Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Libertadores"

Diego Aguirre: "O Inter é confiável"

05 de março de 2015 8

Fernando Gomes

Em um jogo eletrizante, o Inter bateu o Emelec por 3 a 2, no Beira-Rio, e empatou em pontos com os equatorianos na liderança do Grupo 4 da Libertadores. Nilmar fez o primeiro gol ainda cedo, o Emelec virou na primeira etapa e, no segundo tempo, Alex e Réver marcaram os gols da sofrida virada. No desempate da chave, porém, o primeiro lugar ainda é dos equatorianos – que será o próximo adversário do time de Diego Aguirre no torneio, no dia 18, em Manta (EQU).
D’Alessandro e Nilmar saíram com lesões musculares. Amanhã, serão submetidos a exames de imagem, mas o argentino deverá voltar a campo somente na partida do Equador.
- Na Libertadores, os jogos são muito difíceis e vitórias como esta marcam muitas coisas para o time – disse Aguirre. – Estou feliz porque eles deram tudo, lutaram e tiveram coração. Às vezes, vale mais isto do que qualquer outra coisa – acrescentou.
O técnico admitiu os erros do Inter, ressaltou que a derrota complicaria a campanha do clube no torneio, mas preferiu destacar a bravura dos jogadores a falar sobre os problemas do time.
- Gosto muito destas vitórias. Tem que brigar, tem que ganhar e tem que se classificar para a próxima fase. Aceito as críticas, mas vamos falar sobre as coisas ruins quando o time perder. O Inter é um time confiável – comentou o treinador.
Aguirre ainda destacou a boa atuação de Nilmar:
- Quando o time precisa de grandes vitórias, aparecem os grandes jogadores.
O presidente Vitorio Piffero exaltou a união torcida-time para levar o Inter à virada. Porém, ainda espera uma atuação mais convincente:
- Uma equipe confiável amadurece com o tempo. Temos pouco tempo para já ter uma equipe madura. Esta construção não ocorre de uma dia para o outro. Estou mais satisfeito com o resultado do que com a atuação – afirmou o dirigente.
Elogiado por Diego Aguirre, Nilmar lembrou que foi o seu primeiro gol em Libertadores pelo Inter. Ele não havia enfrentado a Universidad de Chile porque estava suspenso.
- Sempre incomoda um atacante o fato de não fazer gols. Queria fazer uma boa partida. O gol sairia ao natural. Voltei para resgatar a adrenalina e a competitividade que perdi no Catar – comentou o camisa 7 do Inter.

Sorria, colorado. Nilmar está de volta

04 de março de 2015 1

Fernando Gomes

O Inter bateu o Emelec por 3 a 2, de virada, no Beira-Rio, e empatou por pontos com o líder do Grupo 4 (justamente o Emelec). Nilmar e Alex foram os destaques da partida. As notas:

Alisson
Foi deixado diversas vezes cara a cara com os atacantes. Uma defesa salvadora. Nota 6

Léo
Um pouco superior a Fabrício. Nota 5

Réver
Envolvido na defesa, mas fez um salvador gol de centroavante. Nota 6

Alan Costa
Envolvido com facilidade pelo ataque equatoriano. Nota 4

Fabrício
Um vacilo e… gol do Emelec. Nota 4

Nico Freitas
Joga sério, sem invencionices. Nota 6

Nilton
Um jogo de altos e baixos, com falhas de marcação. Nota 5

D’Alessandro
Boa atuação até uma lesão o tirar de campo, aos 43min do 1° tempo. Nota 6

Sasha
Se movimentou o tempo todo, mas faltou parceria no meio. Nota 6

Vitinho
Começo com grande intensidade, mas foi parando. Nota 5

Nilmar
A boa notícia é que Nilmar voltou. Nota 8

Alex
Mesmo reserva, é o goleador do Inter na temporada. Nota 8

Luque
Devolveu ao ataque a energia perdida com Vitinho. Nota 6

Jorge Henrique
Ajudou na reação final, a da virada do Inter. Nota 6

Inter bate U. de Chile e assume vice-liderança no Grupo 4 da Libertadores. Na véspera do Gre-Nal, titulares vencem a 1ª no ano

