Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Diego Aguirre é uma aposta do Inter para a Libertadores

22 de dezembro de 2014 0

Divulgação Inter

Vamos aos fatos: Diego Aguirre não foi a primeira escolha do Inter para a Libertadores. Foi a quinta. Antes dele, a convicção era Tite. Depois, Vanderlei Luxemburgo, depois Abel Braga, depois Mano Menezes e, então, Diego Aguirre – que chegará com o preparador físico Fernando Piñatares e com o preparador de goleiros Enrique Carrera. Treinadores diferentes e que colocam à prova a convicção da direção na definição de um perfil.

Aguirre esteve no Inter, ao final dos anos 80, no time de Abel Braga, em um tempo no qual o clube vivia na penúria financeira e de títulos. Foi o goleador do Inter na trágica Libertadores de 1989, que terminou no Olimpia. Agora, aos 49 anos, Aguirre surge como a esperança de um Inter endinheirado e com taças importantes fazer boa campanha outra vez e buscar o tricampeonato.

Vitorio Piffero e o vice de futebol Luiz Fernando Costa (na foto, com o novo treinador) foram a Montevidéu definir a contratação do treinador até o final da temporada. Piffero, com Fernando Carvalho, também esteve em Montevidéu, quatro anos atrás, a fim de contratar o também uruguaio Jorge Fossati. Fossati foi demitido depois de classificar o time para as semifinais da Libertadores de 2010, trocado por Celso Roth, porque não havia mais convicção da direção colorada em seu trabalho. Os jogadores brasileiros tinham dificuldade até para compreender as orientações do preparador físico Alejandro Valenzuela. Talvez por isto Piffero tivesse resistência a contratar um treinador estrangeiro – que agora vira solução.

Diego Aguirre não conhece boa parte do elenco do Inter. Está sendo informado agora, pela direção, com fichas individuais. Será apresentado nessa terça-feira no Beira-Rio. O Inter está a pouco mais de 50 dias da estreia na Libertadores.

Em 2011, Aguirre fez grande campanha com o Peñarol, na Libertadores. Com um time modesto, ficou em segundo na fase de grupos, atrás da LDU. Depois, eliminou o Inter de Paulo Roberto Falcão, vencendo o jogo da volta no Beira-Rio. Depois, derrubou Universidad Católica, Vélez Sarsfield e foi à final contra o poderoso Santos de Neymar. Empatou em casa por 0 a 0 e perdeu por 2 a 1, no Pacaembu. Perdeu porque não havia como superar aquele Santos. Fez grande campanha e foi vice-campeão.

O Inter aposta na garra de Aguirre na Libertadores. Se dará certo, o tempo dirá.

Envie seu Comentário