Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "andrade gutierrez"

Saiba por que a direção do Inter tem pressa para jogar no Beira-Rio

28 de janeiro de 2014 10

Omar Freitas

Enfim, surge a explicação pelo apuro da direção do Inter em começar a jogar de uma vez no Beira-Rio, mesmo que o estádio ainda não esteja concluído nem tenha as liberações para receber público. Pressionada pela oposição, que exigiu no Conselho Deliberativo que o clube cobre da Andrade Gutierrez a multa pelo atraso na entrega da obra – cujo prazo inicial era 31/12/2013 -, a direção tenta acelerar o que pode para provar que o estádio já tem condições de jogo e, assim, estancar a tensão no Conselho.
Por enquanto, a gestão do clube ganha tempo e assegura que o contrato determina multa em caso de atraso na data definida pela Fifa que, por enquanto, é 28 de fevereiro. Quanto mais se protela, mais a oposição exige o pagamento da multa. E a direção não vai exercer tal cobrança porque não quer briga com a Andrade Gutierrez. E, por enquanto, torce para que o estádio seja concluído de uma vez, até 28 de fevereiro, a fim de acalmar os ânimos em casa…
Em tempo: o Beira-Rio segue sem o PPCI, exigido pelo Corpo de Bombeiros, e com a passarela que leva aos refletores interditada pela Delegacia Regional do Trabalho.

Inter homenageia o mentor da reforma do Beira-Rio - com a parceria da Andrade Gutierrez

08 de janeiro de 2014 0

Agência RBS

Luís Anápio Gomes, ex-vice de futebol colorado, teve papel fundamental para que o Inter fechasse a parceira com a Andrade Gutierrez e reconstruísse um Beira-Rio que já tinha parte da social em ruínas. Enquanto o clube ainda debatia se seguiria tocando a reforma com recursos próprios e tinha dificuldades em prospectar um parceiro, Anápio foi o grande conselheiro de Luigi para que a assinatura com a AG fosse concretizada. Foi dele também a ideia de o clube procurar a presidente Dilma Rousseff para auxiliar o clube na costura com a AG. Ontem, Anápio foi homenageado por Marcelo Medeiros durante a apresentação do time:
- O futebol do Inter volta ao Beira-Rio. Hoje é o primeiro passo da nossa volta para casa. E eu queria fazer uma homenagem lembrando o nome de um ex-vice de futebol que foi fundamental para que pudéssemos fazer essa obra e que déssemos ao novo Beira-Rio o selo Fifa e que pudéssemos sediar pela segunda vez uma Copa do Mundo. A mina homenagem ao Luís Anápio Gomes. Agora a nossa casa, que tem alma e tem história, está voltando.

Giovanni Luigi: "Tenho boa relação com a Andrade Gutierrez. Mas, se passarem do prazo para a entrega do Beira-Rio, a multa será cobrada"