26 de fevereiro de 2015 5

Ricardo Duarte

Um Inter minimamente organizado (talvez pela primeira vez no ano) e com o domínio das ações durante boa parte do jogo, surgiu no Beira-Rio diante da Universidad de Chile. Venceu por 3 a 1 e assumiu a segunda colocação no grupo 4 da Libertadores. Na quarta-feira, de novo no Beira-Rio, terá um jogo decisivo contra o líder da chave, o Emelec – e no domingo haverá Gre-Nal, também no Beira-Rio, pelo campeonato estadual.

O Inter poderia ter feito o 1 a 0 nos chilenos ainda no começo do primeiro tempo. Dois lances de faltas deveriam ter resultado em pênaltis, um em Jorge Henrique, outro em Vitinho. Os de Santiago começavam a conter o Inter a faltas.

Apesar da posse de bola, porém, o ataque colorado era algo insosso, sem penetração e sem grande contundência área adentro. O primeiro tempo escorria para o final quando D’Alessandro teve a camisa puxada na área e, dessa vez, o árbitro deu o pênalti – e foi o menos claro dos três. D’Alessandro cobrou aos 46 minutos e fez o merecido 1 a 0.

No segundo tempo, a Universidad de Chile buscou o empate. Logo a dois minutos, Ubilla caiu na área, entre dois colorados. O árbitro, a léguas de distância do lance, não marcou pênalti, em uma jogada duvidosa. Não demorou para que Alex fosse a campo. Mas a saída de Vitinho, em vez de Jorge Henrique, fez com que Diego Aguirre fosse vaiado. Com menos de quatro minutos em campo, Alex lançou Jorge Henrique que parecia ter voltado no tempo, correu como nunca no Inter e marcou o 2 a 0 contra os chilenos.

O Inter relaxou e cedeu espaços. Canales descontou e foi para cima do Inter. Para evitar a pressão, Aguirre trocou Jorge Henrique por Nico Freitas. O 3 a 1 do desafogo e que confirmou o Inter na vice-liderança do Grupo 4 começou em um passe de Nilton para Aránguiz, que deu um lançamento espetacular para Sasha marcar o gol que encaminhou a partida.

Os titulares de Aguirre venceram a primeira na temporada – com um público de 35.833 torcedores, que deixaram nos cofres do clube uma renda superior a R$ 1 milhão. Os triunfos anteriores haviam sido conquistados pelo time reserva. O Inter cresce na temporada na Libertadores e na véspera do Gre-Nal, válido pelo Gauchão. Contra o Grêmio, o Inter poderá ter até meio time de suplentes no clássico do Beira-Rio.

Pela Libertadores, Inter cumpre promessa, preenche cota de gringos e eleva a folha para R$ 12 milhões

20 de fevereiro de 2015 13

Foto: olweb.fr / Divulgação
Foto: olweb.fr / Divulgação

Não falta esforço para a direção do Inter na busca de reforços para realizar uma boa campanha na Libertadores e tentar o tricampeonato – apesar do trôpego começo de campanha em La Paz, com a derrota por 3 a 1 para o The Strongest. Com a contratação de Lisandro López, o atacante argentino havia sido oferecido ao Beira-Rio ainda em 2013, mas, na época, não houve como trazê-lo de volta à América do Sul.

Com Lisandro – que deverá ser apresentado na próxima semana e deverá assinar um contrato por até três temporadas -, o presidente Vitorio Piffero e o diretor de futebol Carlos Pellegrini cumprem uma das promessas da eleição: preencher a cota de estrangeiros. Além de D’Alessandro, Aránguiz e Luque, agora o clube conta com Nico Freitas e Lisandro Lopez. São três argentinos, um chileno e um uruguaio.

