Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Leitor-repórter: após discussão, motorista da carris abandona veículo em corredor de ônibus

18 de março de 2014 34

Moradora de Porto Alegre, a massoterapeuta Miriam Lima, relata uma situação vivida por seus pais ao utilizar o transporte público na manhã desta terça:
ônibus sem motorista
“Motorista da linha T7 da Carris abandona ônibus e passageiros no corredor da Avenida Protásio Alves esta manhã. Após discussão com passageiro(a), devido ao veículo estar lotado, o motorista do prefixo 0691 – da linha T7 da Carris, abandonou o veículo e os passageiros, causando transtorno ao trânsito já congestionado devido ao horário da manhã. Segundo os colegas do motorista, é a terceira vez nessa semana que ele faz isso”.

Contraponto
O que diz a Carris:
“Houve uma discussão com um passageiro nesta manhã na linha T7, na AV. Nilo Peçanha. O motorista então sentiu-se incapacitado de continuar a viagem devido o stress e entrou em contato com a empresa para ser substituído.
Todos os passageiros que estavam no veículo foram realocados para outro ônibus, sem a necessidade de pagar outra passagem. O motorista foi afastado temporariamente de suas funções e encaminhado à unidade Psicossocial da Carris para atendimento.

>>> Fez um registro curioso? Possui um problema sem resolução? Participe!

Comentários (34)

  • Márcio Rosa dos Santos diz: 18 de março de 2014

    Sou o motorista citado na reportagem e gostaria de esclarecer que não tive discussão alguma com passageiros,simplesmente tentei fazer meu trabalho e não consegui,estava mais de 20 minutos atrasado e com super lotação no veiculo,pouca visibilidade e pista escorregadia onde no corredor de ônibus velocidade é de 40km/h pessoas queriam que eu fosse mais rapido,tanto eu quanto a cobradora fomos ofendidos moralmente com palavras de baixo calão e ameaçados fisicamente,tudo que foi feito foi para a segurança das pessoas a bordo do coletivo sem intenção de prejudicar alguem,quanto a ser a terceira vez esta semana que isso acontece é uma mentira deslavada pois a semana começou ontem e isso não ocorreu. Quanto a empresa,não ocorreu afastamento algum,apos sair da mesma me dirigi a delegacia mais próxima e efetuei um boletim de ocorrência,relatando os acontecimentos,pois sou profissional e viso em primeiro lugar a segurança dos passageiros…… Gostaria que esse comentario fosse publicado junto a reportagem,pois muitos leitores não sabem a verdade e se baseiam no que é publicado

  • Jeferson Aguiar diz: 18 de março de 2014

    Isso reflete o descaso das empresas de transporte coletivo para com seus colaboradores, deixando de prestar atenção no cotidiano desta que é sem dúvida uma das profissões mais estressantes que existem, pois lidar com o povo não é facil, e a falta de atenção psicológica adequada a estes funcionários pode levar a futuras ” tragédias”. Grato

  • Cleber Oliveira diz: 18 de março de 2014

    Tem mais é que abandonar mesmo, as pessoas não respeitam os profissionais, se o ônibus atrasa a culpa é do motorista, mesmo as pessoas vendo que o trânsito ta virado num caos, se o ônibus ta lotado a culpa é da tripulação, todos tem que entender que aquele é o ambiente de trabalho do profissional, ele carrega vidas e é responsável pela segurança de todos, precisa estar tranquilo pra fazer seu trabalho, reclamem para os orgãos competentes, pro prefeito, não adianta atucanar o motorista. Alguém gostaria de ser desrespeitado no seu local de trabalho e depois manter a tranquilidade e seguir trabalhando como se nada tivesse acontecido?

  • Fabrízio Michelon diz: 18 de março de 2014

    Não uso o T7 com frequência, mas noto que é uma das transversais mais lotadas da Carris. No sentido NS pela manhã já chega lotado no Cristo Redentor. E o problema não me parece ser falta de horário.

    T5, T7 me parecem as transversais mais caóticas da cidade juntamente com o T1 no final da tarde.

    É muito congestionamento e veículos inadequados para a demanda destas linhas! A Carris precisa tomar providências em relação a isso.

