Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Grêmio"

Mixou Muñoz

19 de junho de 2015 30

Reprodução Santiago Wanderers

O atacante chileno Carlos Muñoz não virá mais para a Arena. Ele foi anunciado como reforço pelo Santiago Wanderers, do Chile, clube que o projetou para o futebol. O anúncio foi feito pelo Twitter oficial do clube e Muñoz já tirou foto com a camisa de seu time. O contrato é de um ano com o atleta que estava no Al Ahli.

Aos 26 anos, Muñoz volta ao time onde foi revelado, em 2006. Depois disso, o atacante passou pelo Quipué, Colo-Colo, Baniyas SC e Al-Ahli. Enquanto estava no Colo-Colo chegou a figurar na seleção nacional. Sua intenção é voltar a ser visto pelo técnico Sampaoli.

O Wanderers ficou na penúltima colocação do torneio clausura do Chile. O Grêmio chegou a negociar com o jogador, acertou o contrato com ele, mas o anúncio do clube chileno surpreendeu e encerrou qualquer chance de o atacante atuar pelo Grêmio.

Em Grêmio 3x3 Ponte Preta, Mamute é o destaque. Giuliano, a decepção

10 de maio de 2015 0

Ricardo Duarte

Por Adriano de Carvalho

Marcelo Grohe – Fez boas defesas. Mas deu rebote para o terceiro gol da Ponte. Nota 5

Galhardo – Apoiou e arriscou contra o gol adversário. Mostrou dedicação em campo. Nota 6

Geromel – Desta vez, comprometeu. Foi presa fácil para Rildo no segundo gol. Nota 4

Rhodolfo – Fez o que pôde, mas Biro-Biro e Rildo lhe causaram muita dor de cabeça. Nota 5

Marcelo Oliveira – Frágil na marcação. Sofreu com os avanços de Rodinei pelo seu lado. Nota 4

Walace – Tem imposição física. Mas sofreu para conter a movimentação de Renato Cajá. Nota 5

Maicon – Um pouco perdido na marcação. Ofereceu pouca resistência aos meias da Ponte. Nota 4

Lincoln – Começou inspirado. Mas caiu de ritmo no segundo tempo. Precisa de sequência. Nota 5

Giuliano – Muito apagado. Pouco se movimentou e tocou na bola. Saiu vaiado de campo. Nota 3

Luan – Um verdadeiro garçom. Deu duas assistências a Mamute e se movimentou bem. Nota 7

Yuri Mamute – Com oportunismo, fez dois gols. Fará falta enquanto estiver na seleção. Nota 8

Everton – Deu mais velocidade ao time. Puxou contra-golpes e levou perigo a Lomba. Nota 7

Matías – Entrou no segundo tempo e mostrou oportunismo ao marcar o terceiro gol. Nota 6

Douglas – Deu mais qualidade na bola parada. Cobrou escanteio para o gol de Matías. Nota 5

Todos os homens de Aguirre (ou Inter é pentacampeão gaúcho com rodízio de jogadores)

03 de maio de 2015 2

Diego Vara

Como se molda um time campeão? O Inter de Diego Aguirre foi construído sob a desconfiança. Dos medalhões contratados para o início da temporada, nenhum deles começou o Gre-nal do título. Dois deles estavam no banco: Lisandro López e Nico Freitas. Mas, sobretudo, entre os titulares estavam seis jogadores da base, que abriram a temporada sentados na casamata, esperando a vez como suplentes dos reservas ou ainda no sub-23: William, Alan Costa, Geferson, Rodrigo Dourado, Sasha e Valdívia – há ainda Alisson, que terminou 2014 como titular, e Nilmar, que saiu das categorias inferiores do Inter quando Aguirre estava em seu último ano como atacante profissional.

- Eles (os guris da base) jogaram porque eram os melhores que eu tinha. Não dou preferência para ninguém. Isto não é importante (ser da base ou ser medalhão). Precisamos dos jovens, dos jogadores mais velhos, de todos. Com tantas competições que teremos pela frente, é bom eles saberem que não vão jogar sempre. Assim, dão tudo no dia a dia para ganhar um lugar no time – declarou Aguirre.

O técnico seguiu com os elogios aos time e disse:

- O Inter joga um futebol moderno. O que jogamos na primeira parte foi espetacular. Imprimimos um ritmo de jogo que passou por cima do adversário. Depois sofremos, é verdade. Mas tentamos fazer um time mais veloz a cada dia, a cada treino. No jogo do Chile (Universidad de Chile 0×4 Inter) mostramos uma dinâmica que foi muito boa. Os jogadores acreditam na proposta e fazem o possível para que tudo dê certo. Também havia dúvidas sobre a nossa preparação física. É algo normal, mas passamos por cima de muitos times.

