Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Abel reclama do calendário, elogia Inter com dois centroavantes e justifica trocas: "Você acha que Alex foi criativo hoje?"

17 de setembro de 2014 4

Fernando Gomes

Abel Braga partiu para uma série de desculpas a fim de explicar a falta de gols em Recife – quando o seu time foi superior e não conseguiu marcar. Perturbado com os questionamentos dos repórteres sobre o lance final – quando Valdívia bateu um escanteio curto para Alan Patrick que devolveu para Valdívia cruzar na área -, o treinador do Inter começou a argumentar:
- Não tem o que explicar. É último lance do jogo. Patrick encostou e recebeu. Mete na área, mas devolveu para o Valdívia bater na área. Então bate direto, tem tanto time ganhando no último minuto… Merecíamos o resultado positivo. Se tivesse jogado um pouco mais, teríamos ganho.
Em seguida, Abel foi questionado sobre as saídas de Alex e de D’Alessandro – para os ingressos de Valdívia e Rafael Moura. Ignorou a questão sobre o argentino e disse que pensou em sacar Alex (quem começou a definir a vitória sobre o Botafogo, com um golaço de fora da área) ainda no intervalo.
- Você acha que o Alex foi criativo hoje (ontem)? O jogo estava para eles (Valdívia e Moura), estavam mais frescos. Tem dia que se é criativo, tem dia que não. Iria tirá-lo no intervalo. Se imaginasse qe o Sport ficaria com um a menos (o atacante Erico Júnior se lesionou quando o Sport já havia realizado as três substituições), não teria tirado porque o Alex sempre tem a chance do chute de fora da área – justificou o treinador.
Abel Braga partiu ainda em defesa de seus centroavantes, Wellington Paulista e Rafael Moura, que jogaram juntos por 25 minutos, na tentativa de fazer um gol.
- Todo o atacante passa por isto (a falta de gols): Damião, Jô, Fred também já passou. A relação dos dois em campo foi muito boa. Gostei muito e poderei usá-los de novo – admitiu o técnico.
Ao final da entrevista, Abel retomou as reclamações sobre o calendário nacional e as viagens – ele já havia se queixado anteriormente, nas breves passagens do Inter pela Copa do Brasil e pela Copa Sul-Americana:
- Jogar quarta e domingo não é fácil. Estivemos no Nordeste três vezes recentemente. É desumano. Não dou desculpas. Estamos precisando treinar. Mas não conseguimos, pois é só jogar e viajar.
O presidente Giovanni Luigi foi questionado sobre as decisões do treinador e sobre se a direção tem cobrado a comissão técnica. E Luigi respondeu:
- Não viemos a Recife somente para ver o jogo e, sim, para estar atento e cobrar em nome do clube. E sabemos como fazer isto, no momento oportuno.

Cotação: As notas para Sport 0x0 Inter

17 de setembro de 2014 4

Aldo Carneiro/Lancepress!

Dida
Não sai do gol nem por decreto. Na pequena área, duas boas defesas. 6

Gilberto
Resguardado na defesa, auxiliou a zaga e não comprometeu. 5

Ernando
Bem nos lances aéreos, conteve as jogadas do Sport. 6

Paulão
Se antecipou aos atacantes na maioria dos lances. E foi ao ataque. 8

Fabrício
Dificuldades para marcar os avanços de Patric. Compensou no apoio. 6

Wellington
Não armou como em outras partidas, mas foi um grande auxiliar da zaga. 6

Aránguiz
Mais preocupado com a marcação, ainda tentou auxiliar o setor ofensivo. 7

Alex
De novo uma atuação consistente. Marcou, armou e chutou a gol. 7

Sasha
Ganha confiança a cada jogo. Deixou Wellington Paulista na cara do gol. 6

D’Alessandro
Poderia ser mais efetivo. Caiu pelas pontas e viveu de alguns cruzamentos. 6