  • reinaldo traini diz: 18 de março de 2014

    olha com o nível de stress abalado e com as vidas de passageiros nas mãos ele fez muito certo em abandonar o ônibus antes de causar um acidente

  • Leandro Mateus diz: 18 de março de 2014

    Motorista (caso seja ele mesmo) apareceu no site, deu sua versão. Justo. Melhor sair do coletivo do que provocar uma tragédia. E você aí que está pensando: “eu nunca sai do meu trabalho por causa do estresse”, vá dirigir um ônibus cheio de passageiros estressados, adicione obras e transito caótico, após isso, some mais salários baixos e pessoas te ofendendo. Agora julgue novamente. E o pior de tudo é ver “assalariados proletários” descendo críticas pesadas em trabalhador, és muele?

  • Daniel pereira Da Silva diz: 18 de março de 2014

    sempre que isto acontece eu lembro do fato ocorrido no rio de janeiro,onde devido a uma discussão o passageiro agrediu o motorista e o ônibus despencou do viaduto matando 7 pessoas,nós motoristas temos o direito de pegar o passageiro e largar em sua parada,não somos obrigados a ouvir desaforos e temos que pensar que o nosso trabalho é transportar vidas e se não estivermos 100% em condições é melhor não ir,parabéns ao meu colega.

  • Gilberto diz: 18 de março de 2014

    E a Carris mentindo e dando explicações como se fosse uma coisa normal.

  • Giacomo Cristiano da Silva diz: 18 de março de 2014

    A população se acha no direito de reclamar e ofender o motorista e esquece que o ambiente de trabalho dele “o trânsito” é uma bagunça e que ele passa todos os dias por isso, e quando ele se acha no direito de parar o seu trabalho os usuários o ofendem! Esse é o retrato mais claro que a população do Brasil é ignorante e sem cultura por que se ele causa um acidente vai ser crucificado da mesma maneira e vão chama-lo de imprudente ou negligente sem ter o mínimo de bom senso de ver que ele é um profissional e que está zelando pelas vidas que transporta.

  • Angel Velozz diz: 18 de março de 2014

    Parabéns ao motorista! Foi prudente zelando pelas vidas que carregava, o trânsito da cidade esta um caos mesmo, em dias de chuva ainda pior. Seria possível calcular quantas vidas por dia são transportadas por cada motorista, a importância deste trabalho para a cidade. Uma ascensorista tem uma carga horária de 6 horas diárias, não quanto é a de motoristas em Porto Alegre, mas imagino que o trabalho é muito mais perigoso e penoso ainda de altíssima responsabilidade. Este senhor teve coragem de sem condições de prosseguir agir como deveria, sou passageira e prefiro este a outro que possa colocar minha integridade em risco. Novamente parabéns!!!

  • Fábio Pereira diz: 18 de março de 2014

    Tá bom, então ele deveria continuar e causar um acidente? e depois ser manchete de “Motorista Irresponsável”, ta certo ele!!!
    Parabéns Motorista!

  • thais ene fagundes diz: 18 de março de 2014

    No dia 17 de março, ontem precisamente no T11 sentido Sul/Norte fiquei aguardando na parada da Av. CAVALHADA quase em frente a garagem da STS mais de 30min quando veio já estava lotado, o ônibus andou mais 3 paradas, na primeira parada depois da Av. Campos Velho não andou mais, tinha tanta gente dentro do ônibus que acabou quebrando, um transtorno enorme para os passageiros! A CARRIS é a pior companhia de transporte!

  • Diego Bandeira Machado diz: 18 de março de 2014

    Primeiramente, se o motorista for o Sr. Marcio Rosa e o relato dele for verídico, meus parabéns. Este trabalhador merece ser parabenizado pela atitude prudente e responsável que tomou. Atitude de coragem. Uma atitude como esta mostra como a cidade de Porto Alegre vive no passado, não se modernizou a ponto de tornar a vida dos moradores e cidadãos melhor. O trânsito de Porto Alegre está cada vez mais caótico. O custo do transporte coletivo aumenta, também, pela dificuldade de se deslocar, pois um veículo ligado e parado consome combustível também. É preciso pensar alternativas de transporte, diminuindo a tensão das pessoas que vivem na síndrome da pressa, e que devido a ansiedade atacam qualquer ser humano que se oponha ao seu desejo. Para esclarecer, sou usuário do transporte coletivo diariamente, percebo alguns motoristas mais irritados, mas penso que isso é natural da dificuldade da profissão. Apoio todos os trabalhadores do transporte coletivo, pois destinam as suas vidas para satisfazer a outras vidas, no caso em questão havia pelo menos 40 vidas.

