Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de outubro 2010

Douglas não desfalca o Grêmio

30 de outubro de 2010 0


Mesmo convocado por Mano Menezes, Douglas não irá desfalcar o Grêmio em nenhum jogo do Brasileirão. O amistoso contra a Argentina, em Doha, será dia 17 de novembro, uma quarta-feira, dia em que não haverá rodada pelo campeonato.
_ Tudo foi encaminhado para priorizar a Seleção, mas sem causar prejuízo aos clubes envolvidos no Brasileiro – afirmou Mano Menezes.



Grêmio diz que não veta árbitros

30 de outubro de 2010 1


O Grêmio não irá enviar nenhum protesto formal à CBF pelos prejuízos de arbitragem que sofreu na derrota para o Fluminense.
Segundo o diretor de futebol Alberto Guerra, manifestação nesse sentido pode fechar o canal de negociação aberto pelo clube junto à entidade.
- Não vetamos ninguém. Só vamos deixar claro que temos sido prejudicados por Heber Roberto Lopes – afirma Guerra.
Ele não teme que o time saia prejudicado no jogo contra o Goiás por conta do sorteio do brasiliense José de Caldas Souza, um árbitro de pouca experiência em partidas importantes.



Guarda Popular leva um jogo de gancho da Brigada

28 de outubro de 2010 2

A Guarda Popular foi punida com um jogo de suspensão pela Brigada Militar. Em reunião ocorrida na tarde dessa quinta-feira, a BM definiu que na partida deste sábado entre Inter e Santos, no Beira-Rio,  seus integrantes não poderão acessar o estádio com bumbos e faixas – terão acesso às arquibancadas, mas sem instrumento algum. A punição ocorreu por causa da briga ocorrida entre alguns torcedores da Popular no último Gre-Nal, no Olímpico.

Diego Cavalieri, Agenor e Abbondanzieri

28 de outubro de 2010 3


Com o final de temporada se aproximando, os jogadores (e os clubes) começam a procurar novas oportunidades. O goleiro Diego Cavalieri, ex-Palmeiras e atualmente no Cesena (ITA), deseja voltar ao Brasil. Sonha com a Seleção Brasileira, e foi oferecido ao Inter. Deseja atuar no Beira-Rio. A vaga que será deixada pela aposentadoria de Pato Abbondanzieri após o Mundial, deverá ser preenchida por Agenor, que está emprestado ao Criciúma – e foi o grande jogador da equipe na temporada. Além disso, Renan seguirá no clube pelo menos até meados de 2011, emprestado pelo Valencia. Lauro e Muriel completariam o grupo de goleiros. Mas, é claro, nada impede que Cavalieri desembarque no Beira-Rio em janeiro.



Affatato lança candidatura e reitera convite a Carvalho para seguir no futebol

27 de outubro de 2010 3

Pedro Affatato, primeiro vice-presidente do Inter e vice de finanças do clube, lançou oficialmente sua candidatura à presidência,  na tarde dessa quarta-feira, no Hotel Blue Tree, que serve de concentração para o Inter. O primeiro vice-presidente de Affatato, do União Colorada,  será Mário Sérgio Martins (na foto, ao lado de Affatato), do Ação Independente Colorada, na chapa de coalizão para a presidência. O cargo de segundo vice ainda está em aberto, uma vez que a tendência é colocar algum representante da oposição na função, a fim de aumentar o número de aliados com diferentes grupos. A Guarda Popular, torcida que apoia a chapa, também esteve presente.

No lançamento de sua candidatura, Affatato reiterou que convidou Fernando Carvalho para permanecer à frente do departamento de futebol. Ele considera importante a sequência do trabalho nessa frente. Carvalho ainda não deu uma resposta.

- Quero muito que ele permaneça à frente do futebol – afirmou o candidato.

Prestigiado por quase todos os vice-presidentes da atual gestão, como os de administração, de patrimônio, jurídico, do Parque Gigante, e da Feci, Affatato disse nesta tarde que caso o presidente Vitorio Piffero tentasse a reeleição, retiraria seu nome:

– Se o Vitorio fosse candidato abriria mão da minha candidatura em favor dele. Tentamos um acordo até o último momento, mas não houve interesse do movimento Inter Grande. Por isso, lançamos nossa chapa – disse Affatato.

Sobre a reforma do Beira-Rio, projeto que Affatato encabeça, relatou que é preciso seguir com o trabalho, pois há um Gre-Nal em andamento:

– Para nós o Inter está sempre em primeiro lugar. O momento é de integração, pois há um Gre-Nal para receber a Copa do Mundo. Não podemos perdê-lo. Precisamos aumentar a sustentabilidade e as receitas para manter um futebol vencedor.