01 de janeiro de 2014 12

Omar Freitas

O Inter cobrará a multa da Andrade Gutierrez por atraso na reforma do Beira-Rio. Mas, desde o acidente no Itaquerão, em São Paulo, a Fifa protelou a data final para as conclusões dos estádios que serão utilizados na Copa do Mundo para o dia 28 de fevereiro. E esse é o prazo com o qual o Inter trabalha para efeitos de ir à Justiça cobrar da Andrade Gutierrez e multa por atraso na finalização da obra, e não mais o 31 de dezembro de 2013, conforme constava em contrato.
Ainda que assegure que o Beira-Rio já tem condições de receber uma partida para teste e que acredite na entrega do estádio até 28 de fevereiro, o presidente Giovanni Luigi assegura que o Inter cobrará a multa da AG, caso se configure o (novo) atraso.
- Não sou o dono do Inter, sou o presidente do Inter. Vou cumprir o que está no contrato. Não importa se tenho boa relação ou não com a Andrade Gutierrez. E eles sabem disso. Se passarem do prazo, a multa será cobrada – afirma Luigi. – Conforme a construtora, a obra já está 97% concluída – acrescenta o dirigente.
Conforme consta em contrato, o clube tem direito a receber da AG até 7% do valor total do contrato (apenas o que foi financiado junto ao BNDES; o valor total da obra já ultrapassou os R$ 400 milhões), de R$ 271,5 milhões – mais correção monetária desde 2012, o que dá mais de R$ 19 milhões. Além disso, o Inter tem direito a receber mais 0,5% do contrato – algo como R$ 1,3 milhões mais a correção. Mais: o Inter tem direito a cobrar da AG R$ 1,6 milhão por jogo oficial não realizado, se isso ocorrer devido ao atraso na obra.
A partir desta quinta-feira, a Geplan (empresa contratada pelo Inter para fiscalizar as obras da AG) passará a vistoriar os mais de 900 itens da reforma do Beira-Rio. O processo poderá levar até 15 dias. Depois, a Geplan fará um relatório ao clube, informando se tudo o que foi contratado foi realizado ou se ainda faltam pontos a serem concluídos ou modificados.
- Se obtivermos todas as licenças para a abertura do estádio, jogaremos no Beira-Rio já na estreia do Gauchão, dia 18 de janeiro, contra o São Luiz – finaliza Giovanni Luigi.

Após atraso na entrega do novo Beira-Rio, Inter publica nota afirmando que estádio está em fase de conclusão e pronto para receber vistorias

31 de dezembro de 2013 28

Divulgação Inter

O Inter decidiu dar uma explicação ao seu associado, a respeito do atraso da Andrade Gutierrez para a conclusão do estádio Beira-Rio – que deveria ocorrer hoje. O clube assegura que a sua casa está quase pronta e que os prazos exigidos pela Fifa para que o estádio receba o Mundial serão cumpridos. Em nota oficial, o Inter afirma inclusive que o Beira-Rio já está pronto para receber jogos, desde que a obra obtenha o Habite-se.
Apesar do otimismo do Inter, o blog tem informações que a estreia do time no Gauchão, no dia 18 de janeiro, contra o São Luiz, deverá ser realizada em Novo Hamburgo ou Gravataí, e não no Beira-Rio. A reforma do estádio já custou mais de R$ 400 milhões e, apesar do atraso na entrega da obra, o clube não cobrará a multa da Andrade Gutierrez, mesmo que ela conste em contrato.

A nota oficial publicada no site do Inter:
O Sport Club Internacional, a Brio e a Andrade Gutierrez vêm a público informar que as obras de reforma e modernização do Estádio Beira-Rio encontram-se em fase de conclusão e serão iniciados, a partir do dia 02 de janeiro, os procedimentos da fase de entrega e vistorias, nos prazos contratualmente previstos, os quais visam certificar a adequação das obras ao Projeto e às exigências da FIFA.

Gostaríamos de destacar que, independentemente da conclusão da membrana da cobertura, que se ultimará em paralelo ao desenrolar da fase de verificação do restante da obra, o Estádio já está apto a receber partidas, desde que sejam obtidas as licenças das autoridade competentes.

As partes informam ainda que o prazo de 31/12/2013 é uma primeira referência contratual e que a data limite, a qual não pode ser ultrapassada sob pena de sanções, é a necessária para a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, imposta pela FIFA e fixada em 28/02/2014.

Felizes em poder compartilhar com a imensa torcida Colorada e todo o povo Gaúcho esta notícia, o Sport Club Internacional, a Brio e a Andrade Gutierrez aproveitam para comemorar essa parceria estratégica para o futebol mundial, a qual vem rendendo bons frutos para Porto Alegre, para o Rio Grande do Sul e para o Brasil.

Atrasou a reforma: Andrade Gutierrez deverá entregar o novo Beira-Rio ao Inter somente ao final de janeiro. Obra já custou mais de R$ 400 milhões

29 de dezembro de 2013 40

Divulgação Inter/AG

O fim do ano chegou, a reforma atrasou, e o Inter segue sem receber de volta as chaves de casa.
As obras do novo Beira-Rio não serão concluídas neste 31 de dezembro, amanhã, conforme estava estipulado no contrato entre o Inter e a construtora Andrade Gutierrez.