  • Rodrigo diz: 18 de março de 2014

    Sr. Márcio Rosa dos Santos Você fez o correto, sou cobrador e todos os dias passamos, por situações assim, motivos adversos temos todos os dias, ai pergunto? Onde vivem os Porto-Alegrenses?? Em uma caverna? Porque, só pode vivemos e trabalhamos em uma cidade projetada para 1930, com obras e mais obras inacabadas, um trânsito onde qualquer um nos dias de hoje tem um carro, uma cidade que quando chove é possível nadar em muitas ruas, quebras de carros, etc… E o pior, nossos “Patrões” estão lixando-se para o usuário, já que sabem que de qualquer maneira, o dinheiro irá para eles, porque o usuário depende de nossos coletivos e de uma maneira ou outra irá se submeter a pegar o ônibus cheio ou vazio, pode adiar mas não deixará de viajar. Logo, sobra para nós tripulantes, que respondemos, por nós sendo que é visto o caus da “Imobilidade urbana”, pelos nossos “Patrões”, pelo Prefeito e pelo excelentíssimo Sr. Secretário de Transporte e Mobilidade Urbana Vanderlei Luís Cappellari. Boa Sorte a todos nós já que transportamos vidas e ao menor nível de Stress as consequências, podem ser muito PIORES do que um congestionamento por um coletivo abandonado, já que é melhor isso, do que corpos, velórios, e depois um julgamento sem poder defender-se.

  • Tiago diz: 18 de março de 2014

    Explique-se novamente Carris. Espero que o repórter que publicou essa notícia vá mais a fundo e esclareça tudo. Quem sabe falar pessoalmente com o motorista e com a acessoria de imprensa da carris? Absurdo! Parabéns ao motorista (se esta for mesmo a verdade).

  • volnei Monteiro diz: 18 de março de 2014

    A Carris como qualquer empresa jamais admitira qualquer coisa o negocio e negar a qualquer custo.
    Trabalhei la por 5 anos, fui colocado na reserva de pessoal por 5 meses de castigo por expor minha opiniao ao Gerente Operacional.
    Denunciei na Ouvidoria da Prefeitura, ( a carris e da uma empresa publica) ate hj, ja estou 5 anos fora da empresa e nao recebi nenhuma resposta. Denunciei no Ministerio do Trabalho, fui assediado moralmente,fui punido por um cc o Gerente Operacional da epoca, essa empresa nao vai pra frente por causa desses AVENTUREIROS INDICADOS POLITICOS(ccs) que ficam por la uma temporada e so fazem besteira, depois saem e vao pra outro dep. publico e continuam fazendo besteiras nao ha punicoes e estao pouco se lixando para os trabalhadores e a sociedade, POIS SE JULGAM ACIMA DISSO.

  • Luis Silva diz: 18 de março de 2014

    Dou o maior apoio ao gesto do motorista. Não cabe à tripulação a culpa pelo transito difícil e inseguro, pela escassez de horários nas linhas; pelas condições dos veículos, pela superlotação em alguns horários. O motorista é pressionado pelo fato de que, não pode recusar embarque de ninguém que esteja em parada de ônibus, não importa quão lotado já esteja o carro. E as pessoas forçam a entrada e depois se sentem injuriadas pelas condições da viagem. Para esses, com pressa e desejo de conforto, uma sugestão: saia mais cedo de casa. Por fim: encontramos tripulações hostis ou desligadas? Sim, encontramos, mas em qual profissão eles não existem. Se você foi mal tratado, ligue para a empresa, para a EPTC, para a RBS, Band, TVE, Farroupilha ou até para a Caiçara. Mas respeite quem o/a está conduzindo nas viagens de busão. A resistência deles tem limites. Como a de todos.

  • Maria Terezinha G. de Souza diz: 18 de março de 2014

    A que ponto esse motorista está chegando no seu nível emocional.Precisa de um apoio psicológico porque lidar com pessoas não é nada fácil.a pressão é grande e ele provavelmente, vem somatizando todo esse estresse.Necessita urgente de profissionais que o ajudem a lidar com esse estresse, antes que desenvolva uma depressão profunda, um derrame, etc.O abandonar o ônibus é porque não está aguentando!!

