Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "beira-rio"

Vai encher: Beira-Rio já tem mais de 13 mil lugares reservados para Inter x Palmeiras

25 de novembro de 2014 1

Ricardo Duarte

O Inter acredita que baterá o recorde de público do novo Beira-Rio nesse sábado, quando precisará vencer o Palmeiras para se classificar à Libertadores. O recorde atual pertence a Inter 2×1 Atlético-MG, com 38.006 torcedores. Ainda nessa quarta-feira, as vendas de ingressos em bilheterias, portal de voz e internet serão apenas para os associados do clube. A partir de quinta, serão comercializados também para o público em geral. Segundo a direção colorada, 9.854 sócios já realizaram o check in e 3.734 já compraram ingressos, num total de 13.328 lugares já ocupados no estádio para a partida.

Os preços dos ingressos:
Superior e inferior
Não sócio R$ 20
Sócio R$ 10

Cadeira superior
Não sócio R$ 60
Sócio R$ 30

Cadeira Inferior
Não sócio R$ 80
Sócio R$ 40

VIP lateral Libertadores
Não sócio R$ 100
Sócio R$ 50
Combo Família Colorada R$ 150
(Dois adultos e dois menores).

VIP central Libertadores
Não sócio R$ 120
Sócio R$ 60

VIP central Mundial R$ 200

VIP lateral R$ 180

Skybox 24 lugares R$ 3.000

Suites/Camarotes 14 lugares R$ 3.500

Inter recebe os carrinhos de luz para preservar o gramado do Beira-Rio

01 de outubro de 2014 1

GPS - Gigante Para Sempre

Foto: GPS – Gigante Para Sempre

Demorou, mas o Beira-Rio finalmente recebeu os “carrinho de luz” importados da Suécia. Os carrinhos, utilizados em diversas arenas no Brasil, irradiam luz e calor a fim de preservar o campo de jogo, especialmente naqueles meses nos quais a luz do sol não chega a todos os pontos do gramado. Há um ponto específico no Beira-Rio, na área do escanteio, em frente à antiga social, onde a cobertura não permite a chegada dos raios solares. O equipamento deveria ter chegado ainda durante a Copa do Mundo, mas um entrave burocrático envolvendo o fabricante dos carrinhos atrasou a entrega. Agora, o problema deverá ser resolvido.

Em nota, Andrade Gutierrez refuta problemas na obra do Beira-Rio e admite "adequações necessárias" no estádio

24 de setembro de 2014 1

Foto: Omar Freitas

Devido à demora na entrega das chaves do Beira-Rio, pela Andrade Gutierrez ao Inter, e às cobranças dos conselheiros colorados com relação ao atraso da construtora em passar oficialmente o estádio ao clube, a empreiteira emitiu uma nota. No texto, a AG afirma que a obra do estádio está concluída e que estão sendo feitos ajustes. Segundo a AG, estas readequações (como a instalação de uma calha na cobertura, a fim de evitar que a chuva caia sobre as cadeiras do estádio) são algo extra ao que estava no projeto original que foi entregue à construtora.

A nota da AG:
A Andrade Gutierrez esclarece que as obras de Reforma e Modernização do Estádio Beira-Rio encontram-se finalizadas e foram entregues ao Sport Club Internacional para a realização de jogos. A construtora informa que, conforme preconiza o contrato, as obras já possuem aceitação provisória, e que por assim ser atualmente nos encontramos em período de comissionamento, treinamento e garantia tal como previsto. As informações sobre problemas na cobertura são infundadas, visto que a drenagem para área de chuva é item não previsto no projeto e no escopo desta construtora.
No entanto, para dar maior conforto e comodidade aos torcedores colorados, a Andrade Gutierrez, por solicitação da BRIO e do Sport Club Internacional, vem trabalhando para realizar as adequações necessárias, o que não pode ser confundido como um item pendente. Desta forma, não procedem as informações veiculadas nos últimos dias sobre atraso na entrega do estádio. A obra do Beira-Rio é um marco para as obras de estádios, tanto por sua beleza, como pela velocidade e qualidade empregadas.

