Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Comentários da página do leitor desta terça-feira (14/10/2014)

13 de outubro de 2014 0

Reportagem de ZH do dia 13/10 sobre o início da demolição do Presídio Central de Porto Alegre. Veja em:

Zero Hora publica “Uma vergonha mais perto do fim”. Não estou me posicionando contra a destruição do Central, vejo como um momento “eleitoreiro”. Mas gostaria que essa indignação se transferisse para as nossas escolas estaduais que estão se deteriorando. É nelas que surgem as nossas esperanças com alunos mais dedicados e professores estimulados por receberem salas de aulas mais dignas. Estamos investindo naqueles que justificaram estar onde merecem.
Luiz Alberto Nöer
Militar – Tramandaí

Sobre artigo da psicanalista Ana Laura Giongo: “O que que a porquinha tem?”, sobre o personagem infantil Peppa Pig, publicada em 11/10.
Que texto maravilhoso! É por aí mesmo. Retrata bem o que Piaget fala da infância. A história de um modelo de família e
seu cotidiano é o que prende a atenção, meus filhos adoram as historinhas e até eu paro para ver…
É interessante que a autora cita a paciência da mãe Pig, pois já me cobrei muitas vezes essa paciência que ela expõe. Valeu!
Beta Lemos
HORÁRIO DE VERÃO
Uma semana antes das eleições, começa mais uma temporada do chamado horário de verão, tortura injustificada que é imposta pelo governo sob pretenso argumento de economizar a eletricidade gasta na iluminação doméstica. Há diversas maneiras realmente eficientes para a racionalização do gasto de energia elétrica que, entretanto, não são levadas em consideração.
Roldão Simas Filho
Químico aposentado – Brasília (DF)

Foto do Leitor: Por aí...

10 de outubro de 2014 0

10897244-Solange Campello.jpg-10_10_2014-16.16.01

Solange Campello fotografou a gata intrigada ao ver a mariposa, que voou logo depois do clique.

10897237-Eduardo Alex Soares.jpg-10_10_2014-16.15.40

O Arroio Dilúvio em preto e branco pelas lentes do leitor Eduardo Alex Soares.

10897243-Seleção.jpeg-10_10_2014-16.16.00

Júlia Ruaro Tomazi registrou um momento de céu alaranjado em Caxias do Sul.

Comentários da página do leitor de ZH deste sábado (11/10/2014)

10 de outubro de 2014 0

EBOLA
Primeiro caso suspeito de ebola no Brasil: o paciente vem da Guiné, entra no Brasil
sem qualquer dificuldade (mesmo sendo a Guiné um país foco da epidemia), circula livremente e interage, após a manifestação dos sintomas, com mais de 60 pessoas.
Eu me pergunto: não seria melhor um controle
mais efetivo nas fronteiras (sobretudo portos
e aeroportos)?
Creio que é preciso uma revisão urgente dos procedimentos de prevenção. Se uma pessoa estiver infectada e puder infectar mais 60 pessoas, a epidemia estará totalmente fora de controle… Ainda mais no Brasil, um país sem infraestrutura para atender a esse tipo de demanda.
Juli C. Borsa

O mundo em que vivemos convive, mais uma vez, com o pânico de uma epidemia que mata sem dó nem piedade gente inocente. O ebola, nascido na África, já chegou à Europa e aos EUA e vai com certeza desembarcar em solo brasileiro.
Espera-se sempre que o governo pense, planeje e execute medidas preventivas para evitar que a doença entre por nossos portos, aeroportos e estradas completamente mal vigiadas e desprotegidas. Acontece que o governo nunca faz isso, muito menos em época eleitoral, quando as preocupações são deles e não nossas.
No Paraná, o primeiro caso suspeito, num hospital de Cascavel, acende a luz amarela.
Rafael Moia Filho
Escritor – Bauru (SP)
APOSENTADORIA
Esperamos, todos, que o STF saiba como dar às pessoas os seus direitos, eis que continuaram trabalhando e contribuindo para o INSS, que não sejam bondosos e rápidos apenas com seus próprios ganhos e acabem com a enrolação. Afinal, o instituto foi criado para seus contribuintes, sendo desvirtuado para atender a vários programas sociais que beneficiaram os não contribuintes. Logicamente, esse dinheiro todo foi retirado de alguém, não é?
Teresinha Winter
Funcionária pública – São Sebastião do Caí

Leitor-Repórter: estacionamento no meio da rua

09 de outubro de 2014 0

O leitor Ricardo Fabris de Abreu mandou seu relato sobre problemas de trânsito no centro de Caxias do Sul. Veículos estacionados no meio da Rua Marquês do Herval dificultam o deslocamento, pois dividem a via ao meio, como uma espécie de “canteiro”. Segundo ele, o problema persiste há seis meses:

rua marques do herval

– Os fiscais têm conhecimento do problema, mas em três contatos feitos em uma semana, ouvi que os carros no meio da rua não interferem no deslocamento de outros veículos.

Conforme o artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro, a infração é considerada grave, com perda de cinco pontos na carteira de habilitação, multa de R$ 127,69 e remoção do veículo pelos agentes de fiscalização.

