Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de agosto 2013

A cotação de Grêmio 1x0 Ponte Preta

31 de agosto de 2013 2
Fernando Gomes

Fernando Gomes

Dida – passou o sábado inteiro sem trabalhar.

6

Werley – partida após partida, tem exibido grande segurança.

8

Rhodolfo – um erro grave no jogo. De resto, seguro. Tentou mais de um vez o cabeceio na área adversária.

7

Bressan – sem problemas. Quase marcou um gol de cabeça em escanteio.

6

Pará – a dedicação habitual. Mas não foi muito produtivo nos avanços.

6

Souza – volante que não brinca em serviço. Cabeceou uma bola na trave.

7

Riveros – preocupado apenas em conter. Uma atuação discreta.

5

Ramiro – no primeiro tempo, exagerou nas faltas. De novo, o volante que mais chegou à frente.

6

Alex Telles – técnico, chega com facilidade ao fundo de campo. Só que os cruzamentos não foram os melhores.

6

Kleber – encanta a torcida com sua aplicação. Inteligência para ver o recuo errado de Betão e fazer o gol do Grêmio.

9

Barcos – boas assistências e um chute perigoso no primeiro tempo. No segundo, apareceu menos.

7

Zé Roberto – voltou após quase um mês lesionado. Com seus passes precisos, faz o time andar.

6

Vargas – também de volta, depois de longa parada. Tentou uma arrancada.

5

Matheus Biteco – entrou no fim. Sem nota.

 

 

 

 

 

 

 

Sequência favorável de jogos faz Grêmio sonhar com título do primeiro turno

31 de agosto de 2013 2
Mauro Vieira

Mauro Vieira

Ficou para trás a fase “carne de pescoço”, definição dada pelo técnico Renato Portaluppi à sequência de jogos em que o Grêmio só tinha pela frente equipes bem situadas na tabela.

A partir deste sábado, contra a Ponte Preta, a equipe passa a enfrentar adversários de menor tradição, o que lhe permite sonhar com posições ainda melhores na tabela. Uma possibilidade que ganha força quando se compara o que aguarda Cruzeiro e Botafogo, os dois líderes do Brasileirão.

Até mesmo a conquista do título simbólico do primeiro turno já começa a ser cogitada pelos jogadores.

- Essas vitórias já podem ser vistas como uma arrancada. Isso está com cara de time vencedor –  entusiasma-se o ala esquerdo Alex Telles.

O Grêmio tem motivos para sonhar alto. Antes do jogo contra o Bahia, pela 13ª rodada, o primeiro com três zagueiros e três volantes, ocupava a 7ª posição e não via chance real de avançar. Quatro vitórias consecutivas a partir daquele domingo na Fonte Nova representaram um salto para a 3ª colocação. Situação que ainda poderá melhorar nesta rodada, em caso de vitória na Arena e de um tropeço do Botafogo contra o São Paulo.

Não há mudanças no time. O banco, contudo, ganha o importante acréscimo de Vargas e Zé Roberto.

 

Giovanni Luigi nega venda de Leandro Damião para o Liverpool

30 de agosto de 2013 6

Ricardo Duarte

Com a janela de transferências para a Europa se fechando na segunda-feira, as especulações sobre a venda de Leandro Damião voltaram com força. O iPhone de Giovanni Luigi não parou de tocar a tarde toda. O presidente do Inter nega que Damião tenha sido negociado com o Liverpool. Também desconversa sobre os russos do Zenit.
- Não tem nada. Em momento algum o Liverpool se apresentou. Nunca recebi um telefonema deles. Nem sei se eles teriam cacife para comprar o Damião – afirma Luigi. – A história do Zenit ficou mais forte tempos atrás, depois, nunca mais falou em Damião. O Tottenham falou comigo nos dias 30 e 31 de janeiro. Nunca mais – acrescenta o dirigente colorado.
Apesar dos desmentidos, Giovanni Luigi não assegura que Damião permaneça no clube. Cita a venda do goleiro Renan, para o Valencia, em 2008, como exemplo:
- Renan treinou às 10h. E sequer havia uma proposta. Às 10h40min, desembarcou um espanhol no Beira-Rio, sem agendar nada e comprou o Renan. Não tem nada sobre Damião, por enquanto, mas o Brasil é um mercado vendedor. Só posso lembrar que esta é a quinta janela que dizem que o Damião será vendido e ele segue no Inter.
Zero Hora entrou em contato com o volante Lucas, jogador do Liverpool há seis temporadas, e ele afirmou nada saber sobre o possível interesse de seu clube no camisa 9 colorado.
- Quando tem algo com algum brasileiro eu fico sabendo. Desta vez, não ouvi nada – disse o ex-volante do Grêmio.