Mais: após a saída de diversos jogadores ao final da temporada passada, o Inter retoma os investimentos e devolve a folha do futebol para a casa dos R$ 12 milhões mensais.

Ainda que Lisandro López estivesse jogando no Al-Gharafa, do Catar, ele passará por um período de retreinamento e passará a ser utilizado no Gauchão, até que possa ser inscrito na Libertadores, a partir das oitavas de final – caso o Inter esteja lá -, ao final de abril. López foi indicação do técnico Diego Aguirre. Assim como o uruguaio Nico Freitas.

Em 2015, o Inter já contratou Réver, Vitinho, Anderson, Léo, Nilton, Nico Freitas e Lisandro López.

Por que The Strongest?

13 de fevereiro de 2015 3

Foto: Aizar Raldes / AFP
Foto: Aizar Raldes / AFP

Adversário do Inter na abertura da Libertadores, nessa terça-feira, em La Paz, o The Strongest possui um dos nomes mais curiosos da América. Afinal, por que um time boliviano se chama “O Mais Forte”?

Foi assim: a partir de 1899, começaram a surgir clubes de futebol na Bolívia. Em La Paz, nasceram o La Paz Football Club, que depois virou Bolivian Rangers FC, e o The Thunders FC. Depois vieram o Dread Club e o Victory Club (todos nomes em inglês por influência dos inventores do futebol, como Sport Club Internacional e Grêmio Foot-ball Porto Alegrense, por exemplo). Mas nenhum deles durou muito tempo. Fechavam e reabriam ou mudavam de nome.

Foi então que, em 1908, um grupo de amigos se reuniu em La Paz a fim de fundar e jogar por um clube que realmente se mantivesse por bom tempo, que realmente fosse “o mais forte”. Foi aí que surgiu o “Strongest” (em inglês, mais forte). Mas, para dar ênfase mesmo ao novo clube, ele foi rebatizado: The Strongest (o mais forte).

O clube vingou e em 2015 comemorará 107 anos. Por causa das cores, o amarelo e o preto, ganhou o apelido de Tigre.

Missão Anderson: Inter conta as horas a fim de apresentar o novo reforço para a Libertadores

29 de janeiro de 2015 8

 OLI SCARFF/AFP / AFP

Anderson está trocando o vermelho do Manchester United pelo vermelho do Inter.
O herói gremista da Batalha dos Aflitos estuda a volta para Porto Alegre, desta vez para jogar no Beira-Rio. Fora dos planos de Louis van Gaal, o camisa 28 foi liberado para se acertar com o clube gaúcho.

Já há um acordo salarial na casa dos R$ 500 mil mensais. Para que a nova contratação seja anunciada, resta uma definição sobre as luvas ao meia de 26 anos. O jogador quer cerca de R$ 5 milhões. A direção colorada fez uma contraproposta e tenta diluir o pagamento pelas quatro temporadas de contrato. Caso a negociação seja concretizada, o que poderá ocorrer nas próximas horas, Anderson será do Inter até janeiro de 2019.

No Beira-Rio, o Anderson que povoa os sonhos é aquele talentoso armador do Porto e um volante vigoroso que chegou à Seleção Brasileira, após os primeiros meses de Old Trafford. Na temporada 2013/2014, ele esteve emprestado por seis meses à Fiorentina. De volta ao Manchester, foi relacionado para apenas dois jogos. Sua última partida ocorreu em 26 de agosto, pela Copa da Liga Inglesa, quando Van Gaal escalou jovens, reservas e Anderson contra o modesto Milton Keynes, da terceira divisão.
O Manchester levou 4 a 0, fora de casa, e foi eliminado.

Anderson foi vendido pelo Porto ao Manchester, em 2007, por R$ 108 milhões. Hoje, já sem perspectivas para o meia, tenta se livrar de seu salário, de R$ 700 mil. Em sete temporadas, Anderson fez 179 partidas pelo clube inglês e marcou nove gols. No ano passado, ele foi oferecido à dupla Gre-Nal, ao Santos e ao Flamengo.

