Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Artigo: Crucifixos e perseguição

08 de março de 2012 204

Felipe José Kayser Furlan

A decisão vergonhosa de retirar dos prédios da Justiça os crucifixos só retrata a calamitosa perseguição que o Estado abraça em prol do ateísmo persecutório. Reprovam a manifestação social, cultural e livre de quaisquer amarras legais dos cidadãos de um país cuja população é composta em sua maioria por católicos. Haja visto que a pasma sociedade gaúcha agora é obrigada a assistir a remoção de um símbolo que, longe de qualquer tipo de legislação, figurava nos prédios de sua justiça tão somente pela força do costume social.

A manifestação religiosa a qual o Estado alude sequer figura como afronta ao texto constitucional, pois não há qualquer comando do Estado conduzindo a presença dos crucifixos, há sim, desde esta decisão vexatória, a determinação estatal em desrespeito a laicidade impondo assim a perseguição direta e oficialmente.

Não se pode apoiar tal atitude advinda de uma justiça que promove em larga escala a presença constante da deusa pagã Têmis como seu símbolo. Lança agora um discurso burocrático para atender a causa da Liga Brasileira de Lésbicas em recurso de uma decisão que, em dezembro do último ano, não acolheu o pedido de remoção dos crucifixos por entender que não havia postura preconceituosa.

Presenciamos a eliminação da identidade cultural do povo brasileiro. Tentam alegar que a presença dos crucifixos fere aqueles que não professam a fé católica, contudo, estarem eles presentes não significa adesão do Estado a tal crença, mas sim o reconhecimento de uma tradição historicamente construída dentro da cultura de nosso país. Não se trata de impor a religião católica nem sequer de ofender a sensibilidade daqueles que não a seguem, mas simplesmente de não se admitir que o povo brasileiro seja tolhido de um pedaço de sua história e de uma forte tradição.

A decisão ignora o papel marcante da cristandade na formação deste país e na construção da identidade de seus cidadãos. Testemunhamos a anulação de nossas tradições, base de nossa sociedade.

Recentemente vislumbramos o valor da Cruz ao vê-la emergida dos destroços do World Trade Center, em Manhattan, nos Estados Unidos da América. Também lá se presenciou esforços dos ateus em removê-la de seu lugar no atual memorial do 11 de Setembro. O crucifixo nos remete ao amor à Deus e é símbolo universal do amor ao próximo. Curiosamente lutamos apenas contra os símbolos católicos. A quem interessa realmente a remoção dos crucifixos?

Descartamos o humanismo em favor do relativismo. Não esquecemos da defesa constitucional na antiga União Soviética a respeito da liberdade religiosa e, contudo, aquele Estado vivenciou e alimentou uma intensa perseguição religiosa.

Qual o próximo passo? Acabar com os feriados religiosos? Implodir o Cristo Redentor? Estamos a um passo da barbárie.

*Professor de Direito

Comentários (204)

  • Nilton Sachetti diz: 8 de março de 2012

    Bah. Quanta bobagem. Deve ser um carola.

  • Ana diz: 8 de março de 2012

    Excelente artigo.
    Se este é o caminho, o próximo passo será deixar de celebrar o Natal. E depois acabar com o Carnaval…

  • Anderson diz: 8 de março de 2012

    Decisão acertadissima da justiça e que deve ser seguida pelo executivo e legislativo. Ora, identidade cultural? e as religioes afro tambem no contribuiram para a identidade cultural brasileira? não temos vivendo no brasil milhares de judeus e muçulmanos? e os ateus, meu caro? eles não tem direito de não ter fé? só haveria duas soluções, ou colocar simbolos religiosos, eo retirar todos, prevaleceu a mais sensata. O choro é livre.

  • GIL diz: 8 de março de 2012

    Concordo Nilton, carola e raivoso, é este cristão que deve passar a semana achacalhando as pessoas, brigando no trânsito, na fila do supermercado, chutando cachorro e etc… e final de semana vai na missa olhar para a cruz.. e dizer sou uma boa pessoa.. em fim sou cristão.

  • Maria Pereira diz: 8 de março de 2012

    Não acredito que essa decisão afete a vida de quem quer que seja. No entanto, imagino uma situação na qual um católico praticante é julgado por um juiz com símbolos do candomblé ou umbanda, por exemplo, em sua sala de audiência – o desconforto seria evidente. Como cristã, concordo com a retirada dos crucifixos de quaisquer órgãos públicos.

  • Cezar diz: 8 de março de 2012

    Barbárie?
    Barbárie é um professor de direito defender uma causa motivado pela emoção, em detrimento da razão. Pobre alunos!

  • Vilmar diz: 8 de março de 2012

    Não sei por que esse assunto não me causa surpresa. Só questiono o reais motivos da luta desse grupo de mulheres por um assunto que diz mais respeito a sua vontade de mostrar a sua indignação pela postura de um grupo religioso, postura essa compartilhada por outros tantos grupos. Eu questiono a liberdade de expressão, quando ela não pode ser usada para expressar desacordo com ATITUDES de determinados grupos.
    Faça-me um favor. Expresse a sua indignação e defenda seus direitos; mas saiba: eu tenho DIREITO garantido pela constituição de expressar a minha indignação e defender o meu direito de expressão.

  • Leonel diz: 8 de março de 2012

    Além de ser um símbolo religioso, o crucifixo é uma manifestação cultural de um país de maioria católica.

  • Carlos Mortari diz: 8 de março de 2012

    De fato, nunca li tanta bobagem. O referido senhor deve desconhecer o significado da expressão “estado laico”. Como não poderia deixar de ser, apela para as velhas justificativas da “maioria” e da “tradição” para justificar os seus argumentos.

    Depois, apela para um sentimentalismo barato e previsões catastróficas para comover os leitores. Dica: da próxima vez, dê um pouco mais de ênfase nas suas previsões:

    “Ateus agora planejam destruir o cristo redentor! E em seguida queimar todas as igrejas!! Acabar com os feriados católicos!! Tornar todos bissexuais!!”

    Nunca li tanto clichê junto. Sinceramente, não tem como levar a sério tanta besteira dita por uma pessoa só.

  • Cezar diz: 8 de março de 2012

    Porque removeram meu comentário? Só porque não concordo com o professor? Por que não tenho dinheiro para oferecer à RBS? Assim fica fácil manipular a opinião pública.

  • Angelin Raupp diz: 8 de março de 2012

    Eu sinto não ter uma boa condição financeira para eu poder contratar um bom advogado e defender a permanência dos cricifixos, que afinal de contas,” só faz mal pra quem tem o rabo preso”. Em contrapartida dar uma resposta firme para aqueles que não acreditam em Deus….Só para lembrar mexer nas coisas que não são da vontade de Deus , custa muito caro….Amém?????????????

  • Luciana Trindade diz: 8 de março de 2012

    esta pessoa é professor de direito? de direito canônico? por favor! e ainda publicam isso por aqui! sem mais comentários!

  • César Augusto Hülsendeger diz: 8 de março de 2012

    Não vejo essa decisão do TJRS como vitória do ateísmo, mas do Estado Democrático de Direito laico e que deve proteger TODAS as manifestações religiosas, sem dar preferência a nenhuma. O fato de a cristandade ter papel marcante na formação do Brasil (inclusive no escravagismo e na eliminação de tribos indígenas, não sejamos hipócritas!) ou a religião católica fazer parte da tradição histórica brasileira – tgradições se modificam e desaparecem – não justifica a manutenção do símbolo das religiões cristãs em QUALQUER prédio público.
    Inclusive, concordo com fim dos feriados religiosos, pois eles privilegiam apenas uma religião, a católica. Ou então, que se permitam feriados religiosos judaicos, muçulmanos, protestantes e das religiões afro-brasileiras. Ou se permite a exteriorização de todsas as manifestações religiosas, ou não se privilegie nenhuma! E isso não nos conduzirá à barbárie, como teme o nobre articulista, mas a um passo de fazer, no Brasil, a Revolução Francesa.
    Implodir o Cristo Redentor? Por quê? Mesmo os muçulmanos o têm como grande profeta e a umbanda o respeita como um dos grandes Orixás. A figura do Cristo é mais universal que a da cruz. Ele é o símbolo do amor ao próximo, não o instrumento de tortura no qual foi fixado e que parece dividir a humanidade em acima e abaixo, à direita e à esquerda.
    Outra coisa: mais do que Têmis, o símbolo da Justiça é a balança, desde o tempo dos egípcios, quando Osíris pesava o coração dos mortos para verificar seu direito a adentrar no paraíso.
    Ademais, como disse Jesus Cristo: a César o que é de César, pois seu reino não é deste mundo. Alguns parecem esquecer isso.
    César Augusto Hülsendeger, Jornalista, Advogado, umbandista, republicano

  • marlene oliveira diz: 8 de março de 2012

    Os símbolos religiosos devem se manter nos espaços religiosos. Se não for assim, as outras religiões, umbandismo,islamismo, judaísmo e muitas mais, poderão exigir seu espaço em qualquer orgão público. E não podemos esquecer que o Brasil é um país laico.

  • Antonio Farias diz: 8 de março de 2012

    Muita bobagem !!
    Não explica nem justifica nada !!
    O estado é laico e assim deve eliminar os símbolos religiosos de seus serviços.

  • Israel diz: 8 de março de 2012

    Vergonha de ser gaúcho.

    Estamos imitando quem, os islamicos ou os comunistas?

  • Milton diz: 8 de março de 2012

    Que grupo que defende: gueis ,lésbicas e simpatizantes- Sem discutir o mérito judicial não entendo o propósito, pois daqui para a frente vão querer extingur o nosso calendário crristão, derrubar as datas de natl,pascoa,etc, o cristo redentor.
    Se dependermos da idéia de determinados grupos não haverá mais reprodução humana na próxima geração.

  • pastor alien diz: 8 de março de 2012

    Caramba, este doido é professor? Como são patéticos esses católicos, que relacionam a triste figura de um homem morto, pendurado numa cruz, a algo “sagrado”…sem dúvida, a doutrinação católica é um perigo, pois algumas pessoas tornam se fanáticas. É como as drogas: alguns se perdem..outros não. Mas este artigo, não entendo como pode ter sido publicado…esse sujeito é um perigo para si mesmo.

  • jair soares rodrigues diz: 8 de março de 2012

    a tradição de homens é condenada pela palavra de Deus, assim como qualquer tipo de imagem, Cristo em João 17:17 diz que a palavra de Deus é a verdade, concluimos que tudo que for além disso é do iniquo, sabemos que muitas crenças religiosas estão mergulhadas na idolatria isso por conta da tradição , é lamentável.

  • Rafael diz: 8 de março de 2012

    A cruz é o símbolo da fraternidade humana- simboliza um homem de braços abertos, demonstrando fraternidade- é muito anterior a igreja católica, que simplesmente se apoderou dele.

    Aqueles que não apoiam a fraternidade humana devem aboli-lo de fato!

    Interessante que os que criticam a “idolatria” idolatram um deus mental(vingativo judeu, bondoso cristão). É impossível compreender Deus sem algum tipo de associação mental ou visual.

  • Itamar Maschio diz: 8 de março de 2012

    Vejo aqui argumento de todosos tipos, de quem defende a permanência de síbolos religiosos em órgãos públicos. A maioria do povo brasileiro é católico e/ou cristão. É uma tradição secular.
    Para mim esses argumentos são pífios, pois vivemos numa democracia onde todos tem seus direitos iguais, maiorias e minorias. Defender a permanência desses símbolos sob o prisma da existencia de uma maioria cristã é desprezar e desrespeitar as crenças de uma minoria não cristã ou ateus.
    Defender a permanência desses síbolos sob o argumento de ser uma tradiçào secular também é pouco seguro, pois não é apenas por uam tradição ser secular que a torna certo. Se apenas por ser uma tradição secular a justificaria, então ainda viveríamos em um mundo onde mulheres, negros, índios, entre outras nem ao menos teriam o direito de voto, sendo que as primeias ainda deveriam viver sobe o jugo de seus maridos.
    Defender a permanência dos símbolos religiosos é um direito, ams por favor o façam com argumetos sólidos, se é que eles existem.
    Acabar com os feriados católicos eu não diria, mas que tal respeitarmos também os dias sagrados das demais religiões representadas no Brasil?

  • Angelo diz: 8 de março de 2012

    Besteira! Deus é muito mais do que dois pedaços de pau pregados em uma parede.

  • RIckie diz: 8 de março de 2012

    Gente, tenho a minha religião, mas não sou católico, muito menos cristão. Portanto, o que consta em João 17:17, pouco me importa!
    A cruz é um símbolo de opressão às minorias por parte de uma dita maioria que cita a religião apenas para o IBGE.
    Em 1822, foi proclamada a Independência, com o catolicismo sendo a religião oficial do Estado e a Igreja, semi-tutelada à este. Entretanto, em 1899, na proclamação da República, foi banido este elemento de nossas leis, tornado-nos um Estado laico, onde a nação ditando os costumes deacordo com as normas do direito, sem contudo desrespeitar a lei maior, a Consituição, que em 1988 teve sua mais nova edição, mantendo a situação laica do nosso país.
    Remover símbolos religiosos de órgãos públicos não significa perseguir ou favorecer grupos, mas apenas seguir o que consta:
    Art. 19.É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
    I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público.
    Tenho dito.

  • Ronaldo Edson Buss diz: 8 de março de 2012

    A fé verdadeira não está no que vemos e sim no que não vemos ! Se tivermos que ver com os olhos para crer isto não é a fé, tão “defendida” por denominações e consequentemente por pessoas. Cristianismo sim ! Crucifixos não !

  • Torrando diz: 8 de março de 2012

    Mas tchê, que calor!! Mas qual era o assunto mesmo? Hahhh… um tal de crucifixo!

  • Rafael diz: 8 de março de 2012

    Bobagem! Deus é o Rei maior, está acima da constituição, de presidentes e de legisladores. É a autoridade máxima do mundo, e se o poder público quiser se afastar Dele, que arque com as consequências, junto com esses gayzístas que já estão afastados!

  • CARMELINDA BAMPI diz: 8 de março de 2012

    Já era o momento de retirar os crucifixos do Judiciário. Estava lá representando o pior momento da vida de Cristo, o de sua morte dolorida na cruz. E o Judiciário é o próprio símbolo vivo da dor e da cruz de quem tem uma demanda, mas nada tem a ver com crucifixo no qual Jesus morreu! Tampouco com religiões! Foi-se o tempo em que juízes pediam luzes a Entes Superiores para bem decidirem. Hoje acredito que não existem mais tais julgadores. Muitos e muitos cidadãos, eu inclusive, acreditamos muito mais na Justiça Divina do que na terrena e com certeza vamos esperar por aquela, depois de envelhecer esperando por esta, e milhares de decisões proferidas na atualidade deixam Cristo estarrecido e com vontade de descer da cruz e bater com ela na cabeça dos julgadores! Antes que tal milagre aconteça achei muito bom o Judiciário se precaver e retirar as cruzes e os próprios Cristos de suas dependências, não que com isto estejam livres de prestar contas das barbaridades que cometem, das sentenças injustas que proferem, das maracutaias que ouve dizer que são feitas dentro e fora dos processos, do protecionismo e do corporativismo existente que esculhamba o órgão que deveria ser sério e respeitado e das tristezas e lágrimas que nos fazem derramar ante a morosidade e o descaso de muitos que lá dentro desempenham suas funções. Só que tudo isto, todas estas atitude não veda os olhos DELE e, embora não possa descer da cruz e com ela estourar os miolos dos desalmados, ELE fará Justiça para todos nós UM DIA.

