Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Artigo: Darwinismo às avessas

17 de julho de 2012 32

Daniele de Freitas dos Santos*

As capas dos jornais e sites cedem espaço para acontecimentos que chocam qualquer pessoa que ainda ostenta um pingo de humanidade dentro de si. Na última segunda-feira, dia 9, veio a público o mais novo capítulo da história que narra o fim dos valores morais: idosa era maltratada por filha adotiva de 11 anos em Santa Maria.
Prestes a alcançar os 70 anos, a senhora vivia em condições sub-humanas na região central do estado. A filha adotiva de – pasmem – apenas 11 anos mantinha a mãe em um sobrado sem alimentação e insatisfatórias condições de higiene. As informações dão conta que a criança teria se apropriado do dinheiro da aposentadoria da idosa para gastos pessoais, como roupas para ela e para as amigas. Enquanto a criança renovava o guarda-roupa, a idosa definhava na companhia de aparentes problemas psiquiátricos.
A assistente social que acompanhou o caso informou que o local onde a idosa vivia era insalubre, com muito lixo jogado pelo chão. A Brigada Militar só tomou conhecimento da situação após uma denúncia por telefone relatando o cárcere privado. A senhora recebeu atendimento médico e deve ser encaminhada para um lar de idosos. Já a menina foi recolhida pelo Conselho Tutelar e irá para um abrigo.
Eu não sei se pertenço a uma geração que, apesar de estar muito próxima da atual – afinal, são apenas oito anos de diferença – difere completamente em valores morais ou Darwin estava completamente equivocado e vivemos um verdadeiro retrocesso na escala “evolutiva” da humanidade. Perdoe-me o naturalista britânico, mas se o que vivemos é uma versão melhorada da anterior, eu preciso, definitivamente, nascer de novo.
Não é a toa que os Maias previram o fim do mundo para 2012. A cada dia, um novo caso de violência ainda mais perturbador e agressivo estampa as manchetes na imprensa brasileira. Uma completa inversão de valores se instalou nas estranhas da geração y, distorcendo todo e qualquer resquício de educação e bom senso. 
Atualmente, os maus tratos aos animais são vistos com mais misericórdia que o estupro de uma criança, a carga mais elevada de preocupação é depositada na garantia dos direitos humanos dos criminosos e não das vítimas, os pais são impedidos de exercerem suas funções dentro da estrutura familiar pela criação de leis absurdas que só protegem a impunidade. Perante a justiça, menor pode tudo, menos sofrer as consequências dos atos que cometeu, como se fosse a sociedade que representasse o perigo, não o infrator.
É visível que não se pode culpar apenas o Estado pelo caos que se tornou a juventude brasileira. Casos como esse não são uma realidade construída da noite para o dia, mas uma estrutura social arruinada ao longo dos anos. Jogada às traças, a educação brasileira enfrenta ruínas em todas as suas esferas: na família, na educação dos princípios dentro de casa, na desvalorização do professor, na falta de vagas nas escolas públicas, no descaso com o ensino, na conturbada relação entre aluno e professor.
Não sei exatamente o motivo, mas, por alguma razão, ainda fico muito impressionada com a velocidade exacerbada das mudanças. Evidentemente que as transformações são etapas naturais do processo de evolução dos seres vivos e assim tem sido desde os primórdios da humanidade – ou, pelo menos, desde que Charles Darwin publicou, em 1859, o livro “A origem das espécies”. Mas aí eu pergunto: a sociedade em que vivemos é, realmente, sinônima de evolução?
Se os crescentes casos de violência contra a mulher, homicídios dentro da própria família, estupros, assaltos e torturas – que mancham, diariamente, com sangue e tristeza os jornais – são o ápice da adaptação humana ao meio, e não uma completa transgressão aos mais irracionais instintos de sobrevivência em que impera a Lei da Selva, precisamos rever os nossos conceitos.

*Estudante

Comentários (32)

  • Marco Aurelio diz: 17 de julho de 2012

    Bom dia Daniele,
    Li duas vezes teu artigo; fiquei muito impressionado, positivamente claro. Artigo para ser publicado no jornal Zero Hora, se já não o foi. O tema da evolução renderia um bom debate ( prefiro as últimas teorias sobre a Ciência da Colaboração ), mas a sociedade brasileira caminha para o abismo a continuar este estado de coisas.
    Parabéns!!!!

