Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Agora, já são cinco os candidatos a presidente do Grêmio

18 de setembro de 2014 0

Agora, já são cinco candidaturas a presidente do Grêmio. O mais novo postulante ao cargo de Fábio Koff é Pierre Gonçalves, pelo movimento Sócios Livres.
O grupo rejeitou a tentativa de aproximação feita pelo Grêmio Novo e optou por ter chapa própria.
Por enquanto, o Sócios Livres conta com o apoio de 18 conselheiros independentes. E passa a acelerar articulações para chegar a pelo menos 60 e, com isso, superar cláusula de barreira de 20%.
Pierre Gonçalves concorrerá com Romildo Bolzan Jr., Homero Bellini Jr., Nilton Cabistani e Jorge Bastos.
O primeiro turno será dia 7 de outubro.

 

Segue o seco

18 de setembro de 2014 0

Agência RBS

Ricardo Duarte

Para tentar voltar a Porto Alegre com quatro pontos, na gira de Sport e Atlético-PR, Abel Braga poderá utilizar Rafael Moura e Wellington Paulista juntos, amanhã, na Arena da Baixada. O técnico elogiou o desempenho de seus centroavantes no 0 a 0 com o Sport.
A dupla, porém, não marca há tempos. Moura não faz gols há 859 minutos em nove jogos que esteve em campo, quase todos como titular. Já Wellington Paulista, não marca há 740 minutos, em 12 partidas que iniciou ou entrou no segundo tempo.
Nilmar será apresentado oficialmente nessa sexta-feira. E ainda não tem data para estrear.

Grêmio Novo ainda não procurou Odone para pedir apoio na sucessão presidencial do clube

18 de setembro de 2014 1

O ex-presidente do Grêmio Paulo Odone garante não ter sido procurado pelo candidato Jorge Bastos, do Grêmio Novo, que lançará candidatura na próxima semana.
Mesmo que o Grêmio Novo tenha participado ativamente de sua gestão, entre 2005 e 2008, e entre 2011 e 2012.
Por meio de amigos e integrantes de sua diretoria, Odone avisa que não tem um grupo político definido e, por enquanto, não está envolvido na sucessão presidencial do Grêmio.
Mas não descarta apoiar algum nome que possa agradá-lo.
Ainda com forte liderança política dentro do clube, Odone contaria com pelo menos 60 votos dentro do Conselho. Uma fatia considerável para quem deseja chegar ao segundo turno.

Abel reclama do calendário, elogia Inter com dois centroavantes e justifica trocas: "Você acha que Alex foi criativo hoje?"

17 de setembro de 2014 17

Fernando Gomes

Abel Braga partiu para uma série de desculpas a fim de explicar a falta de gols em Recife – quando o seu time foi superior e não conseguiu marcar. Perturbado com os questionamentos dos repórteres sobre o lance final – quando Valdívia bateu um escanteio curto para Alan Patrick que devolveu para Valdívia cruzar na área -, o treinador do Inter começou a argumentar:
- Não tem o que explicar. É último lance do jogo. Patrick encostou e recebeu. Mete na área, mas devolveu para o Valdívia bater na área. Então bate direto, tem tanto time ganhando no último minuto… Merecíamos o resultado positivo. Se tivesse jogado um pouco mais, teríamos ganho.
Em seguida, Abel foi questionado sobre as saídas de Alex e de D’Alessandro – para os ingressos de Valdívia e Rafael Moura. Ignorou a questão sobre o argentino e disse que pensou em sacar Alex (quem começou a definir a vitória sobre o Botafogo, com um golaço de fora da área) ainda no intervalo.
- Você acha que o Alex foi criativo hoje (ontem)? O jogo estava para eles (Valdívia e Moura), estavam mais frescos. Tem dia que se é criativo, tem dia que não. Iria tirá-lo no intervalo. Se imaginasse qe o Sport ficaria com um a menos (o atacante Erico Júnior se lesionou quando o Sport já havia realizado as três substituições), não teria tirado porque o Alex sempre tem a chance do chute de fora da área – justificou o treinador.
Abel Braga partiu ainda em defesa de seus centroavantes, Wellington Paulista e Rafael Moura, que jogaram juntos por 25 minutos, na tentativa de fazer um gol.
- Todo o atacante passa por isto (a falta de gols): Damião, Jô, Fred também já passou. A relação dos dois em campo foi muito boa. Gostei muito e poderei usá-los de novo – admitiu o técnico.
Ao final da entrevista, Abel retomou as reclamações sobre o calendário nacional e as viagens – ele já havia se queixado anteriormente, nas breves passagens do Inter pela Copa do Brasil e pela Copa Sul-Americana:
- Jogar quarta e domingo não é fácil. Estivemos no Nordeste três vezes recentemente. É desumano. Não dou desculpas. Estamos precisando treinar. Mas não conseguimos, pois é só jogar e viajar.
O presidente Giovanni Luigi foi questionado sobre as decisões do treinador e sobre se a direção tem cobrado a comissão técnica. E Luigi respondeu:
- Não viemos a Recife somente para ver o jogo e, sim, para estar atento e cobrar em nome do clube. E sabemos como fazer isto, no momento oportuno.