  • carmelinda maria bampi diz: 8 de março de 2012

    Já era o momento de retirar os crucifixos do Judiciário. Estava lá representando o pior momento da vida de Cristo, o de sua morte dolorida na cruz. E o Judiciário é o próprio símbolo vivo da dor e da cruz de quem tem uma demanda, mas nada tem a ver com crucifixo no qual Jesus morreu! Tampouco com religiões! Foi-se o tempo em que juízes pediam luzes a Entes Superiores para bem decidirem. Hoje acredito que não existem mais tais julgadores. Muitos e muitos cidadãos, eu inclusive, acreditamos muito mais na Justiça Divina do que na terrena e com certeza vamos esperar por aquela, depois de envelhecer esperando por esta, e milhares de decisões proferidas na atualidade deixam Cristo estarrecido e com vontade de descer da cruz e bater com ela na cabeça dos julgadores! Antes que tal milagre aconteça achei muito bom o Judiciário se precaver e retirar as cruzes e os próprios Cristos de suas dependências, não que com isto estejam livres de prestar contas das barbaridades que cometem, das sentenças injustas que proferem, das maracutaias que ouve dizer que são feitas dentro e fora dos processos, do protecionismo e do corporativismo existente que esculhamba o órgão que deveria ser sério e respeitado e das tristezas e lágrimas que nos fazem derramar ante a morosidade e o descaso de muitos que lá dentro desempenham suas funções. Só que tudo isto, todas estas atitude não veda os olhos DELE e, embora não possa descer da cruz e com ela estourar os miolos dos desalmados, ELE fará Justiça para todos nós UM DIA.

  • Milton Silva diz: 8 de março de 2012

    Porque cultuar a cruz, se Cristo está VIVO.

  • Gilberto diz: 8 de março de 2012

    Em relação aos feriados religiosos, desde décadas atrás nunca são comemorados por sua real motivação e fundamento. São unicamente comemorados como uma oportunidade de folga do trabalho e de fazer turismo e lazer nos feriadões. Assim, não tem mais nenhuma razão lógica de existir. Só que, o laborioso povo brasileiro, de forma alguma permitiria sua extinção. Seria uma guerra. Melhor se criassem novos…

  • Vinicius Bortoluzzi Madeira diz: 8 de março de 2012

    É lamentável que uma pessoa que supostamente deveria conhecer a fundo as nossas leis bem como a nossa constituição pensar de uma forma tão viesada, fundamentalista e, sobretudo, míope.
    Ora, se o Estado brasileiro é laico, logo símbolos que façam referência a quaisquer crenças devem ser evitados em repartições PÚBLICAS que por sua vez devem ser LAICAS. Ou então que se afixe nas paredes destas mesma repartições um Estrela de David, uma Lua Crescente, símbolos de religões africanas, budistas, etc. É fácil de entender.
    As pessoas são tão antropocêntricas que chegam ao ponto de dizer que a cruz simboliza isso ou aquilo mas não se dão conta que o fato de a cruz simbolizar isso PARA ELAS simbolize o mesmo para os outros.

  • Flavio diz: 8 de março de 2012

    Ah tá.. professor de direito. Só se for dos direitos dele. Desconhece a constituição, pobre dos alunos.

  • Milton diz: 8 de março de 2012

    Sem discutir o mérito da lei que é para ser cumprida.
    ViVA!! Vamos comemorar uma vitoria dos “oprimidos pelo crucifixo”!
    Com esta decisão os que se julgam “perseguidos” conseguem afastar mais ainda as outras pessoas do seus grupos, pois quer queiram ou não, desde sempre a grande maioria dos homens foi religiosa e assim continuará. … atualmente nunca vi ninguém ser perseguido por não ter religião. A propósito cogitam-se rumores de que alguns OUTROS grupos de pessoas estão articulando-se para uma nova reinvindicação, estão se movimentando politicamente para que o cavalo não seja mais utilizado como montaria, e sim a outros propósitos. QUE TAL?

  • Adair diz: 8 de março de 2012

    Logo, teremos que trocar os nomes de todos os logradouros públicos, rios, escolas, pontes, estradas, praças, cidades, etc.
    A Baia de Todos os Santos, onde foi celbrada a 1ª missa do Brasil terá que mudar de nome porque o Brasil é um país Laico, e, portanto, não poderá ter nomes que lembre o Cristianismo.
    Santa ignorancia do nosso judiciario.

  • João Paulo diz: 8 de março de 2012

    Com todo o respeito a sua opinião, seu texto inicia com uma grande contradição, e demonstrando um desconhecimento da realidade fática. Ao utilizar a palavra MAIORIA, comete um grande erro. Primeiro, porque a cada ano que passa esta “maioria” de católicos vem diminuindo, perdendo espaço para as diversas “igrejas” evangélicas. Segundo, porque mesmo ainda os católicos sendo maioria, nosso Estado é uma República, fundada no Estado Democrático, e democracia não é o governo da MAIORIA, e sim o governo de todos, para todos. Terceiro, porque o Estado brasileiro é laico, e laico porque deve representar o interesse dos seus cidadãos, independentemente de credo, com imparcialidade de credo, inclusive. Não vejo perseguição alguma nisso, pois trata-se do reforço, mesmo que tardio na minha opinião, dos princípios contidos na Carta Magna. Ao contrário do que a história nos mostrou a respeito da Igreja Católica neste país e no mundo inteiro, que certamente não daria para escrever aqui o rol de perseguições, morte, estupro e atrocidades que homens e mulheres em nome da “FÉ” cometeram mundo a fora. Por esta e outras razões, é que o Estado é laico e assim o deve ser para se preservar, sempre, o interesse público em todas as questões.

  • MILTON SIMON PIRES diz: 8 de março de 2012

    Como eu já disse antes, na Folha de São Paulo, sou a favor da retirada dos cruxifixos.
    Nosso Senhor Jesus Cristo não merece ser colocado em tribunais que atendem descaradamente o PT disfarçado de Movimento das Lésbicas. Deus me livre de ver o cristianismo envolvido com esta imundície chamada Teologia da Libertação ou algum Frei Beto da Vida. Que a cruz seja retirada e colocada no seu lugar uma foto da Cássia Eller

  • Maria Ines Froehlich diz: 8 de março de 2012

    Parabéns!!! Com certeza os catòlicos brasileiros trocaram sua religiao pela mussulmana!
    Ao invés de biblias catòlicas devemos trocar pelo alcorao.
    Devo acrescentar que nao basta o mercado cinesestar causando danos mundiais?
    O Papa tem razao,quando afirma que esta è uma lei miupe…
    Jamais entenderei,o porque de um crucifixo perturbar tanto nossos politicos?Tambèm sao mussulmanos?

  • Rui Telmo Fontoura Ferreira diz: 8 de março de 2012

    Prezados Senhores,
    Paz e Bem!

    Pai, perdoai-os …. eles não sabem o que fazem…
    Tudo passará, mas as palavras de Cristo não passarão!
    Estão vivas em nossos corações, pelo fortalecimento do Homem Livre e Forte na Terra, como no Céu!
    Para a eternidade, Amém!
    Cordialmente,
    RT

  • Guilherme diz: 8 de março de 2012

    Este texto é claramente tendencioso e parece não compreender o significado do tópico sendo abordado. A única forma de haver neutralidade é a não demonstração de nenhuma religião. Outra alternativa seria pendurar em todo prédio público TODO e qualquer símbolo de TODA religião presente neste país. Afinal, como o professor diz, trata-se de “manifestações culturais”. Estados devem ser laicos—na teoria e na prática. Fica claro para mim que o autor do texto apenas está defendendo sua opinião.

  • Rafael diz: 8 de março de 2012

    Vampiros não gostam da Cruz. Ela incomoda. Os espanta.

  • Onofre Balin diz: 8 de março de 2012

    Surpresa? nem um pouco, afinal quem estes governantes, isso dai é café pequeno,vivemos uma ditadura comunista disfarçada de democracia, tanto federal quando a Trrso Genro, ja deu amostra do pano, e um judiciario desacreditado,pobre pais.

  • José Antônio diz: 8 de março de 2012

    Depois de alguns argumentos e de algumas formas inovadoras de escrever (“mussulmanos” é impagável), fica até difícil comentar mais alguma coisa.

    Menos dogmática e mais gramática, amigos!

  • schmitz diz: 8 de março de 2012

    Prezados;
    Para que religião? qual a sua função no dia a dia, se somente para se sustentar uma grande maquina caça monedas, para os grandes vilões se locupletarem com seu dinheiro, salvar a alma? Que alma, que coisa é essa… podem me definir materialmente?
    Você cortou a unha e seu cabelo, e eles ressucitaram dos mortos também, algum biologo pode me explicar objetivamente?
    Cruzes para que ? Para alimentar o Vaticano, defensor eterno dos pedofilos, para manter a unidade da igreja, e finalmente, só idiotas para crer na vida eterna rsrs
    amémmmmmmmmmm.

  • Fellipe diz: 8 de março de 2012

    Nossa, quanta ignorância….só faltou dizer que vou queimar no fogo do inferno por apoiar tal decisão….impressionante como as escolas e as faculdades estão com péssima qualidade, pois não conseguem ensinar os termos ” Estado Laico” aos seus estudantes.
    Todas as religiões devem ser respeitadas igualitariamente, afinal, temos inserções culturais de todas as seitas religiosas.
    No entanto, o que mais fico chateado é ver um advogado, sendo que o mesmo deveria estar preparado para interpretar as leis e conceitos sobre o aparato estatal e suas denominações; ter essa visão deturpada do Estado e as religiões. Lamentável.
    O mais legal foi a frase menos dogmática e mais gramática….kkkkkkk

  • Rodrigo da Rosa diz: 8 de março de 2012

    Concordo com a retirada dos crucifixos.
    Vivemos em um país laico.
    Ponto.

  • José Agustoni diz: 8 de março de 2012

    Esse tal de Felipe José Kayser Furlan se intitula “professor de direito”??? Deveria assinar com o “católico fanático”, isso sim. Um texto cheio de falácias que só se vê saindo da boca de iletrados. Ridículo!

  • Milton Ubiratan Rodrigues Jardim diz: 8 de março de 2012

    Todo mundo discutindo o valor ou não da cruz neste ou naquele lugar, todos pensando que Jesus morreu, mas não, ele apenas foi para casa, e deixou todo mundo no arame.

  • Nivaldo Afonso diz: 8 de março de 2012

    Como irrita os católicos saber que cresce o número de evangélicos que também são contrários a símbolos católicos aos quais consideram pagãos, mas tal como Nero, tem que botar a culpa em alguém. Em quem ? Ateus. Ora, haja santa paciência. Porque é a maioria não quer dizer que o restante da população seja obrigada a ver o boneco de um deus pelado e todo ensanguentado em uma repartição pública, e tenho dito !

  • Elton diz: 8 de março de 2012

    O crucifixo deveria estar nos prédios do judiciário para lembrar aos magistrados que eles têm o dever de fazer justiça. No entanto, muitos juízes e, em muitos casos, o Poder Judiciário se declara incompetente para dar decisões sobre leis claras e objetivas. Esta atitude e mais uma manifestação de que a justiça e o poder de exercê-la passa longe dos tribunais gaúchos.

  • Maria Ines Froehlich diz: 8 de março de 2012

    Carissimo sr. José Luis! Tens toda razao de criticar meu portugues,mas vivendo 20 anos,distante do Brasil,eu muitas vezes,acabo trocando algumas palavras do portugues pelo italiano.Mas nao serà por este motivo que deixarei de dar minha humilde opiniao.
    Muitos brasileiros,que nunca sairam do Brasil,acabam errando mais do que eu.
    Desculpe!Mas meus erros continuarao…

  • horacio diz: 8 de março de 2012

    Senhores, em primeiro lugar para que serve a “liga brasileira de lésbicas”……?????…..??? em segundo lugar acredito que tenhamos coisas MUITO MAIS IMPORTANTES para o estado se preocupar….senão vejamos um exemplo bem clássico :experimentem hoje 08.03.2012 e tentem entrar numa emergencia de qualquer hospital público em POA…desrespeito ao ser humano, crueldade com pessoas pobres e idosas…isso a “liga de lésbicas” e o estado não opinam nem toma à frente……já que a palavra “democracia” está em vigor (será?…)no mínimo o povo teria de ser consultado….agora se alguns acham interessante e sadio colocarmos alguns despachos dentro de todas as repartições , me avisem…..os aviários agradecem…..

  • Izane diz: 8 de março de 2012

    O pessoal não está querendo entender. A questão é a coisa pública, o estado, que, NÃO DEVE, representar apenas um seguimento religioso. O estado é para TODAS E TODOS. Alguém aceitaria, que, qualquer governo de qualquer instância, colocasse na parede do seu gabinete a bandeira do seu partido? Claro que não, ele representa o todo. Assim, são os tres poderes brasileiros. Pronto, sem bla, bla, blá.

  • Roberto diz: 8 de março de 2012

    A cruz é o símbolo do amor de Cristo pela humanidade. Quem mais nos amou do que Ele? A cruz não é apenas um símbolo católico; é maior, é de toda a humanidade. Esta aí para nos lembrar de que devemos amar-nos uns aos outros, partilharmos o que temos como nossos irmãos menos favorecidos, exercitarmos o perdão e praticarmos a justiça social. A lei pode ter tirado o crucifixo das paredes, mas ele voltará, seja no peito dos magistrados, sobre as mesas de trabalho, balcões, etc. Cristo é eterno.

  • Melissa Barbosa diz: 8 de março de 2012

    O Estado é laico. Isso não significa impedir ninguém de ter sua fé – só que ele não deve beneficiar uma ou outra religião. Ém tão difícil de entender? Parem de confundir o público e o provado! Deus nos deu cérebro pra pensar!

  • Maria Ines Froehlich diz: 8 de março de 2012

    ISLAMISMO e CRISTIANESIMO
    1) Islam: unità-unicità di Dio
    Cattolicesimo: unità e trinità di Dio
    2) Islam: inconoscibilità di Dio e verità del Corano
    Cattolicesimo: inconoscibilità e rivelazione di Dio
    3) Islam: l’uomo deve mettere in pratica il Corano
    Cattolicesimo: conoscenza e amore di Dio nello Spirito
    4) Islam: rivelazione di Dio nel Corano
    Cattolicesimo: rivelazione nel Verbo incarnato
    5) Islam: la comunità difende il singolo
    Cattolicesimo: la dignità della persona umana
    Altra prospettiva che vede una netta opposizione tra Islam e Cristianesimo riguarda il diritto e la persona umana. Il diritto va inteso come diritto della comunità (ummah), non della persona. L’Islam non conosce la parola «persona», il suo sinonimo è «fard» (individuo). Il fard è parte integrante e dipendente della grande società islamica (ummah). Dentro l’ummah egli ha diritti e doveri. Se abbandona la religione per ateismo o conversione a un’altra religione, perde tutti i suoi diritti, anzi, è passibile di morte per tradimento.Perciò la fonte dei diritti nei paesi a maggioranza islamica è la comunità islamica e, in ultima analisi, essa è garante dei diritti e dei doveri che il Corano e la legge islamica, la šari’ah, riconoscono, concedono e negano. Nei paesi che adottato la legge islamica i cristiani sono spesso considerati, alla stregua degli altri non musulmani, dei cittadini di seconda categoria impossibilitati o limitati a una partecipazione attiva nella società e nelle istituzioni. Così anche le discriminazioni delle donne rispetto agli uomini nel diritto processuale, nel diritto ereditario e in quello matrimoniale hanno il loro fondamento nel Corano stesso e sono più o meno codificate dalle legislazioni di ispirazione islamica.
    Non si deve dimenticare invece come nell’esperienza del cristianesimo occidentale si sia fatto strada il diritto legato all’essere umano, alla persona umana. L’approfondimento che è stato fatto a livello delle dispute ci-istologiche del termine «persona» e l’applicazione nella formulazione della fede un solo Dio ín tre, persone ci richiama quanto il termine persona si sia arricchito di spessore nella cristianità, e come la dichiarazione universale dei diritti dell’uomo sia frutto di una cultura cresciuta su radici cristiane ed evangeliche. Pur con titubanze legato per lungo tempo al modernismo, anche la Chiesa cattolica è arrivata a riconoscere la validità della Dichiarazione universale dei diritti dell’uomo. Questo è il motivo fondamentale per cui la Dichiarazione universale dei diritti dell’uomo non è riconosciuta in molti paesi che intendono applicare la legge islamica. Per questo motivo la Dichiarazione univer-sale dei diritti dell’uomo nell’Islam emanata dal Consiglio islamico d’Europa presso l’UNESCO nel 1981 rimane una dichiarazione che riguarda l’uomo nell’Islam. Similmente anche la Dichiarazione dei diritti dell’uomo nell’Islam promulgata al Cairo nel 1990 nella XIX Conferenza islamica dei ministri degli esteri, prevede, ad. es. all’art. 2, che: è vietato sottrarre la vita salvo che la šari’ah lo consenta, e pertanto subordina, in questo come in altri casi, i diritti dell’uomo alla šari’ah.
    Non ci si deve nascondere inoltre che nei paesi a maggioranza islamica non è consentito abbandonare la propria fede islamica per aderire a un’altra. con il rischio anche della sentenza di morte, talvolta commutata in carcere. Il Corano, in materia di libertà religiosa e di apostasia, è diversamente interpretato e permane tutto il peso della tradizione nell’interpretazione del testo. Il principio che deve valere per il cattolicesimo – principio recepito nei codici giuridici contemporanei – è la libertà di coscienza della singola persona. Ciò che viene sottolineato nei paesi islamici è la dimensione collettiva della comunità islamica che non può essere «intaccata» dall’apostasia dei suoi membri senza che la scelta personale vada a detrimento della comunità.
    6) Islam: l’Islam è religione e Stato
    Cattolicesimo: la Chiesa non si identifica con lo Stato: la laicità

  • Marlene diz: 8 de março de 2012

    Nossa. Esse louco é professor. Gostaria de saber se os padres gays e pedófilos tambem representam a identidade cultural da igreja católica?