Foto: Valdir Friolin

Gre-Nal teve recorde de ingressos falsos

27 de outubro de 2010 0


É cada vez maior a incidência de ingressos falsos em jogos no Olímpico. Só no Gre-Nal do dia 24, foram registrados 147 casos, encaminhados ao posto montado no estádio pela polícia civil. O diretor de administração Luiz Moreira tem convicção de que muitos outros ingressos falsos foram adquiridos por torcedores, que preferiram não prestar queixa.
A solução é uma só, orienta Moreira: os torcedores não devem comprar ingressos de cambistas ou pessoas estranhas.
A fraude consiste no seguinte: o cambista repassa ao torcedor um smart card de um jogo já disputado, o qual não passa na catraca. Se comprar na bilheteria, o torcedor recebe o smart card acompanhado de um recibo indicando o jogo e seu horário. Só este tipo de ingresso tem valor.
É bom lembrar. Dia 6 de novembro, tem Grêmio e Ceará no Olímpico.



Renato explica a longa estada no Rio

27 de outubro de 2010 0


Renato Portaluppi voltou para casa. Não para sua Guaporé natal, mas para o Rio, cidade que o adotou como filho ilustre a partir de 1987, ano de sua contratação pelo Flamengo. É lá que o treinador e o time do Grêmio irão permanecer até a próxima segunda-feira, mesmo que o jogo contra o Fluminense seja amanhã.
Uma estada tão longa no Rio causa estranheza. Mas, segundo Renato, tem a ver com a mudança da data de Goiás e Grêmio. Como esta partida foi antecipada de quinta-feira, dia 4 de novembro, para quarta, dia 3, Renato não viu sentido no retorno à Capital na próxima sexta. Seria desgastante, entende, viajar duas horas do Rio a Porto Alegre e, segunda-feira, percorrer um trecho bem mais longo até Goiânia. Por isso, marcou três treinamentos nesse perído para General Severiano e Laranjeiras. Os poucos períodos de folga ele passaará em casa, com a mulher e a filha. Promete abrir mão de privilégios e passar as noites no hotel, da mesma forma que os jogadores.
- O Rio fica do lado de Goiânia. Além disso, voos até Goiás são complicados, ainda mais em meio a um feriado, com aeroportos lotados. Se o jogo desta quinta fosse em São Paulo ou Belo Horizonte, eu faria a mesma coisa – garante o treinador.



A professora guerreira

27 de outubro de 2010 3

Após a confirmação que a sucessão de Vitorio Piffero terá três candidatos, os movimentos políticos do Inter começam a definir as suas cartadas finais para a eleição de 8 de novembro no Conselho Deliberativo. Em meio às brigas da situação, o Convergência Colorada, o principal movimento de oposição do Inter, inovou e apresentou uma mulher como candidata a 2ª vice-presidente da chapa de Sandro Farias. Pós-doutorada em Educação, Berenice Corsetti (na foto acima, junto de Sandro Farias), 64 anos, é professora da Unisinos, e poderá transformar-se na primeira mulher a assumir um cargo tão alto na direção do clube.

Natural de Caxias do Sul, Berenice tornou-se colorada ainda criança, uma vez que a família toda torcia para o Flamengo (atual Caxias), também de uniforme vermelho. Conheceu o Beira-Rio, um sonho de infância, somente em 1999, quando mudou-se de Santa Maria para Porto Alegre. Conselheira do Inter desde 2002 (e são apenas sete mulheres no Conselho atual), ela era ligada ao movimento Inter 2000 – já extinto e cujos seus partidários vincularam-se ao Convergência. Impressionou integrantes do grupo quando, em 2000, seu segundo ano como associada, participou do Linha Vermelha (programa de visita ao clube e que se encerrava em uma conversa com o presidente) e expôs as suas ideias a Jarbas Lima, então presidente do clube. Foi convidada a participar da vida política do Inter.
Desde aquela tarde, ligou-se aos programas sociais do clube. Ajudou a fundar o Mulher Colorada, movimento para incentivar a maior participação do público feminino no clube, participou da FECI (Fundação de Educação e Cultura do Inter), onde ajudou a trocar os computadores e impressoras para os jovens atendidos pelo programa, em uma parceria com a Unisinos, e atua há 10 anos como voluntária do Criança Colorada.
-  Sirvo cachorro-quente e Pastelina para a gurizada, nos intervalos dos jogos – orgulha-se.
Com Berenice, o Convergência também está de olho nos 13% mulheres que compõem o quadro social do Inter (de um total de 106 mil associados). Um número pequeno ainda, é verdade, mas que a candidata pretende ver crescer.
- Sempre fui uma mulher de lutas. Nos anos 80 e 90 liderei diversas greves na Universidade Federal de Santa Maria, para evitar a desestruturação do ensino, e fui a primeira professora a dar aulas no Colégio do Carmo, somente para alunos homens, em 1972, uma época ainda difícil para se quebrar barreiras – contou. – Se vencermos as eleições, me dedicarei aos projetos sociais do clube. Quero ver os meninos da base estudando e tendo oportunidade de ingressar em uma universidade.
Entre os seus ídolos estão a anarquista carioca Maria Lacerda de Moura, que nos anos 20 lutou pelo direito das mulheres à educação, e Fernandão, que segundo ela simbolizou a esperança dos colorados, com as conquistas da Libertadores e do Mundial.
- Não serei eleita para ficar fazendo chazinho para as mulheres. Sonho com um Inter maior ainda – disse. – E, antes que me perguntem, sei bem o que é impedimento e posso dizer as diferenças entre os esquemas 4-4-2, 3-5-2 e o 4-2-3-1 – avisou a candidata do Convergência Colorada.