Cotação: As notas para Sport 0x0 Inter

17 de setembro de 2014 5

Aldo Carneiro/Lancepress!

Dida
Não sai do gol nem por decreto. Na pequena área, duas boas defesas. 6

Gilberto
Resguardado na defesa, auxiliou a zaga e não comprometeu. 5

Ernando
Bem nos lances aéreos, conteve as jogadas do Sport. 6

Paulão
Se antecipou aos atacantes na maioria dos lances. E foi ao ataque. 8

Fabrício
Dificuldades para marcar os avanços de Patric. Compensou no apoio. 6

Wellington
Não armou como em outras partidas, mas foi um grande auxiliar da zaga. 6

Aránguiz
Mais preocupado com a marcação, ainda tentou auxiliar o setor ofensivo. 7

Alex
De novo uma atuação consistente. Marcou, armou e chutou a gol. 7

Sasha
Ganha confiança a cada jogo. Deixou Wellington Paulista na cara do gol. 6

D’Alessandro
Poderia ser mais efetivo. Caiu pelas pontas e viveu de alguns cruzamentos. 6

Wellington Paulista
Péssimo como centroavante, bem como ponteiro pela direita. 5

Valdívia
Elétrico, deu nova velocidade ao setor ofensivo. 7

Rafael Moura
Duas chances de gol desperdiçadas e um bom cabeceio que parou em Magrão. 5

Alan Patrick
Entrou no final. Sem nota

Grêmio terá quatro candidatos a presidente. Grupo político de Odone entra na disputa

17 de setembro de 2014 0
Andréa Graiz

Andréa Graiz

Surge a quarta chapa à eleição presidencial do Grêmio. Depois de Romildo Bolzan Jr., pela situação, Homero Bellini Jr., do Grêmio Independente, pela oposição, e Nilton Cabistani, do Grêmio Democrático, que se intitula uma chapa alternativa, agora surge Jorge Bastos (foto), pelo Grêmio Novo.
Convencido a concorrer, para que o Grêmio Novo não desaparecesse do cenário político do clube, Bastos já comunicou ao presidente Milton Camargo seu pedido de licença da vice-presidência do Conselho Deliberativo.
– Será uma candidatura em cima de propostas, sem agressão. Sei que é bastante difícil a missão de chegar ao segundo turno – admite Bastos, um dos fundadores do Grêmio Novo, movimento que sustentou a gestão do ex-presidente Paulo Odone.
Um quinto candidato poderá ser anunciado. Trata-se de Pierre Gonçalves, do movimento Sócios Livres. Só não concorrerá caso Jorge Bastos tenha sucesso em sua tratativa de levá-lo para sua chapa.