  • og Oliveira diz: 17 de julho de 2012

    Detecto um potencial interessante nos seus pensamentos, mas percebo que ainda não tens compreensão clara do que seja a Teoria da Evolução e qual o seu escopo. O conhecimento tem nichos (bolhas, tribos…), as grandes comunidades tem retornos intelectuais com recursos muito limitados. Procure outras conexões e poderás obter respostas cientificas consistentes com as perguntas que colocaste… Vai ser divertido… :)

  • Jaqueline diz: 17 de julho de 2012

    Parabéns a Daniele pelo excelente texto, uma ótima visão do estado caótico da sociedade atual.

  • Israel TL diz: 17 de julho de 2012

    Em primeiro lugar, recomendo o livro “A Caixa Preta de Darwin”, onde o conceituado bioquímico Michael Behe prova que a hipóstese da evolução de Darwin é impossível de explicar a complexidade irredutível da vida.

    Quanto a violência crescente, isso deve-se a perda de valores morais e familiares, consequencia do liveralismo e relativismo em que vivemos.

    Hoje, cada um acredita no que quer. A consequencia é que um acha algo certo, outro errado, e ninguém pode falar nada sob pena de parecer retrógrado ou fundamentalista.

  • Cláudio Fortes Carpes, (Policial, aposentado). (Montenegro RS). diz: 17 de julho de 2012

    Não haverá aquele equilíbrio proposto! Muito não saiu do papel! As Leis Brasileiras não são seguidas por falta de Educação! O que está na Doutrina permanece! Participação é lorota! Falta uma aplicação da Pena Capital, após aprovação por PEC!

  • Israel TL diz: 17 de julho de 2012

    E mais: uma sociedade que não protege nem os indefesos bebês contra suas próprias mães assassinas, não conseguirá nunca frear a violência.
    Não há como aceitar a maior das atrocidades, e querer que as menores não aconteçam.

  • Delmar diz: 17 de julho de 2012

    Parabéns ! Concordo plenamente com tuas colocações, principalmente quando falas da inversão de valores. É o que mais tenho visto últimamente. Parabéns !

  • MMMarcos diz: 17 de julho de 2012

    A teoria de Darwin explica a evolução das espécies e não a evolução de uma sociedade, evolução de seus conceitos morais, etc..

  • Jesus Romário Corrêa diz: 17 de julho de 2012

    Logicamente que a culpa não é do Estado, mas do estado a que chegaram as coisas. Vivemos hoje em dia a política do “Coitadismo”, se há um crime, é por problema social. Se há um assalto em um local com “segurança”, a culpa é de quem é assaltado. Se alguém reage, passa a ser um criminoso. Nos vivemos na sociedade da palhaçada, onde o que interessa aos meios de comunicação é a audiência e o ser o apresentador em “primeira mão” e aos “nossos” políticos interessa são os votos.

  • rubens ciro diz: 17 de julho de 2012

    Depois que o homem evoluiu e inventou o alcool, o fumo e a droga: principalmente a mais popular pelo preço e ligou dinheiro a vivência ao egoismo , chegou ao ápice; tomando como exemplo talvez algum artista ou político, ou quem sabe apenas a inveja de ser tão igual aos outros, não importado o meio utilizado. Então sim estamos perto do sinal dos tempos! Como o homem agride a atureza, também se agride. A evolução foi muito rápida e violenta…

  • PauloDtarso diz: 17 de julho de 2012

    Chegara um dia que todos amendontrados chegarão a conclusão que darwim era apenas um homem descrente e cheio de fantasias, mas então será tarde para a humanidade e suas tentativas de ignorar a criação divina.

