Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Golfinho devolvido ao mar em Tramandaí

20 de janeiro de 2015 0

Em Tramandaí Sul, a publicitária Cristiane Gerhard, 36 anos, avistou um filhote de golfinho à beira-mar. Ela procurou um salva-vidas para socorrer o animal.

– Assim que chamamos o salva-vidas, ele foi de imediato socorrer o golfinho, devolvendo-o para a água – relata a moradora de Sapiranga.

foto 3

O que diz o especialista

Segundo o professor adjunto do Departamento de Zoologia da UFRGS Ignacio Benites Moreno, o filhote de golfinho encontrado é uma toninha (pontoporia blainvillei). Segundo ele, essa espécie é ameaçada de extinção na América do Sul. O biólogo diz que os filhotes da espécie, em algumas ocasiões, acabam perdendo-se da mãe.

– É possível que essa toninha tenha se perdido tanto pela morte de sua mãe quanto pela inexperiência da mesma, caso tenha sido seu primeiro filhote – explica.

Há em todo o Estado cerca de 10 mil golfinhos desse tipo e cerca de mil morrem por ano devido à poluição dos mares ou por serem capturados nas redes de pesca.

Confira os comentários dos leitores de hoje em ZH

19 de janeiro de 2015 0

Confira na íntegra os comentários dos leitores publicados na página 4 da Zero Hora de hoje.
Brasileiro na Indonésia
Comovente a situação do brasileiro condenado à morte na Indonésia por tráfico de drogas. A situação mobilizou países, instituições, organizações de direitos humanos, e houve até pedido de ajuda ao Papa, para que evitasse sua execução. Longe dos holofotes, porém, milhares de pessoas morrem todos os dias, são internadas em clínicas, famílias inteiras são destruídas, vítimas das drogas.
Sem entrar na polêmica da eficiência ou não da pena de morte, se é justa ou não essa pena à luz de doutrinas religiosas ou filosóficas, o momento pode ser oportuno também, para refletir se seria possível utilizar essa grande energia e força mobilizante para salvar as vítimas
do tráfico.
Ricardo Calil Fonseca
Advogado – Itaberaí (GO)

Embora a presidente Dilma tenha tentado evitar a morte do brasileiro, o presidente da Indonésia foi irredutível. Lamentável, pois não é tirando a vida das pessoas que vai se resolver os problemas do mundo. Parabéns a nossa presidente, o Brasil deveria cortar relações com esse país.
odilon sater de melo
Aposentado – Porto Alegre

Tirando o lado humano do episódio, já que é muito triste ver alguém ser executado, por que o governo brasileiro teve que apelar oficialmente ao governo da Indonésia para que o brasileiro condenado por tráfico de drogas naquele país não seja fuzilado, se lá a lei prevê essa pena para qualquer pessoa que cometa esse tipo de crime, não apenas os brasileiros? Lá, o jeitinho não cola. Não tem juiz bonzinho ou que aceite pressão política. É a maneira que a Indonésia achou para combater essa praga das drogas.
Aqui, não temos a pena de morte, mas uma pena de prisão perpétua, sem chance de ser revogada, seria uma boa medida para esse tipo de crime e, também, para o crime de corrupção.
Ronaldo Gomes Ferraz
Engenheiro – Rio de Janeiro (RJ)

 

Segurança Pública
Gostaria de acrescentar que nada resolve colocar mais policiais nas ruas, construir mais presídios, fazer operações gigantescas para prender e coibir os delitos que emanam nossa cidade e país se não investirmos em educação. Nossas crianças de hoje estão indo à escola para serem educadas e ensinadas quando sabemos que educação vem de berço, de casa, com uma família bem estruturada, para que elas possam saber respeitar as pessoas como seres humanos, a respeitar as leis e serem disciplinadas. Só assim garantiremos uma sociedade mais justa e com menos violência.
Ricardo Aguirre Coelho
Aposentado – Porto Alegre

 