  • Marina diz: 19 de março de 2014

    Eu gostaria de parabenizar o motorista pela atitude precavida, e lamentar o fato de o Clicrbs ter exposto somente a explicação da empresa, e não a do funcionário (que se manifestou nos comentários – o que já poderia ter sido agregado à matéria). Já sobre a fala do motorista de que não foi afastado, acredito que o ideal a ser feito seria, sim, o motorista ser “afastado temporariamente de suas funções e encaminhado à unidade Psicossocial da Carris para atendimento”, além, é claro, de a empresa rever procedimentos e investimentos a fim de evitar a superlotação.

  • Jaqueline Americo diz: 19 de março de 2014

    Marcio Rosa dos Santos, você esta 100% correto com sua atitude , MEUS PARABÉNS
    ” Se você é um profissional,seja de qual for a área.seja honesto e verdadeiro;porque essa é a melhor maneira de fazer o mundo melhor “” e você Marcio foi corretíssimo.
    Te desejo tudo de bom nesta vida.,
    Beijos

  • Tais Jardim diz: 19 de março de 2014

    Só mais uma prova de que a imprensa manioula tudo, aumentando e tentando sempre difamar o trabalhador, meu pai é motorista e eu sei o quanto esses homens e mulheres sofrem . Os passageiros que deveria ficar a favor dos colaboradores Por que sem eles uma empresa não funciona ficam ameassando e fazendo esse tipo de coisa. E a imprensa vai e conta uma coisa totalmente diferente do fato ocorrido.

  • Tais Jardim diz: 19 de março de 2014

    Manipulá*

  • gustavo altafini gomes diz: 19 de março de 2014

    Parabens Marcio pela sabedoria de sua atitude.
    Demostrastes que eres um profissional de verdade.

  • Diego Pereira diz: 19 de março de 2014

    Márcio Rosa dos Santos, tu tens toda minha solidariedade.

  • Eduardo S. Ricardo diz: 19 de março de 2014

    Vou dar uma sugestão, ZERO HORA/RBS, pegue uma câmera, de pequeno porte, e entre em um T6 sentido norte sul( ou escolha qualquer linha nesse horário), por volta das 7h e tire suas próprias conclusões, vejam pelas situações em que tanto MOTORISTAS/COBRADORES/PASSAGEIROS enfrentam todos os dias e avaliem de quem é a culpa da pouca vergonha que é o nosso transporte público.PASSAGEIRO, que tem que chegar ao trabalho e tem que embarcar em um ônibus lotado após esperar 10,15,20min.Mas veja bem, o motorista e o cobrador que apareceram ali, atrasados, em 99,99% não são os culpados por estarem atrasados, e estão ali, ao invés de serem ofendidos, humilhados deveriam serem educadamente recebidos com gratidão. O passageiro (egoísta) que já esta dentro do ônibus e fala ao berros ofendendo cobrador e motorista, dizendo para que nem pare nas paradas (claro, esse já esta ali dentro, os outros que se danem)MOTORISTA E COBRADOR que são os representantes daquela empresa que esta ali prestando o serviço, que são humilhados, ofendidos, desrespeitado. PENSE UM POUCO, enquanto as autoridades que deveriam ser responsáveis por isso estão “NEM AI”Os empresários estão enchendo o bolso.O governo não faz nada para mudar, deve estar ganhando junto, se beneficiando de alguma forma.PENSE UM POUCO 2 as eleições estão ai então pense bem ao dar seu voto, se não, infelizmente a tendência é ficar pior que já esta, se é que é possível piorar!!!!! VEJAM BEM ISSO TUDO ACONTECE NO INICIO DO DIA, imaginem como fica a cabeça de um profissional RODOVIÁRIO ao chegar no final de sua jornada de trabalho.Mude toda essa realidade, reclame, ligue, todos os dias se necessário, mas pertube quem realmente é responsável por isso.LIGUE para EPTC, ligue, para a empresa responsável pela linha em que você é usuário (a).

  • Patricia Passos diz: 19 de março de 2014

    Imagina que esse doido abandona um ônibus lotado, com certeza não é capaz de lidar com a situação, nunca vi na minha vida o motorista abandonar um ônibus com passageiros, não tem desculpa, não tem competência pra carregar pessoas de jeito nenhum , imagina se está criatura fosse um piloto, se atirava do avião também???? não saberia resolver as coisas com sabedoria, não dá para acreditar nisso, o povo perdido esse, imagina se ele bate esse ônibus lotado porque está extressado e com pouca visibilidade em plena manhã, me desculpe mas não é motorista, não é nada mesmo, indguinada.

