Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "beira-rio"

Agressão de flamenguistas em André Santos pode interditar Beira-Rio por até 10 jogos

21 de julho de 2014 0

Ricardo Duarte

A procuradoria do STJD poderá encaminhar denúncia contra o Inter e pedir até 10 jogos de interdição para o Beira-Rio. O procurador Paulo Schmitt anunciou que pedirá as imagens das câmeras de segurança do estádio, a fim de verificar se o Inter deu proteção ao lateral do Flamengo André Santos.

Ao deixar o vestiário, após a goleada de 4 a 0, o jogador foi cercado por 20 torcedores cariocas no pátio do Beira-Rio e acabou agredido enquanto corria em direção à van que o aguardava – André Santos havia contratado a van para levá-lo ao aeroporto Salgado Filho, uma vez que o elenco recebeu folga após a partida.

O Inter pode ser denunciado no artigo 213 do CBJD (“Deixar de tomar providência no sentido de prevenir e reprimir desordens”), cujas penas vão de multa a perda de mando de campo por até 10 partidas.

O advogado do Inter Rogério Pastl aguarda a denúncia da procuradoria do STJD:

- Temos que esperar se haverá ou não a denúncia. O Inter apresentou todos os requisitos para prevenir e reprimir a violência em seu estádio.

Legado da Copa: Gre-Nal do Beira-Rio poderá ter "célula" com torcidas misturadas nas arquibancadas

21 de julho de 2014 0

Ricardo Duarte

O quebra-quebra promovido pela briga entre Guarda Popular e Nação Independente – mais a participação de um torcedor cadastrado na Camisa 12 – deixa a Promotoria do Torcedor em alerta para o Gre-Nal de 10 de agosto, o primeiro do novo Beira-Rio. A partir da próxima semana, algumas providências serão tomadas para o clássico. A maioria, infelizmente, restritivas.
Há uma ideia, porém, para tentar levar um mínimo de civilidade ao jogo.
- Queremos ter uma célula no Beira-Rio que integre colorados e gremistas. Um espaço para até 200 torcedores no qual possamos misturar as torcidas – afirmou o promotor José Francisco Seabra Mendes Júnior.
Segundo Seabra, titular da Promotoria do Torcedor, há uma tentativa junto às direções de Inter e de Grêmio para que um pai gremista possa se sentar ao lado do filho colorado, ou vice-versa, ou ainda que alguns sócios de lado a lado possam ser colocados neste setor:
- Será uma tentativa de levar um exemplo de paz ao Gre-Nal, quase um legado da Copa, quando os torcedores adversários ficaram todos misturados nas arquibancadas do Beira-Rio.

Caminho do Gol será reativado. Por enquanto, apenas rumo ao Beira-Rio. Arena aguarda duplicação da Voluntários

15 de julho de 2014 0

Marcelo Oliveira

Matheus Bruxel

Iniciativa com maior visibilidade na Porto Alegre da Copa do Mundo, o Caminho do Gol, será uma estrutura permanente na cidade em dias de grandes jogos da dupla Gre-Nal. Inclusive com um segundo Caminho do Gol, do Mercado Público à Arena do Grêmio. O projeto, porém, deverá ficar para o segundo semestre de 2015, quando a Voluntários da Pátria estiver duplicada. Por enquanto, somente a rota do Mercado ao Beira-Rio, em uma reta de 3,5km, da Avenida Borges de Medeiros à Avenida Padre Cacique, pode ser utilizada.

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, em conjunto com a Brigada Militar e com o Ministério Público, é quem encabeça o plano para a manutenção do Caminho. Não há números oficiais, mas a estimativa é que mais de 600 mil pessoas tenham percorrido o trajeto do Mercado ao Beira-Rio durante os jogos do Mundial na cidade.

- O Caminho do Gol foi o destaque de Porto Alegre, é uma marca que ninguém nos tira. Já conversei com o presidente do Inter, Giovanni Luigi, para que sigamos com a ideia. O Inter quer reeditar o Caminho do Gol. E o Grêmio também quer: se há um Caminho do Gol em direção ao Beira-Rio, também é preciso haver um rumo à Arena – disse Fortunati.

