Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Inter não resiste à suave pressão do Corinthians e leva a virada no Itaquerão

13 de junho de 2015 0

Anderson Rodrigues/Estadão Conteúdo

Corinthians e Inter fizeram jus ao clássico que representam. Na Arena Itaquera, o time de Diego Aguirre saiu na frente, com um golaço de Nilmar, mas, no segundo tempo, a defesa falhou e não conseguiu suportar a leve pressão corintiana, que virou o jogo para 2 a 1. Com a nova derrota, o Inter volta a figurar na segunda página da tabela de classificação do Brasileirão. Na quinta-feira, mais uma partida fora de casa: contra o Figueirense, em Florianópolis.

Os comandados de Tite tomaram a iniciativa desde o começo da partida. O Corinthians era o dono do meio-campo e chagava com facilidade à área de Alisson. Só não marcava por falta de destreza de seus atacantes. O Inter de Rodrigo Dourado, Nico, Jorge Henrique e Alex encontrava problemas para concatenar um lance de ataque mais encorpado.
Ainda assim, o virtuosismo de Nilmar transformava a falta de articulação colorada em jogadas com alguma contundência. Foi Nilmar quem fez um cruzamento em curva, às costas da zaga, e nos pés de Jorge Henrique. O meia-atacante, porém, não conseguiu dominar a bola quando ficaria cara a cara com Cássio. Enquanto o Corinthians se aproximava de Alisson cobrando faltas (algumas perigosas e sem tanta necessidade assim, como cometeram Alan Costa e Nico Freitas, porque não tiveram a técnica necessária para os desarmes), Nilmar se passou de um cruzamento de Ernando, mas acertou uma bicicleta e recolocou a bola na cara do gol. Rafael Moura não dominou e a bola escapou para Alex, que bateu no cantinho, porém, sem força, facilitando a defesa do ex-goleiro do Grêmio.
Aos 30 minutos, o jogo já estava equilibrado uma vez mais, com ações de lado a lado. Mas, do lado vermelho, Nilmar era quem seguia brilhando. E, aos 40 minutos, o seu esforço foi recompensado. Alex passou para Nilmar, que encontrou Rafael Moura, que devolveu de primeira, com um passe perfeito para Nilmar, que sem deixar a bola quicar bateu no ângulo, sem chances para Cássio. Um golaço. O Corinthians não teve forças para reagir e o primeiro tempo chegou ao final com a vantagem colorada sacramentada.
No segundo tempo, com Vagner Love no lugar de Petros, o Corinthians foi para cima e também deixou generosos espaços para os contra-ataques. Curiosamente, a primeira chance de gol foi do Inter. Alex cobrou escanteio, Gil errou e Alan Costa cabeceou sozinho _ para fora.
O problema para o Inter é que os donos da casa nem precisaram pressionar para empatar. Uma vez mais, o Inter cometeu uma falta na entrada da área. Juan se agarrou em Love. E quando o adversário tem um bom cobrador de faltas como Jadson, fazer uma falta dessas é quase como chamar o gol do adversário. E foi o que aconteceu: Jadson acertou um chute indefensável, no ângulo direito.
Apesar do empate, o Inter seguiu atacando e não se intimidou com o renovado entusiasmo do Corinthians. Alex e Nilmar por pouco não fizeram. Mas, além de Love, o Corinthians já tinha Danilo em campo. Juntos, eles passaram a desconstruir o sistema defensivo do Inter. Aos 21 minutos, Renato Augusto invadiu a área e deu uma janelinha de vinheta em Alan Costa e bateu a gol. A bola acertou a trave e, no rebote, Love virou o jogo.
O Inter voltou à carga, acertou uma bola na trave, com Rafael Moura, e seguiu buscando o empate _ oferecendo o campo de defesa ao Corinthians, que chegou a fazer o terceiro gol, as que foi anulado, por impedimento de Dracena.
Apesar do esforço, o Inter não teve forças para empatar. Não resistiu à suave pressão do Corinthians, levou a virada, e segue sem vencer fora de casa no Brasileirão.

Envie seu Comentário