Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2013

Cotação: As notas para Passo Fundo 1x1 Grêmio

31 de março de 2013 5

Por Luiz Zini Pires

Marcelo Grohe
Duas grandes defesas, uma em cada tempo. Garantiu o empate. 7

Tony
Muitas dificuldades nas jogadas ofensivas e nos cruzamentos. 5

Werley
Ainda em busca da forma que o fez titular em 2012. Discreto. 5

Bressan
Jovem e com futuro. Exibiu alguns erros de posicionamento. 5

André Santos
Marcou bem, mas o seu forte é a jogada ofensiva, o que não fez. 6

Adriano
Um clássico volante de contenção, protetor de grande área. Só. 5

Souza
Poderia ter se soltado mais, ficou muito preso, guardando a defesa. 5

Marco Antonio
Não tem talento para ser o grande organizador do time. 5

Guilherme Biteco
Hábil, veloz e com bom toque de bola. Acertou o travessão. 6

Vargas
Fez gol de pênalti, mas não foi o atacante que o Grêmio precisa e espera. 6

Kleber (na foto, sendo derrubado em um lance digno de NFL)
Sofreu um pênalti, acertou o poste esquerdo e perdeu um gol incrível. 5

Matheus Biteco
Garoto da base, substituiu Souza e o time sentiu. 5

Fábio Aurélio
Voltou depois de 333 dias, o que já foi uma grande vitória. 6

Welliton
Substituiu Kleber sem nenhum acréscimo para o ataque gremista. 4

Cotação: Caio e D'Alessandro, os destaques em Inter 2x0 Esportivo

30 de março de 2013 6

Muriel
Sofreu com um sistema defensivo atrapalhado. Uma boa intervenção. 6

Gabriel
Teve enorme dificuldade para conter Paulo Josué. Foi ao ataque no 2º tempo. 5

Rodrigo Moledo
Uma de suas atuações mais fracas. Saiu no 1º tempo, com dor muscular na perna esquerda. O que justifica o baixo rendimento. 4

Juan
Bem nos desarmes e nas antecipações. Mas, coletivamente, participou da confusa noite da defesa. 5

Fabrício
Envolvido pelo ataque de Bento Gonçalves, cresceu quando juntou-se ao ataque. 5

Airton
Errou muitos passes, de todas as distâncias, e segurou os meias a faltas. 4

Josimar
Uma atuação segura, sem invencionices, e um grande lançamento para Dátolo. 6

D’Alessandro
Entrou no jogo depois de bater boca e trocar empurrões um reserva do Esportivo. Roubou a bola e deu a assistência para o gol de Caio. Depois, recebeu de Caio e marcou. 7

Dátolo
Ainda está longe de ser o Jesus Dátolo de um ano atrás. 4

Caio
Substituiu Forlán à altura. Um belo gol de cabeça. Cavou a expulsão de Ediglê e ainda deu a assistência para o gol de D’Alessandro. 7

Leandro Damião
Preso entre até três defensores, ficou esperando a noite toda por assistências que não apareceram. 5

Romário
Uma atuação um pouco superior à do titular, Rodrigo Moledo. 5

Rafael Moura
Precisa de mais tempo de jogo. Parece fora do ritmo de competição. 4

Otávio
Entrou nos minutos finais, mas demonstrou outra vez um drible fácil e grande agilidade. 5

Neymar ganha camisas de Guiñazu e de Montillo

29 de março de 2013 0

Neymar postou uma foto em seu Instagram com as camisas que ganhou dos amigos Guiñazu e Montillo. Uma do Libertad (o clube atual do ex-volante do Inter), outra do Lanús (clube para o qual Montillo torcia quando criança, da sua cidade natal). Montillo levou as camisas depois de ter jogado com Guiñazu as recentes partidas da seleção argentina, contra Venezuela e Bolívia.
- Obrigado guina e monti .. Pelas camisas do libertad e lanus !! Valeu pelo presente … Abs – postou Neymar em seu Instagram.