Por enquanto, o Caminho do Gol será exclusivo para o Beira-Rio. E em dia de grandes jogos, de finais ou de Gre-Nais. Como ocorreu na Copa, a Borges de Medeiros será enfeitada com bandeirolas dos dois clubes. Para o primeiro Gre-Nal do novo Beira-Rio, em 10 de agosto, pelo Brasileirão, porém, não será possível reativar o projeto. A prefeitura só terá algum custo caso contrate bandas e artistas circenses, como ocorreu no Mundial.

- Estamos sem pernas para retomar o Caminho do Gol agora, em cima da Copa. O Caminho do Gol voltará e será algo permanente em Porto Alegre, mas ainda não temos um prazo definido _ comentou José Fortunati. – Assim que a Avenida Voluntários da Pátria estiver duplicada (o que deverá ocorrer em pouco mais de um ano, pois ainda há desapropriações em andamento), teremos um Caminho do Gol para o Grêmio. No momento, é arriscado montar o projeto rumo à Arena porque a Voluntários está com muito entulho pelo trajeto – justificou o prefeito.

Talvez a grande imagem da mundialista Porto Alegre tenha sido a Borges de Medeiros pintada em laranja e amarelo, quando holandeses e australianos deixaram o Largo Glênio Peres e caminharam ao Beira-Rio _ arrastando milhares de gaúchos e gaúchas, mesmo sem ingresso, só pela festa. Um dos poucos atos de violência registrado foi o assalto de um grupo de argentinos a um brasileiro, que teve ingressos para Argentina e Nigéria roubados no Caminho do Gol. De resto, a convivência foi pacífica.

- Acredito que o grande legado do Caminho foi a convivência entre as torcidas. Acredito que a manutenção deste projeto possa fazer com que as nossas duas grandes torcidas convivam em paz nas ruas outra vez. E até aumente o espeço do adversários nos estádios, em dias de clássicos. Na Copa, pinçamos os barrabravas das ruas. Em Gre-Nais, vamos trabalhar para tirar estas ervas daninhas também. Todos sabem quem eles são e tomaremos estas precauções para a nova etapa do Caminho do Gol – afirmou o prefeito.

Mesmo sem prazo, a retomada do Caminho do Gol ocorrerá caso a dupla Gre-Nal se encontre a partir das oitavas de final da Copa do Brasil ou se o Inter disputar algum jogo para decidir o Brasileirão ou a Copa do Brasil.

- O Caminho do Gol será retomado e ampliado. Tenho certeza que ele é o futuro da pacificação das nossas torcidas e da melhor convivência entre gremistas e colorados – finalizou José Fortunati.

 

Beira-Rio manterá preços dos ingressos para bancar o alto custo do novo estádio

15 de julho de 2014 0

Ricardo Duarte

O Beira-Rio pós-Copa manteve os preços praticados no início do Brasileirão. A direção do Inter alega que o estádio vive um novo momento. Assim, uma partida chamada de Classe A, como a desse domingo à tarde contra o Flamengo, surge como uma das mais caras para a torcida colorada no Brasileirão. A Inferior custará R$ 50 para os sócios e R$ 100 para os torcedores em geral. Já a Superior será vendida por R$ 40 para os associados e a R$ 80 para os não-sócios.
- Há diferenças nos preços dos jogos. Uma partida no domingo à tarde, contra um adversário de massa, tem ingresso mais caro do que uma na quarta-feira à noite contra um clube sem tanta torcida – explica o diretor de administração do Inter, José Amarante. – Não há risco de afastar o torcedor do estádio com os novos preços, pois a qualidade dos jogos mudou. A realidade do Beira-Rio é outra – emenda o dirigente.
O dirigente destaca que os preços serão mantidos e não haverá redução na tabela colorada. Amarante diz que apenas para abrir o novo Beira-Rio para jogos custa R$ 250 mil.
- O Beira-Rio hoje tem um custo quatro vezes superior ao antigo estádio. Uma renda R$ 1 milhão, com impostos, taxas e o cálculo do valor do ingresso para o sócio, nos deixa uma arrecadação de R$ 280 mil – afirma Amarante.
O Inter conta com 102,1 mil sócios em dia, sendo 21 mil deles com direito a ir aos jogos sem ingresso. Os demais 81,1 mil associados necessitam pagar para ir às partidas. A partir de janeiro, o quadro social deixará nos cofres do Beira-Rio uma renda mensal de R$ 6 milhões. Será a segunda maior arrecadação do clube, perdendo apenas para a TV. Hoje, ela é de R$ 5 milhões ao mês.
- Na retomada do Brasileirão, colocaremos 50 mil ingressos à venda. E tenho certeza que o Beira-Rio estará lotado para o clássico contra o Flamengo – finaliza José Amarante.

