Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Após duplo "não", de Abel e de Mano, Inter já mira "descartado" estrangeiro. Mas... Celso Roth vem aí?

19 de dezembro de 2014 2

Arquivo Rádio Gaúcha

* Com Alexandre Ernst
A nova gestão do Inter começa a colecionar negativas dos mais variados treinadores. Depois de Tite e de Luxemburgo, as últimas horas foram de revés com outros dois técnicos: Abel Braga e Mano Menezes. Na noite de quinta-feira, um telefonema de 20 minutos encerrou qualquer possibilidade do retorno de Abel ao Beira-Rio. Ao menos agora. De Miami, Abel Braga disse ao presidente Vitorio Piffero que precisa cuidar de questões pessoais no Rio de Janeiro, nos primeiros meses de 2015. Aproveitará para descansar e, em maio, rumará para os Emirados Árabes, a fim de assumir outra vez o Al-Jazira. Assinará por 9 milhões de euros (R$ 29,2 milhões) com os árabes.
Mano pulverizou com as chances de a nova direção contar com um treinador de Seleção Brasileira. Em contato com um emissário colorado, ele alegou que pretende tirar férias nos primeiros meses da nova temporada, viajar por outros mercados e se reciclar profissionalmente.
- Os trabalhos frente a Flamengo e Corinthians desgastam o profissional. Não apenas na questão física, mas, principalmente, na mental – afirmou Mano, durante jogo beneficente, em Venâncio Aires.
E agora?
Agora, o Inter será obrigado a rever uma vez mais o seu discurso e encartar mais um “descartado”: um estrangeiro. O argentino Jorge Sampaoli, técnico da seleção chilena, de Aránguiz, e amigo de D’Alessandro. Sampaoli virá ao Beira-Rio no dia 27, a convite de D’Alessandro, será um dos treinadores da partida beneficente Lance de Craque. Será também a oportunidade para que a nova direção possa conversar olho no olho com o comandante do Chile. Diego Aguirre, ex-atacante do Inter e um dos gringos cotados anteriormente, assinou com o Peñarol. Piffero e Luiz Fernando Costa, o vice de futebol do Inter, entendem que um estrangeiro terá dificuldades em se adaptar rapidamente ao futebol brasileiro. Porém, com apenas a Libertadores como grande torneio no semestre, repensariam tal conceito. Poderia começar o Brasileirão já familiarizado com o país e com os jogadores brasileiros.
Enquanto isto, ainda que seja um nome que desagrade boa parte da torcida, a presença de Celso Roth será constante até que se defina o treinador. Ou que Roth seja chamado, como última alternativa, dias antes de começar a temporada 2015.

Comentários (2)

  • Adenor Darabas diz: 21 de dezembro de 2014

    É uma barbaridade mesmo. A fábula que esses treinadores estão ganhando
    e ainda fazem boquinha para aceitar?? isso é uma calamidade.Que efetivem
    urgentemente o Clemes, e caso encerrado.O INTER não vai chegar a lugar
    nenhum com esse timeco de dá dó.

  • Juca diz: 21 de dezembro de 2014

    Tem muito colorado (?) não aprovando técnico algum. Mas ainda restou um time pra jogar. Continuam com medo?

Envie seu Comentário