Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Luigi"

Oficial: déficit do Inter em 2014 foi de R$ 49 milhões. Clube enxugará R$ 20 milhões em custos

13 de março de 2015 15

Ricardo Duarte

O balancete de 2014 do Inter já tem um número oficial. O do déficit: R$ 49 milhões. O número, recorde para o clube, obrigará a atual gestão a seguir reduzindo custos, a demitir funcionários e afetará também os investimentos no futebol para o segundo semestre. Segundo o planejamento para a temporada, a meta é diminuir o “Custo Inter” em R$ 20 milhões até dezembro.

- Ainda não recebi o balancete, mas estamos fazendo uma reengenharia para poder trabalhar com um déficit de R$ 50 milhões. Temos que adequar o nosso fluxo de caixa a esta nova realidade – admitiu o vice de finanças, Pedro Affatato.

Conforme o dirigente, desde janeiro, a atual gestão vem realizando cortes mensais nos gastos do clube.
- Desde que assumimos, já reduzimos em quase R$ 1 milhão ao mês. E precisamos terminar o ano com uma redução de custos na casa dos R$ 20 milhões. Haverá demissões e redução de quadro – afirma Affatato.

E há exemplos. Somente para abrir o Beira-Rio em dias de jogos, houve uma redução de R$ 150 mil por partida (até o ano passado, custava R$ 350 mil para recebe jogos no estádio), com funcionários dobrando funções, a fim de compensar um quadro funcional que vem sendo enxugado. Profissionais da base também já deixaram o clube ou estão sendo substituídos.

- Estamos fazendo tudo isto para que o futebol seja minimamente afetado. Mas haverá alguma interferência, sim. Vamos reduzir custos, sem sucatear o futebol – comentou o vice de finanças do Inter.

Giovanni Luigi explica as contas
Presidente colorado por quatro anos, e que deixou o cargo em dezembro, Giovanni Luigi, entende que a situação econômica do Inter não é grave como este número aparenta. Ele alega que quase 80% do déficit se deve a “lançamentos contábeis e econômicos”, que não representariam custos para o clube. Entre eles, R$ 25 milhões a título de “depreciação de passes de jogadores” (o valor do atleta via diminuindo, conforme o seu contrato vai se aproximando do final com o clube), mais R$ 12 milhões de “diferenças cambiais”, entre outros lançamentos contábeis.

- A situação financeira do Inter é boa comparada a outros clubes brasileiros – declarou Luigi. – Mas, é claro que foi um ano difícil, pois apenas o Otávio foi vendido (ao Porto). Pelo bem da campanha no Brasileirão, deixamos de vencer Aránguiz e Valdívia – acrescentou.

O ex-presidente, que no ano passado viu aprovada com ressalvas pelo Conselho Deliberativo uma suplementação orçamentária de R$ 59,3 milhões, rebateu a informação de que toda a verba da TV de 2015 (R$ 45 milhões) foi adiantada no ano passado:

- Antecipei R$ 15 milhões e cheguei a pagar de volta duas parcelas. Ou seja: antecipei R$ 13 milhões.
Giovanni Luigi alega ainda que renegociou e passou a pagar com regularidade toda a dívida fiscal do Inter, que hoje está na casa dos R$ 129 milhões.

- Mas, se o Proforte for aprovado pela Câmara dos Deputados (o projeto de lei está tramitando em Brasília, com possibilidade de acordo junto ao governo federal), esta dívida cairá para R$ 90 milhões – afirmou.

Pessoas ligadas à gestão Luigi alegam ainda que as contas de Vitorio Piffero, em 2010, teriam atingido um alto déficit também, caso a venda do Estádio dos Eucaliptos (por R$ 28 milhões) não tivesse sido considerada no balancete.

As contas de 2014 serão apreciadas e votadas pelo Conselho Deliberativo no mês de abril.

