Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Sem categoria"

Conselho Deliberativo só discutirá compra da Arena depois da eleição

15 de outubro de 2014 0
Foto: Omar Freitas

Foto: Omar Freitas

Antes da próxima segunda-feira, dia 20, o Conselho Deliberativo do Grêmio não irá atender ao pedido de convocação extraordinária para debater a compra da Arena, anunciada pelo presidente Fábio Koff.

O presidente do Conselho, Milton Camargo, informa que, neste momento, pretende ocupar seu tempo somente com a eleição marcada para sábado, quando será escolhido entre Romildo Bolzan Júnior e Homero Bellini Júnior o novo mandatário do clube.

O pedido de convocação extraordinária, com oito itens, foi encaminhado a Camargo por Fábio Koff na manhã desta quarta-feira. Não foi remetida a minuta do contrato.

— Esta é uma cautela que devo adotar como presidente do Conselho. Não quero entrar na discussão que já está criada em torno de ter sido um anúncio político. Minha posição é de magistrado. Meu foco hoje é a eleição — explica Camargo.

Antes de ir à votação, o contrato de compra será examinado pelas comissões de assuntos legais e estatutários e de assuntos econômicos e financeiros e também pelo conselho fiscal.  Segundo Milton Camargo, o objetivo é evitar críticas como as feitas na época da assinatura do contrato com a OAS, em que o Conselho Delibereativo foi acusado de omisso.

De acordo com o regimento interno, o Conselho tem prazo de 30 dias para examinar o contrato de compra.

Grêmio projeta "reinaugurar" a Arena

15 de outubro de 2014 9
Omar Freitas

Omar Freitas

O projeto da atual direção do Grêmio não é somente comprar a Arena.
O passo seguinte será reinaugurá-la.
Nos bastidores, elabora-se um grande evento, em que o presidente Fábio Koff e o patrono Hélio Dourado pisarão o gramado e discursarão para a torcida, como se fosse a abertura oficial de um estádio concluído há quase dois anos.

Um evento em que os atuais dirigentes celebrariam o início da nova vida da Arena, livre de qualquer compromisso com a OAS e com todos os lucros revertidos para o clube.

A “primeira” inauguração da Arena ocorreu em 8 de dezembro de 2012, com a vitória por 2 a 1 sobre o Hamburgo, da Alemanha.
Na época, o presidente era Paulo Odone.

 

 

Bolzan contesta Bellini e diz que Fábio Koff não iria expor reputação

14 de outubro de 2014 3

Como se previa, o anúncio da compra da Arena virou o componente mais forte da sucessão presidencial do Grêmio.

Mauro Vieira

Mauro Vieira

Cavalo de batalha da situação, a conclusão do negócio é colocada sob suspeita pela oposição, por ter sido anunciada a poucos dias da votação, marcada para sábado, dia 18.
Conforme Homero Bellini Júnior, “trata-se de uma cartada política”.
– O presidente Fábio Koff não iria expor sua reputação, nem tampouco seria leviano em anunciar um negócio dessa envergadura sem autorização da OAS – respondeu Romildo Bolzan Júnior.

 

Felipão é denunciado no STJD e pode ser suspenso por 12 jogos

08 de outubro de 2014 1

Mauro Vieira

O técnico Luiz Felipe Scolari foi denunciado nesta quarta-feira pela procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta da expulsão no jogo contra o São Paulo, no sábado.

O treinador responderá por duas infrações ao artigo 258 (assumir conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva) do Código Brasileiro Justiça Desportiva (CBJD), pelo fato de, conforme relato em súmula do árbitro Felipe Gomes da Silva, ter “gesticulado de maneira acintosa” e dito “vocês não prestam para nada” ao quarto árbitro. Como o texto prevê até seis jogos de suspensão, Felipão poderá pegar um gancho de até 12 partidas caso receba a pena máxima.

Além disso, o Grêmio será julgado pelo arremesso de um frasco de remédio, por parte da torcida, ao campo de jogo – fato também relatado em súmula, que menciona a identificação do torcedor responsável pela Arena Porto-Alegrense.

Denunciado nos artigos 258-D e no 213 do CBJD, o clube pode receber multas de até R$ 10 mil e R$ 100 mil, respectivamente, para cada denúncia.

Esquenta a eleição no Grêmio. Homero parte para a ofensiva contra Bolzan.