Uma calha ainda impede que a Andrade Gutierrez entregue as chaves do Beira-Rio para o Inter

23 de setembro de 2014 9

Ricardo Duarte

Uma calha ainda impede que a Andrade Gutierrez entregue, formalmente, o novo Beira-Rio ao Inter. Ocorre que para que as chaves do estádio voltem oficialmente para as mãos dos colorados, a construtora precisa terminar os ajustes em 9 mil itens listados ainda no começo do ano – e cujas melhorias estão praticamente finalizadas desde então. Mas um último grande ajuste precisa ser feito. Na cobertura do estádio. Em dias de chuva forte (como ocorreu antes do Gre-Nal, por exemplo), a borda interna da membrana que cobre o Beira-Rio não sustenta a água e ela acaba caindo com força para as cadeiras.

A solução encontrada entre Andrade Gutierrez e Inter foi a instalação de uma calha correndo por toda a cobertura. A água da chuva será direcionada para uma enorme cisterna e será reaproveitada no dia a dia do estádio. A questão é que esta obra levará mais de 30 dias para ser finalizada. Depois disto, ainda será necessária uma vistoria para aprovar esta obra e, caso esteja de acordo com as especificações, o Inter dará ok para a AG e, finalmente, as chaves poderão ser entregues – o que deverá ocorrer na segunda quinzena de novembro.

A entrega oficial do estádio marcará a data do início formal da parceria de 20 anos entre Inter e Andrade Gutierrez que, na prática, já está valendo. Até dezembro, o Inter já terá faturado R$ 20 milhões a mais com o novo Beira-Rio.

Nilmar volta ao Inter em busca de redenção

19 de setembro de 2014 4

Ricardo Duarte

Nilmar voltou ao Inter para se resgatar. Retornou para ter a sua redenção. Foi apresentado pelo vice de futebol Marcelo Medeiros, em um Beira-Rio com três mil torcedores nas arquibancadas. Acenou para o seu povo, presenteou a torcida com bolas, beijou criancinhas que lhe eram alcançadas pelos pais e foi agarrado diversas vezes pelos torcedores, enquanto dava a volta olímpica. Camisa 7 às costas, ele reafirmou o status de um dos grandes ídolos do clube. Mas, principalmente, Nilmar é visto como a salvação de uma temporada sem ataque confiável. Nilmar representa a esperança. E sabe disto.
- A coisa que mais senti falta foi este ambiente aqui, um ambiente de futebol. A vida lá (em Doha) é maravilhosa para minha esposa, meus filhos. Mas o jogador sente falta. Quero resgatar o jogador de futebol. Aqui, se sente o nível de competição. Lá você tem que lidar com algo que não é 100% profissional. Senti falta da adrenalina do torcedor, da imprensa. Até a cobrança. Lá, você joga para 500 pessoas. Aqui, no Beira-Rio, se joga para 50 mil pessoas – disse Nilmar.
O Inter conta com um posto avançado em Doha para tentar obter o mais breve possível a transferência de Nilmar do Al-Jaish. O clube árabe precisa enviar para a Federação Gaúcha de Futebol a liberação do atacante, o que deverá ocorrer em uma semana. Somente assim o atacante poderá ser inscrito. Enquanto isto, Nilmar segue aos cuidados do coordenador de preparação física Elio Carravetta, podendo estar apto para a estreia de aproximadamente 60 minutos no emblemático jogo contra o Cruzeiro, em 4 de outubro, no Mineirão.
- Tenho uma responsabilidade, mas o Inter tem grandes jogadores. É um novo desafio, sempre encarei desta maneira, sei que vou ter responsabilidades, mas não encaro desta forma, não me vejo como Salvador da Pátria. Quero ajudar, quero colaborar dentro de campo, quero ajudar. Sabemos que não é um jogador só que decide um campeonato, é o clube. Quero entrar o mais rápido possível e dentro de campo demonstrar o que eu sei – afirmou o atacante.
Em meio à coletiva, Nilmar lembrou o seu segundo retorno ao Beira-Rio. Disse ter fé em estar melhor agora, aos 30 anos, do que com 18 anos e com 24 anos (sua idade na primeira e na segunda passagem pelo clube). Brincou com o tempo de contrato (três anos, até o final de 2017) e lembrou o amigo Índio:
- Me sinto bem. Minha vontade é a mesma, como se eu estivesse de novo com 18 anos. Eu queria um contrato de 10 anos, igual ao do Índio, para poder jogar até os 40. Penso em jogar durante todo o meu contrato e, se o nível estiver bom, ir além.
Em meio ao desfile em campo, Nilmar parecia um messias, recebendo crianças nos braços a pedido dos pais, como a pequena Giulia, seis meses, e Arthur, 1,5 ano. Ao final de sua apresentação no gramado, Nilmar assumiu o microfone e agradeceu aos torcedores. Depois de Tinga, a camisa 7 volta a ser vestida por um ídolo do Inter.

