Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de julho 2015

Desde 2000, quem ganha a primeira na semi costuma se classificar à final da Libertadores

16 de julho de 2015 38

Fernando Gomes

Desde 2000, as semifinais da Libertadores mostram que 70% dos clubes que disputam o jogo de ida em casa passam à finalíssima — como o Inter de 2010, contra o São Paulo. Nesse período, apenas três times que venceram a primeira partida em casa foram eliminados na de volta: o Corinthians caiu para o Palmeiras em 2000, o Cúcuta foi eliminado pelo Boca Juniors em 2007, enquanto que o Newell’s Old Boys vivenciou a sua tragédia contra o Atlético-MG em 2013.
Confira:

2000
Jogo de ida: Boca Juniors 4×1 América (MEX)
Jogo de volta: América 3×1 Boca Juniors
Classificado: Boca Juniors

Jogo de ida: Corinthians 4×3 Palmeiras
Jogo de volta: Palmeiras (5) 3×2 (4) Corinthians
Classificado: Palmeiras

2001
Jogo de ida: Cruz Azul (MEX) 2×0 Rosario Central (ARG)
Jogo de volta: Rosario Central 0×0 Cruz Azul
Classificado: Cruz Azul

Jogo de ida: Boca Juniors 2×2 Palmeiras
Jogo de volta: Palmeiras (2) 2×2 (3) Boca Juniors
Classificado: Boca Juniors

2002
Jogo de ida: Olimpia (PAR) 3×2 Grêmio
Jogo de volta: Grêmio (4) 1×0 (5) Olimpia
Classificado: Olimpia

Jogo de ida: São Caetano 2×0 América (MEX)
Jogo de volta: América 1×1 São Caetano
Classificado: São Caetano

2003
Jogo de ida: Boca Juniors 2×0 América de Cali (COL)
Jogo de volta: América 0×4 Boca Juniors
Classificado: Boca Juniors

Jogo de ida: Santos 1×0 Independiente Medellín (COL)
Jogo de volta: Independiente 2×3 Santos
Classificado: Santos

2004
Jogo de ida: Boca Juniors 1×0 River Plate (ARG)
Jogo de volta: Rivar Plate (4) 2×1 (5) Boca Juniors
Classificado: Boca Juniors

Jogo de ida: São Paulo 0×0 Once Caldas (COL)
Jogo de volta: Once Caldas 2×1 São Paulo
Classificado: Once Caldas

2005
Jogo de ida: Atlético-PR 3×0 Chivas Guadalajara (MEX)
Jogo de volta: Chivas 2×2 Atlético-PR
Classificado: Atlético-PR

Jogo de ida: São Paulo 2×0 River Plate (ARG)
Jogo de volta: River Plate 2×3 São Paulo
Classificado: São Paulo

2006
Jogo de ida: Chivas Guadalajara (MEX) 0×1 São Paulo
Jogo de volta: São Paulo 3×0 Chivas
Classificado: São Paulo

Jogo de ida: Libertad (PAR) 0×0 Inter
Jogo de volta: Inter 2×0 Libertad
Classificado: Inter

2007
Jogo de ida: Cúcuta (COL) 3×1 Boca Juniors
Jogo de volta: Boca Juniors 3×0 Cúcuta
Classificado: Boca Juniors

Jogo de ida: Grêmio 2×0 Santos
Jogo de volta: Santos 3×1 Grêmio
Classificado: Grêmio

2008
Jogo de ida: América (MEX) 1×1 LDU (EQU)
Jogo de volta: LDU 0×0 América
Classificado: LDU

Jogo de ida: Boca Juniors 2×2 Fluminense
Jogo de volta: Fluminense 3×1 Boca Juniors
Classificado: Fluminense

2009
Jogo de ida: Cruzeiro 3×1 Grêmio
Jogo de volta: Grêmio 2×2 Cruzeiro
Classificado: Cruzeiro

Jogo de ida: Estudiantes de La Plata 1×0 Nacional (URU)
Jogo de volta: Nacional 2×1 Estudiantes
Classificado: Estudiantes

2010
Jogo de ida: Chivas Guadalajara (MEX) 1×1 Universidad de Chile
Jogo de volta: Universidad 0×2 Chivas
Classificado: Chivas Guadalajara

Jogo de ida: Inter 1×0 São Paulo
Jogo de volta: São Paulo 2×1 Inter
Classificado: Inter

2011
Jogo de ida: Peñarol 1×0 Vélez Sarsfield
Jogo de volta: Vélez 2×1 Peñarol
Classificado: Peñarol

Jogo de ida: Santos 1×0 Cerro Porteño (PAR)
Jogo de volta: Cerro 3×3 Santos
Classificado: Santos

2012
Jogo de ida: Boca Juniors 2×0 Universidad de Chile
Jogo de volta: Universidad 0×0 Boca Juniors
Classificado: Boca Juniors

Jogo de ida: Santos 0×1 Corinthians
Jogo de volta: Corinthians 1×1 Santos
Classificado: Corinthians

2013
Jogo de ida: Olimpia (PAR) 2×0 Santa Fe (COL)
Jogo de volta: Santa Fe 1×0 Olimpia
Classificado: Olimpia

Jogo de ida: Newell’s Old Boys (ARG) 2×0 Atlético-MG
Jogo de volta: Atlético-MG (3) 2×0 (2) Newell’s
Classificado: Atlético-MG

2014
Jogo de ida: Nacional (PAR) 2×0 Defensor (URU)
Jogo de volta: Defensor 1×0 Nacional
Classificado: Nacional

Jogo de ida: San Lorenzo (ARG) 5×0 Bolívar (BOL)
Jogo de volta: Bolívar 1x 0 San Lorenzo
Classificado: San Lorenzo