A volta da Copa Sul-Minas

29 de março de 2013 8

Ainda é algo improvável, mas, a partir dos clubes paranaenses, se inicia um movimento para reativar a Copa Sul-Minas. A competição, que envolveria equipes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná mais os mineiros Atlético, Cruzeiro e América, seria uma alternativa aos deficitários campeonatos estaduais. A Copa Sul-Minas foi disputada de 2000 a 2002. O Cruzeiro venceu duas edições, e o América-MG ganhou outra. Na próxima semana, haverá um encontro para dar início às tratativas.
A Copa Sul-Minas de 2001, por exemplo, viu a despedida de Ronaldinho do Grêmio. Na noite de 25 de janeiro de 2001, o Grêmio bateu o Figueirense por 2 a 1, Ronaldinho fez gol e foi vaiado (na foto, ele corre para comemorar o seu gol). Desde aquela noite, Ronaldinho jamais voltou a vestir azul, preto e branco. Meses depois, o Grêmio, com Tite, seria campeão da Copa do Brasil, vencendo o Corinthians na decisão no Morumbi.

Leandro Damião está fora dos dois primeiros jogos do Inter na Copa do Brasil

29 de março de 2013 3

Leandro Damião está fora dos dois primeiros jogos do Inter na Copa do Brasil, contra o Rio Branco-AC, ou contra Santa Cruz-PE ou Guarani-CE, caso a equipe de Dunga vença os acreanos por dois gols de diferença na próxima quarta-feira, na estreia do torneio.
O camisa 9 deverá ser substituído por Rafael Moura. Damião não poderá jogar porque foi expulso em 2 de dezembro de 2012, no Gre-Nal de despedida do Estádio Olímpico, ao envolver-se em um lance com o zagueiro Saimon. Damião foi expulso por Héber Roberto Lopes ao dar um cotovelaço em Saimon (na foto, em um dos muitos lances entre o centroavante e o zagueiro no Gre-Nal 394).
O advogado Daniel Cravo defendeu Leandro Damião ainda no ano passado, no STJD. Recorreu também por Muriel, igualmente expulso no clássico, ao evitar um gol de Elano. O centroavante foi julgado por agressão e por incitar a torcida adversária. Foi condenado apenas pela agressão.
- O Damião acabou pegando dois jogos de suspensão. Como o Gre-Nal havia sido na última rodada do Brasileirão, o cumprimento da pena ocorre na próxima competição organizada pela CBF, no caso, a Copa do Brasil – explica Cravo. – Já o Muriel está livre para jogar porque a sua expulsão foi em consequência do cartão vermelho, com suspensão automática e que se extingue com o campeonato, e não em virtude de uma punição aplicada pelo STJD, como ocorreu com Damião – completou o advogado.

Fernando Carvalho: "Eu venderia o Leandro Damião"

29 de março de 2013 2

É do elegante escritório na Cidade Baixa que Fernando Carvalho segue a vida fora do Inter. O presidente campeão do mundo tem ido pouco ao clube, mas segue trocando telefonemas semanais com Giovanni Luigi. Um pouco à distância do Beira-Rio, mas nem tanto assim, Carvalho não tem pretensões de voltar à presidência. Ao menos não nos próximos cinco anos, quando seguirá prestando consultoria para um fundo paranaense de investimentos em jogadores – que não negocia com a dupla Gre-Nal. Segue assistindo a todos os jogos do Inter e a pelo menos 12 partidas por semana na TV, de Gauchão à Liga dos Campeões, passando pela Libertadores.

