Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Brasileirão"

Mais um argentino na janela: Inter mira o velocista Martín Luque, do Colón. Atacante custa US$ 3 milhões

15 de abril de 2014 8

Reprodução site oficial do Colón

Ainda que o plano do Inter seja investir com força total na compra de Aránguiz, que custará US$ 5 milhões (R$ 11,1 milhões), após a Copa do Mundo, uma segunda incursão no mercado sul-americano não pode ser descartada. O atacante Martín Luque, de 21 anos e 1m75cm de altura, do Colón de Santa Fe, está na mira.
Terceiro colocado no Torneo Final, atrás apenas de Estudiantes e de River Plate, o Colón passa por séria crise financeira e tem em seu camisa 24 uma espécie de cheque em branco. Destaque da seleção sub-20 por sua velocidade, assistências e até alguns gols, o veloz Luque é observado pelos colorados e pelos encarnados do Benfica. Canhoto, vem atuando como ponteiro pela esquerda e com obrigações de marcação na equipe do Colón.
Os portugueses seriam o principal rival do Inter nessa briga. Luque custaria cerca de US$ 3 milhões (R$ 6,6 milhões). O Inter poderia buscar um parceiro para bancar a contratação. No Torneo Final, tem dois gols em 13 partidas. Nesta quarta-feira, o Colón, de Luque, jogará em Rosario contra o Newell’s Old Boys.

Inter confirma Beira-Rio como o palco para a estreia no Brasileirão. Ministério Público, porém, ainda não liberou o estádio

14 de abril de 2014 5

Ricardo Duarte

Após mandar a final do Gauchão para o Estádio Centenário, o Inter confirmou que será no Beira-Rio a sua primeira partida no Campeonato Brasileiro, diante do Vitória, neste sábado, às 18h30min.
O Corpo de Bombeiros autorizou a realização do jogo, uma vez que será um confronto com poucos torcedores rivais, além de o clube ter retirado as portas de emergência, que não estavam de acordo com o projeto original de reforma do estádio. O Inter ainda não divulgou as informações sobre a venda de ingressos nem a capacidade de torcedores que o Beira-Rio receberá para este compromisso.
O Ministério Público, porém, ainda não confirma a liberação do estádio.
- Ainda não recebemos os laudos do Inter. Nesta terça-feira comunicarei à CBF que não recebemos a documentação. O estádio ainda não está adequado ao que exige a lei. É a mesma situação da semana passada (quando o Beira-Rio foi vetado para o Gre-Nal) – disse José Seabra Mendes Júnior, responsável pela Promotoria do Torcedor.

Lisca, técnico do Náutico, elogia reforço colorado: "Rithely se encaixará muito bem no meio-campo do Inter"

14 de abril de 2014 1

Reprodução site do Sport

Abel Braga avisou, assim que o Gauchão terminou em uma goleada histórica: o Inter jogará para conquistar o Brasileirão. Vaga à Libertadores será considerado prêmio de consolação. E, para isso, nada de pirotecnias. Ao contrário de temporadas anteriores, desta vez, a direção não fará pirotecnias. Nada de buscar as grifes de Diego Forlán e de Ignácio Scocco.
A ordem é retomar a construção do time de 2006. O elenco campeão do Mundo começou a ser construído na temporada anterior, sem estrelas ou medalhões, mas com jogadores eficientes, como foi o caso de Iarley. O primeiro reforço será o volante Rithely, de 23 anos, do Sport. Chegará para ser o reserva do trio de Abel: Willians, Aránguiz e Alex.
- Rithely é um jogador versátil, rápido, com muita força e técnica. Joga como primeiro e segundo volante – disse Lisca, treinador do Náutico e que fará a final do Pernambucano contra o Sport. – Conheço Rithely desde o sub-20. Treinando o Juventude, enfrentei ele quando atuava pelo Goiás. É um cara dinâmico e que faz gols também. Vai se encaixar muito bem nesse meio-campo do Inter – acrescentou Lisca.
Com o contrato por encerrar no meio do ano, Rithely não aceitou a oferta do Sport para renovar e já estaria acertado com o Inter. No ano passado, o volante esteve na mira do Corinthians. No Beira-Rio, se aguarda apenas o encerramento do Campeonato Pernambucano, no dia 23, para que o volante desembarque em Porto Alegre. Já deverá atuar na vaga de Aránguiz, que nas próximas semanas se apresentará à seleção chilena para a disputa da Copa do Mundo.

Procura-se um vice de futebol. Reunificação à vista no Inter?

