Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Inter bate Avenida por magro 1 a 0 e ainda parece distante de apresentar um jogo sólido em 2015

25 de março de 2015 4

Fernando Gomes

O Inter venceu o Avenida no Beira-Rio. Por 1 a 0 e com boa dose de dificuldade. Ganhou a sétima no Gauchão, mas, assim como nos outros 15 jogos da temporada, segue sem apresentar um futebol sólido ou um jogo convincente. O técnico Diego Aguirre admite que a equipe ainda não deu liga. Assegura, porém, desconhecer os motivos pelos quais o seu time não encorpou em 2015.

- Estou esperando que o Inter jogue mais, não tenho uma razão, mentiria para vocês. Não gostei do espetáculo – disse Aguirre, questionado sobre a falta de um bom desempenho do Inter. – No futebol, o que pode acontecer é um time demorar um pouco para aparecer. Mas a minha confiança é total que o Inter vai aparecer na hora certa. O tempo dirá – emendou o técnico uruguaio.

Diego Aguirre repetiu que o esquema 3-5-2 não é definitivo. Mas acredita ter sido o que melhor se adapta às características dos jogadores colorados. Lembrou que em duas semanas terão início os jogos decisivos no Estadual, além da retomada da Libertadores.

- Temos que tentar encontrar uma regularidade. Todos queremos que o Inter jogue mais, que dê certo. Em 15 dias, começaremos a ter jogos decisivos. Prefiro arrumar o time ganhando. Tirei muitas conclusões desde o início do trabalho – argumentou o treinador.

De volta ao 3-5-2, o Inter dominou o primeiro tempo. Apesar de ter a iniciativa do jogo, não tinha a contundência necessária para marcar. Alex, com boa movimentação, acertou a trave, aos quatro minutos, em cobrança de falta. Na noite em que completou 33 anos, Alex ainda deixou Taiberson cara a cara com Villar, mas o goleiro fez uma arrojada defesa.

Se o Avenida mal conseguia passar da intermediária, a lentidão do Inter não permitia surpreender a defesa de Santa Cruz do Sul em contra-ataques. Paulinho, com um chute cruzado de fácil defesa de Alisson, aos 29 minutos, marcou o primeiro arremate do Avenida a gol. Na sequência, um pouco de emoção no jogo: Nilton concluiu, e Villa defendeu. Logo em seguida, na cobrança de escanteio, Nilton cabeceou e Michel tirou quase de dentro do gol.

Aos 34 minutos, Taiberson, lesionado, deu lugar a D’Alessandro, que não atuava desde 4 de março, quando se contundiu na vitória sobre o Emelec, no Beira-Rio, pela Libertadores. Com dois armadores, Alex e D’Alessandro, o Inter ficou mais insinuante. E, aos 41 minutos, fez 1 a 0, após cobrança de escanteio, desvio de cabeça de Nico Freitas e novo cabeceio, agora de Juan, empurrando para o gol. O primeiro tempo chegou ao fim com o Inter cumprindo a sua obrigação de vencer.
No segundo tempo, o que se viu foi um Avenida atrevido, chegando com alguma facilidade à área. Alisson fez pelo menos duas defesas difíceis para garantir a vitória.
O Inter terminou o jogo acuado em casa.

Diego Aguirre aposta que o tempo mostrará um Inter pronto para as finais do Gauchão e das fases decisivas da Libertadores. Mas, até agora, o que se vê é uma equipe distante deste otimismo demonstrado pelo treinador uruguaio.

Nos bastidores, Grêmio projeta para abril a compra da gestão da Arena

24 de março de 2015 13
Mateus Bruxel

Mateus Bruxel

Sempre que consultados sobre o andamento das tratativas para a compra da gestão da Arena, os dirigentes do Grêmio recorrem a evasivas. Por uma questão estratégica, evitam detalhes.
O fato, porém, é que a negociação está em andamento. E é possível garantir que, nos bastidores do clube, é forte o otimismo quanto a um rápido desfecho. Há quem projete a compra ainda em abril.
Tudo passa pelo pedido de recuperação judicial que a OAS deverá apresentar na Justiça Civil da Bahia. Não é certo que a Arena entre na relação de bens apresentada pela construtora para quitar os R$ 8 bilhões de dívidas com fornecedores, bancos, empregados e governo federal.
Nesse caso, ficaria mais fácil para o Grêmio ver aceita sua oferta de R$ 396 milhões, pagos em 20 anos, pela aquisição do estádio.
Além de receber o valor, a OAS deixaria de arcar com um prejuízo que chegou a R$ 40 milhões em 2014 e tende a ser ainda maior neste ano, já que a Arena não sedia jogos de Libertadores.
Para substituir as garantias bancárias obtidas no financiamento da obra, a construtora usaria os direitos de televisão e faturamento do quadro social oferecidos pelo Grêmio na negociação. Diante da situação de inadimplência vivida pela OAS, trata-se de uma solução que certamente seria aceita pelos bancos, sob pena de não verem recuperado o investimento.
– O otimismo é grande. Há coisas acontecendo. A inadimplência da empresa, provocada por seu envolvimento na Operação Lava-Jato, poderá provocar uma situação altamente favorável ao Grêmio – comenta um conselheiro.