Nesta entrevista, Fernando Carvalho elogia Dunga e o seu trabalho no Beira-Rio, acredita que o Inter precisará optar entre tentar vencer a Copa do Brasil ou o Brasileirão no segundo semestre, entende que o técnico foi demitido injustamente da Seleção, em 2010, diz que Leandro Damião deve ser vendido, cita a permanência de Neymar no Santos – que deverá deixar o clube quase de graça para o Barcelona – como um exemplo negativo, compara o Grêmio atual com o modelo de jogo do Inter de 2006 e teme ter uma certeza: a espanholização do futebol brasileiro.

- O Corinthians será o Barcelona da América do Sul – diz Carvalho.

A seguir, os principais trechos da entrevista:

Dunga no Inter
“Está realizando um excelente trabalho. Na Seleção já havia feito um time competitivo, que ganhou tudo e, por causa de um jogo (a eliminação para a Holanda, nas quartas de final da Copa da África do Sul), acabou demitido injustamente. O Inter vem mostrando conjunto a cada jogo, é um time com padrão bem definido. Por enquanto, está mostrando reposições para todas as posições. Também estou satisfeito com os comentários que tenho escutado lá de dentro (do Inter). Acho que está bem para um começo de trabalho. É verdade que ainda não pegou um grande desafio pela frente. Houve dois Gre-Nais, mas contra um Grêmio reserva ou misto. De qualquer maneira, o Inter foi muito superior em ambos. Se não fosse o árbitro segurar o jogo, no Gre-Nal de Erechim, o Inter teria vencido por diferença maior (o Inter venceu por 2 a 1)”.

Grupo encorpado
“Vejo um elenco muito focado. Isso é o principal para que uma equipe tenha sucesso no ano. Agora, a questão é manter esse grupo focado e motivado a temporada toda. E isso cabe ao técnico. Para enfrentar uma temporada longa como esta, sobretudo com Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro sendo disputados de maneira concomitante, será necessário um grupo de pelo menos 45 jogadores. É claro que nem todos os jogadores serão do mesmo nível, mas é fundamental que se tenha peças que entrem nos lugares dos titulares e possam manter um alto desempenho”.

Temporada sem Beira-Rio
“Será um problema jogar o ano todo fora de casa. O Inter não terá em momento algum aquele clima de Beira-Rio, aquela pressão sobre os adversários. Acho isso um problema, mas é o ônus pela reforma do estádio. A equipe nunca está em casa, sequer treina no Centenário (em Caxias do Sul) ou no Estádio do Vale (em Novo Hamburgo), o que impede o jogador de ter um ponto de referência, uma placa de publicidade, um poste, até uma cadeira, enfim. É algo a mais a ser superado.”

Voltar à presidência do Inter
“Depois que saí do Inter, voltei a trabalhar em meu escritório de advocacia. E uma das áreas em que mais atuo hoje é no direito esportivo. Presto consultoria para uma empresa de investidores do Paraná, a Liga Participações e Investimentos, onde faço contratos, pareceres sobre este ou aquele clube, este ou aquele jogador. É um fundo de investimentos, que coloca jogadores em diversos clubes, menos em Inter e Grêmio. Estou trabalhando em uma área incompatível com um trabalho no clube. Nem tenho aparecido muito porque é um trabalho que não fazia quando estava no Inter e passei a fazer agora. Estou empolgado em fazer isso, pois implica em estar sempre atualizado sobre futebol e sobre jogadores. Estou sempre à disposição do Inter para aconselhar a direção, quando procurado, mas pelos próximos cinco anos não tenho como voltar”.

D’Alessandro versão 2013
“Sempre disse que D’Alessandro precisa acreditar no processo, no que está acontecendo para dar o máximo. É algo natural dele. Ele acredita muito no que está acontecendo e acredita muito no Dunga. Por isso tem sido o D’Alessandro de antigamente. Além dele, tenho gostado demais do Moledo. Ele cresceu muito. Willians foi uma bela contratação e estou bem impressionado com o Caio. É um atacante de beirada, que vai para dentro. Pode fazer mais de uma função. Ele dribla em velocidade e tem o último toque lúcido. A principal característica é fazer assistência.”