Auxílio-Moradia
A respeito da manifestação do presidente de comunicação do TJRS, desembargador Túlio Martins, justificando o deferimento de liminar que mantém o pagamento do auxílio-moradia: “Não se pode desconsiderar a Constituição cada vez que existe uma crise. A desembargadora não faz um juízo econômico-financeiro, faz um juízo da legalidade da norma.”
Alguns pontos a serem considerados: a observância à Constituição deve ser aplicada aos vencimentos e salários de todos os trabalhadores, independentemente de crise? O juízo da legalidade da norma não deve obstaculizar o juízo econômico-financeiro? Ou a aplicação de tais “assertivas” abrangem só aqueles que são mais iguais perante a lei?
Katia Teresinha Monaco Teixeira Lara
Funcionária pública – Porto Alegre

Lava-Jato
Retaliação? As empresas citadas na Operação Lava-Jato já demitiram ao menos 12 mil trabalhadores. Isso é só mais uma “pequena” amostra do efeito dominó desse escândalo da Petrobras, que trará ainda consequências inimagináveis. É só esperar para ver?
José Marques
Aposentado – Tatuapé (SP)

Foto do Leitor: a primeira imagem de 2015

03 de janeiro de 2015 0

O fotógrafo Tiago Trindade compartilhou com a gente esse registro feito dia 1° de janeiro quando ele voltava de uma viagem à Argentina:

Primeira imagem de 2015 - Foto do Leitor
“Já eram quase oito horas da noite quando a chuva deu um trégua e o sol deu sua luz como se fosse um ultimo suspiro. Ao olhar para o lado esquerdo da estrada, não acreditei que estava diante desta imagem, um arco-íris perfeito. Estava eu ali, no meio do nada, diante a minha primeira foto de 2015. Com certeza isso é um reflexo do que será o ano de 2015″, contou ele.​

Compartilhe sua imagem usando a tag #doleitorZH pelo Instagram ou participe enviando sua imagem aqui pelo blog! ;)

Comentários da página do leitor desta sexta-feira (02/01/2015)

02 de janeiro de 2015 0

Confira os comentários publicados na página 8 da edição impressa de hoje:

 

Corte de benefícios
“Mexer em direitos trabalhistas, nem que a vaca tussa” – disse Dilma, “conquistas e direitos dos trabalhadores é algo que não se mexe, não se arrisca, não pode ter retrocesso”, segundo o discurso de campanha da, então, candidata.
Não sei se foi a vaca que tossiu alto demais ou se foi apenas uma falta de caráter para dizer uma coisa antes da eleição e ignorar o que foi dito logo após eleita, pois o governo federal anunciou regras mais rígidas que devem reduzir o pagamento de benefícios como pensão por morte, auxílio-doença, abono salarial, seguro-desemprego e seguro defeso.
Ronaldo Gomes Ferraz
Engenheiro – Rio de Janeiro (RJ)

 

Violência contra a mulher
Um senhor de 54 anos, em uma boate da moda, se irritou com a menina de 19 que não quis ficar com ele e lhe deu com uma garrafa! Onde vamos parar?
A reportagem mostra fotos da menina. E do “senhor”? Claro que não, apenas cita o nome dele. A mídia sempre preserva os homens e coloca as mulheres como desencadeadoras de abusos, estupros, e outras formas de violência. É muito triste ver, ouvir e ler que inúmeros homens se acham superiores e tratam as mulheres como objeto. Torço para que um dia esses “machos-alfa” entendam que nada justifica um abuso, uma cantada, uma mão no cabelo.
Nós usamos a roupa que bem entendemos, frequentamos o lugar que quisermos, dançamos da forma que quisermos e isso não significa que estamos dando mole para alguém! Não significa que você pode falar o que bem entende.
Paloma Schultz
Professora de jiu-jitsu – Porto Alegre

 

