Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Inter"

Arquibancadas esgotadas, Aránguiz de volta e Peppa na torcida: É o Inter para enfrentar o Atlético-MG

20 de novembro de 2014 0

Divulgação/Inter

A direção do Inter tem feito de tudo para levar público ao Beira-Rio. No sábado, além de rebaixar os ingressos para os sócios, para a segunda das três decisões rumo à Libertadores, dessa vez contra o Atlético-MG, às 19h30min, oferece para a criançada um show da porquinha Peppa Pig e de seu irmão, George, para os eventos de Pré-Jogo, no pátio do estádio. Sensação entre a gurizada, a porquinha parece mais um argumento para que os pais compareçam ao jogo e levem a garotada junto.
Contra o Atlético-MG, o Inter espera um público de pelo menos 40 mil torcedores. As arquibancadas superior e inferior estão com ingressos esgotados. O maior público do Beira-Rio até agora no Brasileirão foi o Gre-Nal, quando 37.222 mil torcedores foram ao jogo.

Inter projeta decisão com 40 mil torcedores no Beira-Rio

18 de novembro de 2014 5

Ricardo Duarte

Em busca de apoio para seguir sonhando com a Libertadores, a direção do Inter aposta em 40 mil torcedores diante do Atlético-MG, nesse sábado, às 19h30min, no Beira-Rio. O check in e os ingressos Vip já podem ser adquiridos pela internet. A partir de amanhã, começará a venda de entradas nas bilheterias (inclusive para os não sócios). Os valores dos ingressos foram reduzidos para este jogo. O maior público do Inter no Brasileirão ocorreu no Gre-Nal do primeiro turno, quando 37.222 torcedores deixaram uma renda superior a R$ 1,5 milhão nas bilheterias do Beira-Rio.

Os preços para Inter x Atlético-MG:
Superior e Inferior – R$ 20 (para não sócio) e R$ 10 (para sócios)
Cadeira superior – R$ 60 (para não sócio) e R$ 30 (para sócios)
Cadeira Inferior – R$ 80 (para não sócio) e R$ 40 (para sócios)

VIP Lateral Libertadores – R$ 100 (para não sócio) e R$ 50 (para sócios)
Combo Família Colorada – R$ 120 (para dois adultos e dois menores)

VIP Central Libertadores – R$ 120 (para não sócio) e R$ 60 (sócios)
VIP Central Mundial – R$ 200
VIP Lateral – R$ 180

Paulão "Leônidas da Silva" salva o Inter contra o Goiás e é o destaque do jogo no Beira-Rio

16 de novembro de 2014 3

Diego Vara

Alisson
Pouco trabalho, quase não foi exigido. 6

Wellington Silva
Deveria ter avançado mais. Faltou iniciativa. 5

Ernando
Bem na defesa, ainda apareceu como centroavante. Quase marcou. 7

Alan Costa
Soube conter os velozes atacantes do Goiás. Saiu lesionado. 6

Alan Ruschel
Decisivo ao final, quando sentou atrás da barreira e impediu o gol de empate em cobrança de falta. 7

Willians
Incansável, marcou com firmeza e surgiu até como atacante. 8

Bertotto
Seguro na marcação, foi discreto no apoio. Levou um cartão desnecessário. 5

D’Alessandro
Assumiu o jogo no 2° tempo. Voltou a ser o líder que havia sumido no Gre-Nal. 7

Alan Patrick
Saiu do jogo logo aos 17 minutos, com uma lesão muscular. Sem nota

Jorge Henrique
Descontado, deixou o meio-campo do Inter ainda mais lento. 5

Rafael Moura
Desta vez foi abastecido, se esforçou, mas não teve sorte para marcar. 6

Valdívia
Aplaudido quando entrou em campo, não correspondeu às expectativas. 5

Paulão
Substituiu Alan Costa, segurou o ataque goiano, surgiu diversas vezes à frente e… Fez um golaço que muito bem poderia homenagear Leônidas da Silva, o inventor do gol de bicicleta. 9