Piffero toma posse como presidente do Inter e prepara pacotão de reforços para a Libertadores

05 de janeiro de 2015 0

Leandro Behs

Com um discurso breve e a promessa de brigar por títulos, Vitorio Piffero tomou posse como presidente do Inter para o biênio 2015/2016. Assume o clube pela terceira vez. Aos 61 anos, Piffero recebeu de Giovanni Luigi as chaves do Beira-Rio, ontem à noite, no centro de eventos do estádio, diante de uma plateia de 300 colorados – mais o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. Não houve anúncio de reforços, mas o novo mandatário antecipou que deverá oficializar até três reforços antes do final de semana – o meia Giorgian de Arrascaeta, o volante Nilton e o lateral-direito Léo. No sábado, o Inter embarcará para a pré-temporada em Bento Gonçalves.
- Temos duas ou três contratações que estão sendo fechadas. Conseguiremos apresentar uns três (reforços) antes de subir para a pré-temporada. Três, dos quatro ou cinco que planejamos (contratar) – afirmou Piffero.
Questionado sobre o possível interesse no zagueiro uruguaio Lugano, de 34 anos, Piffero praticamente a descartou, alegando que o Inter necessita contratar atletas mais jovens:
- Nosso time precisa melhorar a média de idade. Os grandes times têm média de 27, 28 anos.
Além de Vitorio Piffero, tomaram posse também o 1º vice-presidente e vice de Finanças, Pedro Affatato, o 2º vice-presidente e vice de Marketing e Mídia, Luiz Henrique Nuñez, Luiz Fernando Costa, vice de futebol, Alexandre Limeira, vice de Administração, Marcelo Castro, vice Jurídico, Emídio Ferreira, vice de Patrimônio, Sandro Farias e Mário Sérgio Martins, vices de Controladoria e Transparência, Alexandre Ribeiro, vice de Comunicação Social, e Luiz Antonio Lopes, secretário geral.
Ao passar a presidência para Piffero, Luigi pediu a pacificação do clube, a fim de se evitar “o auto-flagelo de brigas internas no futuro”.
- Temos o maior número de sócios, estamos na Libertadores, no nosso estádio, mas tenho uma preocupação maior: a pacificação do clube. E estarei sempre pronto para ajudar na busca do diálogo e da pacificação – declarou o ex-presidente Giovanni Luigi.
Em seu discurso, Vitorio Piffero corroborou Luigi, convocou a oposição a participar da nova gestão e desejou dois anos felizes aos colorados:
- Concordo com o presidente Luigi e quero fazer um convite, a vencedores e vencidos da última eleição: venham participar da gestão. O clube é nosso, é dos nossos torcedores. Quando entreguei o clube para o presidente Luigi, em 2011, entreguei na Libertadores. Agora, recebo na Libertadores, é justo. Será uma gestão de muito trabalho e que fará o Inter continuar crescendo ao longo dos anos. Tem que ser uma gestão feliz, para que todos, direção, jogadores, funcionários e torcedores, fiquem contentes.

Luigi encaminha três contratações para o Inter encarar a Libertadores: De Arrascaeta, Rodrigo Moledo e Rômulo

10 de dezembro de 2014 13

Por Alexandre Ernst e Leandro Behs

Giovanni Luigi deixará o Inter ao final da temporada, mas já encaminhou três contratações para que o presidente eleito nesse sábado as consolide para a Libertadores: Giorgian De Arrascaeta, Rodrigo Moledo e Rômulo.

Reprodução site do Defensor
De Arrascaeta

O meia uruguaio, de 20 anos, foi uma das estrelas na Libertadores de 2014, é o destaque do Defensor e titular da nova seleção uruguaia. Custa cerca de US$ 3,5 milhões (R$ 9,07 milhões) e estava sendo preparado para o mercado europeu, mas acabou permanecendo no Defensor. O Inter o observa desde o meio do ano.

Já Rodrigo Moledo, vendido pelo Inter ao Metalist (UCR) em 2013, passou por uma cirurgia no joelho direito, a fim de corrigir uma lesão no tendão patelar. A intervenção foi realizada em outubro, em Porto Alegre, pelo diretor médico do Inter, Paulo Rabello. Parte da recuperação foi feita no Brasil, com o fisioterapeuta Rodrigo Rossato, ex-dupla Gre-Nal. Moledo deverá estar apto a voltar às atividades ao final de janeiro. Além disto, o Inter tentou a sua contratação na janela de agosto, antes da operação, quando tentou também repatriar o volante Fred ao Shakhtar Donetsk.

Divulgação site do Metalist
Moledo

O terceiro nome, Rômulo, é volante e, assim como Moledo, deseja deixar o Leste. Foi destaque no Vasco (na foto) até ser vendido ao Spartak Moscou. Pode defender o Inter na Libertadores. Foi eleito, em 2011, o segundo melhor volante do Brasileirão.