A previsão mais otimista para o encerramento da reconstrução aponta para o final de janeiro. A mais realista, para meados de fevereiro. O estádio está 92,5% pronto, ainda faltando acabamentos internos e a instalação das membranas e das membranas translúcidas – sem contar o edifício-garagem, esse quase pronto, e o entorno do estádio.
Ainda que o acordo preveja multa à AG por atraso na obra, esse direito não será exercido pelo Inter. Em 2 de janeiro, no primeiro dia útil de 2014, o presidente Giovanni Luigi enviará um ofício à empreiteira a fim de formalizar o não cumprimento do prazo estipulado. Inter e AG mantêm boa relação – e o retardamento na entrega da obra já era algo de conhecimento do clube há algum tempo. Meses atrás, a Fifa já havia sido informada sobre o protelamento da obra. Luigi fará tal cobrança apenas para dar uma justificativa aos associados e para evitar um novo desgaste junto ao Conselho Deliberativo.
Não haverá a aplicação da penalidade também porque isso demandaria uma disputa judicial, o que não é de interesse de nenhuma das partes no momento _ ainda mais dentro de uma parceria pelos próximos 20 anos. A reforma do Beira-Rio já consumiu mais de R$ 400 milhões. Contratada a “preço fechado” (modelo no qual a empreiteira é quem assume os riscos do negócio), a obra foi orçada inicialmente pela AG em R$ 330 milhões – sendo R$ 271,5 milhões financiados pelo BNDES. Mas novos custos foram sendo acrescentados ao longo desses 21 meses de construção. A parte inferior do estádio, por exemplo, precisou toda ela receber um novo estaqueamento, a fim de sustentar as novas instalações. Boa parte da arquibancada superior também precisou ser refeita. Até dias atrás, as gruas alugadas pela AG custavam R$ 15 mil ao dia. A empreiteira tenta acelerar os 7,5% restantes da obra para entregar o estádio o mais rápido possível.
Nos últimos dias de 2013, porém, um novo percalço. A investigação da Polícia Federal e do Ministério do Trabalho apontou que 58 alpinistas estrangeiros (ucranianos, irlandeses, alemães e checos), que instalavam as membranas no estádio, estavam com vistos de trabalhos irregulares no país. A empresa Sepa Higtex, responsável pela contratação desses operários, foi multada e a velocidade na instalação das membranas foi reduzida quase a zero.
Ainda que o gramado esteja pronto para jogo – e até já tenha sido testado em uma pelada entre operários da AG e funcionários do Inter-, as goleiras tenham sido instaladas e o campo, demarcado, a primeira partida do Inter (ou do sub-23) na remodelada casa deverá ocorrer somente em 45 dias. Para isso, o Beira-Rio precisa estar liberado para receber ao menos 10 mil torcedores. A ideia é fazer desse jogo uma espécie de evento teste do estádio. O time de Abel Braga e o Beira-Rio, liberado para receber os 51,3 mil torcedores – depois da Copa do Mundo essa capacidade poderá ser ampliada para 56 mil lugares -, porém, deverá estar apto somente para o dia 6 de abril, no Inter e Peñarol que marcará a reabertura oficial do estádio.
Portanto, os colorados terão que esperar um pouco mais para ter o Beira-Rio de volta.

O que ainda falta
17 membranas
65 membranas translúcidas
Concluir o edifício-garagem para 3 mil veículos
Instalação dos dois novos telões
O entorno do estádio (esse, com previsão para abril)