Wellington Paulista
Boa movimentação pelos lados do ataque. Esforçado. 6

Tataraneto do patrono do Grêmio é dono de clube de futebol nos Estados Unidos: O Miami Dade FC

16 de novembro de 2014 0

Divulgação

O mais novo dono de um clube de futebol nos Estados Unidos nasceu em Porto Alegre, ex-jogador da base do Grêmio e tataraneto do primeiro patrono gremista, Aurélio de Lima Py. Roberto Linck Júnior (na foto, apresentando a nova camiseta do clube), 26 anos, fundou em maio o Miami Dade FC. Dade foi um sargento do exército norte-americano e que, depois de morto em combate, emprestou seu nome ao condado em que Roberto vive e no qual o clube com alma gaúcha foi idealizado.

Os pais de Roberto se mudaram para Miami há 12 anos. A família havia trocado Porto Alegre por Florianópolis em busca de novas oportunidades de trabalho e de maior segurança. No Grêmio, Beto atuava como meia-atacante no time de Anderson, deixou o clube, embarcou com a família, mas não ficou na Flórida. Morou na Califórnia, estudou em Chicago, rodou os Estados Unidos.

- Se tivesse ficado no clube, talvez tivesse participado da Batalha dos Aflitos. Teria sido divertido – brinca o proprietário do Miami Dade.

Depois de terminar os estudos, foi tentar ser jogador na Europa. Na base do peitaço. Rodou pela Itália e Holanda, em intermináveis peneiras. Conseguiu jogar na segunda divisão romena, defendendo o Ramnicu Valcea. Entre os seus contatos nos Estados Unidos, Roberto conheceu Thomas Di Benedetto, o empresário que liderou o grupo de investidores que adquiriu a Roma, em 2011. Benedetto ofereceu um teste na Itália para o gaúcho. E Roma foi crucial para o início do Miami Dade.

- Estávamos em um churrasco, jogando uma pelada, quando recebi uma falta e fraturei a tíbia. Acabei voltando a Miami para realizar o tratamento e ficar perto da família de novo – conta o neo dirigente.

Recuperado da contusão, Roberto decidiu que era chegada a hora de, enfim, morar em Miami. Mas queria seguir jogando e, na cidade, não havia clubes de futebol. O Miami Fusion, que chegou a jogar na MLS (a principal liga do país), fechou as portas em 2001. Passou a contatar dirigentes de clubes importantes em passagem pela cidade e, um dia, ouviu um conselho do vice-presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu:

- Você não precisa ter dinheiro para formar um clube de futebol: precisa ter a ideia e fazer com que esta ideia gere dinheiro.

Os contatos seguiram, Roberto criou o Linck Group e, a partir de novas parcerias _ uma delas com o ex-lateral da Seleção Brasileira Roberto Carlos _, montou o projeto do Miami Dade. Sucesso imediato, em três meses o clube de Roberto Linck Júnior conquistou a NAL (National Adult League, uma espécie de quarta divisão) e garantiu vaga ao US Open Cup (torneio aos moldes da Copa do Brasil), torneio que disputará a partir de janeiro.

- Tenho muito orgulho de seguir os passos de meu tataravô. Um dia quero montar um projeto no Rio Grande do Sul. Quero voltar à minha cidade, criar um novo clube ou fazer parceria com uma equipe. Minhas raízes estão em Porto Alegre – diz Roberto.- O Miami Dade tem 33 jogadores, de 12 nacionalidades diferentes (brasileiros, marfinenses, mexicanos, norte-americanos, argentinos, porto-riquenhos, ingleses, belgas, uruguaios, italianos, nigerianos e colombianos). A NAL permite número ilimitado de estrangeiros, a fim de desenvolver o futebol nos Estados Unidos – destaca o gaúcho empreendedor.