08 de outubro de 2014 3
Adriana Franciosi

Adriana Franciosi

Eleito, junto com Romildo Bolzan Júnior, para o segundo turno da eleição presidencial, Homero Bellini Júnior saiu atirando já na primeira entrevista depois da votação, na noite desta terça-feira.
Tratou de avisar aos associados que votarão no segundo turno que sua disputa será contra Bolzan, e não contra Koff.
Também desafiou a situação a apresentar seu plano de gestão, o que, garantiu, ainda não aconteceu, desde a eleição de Koff em 2012.
Apesar da eloquência de seu discurso, Belini prometeu uma campanha com discussões em alto nível.
Bolzan, que havia falado um pouco antes aos microfones, disse ter pedido a Homero para não implodir pontes que não possam ser reconstruídas depois.
O temor dos torcedores é que a discussão, que promete ser acalorada, chegue ao vestiário e atrapalhe o rendimento da equipe no Brasileirão.

Abel elogia atitude de D'Alessandro e diz que Moura assumiu "responsabilidade que não necessitava", ao bater o pênalti

24 de setembro de 2014 0

Ricardo Duarte

Abel Braga não gostou de ver o seu cobrador oficial de pênaltis ceder a vez para outro jogador. Mas não criticou D’Alessandro por isto. Ao contrário: elogiou a atitude do argentino a dar a vez para Rafael Moura, o centroavante que precisava se reconciliar com a massa no Beira-Rio. No final das contas, deu errado. Moura cobrou mal e o goleiro Bruno defendeu.

- Foi uma atitude muito legal do D’Ale. Eu acho que devia bater o D’Ale. O Moura fez gol no jogo passado. Chamou para ele uma responsabilidade que não necessitava. O jogo pode estar 4 a 0, 5 a 0, já estava praticamente decidido, então a atitude do D’Alessandro foi de um grande capitão, de um grande líder – disse Abel Braga.

O curioso é que o treinador viveu situação parecida em 2007, em Náutico 1×1 Inter, pelo Brasileirão. O Inter vencia por 1 a 0 e teve um pênalti a seu favor. Alex, o cobrador oficial da época, cedeu a cobrança ao atacante Christian, cujo filho estava de aniversário e ele desejava homenageá-lo. Christian errou e, ao final da partida, ouviu a seguinte reprimenda de Abel:

- Bater porque queria homenagear o filho, não tem não. Tem que homenagear o clube.

O caminho para a América: Inter projeta de 8 a 10 vitórias para voltar à Libertadores

21 de setembro de 2014 4

Alexandre Lops/Divulgação Inter

Enquanto o Cruzeiro ainda surge como miragem na vida do Inter (mesmo com a derrota para o Atlético-MG, no clássico), o plano no Beira-Rio é seguir vencendo e, ao menos, assegurar sem dramas a vaga à Libertadores. Caso os mineiros parem pelo caminho, aí, sim, será possível voltar a sonhar. Mas a ordem do momento é pontuar até garantir morada permanente no G-4 do Brasileirão.
A gira por Pernambuco e Paraná rendeu ao Inter os quatro pontos planejados. Empate com o Sport e vitória com quebra de tabu sobre o Atlético-PR. Na projeção colorada, seis pontos serão conquistados nas duas próximas rodadas, ambas em casa, contra Criciúma e Coritiba – com 41 pontos, o Inter ocupa a terceira colocação no campeonato.
- Temos de esquecer os outros times e pensar nos nossos resultados. Oito, nove, 10 vitórias até o final é o ideal para assegurarmos uma Libertadores. Não dá para torcer só contra o Cruzeiro e perder o foco _ disse Alex, após o 1 a 0 na Arena da Baixada, triunfo que o clube não conseguia obter desde 2006.
Alex, que vem sendo o principal jogador do Inter no meio-campo, ainda brinca com o “imparável” Cruzeiro.
Sem Wellington Paulista, que sofreu estiramento muscular, Rafael Moura ganhou moral com o gol da vitória sobre o Atlético-PR para voltar ao time titular, mesmo diante da torcida, no Beira-Rio. É possível que depois destes dois jogos Nilmar já esteja em condições de atuar por alguns minutos. E justamente contra o Cruzeiro, no Mineirão. Em uma espécie de pré-temporada particular, é possível que o novo reforço tenha chances de jogar ao menos 45 minutos em Belo Horizonte, encorpando o ataque colorado.