Resistência virtual: os vingadores do Beira-Rio

05 de abril de 2013 5

Ainda existe romantismo no futebol. Incomodados com a falta de informações sobre a reforma do Beira-Rio, muitas vezes barradas pela comunicação da Andrade Gutierrez e a do Inter, os amigos e sócios colorados Emílio Fialho, 41 anos, e Fernando Schröder, 32, criaram uma página no Facebook na qual passaram a postar as fotos que conseguiam do estádio e as informações que obtinham com engenheiros e operários com quem conversavam informalmente, em meio às caliças e buracos das obras do estádio. Se transformaram em uma espécie de vingadores da torcida. Isso foi há pouco mais de um ano. Aliás, as primeiras fotos foram obtidas na base do peitaço. Na foto, o trio Emílio Fialho (E), Gustavo Seganfredo Farias (no centro) e Cristian Vargas (D).
Impedido de acessar ao estádio para acompanhar a reforma, Fialho comprou um capacete de obra e colou nele o escudo do Inter. De repente, tinha um capacete igual ao dos operários da Andrade Gutierrez, ou seja: conseguiu a senha para driblar a segurança e um passe livre para ingressar no Beira-Rio. Descoberto, após a terceira visita, decidiu mudar um pouco a abordagem ao ouvir de um segurança um sugestivo “não faz mais isso, que tu podes tomar uma coça”. Definitivamente, era chegada a hora de atacar nas redes sociais.
Começava ali a epopeia da trupe do Beira-Rio Gigante Para Sempre – SCI. Hoje, o grupo já conta com mais de 12,3 mil colaboradores, tem 6,5 mil fotos exclusivas e foi chamado para reuniões com a Andrade Gutierrez, a fim de auxiliá-los na divulgação das fotos e dos vídeos sobre a reforma do estádio.
- Estamos fazendo agora o que os colorados dos anos 60 fizeram, carregando tijolos para ajudar na construção do Beira-Rio. A diferença é que o nosso tijolo é digital. Ajudamos através da divulgação pelas redes sociais – diz Fialho.
O analista de sistemas acrescenta um detalhe que precipitou o surgimento da iniciativa: resgatar o orgulho colorado.
- O Beira-Rio estava em escombros, triste, e, agora, vemos ele renascer. Esse novo estádio será um grande impulso para o futuro do clube, com um desenho único a partir da cobertura – entende Emílio Fialho.
O grupo chamou a atenção também de movimentos políticos do clube, que tentaram cooptá-los. Tiveram o convite negado. A turma do Facebook não quer se envolver com questões eleitorais do Inter nem são permitidas discussões sobre time ou sobre o rival nas postagens e moderações do Beira-Rio Gigante Para Sempre (ou GPS). Só vale falar da reforma.
Muitas das fotos obtidas pelo grupo são de pessoas envolvidas com a obra. Logo, elas não podem aparecer. Problema? Nenhum. Para isso foi criado o personagem O Impostor do Beira-Rio.
- O Impostor é a assinatura daqueles que nos fornecem as fotos, mas que não podem aparecer – destaca Fialho.
Talvez o grande momento de glória do grupo até aqui tenha sido durante a instalação do primeiro braço da cobertura. Naquele 22 de março, a câmera instalada para a transmissão em tempo real pela internet, no apartamento de um dos integrantes do GPS, em frente ao Beira-Rio, parecia distante demais para os aficionados. Dois deles deixaram o trabalho de lado e foram para a frente do estádio, com laptops e câmeras nas mãos para transmitir de pertinho, ao vivo, a instalação. Gustavo Seganfredo Farias, 26 anos, desenvolvedor de web, e o empresário Cristian Vargas, 24, ficaram das 9h às 23h transmitindo o sobe e desce dos guindastes.
- As pessoas iam chegando e nos ajudando a segurar as câmeras. Teve até um senhor de idade que ficou nos auxiliando – conta Gustavo.
- Fizemos isso por amor ao Inter. Tenho certeza que estamos fazendo história – comemora Cristian.
O empenho da dupla fez com que eles ganhassem a mais alta honraria do grupo: um capacete vermelho, de obra, com a efígie de O Impostor.
- Não somos malucos, somos os últimos românticos do futebol – resume Fialho.

Por que a conclusão do Maracanã vai acelerar as obras do Beira-Rio?