10 de dezembro de 2013 5

Fernando Gomes

Com o departamento de futebol desmantelado, após as saídas dos diretores Marcelo Medeiros e Luís César Souto de Moura, Giovanni Luigi parte agora em busca de um vice de futebol para 2014. O problema é que não há um quadro na gestão, pronto para assumir a pasta. Mais: a comissão técnica, com Abel Braga, já está contratada e os primeiros reforços, alinhavados. Tudo feito pelo departamento que acaba de ser dissolvido.
Uma saída poderá ser encontrada se o presidente der ouvidos a pessoas próximas e busque a reunificação, assinando a paz com o grupo de Vitorio Piffero. Após nove anos unida, a situação rachou em 2010, quando Luigi, apoiado por Fernando Carvalho, enfrentou Pedro Affatato na eleição presidencial – tendo como combustível ainda a divisão de ideias do antigo grupo sobre reformar o Beira-Rio com recursos próprios ou com uma parceira.
Um acordo no momento, porém, parece inviável, uma vez que o futebol colorado fracassou em 2013. Mas há uma questão. Carvalho e Piffero já negociam a reunificação para a sucessão de Luigi, daqui a um ano. Assim, um acordo poderia ser antecipado. Ainda que tenha grandes divergências com Luigi, Vitorio Piffero não pode ser um nome descartado para ser o vice de futebol.
O nome de Luiz Antonio Lopes, ex-presidente do Conselho Deliberativo do Inter e candidato derrotado por Luigi quando da reeleição, foi sugerido para o futebol. A outra opção dar a Medeiros poderes de vice de futebol, sem comando compartilhado, como ocorreu nessa temporada. A amigos, Medeiros (que está em Montevidéu, para o casamento de Diego Forlán) afirmou não desejar reassumir o futebol. Mas ele é o 1º vice-presidente eleito do Inter e, assim como Luigi, pertence ao Movimento Inter Grande (MIG), movimento político que domina a presidência e o futebol colorado desde 2002.

Ou Luigi dá o canetaço ou o futebol do Inter seguirá o mesmo

09 de dezembro de 2013 20

Tadeu Vilani

Giovanni Luigi quer mudar o departamento de futebol do Inter. Já consultou algumas pessoas com as quais gostaria de trabalhar. Ouviu negativas. Agora, lhe resta buscar reforços na oposição. Mas não é uma certeza que o fará. Não quer se desgastar com os grupos que apoiaram a sua reeleição – ainda que esteja ingressando em seu último ano de gestão. Luís César Souto de Moura não entregou o seu cargo, conforme havia prometido – Marcelo Medeiros, sim.
Ele e o assessor de futebol Eduardo Hausen pertencem ao movimento político Coração Colorado, o grupo que no momento parece mais apegado ao poder no Inter. Mas Luigi quer mudar. Só que ainda não o fez. Se alguém da confiança do presidente topar a empreitada no futebol, Luigi agradecerá a Souto de Mouta. Caso contrário, não descarte, caro torcedor colorado, a permanência do atual diretor de futebol no comando do vestiário.

Diretor de futebol do Inter projeta contar em blog os bastidores da temporada 2013

08 de dezembro de 2013 6

Leandro Behs

Antes da decisão contra a Ponte Preta, o diretor de futebol do Inter Luís César Souto de Moura se mostrava conformado com um fim de ano onde pouca coisas deram certo. A sua permanência na direção de futebol para 2014 é incerta – e, dizem, com chances reduzias de isso acontecer. Gostaria de ter tido maior autonomia para tratar com o vestiário.
Assim que deixar o futebol do Inter, Souto de Moura projeta escrever as suas memórias de 2013 em um blog. Lá, assegura que publicará tudo o que ocorreu em mais uma agitada temporada.
É esperar para ver.

Para a despedida de Tite... Corinthians terá estádio lotado contra o Inter

25 de novembro de 2013 3

Yasuyoshi CHIBA/AFP

O Inter que não espere facilidades diante do Corinthians, sábado, às 21h, no Pacaembu. A partida marcará a despedida de Tite diante do torcedor corintiano. É provável que o estádio tenha lotação completa para o jogo. Afinal, Tite conquistou a Libertadores e o Mundial com o clube. Mais: em 2007, quando o Corinthians foi rebaixado, houve festa entre os colorados. O Brasileirão de 2005 ainda estava muito vivo. Para piorar as coisas, Tite cobrou o grupo todo após a derrota para o Flamengo e, agora, exige vitória. O Inter deixou a reação tardar demais.