O QUE DIZ A SECRETARIA DE TRÂNSITO
A Secretaria Municipal de Trânsito
diz que há fiscalização no local e, em um primeiro momento, aplica uma advertência ao condutor como medida educativa. No caso de reincidência da infração, o motorista será multado de acordo com as Leis do Código
de Trânsito. Na área central do município,
há mais de 2 mil vagas para o estacionamento de veículos, incluindo pontos para idosos e pessoas com deficiência.

Comentários da página do leitor desta sexta-feira (10/10/2014)

09 de outubro de 2014 0

Voto Obrigatório
Eu nunca votei na minha vida, simplesmente, por nunca ter tido um candidato que merecesse meu voto. Por falta de propostas, sempre achei melhor pagar uma multa do que ter que me sujeitar a dar o meu voto, seja branco ou nulo. Acho que o voto não é um direito no Brasil e, sim, uma obrigação. Mas, quem sabe, um dia eu poderei viver em um país onde eu tenha o direito de escolher participar das eleições e então, nesse dia, vou estudar as propostas dos candidatos e vou tentar fazer o melhor pelo Brasil.
José Pedro Sotoriva
Via Facebook

AUXÍLIO-MORADIA
Diante da dificuldade que todo cidadão deste país enfrenta para honrar seus compromissos, injusto é que membros do Judiciário brasileiro, que já recebem salários extraordinários, exijam o auxílio-moradia. E os demais servidores públicos e o cidadão comum também deveriam requerer esse benefício.
Larry Beltrame
Empresário – Porto Alegre

Luciana: tudo menos Aécio
Me surpreende a colocação do partido da ex-presidenciável Luciana Genro. Vivemos em um país democrático, vamos deixar que as pessoas escolham o melhor para ele. Esse conselho não pode ter vindo de uma candidata que obteve 1,55% das intenções de voto, não pode não.
Jorge Rosa Cruz
Empreendedor – Arroio do Sal

Desserviço à nação
Os candidatos a cargos eletivos se digladiam por mais espaço na mídia para convencer o eleitor de que eles são os melhores para o Brasil. Pedem votos a troco de muitas mentiras. Passadas as eleições, candidatos derrotados se acham no direito de pregar o voto nulo ou em branco. Essa é uma verdadeira falta de cidadania, um desserviço à nação. Izabel Avallone Aposentada – São Paulo (SP)

Comentários da página do leitor desta quinta-feira (09/10/2014)

08 de outubro de 2014 0

DEBATE NA TV
Gostaria de saber a que horas será o debate político no segundo turno. Para o cidadão que precisa levantar cedo para o trabalho, um debate tão importante para a democracia não deveria se iniciar tão tarde e acabar de madrugada.
Cleide Valerio
Professora – Bento Gonçalves

FUTURO POLÍTICO
Sou chegado numa discussão ou debate sobre qualquer assunto inteligente, ainda mais se minha opinião é contrária à da maioria. Para alguém que gosta de discussões, ano de eleições deveria ser como um prato cheio. Não foi.
Chega de acusações, chega de dados vagos. Quero ouvir as propostas em rede nacional, para que fiquem gravadas. Para que eu possa dizer: desse jeito eu gosto, desse jeito, não. Não basta falar que a saúde está ruim e que precisa ser melhorada.
Quero saber como vai melhorá-la; quantos hospitais vão ser construídos; como a infraestrutura vai propiciar aos médicos um local de trabalho viável. Quero saber sobre o futuro do nosso país daqui pra frente.
Lucas Ascenço Ceolin
Estudante – Passo Fundo

o povo e a política
As pessoas quando falam “povo” parecem achar que não se incluem nesse grupo, passando a culpa, responsabilidade, o que seja para o “povo.”
graziela minervini

ECONOMIA
Quando o governo acerta e a economia cresce o responsável é o mercado e o setor produtivo. Quando a economia não vai bem e o setor produtivo não desenvolve,
o responsável único e absoluto é o governo, que erra. Será jogo de cão e gato ou jogo de esconde-esconde?
Nei Alberto Pies
Professor – Passo Fundo

FISCALIZAÇÃO
Com todo o respeito por Jayme Sá, em comentário de ontem (página 4 de ZH): utilizo as estradas desde os anos 70. Acredito que ele tenha conhecimento de que desde aquela época o limite é de 80 km/h. Estamos em 2014 e o governo não tem interesse em aumentar o limite de velocidade. Com as estradas de hoje e carros melhores, o limite já teria que ser aumentado. Mas o governo perderia verdadeiras fortunas se aumentasse. Sendo assim, fica fácil para os policiais fazerem tocaia na estrada. Concordo que há muitos motoristas que abusam da velocidade, mas, para quem fica no asfalto de domingo a domingo, a situação é bem diferente.

Osmar Ramos
Representante comercial – Pelotas

Qual a sua recordação de brincadeira na infância?

08 de outubro de 2014 1

Você sabe o que é Atari? Lembra das cinco marias ou dos bambolês? Com a proximidade do Dia das Crianças, pedimos aos leitores que compartilhem fotos de seus brinquedos antigos. Podem ser jogos, peças, o que vale é a recordação.