Nilmar nos braços da massa

19 de setembro de 2014 4

Ricardo Duarte

Leandro Behs

Recepcionado por cerca de 3 mil colorados, Nilmar já vestiu a camisa 7 e foi para os braços da massa. A tarde foi de festa e renovada esperança no Beira-Rio. Saudou a torcida, chutou bolas para as arquibancadas e, como se fosse um messias, parecia abençoar criancinhas (na foto, o pequeno Arthur, 15 ano, fardado de Neymar), cujos pais entregavam para o atacante beijar e tirar fotos. Nilmar ainda um dos grandes ídolos do clube. Poderá estrear contra o Cruzeiro, no dia 4 de outubro, no Mineirão, uma partida emblemática se o Inter ainda sonha em de alguma forma tentar caçar os mineiros.
— É um momento muito importante para mim, poder retornar ao clube. Devo tudo até hoje ao Inter por ser este jogador. As pessoas que participaram da negociação sabem da dificuldade que foi este esforço. O importante era o meu desejo de voltar a jogar pelo Inter. Quando as partes têm o mesmo pensamento, as coisas facilitam. – Espero que a minha terceira passagem seja melhor e com mais títulos para que eu possa entrar para essa galeria de ídolos da história do clube – disse Nilmar

Acredite: no Beira-Rio, torcedores do Inter quebraram mais cadeiras do que a torcida do Grêmio

11 de agosto de 2014 25

Foto: Omar FreitasFoto: Omar Freitas

Passado o Gre-Nal, a administração do Inter passará a semana trocando 80 cadeiras no Beira-Rio. Trinta e cinco delas foram quebradas pela torcida do Grêmio. As demais 45, foram quebradas pela torcida do Inter. Muitas delas na área destinada à Popular. Sim. Os colorados já destruíram mais cadeira em seu estádio do que a torcida visitante.

—Estas 45 cadeiras não foram quebradas apenas no Gre-Nal. Foram quebradas pela nossa torcida nos jogos contra Flamengo, Ceará e Santos. Ocorre que as pessoas ainda estão acostumadas a torcer em pé. Sobem nas cadeiras, que acabam quebrando. É uma questão cultural – disse o vice de administração do Inter, José Amarante.

O Inter não havia realizado as trocas porque aguardava o Gre-Nal. Agora, um carregamento de cadeiras chegará de São Paulo para o Beira-Rio. Na quarta-feira, o Inter encaminhará ao Grêmio a conta de R$ 13,7 mil, referente às 35 cadeiras e uma pia quebradas pela torcida gremista. Cada cadeira custa R$ 390. Já o Inter, desembolsará R$ 17,5 mil para repor as cadeiras depredadas pela sua própria torcida.