Gre-Nal em Miami

Um dos projetos de Linck é realizar o primeiro Gre-Nal nos Estados Unidos. No recente recesso da Copa do Mundo levou o Cruzeiro para enfrentar o Miami Dade. Foram dois amistosos (com duas derrotas de Miami), com público de 30 mil torcedores por partida _ a maioria formada por brasileiros. No começo da temporada, ainda sem o Miami Dade ter sido fundado, Linck tentou levar a dupla Gre-Nal para a cidade. O Inter aceitou, mas o Grêmio não deu resposta.

- Ainda realizarei este sonho de trazer os dois para cá. Grêmio e Inter precisa descobrir o mercado dos Estados Unidos. Precisam explorar este mercado. Real Madrid, Manchester United, todos os grandes da Europa já descobriram um país que tem 25 milhões de jogadores federados, contra 13 milhões do Brasil, por exemplo – afirma Linck que, para 2015, projeta levar a Inter de Milão para um amistoso em Miami.

Green Card

Apesar do salário médio de US$ 3 mil (o que a dupla Gre-Nal paga para juvenis ou juniores, por exemplo) e das bolsas de estudos, o principal atrativo dos clubes das ligas menores _ como é o caso atual do Miami – é o Green Card (o documento que torna um estrangeiro cidadão norte-americano, com todos os direitos e deveres).

- Muitos jogadores buscam nosso mercado para poder viver aqui depois. O Valderrama (astro da seleção colombiana, que atuou no Tampa Bay Mutiny, Miami Fusion e Colorado Rapids) fez isto. Veio para cá atraído pelo Green Card – explica Linck Júnior.

Aplicativo

Uma das fontes de renda do Miami Dade é um aplicativo, desenvolvido por Roberto Linck Júnior em parceria com o ex-lateral da Seleção Brasileira Roberto Carlos. Com o Ginga Scout, o app que estampa a camisa do clube, qualquer atleta pode apresentar as suas qualidades e até postar seus vídeos, que serão acessados por treinadores mundo afora e, sobretudo, por técnicos de universidades norte-americanas.

- Os treinadores podem escolher os jogadores que desejarem e, nos caso de os atletas optarem pelos Estados Unidos, ganham bolsas de estudos para jogar aqui – conta o dirigente gaúcho.

O projeto do Miami Dade é chegar à MLS (Major League Soccer). Para isto, porém, é preciso comprar uma vaga na competição, ao preço de US$ 75 milhões. Um valor alto demais para o novato clube. Ainda mais agora que Miami terá, a partir de 2015, um clube na MLS. O inglês David Beckham será o dono da nova franquia, ainda sem nome.

- Quem sabe um dia consigamos investir em uma franquia ou mesmo fazer uma parceria com Beckham? – sonha Linck.

Por enquanto, sem estádio próprio, o Dade joga no campo da universidade Saint Thomas, que abriga um público de apenas 2,4 mil torcedores e cujos ingressos custam US$ 10.

Grêmio e clube à beira-mar

Homem de negócios, Linck deixa de lado a paixão gremista quando o tema é “business”. Como pretende fazer parcerias futuras com a dupla Gre-Nal, sugere um empate nesse domingo, no clássico da Arena. Pretende voltar a Porto Alegre para realizar negócios.

- Quero muito ter um clube no Gauchão. Talvez em Porto Alegre ou na praia. Em Atlântida, por exemplo. Um clube ao estilo Traffic, que tem o Desportivo Brasil e o Estoril (em Portugal), para formar jogadores e dar uma chance a eles no mercado dos Estados Unidos – declara Roberto Linck Júnior, o gaúcho dono de um clube de futebol em Miami.

Quem foi Aurélio de Lima Py

Nascido em Bagé, Aurélio de Lima Py estudou em Porto Alegre e se formou em medicina no Rio de Janeiro. De volta a Porto Alegre, em 1906, se estabeleceu na capital gaúcha e passou a participar da vida do Grêmio _ fundado três anos antes. Em 1912, assumiu pela primeira vez a presidência do Grêmio. Comandou o clube por nove anos. Foi aclamado o primeiro patrono do Grêmio (os outros dois são Fernando Kroeff e Hélio Dourado). Py morreu em 1949, 19 anos depois de ter deixado pela última vez a presidência do clube.

