Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Comentários da página do leitor deste sábado (15/11/2014)

14 de novembro de 2014 1

VELOCIDADE
Vi uma reportagem sobre o Salão do Automóvel de São Paulo. Carros bonitos, charmosos, o sonho de consumo de muitos. Eles atingem velocidades acima de 200 km/h, o que se alcança na Fórmula-1.
Em seguida, vi a notícia do aumento das multas de trânsito, muitas delas referentes ao descumprimento da legislação sobre a velocidade máxima permitida nas rodovias e centros urbanos. Essas medidas visam coibir os acidentes.
Todos sabem que, em uma estrada, colocar o pé no acelerador cria uma vontade de ser um piloto de corrida. Então, não é hora de criar alguma regra para que as montadoras façam com que os carros só possam atingir determinada velocidade?
Luiz Roberto de Miranda
Militar da reserva – Santa Maria

Salário Mínimo Regional
Por Tarso Genro propor um aumento de 16% no valor do salário mínimo regional agora no final do seu mandato governamental, constata-se que, na verdade, sua intenção como perdedor da eleição é colocar o futuro governo, legitimamente eleito, desde o início do seu mandato em choque com as classes sindicais, para dificultar a administração.
Se não fosse por isso, já teria proposto esse aumento antes do período eleitoral.
Nilson Gonsalez Gayer
Aposentado – Porto Alegre

Engraçado: todos criticam o aumento do salário mínimo regional, mas ninguém se levanta para criticar o aumento absurdo da energia. Isso me leva a crer que só o que não pode subir acima da inflação é o salário.
Paulo Marques
Funcionário público – Portão

FGTS
O STF definiu novas regras para o trabalhador cobrar na Justiça o FGTS que não foi pago pelo empregador. Até então, ao entrar com a ação, era possível recuperar depósitos que deixaram de ser feitos até 30 anos antes. Com a nova medida, o trabalhador poderá recuperar apenas os últimos cinco anos. É uma afronta aos direitos dos trabalhadores.
Vai incentivar as empresas inidôneas a não depositar o FGTS e poderá reduzir drasticamente os saldos do fundo que são utilizados para financiamento habitacional, obras de saneamento básico e infraestrutura. Pergunto: é constitucional essa
decisão? Vai prejudicar o cidadão brasileiro e o próprio governo.
GILBERTO BARBOZA BRIGONI JUNIOR
Comerciante – Porto Alegre

Comentários da página do leitor desta sexta-feira (13/11/2014)

13 de novembro de 2014 0

SALÁRIO MÍNIMO REGIONAL

Ao propor um reajuste de 16% para o salário mínimo regional, exatamente o índice reivindicado pelas lideranças dos trabalhadores, sem ouvir as entidades empresariais, o governador do Estado adotou uma atitude simplista e demagógica.
Ao apagar das luzes de seu governo, Tarso Genro preferiu jogar para a torcida e transferir para terceiros a responsabilidade pela aprovação (Assembleia Legislativa) e pelo pagamento (empregadores) do piso regional.
Clovis José Formolo
Aposentado – Porto Alegre

Antes de sair do Ministério da Educação, Tarso Genro estabeleceu o piso do magistério (que nunca pagou no RS). Agora, é derrotado na eleição e se vinga na população propondo este aumento absurdo do salário mínimo regional. Espero, sem muita esperança, que a Assembleia se posicione racionalmente. Não há como pagar um reajuste desse tamanho, que terá reflexos profundos na economia do nosso Estado falido.
Sergio Tostes de Escobar
Produtor rural – Porto Alegre

SOBRE ZH

Comentário sobre o editorial “A violência contabilizada”, publicado ontem.