  • Mauricio Oslaj diz: 19 de março de 2014

    Concordo plenamente com o motorista…

    Pego essa linha todo o dia e é sempre um caos… culpada é a Carris que não providencia mais ônibus para horários de pico… motoristas e cobradores estão apenas trabalhando… mas o que causa stress eh sempre 2 ou 3 que implicam (presencio isso todo o dia) e é lamentável… já vi ameaças, xingões e imaginem isso … mais de 50 pessoas dentro de um ônibus e quem é o responsável? o motorista…

    Parabéns pela ação tomada…

  • Fernando Siviero diz: 20 de março de 2014

    Patricia Passos…. muito facil vc ai no pc dizer que está “indguinada” (nem sabe escrever esta palavra corretamente…) pois bem… Vc chegou a ler os outros posts???? Pois é.. . Eu lhe convido a fazer minha carga horaria do meu lado (juro que pago sua passagem!!!) Porque talvez assim, vc mude sua opinião…. Querida, vc só pode estar no mundo da lua!!! Como um profissional seguirá viagem estressado???? Pode colocar em risco você
    mesma ou um parente seu…. Ta certo o meu colega!!!! No meu caso por exemplo… faço o maximo pra cumprir os horarios previstos, mas não dá…. ao inves de reclamarem em massa para a eptc para que deem mais tempo de viagem, não…. a comodidade faz com que reclamem ao motora e cobrador que se esmeram pra cumprir horario….

  • Marina diz: 20 de março de 2014

    Patricia Passos, pelo que li rapidamente tu foste a única contra a atitude do motorista, mas tu mesma te contradisseste, pois primeiro fala: “Imagina que esse doido abandona um ônibus lotado” (sic.), indignada por ele ter abandonado o ônibus lotado, e depois segue: “imagina se ele bate esse ônibus lotado porque está extressado” (sic.), ou seja, melhor abandonar o ônibus ou ser negligente e causar um acidente com graves consequências? Todo mundo tem seu próprio limite, ninguém está livre de ficar estressado ou com algum problema psicológico em algum momento da vida, nem tu, portanto não julgue alguém cujas condições de trabalho tu desconheces (porque uma coisa é andar em um ônibus como passageiro, outra coisa é conduzi-lo sabe-se lá quantas horas por dia, neste trânsito caótico, diante de uma multidão de usuários enfurecidos pelas péssimas condições do transporte e ainda estando sujeitando a sofrer assaltos a qualquer momento). E antes de comparar um motorista de ônibus a um motorista de avião, pense nas diferenças das condições de trabalho de cada um deles, de salários, na forma como cada um é tratado pelos passageiros, na forma como cada um é tratado por seus empregadores… Concordo que sejam níveis de responsabilidade parecidos, mas na prática a tua comparação se torna inoportuna porque são mundos completamente diferentes, o que se vê com facilidade analisando o prestígio e o reconhecimento que cada uma dessas profissões possui (o que, é claro, configura mais uma das inúmeras discriminações que a gente observa por aí).

  • Aline Kines diz: 20 de março de 2014

    Ô Patricia Passos vai aprender a escrever (extressado não é com “x”) antes de vim falar o que não sabe. Temos uma lista com comentários de pessoas coerentes e bem informadas elogiando a conduta do profissional e somente tu vem esculhambar. Que sabes tu sobre esta profissão???? Nadaaaaaaa.
    Procura te informar antes de tecer de resolver se manifestar e dizer um monte de m…. em rede social.
    Ah! Outra coisa, existem muitas diferenças entre um piloto e um motorista de ônibus…algumas delas são que no céu não tem um trânsito caótico, não tem obras inacabadas, os pilotos certamente não são tão mal remunerados quanto os motoristas e o melhor de tudo não tem gente mal educada que nem tu.
    Vai ler um pouco que tu ganha mais, quem sabe assim aprende a escrever direito.