Sobre ZH
Após ler a coluna Política +, de Rosane de Oliveira (página 8, 30/12), onde constam declarações de José Ivo Sartori sobre poesia, e verificando a crise que se avizinha em seu governo, eu diria, plagiando L.F. Verissimo: “poesia numa hora
dessas”, governador!?
RUI FISCHER
Aposentado – Taquara

 

Foto do leitor do mês de dezembro: passeio pelo Guaíba

29 de dezembro de 2014 0

 

 

 

 

 

Navegar no Guaíba em um fim de tarde pode render boas imagens da natureza. A dona de casa Solange Campello, 53 anos, aproveitou o cenário porto-alegrense e produziu a foto que conquistou 920 votos de leitores em zerohora.com. Esta é a segunda vez que um de seus registros é eleito como a foto do mês em ZH.

Solange Campello
Segundo Solange, o passeio daquela tarde rendeu diversos cliques, mas a passagem de um barco conhecido acabou sendo especial.

– Decidi fazer o registro em composição com o pôr do sol, parecendo uma busca feita pelo barco.

A foto foi feita com uma Nikon-5000 semiprofissional. Antes de sua publicação, ocorreu um trabalho de pós-produção, com a finalidade de melhorar a iluminação da imagem.

Comentários da página do leitor desta terça-feira (30/12/2014)

29 de dezembro de 2014 0

LIMPEZA DAS RUAS

Sugiro que o DMLU cumpra a lei referente à limpeza dos locais públicos e multe a si mesmo por manter as praças, ruas e canteiros das avenidas tomados pelo mato na Capital.
Benedito Felipe Rauen Filho
Aposentado – Porto Alegre

FALTA DE CONFIANÇA
Os investidores da bolsa de valores não confiam nos poderes Executivo, Legislativo e nem no Judiciário do Brasil. Se não fosse assim, as ações da Petrobras teriam adquirido maior valor e não menor, pois a propina, a corrupção e o roubo teriam sido punidos. Assim, nossa empresa teria mais recursos para investimentos, as ações subiriam e todos nós ganharíamos. No entanto, como nada disso aconteceu, o país e a Petrobras estão perdendo credibilidade. Uma pena.
José James Machado de Sousa
Aposentado – Tramandaí

MENTIRAS DE CAMPANHA
Cada vez mais os pequenos comerciantes são enganados pelos políticos, pois o vice-governador eleito, José Paulo Cairoli, teve a palavra do governador eleito, José Ivo Sartori, de que tiraria de vez o imposto de fronteira, mas não vai. Bastou vir a soberba da vitória e o discurso mudou. É uma vergonha. Chega, não dá mais para ouvir tanta mentira.
Julio Cezar Bastos dos Santos
Empresário – Júlio de Castilhos

DIÁRIAS
Com a crise que nosso Estado está enfrentando e tende a enfrentar em 2015, entendo como lamentável e descabido o aumento da proporção nas diárias para servidores, secretários e cargos em comissão (CCs) durante o governo Tarso Genro. Lógico que tais diárias são do ano que está se encerrando, mas as dificuldades já eram vislumbradas e não há desculpas que possam ser dadas. Vejo que as diárias deveriam ter seu valor reduzido e uma solução interessante seria que os “políticos”, que mais usufruem de tais, arcassem com pelo menos 50% dos custos que desencadeiam.
Márcio Cechele
Administrador – Espumoso

LEI FRIA
Por muitos anos, sempre se ouviu a máxima de que decisão de juiz não se discute, se cumpre. Bem, agora a coisa mudou: decisão de juiz a gente deve contestar e levar a instâncias superiores. O caso acontecido em Capão da Canoa, em que um bêbado atropelou duas pessoas, é a prova disso. Todas as evidências e provas materiais não foram suficientes. A juíza insensível, que preferiu fechar os olhos à existência de um cadáver e valorizar a letra fria da lei, concedeu a liberdade a um assassino do trânsito. Aliás, mais um.
Jaí Antonio Strapazzon
Técnico em segurança do trabalho – Sapucaia do Sul