  • Rodolfo Lobato diz: 8 de março de 2012

    Decisão acertada e corajosa da Justiça, ao remover símbolos religiosos de seus prédios. A formação da “identidade cristã brasileira” a que se refere o autor do artigo deve ser uma alusão a entrada do cristianismo no Brasil durante a colonização quando exterminaram e catequizaram os “selvagens” que precisavam conhecer Jesus. Existe um problema em prioridades; ao definir como barbárie a remoção de símbolos de repartições públicas. Existem locais para manifestações religiosoas, em templos e no recolhimento do seu lar. Além de acertada a decisão na letra da lei é oportuno a retirada da imagem de um homem ensanguentado, torturado até a morte. Pervesões sado-masoquistas devem se restringir ao ambito do individuo e não submeter toda a sociedade a um espetáculo de dor, flagelo, culpa e morte.

  • Douglas diz: 8 de março de 2012

    Quanta hipocrisia demosnstra esse ponto de vista da matéria. Vejo que são poucos os comentaristas do Clicrbs que tem um ponto de vista realmente crítico e inteligente.
    Peço ao comentarista que tente ler a constituição para ver que ela preconiza a obrigatoriedade da laicidade do estado. Laicidade no sentido de respeito à todas as religiões e não somente à uma, em degradação aos direitos das demais. Coisa que normalmente os religiosos catolicistas gostam de propagandear.

  • Ricardo diz: 8 de março de 2012

    tinha q ser da rbs… nao sabe nada de constituiçao e fica falando que tao beneficiando o ateismo…
    completo imbecil…
    vi artigos melhores em um vlog d um adolescente de 17 anos…
    parabens por ser um total babaca

  • valdir gemerasca de fraga diz: 8 de março de 2012

    É lamentável que nossa justiça tome decisões dessa natureza,como o autor diz:A decisão ignora o papel marcante da cristandade na formação deste país e na construção da identidade de seus cidadãos. Testemunhamos a anulação de nossas tradições, base de nossa sociedade.

  • Antonio diz: 8 de março de 2012

    Este cara é um perfeito IDIOTA , com I maiusculo. O estado é Laico e portanto não
    deve ter qualquer simbolismo religioso em suas instituições.

  • claudio schirmer diz: 8 de março de 2012

    Radicalização da Igreja gera uma reação igual e contrária! Infelizmente.
    Um outro exemplo disso é o funcionamento financeiro da PUCRS.Se um aluno é aprovado no vestibular, e se quizer cursar terá que pagar R$1300,00 por mês. Financiam 50% das mensalidades através da APLUB, e o montante será pago ao final do curso(5 anos após com reajustes.)
    Mais, é obrigatório ter um fiador com R$ 5000,00 mensais e mostrar a declaração do Imposto de Renda.
    Como ex- aluno da PUCRS tenho vergonha! Acho que os Irmaõs Maristas deveriam apagar seus simbolos católicos desta universidade, que tornou-sr um Banco, em vez de melhorar a docência e caridade.

  • Antonio diz: 8 de março de 2012

    Realmente ignoramos o papel da cristandade na formação do nosso povo. Pois foi com tortura , inquisição , roubo e muita pilantragem que a cristandade tomou as terras dos indios e levou garande parte de nossas riquezas para ornamentar as paredes do vaticano.

  • Isabel diz: 8 de março de 2012

    É por causa de pensamentos travados como esse que o País não evolui. Professor de direito??? Não queria um professor desses em sala de aula com meus filhos, com pensamentos ultrapassados e que não respeita outras crenças.

  • Tiago José Fernandes diz: 8 de março de 2012

    Poderia simplesmente dar minha colaboração lembrando que há coisas muito mais importantes para serem elencadas,mas surpreendeu-me a idolatria das pessoas por imagens e badulaques.O espírito? Ah! o espírito…

  • Antonio Carlos Gasso diz: 8 de março de 2012

    Afirmar que o Brasil é um país de maioria católica é, no mínimo, um equívoco. A própria Mãe Meninha do Gantois, a mãe de santo mais famosa da Bahia, se dizia católica no censo do IBGE.
    Mas o nosso país é assim mesmo, de maioria hípócrita e dissimulada; de pessoas que vão à missa no domingo e à noite num terreiro de umbanda ou candomblé.

  • José Agustoni diz: 8 de março de 2012

    A única coisa que deve se manifestar dentro de um tribunal é a justiça. Local de manifestações culturais e religiosas é nas igrejas, templos e até praça pública, jamais dentro de um tribunal, que não deve priorizar uma religião em detrimento das outras. A instituição Justiça não pode se dizer católica.
    Você, Felipe Furlan, não entendeu nada.

  • Eu mesmo diz: 8 de março de 2012

    Supor que todos os símbolos devem ser representados em qualquer espaço público é ir contra o próprio princípio de representatividade democrática: as eleições. Ademais, algo que tem a autoridade histórica e cultural não precisa de ninguém para legitima-la, a própria assim o faz. Símbolo não é agente representativo para que o Estado ou qualquer de seus poderes reconheça a interferência direta. Percebam, se você tem capacidade de julgar UM símbolo, você tem capacidade de julgar todos, portanto tendo poder sobre a legitimidade da cultura e de seus valores. A retirada de símbolo só pode ser dar com um julgamento, portanto, é IMPERATIVA! O símbolo ali só pode representar a si mesmo perante a história ou em relação à alguma interpretação; e o que o Poder judiciário e essa organização IDEOLÓGICA interpretou foi que a cultura não tem sua autoridade, mas ela é ação de alguma classe dominante qualquer. Isso é extremamente absurdo, cultura não possui classe, nem mesmo a democracia reconhece classe, mas sim pessoas e instituições. A dita minoria faz parte da dita minoria, não da própria cultura nem da própria representatividade majoritária. O direito das minorias em detrimento do princípio imparcial e democrático está sendo posto em prática mediante uma ideologia marxista de conflito entre classes e o Estado está tendo poder de julgamento sobre idéias, e não ações com seus respectivos responsáveis. É uma vergonha esse país!

  • André Jung diz: 8 de março de 2012

    O autor do artigo aparece ao final qualificado como professor de Direito. Entretanto, os argumentos de que se valeu para, com fervor, defender a presença de crucifixos em repartições do Poder Judiciário são todos alheios ao Direito e indiferentes à previsão constitucional de que vivemos em um “Estado laico”. Além disso, tentar sustentar sua opinião invocando a “tradição” revelou-se total absurdo. Se tivéssemos que respeitar “tradições” ainda teríamos, por exemplo, a escravidão; e também não existiria o divórcio, as mulheres não poderiam votar e o chefe da sociedade conjugal seria o poderoso marido (a quem cabia decidir sobre tudo exclusivamente). Por aí se vê que “tradição” é argumento daqueles que não desejam o progresso da sociedade, porque estão satisfeitos com uma situação que somente a eles é favorável.

  • Luiz Sérgio diz: 8 de março de 2012

    Nada mais justo do que a imparcialidade. Se o estado é laico, tem que ser imparcial frente aos credos religiosos. O fato de o pedido ter pardido da Associação das Lésbicas é provável de ter ocorrido em função da discriminação que a igreja católica pratica contra estes grupos. Na Europa o povo já está bem mais evoluido, igrejas e templos servem apenas para visitação, são muito pouco os fiéis. Por mais que demore, com o crescimento da ciência, da divulgação do conhecimento humano, esse lado religioso e cheio de fantasias tende a diminuir. Finalizando, a atitude de retirar o crucifixo é pacificamente correta.

  • Lucia Maria Jorge Bravo diz: 8 de março de 2012

    Rui Telmo é necessário ter coragem para dizer em poucas palavras o essencial.Há pessoas que não têm coração puro, pensam que são donas da verdade e a saída é agredindo os outros.Cada um tem o direito de pensar e fazer aquilo que for melhor para o todo não apenas para seu umbigo…no entanto, o que acontece é o inverso da Lei humana.Todo o ser é um eterno insatisfeito está sempre procurando uma saída mesmo que tenha que passar por cima de alguém.

  • Giovani diz: 8 de março de 2012

    Acho que
    estão retirando os crucifixos, pois o que fazem nestas salas do judiciário ultimamente não é digno da presença D’ele.
    De fato, nosso manobrado e dependente Judiciário NÃO MERECE ter este símbolo em suas paredes.

    Aos fervorosos críticos do artigo, faço uma proposta: juntem-se suas comunidades de gays, lésbicas, associações, etc, e entrem coletivamente na justiça para acabar com TODOS os feriados religiosos neste país, e trocar o nome de TODAS as cidades, ruas e vilas com nome de santo. Já que ignoram a tradição e força da religião católica, e com base nisso buscaram “seu direito” de retirar um de seus símbolos das paredes do judiciário, completem o serviço: sem feriados religiosos, sem nomes de santo, sem nada associado ao catolicismo ou à qualquer outra religião. Completem o serviço.

    Aí sim, será o paraíso….. (opa, paraíso é coisa de católico; também não pode)
    .´.

  • Neno diz: 8 de março de 2012

    Caramba, nunca li tanta asneira em um único texto… “eliminação da identidade cultural do povo brasileiro” foi de arrepiar, olha… O autor simplesmente reduziu a nossa identidade cultural – tão rica em suas manifestações heterogêneas – a dois pedaços de madeira cruzados (ignorei toda a simbologia de propósito)!

    Independente do que cada um acredita, o Brasil é um país LAICO, sem religião oficial, sendo assim é livre a manifestação religiosa – inclusive professar fé alguma – mas não pode o Estado aliar-se, nem promover quaisquer cultos, seitas, religiões. O respeito deve imperar! A decisão da justiça segue essas idéias, e não tem nada a ver com esse terrorismo religioso barato que o autor tenta vender (implodir o Cristo Redentor tb foi demais!). Aliás, é bem desse tipo de amedrontamento (terrorismo psicológico mesmo) que se usa mão para motivar os fanáticos que se explodem mundo afora…

    Nem precisaria dizer que sou contra simbolos religiosos em órgãos e repartições públicas, caso contrário gostaria de colocar um símbolo de Odin em alguma.

    “A crença dos outros é sempre uma mitologia”…

  • Pe antonio domingos lorenzatto diz: 9 de março de 2012

    crucifixo sim ou não? se existe um lugar donde o crucifixo jamais deve ser retirado é dos tribunais judiciais.ele precisaria estar não atras das costas dos juizes mas na frente deles para que se lembrem de certo juiz,o covarde PILATOS,que depois de afirmar a inoscencia de jesus(LC 23;14),mas por interesses escusos condenou à morte aquele que passou por este mundo fazendo o bem(AT 10,38).O CRUCIFIXO deve permanecer nos tribunais porque o mestre JESUS ensinou o amor,o perdão,a justiça,o bem e a paz.CRISTO CRUCIFICADO não representa apenas um simbolo religioso mas o maior injustiçado da historia humana para todos os que sofrem injustiça ele é comforto.para os juizes ele sera uma advertencia para que não imitem o intereceiro PILATOS.enquanto o crucificado for rejeitado continuarão a corrupção,a violencia o mal.JESUS ja ao nascer foi rejeitado porque “veiu para o que era seu mas os seus não o receberam”(JO 1,11).padre antonio domingos lorenzato-gravatai

  • pe antonio domingos lorenzatto diz: 9 de março de 2012

    é de lamentar que nesse proceder não tenha sido respeitado o valor ou o querer da maioria catolica.

  • Marcelo Pereira diz: 9 de março de 2012

    Desde quando somos um estado laico(data)? desde sempre? está na constituição? e pq nunka retiraram os crucifixos antes? Simbolos esses q sempre estiveram presentes nos espaços publicos e q passava despercebidos as vezes por muitos, e agora vem uma minoria dizendo q tem q retirar!!!???
    pois ainda tem gnt com coragem de dizer que vivemos em um pais democratico! mas q tipo d democracia é esta?
    E se somos um estado Laico, alguem sabe me dizer pq está impresso nas notas de Reais a frase “Deus seja Louvado”?
    Existe muito lobo disfarçado de cordeiro nessa istoria. Realment é bom deixar Cristo de fora d td isso mesmo, afinal ele ja sofreu mto uma vez por culpa d pessoas corruptas, sujas e carregadas de odio….
    Sábias palavras: “Pai! Perdoa-os, pois não sabem o q fazem!”

  • MARIA diz: 9 de março de 2012

    PARABENS PROFESSOR!!! PELA CORAGEM DE FALAR O QUE VOCE ACHA MESMO SABENDO QUE TERIA ESSE POVO IGNORANTE EM CONTRA. CONCORDO COM TUDO O QUE VOCE DIZ. OS CRUCIFIXOS NAO INCOMODAM NINGUEM. TEM COISAS IMPORTANTES PARA TODO MUNDO SE PREOCUPAR E NAO O FAZEM. DEIXEM OS CRUCIFIXOS ONDE SEMPRE ESTIVERAM. VERGONHOSO A MAIORIA DOS COMENTARIOS!!!! MAS ESTE É O BRASIL; COM GENTE QUE NAO TEM O QUE FAZER.

  • PauloDtarso diz: 9 de março de 2012

    Dúvido que ELES se importariam se fosse um simbolo do candomblé. Nem os ateus aqui estariam presentes. É que CRISTO é simbolo de MORAL , de PRINCIPIOS, DE VALORES. E ELES não gostam dessaas coisas.

  • Ju diz: 9 de março de 2012

    Que texto descabido e tendencioso! O Judiciário deve ser um local NEUTRO.
    Não é pq o Brasil tem maioria católica que tal religião deve ser IMPOSTA aos demais!
    Acho válido a retirada dos crucifixos sim, em respeito às outras religiões e ateus, e também concordaria com o fim dos feriados religiosos (que atualmente tem mais finalidade comercial do que qualquer outra coisa).

    E os católicos antes de ficarem acusando os outros de “ligação com o demo”, deveriam conhecer melhor a sua própria Igreja Católica.

    Em tempo, sou cristã e espírita.