Parabéns pelo editorial de ontem, por reconhecer e vislumbrar a segurança pública como um direito a ser garantido por um sistema envolvendo questões de “ordem, segurança e justiça”. É o que falta às altas autoridades dos poderes da União e dos Estados para diagnosticar suas mazelas e enfrentar a guerra urbana que assola o Brasil.
Jorge Bengochea
Coronel da Brigada Militar – Porto Alegre

Comentários da página do leitor desta quinta-feira (12/11/2014)

12 de novembro de 2014 0

ASSEMBLEIA
A Assembleia Legislativa irá construir novos prédios. Qual o custo? Não estamos em período de contenção de despesas?
“A Casa do Povo”(?) – onde há restrição ao uso de bermuda – alegou que fez economia e já dispõe de boa parte do dinheiro. Aliás: de onde vem tal dinheiro? Não faz falta em outros segmentos da sociedade?
O Brasil, dizem, é uma República, porém, os luminares dos três poderes vivem como se estivessem na Corte de Luís XIV, basta olhar o luxo das respectivas instalações. E, ainda, dizem que há democracia.
Luiz Carlos Portela Pedroso
Aposentado – Porto Alegre

Os deputados estaduais gaúchos desejam e estão providenciando uma “reforma” do Palácio Farroupilha, que eles chamam de “Casa do Povo”. Na verdade, trata-se da construção de dois prédios, a um custo orçado em R$ 70 milhões. Quantas creches, escolas ou postos de saúde poderiam ser erguidos com
esse dinheiro?
Os novos prédios servirão para abrigar confortavelmente os até 15 assessores a que cada parlamentar tem direito e terá amplas salas para poderem receber individualmente e “com dignidade” suas visitas.
Nas periferias das cidades, estão milhares de gaúchos vivendo em condições sub-humanas, amontoados em habitações sem as mínimas condições de higiene e enfrentando as piores dificuldades. E, pelo nosso sistema de “regime democrático”, estes desassistidos são obrigados a votar nesses milionários “servidores” públicos.
Sérgio Becker
Jornalista – Porto Alegre

CÃES DE RUA
Somente em países de Terceiro Mundo é permitida a existência de cães de rua. Em países desenvolvidos, o cão tem dono, ou é recolhido. Alguém tem que ser o responsável pelas vacinas, pela guarda, pela alimentação do animal. Nada de cão comunitário, quando todos e ninguém têm a responsabilidade.
Cães de rua podem causar acidentes sérios tanto no trânsito quanto atacando pessoas, além de transmitir doenças. Chega de histerismo na defesa intransigente do “direito” dos animais.
Luiz Serpa
Funcionário público – Porto Alegre

 

Leitor-repórter: perigo no Parcão

12 de novembro de 2014 0

Alessandro Toledo

O leitor Alessandro Toledo está preocupado com a situação de uma caixa de luz localizada próxima à cancha de bocha do Parcão, em Porto Alegre.

– Caso não sejam tomadas providências, a caixa pode cair – relata Alessandro, que costuma frequentar o parque com a filha Fernanda, nove anos.

Segundo ele, muitas crianças brincam perto do local, no qual os pais jogam futebol. O Alessandro já solicitou dois reparos no Fala Porto Alegre, em julho e em outubro, mas nenhum foi atendido.

CONTRAPONTOS
Segundo a assessoria de comunicação da CEEE, os técnicos da companhia vistoriaram o local e não identificaram risco de queda da estrutura ou a exposição de fios energizados. Segundo eles, devido à força de raízes no entorno do local, a mureta que sustenta a caixa de luz, deteriorada pelo tempo, cedeu. A administração do parque foi notificada para que reparos na caixa de medição e na estrutura que a sustenta sejam efetuados no prazo de 15 dias.

A assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAM) confirma o recebimento da notificação da CEEE e informa que irá avaliar os curtos da reforma, a fim de cumprir o prazo estabelecido pela companhia.

