Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Morte de Escurinho emociona ex-companheiros

28 de setembro de 2011 2

A morte de Escurinho abalou a turma de 70. A luta contra o diabetes havia transformando-se em um símbolo para os ex-companheiros, um último grande adversário a ser vencido. Por volta das 19h30min, Dadá Maravilha retornou a ligação de ZH. Não havia atendido ao telefonema em um primeiro momento. Ligou de volta, como sempre faz. De Belo Horizonte, onde vive. Recebeu a notícia. E chorou.

- Meu Deus do céu! Eu amava o Escurinho… (aqui, Dadá interrompe o seu depoimento sobre o amigo e o choro o impede de falar).
Precisou retomar o fôlego para prosseguir.
- A gente brincava demais. Éramos como irmãos. Ele cantava e me abraçava. Era lindo ver aquele sorriso. Escurinho sempre foi uma criatura maravilhosa. O meu coração quase parou com essa notícia – disse Dario.
O capitão do timaço de 70, Elias Figueroa, também sofria com os cabeceios de Escurinho. Em treinos, o chileno era um dos responsáveis por tentar marcá-lo. Don Elias também era um conselheiro para Escurinho, em muitos momentos, uma espécie de irmão mais velho.
- Escurinho sempre foi um grande companheiro, quando a coisa estava feia para nós, ele entrava e resolvia. Era dificílimo marcá-lo, quase impossível, felizmente eu só precisei fazer isso em treinos – recordou Figueroa. – Estou muito impactado com a morte dele. Sabia que não estava bem de saúde, mas que vinha se recuperando – lamentou.
Escurinho era admirado também entre os adversários. O uruguaio Ancheta, zagueiro do Grêmio em muitos clássicos contra o atacante da camisa 14 (o seu “número de sorte” no Inter), também sofreu com a morte do amigo. Planejavam lançar um CD em breve. Ancheta, depois de deixar o futebol, dedicou-se a cantar boleros.
- Depois do futebol nos aproximamos, ficamos amigos, Escurinho era muito carismático. Podíamos cortar 15 cruzamentos, mas, na única chance que ele tivesse, marcaria o gol. Era um terror. Se tivéssemos um erro sequer, perderíamos o lance para ele e ficaríamos comendo grama – contou Ancheta.
Ontem à noite, o Grêmio postou a seguinte mensagem através de sua conta no microblog Twitter:
- O Grêmio FBPA solidariza-se com os desportistas em geral, amigos e familiares do ex-atleta Luiz Carlos Machado, “Escurinho”, falecido hoje.



Comentários (2)

  • Andre diz: 28 de setembro de 2011

    Lamentar e lembrar é que nos colorados que eternizamos o nosso camisa 12. E dizer que hoje contamos com o grande craque Jô, dá até vontade de chorar, mas ai é de raiva….. o tristeza……

  • alberto diz: 28 de setembro de 2011

    Parabéns ao Grêmio pela atitude respeitosa!

Envie seu Comentário