 
* Colaborou Wendell Ferreira

Restos mortais de Fernandão serão transferidos para um cemitério em Porto Alegre

14 de novembro de 2014 14

Reprodução

Na Revista Donna desse domingo, encartada em Zero Hora, há uma belíssima entrevista com Fernanda Bizzoto Costa, a viúva de Fernandão (na foto, a capa da edição). Enquanto abria o coração para a editora de Donna, Mariana Kalil, Fernanda fez uma revelação que mexerá com todos os colorados:
- Decidi trazer os restos mortais do Fernando para Porto Alegre.
Morto em um trágico acidente de helicóptero, em uma das curvas do Araguaia, no dia 7 de junho, Fernandão foi sepultado no cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia. Mas Fernanda, que decidiu morar em Porto Alegre com os filhos gêmeos do casal, Enzo e Eloá, também trará o corpo de Fernandão para um cemitério na capital gaúcha, onde o ídolo viveu a fase mais feliz de sua vida.
- Deus me deu esse presente, e sou plena por ter sido eleita. Se este é o preço a pagar pelo privilégio que eu tive, então eu aceito – disse Fernanda.
A entrevista completa está na Revista Donna desse domingo.

A 270 minutos da Libertadores, Inter deixa cautela de lado e volta ao esquema "pra dentro deles" contra o Goiás

14 de novembro de 2014 0

Fernando Gomes

Para o Inter, é como se Goiás, Atlético-MG e Palmeiras já fossem adversários de Libertadores. Faz sentido, afinal, para ter chances de acompanhar o sorteio da Conmebol, em 2 de dezembro, na cidade de Luque (PAR), que definirá as chaves do torneio de 2015, será preciso ganhar em casa destes três adversários. E o técnico Abel Braga, que vive as suas últimas semanas desta sexta passagem pelo Beira-Rio, já avisou: sai o retrancão do Morumbi, volta o “pra dentro deles”.

- Vamos pensar em erro zero nestes jogos e pensar que o primeiro é o Goiás. Não dá para pensar nos três jogos. Vamos em cima, é a maneira que temos de jogar, bem diferente de quarta-feira (contra o São Paulo, no Morumbi), mas era estratégia, precisávamos pontuar – disse o treinador do Inter.

Com mais nove pontos, é provável que o Inter se classifique para a Libertadores de 2015.

De volta ao G-4, Abel Braga dá tom de despedida e fala em deixar legado no Inter

12 de novembro de 2014 8

Fernando Gomes

O suado empate do Inter com o São Paulo, no Morumbi, parece ter aliviado Abel Braga. Sabe que o Beira-Rio poderá levar a equipe à Libertadores. Ao final da partida, pareceu começar a se despedir do clube. Chegou a falar em “legado” deixado, a partir da ascensão de novatos como Alisson, Bertotto e Alan Costa. Para 2015, Tite e Cuca são os mais cotados para assumir o Inter. Antes disto, porém, tratou de desabafar:
- Tenho convicção de que tem muita gente chateada, pois voltamos ao G-4 de novo. As pessoas foram muito pesadas com os jogadores (após levar a goleada no Gre-Nal). Hoje (ontem), montamos a estratégia de defender com estes jogadores. Um ponto nos colocava no G-4. E conseguimos.
Depois disto, Abel foi questionado se havia sido procurado por clubes de São Paulo. Elogiou a cidade e, em seguida, passou a dizer que a equipe errou demais durante o Brasileirão e que ele sonhava ganhar o campeonato. E ainda disse:
- Acho que deixei um legado, seu eu não ficar. Alisson, Alan Costa, Bertotto, João Afonso, Thales, Taiberson, Leandro… Um montão de garotos que estão no grupo, deixei um legado. Se tiver que ir embora, vou dizer: “fracassei”. Pois queria ser campeão brasileiro. Se eu continuar, vou tentar de novo porque o Inter é um clube muito legal de trabalhar, não falta nada. E esses garotos estão mais experientes. Quem sabe o Bertotto não vai se tonar um Falcão canhoto?