Aguirre criou, a partir deste Gauchão, um sistema de carrossel no Inter: com 33 jogadores tendo atuado no Estadual. Este esquema foi vingando porque o técnico insistiu em fortalecer a equipe na Libertadores, descansando os até então titulares de começo de ano, colocando no regional uma formação até então alternativa. O rodízio deu certo. E foi assim que o pentacampeonato gaúcho foi sendo construído – até ontem, o último pentacampeão no Rio Grande do Sul havia sido mo Grêmio, de 1985 a 1989.

- Espero que com a mesma intensidade das críticas venham os elogios. Foi espetacular, pela torcida, pelo time, pelo grupo – desabafou Diego Aguirre. _ Continuamos acreditando, sem mudar as nossas convicções – acrescentou.

O técnico uruguaio, de 49 anos e fala sempre serena, quebrou uma regra que durava no Inter há mais de seis décadas: a de que um treinador estrangeiro não vingava no clube. O último gringo a se sagrar campeão com os colorados havia sido o argentino Alfredo Gonzáles, que conquistou o Gauchão de 1950.
- Parabenizei a todos os meus jogadores antes da partida, pois estavam todos os 30 lá (o 33° é Fabrício, negociado ao Cruzeiro). Isto dá força e, ali, senti que merecíamos ser campeões – afirmou o treinador uruguaio.

Inter dependerá de D'Alessandro para ser Penta. Mas o capitão conseguirá dominar o Gre-Nal do Beira-Rio?

29 de abril de 2015 7

Tadeu Vilani

Depois de Fernandão, nenhum outro jogador teve tanto impacto sobre os torcedores do Inter quanto D’Alessandro. O camisa 10 construiu a sua trajetória de herói colorado a partir do domínio em Gre-Nais. A figura de D’Alessandro perturba a torcida do Grêmio. Desde 2008, quando começou a disputar o clássico, D’Alessandro é o foco da semana Gre-Nal. D’Alessandro não joga uma partida de encher os olhos há algum tempo. Mas terá que ser o grande nome do Inter no clássico de domingo, na decisão do Gauchão.

Orgulhoso, não vai querer ver o primeiro título oficial do novo Beira-Rio parando nas mãos do adversário, com direito a festa, flauta e volta olímpica. Sabe que, em caso de revés, será ele o alvo dos gremistas no dia seguinte. D’Alessandro se concentra para obter a sua redenção em casa. Não perde uma final no Beira-Rio desde a Copa do Brasil de 2009, quando o Corinthians comemorou a conquista no estádio – e D’Alessandro teve uma das piores atuações de sua carreira, com expulsão e tentativa de briga que virou vinheta.

Apesar do sucesso nos clássicos – D’Alessandro soma 11 vitórias, 9 empates e 5 derrota em Gre-Nais, com 8 gols marcados -, o seu desempenho nos Gre-Nais no Beira-Rio não é assim tão expressivo. Em 9 jogos, soma 4 vitórias, 2 empates e 3 derrotas, com 3 gols marcados.
Domingo, porém, precisará liderar o Inter ao pentacampeonato e à redenção pessoal.

Diego Real, árbitro que anotou dois pênaltis para o Inter: "Acertei e marcaria tudo de novo"

09 de abril de 2015 20

Ricardo Rimoli/Agência Lancepress!

Diego Real, o árbitro que marcou dois pênaltis para o Inter na partida contra o Cruzeiro (2 a 2 no tempo normal, 3 a 1 para o Inter na decisão por pênaltis) — um deles desperdiçado por D’Alessandro, outro convertido por Lisandro López —, pelas quartas de final do Gauchão, faria tudo outra vez.

Aos 33 anos, o microempresário, natural de Pelotas, que desde 2013 apita jogos de Gauchão e das Séries A e B do Brasileirão, entende ter acertado ao anotar as duas penalidades no Beira-Rio. Curiosamente pelo mesmo motivo: mão do zagueiro André Ribeiro na bola.

— Fiquei até surpreso com algumas declarações. Cumpri o que a determinação da Fifa ordena, desde o ano passado. Onde houver situação de bloqueio com a mão, é falta. O jogador do Cruzeiro se atira contra a bola, em ambos os lances. Eu marcaria os dois pênaltis outra vez — comentou Real.