Apesar de temporadas recentes pífias, no Inter, o desejo é utilizá-lo como armador. Além de Anderson, o Inter pretende realizar mais uma contratação. Um atacante sul-americano que atua na Europa. Há pressa nas negociações. Afinal, o clube precisa encaminhar a relação de 30 jogadores para a Conmebol até o dia 16 de fevereiro – 24 horas antes da estreia na Libertadores, contra Monarcas Morelia (MEX) ou The Strongest (BOL).

Inter prepara lote de ingressos com desconto para a Libertadores

29 de janeiro de 2015 1

Ricardo Duarte

A partir do dia 9 de fevereiro, o Inter lançará lotes de ingressos para o jogo de estreia em casa na Libertadores – dia 26, contra o Universidad de Chile. Com descontos de até 65%, estes bilhetes serão destinados aos sócios. Este lote deverá contar com dois mil ingressos. O projeto, colocado em prática pelo vice de administração Alexandre Limeira, visa a manter uma média de ocupação do Beira-Rio em pelo menos 70% da capacidade do estádio.

Para lotar o Beira-Rio: Inter já prepara lotes de ingressos com descontos para a estreia na Libertadores

23 de janeiro de 2015 6

Omar Freitas

Com o projeto de ver um Beira-Rio com um nível de ocupação médio de pelo menos 30 mil torcedores em 2015, a direção do Inter comemora o sucesso da vendas dos lotes de ingressos antecipados. Já para o primeiro jogo do ano no estádio, o amistoso contra o Shakhtar Donetsk, todos os 4,1 mil bilhetes antecipados foram comercializados.
- Saiu tudo. E rápido – comemora o diretor de administração, Alexandre Limeira.
Neste lote de venda antecipada, o desconto para os sócios chegou a 65%. O programa de venda antecipada será estendido para os jogos do Inter na Libertadores. O primeiro jogo no Beira-Rio pela competição continental será em 26 de fevereiro, contra o Universidad de Chile. Os ingressos com descontos para associados deverão ser colocados à venda entre 10 dias e uma semana antes da partida.

Inter em cinza

08 de janeiro de 2015 2

Julio Cordeiro

Os atletas do Inter se apresentaram para a temporada 2015 vestindo os novos uniformes de treino da Nike: em degradê de cinza, com a camisa mais clara e com os calções mais escuros. Nessa sexta e no sábado, os jogadores serão submetidos a testes físicos e a exames médicos. A delegação embarcará para Bento Gonçalves no sábado à noite.
O cinza deveria ser a cor da terceira camisa de jogo do Inter. A Nike chegou a propor a cor para o uniforme C, mas sempre parou na direção, que não aprovou a design. Apenas para as camisas de treino.

Inter pretende vender lotes de ingressos até um mês antes das partidas no Beira-Rio

07 de janeiro de 2015 0

Omar Freitas

Diminuir os custos por partida realizada no Beira-Rio, implantar um novo sistema de venda de ingressos, a partir de lotes promocionais de 3 mil a 4 mil bilhetes, com um mês de antecedência, e descontos de até 70% para os sócios que anteciparem as compras de bilhetes, além de diminuir a inadimplência do quadro social (atualmente de 15%, em um universo de 104 mil associados). Estes são os desafios da nova gestão para o curto prazo e já para a estreia em casa na Libertadores, contra a Universidad de Chile, em 26 de fevereiro.

Para envolver o torcedor e aumentar o número de mensalistas, a ideia é criar um conceito de encantamento à visita do torcedor ao Beira-Rio. Não está descartada a redução do preço dos ingressos ao longo da temporada. O clube pretende ter uma ocupação média superior a 50%, nos jogos em casa, durante a temporada 2015.

— O conceito de clube do povo não tem a ver com pobreza, com baixa renda. Tem a ver com a inclusão. O Inter é um clube de todos — apontou o vice de Administração, Alexandre Limeira.