  • Felipe diz: 20 de março de 2014

    Parabéns pela resposta Marina! Eu como motorista de ônibus iria responder, mas tuas palavras foram exatamente na medida do esclarecimento. Eu “Sou” motorista da linha T7, estou há 2 anos afastado por estresse, simplesmente surtei! Não chegou a acontecer como o colega da reportagem, mas passei por diversas situações parecidas e em uma delas aguentei a viagem ate o final por causa de muitos passageiros terem visto o quanto eu fui ofendido e insultado por uma passageira descontente com o modelo do ônibus, pode isso? Como se eu fosse o responsável por ter que dirigir um veiculo velho, lento e com ar estragado… Mas enfim, procurei ajuda psicológica quando eu nao aguentava mais, quando na hora de ir para trabalho eu começava a suar frio, ter dor de estômago, me tremer todo de ansiedade e a cabeça que simplesmente nao conseguia processar nada, eu nao vivia, eu nao tinha paciência com meu filho nem com minha esposa, eu estava brigando com colegas e com passageiros inclusive. Eh difícil falar sobre isso, porque eu nao queria estar nessa situação, mas acontecem tantas coisas diárias como o Sr. Fernando Siviero relatou, onde nao há explicação do porque as pessoas agirem assim! Não eh falta de vontade do motorista ou cobrador gente, nao eh falta de horário de ônibus também! Nos horários de pico eh normal ver 2-3-4, T1,T3,T7… andando juntos, sai ônibus em intervalos contínuos, mas o transito nao oferece condições de tráfego, e muitas vezes o pessoal quer subir de qualquer jeito, mesmo você falando que tem outro da mesma linha dois veículos atrás do seu no corredor, e você ainda avisa que ele vai passar por você, por que você já esta superlotado e ele talvez nao, quando o T7 sai do corredor da protrasio as vezes na Lucas de oliveira já eh ultrapassado pelo veiculo do horário de trás. Existem sim péssimos profissionais que nao estão nem ai para a população, que querem ser espertos e nao ligam nem para os colegas, mas esses são minoria garanto! Eu e meu cobrador passamos por varias situações onde fomos ofendidos por simplesmente estarmos fazendo o correto, muitas vezes sem nem irmos ao banheiro ou beber agua no fim da linha pensando que tinha gente na parada esperando a muito tempo já o ônibus por causa da cidade estar totalmente parada. Gente, eh a EPTC quem faz os horários e determina qual modelo de ônibus vai estar em qual linha. E o povo já mostrou a a força que tem e pode e deve reclamar, mas entendam que nenhum motorista e cobrador gostam de andar com ônibus superlotados e sucateados, nao ganhamos nada a mais por isso, somente mais dor de cabeça e reclamações, nao temos culpa do transito, nao podemos negar embarque porque a mesma EPTC que nao tem bom senso e nao melhora nada, multa a gente se nao pararmos em TODAS as paradas que formos solicitados, a própria LEI do transporte publico eh controversa pois ela diz que nao podemos andar superlotados (passível de multa) e nao podemos negar embarque (também da multa!), então tem de haver coerência em tudo, na integração de passageiros-tripulação onde houver respeito vai haver vitoria de ambas as partes. Parabéns pelos comentários de tantos outros que vi aqui acima, ver tanto comentário construtivo assim me faz ver que ainda há sim motivos para pensar na melhoria e qualidade de um serviço tão essencial para toda a população. Abraços.

  • Fabrízio Michelon diz: 20 de março de 2014

    Felipe, no T7 sentido NS pela manhã não tem como fazer esse esquema porque todos chegam cheio no Cristo e quando tu depende só do T1 (há locais que o T1D deixa muito longe). E nessas situações tem motoristas que quando estão com o carro vazio não param na parada enquanto o carro lotado para normalmente. Tem passageiro que sabe como proceder nessas situações, mas o motorista que tá com o carro vazio muitas vezes não para. Isso é comum no 520 e no T1.

    É culpa dos motoristas também!

  • continue diz: 3 de abril de 2014

    continue…

    She was wearing the bracelet that I made for her, and that made me feel like one hundred dollars. Also, decide how many times you want to try tease and denial each week….

  • ELVIO diz: 10 de outubro de 2014

    Eu tive, recentemente, um problema com um motorista da Carris que abalroou meu veículo, por isso estou lendo essas mensagens. Fica bem visível, nos comentários acima, o espírito corporativista dos rodoviários. O espírito de classe exacerbado é pernicioso a qualquer categoria, pois leva a distorções no entendimento dos fatos. Os usuários e a empresa ficaram na condição de vilões.

Envie seu Comentário