 

O goleador do Brasileirão no caminho do Grêmio

30 de agosto de 2013 0
 ESTADÃO CONTEÚDO

ESTADÃO CONTEÚDO

Por Marco Souza

marco.souza@diariogaucho.com.br

O artilheiro do Brasil vai colocar à prova a boa fase do Grêmio. Com 25 gols marcados em 36 jogos, o centroavante William é a aposta da Ponte Preta na Arena. Se houver vaias neste sábado, isso não será novidade. Acostumou-se com as reclamações dos gremistas em sua passagem de seis meses pelo Olímpico em 2010. As lembranças do seu período na Capital são para esquecer. A pior delas aconteceu em dia 1º de abril daquele ano. William ouviu aplausos ao ser substituído lesionado na vitória por 3 a 0 contra o Votoraty-SP, pela Copa do Brasil. Apesar da lembrança amarga, o centroavante garante não ter mágoas da antiga torcida. Mesmo sem esperar uma recepção calorosa, deseja um final bem diferente em sua estreia na nova casa gremista. Desta vez, não espera aplausos.

Diário Gaúcho - Você guarda mágoa da torcida do Grêmio?

William - Não tenho mágoas, fico triste pela lembrança. Você se machuca e as pessoas comemoram. Apesar de ser jogador profissional, tenho sentimentos. Mas não carrego rancor no meu coração. O Grêmio foi um lugar no qual aprendi muito.

DG - Como você define sua passagem pelo Grêmio?

William - Foi um aprendizado, pelo fato de não ter conseguido conquistar meu espaço e fazer gols. Tenho muito carinho pelas pessoas do clube. Infelizmente, há lugares em que o jogador não dá certo. As lesões me atrapalharam. Não guardo mágoas. Se pintar a oportunidade, quero fazer gols.

DG - Qual a recepção que você espera ter na Arena?

William - No Brasil, a cultura é de xingar e vaiar. Sei que vão me vaiar e xingar. Isso vai entrar em um ouvido e sair pelo outro. Uma coisa legal é que neste ano fui jogar contra o Vitória (defendeu o clube em 2012) e lá eles me apoiaram.

DG – Qual o segredo da sua boa média de gols na Ponte Preta?

William - Concentração. A maioria dos centroavantes se apavora, mas na área é preciso calma e tranquilidade. Uma coisa que aprendi é que o zagueiro é que precisa se preocupar comigo, não eu com ele.

DG - Como você espera o Grêmio sábado?

William - O Grêmio cresceu muito na competição. Quando um esquema encaixa, precisa manter. Ele vão vir pra cima. Vamos brigar para levar os três pontos.

DG - Mesmo com a mudança de técnico da Ponte, seu ano tem sido bom. Muda muito com o Jorginho?

William - Estou feliz pela minha campanha e os gols. Depois de ficar fora de três jogos, quero voltar com força total contra o Grêmio. O Jorginho tem filosofia de futebol interessante. Muita mudança no futebol não é legal, mas temos certeza que com ele dará certo.

 

 

Espinosa diz que também sofreu com o conceito de motivador hoje aplicado a Renato

30 de agosto de 2013 1

Opinião do treinador Valdir Espinosa sobre o esquema tático montado por Renato Portaluppi no Grêmio

“O vestiário é o início de tudo.