Quanto custaram os ingressos para Inter 0×1 Grêmio, no Brasileirão de 2012, o último clássico antes de o Beira-Rio fechar para a reforma?
Superior para sócios: R$30
Superior para a torcida em geral: R$60

Os ingressos para Inter x Flamengo, nesse domingo, pelo Brasileirão:
Inferior para sócios: R$ 50
Inferior para a torcida em geral: R$ 100

Superior para sócios: R$ 40
Superior para a torcida em geral: R$ 80

Beira-Rio pós-Copa: Inter vai retirar cadeiras atrás das goleiras, vai liberar locais interditados pela Fifa e estádio terá 50 mil lugares

02 de julho de 2014 20

Ricardo Duarte

A Copa do Mundo em Porto Alegre chegou ao fim. O Beira-Rio, depois de receber os desfiles e golaços de nomes como Messi, Robben, Van Persie, Slimani, Benzema, Schürrle, Musa, Özil, Cahill, Müller, Aguero e companhia, agora, voltará às mãos do Inter. Pouco ficará de legado da Copa no estádio, mas mudanças estão a caminho.

A principal delas talvez seja o projeto de retirar ainda no primeiro turno do Brasileirão as cadeiras atrás dos gols – é possível que esta mudança já ocorra para o Gre-Nal de 10 de agosto. Assim, as torcidas organizadas teriam mais espaço para assistir aos jogos em pé – como ocorre com a Arquibancada Norte da Arena – o que não representará necessariamente redução no valor do ingresso.

- Este foi um pedido dos torcedores, que querem apoiar o time em pé, sem ficar sentados, mas não querem mais subir nas cadeiras, para não quebrá-las – disse a vice-presidente e diretora de patrimônio do Inter, Diana Oliveira. – Mas tudo isto também depende da aprovação dos Bombeiros e da Brigada Militar – acrescentou.

Há diversas questões a serem resolvidas pelo clube ainda. As diversas cadeiras interditadas pela Fifa, devido aos “pontos cegos” (foto abaixo) – com a colocação de um amplo mando verde sobre elas -, que não permitiam total visão do gramado, serão liberadas pelo Inter já para a retomada do Brasileirão em casa, contra o Flamengo, no próximo dia 20 de julho. Mas elas seguirão com problemas.

Leandro Behs

- Na verdade, aquelas cadeiras foram vetadas pela Fifa porque deixavam os torcedores que nelas sentavam com a visibilidade prejudicada. Eles precisavam levantar um pouco para ver melhor. Ponto cego é quando você não enxerga nada – comentou Diana, que seguiu com a explicação:

- A partir de agora, teremos que negociar com a CBF e com a Rede Globo para rebaixar as placas de publicidade, pois são elas que prejudicam a visão dos torcedores que sentam nestes locais que foram interditados. Vamos tratar disto imediatamente, mas não depende apenas de nós – afirmou o vice-presidente colorada.

Com a retomada destas cadeiras (as únicas retiradas em definitivo foram aquelas que ficavam ao lado das cabines de imprensa), mais a redução da área para os jornalistas, o Beira-Rio voltará a ter capacidade para 50 mil torcedores. No período de Copa, poderia abrigar no máximo 43.394 pessoas.