  • Roberto Copeti diz: 17 de julho de 2012

    Incrível é ainda existir pessoas contestando Darwin e a evolução.
    Michael Behe é famoso pelo seu argumento da complexidade irredutível, um conceito que alega que algumas estruturas são muito complexas no nível bioquímico para serem adequadamente explicadas como resultado de mecanismos evolucionários e, portanto, seriam o resultado de um design inteligente.
    As alegações sobre a complexidade irredutível de estruturas celulares são rejeitadas pela comunidade científica. O Department of Biological Sciences na Universidade de Lehigh publicou uma declaração oficial que diz “É nossa posição coletiva que o design inteligente não tem base científica, não foi testado experimentalmente, e não deve ser tratado como se fosse científico.”As idéias de Behe sobre o design inteligente tem sido rejeitadas pela comunidade científica e caracterizadas como pseudociência.Ninguém o leva a sério.
    Como podem notar, ainda temos primatas andando entre nós e, pior, apresentando aqui declarações públicas de sua própria ignorância…

  • Rafael diz: 17 de julho de 2012

    Comparação infeliz com a teoria da evolução.

  • Júlio César diz: 17 de julho de 2012

    O interessante artigo escrito por Daniele, focando os princípios evolucionistas de Charles Darwin, são o mote, simplesmente para que nos questionemos sobre o que acontece com o ser humano, sobre sua irracionalidade, sobre a inversão de valores tão bem colocado. Tenhamos em mente, isto sim, que Darwin apregoava a evolução física e adaptação dos seres vivos, não vislumbrou sua evolução moral, sua trajetória pelo TER, desenfreado e a qualquer custo, pela submissão das drogas lícitas e ilícitas que corrói a nossa doente sociedade.

  • airton diz: 17 de julho de 2012

    Ótimo artigo sobre comportamento da sociedade, mas o porque disso? Pode ser um assunto chato pra muitos, mas a inversão dos valores morais hoje, estão e ficarão pior, ora se tu falares em bíblia as pessoas caem de pau em cima de ti, falam que tu é crente e tapado e está por fora…mas esquecem que ela é como um espelho que mostra os defeitos das pessoas e que lendo-a vão corregi-los, e quem quer ser corregido hoje?…Aceitem ou não, é a solução ,leiam a bíblia !!, acreditem ela foi escrita muito, mas muiiito antes do livro de Darwin e ela fala desde a criação,passa principalmente pelos conceitos morais….um livro completo!!!

  • Edu Bralli diz: 17 de julho de 2012

    P/ PauloDtarso:

    Sabia que essa postagem ia chegar a opiniões como essa sua. Ignorância é uma m*.

  • Juarez Honorato Martins diz: 17 de julho de 2012

    A maioria dos comentarios são superficiais. Não procuram o PONTO. Darwin não publicou nada sobre o COMPORTAMENTO da sociedade. A criança passa 20 horas em casa, e 4 horas com o professor, e querem que o professor determine a forma de o aluno se comportar. Quem tem que fazer isto, SÃO OS PAIS, que por comodismo não o fazem. É mais cômodo deixar o filho vendo tv ou no game, do que obrigá-lo a estudar.

  • Juarez Honorato Martins diz: 17 de julho de 2012

    Quanto a um comentario defendendo a pena capital, digo o seguinte: A pena de morte não é um ato de punição, mas sim um ato de vingança. E aqueles que são religiosos sabem que quem tem direito a vida é Deus. Ato punitivo é aquele que mantem o criminoso segregado da sociedade por anos(conforme a pena aplicada e o crime cometido). O resto é conversa fiada.

  • Juarez Honorato Martins diz: 17 de julho de 2012

    Quanto a Behe, que foi citado, sua teoria nunca foi comprovada cientificamente. Ela não é aceita pelos cientistas. O que mais resultou da teoria de Behe foi que em seus bolsos entrou mais dinheiro com a venda de suas publicações equivocadas.

  • Pelé diz: 17 de julho de 2012

    Só discordo quanto ao “não se pode culpar apenas o Estado”, seguido de críticas ao sistema de educação deficitário do nosso país. Isto tambem é culpa – quase que exclusiva – do Estado. Quanto ao resto, concordo integralmente. Nossos valores morais estão completamente deturpados, graças as ideologias de esquerda que tomaram conta do nosso ensino e da nossa sociedade. Estas, que implantaram um conceito pós-moderno de moral subjetiva. Graças a isso, vivemos em constante perigo sob a presunção de que absolutamente todos os delinquentes são vítimas da sociedade que trabalha e sustenta todo este aparato da Social-democracia. Será que ninguem percebe que vidas estão sendo perdidas para fomentar o ego de partidários de ideologias furadas, que nada fizeram durante o curso da história senão matar e deixar morrer?