Comentários da página do leitor desta quarta-feira (12/11/2014)

11 de novembro de 2014 0

REFLORESTAMENTO

Para amenizar o desmatamento desenfreado no Brasil, é necessário encontrar novas formas para tentar resolver com rapidez e urgência o problema. A solução é simples: ocupar estudantes e voluntários de Exército, Marinha, Aeronáutica e Polícia Militar, para que cada um plante uma árvore. Seria uma ação mais rápida do que a motosserra poderia derrubar. Todos engajados por uma causa comum. A contribuição de hoje desses cidadãos beneficiará, no futuro, seus filhos e netos, deixando um legado de ordem e progresso, como está escrito na nossa bandeira nacional.
Jorge Lima da Silva
Aposentado – Flores da Cunha

PORTO ALEGRE

O que deveria ser um cartão-postal do Estado, o Viaduto Otávio Rocha se transformou em um abrigo para dezenas de desamparados pelo descaso dos governos municipal, estadual e federal, que nada fazem para reconduzir esses seres humanos a uma vida digna.
Jarbas Aurelio Filho
Aposentado – Alegrete
SOBRE ZH

Comentário sobre a matéria “Quanto gastaram na campanha os deputados estaduais e federais eleitos pelo RS”, publicada domingo.
A reportagem sobre os gastos dos deputados na campanha eleitoral é de total importância para o cidadão. Todos nós deveríamos guardar essa página, para fiscalizar o que farão esses deputados.
Helena Barcellos Jacques
Professora – Porto Alegre

Uma pequena miss

11 de novembro de 2014 0

duda peru gala

 

Nove anos e sete títulos. Maria Eduarda Guedes da Rosa tem uma rotina cheia. A avó da menina, a leitora Luiza Guedes da Silveira, 57 anos, escreveu à ZH para contar a história da neta, que está no 4º ano da Escola Raimundo Carvalho, em Alegrete.

Segundo Luiza, a trajetória vitoriosa de Maria Eduarda começou aos cinco anos, quando a menina se tornou a primeira Miss infantil de Alegrete, em 2009.

– Após a divulgação do resultado, questionei se ela realmente havia sido campeã, pois parecia inacreditável, já que tivemos pouco tempo para prepará-la – afirma Luiza.

Duda, como é carinhosamente chamada pela família, tem a companhia da mãe nos concursos, a estudante Izabella Guedes da Silveira, 24 anos, que acaba virando maquiadora e cabelereira da filha durante os eventos.

A conquista mais recente de Duda foi o título de Miss Turismo Mundial, em outubro, na cidade de Arequipa, no Peru.

– Enquanto ela desejar, vamos participar de todos os eventos, até chegar ao Miss Universo – conta a mãe da menina.

 

>>>Tem uma história legal? Conte para gente!

 

traje tipico duda zero

Comentários da página desta terça-feira (11/11/2014)

10 de novembro de 2014 0

METRÔ

Agora parece que sai o metrô de Porto Alegre. O governador eleito José Ivo Sartori se comprometeu com a construção em recente reunião com o prefeito José Fortunati.
É uma obra prioritária para a mobilidade urbana e vai beneficiar diretamente a população e os visitantes com um transporte rápido e econômico.
Claudio Peña
Engenheiro – Porto Alegre

SOBRE ZH

Comentário sobre o texto “Auxílio-moradia em dose dupla”, de Rosane de Oliveira, publicado na sexta-feira.
Parabéns, Rosane, pelo seu texto, o qual reproduzi tanto no Facebook quanto no Twitter, tanto no meu perfil como em grupos de que participo e dos quais fazem parte pessoas de todo o país.
Repercutiu muito, ainda mais que acrescentei o conteúdo sobre a PEC dos penduricalhos que a senhora já tinha escrito. PEC essa que presenteia os magistrados e promotores públicos com aumento de até 35% em suas remunerações, dependendo de seu tempo de serviço.
Só mesmo você para ter tanta coragem e enfrentar essa máfia de agentes políticos que estão se prevalecendo no serviço público desde que alcançaram a autonomia financeira.
Guaraci Thadeu Soares da Cruz
Funcionário público inativo – Canoas

O conselho de Maurício de Sousa que mudou a vida de uma leitora

10 de novembro de 2014 47

mauricio

 

A leitora Ana Paula Mesquita Scalabrin, 45 anos, escreveu para ZH para contar sua história envolvendo o cartunista Maurício de Sousa, que esteve autografando obras na Feira do Livro de Porto Alegre na última sexta-feira.