Wellington Paulista
Péssimo como centroavante, bem como ponteiro pela direita. 5

Valdívia
Elétrico, deu nova velocidade ao setor ofensivo. 7

Rafael Moura
Duas chances de gol desperdiçadas e um bom cabeceio que parou em Magrão. 5

Alan Patrick
Entrou no final. Sem nota

Grêmio terá quatro candidatos a presidente. Grupo político de Odone entra na disputa

17 de setembro de 2014 0
Andréa Graiz

Andréa Graiz

Surge a quarta chapa à eleição presidencial do Grêmio. Depois de Romildo Bolzan Jr., pela situação, Homero Bellini Jr., do Grêmio Independente, pela oposição, e Nilton Cabistani, do Grêmio Democrático, que se intitula uma chapa alternativa, agora surge Jorge Bastos (foto), pelo Grêmio Novo.
Convencido a concorrer, para que o Grêmio Novo não desaparecesse do cenário político do clube, Bastos já comunicou ao presidente Milton Camargo seu pedido de licença da vice-presidência do Conselho Deliberativo.
– Será uma candidatura em cima de propostas, sem agressão. Sei que é bastante difícil a missão de chegar ao segundo turno – admite Bastos, um dos fundadores do Grêmio Novo, movimento que sustentou a gestão do ex-presidente Paulo Odone.
Um quinto candidato poderá ser anunciado. Trata-se de Pierre Gonçalves, do movimento Sócios Livres. Só não concorrerá caso Jorge Bastos tenha sucesso em sua tratativa de levá-lo para sua chapa.

Inter já fatura com Nilmar. Camisa número 7 está à venda no site do clube

17 de setembro de 2014 0

Reprodução

O Inter espera receber em no máximo uma semana o atestado liberatório de Nilmar, via Al-Jaish, o seu último clube no Catar. Após o acerto com o atacante, em um contrato por três anos, o clube gaúcho agora trata de obter dos árabes a documentação do seu mais novo repatriado. O Inter tem até o dia 3 de outubro para receber a documentação – data na qual se encerrarão as inscrições para o Campeonato Brasileiro. Caso o atestado liberatório não seja entregue, a transação entre Inter e Nilmar será desfeita. Mas, nos bastidores do Beira-Rio, esta hipótese é tido como extremamente remota. O Inter já conta com emissários junto ao clube catari para obter a liberação o mais rápido possível, no caso, em uma semana.
Enquanto isto, o Inter já fatura com Nilmar. A nova camiseta do atacante, a número 7, com Nilmar escrito às costas, está à venda na loja virtual do Inter (foto acima) por R$ 249,90.

Grêmio cogitou recepção especial a Aranha na Arena

16 de setembro de 2014 59
Bruno Alencastro

Bruno Alencastro

O Grêmio cogitou uma recepção especial ao goleiro Aranha, do Santos, na partida desta quinta-feira, na Arena. Algum gesto que representasse um pedido de desculpas e que suavizasse a imagem do clube no julgamento em segunda instância no STJD, dia 26.
Mas desistiu diante da posição irredutível do jogador, que mostrou-se refratário a qualquer contato com o clube após o episódio de injúria racial de 28 de agosto.
– Só poderia haver iniciativa nesse sentido se houvesse disposição de parte dele. Como não ocorreu, respeitamos. Ele foi ofendido e está no seu pleno direito de não aceitar qualquer aproximação – destaca o vice-presidente Nestor Hein.