Vipcomm

Vipcomm

Se o treinador montar o esquema que 99% das pessoas acham perfeito e não tiver o vestiário na mão, fracassa. Agora, tendo o vestiário na mão, ele faz funcionar até mesmo o esquema que 99% das pessoas acham que não serve.

Os jogadores do Grêmio entenderam a mensagem passada pelo técnico.

As pessoas adoram colocar carimbos. Alguns dizem do Renato o que até hoje dizem de mim, que somos apenas motivadores. A resposta é simples: só motivação não funciona, é preciso conhecimento tático. O jogador logo irá perceber se o treinador não tiver conteúdo e vai ficar desconfiado. Renato está mostrando que tem uma maneira de jogar”.

 

 

Com sequência de maus resultados e empate no sertão, direção do Inter fará cobranças a Dunga e aos jogadores

30 de agosto de 2013 4

Alexandre Lops/Divulgação Inter

Com seis desfalques no time e um futebol sem inspiração, um Inter dispersivo fez muito pouco e apenas empatou em 2 a 2 com o Salgueiro, o suficiente para confirmar a vaga, e seguir adiante na Copa do Brasil. No jogo de ida, os gaúchos haviam goleado por 3 a 0.
Agora, o Inter enfrentará o Atlético-PR, que eliminou o Palmeiras. Pelo Brasileirão, jogando em casa, o Inter empatou em 2 a 2 três semanas atrás com os paranaenses. Para as quartas de final, a CBF reservou os dia 25 e 26 de setembro para os jogos de ida, mais 23 e 24 de outubro, para os de volta. Na terça-feira, a entidade realizará sorteio para definir a ordem de disputa do mata-mata.
O 2 a 2 mostrou uma vez mais as falhas do sistema defensivo, o que já perturba a direção, que promete cobranças a Dunga e aos jogadores. Nos últimos oito jogos, o Inter venceu apenas um. Justamente o Salgueiro, em Novo Hamburgo.
- Tem que se cobrar dentro do campo, um chamar a atenção do outro. O lance que ocasionou o pênalti foi um passe errado. O segundo gol, dá impressão de falta de atenção. Tem que estar comprometido até o final. É com muita conversa, muito treino tático e participação. A solução está dentro do próprio Inter, não tem magia. Tem que repetir, persistir, treinar e continuar trabalhando – disse o diretor de futebol Marcelo Medeiros.
O dirigente, desgostoso com o resultado no sertão, ainda completou:
- A direção e a comissão técnica são cúmplices. A gente trabalha em conjunto e não transfere responsabilidades. Cada um tem suas tarefas, mas estamos no mesmo barco. Estamos muito afinados com o treinador, com seus auxiliares. O torcedor tem razão: tem que cobrar.
Dunga reconheceu os erros defensivos e admitiu que precisará corrigir os problemas, mesmo sem tempo para treinar.
- Está faltando uma marcação mais forte sobre o adversário, não podemos deixá-lo solto. Foi difícil jogar contra uma equipe que marca muito e neste campo – comentou o treinador.
No domingo, o Inter reforçado por Juan, D’Alessandro, Forlán e, possivelmente por Gabriel, tentará encerrar a sequência de maus resultados diante do Coritiba, no Couto Pereira. Nesse Brasileirão, o Coritiba perdeu apenas uma partida em casa.

Copa do Brasil: Com defesa de pênalti, Alisson foi o melhor do Inter na morna classificação sobre o Salgueiro

29 de agosto de 2013 3

Alexandre Lops/Divulgação Inter

Alisson
Boas intervenções e uma defesa difícil no pênalti cobrado por Elvis. 7

Ygor
Errou passes e foi desatento em alguns lances. Levou um balãozinho de Elvis, dentro da área. 4

Ronaldo Alves
Foi de bicos a chutões, passando por uma furada em bola na frente de Alisson. 4

Alan
No 1º tempo, foi superior ao companheiro de zaga. Errou no gol do Salgueiro. 4