Está no Chile o jogo-chave do Inter para se classificar em 1° no Grupo 4 da Libertadores

18 de março de 2015 16

Alexandre Ernst

Apesar de ocupar a segunda colocação do Grupo 4 da Libertadores, com os mesmos sete pontos do líder Emelec, o Inter está em boas condições para se tornar o primeiro colocado. Na próxima rodada, daqui a quatro semanas, os colorados enfrentarão a Universidad de Chile, em Santiago, enquanto o Emelec terá pela frente a altitude de La Paz, contra o The Strongest - a classificação atual apresenta Emelec (7), Inter (7), The Strongest (6) e Universidad de Chile (3).
Ocorre que o jogo na Bolívia será dois dias antes da partida no Chile. A tendência é que o The Strongest vença (já bateu Inter e La U, no Hernando Siles). Assim, os bolivianos ingressariam de vez na briga por uma das vagas às oitavas e os chilenos iriam a campo contra o Inter, dois dias depois, já eliminados. Com uma vitória em Santiago, o Inter passaria a liderar a chave e decidiria a última rodada em casa, contra o palatável The Strongest – que longe de casa já perdeu para Emelec e para La U.
A questão é: a decisão em Santiago será com Diego Aguirre na casamata do Inter?

Sincero Aguirre: "Para o título, falta muito"

18 de março de 2015 0

Rodrigo Buendias/AFP

Foi com a costumeira sinceridade que Diego Aguirre analisou o empate do Inter com o Emelec:
- Foi bom o ponto, pelo o que aconteceu, não pelo que apresentamos em campo. Temos que jogar mais.
O treinador uruguaio admitiu que o empate era o resultado dos sonhos do Inter no Equador. O empate manteve o Inter em segundo no Grupo 4, mas com a mesma pontuação do líder, Emelec. Mas lamentou o fraco futebol apresentado.
- Estou satisfeito pelo resultado. Era um dos nosso objetivos para a classificação. Jogamos bem o segundo tempo, mas, no final, tivemos problemas e poderíamos ter perdido. Para o título, falta muito. Estamos perto da classificação, mas, se quisermos ter vida longa na Copa, temos que compactar mais o time e mostrar mais futebol – disparou. – Contra o Emelec, somamos quatro pontos – recordou Alex, ao citar o empate mais a vitória por 3 a 2, no Beira-Rio.
Aguirre chegou a comemorar a pausa de um mês do Inter na Libertadores. Espera que até o retorno ao torneio, em 16 de abril, contra a Universidad de Chile, em Santiago, a equipe esteja apresentando um melhor futebol.
- É muito bom para o Inter dar esta parada de quatro semanas na Libertadores. Espero voltar com outra imagem, que o Inter possa definitivamente mostrar no campo as intenções que tem – finalizou o técnico do Inter.

Libertadores: Sasha e Vitinho, os destaques do Inter no 1 a 1 com o Emelec

18 de março de 2015 3

Rodrigo Buendia/AFP

Alisson
Seguro quando exigido. Sem culpa no gol. Nota 6

Ernando
Sem reação no gol do Emelec. Driblado com certa facilidade. Nota 4

Juan
Teve grandes dificuldades quando no mano a mano. Nota 5

Réver
Fez boas coberturas a Fabrício. Protagonista na expulsão de Lastra. Nota 6

Léo
Atrapalhado, falhou na marcação e foi desarmado com facilidade. Nota 4

Nicolás Freitas
Firme nos desarmes. Catimba na hora certa, como manda a Libertadores. Nota 6

Nilton
Tentou o ataque o tempo todo. Foi o que Aránguiz deveria ter sido. Nota 7

Aránguiz
Lento, não conseguiu ser o elo entre a defesa e o ataque. Saiu no intervalo. Nota 5

Alex
Articulador isolado do Inter, conduziu o time ao ataque até quando teve pernas. Nota 7

Fabrício
Foi o alvo preferido dos atacantes do Emelec. A noite toda. Nota 3

Eduardo Sasha
Mesmo sofrendo de “isolatite”, conseguiu se destacar no ataque. Nota 8

Vitinho
Deu nova vida ao ataque do Inter. Marcou um gol de centroavantão de área. Nota 8