 

 

Alta responsabilidade: Nilmar é a última esperança do Inter para acelerar o ataque

16 de setembro de 2014 6

Agência RBS

Em um time dependente de seu meio-campo ou de lampejos de seus meio-campistas, Nilmar surge como a única alternativa possível para fazer com que o ataque do Inter consiga correr. Sem uma opção de velocidade desde a saída de Taison, após a Libertadores de 2010, o Inter é paquidérmico ao se mover do meio para a frente. Poucas equipes se mostraram mais lentas no setor ofensivo deste Brasileirão do que o Colorado.
A partir da chegada de Nilmar, porém, a tendência é que esta situação se modifique. Nilmar pode atuar como o atacante solitário do time, como o fez em 2008, na campanha vencedora da Copa Sul-Americana – quando Alex foi um dublê de armador e finalizador -, ou ao lado de Wellington Paulista, ou de Valdívia, de Sasha, de Jorge Henrique… e até de Rafael Moura. A esperança da comissão técnica, por sinal, é que Nilmar faça Moura voltar aos bons tempos de Goiás, quando em 2010 teve a sua melhor campanha em anos, levando o time à final da Copa Sul-Americana.
Nilmar, mesmo sem atuar desde abril, se torna a solução mágica e imediata de um Inter instável e que ainda sonha alto neste Brasileirão.

Ainda sonhando com o título, Inter quer estrear Nilmar contra o líder do Brasileirão

16 de setembro de 2014 2

Ricardo Duarte

O Inter tem pressa para colocar em campo o seu mais novo reforço. Quer ver Nilmar vestindo vermelho oura vez na partida contra o Cruzeiro, em 4 de outubro, no Mineirão. A partida é emblemática, pois poderá ser a última chance de o Inter seguir sonhando com o título de campeão brasileiro. Hoje, o Cruzeiro tem nove ponto a mais que o Inter. No jogo de ida, em Caxias do Sul (o Beira-Rio já estava cedido para a Fifa), os mineiros venceram por 3 a 1.
Por isto, todo o reforço será necessário para que os gaúchos tentem dar a volta no Mineirão. Nilmar não joga desde abril, quando disputou a última partida pelo Al-Jaish, no campeonato do Catar, mas vinha treinando fisicamente. No Beira-Rio há esperanças que ele tenha condições de jogo para pelo menos 45 minutos de velocidade ao ataque colorado.

* Com Alexandre Ernst

Nilmar é o penúltimo grande ato da gestão Giovanni Luigi no Inter

16 de setembro de 2014 0

Mateus Bruxel

A contratação de Nilmar pode ter sido o penúltimo grande ato da gestão Giovanni Luigi. Em quatro anos de mandato no Inter, o presidente passou por batalhas como a reforma do Beira-Rio, que já corria risco de ficar fora da Copa do Mundo, uma vez que o clube não teve como bancar as obras por conta própria, precisou buscar um parceiro e foi cozinhado pela Andrade Gutierrez e sua demorada negociação para reerguer o estádio, o litígio com o São Paulo por Oscar, a reeleição, contratações de peso como as de Forlán e Aránguiz, e mais adiante a dramática definição das Estruturas Temporárias para o Mundial e ainda construirá uma estátua para o ídolo Fernandão, compondo o memorial ao camisa 9.
Na maioria das vezes, Luigi venceu pela negociação e pela paciência. Faltaram os grandes títulos, é verdade, e também houve contratações que não deram certo, como Scocco e Dátolo, entre outros, mas ele jamais deixou de investir. Até as tentativas com nomes de peso como Dunga e Abel foram feitas para recolocar o clube no jet set internacional uma vez mais. Giovanni Luigi quer entregar o Inter na Libertadores para o próximo presidente. Por isto, investiu uma vez mais em Nilmar, assinando até 2017 com o atacante, após uma demorada transação com o seu agente, Orlando da Hora. Em 2012, o atacante também negociou com Luigi, mas não houve acerto e ele partiu para o mundo árabe. Agora, Nilmar está de volta para dar velocidade ao ataque colorado.
Mas Nilmar não deverá ser o último grane ato da gestão Luigi. Antes de deixar o clube, o presidente ainda poderá obter para o Inter uma grande área na cidade de Guaíba para a construção do novo CT do clube, em condições de abrigar toda a categoria de base do Inter em um moderno centro de treinamento, com instalações superiores às do CT de Alvorada, hoje, que é alugado pelo clube. O distanciamento histórico dará a Luigi o status de um dos grandes presidentes do Inter.