SOBRE ZH

Parabéns a ZH pela entrevista de domingo do Jean Wyllys e ao Moisés Mendes pelo texto “As juízas”, de ontem. Algumas vezes, leio os comentários de muitas pessoas no Facebook, na página do jornal, e noto que a diferença incomoda. Muitos opinam sem conhecimento ou julgam sem pensar. Será tão difícil para o ser humano se colocar no lugar do outro antes de falar tanta bobagem e ser preconceituoso ou ignorante? Educação já seria um bom começo para isso.
Tiago romio
Professor – Caxias do Sul

Comentários da página do leitor desta sexta-feira (26/12/2014)

25 de dezembro de 2014 0

ENTENDIMENTO
A senhora Venina Velosa achou que estava rodeada de bons entendedores e que meias palavras bastariam. Não foi entendida e ficou sabendo que nem milhares de páginas de um processo policial são suficientes quando não se quer entender.
João Luiz Couto Anzanello
Médico – Porto Alegre

HERANÇA
Tarso Genro seguiu à risca sua lógica de vida. Por onde anda, deixa visíveis rastros de incompetência. O Rio Grande do Sul foi penalizado para além dos quatro anos de seu desgoverno, pois os prejuízos serão debitados em nossas contas por um longo período. José Ivo Sartori está recebendo em mãos o Estado mais endividado da nação.
Carlos Flávio B. da Silva
Médico veterinário – Santa Maria

TRAÇADO DO METRÔ
A linha do metrô da Capital deve privilegiar escolas, universidades e hospitais. Na avenida Farrapos não há essa necessidade. Implementá-
lo em paralelo ao trensurb é absurdo. A maior densidade demográfica está afastada dos bairros Navegantes, São João e do cais do porto. Muito mais útil será utilizar as avenidas Assis Brasil, Plínio, Cristóvão, 24 de Outubro, Protásio e Osvaldo Aranha. Nessas regiões estão os maiores edifícios, com dois carros por apartamento. O metrô é uma obra cara para visar apenas aos horários de pico.
Victor Hugo Belardinelli
Dentista – Porto Alegre

AUMENTO DE SALÁRIOS
Agora está completa a caixinha. Os deputados do nosso Estado, que ajudamos a eleger, nos apunhalam pelas costas, aumentando seus salários e os dos magistrados, e por pouco ainda não acatam o pedido de auxílio-moradia para quem tem casa própria e ganha mais de R$ 20 mil por mês. Um professor e um servidor da Brigada Militar recebem baixos salários. Os servidores do Detran pedem aprovação do seu plano de carreira e os senhores deputados nos dão as costas. O que é mais aviltante, a Operação Lava-Jato ou o que fizeram em nossa Assembleia Legislativa?
DANILO COUTO
Professor aposentado – Canoas
SOBRE ZH

Tanta notícia importante e relevante, em uma data representativa, e a capa da edição dupla de Zero Hora no Natal dá ênfase à chegada de um técnico de um time de futebol. Por favor, respeitem seus leitores e assinantes. Futebol não passa, ou não deve passar, de mera distração.
Gustavo Adolfo Iserhard
Advogado – São Leopoldo

Feliz em saber que mais pessoas, assim como eu, estão satisfeitas com as mudanças feitas pela equipe de Zero Hora. David Coimbra na penúltima página? Sensacional! É terminar de ler o jornal com a alma lavada! Moisés Mendes poderia ser todos os dias, já provou sua competência. E Tulio Milman está cada vez melhor. Parabéns à editora Marta Gleich pela grande sensibilidade!
Áurea Marilda Emerim
Funcionária pública municipal – Porto Alegre

Comentários da página do leitor desta terça-feira (23/12/2014)