Diego Forlán vive os seus últimos dias de Inter

25 de novembro de 2013 3

Ricardo Duarte

O Inter não quer mais contar com Diego Forlán. É claro que isso será negado com veemência, mas o fato é que o atacante uruguaio se tornou um jogador caro demais para ficar na reserva ou mesmo para as suas muitas convocações para a Celeste. Forlán é dono do maior salário do Inter (ganha R$ 800 mil mensais) e, assim que a temporada chegar ao fim, o uruguaio será negociado ou cedido – possivelmente com o futebol inglês ou norte-americano. A reforma do vestiário colorado começa com Forlán e seus 17 gols no ano.

Clemer/2013 é a nova versão do Fernandão/2012

25 de novembro de 2013 5
Foto: Porthus Junior/Agência RBS

Foto: Porthus Junior/Agência RBS

Assim como ocorreu com Fernandão, em 2012, Clemer pouco consegue tirar do vestiário do Inter. O vestiário do Inter tem vida própria. E, por mais que um técnico tenha vivenciado este ambiente em outros tempos e tenha sido ídolo do clube, o seu trabalho não é garantia de sucesso. Fernandão largou bem em meados de 2012, ao substituir Dorival Júnior, perdeu boa parte do grupo ao cobrar com razão a “zona de conforto” do vestiário, naufragou no campeonato e foi dias antes do último Gre-Nal do Olímpico.

Clemer entrou no lugar de Dunga, que estava longe do Z-4 e mesmo assim caiu após quatro derrotas consecutivas, começou dando esperanças para a torcida. Mas não demorou para que o fato novo envelhecesse e as derrotas se amontoassem. O vestiário já parece não dar muita bola ao goleiro campeão do mundo.Vide o bate-boca no vestiário do Serra Dourada mais a bronca de Willians, na saída de campo no Centenário, ao cornetear publicamente o treinador.

Fernandão

A diferença é que em 2012 Fernandão caiu pelo beicinho do vestiário, que não aceitou a sucessão do então diretor executivo ao demitido Dorival, entre outras questões, ainda que o clube não corresse risco de descenso. Agora, o vestiário do Inter se embretou na tabela e, dessa vez, precisará se virar sozinho para evitar o susto das cercanias do Z-4 – e até do rebaixamento.

Já que o vestiário do Inter pouco mudará para a temporada seguinte, fica a pergunta: quem será o Fernandão de 2014?

Inter: De braços bem cruzados

14 de novembro de 2013 24

Estadão Conteúdo

Enquanto a direção colorada mantém o discurso de que precisa esperar o final do ano para promover mudanças no elenco, o Inter segue a sua senda de tropeços no Brasileirão. Para piorar, os jogadores da base começam a sucumbir ao fracasso geral da equipe, que ocupa a 11ª posição do Brasileirão. Foi assim na derrota para o Atlético-MG.
- O time está em transição, seis jogadores da base atuaram e eles oscilam um pouco, a bola queima. Erramos muito no primeiro tempo. O primeiro gol foi um erro bobo. Tem que dar um desconto para a rapaziada – alertou Clemer.
Mas não haverá qualquer fato novo no Inter até 8 de dezembro, quando o Brasileirão chegar ao fim. O discurso da direção é claro: nada mudará até o jogo contra a Ponte Preta.
- O plantel é bom, ainda que isso não esteja se traduzindo em uma posição mais aceitável na tabela. É uma situação de desconforto absoluto. Mas precisamos esperar a conclusão do campeonato para tomar medidas para que 2014 seja muito, mas muito diferente – disse o diretor de futebol Luís César Souto de Moura.
O dirigente ainda deixou no ar a questão sobre o treinador para 2014 – Abel Braga já conversou com o Inter, Tite é o nome dos sonhos e Cuca, do Atlético-MG, tem admiradores na gestão. Em uma resposta envolta em mistérios:
- Para treinador, o mercado borbulha mas não ferve. Há situações em que não é ético conversar com treinadores empregados. O que pode ser feito são sondagens.
Dono da quinta pior defesa do Brasileirão, com 49 gols sofridos, o Inter é todo indefinição. Já D’Alessandro, parece não ver a hora de o 2013 chegar ao fim.
- Tem que acabar o ano, nós brigamos, tomamos gol. Fizemos um segundo tempo muito bom ao meu ver, jogamos bem e merecíamos o empate. Depois, fizemos um gol no Atlético-MG e levamos outro em um minuto. A nossa realidade é essa: temos que tirar pontos – concluiu um angustiado D’Alessandro.