O árbitro conta que, após anotar o primeiro pênalti (quando D’Alessandro tentou cruzar para o centro da área e foi interceptado) e dar o cartão amarelo para André Ribeiro, o zagueiro reclamou apenas da advertência:

— O jogador veio a mim e disse que não era para cartão. Não tinha como não marcar. Houve um cruzamento, que rasgaria a área, e foi bloqueado.

O árbitro admite ter errado no começo da partida, quando em vez de dar cartões amarelos para Juan e para Laerte, por jogadas ríspidas, optou pela conversa.

— Usei a arma verbal, que vem antes do cartão. Não tive a visão correta que era para amarelo — disse ele.

Real assegura ainda que daria as penalidades para o Cruzeiro, em pleno Beira-Rio.

— É claro que marcaria os mesmos lances se fossem para o Cruzeiro. Em Caxias e Inter, dei pênalti para o Caxias, justamente porque a bola caiu na mão do Réver — recordou. — Também ouvi muitas reclamações da torcida do Grêmio. Por favor. Já dei duas penalidades para o Grêmio neste Gauchão: uma contra o Avenida, outra contra o Lajeadense. Este, por sinal, errei. Foi um lance rápido demais, dificílimo, em que a falta ocorreu centímetros fora da área. Mas marquei o pênalti — acrescentou Real.

No Gauchão 2015, Diego Real trabalhou em 11 partidas. E anotou oito pênaltis. Foram dois para o Grêmio (contra Avenida e Lajeadense) e outros dois para o Inter (ambos contra o Cruzeiro), além de um para Caxias (contra o Inter), Lajeadense (contra Veranópolis), Ypiranga (contra São José) e União Frederiquense (contra Aimoré).

— Sei que fiz o meu melhor. Estou com a consciência tranquila — finalizou Real.

Nos bastidores, Grêmio projeta para abril a compra da gestão da Arena

24 de março de 2015 13
Mateus Bruxel

Mateus Bruxel

Sempre que consultados sobre o andamento das tratativas para a compra da gestão da Arena, os dirigentes do Grêmio recorrem a evasivas. Por uma questão estratégica, evitam detalhes.
O fato, porém, é que a negociação está em andamento. E é possível garantir que, nos bastidores do clube, é forte o otimismo quanto a um rápido desfecho. Há quem projete a compra ainda em abril.
Tudo passa pelo pedido de recuperação judicial que a OAS deverá apresentar na Justiça Civil da Bahia. Não é certo que a Arena entre na relação de bens apresentada pela construtora para quitar os R$ 8 bilhões de dívidas com fornecedores, bancos, empregados e governo federal.
Nesse caso, ficaria mais fácil para o Grêmio ver aceita sua oferta de R$ 396 milhões, pagos em 20 anos, pela aquisição do estádio.
Além de receber o valor, a OAS deixaria de arcar com um prejuízo que chegou a R$ 40 milhões em 2014 e tende a ser ainda maior neste ano, já que a Arena não sedia jogos de Libertadores.
Para substituir as garantias bancárias obtidas no financiamento da obra, a construtora usaria os direitos de televisão e faturamento do quadro social oferecidos pelo Grêmio na negociação. Diante da situação de inadimplência vivida pela OAS, trata-se de uma solução que certamente seria aceita pelos bancos, sob pena de não verem recuperado o investimento.
– O otimismo é grande. Há coisas acontecendo. A inadimplência da empresa, provocada por seu envolvimento na Operação Lava-Jato, poderá provocar uma situação altamente favorável ao Grêmio – comenta um conselheiro.

Lateral Júnior acerta renovação com o Grêmio e poderá atuar contra o Lajeadense

18 de março de 2015 2

O lateral esquerdo Júnior voltará ser opção para Felipão a partir do jogo contra o Lajeadense, domingo, na Arena.
Afastado preventivamente até que seu contrato fosse renovado, o jogador assinará novo vínculo na quinta-feira, às 17h30min. O novo contrato terá a duração de três anos.
Seu procurador, o empresário Fabiano Carpegiani, admitiu que outros clubes, todos do Brasil, chegaram a se interessar pelo jogador. As tratativas, garante ele, não avançaram porque a preferência de Júnior sempre foi pelo Grêmio.
- O clube está dando a valorização que achamos justa. E o jogador realiza seu desejo de permanecer no Grêmio – destaca Carpegiani.
Júnior teve destacadas atuações no Gauchão. Por isso, sua saída do time surpreendeu os torcedores. Soube-se, posteriormete, que se tratava de uma medida de prevenção do clube. Como o vínculo atual se encerraria em 31 de agosto, Júnior poderia assinar pré-contrato com outro clube na metade do ano e sair sem custos em dezembro. No novo contrato, fica embutida uma multa rescisória, cujo valor ainda não é conhecido.