  • Dinho diz: 9 de março de 2012

    Então vão acabar com o juramento sobre a bíblia também?

  • odolir diz: 9 de março de 2012

    apesar de ser católico concordo com a justiça. por que só esse símbolo estar lá e não o de outras religiões. Eu jamais aceitaria um símbolo do Inter no meu quarto se sou gremista.
    portanto, vamos respeitar os que não são católicos. Os símbolos podem estar nas Igrejas e nas casas mas não em lugares que pertencem a todos.

  • Neivo Luiz Marin diz: 9 de março de 2012

    Constatação deprimente da falência da criatura humana , sinais evidentes do final dos tempos , ou seja , a criatura se volta contra Seu Criador. Dedução lógica : Se Deus enviasse Cristo nos dias atuais , certamente seria repudiado e assassinado com maior rapidez, lamento profundamente , pois a esperança de termos uma sociedade melhor , se esvai.

  • Horácio diz: 9 de março de 2012

    Extremamente importante essa atitude….vai mudar a vida das pessoas radicalmente;a violência ameniza, a saude se resolverá ,etc.. todos seremos muito felizes daqui pra frente…..ainda bem que uma entidade como a liga brasileira das lésbicas tomou essa atitude tão importante para nossa sociedade…agora sim tudo mudará….até então o povo estava clamando por essa mudança que tanto nos incomoda no dia a dia…..viva a liga das lésbicas! viva o estado ! viva o cara que vai tirar o crucifixo da parede, que seria de nós se assim não fosse……..enfim , lamentável.

  • Verissimo Soares diz: 9 de março de 2012

    Em um comentário nesta coluna menciona que a maioria do povo Brasileiro é Católico.Isto não é verdade.Segundo estudo da Fundação Getulio Vargas do ano de 2009, 68,4% são Católicos. Como ja se passaram mais de tres anos do estudo existe a possibilidade de redução deste número.Vamos analisar qual a origem do crucifixo. É a cruz onde Jesus Cristo foi crucificado pelos Romanos. Logo é um simbolo de dor e sofrimento.Como que uma repartição Publica qualquer pode ter este simbolo em seus ambientes.Pois o Estado deve ter um posicionamento de independencia em relação as religões, pois o Estado representa varias culturas, e todos devem ser respeitadas.
    Por este motivo o simbolo do carrasco deve ser banido das Instituições Publicas.
    Pois para mim crucifixo representa o sofrimento de Cristo.

  • Clovis diz: 9 de março de 2012

    “Então, Jesus passou a dizer-lhes: Vede que ninguém vos engane. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu; e enganarão a muitos. Quando, porém, ouvirdes falar de guerras e rumores de guerras, não vos assusteis; é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. Porque se levantará nação contra nação, e reino, contra reino. Haverá terremotos em vários lugares e também fomes. Estas coisas são o princípio das dores. Estai vós de sobreaviso, porque vos entregarão aos TRIBUNAIS e às sinagogas; sereis açoitados, e vos farão comparecer à presença de governadores e reis, por minha causa, para lhes servir de testemunho. Mas é necessário que primeiro o evangelho seja pregado a todas as nações. Quando, pois, vos levarem e vos entregarem, não vos preocupeis com o que haveis de dizer, mas o que vos for concedido naquela hora, isso falai; porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo. Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai, ao filho; filhos haverá que se levantarão contra os progenitores e os matarão. Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que PERSEVERAR ATÉ AO FIM, esse será salvo.” Marcos 13:5-13

  • JCGoulart-ALPHA3 diz: 9 de março de 2012

    Acho que até agora infelizmente NINGUEM foi no ãmago da questão. Se seu filho fosse morto a pauladas, você carregaria uma réplica do pau que matou ele no seu peito para lembrar deste fato? Como acham que Deus, Pai de Jesus Cristo, vê este símbolo? A bíblia deixa claro que a palavra ESTAUROS é estaca e não uma cruz.A cruz foi criada séculos depois, mas Cristo que esta VIVO não foi morto em uma cruz.Pesquisem e se surpreenderão.

  • Antonio Sidney diz: 9 de março de 2012

    EU NÃO ACREDITO QUE ESSE PROFESSOR DE DIREITO,VOMITOU UM CABEDAL DE ASNEIRA. É INACREDITÁVEL

  • Antonio Sidney diz: 9 de março de 2012

    O SIMBOLO NAZISTA É TIDO COMO O HORROR, NO ENTANTO A CRUZ CRISTÃ DURANTE DOIS MIL ANOS EXTERMINOU MAIS DE 15 MILHÕES DE PESSOAS. E NO ENTANTO É PAPARICADA POR DOIS BILHÕES SEM CONTESTÇÃO NENHUMA
    A DIFERNEÇA ENTRE A CRUZ NAZISTA E A CRISTÃ É QUE, A PRIMEIRA MATAVA PÁRA DEPOIS QUEIMAR, A SEGUNDA QUEIMAVA PARA DEPOIS MATAR.

  • Naiara diz: 9 de março de 2012

    O Estado é laico, por isso não deve fazer nenhuma referência a nenhuma religião. OEstado é democrático, por isso deve respeitar a todos, inclusive as minorias, que também tem os meus direitos da maioria.
    O Estado é uma coisa, o cidadão é outra. Cada cidadão é livre para escolher e manifestar sua crença religiosa, sem qualquer interferência do Estado.

  • Sérgio Moritz diz: 9 de março de 2012

    O Brasil é um país de marioria católica, não há porque tirar os crucifixos das repartições públicas pois estão lá a séculos e nunca incomodaram ninguém. Isso é coisa dos PETISTAS COMUNISTAS, representadas por essa degeradas e depravadas lébicas.

  • Laila diz: 9 de março de 2012

    Vejo várias manifestações a favor de retirar o crucifixo. Embora não seja católica, não concordo com a maneira como foi retirada, sem consultar a população. Na calada da noite. Aliás o judiciario gaucho tem se caracterizado por atitudes anti democráticas e anti- constitucionais. O que me envergonha como gaucha. Para quem não entende, Estado laico não significa ateu, mas respeitar as demais diferenças, sejam religiosas ou não. Quero esclarecer, também, que o cristianismo faz parte de nossa cultura e não é com essas atitudes que vão acabar com ele. Nem o judiciario e nem as lésbicas, que deveriam procurar alguma atividade útil para fazer.

  • Daniel diz: 9 de março de 2012

    Que absurdo a publicação desta carta. Este assunto nem deveria causar discussão. É bom senso. Só estes extremistas, que conseguem enxergar apenas uma única verdade, que estão tento estes ataques. Isto sim, parecem as viúvas da ditadura, que tudo é “ameaça comunista”. O PT comunista, por favor pessoal…

  • Boris M. H. diz: 9 de março de 2012

    Bom, em primeiro lugar quero dizer que não sou lésbica, homossexual nem ateu; tampouco muçulmano.
    O que me vem na cabeça quando vejo a tal cruz?
    - a tortura e o assassinato de um homem que quis mostrar que era possível e necessário pensar e agir diferente (o Jesus). Pois é, os assassinos dele pensavam como vocês, que vem impedindo a evolução há muito tempo com seus ideais impositivos e retrógrados;
    - a Santa Inquisição (lembram???)
    - o assassinato e tortura de índios e negros que não viviam de acordo com os preceitos “da cruz”;
    - aqueles que se comprometem a viver “sem vontades sexuais”, mas que não resistem e acabam por atacar crianças indefesas e altamente manipuláveis. E quando um infeliz destes ataca um menino, além de ser um pedófilo, está praticando o horrendo homossexualismo, tão abominado por vocês , cristãos. O pior de tudo é que a santa igreja ainda protege esses criminosos.
    É pelo respeito aos indivíduos e a liberdade que aplaudo a retirada dessas cruzes de todos os lugares.
    A FÉ DEVE SER BUSCADA E NÃO IMPOSTA!!!

  • Antonio diz: 9 de março de 2012

    Curioso mesmo são os comentários. Os que discordam da opinião apelam para os adjetivos de sempre: “deve ser um carola”; outro concorda e emenda “é este cristão que deve passar a semana achacalhando as pessoas”, ou ainda “este doido é professor? Como são patéticos esses católicos”…
    **
    Esse deve ser o resultado de décadas de esquerdização. Não são capazes de argumentar sem agredir e ainda defendem “democracia”. É uma vergonha. Um senhor tenta justificar: “perseguições, morte, estupro e atrocidades que homens e mulheres em nome da “FÉ” cometeram mundo a fora. Por esta e outras razões, é que o Estado é laico e assim o deve ser para se preservar, sempre, o interesse público em todas as questões”. Por esta e outras razões, meu senhor? Que discurso pavoroso é esse?
    **
    Pois que tirem os crucifixos. Até onde sei, nunca foram obrigatórios nas repartições. Agora, fazer para atender uma minoria? Um grupo de lésbicas? Estão de brincadeira? Não é por democracia ou por defender o laicismo que o fazem, é evidente. É a necessidade de afrontar a Igreja e os católicos, usando os mais sútis argumentos. Hoje o crucifixo, amanhã a tal lei da homofobia, que te prende por demitir um homossexual… E tem muito gente que aplaude tudo isso porque se consideram “de bem”, “modernos”, “globalizados”… outros sequer usam do Tico e Teco pra pensar e xingam mesmo quem discorda deles. O que vai ainda nos levar a falência não é a religião, mas essa educação miserável que vem formando gerações de preguiçosos mentais.

  • JAIRO MUNIZ diz: 9 de março de 2012

    QUANTA BOBAGEM. A MAIORIA DOS HOMENS AINDA VIVEM NA IDADE MÉDIA. O POVO GOSTA DE MENTIRAS. SE O POVO SOUBESSE QUE CRISTO NUNCA EXISTIU. É UM MITO. FOI INVENTADO PARA MANTER AS PESSOAS NA IGONORÂNCIA. É SÓ ESTUDAR HISTORIA E FILOSOFIA E DECOBRIRÃO QUE VIVEMOS EM UM MUNDO DE MENTIRAS. CRISTO NUNCA EXISTIU. AS RELIGIÕES FORM INVENTADAS PARA ENGANAFR A HUMANIDADE.

  • JAIRO MUNIZ diz: 9 de março de 2012

    QUANTA BOBAGEM. A MAIORIA DOS HOMENS AINDA VIVEM NA IDADE MÉDIA. O POVO GOSTA DE MENTIRAS. SE O POVO SOUBESSE QUE CRISTO NUNCA EXISTIU. É UM MITO. FOI INVENTADO PARA MANTER AS PESSOAS NA IGONORÂNCIA. É SÓ ESTUDAR HISTORIA E FILOSOFIA E DESCOBRIRÃO QUE VIVEMOS EM UM MUNDO DE MENTIRAS. CRISTO NUNCA EXISTIU. AS RELIGIÕES FORM INVENTADAS PARA ENGANAR A HUMANIDADE.

  • Carlos Pires diz: 9 de março de 2012

    Excelente comentário cada vez mais se varre da cultura os simbolos que nos aproximam do amor a Deus e ao próximo; É por demais procupante;

  • Saul diz: 9 de março de 2012

    A cruxificação ocorreu há mais de 2000 anos mas a imagem de Cristo ainda mexe muito com a posição dos privilegiados, Ele nos deixou um legado de amor e justiça que muitas vezes bate de frente com o Judiciário e suas decisões. Se eu for adorador do diabo ou adepto a rituais de magia negra(de convicções medievais) ter tenho direitos identicos a maioria avassaladora de crença cristã é uma agressão a qualquer inteligencia. Literalmete nossos valores estão sendo invertidos pouco a pouco por minorias de “admiraveis cabeças” que querem ser os verdadeiros “deuses” ou seja os “donos da verdade”.

  • Renato P L diz: 9 de março de 2012

    O senhor como professor de Direito deveria saber muito mais do que eu que o Estado e, principalmente a Justiça, não devem privilegiar a MAIORIA em detrimento das MINORIAS. Estes entes devem servir a TODOS igualmente, de forma NEUTRA. Isso vale também para o uso de crucifixos, símbolo das religiões cristãs, nos órgãos de Estado. A retirada dos crucifixos não impede que aqueles devotos a determinada religião carreguem seus símbolos consigo nos Tribunais ou em qualquer órgão de Estado. A tradição cristã, cujo papel tenha sido marcante na formação deste país e na construção da identidade de seus cidadãos, não está sendo ameaçada em nenhum momento por esta decisão.Ela é muito maior que isso e está muito presente em diversos outros lugares. E procure separar o PÚBLICO do PRIVADO nos seus exemplos. Se o senhor for professor de Direito em uma universidade católica ou luterana, por exemplo, é possível que haja crucifixos e outras manifestações da religiosidade da instituição PRIVADA. O memorial do World Trade Center é público ou privado? O Cristo Redentor é público ou privado? Discordo totalmente do senhor, mas parabéns pelo belo uso de retóricas. Elas são importantes para sustentação de qualquer linha argumentativa. Neste caso sua argumentação me ajudou a reforçar minha posição CONTRA o uso de crucifixos nos Tribunais e demais órgãos de Estado.

  • ANTONIO CARLOS FERRAZ MILLER diz: 9 de março de 2012

    É lamentável que o Judiciário do Rio Grande do Sul faça ou deixe de fazer algo movido pelo “politicamente correto”.
    Tivesse sido sua a iniciativa de retirar os símbolos católicos, ou mesmo tivesse havido solicitação de evangélicos, judeus ou muçulmanos, vá lá….mas atender pressuroso à exigência duma ONG cujo propósito associativo nada tem a ver com a profissão de uma fé religiosa é desmerecer a tradição de um povo que conquistou sua terra com a cruz “… a espada e a pata do cavalo…”, uma história de heroísmo descrita por Érico Veríssimo na obra “O Tempo e o Vento”.

  • Itamar Fortuna diz: 9 de março de 2012

    Esse professor só pode estar de sacanagem em defender a permanencia dos crucifixos.
    Muita gente confunde tradição com mal costume.
    Ter crucifixos nos prédios da Justiça é um mal costume. Vai contra a democracia e a livre escolha de religião e ceita por se tratar de um simbolo apenas católico/cristão. É preconceituoso. Tem que tira sim esse simbolo. Ou coloca simbolos de todas as outras religiões e ceitas.
    É UM LOCAL PÚBLICO E NÃO TEM ESPAÇO PARA PRECONCEITO OU IMPOSIÇÃO DE RELIGIÃO.
    As pessoas que defendem os simbolos, vão se confessar depois pra pedir perdão pelo seu preconceito com outras religiões??

  • Alexandre Ph diz: 9 de março de 2012

    Fui formado Gremista e Católico..
    Vou colocar um símbolo do Grêmio também lá.

  • Antonio carlos diz: 9 de março de 2012

    Certamente nos tribunais da santa inquisição também existiam cricifixos. Os inquisitores em nome de “Deus” mandavam inocentes para tortura e para as fogueiras admirando os simbolos cristãos. Pobre professor que escreve o que este cidadão escreveu.

  • Rafael diz: 9 de março de 2012

    “Na Europa o povo já está bem mais evoluído”

    Basta ver as crises econômicas! Se o Brasil evoluir desse jeito, logo logo vai estar no mesmo buraco!

    Deus, que é o verdadeiro Rei do mundo, acima de juízes, presidentes e constituições, vai dar o troco. Querem se afastar de Jesus, afastem-se. E lidem com as consequências.

    Na URSS, quando a religião foi proibida, seguiu-se a ela o culto a Stalin. Acho que aqui seguirá o culto ao Tarso, ao Lula, ou a estrela do PT…

  • Getulio diz: 9 de março de 2012

    Sou ateu, mas acho que toda a fé deve ser respeitada, inclusive a falta dela, a respeito dos crucifixos acredito que está certo pois nem todos sáo cristãos e pelo que me consta o estado é laico, se os cristão tem esse dirieto daqui a pouco teremos que colocar Buda, Gandhi, alcorão, Rha, Mitra ou seja se é para colocar um que se coloque todos, o problema dos católicos sempre foi achar que eles são os únicos certos e o resto é coisa do diabo e olha que els não são nem 20% dos que creêm isso contando a grande maioria que só se dizem e não praticam a religião.