Uma questão sem solução é a chuva nas primeiras fileiras de cadeiras. Diana Oliveira argumenta que não há o que fazer com relação a isto. A arquitetura do novo Beira-Rio não permite cobrir todas as arquibancadas. Na decisão as oitavas de final, entre Alemanha e Argélia (foto abaixo), os voluntários precisaram secar até a 10ª fileira de cadeiras, que estavam molhadas por causa da chuva e do vento.

Leandro Behs

- Não há o que fazer com relação a isto, seguirá chovendo em algumas cadeiras e também na área dos cadeirantes, que ficam próximos ao gramado. Em dias de chuva, os cadeirantes que quiserem serão realocados para a superior e para as cadeiras Vip. Uma chuva forte com vento pode molhar toda a inferior – afirmou Diana.

Na próxima semana, o Inter receberá os “carrinho de luz” que foram importados da Suécia, a fim de preservar o gramado do estádio durante o inverno. Há um ponto no Beira-Rio, na área do escanteio, em frente à antiga social, onde a cobertura não permite a chegada dos raios de sol. Os carrinhos já passarão a ser utilizados na semana que vem. O clube ainda recebeu do COL (Comitê Organizador Local) máquinas e tanques de gelo para o tratamento dos jogadores após as partidas, que permanecerão instalados nos dois vestiários. Além disso, no local onde estavam as estruturas temporárias, o Inter voltará a contar com estacionamento – como ocorria antigamente, em parceria com a EPTC.

- Além da visibilidade que o Beira-Rio teve com a Copa, o Mundial nos deixou uma experiência profissional espetacular. Em termos de complexidade, a obra do Beira-Rio já atingiu o seu pico. Algo que ainda vamos conversar com a Prefeitura é a retomada do Caminho do Gol (uma linha reta, do Mercado Público, via Borges de Medeiros até o Beira-Rio) para dias de grandes jogos – concluiu Diana Oliveira.

Copa: Até o ano passado, entulhos do Beira-Rio eram vendidos na zona sul de Porto Alegre

26 de maio de 2014 9

Arquivo pessoal

Em meio ao interminável debate sobre o que fazer com o entulho que cerca o Beira-Rio, um leitor do blog encaminhou a foto acima e uma pergunta:
- Por que até o ano passado os entulhos do Beira-Rio eram retirados por caminhões e vendidos e, agora, se apresenta uma série de dificuldades sobre o tema?
Segundo o leitor, ele pagou R$ 50 por 7 metros cúbicos de “entulho”, composto de pedras (como as da foto), caliça, terra e tijolos. O “entulho” do Beira-Rio foi entregue de caminhão em sua chácara, na zona sul de Porto Alegre.
Em 2014, estranhamente tudo mudou, prefeitura, Inter e Andrade Gutierrez acordaram que a “melhor solução” será patrolar o entulho antes da Copa do Mundo, já que ninguém assumiu a sua propriedade…

Inter confirma Beira-Rio como o palco para a estreia no Brasileirão. Ministério Público, porém, ainda não liberou o estádio

14 de abril de 2014 5

Ricardo Duarte

Após mandar a final do Gauchão para o Estádio Centenário, o Inter confirmou que será no Beira-Rio a sua primeira partida no Campeonato Brasileiro, diante do Vitória, neste sábado, às 18h30min.
O Corpo de Bombeiros autorizou a realização do jogo, uma vez que será um confronto com poucos torcedores rivais, além de o clube ter retirado as portas de emergência, que não estavam de acordo com o projeto original de reforma do estádio. O Inter ainda não divulgou as informações sobre a venda de ingressos nem a capacidade de torcedores que o Beira-Rio receberá para este compromisso.
O Ministério Público, porém, ainda não confirma a liberação do estádio.
- Ainda não recebemos os laudos do Inter. Nesta terça-feira comunicarei à CBF que não recebemos a documentação. O estádio ainda não está adequado ao que exige a lei. É a mesma situação da semana passada (quando o Beira-Rio foi vetado para o Gre-Nal) – disse José Seabra Mendes Júnior, responsável pela Promotoria do Torcedor.