Times com três atacantes
“É possível, desde que sejam três atacantes como os do Corinthians, que marcam. Não como os do Atlético-MG, que logo, logo terá problema. Eles jogam muito aberto, são atacantes que não recompõe. Quando dois ou três não marcam, é difícil tornar um time competitivo o tempo todo. Mas para a primeira fase da Libertadores está tranquilo.”

Libertadores 2013
“Os times brasileiros são os melhores. O Grêmio fez um baita jogo contra o Fluminense (3 a 0, no Engenhão). O Atlético-MG está muito bem. Dos estrangeiros, o Libertad tem um bom time, com o Guiñazu de terceiro volante, mas acho que irão até um certo ponto e vão parar. Na Libertadores vale aquela máxima: time que faz muitos gols ganha jogos, time que leva poucos gols ganha título.”

Corinthians
“É o grande favorito. Tem jogadores de qualidade e muito competitivos. Aliás, o Corinthians será o Barcelona da América do Sul, pela arrecadação que tem, pelo time que tem, pelo técnico que tem e pelo que arrecadará em um futuro próximo. Se o comando não mudar, será o Barcelona e será o favorito em todas as competições do Brasil e do no continente. na realidade, isso já acontece agora. O Corinthians fatura o dobro de nós, Inter e Grêmio. São R$ 400 milhões ao ano. Quando inaugurar o estádio (Itaquerão), o quadro social vai aumentar. Hoje, está em quase 100 mil sócios. Com o estádio inaugurado, o Corinthians vai faturar R$ 600 milhões por ano. Será muito difícil ganhar deles em torneio de pontos corridos. E o Real Madrid será o Flamengo, caso consiga se organizar. O fim do Clube dos 13 levou a isso.”

Venda de jogadores
“Eu venderia o Leandro Damião. Não só o Damião, como qualquer jogador. É uma estratégia de gestão que deu certo. Quem não vendeu jogador foi o Santos. O exemplo clássico é o Neymar. ganharam a Libertadores (em 2011) e poderiam ter vendido o Neymar por 60 milhões de euros, 50 milhões de euros. Não vendeu. O clube não ganhou mais nada, o jogador não ganhou mais nada e, daqui a um ano, ele sairá de graça (segundo a imprensa europeia, Neymar já negociou contrato com o Barcelona). Vai sair caminhando da Vila Belmiro, sem deixar receita alguma para o Santos. Segurou e não ganhou nada depois da Libertadores, quando deveria ter sido vendido.”

Copa do Brasil
“Será a mais difícil dos últimos anos. Vai chegar o momento em que o Inter terá que escolher entre ela e o Brasileirão. O elenco estará muito desgastado pela temporada e será quase impossível ser competitivo da mesma forma nas duas competições. Será preciso optar. Pesará para isso o time a ser enfrentado na Copa do Brasil e em que posição se estará no Brasileirão no momento dessa escolha. Será preciso administrar esse problema.”

Gre-Nal
“Com os dois times completos, seria um jogo parelho. O Grêmio tem muitas estrelas, contratou muitos jogadores de nome, mas ainda não é um time formado. O Inter levou três anos para montar um time confiável (o campeão da América e do Mundo, em 2006) em todos os jogos. Um time com muitos craques às vezes demora a ser formado e apresenta muitas surpresas. Quando se espera muito dele, em função da falta de continuidade, acaba frustrando as expectativas. Um time não se forma só com craques, se forma com sistema, com método e continuidade. O Inter, por exemplo, é um time mais modelado que o Grêmio. O modelo de jogo do Grêmio é o mesmo do Inter de 2006: com dois volantes (Edinho e Fabinho/Souza e Fernando), dois meias (Tinga e Alex/Elano e Zé Roberto), um atacante recuando para compor o quinto homem de meio-campo (Fernandão/Barcos), abrindo espaço para quem vem de trás. E Vargas, que é o Sobis.”