Alan Costa
Entrou em uma defesa confusa. Sobreviveu a chutões. Nota 5

Anderson
Pouco contribuiu. Atuação opaca. Nota 5

Lateral Júnior acerta renovação com o Grêmio e poderá atuar contra o Lajeadense

18 de março de 2015 2

O lateral esquerdo Júnior voltará ser opção para Felipão a partir do jogo contra o Lajeadense, domingo, na Arena.
Afastado preventivamente até que seu contrato fosse renovado, o jogador assinará novo vínculo na quinta-feira, às 17h30min. O novo contrato terá a duração de três anos.
Seu procurador, o empresário Fabiano Carpegiani, admitiu que outros clubes, todos do Brasil, chegaram a se interessar pelo jogador. As tratativas, garante ele, não avançaram porque a preferência de Júnior sempre foi pelo Grêmio.
- O clube está dando a valorização que achamos justa. E o jogador realiza seu desejo de permanecer no Grêmio – destaca Carpegiani.
Júnior teve destacadas atuações no Gauchão. Por isso, sua saída do time surpreendeu os torcedores. Soube-se, posteriormete, que se tratava de uma medida de prevenção do clube. Como o vínculo atual se encerraria em 31 de agosto, Júnior poderia assinar pré-contrato com outro clube na metade do ano e sair sem custos em dezembro. No novo contrato, fica embutida uma multa rescisória, cujo valor ainda não é conhecido.

 

 

CBF dirá até quarta-feira se suspensão de Cristian Rodríguez será cancelada

16 de março de 2015 5
Ricardo Duarte

Ricardo Duarte

O Grêmio saberá em 72 horas se é possível converter em medida social a suspensão de quatro jogos aplicada pela justiça esportiva italiana ao meia uruguaio Cristian Rodríguez. O pedido foi encaminhado sexta-feira pelo vice-jurídico Leonardo Lamachia ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).
Jogadores punidos com suspensão superior a três jogos costumam ter a pena convertida em medida social. A diferença é que Cristian foi punido atuando fora do país _ atuava pelo Parma. Sem uma resposta, o presidente do STJD, Caio César Vieira Rocha pediu parecer ao jurídico da CBF.
– Não conheço nenhuma situação exatamente igual a essa. Como é o primeiro caso, encaminhei à diretoria de registros e transferências e ao jurídico da CBF – explicou.
A solicitação do parecer ocorreu ainda na noite de sexta-feira, logo após o pedido do Grêmio. O prazo regulamentar passou a correr nesta segunda. Assim, no final do expediente de quarta-feira, ou na manhã de quinta, Caio César espera ter obtido a resposta da CBF.
O Grêmio confia na conversão da pena em pagamento de cestas básicas. Alega que Cristian Rodríguez foi punido à revelia pelo tribunal de penas italiano. E o Parma não providenciou a defesa do jogador.

Oficial: déficit do Inter em 2014 foi de R$ 49 milhões. Clube enxugará R$ 20 milhões em custos

13 de março de 2015 15

Ricardo Duarte

O balancete de 2014 do Inter já tem um número oficial. O do déficit: R$ 49 milhões. O número, recorde para o clube, obrigará a atual gestão a seguir reduzindo custos, a demitir funcionários e afetará também os investimentos no futebol para o segundo semestre. Segundo o planejamento para a temporada, a meta é diminuir o “Custo Inter” em R$ 20 milhões até dezembro.

- Ainda não recebi o balancete, mas estamos fazendo uma reengenharia para poder trabalhar com um déficit de R$ 50 milhões. Temos que adequar o nosso fluxo de caixa a esta nova realidade – admitiu o vice de finanças, Pedro Affatato.

Conforme o dirigente, desde janeiro, a atual gestão vem realizando cortes mensais nos gastos do clube.
- Desde que assumimos, já reduzimos em quase R$ 1 milhão ao mês. E precisamos terminar o ano com uma redução de custos na casa dos R$ 20 milhões. Haverá demissões e redução de quadro – afirma Affatato.

E há exemplos. Somente para abrir o Beira-Rio em dias de jogos, houve uma redução de R$ 150 mil por partida (até o ano passado, custava R$ 350 mil para recebe jogos no estádio), com funcionários dobrando funções, a fim de compensar um quadro funcional que vem sendo enxugado. Profissionais da base também já deixaram o clube ou estão sendo substituídos.

- Estamos fazendo tudo isto para que o futebol seja minimamente afetado. Mas haverá alguma interferência, sim. Vamos reduzir custos, sem sucatear o futebol – comentou o vice de finanças do Inter.