  • Paulo Bandarra diz: 17 de julho de 2012

    Seria adequado uma pessoa de idade e com “prováveis” problemas mentais adotar uma filha de 11 anos para resolver seus problemas de fim da vida? Onde estão os demais parentes? Seria de se esperar que ela fosse adulta o suficiente para dedicar a sua vida como uma governanta de uma casa de idosos? – “Olha, minha filha, eu de adotei para você resolver meus problemas, não para te cuidar.”

  • Luci Maciel diz: 17 de julho de 2012

    Daniele, talvez Darwin não tenha morrido, ele está dentro de você e de todos que comentaram este artigo. mas acho qua somos todos culpados pelo que está acontecendo, permitimos que fosse eleito um Presidente que disse, que ler é muito chato, dar uma palamada em um filho agora é crime, pagamos e ele não ofereceu educação, segurança e sáude e ainda nos deixou todo seu partido e alhados para nos roubar, e nós continuamos trabalhando e pagando para eles ditar as leis que obedecemos, ainda corremos o risco dele voltar em 2014. mas quem de nós terá coragem de candidatar-se para mudar tudo isso?.

  • Tiago José Fernandes diz: 17 de julho de 2012

    O MMMarcos fez a observação que eu faria,ou seja,a Teoria de Darwin “tenta” explicar a evolução das espécies e não a evolução duma sociedade.Ainda sim,o texto da Daniele não perde o mérito,principalmente por sua coragem em abordar um assunto ao qual a maioria dá as costas,pois vivemos sim, dias em que cada vez mais perde o homem a sua capacidade de preservação.

  • José Serrano Agustoni diz: 17 de julho de 2012

    Ao tentar analisar a violência da sociedade você questionou a Evolução e cometeu um erro muito comum, imaginar que Evolução seja um processo que só funciona numa direção, como se uma carroça só pudesse evoluir para um Fusca e esse para uma Ferrari. Evolução não é sinônimo de crescente complexidade e inteligência. Evolução é a prevalência do mais apto e isso pode significar, diminuir, simplificar, reduzir, uma Ferrari voltar a ser Fusca. Você não pode aplicar este conceito de Evolução neste complexo contexto social.

  • Cristiano diz: 18 de julho de 2012

    Daniele, seu texto é muito sincero e seu ponto de vista, me parece, honesto. Mas o caso tão particular da menina amoral nada tem a ver com Darwin. E a violência, infelizmente, esteve sempre inserida no contexto evolucionista das espécies, desde muito anos antes da civilização Maia. A evolução não é a obtenção de “uma versão melhorada”. Sugestão: leia também a “A expressão das emoções nos homens e animais”. Há muito o que questionar em Darwin, mas fique longe de teorias criacionistas. Um abraço e siga atenta, pois o mundo não acabará em 2012.

  • Ines diz: 18 de julho de 2012

    Nao me escandalizo ao ler ou ouvir episòdios de violencia ou mal tratamento pois,estes fazem parte da sociedade e,infelizmente nao escolhe classe social.
    Mas o que mais me escandaliza é a assistencia social que,com certeza nao conhecia a existencia desta pobre senhora e desta pré-adolescente.
    E,derrepente parte uma denùncia a qual deveria servir para melhorar a vida destas duas pessoas as quais considero vitimas de abandono por parte de parentes e o mesmo orgao de assistencia social.
    A pobre senhora (abandonada),deve ir para um asilo e a pré-adolescente (abandonada), deverà ir a outro asilo.Mas estas duas criaturas humanas nao possuem nenhum parente?E os pais biologicos desta garotinha?
    Tudo errado! E nao posso sequer criticar uma pré-adolescente mas, os parentes destas duas pobres pessoas abandonadas ao pròprio destino.
    Em relaçao a assistencia social? Deveriam monitorar tudo e todos para que isto nao aconteça mais.

