Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Sorria, colorado. Nilmar está de volta

04 de março de 2015 0

Fernando Gomes

O Inter bateu o Emelec por 3 a 2, de virada, no Beira-Rio, e empatou por pontos com o líder do Grupo 4 (justamente o Emelec). Nilmar e Alex foram os destaques da partida. As notas:

Alisson
Foi deixado diversas vezes cara a cara com os atacantes. Uma defesa salvadora. Nota 6

Léo
Um pouco superior a Fabrício. Nota 5

Réver
Envolvido na defesa, mas fez um salvador gol de centroavante. Nota 6

Alan Costa
Envolvido com facilidade pelo ataque equatoriano. Nota 4

Fabrício
Um vacilo e… gol do Emelec. Nota 4

Nico Freitas
Joga sério, sem invencionices. Nota 6

Nilton
Um jogo de altos e baixos, com falhas de marcação. Nota 5

D’Alessandro
Boa atuação até uma lesão o tirar de campo, aos 43min do 1° tempo. Nota 6

Sasha
Se movimentou o tempo todo, mas faltou parceria no meio. Nota 6

Vitinho
Começo com grande intensidade, mas foi parando. Nota 5

Nilmar
A boa notícia é que Nilmar voltou. Nota 8

Alex
Mesmo reserva, é o goleador do Inter na temporada. Nota 8

Luque
Devolveu ao ataque a energia perdida com Vitinho. Nota 6

Jorge Henrique
Ajudou na reação final, a da virada do Inter. Nota 6

Por que o contrato de Lisandro López com o Inter é por apenas quatro meses?

27 de fevereiro de 2015 6

Lauro Alves

O Inter apresentou na tarde desta sexta-feira o atacante argentino Lisandro López. O novo camisa 31 do colorado assinou somente por quatro meses com o Beira-Rio – até 1º de julho. Parece estranho, mas, aí, há uma preservação às finanças do clube.
Caso o Inter não avance às oitavas da Libertadores, Lisandro jogaria somente o Gauchão, a Copa do Brasil e o Brasileirão. Como o atacante foi contratado depois do prazo de inscrições à Conmebol, agora, somente na troca de nomes na lista de inscritos, o que ocorrerá a partir das oitavas. Neste caso, ficaria com uma folha inchada e sem a Copa. E, aí, poderia liberar o jogador.
Mas, avançando às oitavas da Libertadores, o contrato de Lisandro passará automaticamente a ser válido por dois anos, até 30 de julho de 2017.
Lisandro López receberá cerca de R$ 450 mil no Inter.

Inter bate U. de Chile e assume vice-liderança no Grupo 4 da Libertadores. Na véspera do Gre-Nal, titulares vencem a 1ª no ano

26 de fevereiro de 2015 5

Ricardo Duarte

Um Inter minimamente organizado (talvez pela primeira vez no ano) e com o domínio das ações durante boa parte do jogo, surgiu no Beira-Rio diante da Universidad de Chile. Venceu por 3 a 1 e assumiu a segunda colocação no grupo 4 da Libertadores. Na quarta-feira, de novo no Beira-Rio, terá um jogo decisivo contra o líder da chave, o Emelec – e no domingo haverá Gre-Nal, também no Beira-Rio, pelo campeonato estadual.

O Inter poderia ter feito o 1 a 0 nos chilenos ainda no começo do primeiro tempo. Dois lances de faltas deveriam ter resultado em pênaltis, um em Jorge Henrique, outro em Vitinho. Os de Santiago começavam a conter o Inter a faltas.

Apesar da posse de bola, porém, o ataque colorado era algo insosso, sem penetração e sem grande contundência área adentro. O primeiro tempo escorria para o final quando D’Alessandro teve a camisa puxada na área e, dessa vez, o árbitro deu o pênalti – e foi o menos claro dos três. D’Alessandro cobrou aos 46 minutos e fez o merecido 1 a 0.

No segundo tempo, a Universidad de Chile buscou o empate. Logo a dois minutos, Ubilla caiu na área, entre dois colorados. O árbitro, a léguas de distância do lance, não marcou pênalti, em uma jogada duvidosa. Não demorou para que Alex fosse a campo. Mas a saída de Vitinho, em vez de Jorge Henrique, fez com que Diego Aguirre fosse vaiado. Com menos de quatro minutos em campo, Alex lançou Jorge Henrique que parecia ter voltado no tempo, correu como nunca no Inter e marcou o 2 a 0 contra os chilenos.