Inter já fatura com Nilmar. Camisa número 7 está à venda no site do clube

17 de setembro de 2014 0

Reprodução

O Inter espera receber em no máximo uma semana o atestado liberatório de Nilmar, via Al-Jaish, o seu último clube no Catar. Após o acerto com o atacante, em um contrato por três anos, o clube gaúcho agora trata de obter dos árabes a documentação do seu mais novo repatriado. O Inter tem até o dia 3 de outubro para receber a documentação – data na qual se encerrarão as inscrições para o Campeonato Brasileiro. Caso o atestado liberatório não seja entregue, a transação entre Inter e Nilmar será desfeita. Mas, nos bastidores do Beira-Rio, esta hipótese é tido como extremamente remota. O Inter já conta com emissários junto ao clube catari para obter a liberação o mais rápido possível, no caso, em uma semana.
Enquanto isto, o Inter já fatura com Nilmar. A nova camiseta do atacante, a número 7, com Nilmar escrito às costas, está à venda na loja virtual do Inter (foto acima) por R$ 249,90.

Grêmio cogitou recepção especial a Aranha na Arena

16 de setembro de 2014 60
Bruno Alencastro

Bruno Alencastro

O Grêmio cogitou uma recepção especial ao goleiro Aranha, do Santos, na partida desta quinta-feira, na Arena. Algum gesto que representasse um pedido de desculpas e que suavizasse a imagem do clube no julgamento em segunda instância no STJD, dia 26.
Mas desistiu diante da posição irredutível do jogador, que mostrou-se refratário a qualquer contato com o clube após o episódio de injúria racial de 28 de agosto.
– Só poderia haver iniciativa nesse sentido se houvesse disposição de parte dele. Como não ocorreu, respeitamos. Ele foi ofendido e está no seu pleno direito de não aceitar qualquer aproximação – destaca o vice-presidente Nestor Hein.

 

 

Alta responsabilidade: Nilmar é a última esperança do Inter para acelerar o ataque

16 de setembro de 2014 7

Agência RBS

Em um time dependente de seu meio-campo ou de lampejos de seus meio-campistas, Nilmar surge como a única alternativa possível para fazer com que o ataque do Inter consiga correr. Sem uma opção de velocidade desde a saída de Taison, após a Libertadores de 2010, o Inter é paquidérmico ao se mover do meio para a frente. Poucas equipes se mostraram mais lentas no setor ofensivo deste Brasileirão do que o Colorado.
A partir da chegada de Nilmar, porém, a tendência é que esta situação se modifique. Nilmar pode atuar como o atacante solitário do time, como o fez em 2008, na campanha vencedora da Copa Sul-Americana – quando Alex foi um dublê de armador e finalizador -, ou ao lado de Wellington Paulista, ou de Valdívia, de Sasha, de Jorge Henrique… e até de Rafael Moura. A esperança da comissão técnica, por sinal, é que Nilmar faça Moura voltar aos bons tempos de Goiás, quando em 2010 teve a sua melhor campanha em anos, levando o time à final da Copa Sul-Americana.
Nilmar, mesmo sem atuar desde abril, se torna a solução mágica e imediata de um Inter instável e que ainda sonha alto neste Brasileirão.

Ainda sonhando com o título, Inter quer estrear Nilmar contra o líder do Brasileirão

16 de setembro de 2014 2

Ricardo Duarte

O Inter tem pressa para colocar em campo o seu mais novo reforço. Quer ver Nilmar vestindo vermelho oura vez na partida contra o Cruzeiro, em 4 de outubro, no Mineirão. A partida é emblemática, pois poderá ser a última chance de o Inter seguir sonhando com o título de campeão brasileiro. Hoje, o Cruzeiro tem nove ponto a mais que o Inter. No jogo de ida, em Caxias do Sul (o Beira-Rio já estava cedido para a Fifa), os mineiros venceram por 3 a 1.
Por isto, todo o reforço será necessário para que os gaúchos tentem dar a volta no Mineirão. Nilmar não joga desde abril, quando disputou a última partida pelo Al-Jaish, no campeonato do Catar, mas vinha treinando fisicamente. No Beira-Rio há esperanças que ele tenha condições de jogo para pelo menos 45 minutos de velocidade ao ataque colorado.

* Com Alexandre Ernst