Seleção Brasileira
“Foi um erro erro ter tirado o Dunga, lá atrás, foi um erro ter tirado o Mano Menezes, o Felipão é um baita treinador, mas está começando o trabalho, às vésperas da Copa. Se não tiver sucesso, vai sofrer muita pressão. Gosto dele, mas hoje somos a quinta seleção do mundo, atrás de Espanha, Alemanha, França e Argentina. A Alemanha tem um grande time, preservou a sua equipe e está formada há um bom tempo. O Brasil tem bons jogadores, mas Felipão precisa encontrar uma maneira de formar um time competitivo sem ter os melhores jogadores. Precisa ter no time jogadores que não sejam da preferência da maioria dos torcedores brasileiros. Precisa ter um time mesclado, de jovens e experientes. Mas quem há de experiente? Júlio César e Kaká. Quem mais? Há muitos jogadores inexperientes em Seleção nesse time.”

Obras do Beira-Rio
“Estou acompanhando à distância, é preciso ter cuidado com a gestão da obra e, no final, na inauguração, para não cometer os mesmos erros dos outros, não só em Porto Alegre, mas como ocorreu no Mineirão. A Comissão de Inauguração tem esse papel, de não antecipar etapas, de esperar que tudo aconteça.”

Ibsen na presidência do Conselho e as críticas de Souto de Moura à costura política
“Isso faz parte do processo político do Inter. A ideia do Giovanni Luigi em patrocinar o acerto era acalmar as relações internas. Com o tempo, vai acabar acontecendo, mesmo com essas desavenças, pois são pessoas de alto nível. A oposição está sempre no direito dela de cobrar, de contestar”.

Em busca de reforços: Júlio Baptista na mira do Inter

29 de março de 2013 2

O Inter buscará um grande nome para reforçar o meio-campo da equipe na janela de agosto (que poderá ser antecipada para junho). Na Europa, há pelo menos seis jogadores na mira do clube. Alguns bem caros, como Giuliano e Diego, outros igualmente caros mas que podem vir por empréstimo, como Cleiton Xavier, Alan Patrick, Roberto Firmino e Júlio Baptista (na foto, com Daniel Alves, na Seleção de Dunga, em 2010). No caso do camisa 10 do Málaga, ex-São Paulo, Sevilla, Real Madrid, Arsenal, Roma e, é claro, Seleção Brasileira, aos 31 anos, Júlio Baptista poderia ser convencido pelo seu técnico na Copa de 2010, Dunga, a voltar. Além de Dunga, o zagueiro Juan é um grande amigo do meia.
Questionado sobre o interesse do Inter em Júlio Baptista, o diretor de futebol do Inter Luís César Souto de Moura respondeu:
- É claro que todo o grande jogador que tenha atuado com o Dunga na Seleção será lembrado nesse momento. É algo natural. Mas não falamos em nomes. É a nossa política.

Pela primeira vez no ano em Porto Alegre, Inter empata com São José. A cotação

27 de março de 2013 18

Muriel
Sem correr riscos. Uma defesa apenas. 6

Gabriel
Pouco inspirado, poderia ter apoiado mais. 5

Alan
Seguro no jogo aéreo. 6

Romário
Bem posicionado, simplificou as jogadas. 6

Fabrício
Dois bons cruzamentos. Buscou o ataque até o fim. 6

Airton
É um marcador viril. A falta é o seu recurso. 5

Josimar
Firme na marcação, apresentou-se bem em uma cobrança da falta. 6

Vitor Júnior (na foto)
Precisará jogar bem mais para se manter como opção ao meio-campo. 4

Dátolo
Ainda sente a falta de ritmo de jogo. Três chutes a gol. 6

Gilberto
Muita correria, pouca produção. 3

Leandro Damião
Tentou de tudo para marcar. Chegou a recuar para armar o jogo. Faltou-lhe parceria. 7

Caio
Deu novo fôlego ao ataque, sem consequência. 5

Grêmio cogita não entregar o Olímpico para a OAS

27 de março de 2013 160

A possibilidade de rompimento com a construtora OAS já não é descartada pelo Grêmio. Sob a alegação de que passará a enfrentar dificuldades financeiras ainda mais graves a partir da metade do ano, se forem mantidas as atuais regras do contrato, o clube poderá se negar a transferir o Olímpico para a parceira. Mesmo que isso provoque uma batalha judicial.