  • Getulio diz: 9 de março de 2012

    Em tempo: se jesus está no coração não precisa estar na parede.

  • Andre Rypl diz: 9 de março de 2012

    O texto é uma coleção de falácias. A retirada de crucifixos não é uma perseguição de ateus, e sim o reconhecimento e aceitação da laicidade do Estado. Não é o combate ao catolicismo ou ao cristianismo. O lugar dos símbolos religiosos é a igreja, ou a professão individual da fé, mas NUNCA dentro de instituições do Estado. O professor (?) autor deste artigo cria associações falsas que ofendem simultaneamente pessoas religiosas e não religiosas. Como o professor se sentiria sendo julgado por um tribunal fundamentalista com outros símbolos? Ou de outra religião? Acho que falta ao autor a compreensão das crenças e valores do “outro”, e parte do pressuposto que todos devem aceitar e ver com bons olhos o viés católico em nossos tribunais. Professor, Cristo há 2000 anos ensinou: “a César o que é de César, a Deus o que é de Deus”. Se o senhor ainda não aprendeu o que isso quer dizer, deve voltar aos bancos escolares.

  • Leonardo diz: 9 de março de 2012

    Também sou a favor da retirada de crucifixos de prédios públicos, pois vivemos em país laico, multi-cultural, multi-étnico e de liberdade religiosa. Se há um crucifixo, deveria haver também um Buda, um Ganesh, um Orixá, estrela de Davi, Lua crescente e a estrela, etc. Religião e fé e coisa do íntimo de cada um. Que se coloque todos ou se retire todos. Não gosto de simbolismos em geral. Assim como não deveria haver fotografias dos presidentes com a faixa. Eu não votei na Dilma, assim como muitos outros e ver sua foto em instituições públicas (como em escolas aos pedaços ou posto do SUS) é extremamente irritante.

  • Leonardo Pizzolatti diz: 9 de março de 2012

    ao Alexandre Ph. ÓTIMO !!! rsrsrsrs…

  • Antonio diz: 9 de março de 2012

    Uns confundem estado laico com estado ateu.
    Outros, em nome da tolerância, são intolerantes.
    Leitores pedem a democracia, mas são ditadores na opinião.
    Há os que citam fatos históricos, mas não descolam o traseiro para se debruçar sobre um livro.
    **
    Pobre Brasil, cada vez mais sem cultura, sem identidade, sem lei. Pobre estado Riograndense, que já foi referência nacional por sua cultura visceral, onde o peão se misturava com o campo, a alma com a terra. Que passo atrás está se dando! Não pelos crucifixos no Judiciário! Que se retirem! Mas pela arrogância e intolerância que sucitou na alma gaúcha. É esse espírito de profundo liberalismo, já correndo solto nas veias das novas gerações. Que lástima. Quanto desgosto.

  • Itamar Maschio diz: 9 de março de 2012

    Volto aqui a escrever sobre este artigo. É espantoso os argumentos usados por algumas pessoas aqui. O Brasil é um país de maioria católica. Sim e dai? E as minorias que não acreditam em Cristo? Ou os evengélicos, que nao aceita a imagem do Cristo crucificado? Os brasileiros que praticam o judaísmo? E os muçulmanos, budistas, as religiões afro-brasileiras e por ai vai. E os ateus?
    Tem ainda os que defendem a manutenção dos crucifixos por se tratar de uma tradição, muita antiga, secular. Para esse eu pergunto: Até o final so século XIX, início do século XX, as mulheres não tinha praticamente nenhum direito no Brasil e no mundo, pois a tradição, inclusive defendida pela própria igreja, dizia que as mulheres eram seres inferiores. E se em nome da tradição as mulheres tivessem que voltar a serem tratadas daquele mesmo jeito, será que estes falsos moralistas que aqui comentam seriam a favor ou contra? Afinal se tratava de uma tradição.
    Sinceramente gente, defender algo apenas em nome de uma suposta tradição é um embasamento muito fraco. Vamos lá senhores defensores da manutenção dos crucifixos, se esforcem, eu imagino que vocês tenham argumentos mais sólidos do que a tradção e o errado argumento de que a maioria dos brasileiros são católicos.

  • Alex diz: 9 de março de 2012

    E se fizessem isso com simbolos mulçumanos? Acho explodiriam um carro bomba ou um homem bomba no Tribunal de Justiça.

  • Mao Tzé Tung diz: 9 de março de 2012

    Os crucifixos devem ser substituídos pela imagem de um dos grandes líderes revolucionários, Lula, Dilma ou Tarço.

    Em último caso, uma estrela do PT. O Cristo redentor também deve ser implodido, e colocado ali uma estátua do Lula.

    Viva a iconoclastia comunista!

  • renato diz: 9 de março de 2012

    Quem se melindra com um simbolo é suscetivel, tem chilique e a maioria tem que se dobrar? Para mim um tiro no pé do movimento gay …azar deles..faltou inteligencia…não ha mais com que se preocupar…o movimento gay tem fogo amigo….tiram os crucifixos e ganham a antipatia da sociedade….eles não queriam a simpatia?

  • Claudio Duarte diz: 9 de março de 2012

    É uma pena que não haja uma “Liga de Indivíduos Molestados Sexualmente por Padres Católicos”. Eles talvez não pedissem a retirada do simbolo do homem que era filho de uma mulher casada, mas virgem, que morreu aos 33 anos e voltou a vida alguns dias depois, cujo corpo não está em lugar algum e cujas referencias histórias aparecem apenas 200 anos após a sua morte. Eles pediriam a inclusão do simbolo do Homem Aranha, com seu lider religiosos. O segundo bem mais provável que o primeiro. Tirem seus brinquedinhos dos prédios da justiça seus carolas hipócritas.

  • João da Silva diz: 9 de março de 2012

    Senhor Felipe José Kayser Furlan: Após ler o seu artigo, concluo que o senhor deveria rasgar o seu diploma e abandonar para sempre a profissão que exerce. Esta escrito na consttuição de 88:
    “Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

    I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;”

    Oras, colocar o simbolo religioso de uma religão, sem a colocação de todas as outras, é um claro ato de favorecimento e um desrespeito a uma das clausula pétreas da constituição.

    Esta escrito na constituição. A remoção nada mais nada menos é uma forma de cumprir a lei.

    Deveria, sim, ser instaurado um inquerito para apurar quem foi o responsavel pela colocação do ilegal crucifixo, e se ele foi pago com dinheiro publico, que esta pessoa ressarça os cofres.

  • renato diz: 9 de março de 2012

    Volta e meia as pessoas que não tem argumentos vão busca-los na inquisição, bom, deixam de reconhecer por ignorancia ou má fé as atividades sociais realizadas pelas religiões…perfeito…então voltemos ao passado…as nações que tentaram tirar simbolos religiosos tornaram-se estados Totalitários, lembram a União Soviética?? lembram-se que os ateus mataram de fome o povo da Ucrania?? Sem falar no Kmer vermelho, igualmente, laico, que ecravizou e promoveu um dos maiores genocidios modernos da historia…se é para ficar vendo o lado errado das coisas …tem material suficiente para falarmos dos dois lados e não sera construtivo….mas …como já vi que tem gente que vive de passado…na minha época só museu ganhava….

  • Karl Marx diz: 9 de março de 2012

    Deus é uma utopia, e a religião é o ópio do povo.

  • Aldo diz: 9 de março de 2012

    “Professor” escrevendo “Haja visto”! ! ! É analfabeto funcional, carola e preconceituoso, isso sim ! ! !

  • Antonio diz: 9 de março de 2012

    Ao Itamar Maschio:
    o seu argumento é que se perde quando mistura alhos com bugalhos. Se tradições são para serem esquecidas, em nome do “progresso” vamos também solicitar a derrubada do Laçador, o fim das rodas de chimarrão, a extinção dos CTGs e acabar com essa palhaçada de 20 de Setembro, com suas cavalgadas que só servem para sujar as ruas e maltratar os animais. Tradição pra quê?
    **
    Entenda o senhor uma coisa: o estado é laico, mas não ATEU. O preâmbulo da Constituição cita DEUS, assim como as notas que estão na sua carteira. Os ateus agora vão se ofender com isso? Mudem-se pra Cuba ou pra Coréia. As repartições NUNCA foram obrigadas a manter os crucifixos nas paredes. Podem tirar de lá. Os católicos ficam muito mais ofendidos com as blasfêmias do que com essa atitude. Agora, experimente xingar Maomé com as mesmas letras… a Igreja Católica pode, né? Depois dizem que é pela “democracia”. Democracia uma ova.
    **
    Sim, sr Itamar. O Brasil é de maioria católica sim. Aceite isso ou pelo menos tente entender isso, por caridade. Todo o ocidente é fincado nos fundamentos cristãos. Aposto que a sua conduta moral também é. Já te deste conta de que um dia nos chamamos Terra da Santa Cruz? Por que será?

  • Nado diz: 9 de março de 2012

    Um símbolo que representa uma grande injustiça (talvez a maior da história) não deveria estar em um órgão que representa a justiça. Correto.

  • paulo diz: 9 de março de 2012

    Liga Brasileira de Lésbicas – Quem são ? O que fazem ? Que religião professam ? Quem lhes dá o direito a se arvorarem a defensoras de alguma coisa ? Me poupem, vão cuidar de seu problemas, que não devem ser poucos.

  • Marcos Juliano diz: 9 de março de 2012

    Por isso que o Brasil não vai pra frente mesmo, quanto gente perdendo tempo aqui discutindo uma besteira destas… falando nisso, já escrevi demais… fuiii

  • Itamar Maschio diz: 9 de março de 2012

    Ao senhor Antonio. Antonio de que mesmo?
    Quem está falando em esquecimento de tradições aqui? Eu apenas disse que nem todas as tradições são boas a ponto de serem mantidas por toda a eternidade. Tua comparação é sem nexo, pois a tradição de tomar chimarrão não agride ninguém, pois quem não gosta de chimarrão basta não tomar e ninguém obriga ninguém a tomar chimarrão. Ao contrário da ostentação de simbolos religiosos em órgãos públicos, pois se eles estão lá eu acabo sendo obrigado a estar no mesmo local que eles. E para sua maior informação eu sou católico sim, mas meu posicionamento não é contra a religião católica ou qualquer outra, mas sim é a favor dos direitos iguais, pois só há simbolos católicos nesses espaços. Ah!, mas isso é tradição.
    Desde quando que a ausência de um símbolo religioso em um Fórum determinará se o Estado é ateu ou não?
    Se quiserem derrubar o laçador, por mim tudo bem, não irá me ofender em nada. Quanto ao 20 de setembro, concordamos com isso, pois não sou adepto desses “desfiles cívicos” que comemoram uma revolução que de libertária nada tinha, mas tinha sim o interesse dos charqueadores e estancieiros que não queriam pagar impostos à Coroa.
    Para teu conhecimento sou totalmente contra a manutenção de qualquer manifestação apenas por ela ser “tradicional”, ainda mais se essa “tradição” em nada contrivui para o desenvolvimento de um povo.
    Certamente o Ocidente é fincado nos fundamentos cristãos como você diz, mas isso não o torna com direito de ter seus símbolos em órgãos públicos de um estado sem religião. Lembremos que essa mesma cruz foi utilizada para justificar o massacre de índios e negros. Sim, pois a igreja apoiava o massacre daqueles que não aceitavam as cruz e até considerva esses povos sem “alma” justificando o extermínio quase que total dos índios no Brasil e aceitando e abençoando a escravidão dos negros. Sou católico, mas não sou burro e nem cego.

  • Cláudio Adão diz: 9 de março de 2012

    Vejo inúmeros comentários apoiando a retirada dos crucifixos. Assim, deixo algumas perguntas para tais apoiadores:
    1) Por que não lutam com a mesma intensidade pelo fim dos feriados religiosos no Brasil? Afinal de contas TODOS estão fundamentados na fé cristã;
    2) Por que a maioria de vocês insiste em casar na igreja?
    3) Por que a maioria de vocês apoiadores da retirada dos crucifixos leva seus filhos para o batismo na igreja?
    4) Por que continuam solicitando cerimônias religiosas de enterro de seus entes queridos falecidos?

  • Sylvio Deutsch diz: 9 de março de 2012

    Atitude correta. Ou colocavam os símbolos de todas as outras religiões e fés, ou fica sem nenhuma.

  • Juan de la Mancha diz: 9 de março de 2012

    Estamos voltando aos valores da antiga Roma, centrados no homem, e que esquecem Deus. Os gays podem também promover orgias públicas dentro de TJ, ao estilo de calígula.

  • Rejane diz: 9 de março de 2012

    Professor! Não devia ter “inticado”.

  • paulo amaral amaral diz: 9 de março de 2012

    É, acoisa está realmente como o diabo gosta. Por causa de gambiarras tiram símbolos cristãos das salas. Vamos colocar, então, símbolos de todas as religiões (quais?) cruzes, tambores, fotos de chê guevara lembram de outros?

  • Pe. Bento diz: 9 de março de 2012

    Particularmente não me importaria- até acharia legal-se houvesse um símbolo do omkara, uma estrela de Davi, um crescente e um desenho de Ganesh.

    Mas todos esses símbolos incomodam os que pedem pela remoção. Os crucifixos não estão sendo removidos em prol do sincretismo, e sim da irreligiosidade.

    Essa liga de lésbicas jamais aceitaria que todos esses símbolos estivessem lá presentes.

    Os sincretistas que me perdoem, mas esse é um movimento ateu e irreligioso, e não sincretista!

  • MURILO diz: 9 de março de 2012

    O estado é laico, mas o povo é religioso. Infelizmente vivemos numa época pós cristã, onde aos poucos estão transferindo a centralidade de vida em Deus, para centralidade no indivíduo, na vida pagã. Nisso vai se perdendo boas referencias, neste caso o próprio Jesus Cristo. As referencias de hoje são: Lagy Gaga, Tiririca, Anderson Silva, Neymar, e etc. – É isso que querem para seus filhos? Independente de religião, creio já está funcionando, pois com tantos absurdos que acontecem como filhos matando pais, aumento exponencial de divócios, drogas tomando conta dos jovens, e ainda temos pessoas preocupadas com crucifixo nas repartições públicas. Porque não entram numa fila para doação de sangue, medula, ajudar numa obra social. Vão caçar o que fazer!

  • Rodrigo diz: 9 de março de 2012

    Acredito que a quantidade de comentários já retrata muito bem a polêmica do tema.
    Contudo, não podemos esquecer que o Estado NÃO possui uma religião oficial. Pergunto ao Sr. Furlan: Como você se sentiria ao entrar em qualquer tribunal e se deparar com inúmeras Estrelas de David espalhadas por todas as salas? A liberdade ao culto religioso é garantida por nossa Constituição, mas não pode o Estado impor uma determinada crença no interior das suas repartições. História do estado? Muitos foram os imigrantes que construíram o nosso Rio Grande do Sul: alemães, italianos, afros, judeus, católicos, muçulmanos,… Que se coloque um símbolo referente a cada cultura nos tribunais do Estado, não concordas Sr. Furlan? Por favor, seu texto é deprimente…

  • Leonardo diz: 9 de março de 2012

    Parece-me que o Pe. Bento disse tudo…

  • Itamar Fortuna diz: 9 de março de 2012

    Pra verem ate onde vai o preconceito dos chamados católicos/dritãos. Ja misturam gays e lesbicas no assunto.
    OBS: Sou hetero e muito bem casado com uma linda mulher.
    Só que não tem mais espaço pra preconceitos ridiculos como esses. Cada um cuida de si.
    Ja escrevi mais acima que o mundo de hoje não tem mais espaço pra esse tipo de preconceito. Tanto sexual, religiosa, cor, raça e etnia.
    Se os católicos/cristãos se consideram melhores, então deveriam serem mais humanos e ao invés de pregarem o preconceito.