 

 

CBF dirá até quarta-feira se suspensão de Cristian Rodríguez será cancelada

16 de março de 2015 5
Ricardo Duarte

Ricardo Duarte

O Grêmio saberá em 72 horas se é possível converter em medida social a suspensão de quatro jogos aplicada pela justiça esportiva italiana ao meia uruguaio Cristian Rodríguez. O pedido foi encaminhado sexta-feira pelo vice-jurídico Leonardo Lamachia ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).
Jogadores punidos com suspensão superior a três jogos costumam ter a pena convertida em medida social. A diferença é que Cristian foi punido atuando fora do país _ atuava pelo Parma. Sem uma resposta, o presidente do STJD, Caio César Vieira Rocha pediu parecer ao jurídico da CBF.
– Não conheço nenhuma situação exatamente igual a essa. Como é o primeiro caso, encaminhei à diretoria de registros e transferências e ao jurídico da CBF – explicou.
A solicitação do parecer ocorreu ainda na noite de sexta-feira, logo após o pedido do Grêmio. O prazo regulamentar passou a correr nesta segunda. Assim, no final do expediente de quarta-feira, ou na manhã de quinta, Caio César espera ter obtido a resposta da CBF.
O Grêmio confia na conversão da pena em pagamento de cestas básicas. Alega que Cristian Rodríguez foi punido à revelia pelo tribunal de penas italiano. E o Parma não providenciou a defesa do jogador.

Grêmio pagará R$ 85 mil por depredações no Beira-Rio. No Gre-Nal da Paz, colorados destruíram tantas cadeiras quanto os gremistas

12 de março de 2015 9

Leandro Behs

Nos próximos dias, o Grêmio desembolsará R$ 85 mil para o Inter, devido aos prejuízos causados por seus torcedores no Gre-Nal de 1º de março, no Beira-Rio. Foram 47 cadeiras depredadas mais dois banheiros quebrados, entre outros pequenos prejuízos. O curioso, porém, é que se o Gre-Nal em campo terminou em 0 a 0, o clássico do quebra-quebra deu Grêmio… por apenas uma cadeira. Em sua casa, os colorados destruíram 46 cadeiras - cada peça custa R$ 300.
Assim, é possível condenar o visitante? O clube alega que não foi por depredação, mas, sim, por empolgação exacerbada.

Em tempo: não foi registrada qualquer depredação ou incidente na área da torcida mista, onde mil gremistas levados por mil colorados conviveram durante todo o clássico.

O velho Giuliano ressurge para dar a vitória ao Grêmio sobre o Ypiranga

11 de março de 2015 6

Mateus Bruxel

Com boa atuação de Giuliano, a estreia de Braian Rodriguez e o retorno de Ramiro, o Grêmio venceu o Ypiranga por 1 a 0, no Colosso da Lagoa, e assumiu a terceira colocação do Campeonato Gaúcho. As notas:

Marcelo Grohe
Quase não foi exigido. Realizou apenas intervenções. Nota 6

Matías Rodriguez
Firme na defesa. Parou o elétrico Saldanha. Nota 7

Erazo
Um ou outro erro de cobertura. No mais, seguro, Nota 5

Rhodolfo
Precisou engrossar em alguns momentos e sair a chutões. Nota 6

Marcelo Hermes
Se limitou à marcação.Teve dificuldades. Pouco avançou. Nota 4

Marcelo Oliveira
Mais discreto do que em outros jogos. Se manteve na defesa. Nota 6

Fellipe Bastos
Deixou o time na mão no 2° tempo, com uma expulsão tola. Nota 3

Giuliano
Aos poucos, resgata o Giuliano dos velhos tempos. Nota 8

Douglas
Organizou o meio-campo. Mas caiu de produção no 2° tempo. Nota 6

Luan
Um passe perfeito para o gol de Giuliano. Nota 7

Yuri Mamute
Quando toma a frente do lance, só é parado a pancadas. Nota 7

Ramiro
Entrou para dar maior consistência ao meio-campo. Nota 6

Braian Rodriguez
Uma chance e quase fez. Mas acabou prejudicado pela falta de articulação do ataque. Nota 6

Araújo
Foi para o sacrifício, quando o Grêmiuo já tinha um a menos. Nota 5