Fim da novela: Por temer ficar fora do Beira-Rio até mesmo no Brasileirão, Inter desiste de liminar e confirma Gre-Nal no Estádio Centenário

09 de abril de 2014 41

Jeferson Botega

E o Inter, enfim, oficializou o Estádio Centenário como palco do Gre-Nal que decidirá o Gauchão, neste domingo, às 16h. Com o veto do Ministério Público ao Beira-Rio, devido às exigências feitas pelo Corpo de Bombeiros e não atendidas pelo clube, a direção do Inter passou a tarde dessa quarta-feira reunida com o departamento jurídico. O clube chegou a estudar a possibilidade de ir à Justiça e pedir uma liminar para jogar em seu estádio.
- Os advogados nos alertaram que, se fossemos à Justiça, correríamos o risco de a Brigada Militar fazer uma série de exigências que não poderiam ser cumpridas. Isso acabaria nos prejudicando até mesmo para a estreia no Brasileirão (contra o Vitória, no Beira-Rio, dia 19 de abril). A chance de ter a liminar indeferida e perder até mesmo a estreia em casa no Brasileirão seria grande. Por isso, desistimos da ação – disse o presidente Giovanni Luigi.
Para o clássico do Centenário, o Inter terá direito a 23,7 mil ingressos. A torcida do Grêmio receberá 1,3 mil entradas.

Gre-Nal na Justiça. Inter foi informado que laudos do Beira-Rio não serão aceitos pelos bombeiros. Clube tentará liminar para jogar em casa

09 de abril de 2014 3

Ricardo Duarte

O Inter está pronto para ingressar na Justiça com um pedido de liminar para que a final do Gauchão seja realizada no Beira-Rio. O clube foi informado extraoficialmente que os laudos entregues ao Corpo de Bombeiros serão rechaçados – principalmente por divergências quanto às portas das saídas de emergência do estádio. Assim, o Inter tem pouco mais de 24 horas para obter a liminar e atuar no Beira-Rio. Caso contrário, o destino será o Estádio Centenário.
- Tudo está se encaminhando para isso (pedir a liminar). Ainda não entregamos os laudos, mas já recebemos um indicativo que eles serão negados pelos bombeiros. Assim, não nos caberá outra alternativa – disse o presidente do Inter, Giovanni Luigi.
Segundo o dirigente, o Beira-Rio tem condições de receber o clássico.
- São dois anos de prejuízos financeiro e técnico, sem o Beira-Rio. Não é nada contra ninguém, mas estamos lutando pelo nosso direito. Perder ou ganhar o Gre-Nal é do jogo. Queremos jogar na nossa casa – afirmou Luigi.
Tendo na manga o Centenário, o Inter lutará para jogar no Beira-Rio.
- Caso não nos autorizem a jogar na nossa casa, já reservamos em Caxias do Sul e Novo Hamburgo, por precaução – concluiu Giovanni Luigi.

Para evitar depredação no Beira-Rio, Inter pode retirar cadeiras no setor do Grêmio e deixar gremistas nas inferiores, longe das membranas

07 de abril de 2014 120

Ricardo Duarte

Com o Beira-Rio próximo de ser confirmado o local do Gre-Nal decisivo do Gauchão, a direção do Inter já estuda algumas alternativas de segurança para evitar um possível revide da torcida gremista em seu estádio – depois que colorados destruíram cadeiras da Arena, no último clássico.
Uma das propostas que está sob análise é a retirada das cadeiras na área que for abrigar os cerca de 1,5 mil torcedores do Grêmio, a fim de evitar a depredação.
Já com relação aos boatos sobre a tentativa de colocar fogo nas membranas que recobrem os arcos da cobertura do Beira-Rio, a direção colorada poderá realocar a torcida gremista para as inferiores, em vez de colocá-la na arquibancada superior. Assim, os torcedores não conseguiriam se aproximar das membranas.
Algo que é definitivo: o Inter reforçará a segurança particular em torno da torcida do Grêmio – até para evitar uma tentativa de invasão de campo, caso os gremistas sejam acomodados na inferior.
A chegada dos torcedores do Grêmio ao Beira-Rio não preocupa o Inter porque eles serão escoltados o tempo todo pela Brigada Militar.