22 de dezembro de 2014 0

FALTA DE ENERGIA
Mais uma vez, passamos dias de caos sem serviços adequados. Enquanto nossos governantes continuarem legislando em causa própria, com absurdos aumentos de salário e utilizando para si verbas que poderiam ser usadas para melhorar os serviços públicos, continuaremos a ser este país lindo, mas medíocre, pobre em qualidade de vida e sem perspectiva de crescimento.
Marlene Lima Couto
Empresária – Sapucaia do Sul

DEVOLUÇÃO
Em relação ao gesto do senador Pedro Simon “devolvendo” R$ 1,4 milhão em verbas referentes a créditos de passagens aéreas, conforme publicado no sábado em ZH, faço algumas considerações. A coluna Política+ elogia o ato do senador, mas, em minha opinião, o fato de um senador, ao final de mandato, poder “levar para casa” um valor absurdamente alto desses como crédito em passagens aéreas é totalmente descabido e fora da minha compreensão das coisas. Se o senador não mais estará a serviço da nação, qual o motivo para tantos deslocamentos aéreos com dinheiro público?
Creio que estamos ficando anestesiados neste país com tantas benesses existentes para algumas classes (políticos, Judiciário…) em detrimento da maioria, que, ao fim e ao cabo, é quem acaba pagando pelas mesmas.
José Ricardo Trasel
Aposentado – Lajeado

RECALL DE VEÍCULOS
Nunca vi, com tanta frequência, a convocação de montadoras solicitando aos proprietários a manutenção de algum item que possa causar algum dano ou risco de acidente. O que está acontecendo? A produção é tão grande, que o controle de qualidade das empresas não consegue identificar as falhas? Os fornecedores estão entregando peças com defeitos para os automóveis?
Os consumidores compram um carro zero-quilômetro pensando que estarão livres de problemas por pelo menos três anos, mas logo em seguida têm que ligar para a concessionária, agendar o serviço, ficar sem o carro e ainda ter gasto com combustível por sua conta. É justo? A quem o consumidor pode recorrer nessas situações? Não existe nenhum órgão federal que fiscalize esses excessos?
GILBERTO BARBOZA BRIGONI JUNIOR
Comerciante – Porto Alegre

RODOVIAS À DERIVA
O abandono e sucateamento dos postos da Polícia Rodoviária Federal refletem o descaso e a incompetência de quem deveria governar com seriedade. Recursos existem e são muitos, mas são desviados para outros fins nada lícitos. Enquanto isso, a sociedade está cada vez mais refém e desassistida em suas necessidades mais essenciais.
Larry Beltrame
Empresário – Porto Alegre

Que bom ler ZH de trás para a frente, como sempre fiz, e começar com a coluna do David Coimbra! Maravilha, uma boa forma de iniciar o dia!
Ana Maria Gaiger
Médica – Porto Alegre

Não entendia como dirigentes de um grande jornal continuavam a permitir que o espaço nobre continuasse sendo ocupado pelo Paulo Sant’Ana. Concordo que ele teve seu período áureo, mas já há alguns anos vinha declinando. Já pensava em cancelar minha assinatura quando entrou o excelente Moisés Mendes, um dos baluartes do bom e sábio jornalismo. Digno dos melhores espaços e merecendo todo o crédito, senti que ainda restava uma luz no fim do túnel.
Agora sou surpreendida com a vinda do magnífico David Coimbra, a quem sigo sempre em seu blog. Sua cultura e seu trânsito por diversos assuntos são garantia de valer a pena o valor da assinatura do jornal, sem demérito de outros poucos e pontuais temas. Que tenhamos essas duas joias, Moisés e David, sempre nas páginas da ZH e, certamente, voltará a ser convidativo abrir todo o dia este veículo de comunicação.
Ângela Maria Candelot Zunino
Empresária – Porto Alegre