  • Cristiane Becker diz: 18 de julho de 2012

    Olá Daniele,
    O primeiro ponto a comentar é que à evolução de Darwin, refere-se as espécies, e sobre o que você brilhantemente aborda aqui, trata-se de caráter, personalidade, educação, e nesse quesito a humanidade não tem evoluído infelizmente.
    E o grande problema que vislumbro são a total inexistência de valores nas famílias, o total abandono do seres em crescimento e formação, a educação é responsabilidade dos pais/responsáveis, e estes estão abandonando seus papéis, entregando seus filhos ao mundo e seja o que Deus quiser.
    Está mais do que na hora de direcionarmos nossos filhos, para que tenham um pensamento crítico, noção de espaço na sociedade, amor ao próximo, respeito e interesse pela vida. Mas isso é assunto para outro artigo.
    Parabéns por sua manifestação.

  • Roseleti dos Santos diz: 18 de julho de 2012

    O que está faltando é educação. Eu não acredito que, se o pai e a mãe passarem valores para seus filhos, eles irão crescer completamente insensíveis. Temos que parar de achar que um não, e uma palmada de alerta ou um castigo rigoroso, deixará esta criança revoltada e torná-la agressiva. Como fomos criados? O não sempre fez parte da minha vida, muitas coisas que meus colegas tinham eu também queria, mas não podia. Roupas da moda? O que era isso? Hoje, os animais tem mais valor que as crianças, as mães deixam os filhos com a empregada (as que podem ter uma) e levam o cão para passear. Se isso não fosse verdade, porque a violência impera também entre os mais abastados? Hora de parar e fazer o mea culpa!!!!!

  • Daniel diz: 18 de julho de 2012

    O texto tem um tom de critica muito peculiar, e isto é bom. Entretanto, o conceito de evolução, como proposto por Darwin e expandido por pesquisadores como Mayr e Dobzhansky, é completamente ignorado pela autora. O texto, com suas críticas muito pertinentes à sociedade, perde valor argumentativo devido a essa grave falha.

  • Roberto diz: 18 de julho de 2012

    A teoria da evolução de darwin nunca teve a ousadia de dizer que a evolução significa “melhoria”. Evolução significa mudança. Não existe o julgamento de melhor ou pior. É a “sobrevivência do mais apto”.
    Recomendo a leitura do livro original, antes de fazer confusão com a teoria evolucionista das ciências sociais. Foi uma verdadeira lambança.

  • Daniele diz: 18 de julho de 2012

    Agradeço todos os comentários, especialmente os que criticaram o texto. Na verdade, o que eu acredito que não ficou claro – e, certamente, por minha culpa – é que a intenção nunca foi esmiuçar a teoria de Darwin, que é infinitamente mais complexa e renderia muito mais que um artigo. Me apropriei, exclusivamente, da ideia que alimentamos ao longo do ensino fundamental e médio de que o ser humano precisa se adaptar ao meio para evoluir. Quando se fala em “evolução”, a primeira ideia que se passa pela cabeça é de melhoria. Ao vislumbrar a sociedade na qual vivemos, que está nessas condições por uma série de fatores – que já foram mencionados nos comentários acima -, não é possível aceitar que se adaptar, ou seja, “dançar conforme a música” seja um sinal evolutivo. Não nos dias de hoje. Meu objetivo nunca foi contestar a teoria de Darwin, mas mostrar que, se fôssemos analisá-la resumidamente, da forma simplificada que nos ensinaram na escola, ela seria perfeitamente irônica nos dias de hoje. Não sei se consegui tornar mais clara a minha proposta ao citá-lo no texto, mas, desde já, agradeço o tempo que cada um de vocês dedicou para comentar o artigo e me mostrar uma visão diferente sobre o tema. Muito obrigada!

  • José Serrano Agustoni diz: 18 de julho de 2012

    Daniele, eu entendo a tentativa de usar Darwin e a Evolução como uma analogia do problema da sociedade, mas se ao fazer isso você distorce o conceito científico, quem entende um pouco mais do assunto não consegue ficar calado.
    E continuando o esclarecimento, a teoria de Darwin não é “infinitamente mais complexa” (sic), pelo contrário, é bem simples. Seres vivos se reproduzem, a reprodução não produz cópias fiéis, as diferenças nas cópias (prole) podem dar alguma vantagem à nova geração, maior chance de sobrevivência que significa mais chance de se reproduzirem e gerar mais prole “modificada”.

    Quanto ao tema principal, a violência aumenta muito em função das grandes concentrações humanas em cidades. É algo natural, excesso de indivíduos por metro quadrado gera mais concorrência por recursos, mais conflito e violência.

Envie seu Comentário