Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Beira-Rio ruge, Inter bate o Santa Fe por 2 a 0 e avança à semifinal da Libertadores

27 de maio de 2015 0

Felix Zucco

Com o maior público da história do novo Beira-Rio, o Inter bateu o Independiente Santa Fe por 2 a 0, com gols de Juan e de Mina (contra), e se classificou às semifinais da Libertadores. Em um jogo dramático, a vaga chegou com um gol aos 42 minutos do segundo tempo, depois que os colombianos tiveram dois expulsos.
Com Valdívia no banco e Lisandro López formando o ataque ao lado de Nilmar, o Inter fez o que dele se esperava: se atirou ao ataque. E até os zagueiros haviam se tornado homens de frente. Tamanha fome de gols levou o Inter a abrir o placar logo aos dois minutos – se utilizando da mesma arma do Santa Fe em Bogotá: a bola aérea.
D’Alessandro cobrou escanteio, Sasha cabeceou para o chão. A bola quicou, subiu, não iria para o gol. Isso até ela encontrar Juan que, quase ao lado da trave, saltou e cabeceou ao gol, encobrindo o volante Roa. O Beira-Rio rugiu pela primeira vez, comemorando o gol do defensor que havia falhado no gol de Mosquera, em Bogotá.
Com metade da missão cumprida, uma vez que o 1 a 0 levaria a decisão para os pênaltis, era chegada a hora de respirar fundo e repensar o jogo. Os minutos seguintes, porém, foram de chegadas do Santa Fe _ ainda que sem conclusão ao gol de Alisson.
Diego Aguirre sofreu uma baixa ainda cedo. Sasha recebeu um pisão no pé direito e não teve condições de prosseguir. A reserva de Valdívia durou apenas 14 minutos. A troca, porém, não ajudou a melhorar o Inter. Ao contrário: foi o Santa Fe quem passou a tomar conta do jogo, a ter maior posse de bola e a criar situações de gol. Já os donos da casa seguiam ansiosos e errando muitos passes. Para deixar a torcida ainda mais nervosa, a defesa colorada trocava muitas bolas em frente à área.
Aos 34 minutos, Alisson tentou o passe para Juan e, por pouco, Omar Pérez não fez por cobertura. No lance seguinte, Alisson saiu mal de novo e precisou dividir com Morelo para evitar o empate. O primeiro tempo chegou ao final com algumas jogadas mais viris, de lado a lado.
- Temos de buscar o segundo gol agora, não tem outro jeito – disse Valdíva, no intervalo.
No segundo tempo, Santa Fe e Inter passaram a ser mais ofensivos. Os colombianos buscavam o gol que poderia encaminhar a sua classificação, enquanto os de Aguirre trabalhavam melhor a bola e buscavam o 2 a 0 definitivo. O Inter por pouco não fez em uma sequência com Dourado, Geferson e depois com D’Alessandro. O campo, úmido, devido à chuva em Porto Alegre desde a madrugada, parecia deixar as jogadas ainda mais velozes.
Aos 13, Lisandro foi derrubado na área. O árbitro não marcou o pênalti. A pressão e o rugido do Beira-Rio cresciam. Valdívia foi o alvo preferido das faltas colombianas. Em mais uma delas, no meio-campo, parando um contra-ataque colorado, Aguirre entrou no campo exigindo o segundo cartão amarelo de Mosquera. Acabou expulso. Aos 22, o Santa Fe também teve um expulso, mas em campo. Mosquera, autor do gol em Bogotá, derrubou Nilmar e recebeu o segundo amarelo _ e o atacante, tonto com a pancada, foi substituído por Alex. Aos 32, D’Alessandro tabelou com Valdívia e mandou um chutaço para grande defesa de Castellanos. Aos 36, mais um expulso: o lateral Anchico, por falta em Valdívia.
O Inter ficou com dois jogadores a mais, trocou Geferson por Rafael Moura, e se jogou ao ataque. Não demorou para que um escanteio jogasse todo o time para a área colombiana. D’Alessandro cobrou e Rafael Moura entrou como um raio para desviar de cabeça e marcar o gol salvador da classificação – o gol, porém, foi dado para o zagueiro Mina, contra. O Santa Fe reclamou que o escanteio foi irregular, pois a bola bateu em Lisandro antes de sair.
Nos minutos finais, Lisandro ainda perdeu um gol cara a cara com Castellanos. Aguirre assistiu ao final da partida agachado, escondido da arbitragem atrás dos seguranças do Inter. Assim que o árbitro encerrou o jogo, o árbitro foi cercado pelos colombianos, e o zagueiro Mina acabou expulso. O Beira-Rio explodiu em festa, seguida pelo apagar dos refletores e pelo clarão dos celulares e smartphones.

Envie seu Comentário