03 de abril de 2013 7

Com a montagem do segundo braço (de um total de 65) da cobertura por se iniciar, o Beira-Rio terá a obra da reforma do estádio acelerada a partir de maio. Por quê?
Porque com a conclusão do Maracanã, marcada para o dia 27 de abril, a Andrade Gutierrez (uma das empreiteiras que participa do pool para a reforma do estádio carioca) deslocará pelo menos 600 de seus operários do Rio de Janeiro para o Beira-Rio. A previsão da AG é que o estádio do Inter seja entregue até o dia 31 de dezembro.

Inter: AG realizará testes antes da instalação dos demais módulos da cobertura do Beira-Rio

24 de março de 2013 2

Após a instalação do primeiro módulo da cobertura do Beira-Rio, a Andrade Gutierrez fará uma avaliação com a Sulmeta, a empresa que construiu o equipamento, a fim de analisar possíveis ajustes para a montagem dos demais 64 módulos. Os cinco primeiros braços da cobertura são considerados cruciais para
a composição total.
Há alguma preocupação com o clima de Porto Alegre. Por questões de segurança, em caso de chuva, a operação precisa ser suspensa. Em média, cada módulo levará dois dias para ser içado e instalado. Como ainda restam 64 deles a serem erguidos, serão necessários 128 dias de trabalho. Faltam 282 dias para o encerramento do ano e, consequentemente, para a entrega do novo Beira-Rio. Por enquanto, há tempo de sobra. Se não chover.

Contrato
Com as obras do Beira-Rio avançando, Inter e BRio – a empresa criada para gerenciar a reforma – começarão a definir algumas questões sobre a operação do estádio. Entre elas, a contratação de uma empresa para administrar segurança, limpeza, contratar orientadores, controle de acesso (catracas) e até manutenção. O Inter detém 85% dos assentos do Beira-Rio. A BRio é dona dos demais 15%.

BNDES aprova financiamento de R$ 271,5 milhões para a reforma do Estádio Beira-Rio

19 de dezembro de 2012 14


O Beira-Rio teve confirmado há pouco pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a aprovação do financiamento de R$ 271,5 milhões para a reforma e modernização do estádio. Dos 11 projetos de arenas e estádios apresentados para a Copa do Mundo de 2014, o estádio do Inter era o único que ainda não havia recebido a linha de crédito do banco. A verba terá um terço repassado diretamente pelo BNDES e os dois terços restantes indiretamente pelo Banco do Brasil e pelo Banrisul. Os recursos serão encaminhados à Sociedade de Propósito Específico (SPE) Holding BRio, controlada pela Andrade Gutierrez, e correspondem a 71,8% dos investimentos totais necessários para tornar o estádio apto a receber os jogos da Copa. O novo Beira-Rio terá capacidade total para 52 mil torcedores.
As obras do Beira-Rio tiveram início em março e têm prazo de conclusão de 22 meses. O cronograma prevê um percentual de 50% concluído em janeiro de 2013 e 80% até julho do próximo ano. A inauguração está prevista para dezembro de 2013. Até lá, o Inter jogará no Centenário, em Caxias do Sul.

Beira-Rio será fechado no dia 26 de novembro e reabrirá em fevereiro

18 de outubro de 2012 53

O Beira-Rio fechará os seus portões no dia 26 de novembro. No dia anterior, a equipe terá disputado a última partida do Brasileirão, contra a Portuguesa. Até o começo de fevereiro, quando o Gauchão estará em suas rodadas iniciais, o estádio permanecerá fechado e entregue às obras da Andrade Gutierrez.
Mas, se depender do presidente Giovanni Luigi, o estádio será reaberto para a disputa do Estadual. Luigi lembra que o Beira-Rio será efetivamente fechado a partir de julho, quando o gramado será retirado para a instalação da nova drenagem a vácuo, sendo retomado para as atividades somente quando da reinauguração, em 31 de dezembro de 2013.
- Se eu continuar como presidente do Inter em 2013, defenderei que o time siga jogando no Beira-Rio. Há condições para isso. Nesse momento, por mim, disputaremos o Gauchão na nossa casa – disse Luigi.