Giovanni Luigi explica as contas
Presidente colorado por quatro anos, e que deixou o cargo em dezembro, Giovanni Luigi, entende que a situação econômica do Inter não é grave como este número aparenta. Ele alega que quase 80% do déficit se deve a “lançamentos contábeis e econômicos”, que não representariam custos para o clube. Entre eles, R$ 25 milhões a título de “depreciação de passes de jogadores” (o valor do atleta via diminuindo, conforme o seu contrato vai se aproximando do final com o clube), mais R$ 12 milhões de “diferenças cambiais”, entre outros lançamentos contábeis.

- A situação financeira do Inter é boa comparada a outros clubes brasileiros – declarou Luigi. – Mas, é claro que foi um ano difícil, pois apenas o Otávio foi vendido (ao Porto). Pelo bem da campanha no Brasileirão, deixamos de vencer Aránguiz e Valdívia – acrescentou.

O ex-presidente, que no ano passado viu aprovada com ressalvas pelo Conselho Deliberativo uma suplementação orçamentária de R$ 59,3 milhões, rebateu a informação de que toda a verba da TV de 2015 (R$ 45 milhões) foi adiantada no ano passado:

- Antecipei R$ 15 milhões e cheguei a pagar de volta duas parcelas. Ou seja: antecipei R$ 13 milhões.
Giovanni Luigi alega ainda que renegociou e passou a pagar com regularidade toda a dívida fiscal do Inter, que hoje está na casa dos R$ 129 milhões.

- Mas, se o Proforte for aprovado pela Câmara dos Deputados (o projeto de lei está tramitando em Brasília, com possibilidade de acordo junto ao governo federal), esta dívida cairá para R$ 90 milhões – afirmou.

Pessoas ligadas à gestão Luigi alegam ainda que as contas de Vitorio Piffero, em 2010, teriam atingido um alto déficit também, caso a venda do Estádio dos Eucaliptos (por R$ 28 milhões) não tivesse sido considerada no balancete.

As contas de 2014 serão apreciadas e votadas pelo Conselho Deliberativo no mês de abril.

Grêmio pagará R$ 85 mil por depredações no Beira-Rio. No Gre-Nal da Paz, colorados destruíram tantas cadeiras quanto os gremistas

12 de março de 2015 9

Leandro Behs

Nos próximos dias, o Grêmio desembolsará R$ 85 mil para o Inter, devido aos prejuízos causados por seus torcedores no Gre-Nal de 1º de março, no Beira-Rio. Foram 47 cadeiras depredadas mais dois banheiros quebrados, entre outros pequenos prejuízos. O curioso, porém, é que se o Gre-Nal em campo terminou em 0 a 0, o clássico do quebra-quebra deu Grêmio… por apenas uma cadeira. Em sua casa, os colorados destruíram 46 cadeiras - cada peça custa R$ 300.
Assim, é possível condenar o visitante? O clube alega que não foi por depredação, mas, sim, por empolgação exacerbada.

Em tempo: não foi registrada qualquer depredação ou incidente na área da torcida mista, onde mil gremistas levados por mil colorados conviveram durante todo o clássico.

O velho Giuliano ressurge para dar a vitória ao Grêmio sobre o Ypiranga

11 de março de 2015 6

Mateus Bruxel

Com boa atuação de Giuliano, a estreia de Braian Rodriguez e o retorno de Ramiro, o Grêmio venceu o Ypiranga por 1 a 0, no Colosso da Lagoa, e assumiu a terceira colocação do Campeonato Gaúcho. As notas:

Marcelo Grohe
Quase não foi exigido. Realizou apenas intervenções. Nota 6

Matías Rodriguez
Firme na defesa. Parou o elétrico Saldanha. Nota 7

Erazo
Um ou outro erro de cobertura. No mais, seguro, Nota 5

Rhodolfo
Precisou engrossar em alguns momentos e sair a chutões. Nota 6

Marcelo Hermes
Se limitou à marcação.Teve dificuldades. Pouco avançou. Nota 4

Marcelo Oliveira
Mais discreto do que em outros jogos. Se manteve na defesa. Nota 6

Fellipe Bastos
Deixou o time na mão no 2° tempo, com uma expulsão tola. Nota 3

Giuliano
Aos poucos, resgata o Giuliano dos velhos tempos. Nota 8

Douglas
Organizou o meio-campo. Mas caiu de produção no 2° tempo. Nota 6

Luan
Um passe perfeito para o gol de Giuliano. Nota 7

Yuri Mamute
Quando toma a frente do lance, só é parado a pancadas. Nota 7

Ramiro
Entrou para dar maior consistência ao meio-campo. Nota 6

Braian Rodriguez
Uma chance e quase fez. Mas acabou prejudicado pela falta de articulação do ataque. Nota 6

Araújo
Foi para o sacrifício, quando o Grêmiuo já tinha um a menos. Nota 5