Ela conta que em sua primeira gravidez, em 1999, ela decorou o quarto da filha, Bruna, com bonecas da Mônica. No entanto, complicações no parto fizeram o bebê morrer logo após o nascimento. Ana entrou em depressão e passou a dormir com algumas bonecas e as tratá-las como suas filhas.

Sem esperança de receber algum consolo, Ana Paula escreveu para Maurício de Sousa relatando a história e teve uma grata surpresa. Em uma bela carta, ele sugeriu que as bonecas fossem doadas para crianças carentes.

– Ele disse que isso faria o meu anjo feliz – contou Ana.

Seguindo a sugestão do cartunista, a cada dia uma boneca foi doada. Recuperada da depressão e decidida a ser mãe novamente, Ana engravidou em 2001 de Giovana, que também teve seu quarto decorado com o tema Turma da Mônica.
Ao saber que o cartunista estaria na Capital, Ana Paula correu para a fila de autógrafos para realizar o sonho de abraçá-lo e agradecê-lo.
– Quando contei minha história para ele, ficamos emocionados, sentimento compartilhado por todos ao nosso redor. Choramos juntos – conta.

Tem uma história emocionante para contar? Divida com ZH. 

Foto do Leitor: "Hoje o céu está tão lindo"

07 de novembro de 2014 0

Alexandre Moschetta fotografou a prática do paraglider no Morro do Diabo, em Carlos Barbosa

Alexandre Moschetta

Samantha Valar Castro enviou foto feita da janela do seu quarto, em Passo Fundo

Samantha Valar Castro

Vitória Izoline Anjos da Silva fez este registro no sítio de seus avós, em Encruzilhada do Sul

Vitória Izoline Anjos da Silva

Comentários da página de ZH desta sexta-feira

06 de novembro de 2014 0

POLÍTICA
Em um regime democrático, governa quem ganha a eleição. Aos que perdem, resta o trabalho – não menos importante – de fiscalizar.
Infelizmente, isso não tem ocorrido no Brasil, onde os governos adquirem os votos parlamentares e a liberdade dos abatidos nas urnas e com eles formam as fisiológicas bases aliadas.
A esperança é de que a oposição que surgiu na última eleição, pela margem apertada de votos, exerça a efetiva fiscalização do poder, exigindo eficiência e honestidade do governo e, com isso, fortaleça a democracia.
Dirceu Cardoso Gonçalves
Tenente da PM – São Paulo (SP)

Os noticiários apontam que a perda da maioria no Legislativo americano trará dificuldades ao presidente Obama para que ele governe os Estados Unidos até o fim de seu mandato.
Caso a espionagem do governo brasileiro não lhe tenha fornecido subsídios, resta-lhe uma oportunidade ímpar para adquirir know-how: fazer um estágio em Brasília para aprender como se consegue obter apoio do Congresso.
Eliseu Lorenzi
Aposentado – Portão

Tenho me perguntado por que, passadas as eleições, a mídia tem se dedicado a publicar tantas críticas ao governo Dilma. Para uma “imprensa livre”, essas críticas não chegam meio tarde?
Cláudio Jacobus Furtado
Professor – Porto Alegre

ZH NAS REDES

Publicamos na nossa página no Facebook: Jovem de Ruanda entra em Harvard.
Veja o que disse um leitor:
A prova de que a vontade e o desejo humanos, assim como a fé inabalável em um futuro
melhor, superam todas as dificuldades da vida, por piores que sejam.
É sempre bom ver histórias como essa para
que pensemos duas vezes antes de reclamar.
Edinilson De Marco Vieira