Alisson brilha de novo e Inter sai vivo do Morumbi

12 de novembro de 2014 5

Luis Moura - Estadão Conteúdo

Alisson
Com Sasha, é a grande revelação do Inter na temporada. 8

Wellington Silva
Foi útil na defesa. Tentou apoiar, sem sucesso. Saiu lesionado. 5

Ernando
Firme boa parte da partida, mas errou no gol de Luís Fabiano. 6

Paulão
Marcou um gol de centroavante. Mal posicionado no gol do São Paulo. 6

Alan Costa
Uma atuação segura contra o talentoso ataque paulista. 7

Fabrício
Falhou ao permitir o avanço de Hudson no gol de Luís Fabiano. 5

Ygor
Um primeiro tempo primoroso, no segundo, os erros habituais. 5

Bertotto
Seguro o tempo todo, mesmo quando Ygor cometeu alguns erros. 7

Alex
Foi o maestro que o Inter precisava. Armou todas as jogadas, até cansar. 7

Jorge Henrique
Surgiu como o principal parceiro de Alex para as tabelas. 6

Nilmar
Correu sozinho contra os zagueiros até quando conseguiu. 6

Gilberto
Entrou completamente fora de jogo. Falhou demais na defesa. 4

Wellington Paulista
Teve a bola do jogo, acabou caindo na frente da área. 5

Taiberson
Atrevido, partiu para cima da zaga são-paulina em alguns lances. 6

Anderson poderá seguir vestindo vermelho. Mesmo jogando em Porto Alegre...

12 de novembro de 2014 11

AFP

Não descarte o retorno de Anderson (na foto, à direita) a Porto Alegre. Mas para um destino diferente, o Beira-Rio. O aparente desinteresse do Grêmio no retorno de uma de suas principais revelações dos últimos anos, oposicionistas e situacionistas do Inter voltaram os seus radares para o guri do Rubem Berta. Aos 26 anos, o volante do Manchester United está em fim de contrato na Inglaterra e quer voltar ao Brasil. Ao Grêmio, pediu salários de R$ 700 mil mensais – que respondeu não pagar mais do que R$ 300 mil. Assegurou que em janeiro estará livre no Manchester, sem a necessidade que o seu futuro clube pague algo aos ingleses.
Quando moleque, Anderson chegou a passar uma semana treinando na base do Inter. Não gostou, por torcer pelo Grêmio desde cedo, e retornou ao Olímpico – onde começou a se revelar na temporada 2004, quando recebeu chances do técnico Cuca.
Mesmo que não esteja na Libertadores, haverá mudanças no elenco do Inter – mas com investimentos igualmente altos. Portanto, não se surpreenda se Anderson seguir vestindo vermelho, caso retorne ao Brasil.

Inter cansado demais para reagir?

11 de novembro de 2014 13

Bruno Alencastro

O Inter cansou. A goleada no Gre-Nal e a nova baixa de D’Alessandro, que não teve condições físicas para embarcar a São Paulo, é prova disto. No clássico, o Grêmio começou a atropelar o Inter na saúde. A partir daí, os quatro gols foram consequência de um time melhor armado em campo.
Além do desgaste da temporada, de nomes como D’Alessandro e Alex, por exemplo, peças-chave do time de Abel Braga, a equipe perdeu ao longo do Brasileirão Martín Luque, Wellington, Juan, Winck, Muriel, Sasha, além dos frequentadores contumazes do departamento médico: Jorge Henrique e Wellington Silva. Mais Índio, que apenas está no grupo e Aránguiz, dividido entre Beira-Rio e Santiago. Muitas baixas para quem pensava ser campeão brasileiro e agora sofre para obter uma vaga à Libertadores.
Mesmo abrindo mão da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana para evitar o excessivo desgaste de seus jogadores, Abel Braga não teve sucesso. Foi perdendo soldados pelo caminho e vê o fim da temporada chegando ao fim com diversas baixas no elenco. E cansado.