Candidatura de Affatato à presidência será lançada nesta quarta-feira

26 de outubro de 2010 3

Pedro Affatato será lançado nesta quarta-feira à presidência do Inter. A apresentação da candidatura ocorrerá às 15h, em um local emblemático para o clube: no hotel Blue Tree, da Avenida Lucas de Oliveira, a atual concentração do Inter. A chapa completa será apresentada na quinta-feira, pois os movimentos União Colorada (de Affatato) e Ação Independente Colorada (de Mário Sérgio Martins), ainda aguardam apoios de outros grupos para apresentar a nominata completa. Affatato aposta que seguirá ao segundo turno da eleição colorada somando mais de 100 votos no primeiro turno, no Conselho Deliberativo, na eleição de 8 de novembro.

Sem acordo

26 de outubro de 2010 5


Com o fracasso da última tentativa de acordo para que a situação saísse unida à sucessão de Vitorio Piffero no Inter, a eleição do dia 8 de novembro no Conselho Deliberativo terá três candidatos, dois deles situacionistas: Giovanni Luigi e Pedro Affatato mais Sandro Farias, de oposição.
Nem mesmo o apelo pelo consenso, feito a Piffero por uma comitiva de influentes políticos gaúchos, liderados pelos deputados federais Ibsen Pinheiro e Beto Albuquerque, foi capaz de reconciliar os movimentos políticos do clube, com uma possível segunda reeleição de Piffero. Assim, com o racha configurado, o Inter partirá para a eleição às vésperas do Mundial.
Depois da reunião no prédio do deputado estadual Frederico Antunes, que começou na noite de sábado e foi encerrada já na madrugada de domingo, e que contou com as presenças de Piffero e de Fernando Carvalho, os dois dirigentes tiveram uma segunda reunião. Horas depois, na manhã de domingo, na casa de Piffero, com as presenças de lideranças de Roberto Siegmann e de Luciano Davi, dois dos líderes do Inter Grande, e de Luís César Souto Moura, líder do Coração Colorado, o presidente do Inter confirmou que não cederia aos apelos para concorrer uma vez mais.
_ Foi uma tentativa de boa-fé dos políticos, mas ela ocorreu tarde demais, uma vez que já se criou um clima de tensão entre os representantes dos movimentos que trabalham no dia a dia no clube. Seria muito bom para evitar o racha, mas o racha já existe e não há mais como abrigar todos sob o mesmo guarda-chuva _ disse Siegmann, assessor de futebol do clube e coordenador geral do Inter Grande. _ Piffero nos disse que só aceitaria concorrer se não tivéssemos candidato à presidência. E o Inter Grande já havia lançado Giovanni Luigi _ acrescentou o dirigente.
Siegmann assegura que ainda resta uma chance de consenso na situação: basta que Pedro Affatato não lance a sua candidatura à presidência (a apresentação da chapa do União Colorada, de Affatato ocorrerá amanhã).
_ O consenso não é impossível, desde que o União Colorada retire a candidatura. Assim, poderíamos construir uma chapa conjunta. Pedro Affatato seria um dos integrantes da comissão de obras, que terá o comando de Vitorio Piffero _ sugeriu Siegmann, que projeta mais de 150 votos para Luigi na eleição do Conselho (cuja cláusula de barreira é de 86 votos).
Pedro Affatato mantém a sua candidatura. Lembra que, por uma tentativa de consenso, o União Colorada convidou Luigi e Carvalho a permanecerem no futebol, mas que o candidato do Inter Grande rejeitou a oferta. Affatato lamenta a falta de acordo entre a situação. Com o apoio de grande parte do movimento Ação Independente Colorada e, possivelmente, de alguns movimentos de oposição, ele confia que passará pela votação no Conselho.
_ Sempre lutamos pela continuidade da gestão. O clube precisa ser gerido por várias cabeças, como foi nesses anos de conquistas, e não tornar-se o clube com um dono, como alguns querem fazer com o Inter _ afirmou Affatato, criticando a divisão na situação.
Apesar do racha, alguns nomes deverão fazer parte das chapas das duas correntes que concorrerão para renovar as 150 cadeiras no Conselho. Affatato, Luigi e Siegmann, por exemplo, deverão estar entre os primeiros integrantes das listas, a fim de afastar o risco de algum deles perder a vaga de conselheiro.