O Inter relaxou e cedeu espaços. Canales descontou e foi para cima do Inter. Para evitar a pressão, Aguirre trocou Jorge Henrique por Nico Freitas. O 3 a 1 do desafogo e que confirmou o Inter na vice-liderança do Grupo 4 começou em um passe de Nilton para Aránguiz, que deu um lançamento espetacular para Sasha marcar o gol que encaminhou a partida.

Os titulares de Aguirre venceram a primeira na temporada – com um público de 35.833 torcedores, que deixaram nos cofres do clube uma renda superior a R$ 1 milhão. Os triunfos anteriores haviam sido conquistados pelo time reserva. O Inter cresce na temporada na Libertadores e na véspera do Gre-Nal, válido pelo Gauchão. Contra o Grêmio, o Inter poderá ter até meio time de suplentes no clássico do Beira-Rio.

Alex comanda vitória do Inter em Rio Grande e pede passagem para o time da Libertadores

22 de fevereiro de 2015 6

Lauro Alves

Alisson
Bem posicionado, fez duas defesas difíceis. Nota 7

Winck
Começou entusiasmado, subindo o tempo todo. Depois, foi recuando. Nota 6

Réver
Ainda busca o melhor ritmo de jogo. Fez o lançamento para o 1° gol de Alex. Nota 6

Juan
Boa atuação, seguro, apesar de não jogar desde outubro. Saiu cansado. Nota 7

Alan Ruschel
Apoiou pouco. Salvou um gol no primeiro tempo, falhou no gol do São Paulo. Nota 5

Nicolás Freitas
Eficiente no combate aos atacantes e aos meias. Joga duro, firme nos desarmes. Nota 7

Nilton
Alguma dificuldade contra a velocidade do ataque. Bem no 2° tempo. Nota 6

Jorge Henrique
Três boas arrancadas e um pênalti sofrido. O ostracismo lhe fez bem. Nota 7

Anderson
Não faltou entusiasmo, deu uma arrancada 40 metros, mas errou muitos passes. Nota 6

Alex
De novo, o melhor em campo. Está merecendo uma chance no time principal. Nota 8

Nilmar
Já se vão mais de cinco meses desde a volta ao Inter e Nilmar segue devendo. Nota 5

Paulão
Mal posicionado, chegou atrasado na cobertura do gol de Edimar. Nota 5

Rafael Moura
Parecia nervoso. Deu um pescoção em um adversário e, depois, levou o amarelo. Nota 4.

Rodrigo Dourado
Tentou repetir a boa atuação de Freitas. Nota 5

Pela Libertadores, Inter cumpre promessa, preenche cota de gringos e eleva a folha para R$ 12 milhões

20 de fevereiro de 2015 13

Foto: olweb.fr / Divulgação
Foto: olweb.fr / Divulgação

Não falta esforço para a direção do Inter na busca de reforços para realizar uma boa campanha na Libertadores e tentar o tricampeonato – apesar do trôpego começo de campanha em La Paz, com a derrota por 3 a 1 para o The Strongest. Com a contratação de Lisandro López, o atacante argentino havia sido oferecido ao Beira-Rio ainda em 2013, mas, na época, não houve como trazê-lo de volta à América do Sul.

Com Lisandro – que deverá ser apresentado na próxima semana e deverá assinar um contrato por até três temporadas -, o presidente Vitorio Piffero e o diretor de futebol Carlos Pellegrini cumprem uma das promessas da eleição: preencher a cota de estrangeiros. Além de D’Alessandro, Aránguiz e Luque, agora o clube conta com Nico Freitas e Lisandro Lopez. São três argentinos, um chileno e um uruguaio.

Mais: após a saída de diversos jogadores ao final da temporada passada, o Inter retoma os investimentos e devolve a folha do futebol para a casa dos R$ 12 milhões mensais.

Ainda que Lisandro López estivesse jogando no Al-Gharafa, do Catar, ele passará por um período de retreinamento e passará a ser utilizado no Gauchão, até que possa ser inscrito na Libertadores, a partir das oitavas de final – caso o Inter esteja lá -, ao final de abril. López foi indicação do técnico Diego Aguirre. Assim como o uruguaio Nico Freitas.