    Em repartições publicas não deve haver crucifixos, pois isso é imposição de religião ja que se trata de um simbolo católico/cristão. Ou então coloca de todas as religiões.

    Ha esqueci que pra católicos/cristãos só existe uma, as outras não são nada.
    Da pra ver que voces tem realmente Deus no coração, ou na ponta da espada.
    Tem um Papa que foi posto na correria. Uma pessoa que trabalhou com Hitler na busca de uma raça que chamavam de perfeita (cacausianos).
    Se liguem.

  • Maria Ines Froehlich diz: 9 de março de 2012

    Seria intesessante,que os politicos se preocupassem mais com a segurança do povo brasileiro.
    Leiam:”Em Porto Alegre”

    Encurralados pela violência, moradores usam faixas e cartazes em apelo por mais segurança.Lì isto na ZH de hoje.Terrìvel esta situaçao no Brasil.Mas é muito mais facil,retirar o crucifixo…

  • GERSON diz: 9 de março de 2012

    Acredito que Jesus Cristo, se quisesse se manifestar, diria:

    - Hipócritas!!! Como querem que Deus proteja a Constituição se não querem que ele esteja representado em seus tribunais !!!

    - Como defendem um estado Laico, baseando-se na Constituição, se a sua própria Lei Maior e seu Código Civil defendem como crimes “ Não roubar “, “ Não Matar”, que são Mandamentos da Lei de Deus?

    PREAMBULO DA ATUAL CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA

    “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.”

    Como talvez dissesse Jesus, não sejamos hipócritas.

  • Roberto diz: 9 de março de 2012

    Imagina um Judeu, Mulçumano ou Ateu chegando pra ser julgado num tribunal onde tem uma cruz. Já sabe: “vou ser injustiçado”. Porque esta sempre foi a prática dos cristãos, impor um ponto de vista preconceituoso e sem sentido à força. Justiça pra ser justiça, não pode ter sinal de nenhuma religião.

  • Jaí Antonio Strapazzon diz: 9 de março de 2012

    Na verdade, o ESTADO não é LAICO, é LACAIO, e o povo HIPÓCRITA. Primeiro deveriam proibir novelas, com tanta imundície, depois os BBBs, corrupção, ladroagens,violência, salário mínimo,politicagens,casamento entre homens ser chamado de casal, enfim. Coisas para melhorar tem aos montes, mas esta velharada prefere bobagens.

  • Leonardo diz: 9 de março de 2012

    Lendo que “O crucifixo nos remete ao amor à Deus e é símbolo universal do amor ao próximo” percebo o quão fora da realidade está o autor do texto.

  • PAULO “O COLIBRI” diz: 9 de março de 2012

    Sobre o tema, lamentável que ninguém preste atenção a comentários valiosos e muito sérios, evidentes, colocados nessa “pendenga” de cunho religioso/cultural.
    De tudo que li aqui, meu pensamento se coaduna inteiramente com o abaixo transcrito, que adoto.
    Abraços a todos os litigantes, mesmo aos mais apaixonados.
    “in verbis” com algumas leves correções.
    abçs.

    “””carmelinda maria bampi diz: 8 de março de 2012

    Já era o momento de retirar os crucifixos do Judiciário. Estava lá representando o pior momento da vida de Cristo, o de sua morte dolorida na cruz. E o Judiciário é o próprio símbolo vivo da dor e da cruz de quem tem uma demanda, mas nada tem a ver com crucifixo no qual Jesus morreu! Tampouco com religiões! Foi-se o tempo em que juízes pediam luzes a Entes Superiores para bem decidirem. Hoje acredito que não existem mais tais julgadores. Muitos e muitos cidadãos, eu inclusive, acreditamos muito mais na Justiça Divina do que na terrena e com certeza vamos esperar por aquela, depois de envelhecer esperando por esta, e milhares de decisões proferidas na atualidade deixam Cristo estarrecido e com vontade de descer da cruz e bater com ela na cabeça dos julgadores! Antes que tal milagre aconteça achei muito bom o Judiciário se precaver e retirar as cruzes e os próprios Cristos de suas dependências, não que com isto estejam livres de prestar contas das barbaridades que cometem, das sentenças injustas que proferem, das maracutaias que ouve dizer que são feitas dentro e fora dos processos, do protecionismo e do corporativismo existente que esculhamba o órgão que deveria ser sério e respeitado e das tristezas e lágrimas que nos fazem derramar ante a morosidade e o descaso de muitos que lá dentro desempenham suas funções. Só que tudo isto, todas estas atitudes não vedam os olhos DELE e, embora não possa descer da cruz e com ela estourar os miolos dos desalmados, ELE fará Justiça para todos nós UM DIA. “””””

  • carlos alberto diz: 9 de março de 2012

    O ser humano é pior que animal, por isso que o ser humano já nasce com certas índole, uns querem aparecer, pois deviam sim de cuidar do seu serviço, mais para aparecer vamos criar uma polêmica, vamos tirar os crucifixos, assim vamos aparecer. Este simbolo esta há anos, e o que vai prejudicar quem é ateu ou não.Por isso não acredito mais neste país, pois as instituições querem impedir que a maioria da população tenha algum direito. E dizem que estamos em uma democracia…..

  • Horácio P. Machado diz: 9 de março de 2012

    Esse professor de direito em seu texto só demonstrou a sua parcialidade em relação ao fato ao defender a sua crença religiosa ou a dos católocoa e demais cristãos brasileiros em detrimento do que está escrito na Constituição. No entanto, ele quiz esquecer (pois bem sabe) que o Estado é laico e, portanto, a Justiça Brasileira sendo pilar de um dos seus três poderes, não pode escollher identificação com religião alguma, pois constituiria um ato injusto com as demais crenças religiosas ou mesmo aqueles cidadãos que não a possuem. O exercío da Justiça independe de fé religiosa ou do simbolismo da cruz cristã. O símbola da justiça é e deve premanecer sendo a balança com os dois pratos equilibrados e não qualquer outro símbolo religioso, seja este tradicional ou não. Portanto, nenhum prédio público deveria ter qualquer tipo de símbolo religioso para não cometer injustiça contra a coletividade.

  • Silvio Luiz diz: 9 de março de 2012

    Nem terminei de ler…quem quiser rezar que vá à igreja. Sou ateu e não vejo que isso tenha sido uma vitória ateísta. Acho que assim, a justiça estará respeitando todos os outros símbolos religiosos…sejam quais forem. JUSTIÇA PARA TODOS. RELIGIÃO CADA UM COM A SUA…

  • Armando diz: 9 de março de 2012

    Concordo com o autor do texto. Se continuarmos nessa linha de raciocínio, deveríamos acabar com os feriados religiosos, todos, de todas as religiões, inclusive o carnaval, bem como os domingos, pois o descanso no domingo, vem da Bíblia, ou os incaltos esqueceram que Deus fez o mundo em seis dias e no sétimo descansou e, por isso, esse é o dia destinado, preferencialmente, ao descanso.
    Que retrocesso.
    Será que não temos mais nada importante? Quem sabe todas as Ligas (leia-se) sociendade, não comece a se preocupar com coisas muito mais sérias, como drogas, segurança, educação, etc.

  • ANTÔNIO CARLOS DA LUZ diz: 9 de março de 2012

    Temos que retirar na verdade de “NÓS” todos os tabus, preconceitos e objetos, que com os quais e através deles muitas vidas foram “tiradas” INJUSTAMENTE. A começar PELA vida de Jesus Cristo, morreu numa cruz injustamente e hoje VENERAM a cruz como símbolo de justiça???
    Alguém acharia bom se matessem seu único filho e, depois usassem a ARMA do homicídio como símbolo??? Deus com certeza não admira a cruz.
    Ela é símbolo de tortura, dor e, morte.
    Creia em JESUS CRISTO pois ele é o mesmo, ontem, hoje e, será eternamente! Se tiveres precisando de algo que ninguém podes te ajudar, CREIA, em Jesus e ELE estarás agindo em teu benefício.
    Deus os abençoe!!!

  • Isabel diz: 9 de março de 2012

    Tenho negócio próprio onde frequentam público em geral. Sou gremista, mas nem por isso estampo a bandeira do grêmio na recepção em respeito aos colorados que lá frequentam também. Isso chama-se RESPEITO aos demais. E é o RESPEITO que falta em todos.

  • Anna Maria diz: 9 de março de 2012

    Concordo plenamente com o escritor deste texto,daqui a pouco vamos abolir datas significativas para a maioria,porque uma minoria se sente ofendida,em que momento oa ensinamentos cristãos podem ofender uma pessoa?, a não ser enaltecer a vida,amar o próximo,ter fé,auxiliar o próximo,respeitar as demais religiões,Jesus não pregou a desagregação,pregou a União ,o amor ,a força de vontade,a bondade ,a caridade,será que estas mulheres não têm pai nem mãe?,não celebram o Natal,a Páscoa ?,não têm um pinguinho de decência?,exigem respeito,mas não respeitam o direito da maioria ,por favor busquem tratamento psiquiatrico

  • Anna Maria diz: 9 de março de 2012

    que absurdo!!! os heteros teram que se unir ,porque os vários segmentos da sociedade agora se unem contra tudo e todos,somos todos irmãos e a maioria é religiosa ,a maioria é cristã,em que um simbolo modificaria alguma coisa ?.O mundo,os jovens precisando cultivar a fé ,sem Jesus ,sem Deus em suas vidas ,vejamos a quantidade de criaturas precisando de tratamento contra o alcoolismo,as drogas,o crime,as doenças psiquiátricas,as doenças mais terriveis como o câncer e outras,os acidentes de trânsito em números altissimos em consequência da ingestão de álcool e drogas ?,o mundo precisando de amor ,de Deus e de Jesus e as minorias querendo que a maioria ignore a existência divina,mas o que está acontecendo nesta sociedade doentia que tudo é permitido menos a decência e a pureza,os sentimentos sagrados estam sendo colocados em terceiro lugar ou em lugar nenhum,fiquei chocada com a atitude destas mulheres !!!!!!!!!!
    Quando estiverem por morrer iram chamar por Deus e por Jesus isto é 100% certo,a maioria de nós só nos lembramos de Deus e Jesus no perigo eminente,a beira da morte então nem se fala !.Existe um ditado antigo e certo “Não cuspa para o céu que na cara não lhe caia!”,o tempo é o melhor remédio ,só que enquanto isto estão querendo destruir a alma cristã,não pensei que viveria p ver tamanha idiotice,idiondes ,tamanho desrespeito!

  • Cláudio Fortes Carpes, (Policial, aposentado). diz: 10 de março de 2012

    Não acredito que seja entendível e oriunda da magistratura. isso é coisa oriunda de minoria ATEU!

  • UMA PERGUNTA diz: 10 de março de 2012

    Ei! É, vocês aí que desqualificam quem tem credo religioso!
    Não suportam ver uma cruz?

    Então tem que retirar os crucifixos? Primeiro vão discutir os inúmeros símbolos maçônicos nos prédios públicos, depois abre a boca para dizer algo.

  • Wilson Alano diz: 10 de março de 2012

    Qual o valor de privilegiar uma religião, em detrimento das outras? Ou devemos encher o judiciário (felizmente) laico com símbolos das diversas religiões?

    Além do mais, o cidadão Yeshua (vulgo jesus) teria morrido na cruz por insurgir-se contra a religião vigente e para defender os interesses dos SEUS (judeus). Sequer sabia da existência de nosso continente.

    Deixemos em paz o símbolo de sua morte, já ocorrida há 2.000 anos, ainda mais que sequer somos judeus (apesar do esforço romano para transformar-nos à todos em judeus honorários).

  • Camile diz: 10 de março de 2012

    quanta bobagem vinda de pseudo-intelectuais!!! Aprenderam a expressão estado laico e agora a utilizam para qualquer coisa… a resposta é: O estado é laico, devemos retirar os crucifixos hahaha Quanta gente idiota, bem coisinha de brasileiro querendo ser inteligente. Se o Estado é Laico, então como pode permitir que haja uma severa discriminação ao cristianismo e a quem o segue??? Retirar os símbolos que sempre la estiveram para nos mostrar como fomos talhados não é a melhor solução para começarmos a viver o Estado laico de direito!!! E digo mais,,, a justiça tem tantas e tantas, mas tantas coisas com que se preocupar… minha avó tem um processo que dura mais de 15 anos na justiça e eles se arrastam… se arrastam…. agora retirar os crucifixos foi questão de uma manifestação de um bando de meninas que querem ser menininhos e que se sentiam ofendidas…. mas está claro que só fizeram isso porque a igreja não permite que elas sejam assim,,, o estado laico permite também que a igreja não concorde com a prática das meninas… é ridículo esta decisão, é bem coisinha de dois grupos: brasileiros que se descobriram ateus e acham lindo, porque leram livros ou sei la o que de pseudo-intelectuais franceses, talvez?? hahahaha por favor!! Vão trabalhar para melhorar este país e deixem que os cristãos sejam cristãos, assim como permitimos que vocês professem fé nenhuma. Não concordamos, mas respeitamos. Que tal fazerem o mesmo????

  • CJB diz: 10 de março de 2012

    Porque tenho que conviver com homosexuais se sou hetero? Gostaria de solicitar a justica o banimento de toda a manifestacao homo nas cidades brasileira pois, afinal, elas ferem o direito daqueles que nao sao homos.Vamos banir todas as boates e paradas do orgulho gay no Brasil.Intolerancia gera intolerancia e democracia e a vontade da maioria e nao atitudes politicamente corretas e covardes.Acorda Brasil! Defenda as suas tradicoes culturais contra a intolerancia daqueles que nao as respeitamEssas lesbicas nao devem fazer turismo pois todos os paises do mundo exibem simbolos religisos em profusao.
    O Cristianismo e o principio formador da civilizacao ocidental e, dentro da tradicao de tolerancia ocidental, que se respeita os direitos dos homos.

  • Marize diz: 10 de março de 2012

    Toda a ação gera reação! Sou Católica, mas concordo com a retirada dos crucifixos, pois como já foi comentado, não existe só o catolicismo, o Estado é de todos e para todos, independete de credo , etnia, etc,etc…

  • DAN diz: 10 de março de 2012

    É LÓGICO QUE O PROFESSOR AI EM CIMA ESTÁ PRA LÁ DE CORRETO.
    O SER HUMANO ESTÁ CADA VEZ MAIS DISTANTE DE DEUS, E QUANDO UMA PESSOA SE AFASTA DE DEUS RESTA SÓ O ANIMAL. INFELISMENTE É NESTE MUNDO QUE VIVEMOS,ENTRE DEPRAVAÇÕES,ESTUPROS,ASSASSINATOS,ORGIAS,MATRICIDIOS,SUICIDIOS,QUE EM PESSOAL,POIS É DEUS FOI EMBORA E SOBROU ESTA MERDA CHAMADA SER HUMANO.

  • saul diz: 10 de março de 2012

    O nosso admiravel judiciário está condenando Cristo à morte e libertando Barrabas, é a verdadee repetindo, alguém tem dúvidas?????

  • og Oliveira diz: 10 de março de 2012

    Agora eu entendo porque mais da metade dos bacharéis em Direito é reprovado na prova da OAB. Se um professor de Direito não conseguiu aprender o significado da palavra laico é óbvio o que acontecerá com seus alunos…

  • jorge luiz borges diz: 10 de março de 2012

    rediculo pois o lugar de jesus nao é em lugar que muitas vezes o julgador faz injustiça lugar, e ainda fica exposto nas paredes dos forus o coitado que deu a vida pela humanidade e morreu injusto colocam sua imagem na justiça dos homens como se fossem o poder e que fizessem a plena justiça na terra jesus nao julgou niquém alias foi julgado pelos ignorantes entao tirem sua imagem da casa redicula que la só sai porcaria da boca do homens.

