Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Comentários da página do leitor desta quinta-feira (16/04)

16 de abril de 2015 0

AJUSTE FISCAL
A raiz de todo problema com ajuste fiscal está na palavra “vantagens”. Cada governo, para fazer um agrado, cria um tipo de vantagem, seja na área trabalhista ou no serviço público. Depois, quando o acúmulo de vantagens e benefícios vira uma bola de neve, não conseguem mais estancar. Daí vêm o “direito adquirido”, a briga política daquele que criou aquele tipo de benefício, o ano eleitoral, em que ninguém tem coragem e vergonha para mudar alguma coisa etc. Governantes: ética, moral e responsabilidade devem vir em primeiro lugar.
Flavio da Rosa
Bancário aposentado – São Leopoldo

TRENSURB
A notícia veiculada em Zero Hora sobre o descarrilamento de um dos novos trens adquiridos pela Trensurb nos remete para uma realidade já vivenciada neste Estado e no país. A empresa vem sendo ardilosamente sucateada pelos gestores e administradores públicos, como já feito anteriormente com o modal ferroviário. Os sucessivos governos, militares e civis, ao longo dos anos, de forma orquestrada e planejada, sucatearam e levaram ao desmonte as ferrovias brasileiras, levando-as à privatização, sob o argumento de mais investimentos, modernidade e recuperação total dos ramais e do patrimônio, o que jamais ocorreu.
Ricardo Reischak
Advogado – Porto Alegre

TERCEIRIZAÇÃO
Incrível como a Justiça do Trabalho se expõe ao ridículo defendendo posições de atraso quanto ao avanço das relações de trabalho entre patrões e empregados. Terceirização existe em todos os países do mundo e aqui avança talvez não da melhor maneira porque não se atualiza a velha e ultrapassada CLT.
Orli Fernandes Pfeiff
Empresário – Porto Alegre
Sobre ZH

Registro o alto nível dos comentaristas de Zero Hora. Para citar alguns, que transitam com coerência no conturbado e lamacento terreno político: Moisés Mendes e Luis Fernando Verissimo. Estes vêm dando a ZH o rumo de um jornal imparcial. Em especial, parabenizo Moisés, que transita com equilíbrio onde outros se perdem pelo sectarismo e pelo interesse pessoal ou partidário.
Em outra praia, Mário e Diana Corso nos brindam com brilhantes artigos, pondo às claras a psicologia do povo brasileiro.
Sérgio Felipe Zirbes
Professor aposentado – Porto Alegre

O jornalista Juliano Rodrigues, no artigo “Pelo fim dos flanelinhas” (ZH, 14/4, página 22), colocou o dedo na ferida e “acertou na mosca”: a extorsão praticada pelos flanelinhas é vergonhosa e inaceitável. Essa regulamentação “fajuta”, implantada em Porto Alegre, se mostra inútil pela falta de legitimidade e de fiscalização. Assim, a solução é, de fato, a proibição pura e simples dessa atividade. Nessa questão, o repórter representa não apenas a mim, mas também os milhares de cidadãos diariamente espoliados por pessoas inescrupulosas.
Clovis José Formolo
Aposentado – Porto Alegre

David Coimbra foi muito feliz na coluna publicada na ZH de terça-feira (“O melhor que foi feito foi o pior”, página 39). Lúcida e precisa sua abordagem sobre o que foi e o que poderia ter sido o projeto educacional dos últimos governos. Sem dúvida, as crianças são a melhor matéria-prima que temos à disposição para a construção de um grande país. Infelizmente, a obra apresentada apenas intensifica as diferenças sociais. Um ensino de qualidade e igualitário seria a solução para boa parte dos problemas que nos afligem.
Maria Angélica L. Gomes dos Santos
Dona de casa – Porto Alegre

Envie seu Comentário