Em 2015, o Inter já contratou Réver, Vitinho, Anderson, Léo, Nilton, Nico Freitas e Lisandro López.

O Anderson volante está sepultado no Inter. Agora, ele será armador ou meia-atacante

19 de fevereiro de 2015 9

Alexandre Lops

Anderson, atuando como volante, jamais será visto outra vez com a camisa do Inter. Ao menos não com Diego Aguirre. O treinador reconheceu que precisava fazer este teste, afinal, o camisa 8 jogou assim no Manchester United. Mas não gostou do que viu. E quer Anderson mais à frente, como armador ou até mesmo como meia-atacante.

- Aránguiz é um jogador que pode defender e atacar. Anderson é para atuar mais à frente. Tentei colocá-lo como um jogador mais defensivo, mas ele está com alguma dificuldade. Tem que pegar ritmo de jogo. É mais ofensivo do que Aránguiz. Anderson é um jogador para atuar mais perto da área do adversário – disse Aguirre, ontem, em entrevista à Rádio Gre-Nal.

Anderson será titular nesse domingo, contra o São Paulo, em Rio Grande. E deverá começar a partida contra La U, na quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada da Libertadores.

Bolzan garante a contratação de reforços, mas descarta Dagoberto e Walter

16 de fevereiro de 2015 9

O Grêmio define como “balão” a informação sobre a contratação do atacante Dagoberto, ex-Inter, atualmente no Cruzeiro.
Trata-se, na interpretação do presidente Romildo Bolzan Júnior, de uma ação de empresários dispostos a colocar o jogador no clube.
Também não há tratativas adiantadas para a contratação de Walter, do Fluminense. Nesse caso, porém, não se trata de uma rejeição ao jogador, como ocorre com Dagoberto, mas de preocupação quanto a uma repercussão negativa.
- Seria uma contratação muito polêmica. Não é a hora de trazer Walter. Ele poderia vir, mas não como uma solução – avalia Bolzan.
Conforme o dirigente, trata-se de um jogador de espírito dócil, incapaz de causar problemas no grupo, mas com sérios problemas atléticos.
- Estou certo de que o atual grupo pode dar muito mais. Mas ele será qualificado – afirmou o dirigente.

 

Fábio Koff reassume quarta-feira e indicará diretor de futebol

16 de fevereiro de 2015 0

O vestiário do Grêmio ficará mais reforçado nesta semana. Na manhã de quarta-feira, já com as férias concluídas, o ex-presidente Fábio Koff reassumirá o cargo de vice de futebol. Ainda no decorrer dos próximos dias, o dirigente irá concluir as tratativas para designar um diretor de futebol.
– Há nomes que podem dar uma boa contribuição. Já há convites encaminhados. O anúncio ocorrerá em seguida. Quem sabe, depois do Carnaval – informou o presidente Romildo Bolzan Júnior, falando sobre o futuro diretor de futebol.
Koff sempre desejou ter ao seu lado um diretor de futebol. Convidou para o cargo o ex-presidente Duda Kroeff, que aceitou, mas voltou atrás, por compromissos profissionais e familiares.
Nomes como César Pacheco e Dênis Abrahão são especulados nos bastidores. Mas Bolzan não antecipada nada por enquanto.
Desde sábado, quando Felipão abandonou o reservado do treinador antes do encerramento da partida contra o Veranópolis, torcedores criticam a falta de comando dentro do vestiário. Com a volta de Koff, a situação tende a se normalizar.
Bolzan, que ainda não falou com o técnico, entende que a pressão da torcida é normal. E garante que Felipão segue afinado com a filosofia de reformular o grupo dentro de padrões de economia.

 

Por que The Strongest?

13 de fevereiro de 2015 3

Foto: Aizar Raldes / AFP
Foto: Aizar Raldes / AFP

Adversário do Inter na abertura da Libertadores, nessa terça-feira, em La Paz, o The Strongest possui um dos nomes mais curiosos da América. Afinal, por que um time boliviano se chama “O Mais Forte”?

Foi assim: a partir de 1899, começaram a surgir clubes de futebol na Bolívia. Em La Paz, nasceram o La Paz Football Club, que depois virou Bolivian Rangers FC, e o The Thunders FC. Depois vieram o Dread Club e o Victory Club (todos nomes em inglês por influência dos inventores do futebol, como Sport Club Internacional e Grêmio Foot-ball Porto Alegrense, por exemplo). Mas nenhum deles durou muito tempo. Fechavam e reabriam ou mudavam de nome.