Comentários da página do leitor desta sexta-feira

18 de dezembro de 2014 0

SEGURANÇA PÚBLICA
Nada contra o novo secretário de Segurança Pública do Estado, mas quando um governador precisa buscar uma pessoa que pouco atuou aqui para garantir a segurança da sua gente é porque em nossos rincões não existe ninguém com competência suficiente para exercer o cargo. Desconsidere-se a importância de conhecer a Brigada Militar, de vivenciar os problemas da Polícia Civil, de dimensionar a criminalidade daqui e de saber onde e como ela ocorre, e talvez até dê certo.
Quem nos garante que a solução para este pampa, cada vez mais pobre, não seja trazer pessoas que vivem em outra realidade? Se der certo, vamos buscar, urgente, candidatos para cargos eletivos radicados em outros estados!
Joni Vilson Ferreira Neto
Jornalista – Porto Alegre

ESCLARECIMENTO
Sobre entrevista concedida a ZH para a matéria “Projeto tenta revogar lei do desarmamento”, publicada em 27 de novembro.
Leia em zhora.co/leidesarmamento
Fui injustamente acusado de defensor do estatuto do desarmamento, mercenário, interesseiro e de estar agindo em causa própria por 451 leitores que se sentiram indignados. A polêmica se criou porque afirmei na reportagem que achava que os exames psicológicos e técnicos não deveriam ser extintos para obter ou renovar registro de arma. Sou avaliador credenciado na Polícia Federal e não aplico nem recebo um tostão com os exames. Há 37 anos habilito cidadãos a usarem suas armas com consciência, responsabilidade e técnica.
Parece-me que acabar com esses requisitos pode tornar mais perigoso o uso de arma por quem as tem e colocar toda a sociedade em risco, uma vez que qualquer um poderia adquirir armas livremente. Disse, em minha entrevista, que achava que o poder público poderia prestar gratuitamente essas avaliações àqueles que não tivessem condições financeiras de arcar com custos e taxas, isentando o cidadão. Porém, compreendo perfeitamente que o repórter precisa sintetizar a entrevista, por isso devo ter sido mal interpretado.
Dempsey Magaldi
Instrutor e consultor em segurança – Porto Alegre

 

Comentários da página do leitor desta quinta-feira (18/12)

18 de dezembro de 2014 0

AMOR E ÓDIO
A sociedade brasileira está doente e dividida pelo ódio que vem sendo destilado por alguns simpatizantes do comunismo e do capitalismo, notadamente através das redes sociais. Esse ódio se acentuou após o resultado das últimas eleições e, também, depois da divulgação do extemporâneo e parcial relatório da denominada Comissão Nacional da Verdade. Segmentos políticos da extrema esquerda e da direita, em sua eterna luta pelo poder, estão esquecendo que a pátria e o povo devem estar sempre acima de todas as ambições políticas. Cabe a políticos honrados, intelectuais, comunicadores e cidadãos de bem, civis e militares, exercer um papel positivo para que voltemos a ter um ambiente de amor e paz.
Wanderley da Silva Plucani
Aposentado – Porto Alegre

RETIRADA DE BUSTO
Merece elogio a iniciativa da prefeitura de Taquari de retirar o busto de Costa e Silva de espaço público. Está mais do que na hora de retirar toda e qualquer “homenagem” a qualquer um ligado a atentados contra a democracia, o Estado de direito, e envolvidos direta ou indiretamente a assassinatos, perseguições e torturas, ou seja, a turma/gangue da redentora.
Lauro Becker
Empresário – Porto Alegre

SOBRE ZH
Graças e louvores se deem em todos os momentos ao bom uso que jornalistas como Rosane de Oliveira sabem fazer do Estado de direito em que se vive no Brasil de hoje. A coluna Política+ de terça-feira põe às claras a possibilidade que, hoje, se tem de saber (desde que se queira) como atuam os presumidos homens públicos quando se trata de legislar sobre o que é do interesse corporativo deles. A mesma colunista, aliás, já havia demonstrado isso no episódio em que nossa Assembleia Legislativa literalmente inventou aposentadoria para deputado.
Floriano Soares
Jornalista aposentado – Porto Alegre