Fabrício
Foi visto pouquíssimas vezes cruzando a linha de meio-campo. 4

Airton
Mesmo diante de um adversário frágil, foi envolvido em alguns momentos. 4

Willians
Um dos poucos a estar ligado. Correu, deu carrinho, fez faltas, roubou bolas, errou passes… 5

Alex
Estava apagado até fazer uma jogada de Alex e marcar o primeiro gol no retorno ao Inter. 6

Jorge Henrique
Boa movimentação mais o gol que acabou com a série, aos 13min do 1º tempo. 6

Scocco
Começou interessado, mas foi se apagando, se apagando, se apagando… 5

Leandro Damião
Mero assistente. Verdade que a bola chegou pouco, mas Damião também não foi atrás. 5

Caio
Entrou interessado, mas com o jogo resolvido. Puxou dois contra-ataques. 5

Otávio
Mesmo com pouco tempo, ainda tentou movimentar-se junto a Caio. 5

Alan Patrick
Entrou no final. Sem nota

Para comentarista Júnior, da Globo, Renato achou o ponto de equilbrio do time

29 de agosto de 2013 0
Divulgação

Divulgação

Opinião do comentarista Júnior, da Rede Globo, sobre o esquema tatico de Renato Portaluppi

“Renato achou a mão certa, encontrou o equilíbrio entre defensores e atacantes, o que não é fácil. É isso o que todo treinador quer, independentemente de esquema.

Os três defensores não ficam restritos à marcação e ao desarme. Contra o Santos, Souza foi o elemento surpresa. Os laterais saem para o jogo e se juntam aos homens de frente. Além disso, o elenco tem muita qualidade. O banco é respeitável.

Como estamos falando de um técnico que é ídolo, a torcida tem mais paciência do que teria com alguém de fora. Agora, se começar a perder jogos, mesmo Renato passará a ser visto como um simples mortal e será cobrado. Faz parte da nossa cultura”.

 

 

Sócios do Inter protestam contra a setorização do novo Beira-Rio

29 de agosto de 2013 11

 

Os associados do Inter começam a se mobilizar para protestar contra a colocação de cadeiras locadas nas áreas centrais nas antigas arquibancadas inferior e superior. Nesta quinta-feira, um grupo de sócios protocolou requerimento junto ao clube, com mais de mil assinaturas, cobrando a manutenção desses dois locais somente com arquibancadas no novo Beira-Rio.
Conforme os projetos analisados até agora pelo Inter, a B-Rio vai explorar 5 mil cadeiras na antiga social (embaixo das extintas cabines de imprensa), enquanto o Inter terá de 6 mil a 8 mil cadeiras nas áreas centrais da superior e da inferior. Nas próximas semanas, a direção encaminhará para o Conselho Fiscal e para a Comissão Especial para Relacionamento com Sócios uma proposta para a nova setorização do estádio, com os locais para os associados e os lugares para as novas cadeiras locadas. Depois disso, ela será encaminhada para a aprovação do Conselho Deliberativo, com os pareceres das comissões.

Confira a possível divisão de setores no novo Beira-Rio:

Reprodução

E se partisse de Roth a ideia de escalar três zagueiros e três volantes?

29 de agosto de 2013 1
Divulgação

Divulgação

Celso Roth projeta o futuro longe do Brasil.

Procurado por uma das seleções que buscam vaga na Copa de 2014, o treinador já autorizou seus agentes a abrir negociação.

- Este é o meu objetivo. Torço para que ele se concretize – afirma Roth, sem dizer com qual seleção poderá se acertar.

No Brasil, ele diz que só irá analisar ofertas de clubes com boa estrutura.

- Um clube sempre será bem vindo, mas um treinador sempre precisa vislumbrar algo melhor, no caso, um selecionado – explica.

Seu último clube foi o Cruzeiro, entre maio e dezembro de 2012.

Perguntado se correria o risco de ser criticado caso armasse um esquema com três zagueiros e três volantes, como Renato Portaluppi faz atualmente no Grêmio, Roth esquivou-se:

- Sempre fui muito bem tratado pela imprensa gaúcha e brasileira.