Use a tag  #nostalgiaZH e participe:

Leia o regulamento:

foto 3

 

Meu grupo família no Whatsapp

08 de outubro de 2014 6

Whatsapp

Cada vez mais comuns, os grupos de Whatsapp servem para muita coisa: organizar eventos, trocar piadas, unir grupos de colegas, amigos e… reunir familiares. Agora, queremos contar histórias divertidas desse último grupo. De familiares que se reaproximaram por meio do Whatsapp, de gente que ensinou o avô a usar o aplicativo, de pais que fazem os filhos passarem vergonha pelo celular. Você se identifica com alguma dessas situações? Envie seu relato no campo de comentários.

Ponto de Vista: "Verão passado eu cabia"

07 de outubro de 2014 0

A professora Valquiria Bauer, 49, de Cachoeira do Sul, enviou um registro de um conhecido hábito da sua cachorrinha Lola: refrescar-se dentro de uma bacia com água quando está calor. Na imagem, está também o cãozinho Lalau. Publicamos a foto no Facebook de ZH e tivemos mais de 1,7 mil likes.

Veja a legenda divertida para a foto que nossos curtidores do Facebook propuseram.

foto 4

“Refrescãondo-se.”
Marcos Contreira

“No verão passado eu cabia.”
Claudia Laroque

“Te aprochega índio véio, não sabes o que estás perdendo.”
Gustavo Kauss

“Cansei de ser cachorro, quero ser um peixe!”
Caroline Dutra

“Calor do cão.”
Christian Ferreira

Comentários da página do leitor desta quarta-feira (08/10/2014)

07 de outubro de 2014 0

HOMOFOBIA E A BÍBLIA
Eu sou cristão protestante e tenho me revoltado muito com o modo como meus irmãos de fé têm se posicionado frente à homossexualidade. A Bíblia em si não é homofóbica. É preciso deixar isso bem claro, pois, devido ao preconceito de quem fala em nome dela, parece que esse livro é intolerante e discriminatório ou homofóbico.
Homofobia é justificar preconceitos usando a Bíblia como base – o que, infelizmente, é muito comum. Afirmar que a Bíblia é homofóbica por  sustentar que homossexualidade é pecado é ser intolerante. Apesar de esse discurso existir, não é muito forte. Não é o foco da comunidade LGBT lutar contra o livro em si. Agora, discriminar o homossexual com base no pecado descrito pela Bíblia é, sim, homofobia! E digo mais: é pecado! Desse modo, faz mais sentido bíblico que nos levantemos contra a homofobia do que contra a homossexualidade. A pergunta latente a todos os cristãos é esta: por que a homossexualidade nos escandaliza mais que a homofobia?
Jonathan Zotti da Silva
Professor – Porto Alegre
FISCALIZAÇÃO NAS ESTRADAS
Às vezes, ouço alguns motoristas apressados reclamarem de que a polícia rodoviária, munida de radar, fica emboscada atrás das árvores para surpreendê-los. Para eles, o comportamento da polícia seria desleal. Esses motoristas querem que o policial pare na beira da estrada, em lugar bem visível? Talvez preferissem que o policial ainda fosse precedido, 200 ou 300 metros antes, por um policial agitando uma bandeirinha vermelha? Assim, eles, os apressados, teriam tempo para diminuir a velocidade, passar incólumes pelo radar e, mais adiante, pisar firme no acelerador para retomar a velocidade anterior. Beleza!
Jayme Sá
Advogado – Porto Alegre

ALIANÇAS
Encerrada a primeira etapa eleitoral foram definidos os ocupantes de Legislativos estaduais e federais e alguns Executivos estaduais. Agora, a disputa é por alguns governos estaduais e pela Presidência da República. E, por certo, já começaram o que pode ser denominado como negociações de alianças. Mais uma vez vai chamar a atenção um fato que diminui o nível eleitoral: a falta da ideologia política, que mais uma vez será desconsiderada, sem levar em conta o eleitor. Mas que pelo menos desta vez sejam apresentadas propostas de governo. Ou teremos apenas acusações e afirmações agressivas? É esperar para ver.
Uriel Villas Boas
Advogado – Santos (SP)
SOBRE ZH

Em relação à reportagem “A fila é uma festa”, publicada sábado (04/10), é necessário acrescentar que, para os moradores das proximidades do Beco, nada é uma festa. Algazarra durante toda a noite e madrugada com jovens bebendo, urinando e defecando na calçada. A fila começa uma quadra antes da entrada. De manhã, não dá para caminhar nessa calçada, pois além de urina e fezes há também vômito e garrafas quebradas.
Temos que atravessar a rua, pois é impossível o trânsito de pedestres.
Em vez de valorizar a bagunça generalizada nessas filas, não seria o caso de Zero Hora chamar a atenção sobre o problema que isso causa às pessoas que moram próximo e que trabalham e têm que levantar cedo, depois de não conseguir dormir a noite inteira?
Aretê Porciúncula de Ávila
Professora – Porto Alegre