Por contrato, a troca de chaves deve ocorrer sábado, dia 30 de março. Como a Arena ainda não oferece estrutura física para o funcionamento do setor administrativo e segue inconcluso o Centro de Treinamentos, a troca necessariamente será adiada.

O trabalho da auditoria contratada pelo Grêmio para avaliar o contrato dá atenção especial a duas cláusulas. A primeira, a que trata do reembolso pelo espaço ocupado na Arena pelos associados em dias de jogos. Hoje, este valor é hoje de R$ 41 milhões. A segunda é relativa à divisão dos lucros. O Grêmio não concorda que seus 65% sejam decorrentes do lucro líquido ajustado, por entender que o valor final, descontadas as parcelas do financiamento da obra e a depreciação da obra, resultaria mínimo. Considera mais justo receber sua parte sobre o lucro bruto, mesmo reduzindo o seu percentual.

O dia 15 de abril é apontado como definitivo para o desfecho do caso. Nesta data, deverá estar concluído o trabalho da auditoria. De posse da conclusão, o Grêmio irá reivindicar a revisão das cláusulas que considera mais lesivas a sua vida financeira. Nos corredores do estádio, afirma-se que a data representará “uma encruzilhada” para a sequência ou não da parceria. Neste mesmo dia, o Conselho Deliberativo faz reunião para debater o contrato.

A tese, nos gabinetes do Olímpico, é de que a exploração comercial de áreas de 110 mil m2 na Azenha e outros 160 mil m2 no Humaitá já representa lucro suficiente para a construtora. Assim, o faturamento gerado pela gestão da Arena seria “a cereja do bolo”. A partir desse raciocínio, a empreiteira poderia concordar em apenas repassar ao Grêmio o financiamento de R$ 275 milhões. De posse da gestão, o clube projeta um faturamento aos moldes do Barcelona no Camp Nou.

- O trunfo do Grêmio na mesa de negociação é manter a propriedade, a posse do Olímpico - sustenta um conselheiro.

Por orientação do presidente Fábio Koff, a ideia do rompimento não é cogitada publicamente. Mas ninguém hesita em afirmar que a troca de chaves não tem data para ocorrer.

- O Grêmio não irá trocar o seu estádio por uma obra – avisa Nestor Hein, integrante do Conselho de Administração.


Inter: Oposição questionará superávit do clube em 2012

26 de março de 2013 17

Na noite de 1º de abril, quando o Conselho Deliberativo do Inter estiver reunido para apreciar as contas de 2012, conselheiros de oposição questionarão a gestão Giovanni Luigi sobre o contrato de renovação dos direitos de TV, assinado no ano passado, e que rendeu ao Inter uma injeção de R$ 35 milhões no caixa. A oposição quer saber se essa importância refere-se a “luvas” ou a “adiantamento”. Entende que se houve apenas um adiantamento, os R$ 35 milhões alteraram o balanço.
- O Inter passaria de um superávit de R$ 12 milhões para um déficit de R$ 20 milhões em 2012 - argumentou um conselheiro de oposição.
Na reunião, a oposição pedirá para analisar o contrato do Inter com a Globo. Caso perguntas fiquem sem respostas, as contas não deverão ir à votação, com a análise sendo protelada para um novo encontro.
- Todos os clubes do Brasil assinaram com a Globo. No contrato está bem claro, foram luvas, não adiantamento. É algo normal, está tudo regular – disse Luigi.