—Também estamos tentando identificar os nossos torcedores que destruíram cadeiras. Se conseguirmos, vamos apresentar a conta para eles. Decidimos trocá-las de uma vez só. Se você vai deixando as cadeiras estragadas, as pessoas se acham no direito de seguir destruindo — afirmou Amarante.

Nos dois Gre-Nais da Arena nesta temporada, o Inter pagou um total de R$ 72 mil à administradora do estádio, pelas cadeiras que foram quebradas pelos seus torcedores nos clássicos.

Gre-Nal 402: Inter está invicto há oito clássicos, mas perdeu para o Grêmio o último no Beira-Rio

08 de agosto de 2014 1

Rodrigo Müzell

No Beira-Rio há a certeza de que uma grande responsabilidade estará em jogo no Gre-Nal 402: se manter invicto pelo nona partida consecutiva no clássico, além de tentar a vencer o Grêmio no primeiro jogo no novo estádio.
Curiosamente, a última derrota colorada em Gre-Nais ocorreu em um Beira-Rio em ruínas – por sinal, o último clássico do velho estádio. Luxemburgo era o treinador do Grêmio e Fernandão, o do Inter. Foi em agosto de 2012 (na foto), e Elano marcou o único gol do clássico.
De lá para cá, oito jogos, com quatro vitórias do Inter e quatro empates. Destas oito partidas, três foram disputadas na Arena, com dois empates e uma vitória de virada do Inter.

Inter e Fla podem perder até 10 mandos de campo pelas agressões da Torcida Jovem a André Santos

29 de julho de 2014 2

Ricardo Duarte

A subprocuradoria do STJD ofereceu denúncia contra o Inter e contra o Flamengo pelas agressões sofridas pelo lateral André Santos, na goleada do Inter sobre o Flamengo, no Beira-Rio. Ao deixar o vestiário, após a goleada de 4 a 0, o jogador foi cercado por 20 torcedores cariocas no pátio do Beira-Rio e acabou agredido enquanto corria em direção à van que o aguardava – André Santos havia contratado a van para levá-lo ao aeroporto Salgado Filho, uma vez que o elenco recebeu folga após a partida.
Assim, a subprocuradoria do STJD entendeu que os clubes não deram segurança ao atleta e denunciou ambos por infrações aos artigos 191 e 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e os artigos 65 (letras b e c) e 66 (itens 1, 2 e 3) e 67 (item 3) do Código Disciplinar da Fifa. Se condenados, Inter e Flamengo poderão perder mando de campo por 10 jogos, cada um, além de ter que pagar multa de até R$ 100 mil, cada um.

Agressão de flamenguistas em André Santos pode interditar Beira-Rio por até 10 jogos

21 de julho de 2014 11

Ricardo Duarte

A procuradoria do STJD poderá encaminhar denúncia contra o Inter e pedir até 10 jogos de interdição para o Beira-Rio. O procurador Paulo Schmitt anunciou que pedirá as imagens das câmeras de segurança do estádio, a fim de verificar se o Inter deu proteção ao lateral do Flamengo André Santos.

Ao deixar o vestiário, após a goleada de 4 a 0, o jogador foi cercado por 20 torcedores cariocas no pátio do Beira-Rio e acabou agredido enquanto corria em direção à van que o aguardava – André Santos havia contratado a van para levá-lo ao aeroporto Salgado Filho, uma vez que o elenco recebeu folga após a partida.

O Inter pode ser denunciado no artigo 213 do CBJD (“Deixar de tomar providência no sentido de prevenir e reprimir desordens”), cujas penas vão de multa a perda de mando de campo por até 10 partidas.

O advogado do Inter Rogério Pastl aguarda a denúncia da procuradoria do STJD:

- Temos que esperar se haverá ou não a denúncia. O Inter apresentou todos os requisitos para prevenir e reprimir a violência em seu estádio.