O caminho para
a América

De oito a 10 vitórias nos 15 jogos que restam? Veja o mapa do Inter até o final do Brasileirão

Criciúma (C)
É para vencer
O Criciúma luta para se manter na Série A. A torcida protesta e, no sábado à noite, apedrejou os carros de alguns jogadores após o empate em casa com o Botafogo.

Coritiba (C)
É para vencer
Outro clube que tem como missão permanecer na Série A. Uma das poucas vitórias do Coritiba fora de casa foi sobre o Grêmio, jogo que derrubou Enderson Moreira.

Cruzeiro (F)
É pedreira
Pode marcar a estreia de Nilmar. O mais difícil dos jogos, quase uma final de campeonato. No 1º turno, o Inter levou 3 a 1, no Estádio Centenário.

Chapecoense (F)
Empate é vitória
Os catarinenses querem permanecer na elite. E, para isto, fazem do Índio Condá um caldeirão. No 1° turno, Wellington Paulista marcou os gols da vitória _ e não fez outro desde então.

Fluminense (C)
É para vencer
Jogo duro, mas é daqueles para eliminar a concorrência. Em Macaé, o Inter fez uma de suas melhores partidas no ano, no 1 a 1 com o Fluminense.

Corinthians (C)
É pedreira
Um dos adversários mais difíceis para o Inter. No pós-Copa, o Corinthians definiu a partida em menos de 10 minutos, vencendo por 2 a 1.

Flamengo (F)
Empate é vitória
O Flamengo não é mais aquele, que foi goleado no Beira-Rio. Com Luxemburgo, o time sonha chegar ao G-4 e deverá dar trabalho ao Inter.

Bahia (C)
É para vencer
Se fosse pela Copa Sul-Americana, empatar já seria milagre. Como é pelo Brasileirão, o Inter tem obrigação de ganhar. É mais time e o Bahia tenta fugir do Z-4.

Santos (F)
É pedreira
Vencer se tornará algo histórico. Nenhum Inter em tempo algum ganhou do Santos na Vila Belmiro. Por isto, um empate já será bom negócio.

Grêmio (F)
É pedreira
O Inter tem um cartel de um empate e três vitórias no ano. Na história da Arena, são dois empates e uma vitória do Inter. Tentar vencer o primeiro clássico se tornou questão de honra para o Grêmio.

Goiás (C)
É para vencer
Um Goiás instável já foi batido pelo Inter no 1° turno. Uma nova vitória é necessidade para um time que tem pretensões como as do Inter no Brasileirão.

São Paulo (F)
É pedreira
Tão difícil como enfrentar o Cruzeiro no Mineirão. No Beira-Rio, o Inter já perdeu para o São Paulo, em um jogo parelho. No Morumbi, será necessário superação.

Atlético-MG (C)
É para vencer
No Independência, o Inter foi superior e deixou de sair na frente devido ao erro crasso de Rafael Moura. Acabou derrotado, mesmo atuando melhor.

Palmeiras (C)
É para vencer
Quem sabe o que estará disputando o Palmeiras na penúltima rodada? Os paulistas têm uma equipe irregular, é um clássico a ser vencido _ e o Inter venceu o confronto em São Paulo.

Figueirense (F)
É para vencer
Se o Inter estivesse mais concentrado, certamente não levaria a virada em casa depois de estar vencendo por 2 a 0. Em condições normais, dá Inter.

Nilmar assina por três anos com o Inter e retorna ao Beira-Rio

16 de setembro de 2014 7

Omar Freitas

Por Alexandre Ernst

Acabou a espera. Nilmar é, finalmente, o novo reforço do Inter para as próximas três temporadas. Uma reunião na manhã desta terça-feira entre o jogador, o empresário Orlando da Hora e o presidente do Inter, Giovanni Luigi, sacramentou a negociação que traz, pela segunda vez, o ex-camisa 9 para o Beira-Rio.

O contrato de Nilmar com o Inter vai até dezembro de 2017. Receberá na casa dos R$ 400 mil mensais. A costura da minuta foi finalizada ainda no final de semana, quando Orlando da Hora encontrou-se com o departamento jurídico do clube, dentro do próprio Beira-Rio.