  • A.A. Silva diz: 10 de março de 2012

    Religião nunca trouxe coisa boa em lugar nenhum do mundo, em nenhuma época. Fomentou guerras, crueldades em todo canto do mundo. Jesus Cristo foi entregue aos Romanos pelo clero, com medo de perder o poder.As maiores vítimas das religiões são as mulheres, consideradas como pessoas de segunda classe em todas as religiões. Jesus Cristo amaldiçoou os Fariseus hipócritas que estavam rezando, sabem aonde? no templo. Também não quero falar dos ditos pastores evangélicos que vendem milagres diariamente na TV e no rádio, ou seja, usam um bem público – as concessões de rádio e TV – para ganhar dinheiro. Enfim se Jesus Cristo, Buda ou Maomé voltassem a terra hoje, com certeza passariam longe das igrejas. Não há nada de bom nelas.

  • Maria diz: 10 de março de 2012

    Está na hora de falar a respeito do péssimo serviço que o Judiciário Gaúcho vem prestando à sua população. E se autodenomina o melhor do Brasil. Os símbolos religiosos que eventualmente existem nas suas repartições foram lá colocados por iniciativa de algum servidor. A cruz nunca esteve associada a esse poder autoritário.

  • Carlos A diz: 10 de março de 2012

    Apesar de ser um texto longo, li-o por duas vezes. Não, este senhor deixou-se levar pela emoção. Se há um crucifixo, que nada me diz, deve haver uma David Magen e uma meia lua islâmica, além, principalmente, de símbolos do Candomblé (brasileiríssimo) e outros. Quanto ter vergonha de ser gaúcho, pela retirada do objeto, precisam estes cidadãos, urgentemente, ver o RS e o Brasil, lá de fora! Verão coisas que, aí sim, nos deixam atrás de tribos da Amazônia! Somos o melhor Estado da Federação, com certeza! Só que, o Governador precisa ouvir mais, seus concidadãos…

  • Carlos A diz: 10 de março de 2012

    RETORNEI só prá dizer que estamos a muito tempo vivendo na Barbárie do Magno Professor! Quantos mesmos foram mortos no ano passado? Cinquenta mil? Quase um Vietname… O texto, uma Falácia de Autoridade e os participantes, vieses diversos!

  • Lourenço diz: 10 de março de 2012

    Por sinal outro avanço que deveria ser realizado no país seria a retirada de TODOS os feriados religiosos que atualmente tem apenas um único objetivo COMÉRCIO, representaria aos reais trabalhadores uma revindicação salarial justa, mais trabalho mais salário.
    Quem sabe os religiosos católicos se preocupassem com a pedofilia que é realizada em indices alarmantes e que o alto clero insiste em fazer vistas grossas.
    Outra situação que deveria ser levantada é os privilégios FISCAIS que TODAS as igrejas e credos possuem, isso sim que deveria acabar.

  • Natalia Klanovicz – T24 diz: 10 de março de 2012

    Eu sou a favor da retirada dos crucifixos. Assim como a igreja não aceita o homossexualismo, tais pessoas não são obrigadas a aceitar a igreja, a qual demonstra total preconceito sobre certos assuntos. Aliás, quem começou toda a briga foi a igreja, que tem a mente fechada, e tal falo é confirmado pelo próprio escritor desse artigo. Mesmo tendo total direito de expressar sua opinião, houve bastante apelo e exageros no artigo pois ele fala como se agora tudo em relação ao catolicismo será retirado, sendo que a retirada dos crucifixos não passa de um protesto.

  • Marco Antonio diz: 10 de março de 2012

    Estudem ai e verão que a cruz nada mais é que um instrumento de tortura utilizado durante anos matando todos que eram contra as imposições da igreja… INSTRUMENTO DE TORTURA!!!!! estudem antes de falarem besteiras ok?

  • Arthur Moreira diz: 10 de março de 2012

    Estado laico, logo não pode haver representação de nenhum símbolo religioso em nenhuma repartição pública.

    Secularismo francês (em francês: laïcité – pronuncia-se [la.isite], em português: laicismo) é um conceito que denota a ausência de envolvimento religioso em assuntos governamentais, bem como ausência de envolvimento do governo nos assuntos religiosos.

    Eu não interfiro nos assuntos de seu meio religioso e vocês não interferem no funcionamento do estado. Qual parte do ideário acima vocês não conseguiram captar?

  • Tyler Durden diz: 10 de março de 2012

    Decisão muito acertada do Judiciário, pena que um pouco atrasada pois o Estado é laico desde 1899.

    Sou racionalista e por não haver capacidade científica atualmente de provar ou negar a existência da hipótese Deus, logo não coloco isso no plano de pensamento.

    O que estamos falando nesse momento é sobre o poder da Igreja em relação ao Estado, que deve ser totalmente extinto.

    Segundo o Evangelho de São Tomé, que não é reconhecido pela igreja católica por motivos óbvios, estas seriam as palavras do próprio Cristo: “77a. Jesus disse: Eu sou a luz que está acima deles todos. Eu sou o todo: o todo saiu de mim e o todo se reuniu a mim. 77b Rachai uma madeira: eu estou ali. Levantai uma pedra e me achareis”. Palavras claras que foram usadas no filme Stigmata de forma mais clara: “O reino de Deus está dentro de você e ao seu redor, não em prédios de madeira e pedra. Corte um pedaço de madeira e lá estarei, levante uma pedra e me encontrarás.”

    Logo, a Igreja de acordo com as próprias palavras de Jesus, é desnecessária.

  • MicaelaSuder24 diz: 10 de março de 2012

    Na minha opinião, ao invés deles tentarem retirar dos prédios da Justiça os crucifixos, deveriam impor mais leis para o nosso país tão cheio de violência e desonestidade. Se o governo parasse pra pensar em todos os brasileiros que passam fome, ou são vítimas de crueldade nas ruas ou tantas outras crueldades existentes, e tentasse fazer alguma coisa para mudar estariam sendo mais sensatos. O povo brasileiro se preocupa mais com a retirada dos crucifixos do que com o mundo em que vivemos.

  • Leandro Teixeira diz: 10 de março de 2012

    A maioria dos comentaristas atacou o autor ao invés de argumentar contra o que ele disse. Outros apenas gritam “o estado é laico”, “o estado é laico”, e no entanto não sabem o que significa.

    Boa parte não consegue entender opiniões contrárias às deles e acham que vencem pelo grito. Alguém disse que isto é resultado de anos de “petetização” e eu concordo. Ao entrar em um lugar que tenha crucifixos, alguém se converte? Então como o Estado pode impor uma religião?

    Outra coisa, quem disse que retirar todos os símbolos religiosos é sinal de neutralidade? Antes, parece-me uma posição bem forte a atitude de obrigar a retirada dos crucifixos; nada neutra. Crucifixos que bem poderiam ser obras de arte, ou outra coisa cultural qualquer. Mas o problema deve ser com tudo aquilo que o Cristianismo representa.

  • João Pedro diz: 10 de março de 2012

    Viva o Estado laico, com liberdade religiosa e individual. Achei corretíssima a retirada de crucifixos.

  • Sabrina diz: 10 de março de 2012

    Sério, tradição? É só esse o teu argumento contra a retirada dos crucifixos? Porque foi usado em loop nesse teu texto fraco e sem sentido. Se tu gostas tanto de tradições, siga-as na tua casa, mas deixe o Estado fora disso. A obrigação do Estado é ser eficiente e zelar pelo bem estar do povo (coisa que faz muito mal) e não impor “tradições” de uma parcela da população a todos.

  • Jeane diz: 11 de março de 2012

    Discordo do autor, pois penso que se o Estado é laico não deve favorecer nenhuma religião ou crença. O protesto por parte da Liga das Lésbicas é válido, pois se a Igreja não as aceita elas não tem dever de aceitar a Igreja ou conviver com um símbolo da mesma, o qual pode fazê-las sentir desfavorecidas diante da Justiça. O mundo de hoje não tem mais espaço para preconceitos como o de opção sexual, mas a Igreja tem costumes medievais e não aceita a mudança – seja ela boa ou ruim – em que estamos passando nos tempos atuais. Também penso que, para os cristãos ferrenhos, ter ou não ter um crucifixo na parede de um Tribunal não muda em nada a fé e a religião que eles tem. A mudança, ao meu ver, é para os que se sentiam incomodados com a presença do crucifixo, pois quem é cristão e gosta do símbolo vai continuar o usando em outros locais, e frequentando a Igreja …

  • Vitória 24 diz: 11 de março de 2012

    Não sou contra a retirada dos crucifixos nesses locais e nem em qualquer um outro que possa atrapalhar. Se a Igreja Católica também proíbe certos nela, esses ”certos” também tem direito de proibi-lá. Mas por outro lado, acho que o Deus é um só, e acredita quem quiser, mas uma estátua dele, que significa muito para nós, Cristãos, não interfere em nada, na minha opinião… mas há à quem encomodar, por exemplo, os homossexuais, se eles são assim é por opção, e não tem nada que diz respeito contra sobre isso na Bíblia, mesmo a Igreja Católica não os aceitando. Somos todos iguais, e o nosso Deus é único!

  • Valesca diz: 11 de março de 2012

    Não concordo e nem discordo da retirada dos símbolos religiosos dos prédios da Justiça, pois creio que quando se acredita em um Deus, nada interfere na sua crença. A cruz é, muitas vezes, vista como um objeto de decoração e se retirada, muitas pessoas nem vão sentir a diferença…

  • Helena diz: 11 de março de 2012

    O mito da democracia está no entendimento de que ela age de acordo com a “maioria”. No entanto, o ideal democrático está inserido no conceito de “igualdade” – e, portanto, não há democracia sem a justiça para todos. Todos e quaisquer cidadãos, sem exclusão.

    Há o discurso de que a maioria dos brasileiros é composta por católicos. Sem entrar novamente na questão do mito democrático, devemos ainda relembrar a construção desse conceito de “maioria católica”: ela foi construída sobre a opressão da cultura e da religiosidade de indígenas e negros, igualmente formadores da nossa sociedade. Ela não respeitou a nossa formação sócio-cultural e é um dos maiores símbolos da intolerância e de imposições nessa nossa formação.

    Portanto, se somos uma maioria católica, essa foi formada de forma vergonhosa, cruel e autoritária – e que “respeito” ou admiração deveríamos, hoje, ter a isso? Ou dever a isso, com o discurso de respeitar nossas práticas sociais, se houve um grave erro moral na formação dessas práticas?

    Depois, devemos ainda questionar essa noção de maioria católica. Ainda na formação da nossa sociedade, houve o sincretismo religioso… índios, e sobretudo negros, foram obrigados a esconder ou negar suas próprias divindades, transformando-as em ícones católicos para poderem continuar suas adorações. Então quando comunidades inteiras eram devotas de “São Jorge”, “Nossa Senhora”, “Santa Bárbara”, entre outros, começou-se aí a construção da chamada “maioria católica”, pois não eram considerados o que eram na prática social: devoções a Ogun, Iemanjá ou Oxum, Iansã e assim por diante.

    Outro ponto é que a chamada maioria católica é formada numericamente pelo número de batistérios. Na prática, isso significa que milhões de ateus, espíritas, umbandistas, evangélicos, etc, ainda aparecem computados como “católicos” – não respeitando as suas crenças e visões atuais, apenas considerando o batismo imposto pelos seus genitores. E ainda assim, dentre os que se mantiveram católicos, há os nem de longe praticantes – pois como disseram aqui, são os milhões os que consideram na teoria o catolicismo apenas como algo a ser assinalado quando o IBGE questiona… e na prática, no dia a dia, na realidade do seu cotidiano, os preceitos e dogmas do catolicismo passam bem longe de suas vidas.

    Mas isso tudo são meros “blablablas”, pois nem mesmo deveria estar sendo discutido quando nos referimos ao conceito de Estado Laico.

    Separação entre Igreja e Estado. É que deveríamos estar discutindo aqui.

    E como dizia a senadora uruguaia Monica Xavier, estado laico não pode continuar confundido “pecado” com “delito”. Se no mero respeito à laicidade do nosso estado, em pequenos atos como a devida retirada de todo e qualquer símbolo religioso dos órgãos estatais, o que diremos quando realmente começarmos a discutir leis que ainda enxergam como delitos o que deveriam ser somente visto como pecados – e por aqueles que particularmente nisso acreditam?

    A polêmica em torno da retirada dos crucifixos apenas comprova o quanto ainda estamos atrasados. E pensar que se não tivéssemos brigados contra isso no passado, hoje não teríamos incontáveis vidas salvas através de transplante de órgãos. E isso é apenas um exemplo.

  • Jaqueline Gaieski diz: 11 de março de 2012

    Concordo com a decisão da Justiça, pois o catolicismo não foi a única religião contribuinte para a identidade cultural do povo brasileiro.
    Vivemos numa democracia onde todos devem ter direitos iguais. Defender a permanência dos crucifixos é desprezar as demais religiões.
    A decisão não deveria afetar a vida de ninguém, afinal a verdadeira fé esta no que cada um acredita e não em um símbolo religioso.

  • Marcos 24 hehe diz: 11 de março de 2012

    acho que não influencia em nada, claro que católicos ” fanáticos ” não serão a favor, mas isso tem dois lados um deles é pessoas de outras religiões serem julgadas e verem o simbolo católico la. E outros afirmam que como no Brasil a religião que prevalece é a católica, isso não passa de um costume, eu não acho errado a remoção mas se continuasse la não influenciaria em nada pra mim.

  • Bruna Baesso diz: 11 de março de 2012

    Assim como a igreja Católica não aceita as lésbicas, não permite que estas comunguem, peçam perdão a Deus, enfim, não as aceita como Cristãs, elas não têm o porquê de aceitar o crucifixo, símbolo da igreja Católica, no seu local de trabalho, na sua casa, ou seja… Nada melhor do que a justiça e a igualdade! E também, se há o símbolo católico em uma sala judicial, deverá haver também os símbolos das demais religiões, para que cada um sinta-se bem e não se sinta “indiscriminado”.

  • Jhonatan diz: 11 de março de 2012

    Concordo com a retirada dos Crucifixos no Judiciario, Escolas, Hospitais, qualquer lugar que seja publico.. mas tambem nao sei até que ponto isso nao se torna uma bobagem!

  • Cláudio Fortes Carpes, (Policial, aposentado). diz: 11 de março de 2012

    Complementando:
    -Concordo com Maria Inês Froehlich. Se Deputados, Senadores,e demais (inclusive os que estão nos Municípios, que ainda não se flagraram disso) melhorarem a Segurança, iniciando com a vida digna de cada Policial, nós teremos uma nova Grécia por aqui!

  • Michele T24 diz: 11 de março de 2012

    De certa forma, acho que os crucifixos deveriam ser retirados, pelo fato de nem todos serem da mesma religião. Acredito que dentro deste assunto discutido, igualdade para todos. Se apenas tiver o símbolo da religião católica a mostra, temos a impressão de que apenas eles serão os protegidos, ou que apenas eles são os corretos. Além disso, se os crucifixos continuarem aonde estão e nada mudar, as outras religiões sentem-se ofendidas pelo fato de apenas a religião católica estar sendo ‘representada’, e, obviamente se os crucifixos forem retirados, a religião católica se sentirá ofendida. Mas apesar disso tudo, ainda penso que os crucifixos podem ser retirados, e cada religião seja representada no seu devido lugar.

  • José Agustoni diz: 12 de março de 2012

    A questão é muito simples:
    Por que as repartições públicas deveriam privilegiar o símbolo de apenas uma religião?
    Respondam essa, católicos.

    O crucifixo nem ao menos é unanimidade entre os cristãos.

