVAR VANTAGEM EMTUDO

  • Leonel Knijnik (DJ Aldebaran) diz: 18 de junho de 2010

    A côsa é mais séria do que se pensa. O próprio site do TJ-RS oferece a quem quiser esta “lista negra”. Se queres saber se alguém já entrou com revisional, basta uma simples consulta por nome da parte. Começo deste ano tentei comprar um carro financiado, e como eu tinha ações contra Finasa e Banrisul quando fui buscar um direito justo, me foi negado, mesmo eu tendo meu nome limpo. Seria interessante abordar isto também. De que adianta inibir listas negras se o próprio poder judiciário oferece uma que é gratuita e pública?

    Saudações,

    Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
    SUPERSONICS Som + Luz + Telão
    Porque sua vida tem trilha sonora

  • Claudiopoa diz: 20 de junho de 2010

    Logo, não existe Banco de Dados e sim informações que são públicas (por exemplo: as processais). Quem vai querer emprestar dinheiro para mal pagadores num país onde a maioria é se acha um espertalhao.

    E mais: esses processos judiciais aumentos os riscos dos empréstimos e consequentemente os juros do crédito, ou seja no final de tudo nos pagamos a conta.

    A Justiça do RS é prodiga em incentivar esse “judicialismo” (tentativa de resolver todos os problemas no Judiciário), através de sentenças esdrúxulas que não se confirmam em Tribunais Superiores, mais racionais. Como consequência temos o engessamento do próprio Judiciário e a necessidade de carrear cada vez mais recursos sociedade, que poderiam ser aplicados em educação, saude e seguraça, no burocratismo judicial improdutivo.

  • Daniel Halfen diz: 21 de junho de 2010

    Toda essa discussão tem por base uma MENTIRA várias vezes aqui reproduzida: A ALTA INADIMPLÊNCIA.
    Os bancos construíram na mídia subserviente ao capital financeiro o argumento falacioso de que as taxas de juros são altas em proporção ao risco das operações (inadimplência) e que as pessoas que procuram o Poder Judiciário não querem pagar suas contas.
    Tais argumentos não tem comprovação com a realidade porque a inadimplência (consolidada pós-90 dias), consideradas todas as operações financeiras, nunca chegou a casa dos dois dígitos (10%).
    Recentemente a própria ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) divulgou estudo de que a inadimplências acima de 90d para as operações de CDC está em queda. Em abril, o índice ficou em 3,9%, ante 5,2% em comparação a abril/2009.
    Portanto, é MENTIRA que o brasileiro é mau pagador e é MENTIRA que os juros são altos por conta do risco.

  • Claudiopoa diz: 22 de junho de 2010

    Realmente os juros são altos no Brasil por outro motivo (temos falta poupança interna – a origem dos recursos), mas também pela inandimplência que é sim altíssima no país, se comparado com outros países com renda parecida.

    Além disso, em um setor do comércio em que a margem de lucro é de 5 a 10% (como Postos de combustíveis), um índice de inadimplência de 3,9%, por exemplo, é CATASTRÓFICA para os negócios.

    Também é lógico que todas as perdas, processuais ou não, do Sistema financeiro são repassadas para novos crédito, assim como o CUSTO da inandimplência de uns no comércio e repassada para o preço dos produtos vendidos a outros. Eles nunca fazem benemerência. Portanto todos nos consumidores pagamos essa conta de uma forma ou de outra: os bons SEMPRE pagam pelos maus.

  • Daniel Halfen diz: 23 de junho de 2010

    Realmente Claudiopoa um índice de inadimplência de 3,9% para um Posto de Combustíveis é catastrófico, porém, para o setor financeiro é NADA. Primeiro, porque as operações financeiras já trazem no cálculo uma margem de risco que é superior à real inadimplência. Segundo, porque eventual prejuízo é contabilizado – com muita “gordura”, diga-se de passagem – e utilizado para abater nos impostos devidos pelo banco (aliás, isso estimula a ineficiência do sistema).

    A verdade é que os bancos no Brasil possuem privilégios e lucratividade que não encontram parâmetros em lugar algum do mundo. Um dado absurdo: a participação do setor financeiro na renda nacional, que se contenta com 7% na média mundial, cravou 24% no Brasil de 1989 e se encontra por volta de 18% nos dias de hoje (Joelmir Betting, Veja, 25.12.96).
    A rentabilidade média dos Bancos durante o Plano Real foi de 22,34% em 1995 e 16,5% em 1996, enquanto que o padrão médio internacional é de 12%, além disso, no Brasil, o segmento que mais se aproxima é o de eletroeletrônicos com 12,6% enquanto o setor de alimentos fica com 4%. No ano de 1997, a rentabilidade média alcançou o invejável patamar de 19,2% sobre o patrimônio (Diário da Manhã, 16.03.98), já, em 2001 a rentabilidade foi de 22% e este ano deve atingir a marca de 24%, no mesmo período, a rentabilidade das indústrias, caiu de 10,75% para 5,11%.

    Mais uma vez, há um discurso dirigido para o “custo brasil” que somente remete para a carga tributária, a mídia subserviente ao capital financeiro sequer fala com mínima profundidade no “custo brasil” do sistema financeiro, ineficiente e oligopolizado.

    Ressalte-se que ninguém é contra o lucro ou que os bancos tenham rendimentos com as suas atividades, até porque, a idéia do lucro é inerente à atividade empresarial. Porém, essa idéia não pode ser um fim em si mesma, a idéia do lucro tem também um sentido social na medida em que através do empreendimento se concretiza a geração de empregos, a circulação de riqueza, a fabricação e comercialização de produtos, além da realização de serviços, todas essas atividades, dependem de duas condições, uma subjetiva, que é a idéia do lucro, e outra, objetiva, que é a capacidade de financiamento. Sem financiamento – para retornar ao tema do post – A SOCIEDADE É QUEM PERDE.

  • marcos diz: 30 de junho de 2010

    tambem estou passando pelo mesmo poblema, a dois anos atraz entrei com uma açao de revisao de contrato num financiamento de um carro. sou taxista e preciso comprar um carro novo pois o meu esta muito velho, fui a uma loja chevrolet e levei meus doc , o vendedor me deu um praso de 2meses pro carro chegar. o carro chegou em 40 dias, mas o que fiquei supreso que quando passou minha ficha a financeira o mesmo me falou que a proposta foi negada,entao ele passou a proposta por mas trez financeira e as trez me negaram o credito,no meu cpf nao consta nenhuma restriçao e tenho renda suficiente pra fazer o financiamento.issi prova que realmente existe a tal lista negra.preciso comprar o carro pra trabalhar o que devo fazer a quem recorrer? obrigado

Envie seu Comentário