É a contratação de peso que fecha com chave de ouro a gestão Luigi. A negociação foi toda feita pelo presidente. Foram mais de 50 dias entre conversas, espera pela liberação oficial do jogador junto ao Al-Jaish, do Catar, e propostas oficiais para contar com o atleta de 30 anos. Nos corredores do Beira-Rio, uma certeza: com Nilmar, a chance de um possível título brasileiro aumenta — embora se admita que os nove pontos do líder Cruzeiro são gordura a perder para lá de considerável.

Relembre as duas passagens anteriores de Nilmar pelo Beira-Rio
A novela: 
um resumo das negociações do Inter com Nilmar
Leia mais notícias sobre o Inter

Giovanni Luigi e Orlando da Hora trataram do segundo retorno de Nilmar para o Beira-Rio ao longo de toda a semana, mas, principalmente, na sexta e no sábado. O advogado do jogador, André Ribeiro, azeitou as últimas questões contratuais e, entre novas propostas, conversas e cedências de ambas as partes, Nilmar, por fim, decidiu-se pelo Inter.

Há informação de que o Cruzeiro, Corinthians e até um clube da Índia tinha interesse no atacante. Por três meses, um clube do futebol indiano ofereceu US$ 1 milhão pelo vínculo do jogador. Contudo, a pressão familiar para atuar em Porto Alegre foi decisiva para Nilmar retornar ao Beira-Rio.

Além da questão financeira e contratual, Orlando Da Hora consultou alguns caciques de diversos matizes do Inter para saber como se encaminha o futuro político do clube. Detalhista, o agente procurou se informar sobre como deverá ser o biênio 2015/2016 no Beira-Rio, para evitar surpresas, por conta do contrato longo assinado entre o atacante e o Inter.

Grêmio acerta troca em definitivo entre Rhodolfo e Souza com o São Paulo

12 de setembro de 2014 29
Foto: Félix Zucco

Foto: Félix Zucco

Por Adriano de Carvalho

O Grêmio confirmou no início da tarde desta sexta-feira a compra dos direitos de Rhodolfo junto ao São Paulo. O zagueiro assina contrato por três anos e meio com o clube gaúcho. Em troca, o volante Souza foi repassado, também em definitivo, ao clube paulista.

— O Grêmio fez um pagamento ao São Paulo, uma compensação de valores que já tinha como crédito. Desta forma, trocamos os direitos do Rhodolfo pelo Souza — confirmou o executivo do Grêmio, Rui Costa.

No início da temporada, os clubes realizaram uma troca de empréstimos dos dois jogadores. Com o bom desempenho de ambos, titulares absolutos nas equipes de Felipão e Muricy Ramalho, e também pelo ótimo relacionamento entre as diretorias, Grêmio e São Paulo procederam também com a aquisição dos direitos econômicos.

STJD deverá recolocar Grêmio na Copa do Brasil e punir clube com perda de mando de campo em 2015

12 de setembro de 2014 27
Foto: SANDRO VOX/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Foto: SANDRO VOX/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

É forte a sensação, nos corredores do Olímpico e do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de que o clube conseguirá reverter a decisão da Terceira Comissão Disciplinar que o excluiu da Copa do Brasil. O Julgamento no Pleno será dia 26.

A pena deverá ser trocada por perda de mandos de campo, alternativa também prevista no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Seriam duas partidas em que o Grêmio deixaria de atuar como mandante. E somente na Copa do Brasil de 2015, não no Brasileirão deste ano.

Foi esta a pena aplicada a Vasco e Atlético-PR, por conta da briga entre torcedores dos dois clubes em Joinville, durante o Brasileirão de 2013. O Grêmio passou a acreditar na reversão da perda depois do voto do relator Flávio Zveiter, quinta-feira, durante o julgamento do caso Paulão. Mais de uma vez, Zveiter afirmou que o clube gaúcho não é racista.

Trata-se de um auditor muito experiente, cujo voto, por vezes, influencia o dos demais. Outro posicionamento importante em favor do Grêmio é o de Caio Rocha, presidente do STJD, que também achou exagerada a exclusão da Copa do Brasil.

O Tribunal entende que a pena de multa seria branda e não atenderia ao clamor da sociedade. Nesse caso, optaria pela perda de mando. Obrigar o time a jogar em Caxias do Sul, outra hipótese aventada, também seria considerada decisão inócua, já que não privaria os torcedores de acompanharem a partida.