Foi então que, em 1908, um grupo de amigos se reuniu em La Paz a fim de fundar e jogar por um clube que realmente se mantivesse por bom tempo, que realmente fosse “o mais forte”. Foi aí que surgiu o “Strongest” (em inglês, mais forte). Mas, para dar ênfase mesmo ao novo clube, ele foi rebatizado: The Strongest (o mais forte).

O clube vingou e em 2015 comemorará 107 anos. Por causa das cores, o amarelo e o preto, ganhou o apelido de Tigre.

Aguirre vê Inter pronto para a Libertadores e que atletas decidiram que Anderson bateria o pênalti

12 de fevereiro de 2015 9

Lauro Alves

Pela terceira vez na temporada, os titulares do Inter jogaram e empataram. Desta vez, um 0 a 0 com o Cruzeiro, no Vieirão, em Gravataí. A equipe voltou a demonstrar as mesmas virtudes no ataque e os mesmos erros defensivos. Anderson estreou com a personalidade costumeira. Fez boas jogadas e errou um pênalti. Mas assim que estiver em ritmo de competição será titular.

No sábado, o Inter levará um time reserva ao Centenário para enfrentar o Caxias. Com Anderson e Réver reforçando a equipe. Na segunda-feira, a delegação embarcará para a Bolívia. No dia seguinte, estreará nos 3,6 mil metros de altitude de La Paz, contra o The Strongest. E há chances de Anderson começar a partida pela Libertadores.

- Sinto que o time está melhorando. É verdade que não vencemos, mas isto faz parte de um processo que estamos vivendo. Merecíamos o gol, mas não tivemos tranquilidade para marcar. Temos que ter calma para continuar e tentar ganhar o próximo jogo – disse o técnico Diego Aguirre.

Ainda que o clube seja apenas o sexto colocado no Gauchão, uma campanha totalmente oposta aos investimentos feitos no futebol, o treinador uruguaio entende que a equipe está pronta para a estreia na Libertadores. Elogiou as atuações de Nilton e de Aránguiz, além de destacar a solidariedade de Vitinho e de Sasha na marcação. Garantiu que ainda utilizará a partida de sábado para definir a escalação para La Paz.

- O time está pronto, está bem e com muita ansiedade para o começo da Libertadores. Será um jogo complicado. Temos que tomar precauções, é uma partida especial, diferente. No domingo resolverei quem jogará em La Paz – afirmou Aguirre.

Causou alguma surpresa Anderson e seus menos de 20 minutos de Inter cobrar o pênalti (mal marcado pelo árbitro), em vez de D’Alessandro, o batedor oficial.
- D’Alessandro não bateu porque decidiram (os jogadores) que o Anderson bateria. Quem se sente bem e que pensa que vai marcar, bate. Anderson bate bem na bola – justificou Diego Aguirre.

Mesmo elogiado pelo técnico, o volante Nilton deixou o campo irritado com alguns torcedores. Foi apupado ao ser substituído por Luque e trocou xingamentos perto do alambrado. Questionado sobre o incidente, comentou:
- Foi coisa de meia-dúzia de babacas.

O diretor de futebol Carlos Pellegrini destacou o crescimento da equipe. Entende que Anderson e D’Alessandro já demonstraram algum entendimento em campo.
- O resultado não tem acontecido, é verdade. Mas vi muitas coisas boas, tivemos várias chances de gol. O time está começando a crescer e a pegar corpo. Anderson e D’Alessandro se buscaram em campo – declarou Pellegrini.

O dirigente destacou a chegada do volante uruguaio Nicolás Freitas e garantiu que o elenco está fechado para ser inscrito na Libertadores, amanhã. O atacante argentino Lisando López, do Al-Gharafa, poderá ser contratado para as oitavas.
- Para iniciar a Libertadores, este é o nosso plantel. Ao longo do ano, ainda vamos acrescentar – concluiu o dirigente.

Apesar dos elogios internos, o Inter sabe que precisa vencer para ganhar confiança. A Libertadores começará na terça-feira e o Grupo 4, com Inter, The Strongest, Universidad de Chile e Emelec, não surge como um dos mais fáceis do torneio.