  • Denise diz: 12 de março de 2012

    Concordo com a retirada dos crucifixos, pois nem todas as pessoas são da mesma religião e se tem o simbolo da religião católica nos judiciários, escolas e todas os lugares públicos também deveria ter das outras religiões para que com isso haja a igualdade para todos.

  • André Bresolin – T24 diz: 12 de março de 2012

    Sou católico e pra mim o símbolo estando lá ou não,não interfere em nada minha crença.Mas nesse caso creio que os homossexuais,por exemplo,tem o direito de reclamar ,pois se eles não podem frequentar a igreja como cristãos,se a igreja não aceita isso,porque eles aceitariam um símbolo católico dentro de um lugar onde é fundamental haver igualdade? Mesmo sendo católico acho que esses costumes arcaicos,medievais eu diria,deveriam mudar na visão da igreja e do catolicismo.

  • Viviane turmar 24 diz: 12 de março de 2012

    Não concordo com a opinião do professor , que por ensinar direito achei que não deveria ser tão implausível. Concordo com a retirada, até porque se a igreja não aceita homossexuais, lésbicas, etc. pregando a imagem de todos serem irmãos, filhos de Deus, por que somos todos obrigados a aceitá-la? Isso não é uma perseguição contra o catolicismo é apenas uma forma de protesto afim de estabelecer direitos iguais a todos os cidadão, e, o Brasil até por ser um país laico, mesmo sendo a católica a religião mais praticada, não deveria possuir apenas o crucifixo como símbolo. Sou a favor da retirada até em escolas. Cada um é livre para escolher em que e em quem quer acreditar.

  • Maria Ines Froehlich diz: 12 de março de 2012

    Credo che ci voglia un esorcista a tutti quelli che sono contrari al crocifisso.
    Ma, forse nel momento del bisogno, sarebbero disposti a percorrere migliaia di chilometri per venire alla città del Vaticano o magari a Lourdes in Francia.Forse appena per vantarsi che abbiano conosciuto due posti di pellegrinaggio in due splendidi paesi.
    Ma lasciati stare in pace il crocifisso una buona volta!Non smetterò mai di che, l’ignoranza è il peggiore handicap dell’essere umano.

  • Daniela T24 diz: 12 de março de 2012

    Eu acredito que eles fizeram a coisa certa tirando esse simbolo da igreja católica dos lugares públicos. Eu concordo com a igualdade entre todos, se não tem símbolos de outras religiões, não precisa ter da católica também. E o simbolo, é apenas um simbolo,o que mesmo vale é a crença da pessoa. Com a tirada dos crucifixos ninguém ficara ofendido, todas as religiões serão tratadas do mesmo jeito.

  • Karol – T24 diz: 12 de março de 2012

    Concordo com a retirada dos crucifixos. A Igreja diz que devemos aceitar a todos sem discriminação, mas é tudo da boca pra fora. Se alguém não lhe aceita não tem porque você aceitá-lo. Lembrando que isso nada tem a ver com aceitar ou não a Deus, mas sim as discriminações que a Igreja impõe na cabeça das pessoas. Cada um faz as suas próprias escolhas na vida, foi-se o tempo em que a Igreja ditava as leis. Deus não está em um objeto mas sim em cada um de nós.

  • Ju diz: 13 de março de 2012

    Tenho pavor desses católicos fanáticos, são completamente cegos e estúpidos. Enchem a boca pra falar de Deus e Jesus, e ao mesmo tempo esquecem do amor ao próximo. Disparam a sua ira e ódio à todos aqueles que lhe são diferentes. Não respeitam quem não segue a mesma cartilha. São preconceituosos e se acham os donos da verdade. Acham que minorias são seres inferiores, que não são dignos de nada.
    Sinceramente, se Jesus aqui estivesse jamai aprovaria este tipo de atitude.

    Antes de falarem em nome de Deus, olhem pros seus próprios umbigos, analisem seus próprios erros de conduta…

  • Antonio diz: 13 de março de 2012

    Oi “Ju”. Espero que volte para acompanhar os comentários. Mas meu comentário não é só para você.
    Por que você acha que nesse espaço se permite esse tipo de ofensa que fizeste? Você, assim como muitos, vem aqui falar de justiça e preconceito e para não variar, enrolam-se nas próprias pernas, cometendo aquilo que pensam defender: injustiça e preconceito. Acusam a Igreja Católica pela Inquisição, mas o que querem agora é a mesma coisa – mas sem a fogueira porque se acham muito bonzinhos – não é mesmo? São as mesmas pessoas que defendem as tartarugas, mas não vêem problema em defender o aborto. Muitos vem aqui tão somente para jogar pedras na Igreja Católica, mas eu desafio qualquer um de vocês a apresentar aqui, provas de que a Inquisição – só para citar UM exemplo – executou mais em 4 séculos do que o comunismo em 40 anos. Se não conhecem história, calem a boca ou estudem. A Igreja nunca disse que a Inquisição nunca existiu, mas querer usar esse pretexto para defender a retirada de crucifixos, façam-me um favor. Outro argumento esdrúxulo é esse de que a Igreja não admite as lésbicas, então isso lhes dá o direito de “defender seus direitos no judiciário”. A Igreja tem direitos e deveres: não concorda, fique no seu quadradinho! Acham que a Igreja é a casa da mãe-joana? Podem tudo? Não podem não! Agora, querem fazer o que bem entendem com seus rabinhos e suas perseguidinhas, façam, é de vocês. Só não enfiem goela abaixo dos demais que o seu estilo de vida é natural, porque não é! Se assim fosse, porque razão o homem também concebe? Porque uma mulher não fertiliza outra? Se isso não é natureza, então não sei o que é? Querem me explicar? Daqui a pouco vai aparecer a Liga Brasileira de Pedofilia exigindo fotos de criancinhas nas repartições e todo mundo vai aplaudir…. (ah, não… pedofilia não, né??? – acham que pedofilia é só coisa de padre, né?). Hipócritas, isso é que são. Querem me acusar de preconceituoso? Acusem, vocês também são, só que não admitem.

  • Itamar Maschio diz: 13 de março de 2012

    Senhor Antonio, então, pelo seu ponto de vista, o fato de regimes comunistas terem matado muita gente justifica e releva o fato da Igreja Católica Apostólica Romana ter matado seus opositores durante a Inquisição? Justifica a Igreja ter aceitado e acobertado a escravização e morte de índios e negros, alegando que estes não tinha almas e portanto nem era considerados humanos?
    Erros de uns não podem e não devem justificar os erros de outros.

  • Antonio diz: 13 de março de 2012

    Não, sr Itamar. É justamente esse o ponto de vista. Se um não justifica o outro, porque a relação? O sr é exatamente um dos que defendem a retirada dos crucifixos pelo que a “cruz” fez no passado. Então, se é esse o raciocínio, extermina-se com o catolicismo, não o crucifixo. Não quer que eu desenhe, não é? Podemos ser mais inteligentes do que isso. Mas se querem comparar, que se apresentem os fatos então como ele foram, não com “achismos”, ou sob a luz do preconceito. Acaso a Revolução Francesa não foi a “inquisição” da guilhotina? Acha que foi um movimento mais justo que a Inquisição da Igreja? Diga-me aí.

  • Itamar Maschio diz: 13 de março de 2012

    Meu caro Antonio, eu em momento nenhum estou tentando e nem pretendo justificar ou defender qualquer movimento que em nome de qualquer crença religiosa ou política tenham praticado qualquer abuso contra a humanidade. O que eu vejo é que a cruz foi usada como um símbolo da inquisição, onde muitos foram mortos por não acreditarem ou não aceitarem os dogmas da Igreja Católica, vejo a crus como o símbolo das “santas cruzadas”, onde outros tantos também morreram em nome da fé cristã.
    Sou totalmente contra também as mortes causadas por pseudo revoluções, assim com a Revolução Francesa. Sou contra a morte daqueles que se opuseram a Ditadura no Brasil e no mundo. Sou contra as mortes praticadas por regimes comunistas, fascista e nazista. Enfim, sou contra qualquer símbolo que remeta a morte injusta e cruel de opositores de uma idéia.
    E como não acho justo que tenhamos símbolos do nazismo, do comunismo e do fascismo nas repartições públicas, sou também contra a existência de qualquer outro símbolo religioso nestes espaços, sejam cristãos, muçulmanos, judaicos, orientais, ou de qualquer outra vertente religiosa.
    Não precisamos e Não queremos o fim do catolicismo, o que acredito que as crenças de cada um devem ser reservadas aos seus espaços e não em instituições públicas onde todos devem ser tratados da mesma forma.
    Como eu já escrevi em outro comentário, eu reafirmo ser católico, mas isso não me torna cego a ponto de não ver e admitir os desmando cometidos pela Igreja Católica e como acredito que todos são passíveis de obterem a redenção eu acredito e espero que um dia a Igreja Católica admita publicamente sua culpa no cartório.

  • Cláudio Fortes Carpes, (Policial, aposentado). diz: 13 de março de 2012

    O Ser Humano não é inteligente, assim dizia Simão! “O QUE É QUE FAZ A DROGA E OS VICIADOS”! Está na hora de surgir um novo MOISÉS, que desça pela natureza, com as Tábuas da Lei Divina, e destruir o “SEGUNDO BEZERRO DE OURO”; aqueles que não se flagraram, todas as outras Religiões foram criadas, apenas para “MANIFESTAÇÃO DO MÍSERO” interesse pessoal! O que vale, e ninguém muda isso, é o grande Senhor, que apenas possuia como material, a sua TÚNICA, e o ÚNICO representante de um DEUS verdadeiro. o RESTO, É ESSA PERDIÇÃO QUE ASSOLA O mUNDO! Ninguém muda A ESCRITURA SAGRADA! tem gente que só pensa em se arrumar! SÓ NÃO ENXERGA QUEM NÃO QUER!, OU SE FAZ DE CEGO!

  • Antonio diz: 13 de março de 2012

    Olha, sr Itamar. A discussão é sempre saudável e é disso que precisamos. Mas quero ainda insistir um pouco mais: a questão dos crucifixos em espaços públicos não pode justificar um debate sobre o catolicismo e seus “males”, se quiser ver assim. Só que foi exatamente isso que aconteceu, o que é temerário. Como a maioria das pessoas só pensa no que é politicamente correto, ninguém questiona o que é que a Liga das Lésbicas tem a ver com crucifixos em espaços públicos. Acaso elas foram eleitas para te representar? Nem a mim.
    **
    E assim vai ser, caro Itamar. Hoje o crucifixo, amanhã o catolicismo. Acha exagero? Nem tanto, basta ver suas próprias declarações: para o senhor, a cruz católica representa um mal tão grande, que não poupou de usar os principais argumentos “comuns”: inquisição, cruzadas, escravidão. Só parece ignorar (ou ter vergonha de mencionar, não o sei) que por essa mesma cruz, Cristo foi pendido injustamente e isso por si só, deveria servir de exemplo ao Judiciário, ainda que fosse para lembrar do juiz Pôncio Pilatos, que sabia da inocência mas preferiu “lavar as mãos”. Quem sabe não era por isso que o crucifixo estava lá? Ademais, o sr, como católico, deveria lembrar também quantos foram (E CONTINUAM SENDO) perseguidos por causa dessa mesma cruz. Já a sua opinião sobre a redenção para todos, sugiro que deixe a religião de lado, principalmente o catolicismo. Se todos vão mesmo se salvar, pra que religião?

  • Roberto diz: 13 de março de 2012

    Quanta agressividade? Aliás, esse espaço, destinado a troca de idéias, não é muito diferente da nossa sociedade atual.

    Que sociedade é esta que construímos? Onde está o amor? Onde está a paz?

    Há amor em nossos corações? Há amor nas nossas famílias, nas nossas comunidades, nos nossos ambientes de trabalho? E quanto à paz, o que podemos dizer?

    Cristo veio para nos revelar o amor do Pai para conosco e para nos salvar, através da sua morte na cruz. Nesse sentido, a cruz expressa o imenso amor de Cristo por nós.

    Quando de sua encarnação, Jesus, Deus vivo, ensinou-nos um NOVO mandamento: “Amarás teu próximo como a ti mesmo.” (Mt 22, 39), e que o amor ao próximo realiza-se através do perdão, da acolhida, da partilha, da caridade e da justiça.

    Convidou-nos a vivenciarmos, aqui na terra, a promessa do Reino dos Céus e nos trouxe paz: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração.”(Jo 14, 27).

    E qual foi, na época, nossa resposta?

    E qual tem sido hoje nossa resposta?

    Senhor Jesus Cristo, pela Sua dolorosa paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

    Quaresma, tempo de conversão.

  • Cláudio Fortes Carpes, (Policial, aposentado). diz: 13 de março de 2012

    E para finalizar, “Eu nasci há dez mil anos atrás, e não tem nada nesse Mundo que eu não saiba demais… grande Raul Seixas… ” retiradas de crucifixos não alteram os MILAGRES”! TODAS AS RELIGIÕES CHEGAM A DEUS! A ÚNICA ROTA! O resto, não fui eu que fiz…

  • Ana Paula t-24 diz: 16 de março de 2012

    Para mim nada interfere a prensença ou nao dos crucifixos nesse locais, acho que cada um deve seguir o que acredita sem se importar com um mero símbolo, por outro lado pense, se a liga das lésbicas ou outras religiões se sentem injustiçados ou desfavorecidos diante da justiça por um símbolo religioso o que católicos devotos ou não pensaram sobre essa decisao…

  • Tarcio diz: 19 de março de 2012

    não interfere a presença dos crucifixos, cada um acredita no que quiser.

  • Adriano diz: 20 de março de 2012

    Mesmo não interferindo pra mim em nada, concordo com a retirada dos crucifixos de todos os lugares que forem públicos para que tenha igualdade entre pessoas de diferentes religiões.

  • Vagner T24 ((: diz: 2 de abril de 2012

    Bom, eu sou católico, mas pra mim não vai interferir em nada isso, claro que tem os ” católicos fanáticos ” que não concordam, mas eu acho que não deveria ser mostrado em publico, porque nem todos acreditam em Deus ou são de outras religiões .

  • Eduardo T: 24 diz: 2 de abril de 2012

    Para min não mudaria nada mas acho que deveriam tirar os crucifixos em lugar que frequentam mais pessoas pois nem todos são da mesma religião, assim respeitando a religião de todos.

  • Regivaldo diz: 18 de junho de 2012

    É engraçado e vergonhoso ver pessoas que se intitulam católicas falando a favor de tal prática. Se você não acredita no que a tua religião prega, então está na hora de sair, pois quem não ajuda, não atrapalhe! Estamos vendo o mundo virar do avesso pela falta de fé e da necessidade de se ajudar o próximo, enquanto uma “merreca” da sociedade em busca de suas próprias paixões e prazeres lutam pelo tal estado “laico”. Por que ao invés da retirada dos crucifixos de lugares públicos, indicando o grande amor de Deus pelo seu povo, não retiramos as pessoas corruptas e inescrupulosas que diferente de Nosso Senhor que derramou seu próprio sangue em nosso favor, fazem o contrário sugando o “sangue” do povo brasileiro para favorecem a si mesmos? Cristãos de verdade devem concentrar seu “fogo crítico” às mazelas de nosso país, à falta de ética de nossos políticos e acima de tudo defender sempre o direito à vida! E que Deus tenha piedade daqueles que não sabem o que fazem.
    Paz e bem.

  • Antonio Marchini diz: 10 de novembro de 2012

    Que democracia é essa? Uma minoria quer a retirada dos crucifixos e a maioria tem que aceitar? Na constituição diz que o estado é laico, não diz que não podemos manifestar nossa religião em algum lugar. O diz? Que beneficio trouxe ao nosso povo tirar os crucifixos? Tais Juízes não tinham mais o que fazer? O estado é laico e nos o povo somos religiosos e não seria melhor a minoria respeitar a vontade da maioria? Vamos viver em paz, parem de criar casos inúteis. A maioria nem sabe o que quer dizer laico. É ou não é?

Envie seu Comentário