* Com Alexandre Ernst

Nilmar assina por três anos com o Inter e retorna ao Beira-Rio

16 de setembro de 2014 7

Omar Freitas

Por Alexandre Ernst

Acabou a espera. Nilmar é, finalmente, o novo reforço do Inter para as próximas três temporadas. Uma reunião na manhã desta terça-feira entre o jogador, o empresário Orlando da Hora e o presidente do Inter, Giovanni Luigi, sacramentou a negociação que traz, pela segunda vez, o ex-camisa 9 para o Beira-Rio.

O contrato de Nilmar com o Inter vai até dezembro de 2017. Receberá na casa dos R$ 400 mil mensais. A costura da minuta foi finalizada ainda no final de semana, quando Orlando da Hora encontrou-se com o departamento jurídico do clube, dentro do próprio Beira-Rio.

É a contratação de peso que fecha com chave de ouro a gestão Luigi. A negociação foi toda feita pelo presidente. Foram mais de 50 dias entre conversas, espera pela liberação oficial do jogador junto ao Al-Jaish, do Catar, e propostas oficiais para contar com o atleta de 30 anos. Nos corredores do Beira-Rio, uma certeza: com Nilmar, a chance de um possível título brasileiro aumenta — embora se admita que os nove pontos do líder Cruzeiro são gordura a perder para lá de considerável.

Relembre as duas passagens anteriores de Nilmar pelo Beira-Rio
A novela: 
um resumo das negociações do Inter com Nilmar
Leia mais notícias sobre o Inter

Giovanni Luigi e Orlando da Hora trataram do segundo retorno de Nilmar para o Beira-Rio ao longo de toda a semana, mas, principalmente, na sexta e no sábado. O advogado do jogador, André Ribeiro, azeitou as últimas questões contratuais e, entre novas propostas, conversas e cedências de ambas as partes, Nilmar, por fim, decidiu-se pelo Inter.

Há informação de que o Cruzeiro, Corinthians e até um clube da Índia tinha interesse no atacante. Por três meses, um clube do futebol indiano ofereceu US$ 1 milhão pelo vínculo do jogador. Contudo, a pressão familiar para atuar em Porto Alegre foi decisiva para Nilmar retornar ao Beira-Rio.

Além da questão financeira e contratual, Orlando Da Hora consultou alguns caciques de diversos matizes do Inter para saber como se encaminha o futuro político do clube. Detalhista, o agente procurou se informar sobre como deverá ser o biênio 2015/2016 no Beira-Rio, para evitar surpresas, por conta do contrato longo assinado entre o atacante e o Inter.

Vestiário do Inter em contagem regressiva pela chegada de Nilmar

15 de setembro de 2014 14

Matheus Bruxel

Há grande expectativa, quase uma contagem regressiva no Beira-Rio, à espera de Nilmar. Mas a ansiedade não está só nos gabinetes, onde os dirigentes colorados já fizeram o que podiam para oferecer a Nilmar um contrato por três temporadas, com mudanças nas propostas de luvas, contrato de imagem e salários, a fim de tentar aliviar o atacante das garras do Leão, enquanto aguardam um “sim”. Talvez a maior angustia enquanto Nilmar e Da Hora não respondem ao clube esteja no vestiário. Comissão técnica e jogadores esperam pelo avante, a única alternativa possível de velocidade para o ataque do Inter em 2014.

O último jogador de velocidade e confiável do ataque colorado foi Taison, vendido em 2010, após o bicampeonato da Libertadores. Assinando com o Inter, Nilmar ainda precisará de pelo menos 15 dias de treinos físicos e com bola para ter condições mínimas de jogo. A janela de inscrições do Brasileirão se encerra em 3 de outubro.