Libertadores: Alisson, Valdívia e D'Alessandro são os destaques do Inter na vitória sobre o Tigres

15 de julho de 2015 1

Felix Zucco

Alisson
Foi um paredão à frente de Sobis e de Gignac. Salvou a vitória colorada. Nota 9

William
Atuação irregular na defesa. Pouco contribuiu no apoio. 5

Alan Costa
Deveria marcar Ayala, que pulou sozinho para fazer o gol. 4

Ernando
Envolvido por Sobis, teve dificuldade na contenção. 5

Geferson
Outro que passou trabalho contra Rafael Sobis. 5

Rodrigo Dourado
Preocupado com a marcação, subiu pouco. 7

Aránguiz
Não conseguiu ser o Charles Aránguiz da seleção chilena. 6

D’Alessandro
O capitão voltou. Fez gol, comandou o meio-campo e foi até de zagueiro. 8

Valdívia
Movimentação intensa no ataque, um gol, e auxílio à marcação. 8

Nilmar
A velocidade de sempre, mas perdeu os lances individuais contra os zagueiros. 6

Lisandro López
Foi presença constante na área. Duas boas conclusões. 7

Sasha
Deu novo gás ao ataque, mas ainda está longe de sua melhor forma. 6

Rafael Moura
Entrou no final. Sem nota

Inter bate Tigres e larga em vantagem na semifinal da Libertadores

15 de julho de 2015 0

Felix Zucco

O real Inter voltou a se apresentar na Libertadores. Após 49 dias de recesso na competição, o time de Diego Aguirre deu as caras uma vez mais, bateu o Tigres por 2 a 1 e, agora, precisa de um empate ou até mesmo derrota por um gol de diferença a partir do 3 a 2, no dia 22, em Monterrey, para disputar a sua quarta final do torneio e buscar o tricampeonato da América. Caso o Tigres vença por 1 a 0, eliminará o Inter. Vitória mexicana por 2 a 1 levará a decisão para os pênaltis. Na outra semifinal, o River Plate leva a vantagem do 2 a 0 obtida sobre o Guarani-PAR, em Buenos Aires, para a decisão em Assunção.

Com um Beira-Rio rugindo, o Inter saiu de cara para a sua Copa do Mundo particular. Logo aos quatro minutos, o experiente volante uruguaio Arévalo Ríos tentou recuar para o goleiro da seleção argentina Guzmán, mas Nilmar desviou o passe. Ato contínuo, D’Alessandro recolheu a bola, se aproximou um pouco mais da área e bateu reto, no canto esquerdo de seu compatriota. Um gol que fez os mais de 41 mil colorados festejar e deixou os mexicanos boquiabertos com a rapidez do gol.
Mas a turma de Rafael Sobis ainda teria uma surpresa a mais. Aos nove minutos, a bola se ofereceu para Valdívia, na ponta direita da grande área. O cabeludo camisa 29 chegou chutando, a bola desviou no corpo de Ayala, que tentou salvar de carrinho, subiu, enganou Guzmán e caiu às costas do goleiro. E dentro do gol: Inter 2 a 0. Para a alegria de Enrique Carrera, o substituto do suspenso Aguirre à beira do gramado.
O Tigres tentou se encontrar a partir dos 15 minutos, quando tentou esboçar uma reação. Sobis se desentendeu com Geferson. Irritado com uma falta do lateral, se levantou e o agarrou pelo pescoço. O árbitro precisou intervir para separar o que poderia se transformar em briga.
O problema é que o 2 a 0 parecia ter deixado o Inter bem satisfeito. Cedo demais. Aos 22, Sobis cruzou na área e o zagueiro Ayala subiu sozinho para desviar de cabeça e descontar para 2 a 1 _ o Inter sofreu um gol que definitivamente não estava nos planos.
Coube a Sobis incendiar o jogo e provocar a reação mexicana. Aos 30, William foi desarmado no meio-campo e o seu erro só não proporcionou o empate porque Alisson fez grande defesa aos pés de Sobis. O Inter se encolheu, permitiu a pressão do Tigres e passou a jogar em esporádicos contra-ataques. Aos 36, Gignac deixou Ernando para trás, invadiu a área e parou no paredão Alisson. Ao final do primeiro tempo, o Tigres reclamou de um pênalti de Alan Costa em Aquino, que não foi marcado pelo árbitro.
- Não podemos mais levar gols, se não vai ficar complicado – alertou Rodrigo Dourado.
A segunda etapa começou com Sobis cabeceando sozinho para a defesa de Alisson. O Inter assustava a torcida _ que esperava pelo terceiro gol para poder se tranquilizar. Quem seguia mais contundente era o Tigres. Arévalos Ríos teve o empate a sua frente, com uma bola que sobrou limpa, quase na marca do pênalti. Mas, para a sorte do Inter, ele chutou para fora. O meio-campo colorado precisava de maior proteção.
Aos 11 minutos, o zagueiro da seleção mexicana Ayala invadiu as canelas de Lisandro López com um carrinho e foi expulso. Não demorou para que Sasha entrasse no lugar de Nilmar. O Inter tentava transformar o 11 contra 10 em uma vantagem real no placar. Lisandro, duas vezes, parou nas mãos de Guzmán. Apesar dos 37 minutos que teve à disposição para ampliar, pouco produziu e embarcará para o México com a vantagem mínima na bagagem, porém, sempre uma vantagem.