Com o fracasso da última tentativa de acordo para que a situação saísse unida à sucessão de Vitorio Piffero no Inter, a eleição do dia 8 de novembro no Conselho Deliberativo terá três candidatos, dois deles situacionistas: Giovanni Luigi e Pedro Affatato mais Sandro Farias, de oposição. Nem mesmo o apelo pelo consenso, feito a Piffero por uma comitiva de influentes políticos gaúchos, liderados pelos deputados federais Ibsen Pinheiro e Beto Albuquerque, foi capaz de reconciliar os movimentos políticos do clube, com uma possível segunda reeleição de Piffero. Assim, com o racha configurado, o Inter partirá para a eleição às vésperas do Mundial. Depois da reunião no prédio do deputado estadual Frederico Antunes, que começou na noite de sábado e foi encerrada já na madrugada de domingo, e que contou com as presenças de Piffero e de Fernando Carvalho, os dois dirigentes tiveram uma segunda reunião. Horas depois, na manhã de domingo, na casa de Piffero, com as presenças de lideranças de Roberto Siegmann e de Luciano Davi, dois dos líderes do Inter Grande, e de Luís César Souto Moura, líder do Coração Colorado, o presidente do Inter confirmou que não cederia aos apelos para concorrer uma vez mais. _ Foi uma tentativa de boa-fé dos políticos, mas ela ocorreu tarde demais, uma vez que já se criou um clima de tensão entre os representantes dos movimentos que trabalham no dia a dia no clube. Seria muito bom para evitar o racha, mas o racha já existe e não há mais como abrigar todos sob o mesmo guarda-chuva _ disse Siegmann, assessor de futebol do clube e coordenador geral do Inter Grande. _ Piffero nos disse que só aceitaria concorrer se não tivéssemos candidato à presidência. E o Inter Grande já havia lançado Giovanni Luigi _ acrescentou o dirigente.Siegmann assegura que ainda resta uma chance de consenso na situação: basta que Pedro Affatato não lance a sua candidatura à presidência (a apresentação da chapa do União Colorada, de Affatato ocorrerá amanhã)._ O consenso não é impossível, desde que o União Colorada retire a candidatura. Assim, poderíamos construir uma chapa conjunta. Pedro Affatato seria um dos integrantes da comissão de obras, que terá o comando de Vitorio Piffero _ sugeriu Siegmann, que projeta mais de 150 votos para Luigi na eleição do Conselho (cuja cláusula de barreira é de 86 votos).Pedro Affatato mantém a sua candidatura. Lembra que, por uma tentativa de consenso, o União Colorada convidou Luigi e Carvalho a permanecerem no futebol, mas que o candidato do Inter Grande rejeitou a oferta. Affatato lamenta a falta de acordo entre a situação. Com o apoio de grande parte do movimento Ação Independente Colorada e, possivelmente, de alguns movimentos de oposição, ele confia que passará pela votação no Conselho. _ Sempre lutamos pela continuidade da gestão. O clube precisa ser gerido por várias cabeças, como foi nesses anos de conquistas, e não tornar-se o clube com um dono, como alguns querem fazer com o Inter _ afirmou Affatato, criticando a divisão na situação. Apesar do racha, alguns nomes deverão fazer parte das chapas das duas correntes que concorrerão para renovar as 150 cadeiras no Conselho. Affatato, Luigi e Siegmann, por exemplo, deverão estar entre os primeiros integrantes das listas, a fim de afastar o risco de algum deles perder a vaga de conselheiro.