AFP
Rômulo

As fichas dos jogadores
Nome: Giorgian Daniel De Arrascaeta Benedetti
Nacionalidade: Uruguai
Data de Nascimento: 1 de junho de 1994 (20 anos)
Naturalidade: Nuevo Berlín (URU)
Posição: meia-atacante (destro)
Altura: 1m72cm
Peso: 67kg

Nome: Rodrigo Modesto da Silva Moledo
Nacionalidade: Brasil
Data de Nascimento: 27 de outubro de 1987 (27 anos)
Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ)
Posição: Zagueiro (destro)
Altura: 1m88cm
Peso: 84 kg

Nome: Rômulo Borges Monteiro
Nacionalidade: Brasil
Data de Nascimento: 19 de setembro de 1990 (24 anos)
Naturalidade: Picos (PI)
Posição: volante (destro)
Altura: 1m87cm
Peso: 80kg​

Gabinete de Piffero deve ter Lopes no futebol e Sandro Farias nas finanças. Mais Tite ou Abel

04 de dezembro de 2014 7

Tadeu Vilani
Na foto (da esquerda para a direita), Sandro Farias, Luis Antonio Lopes e Giovanni Luigi, durante a campanha para a eleição presidencial de 2012

Com o Brasileirão chegando ao fim e a eleição presidencial se aproximando, os gabinetes para 2015 começam a ser montados. Se eleito, Vitorio Piffero deverá ter Luis Antonio Lopes, ex-presidente do Conselho Deliberativo e candidato à presidência derrotado por Giovanni Luigi em 2012, como vice de futebol. Caso Lopes não aceite o convite, o presidente da Comissão Eleitoral do Inter, Luiz Fernado Costa, e o candidato à vice-presidente Pedro Affatato (que perdeu a eleição de 2010 para Luigi, quando se deu o grande racha da situação colorada), surgem como nomes alternativos. Celso Chamun e Marcos Marino poderão ser os diretores de futebol.

Já a pasta de finanças, uma das mais importantes do clube, ficará com Sandro Farias. Um dos líderes do Convergência Colorada, Sandro também foi candidato à presidência do Inter, em 2010 e em 2012. Sandro Farias terá a missão de trabalhar contra uma dívida de curto prazo (que engloba desde contrato de imagem de jogadores, Timemania, passando por dívidas com bancos; e com vencimento até 31 de dezembro de 2015) superior a R$ 256 milhões. Mas nada que impeça um investimento de até R$ 15 milhões mensais na folha, como deseja Piffero – o que daria um total de R$ 180 milhões ao ano; em 2014, o investimento no futebol foi de R$ 210 milhões.

Por fim, o treinador de 2015 deverá ser Tite ou Abel Braga.

Com Roberto Siegmann, eleição do Inter começa a pegar fogo

27 de outubro de 2014 3

Diego Vara

Roberto Siegmann é o primeiro candidato à sucessão de Giovanni Luigi a se pronunciar como tal. Se apresentou para a eleição ao meio-dia desta segunda-feira, em lançamento de candidatura no restaurante Tirol, em Porto Alegre. Siegmann assegura ter as 30 assinaturas mínimas necessárias para ir ao pleito em primeiro turno, no Conselho Deliberativo – em 11 de novembro. Além dos apoios do movimento Coração Colorado (dono de 19 cadeiras), garante contar com votos independentes e até de integrantes do Movimento Inter Grande (de Fernando Carvalho, Giovanni Luigi e Marcelo Medeiros).

Siegmann deverá colocar fogo na eleição do Inter. É conhecido por não ser homem de meias palavras nem de papas na língua. Deverá concorrer contra Marcelo Medeiros e Vitorio Piffero – caso estes se lancem à presidência. Siegmann foi vice de futebol na primeira gestão de Luigi. Foi contra a manutenção de Celso Roth no pós-Mazembe e, depois, bateu pé para demitir Roth em meio à Libertadores e contratar Paulo Roberto Falcão. Quando Falcão foi demitido, Siegmann se indispôs com Luigi e acabou deixando o futebol e a gestão. Era um grande crítico do Inter B. Desde então, virou oposição.

Além de se lançar à presidência, Siegmann estará na chapa para a renovação do Conselho Deliberativo. Este é o seu último como conselheiro e, caso não seja eleito nem renove a cadeira, estará fora do CD.

Abaixo, as diretrizes do plano de gestão de Siegmann:

Apoio a Siegmann? Aliança com Piffero? As reviravoltas na eleição do Inter caso Medeiros não concorra à presidência

24 de outubro de 2014 11

Tadeu Vilani

Vice-presidente eleito do Inter e vice de futebol do clube, Marcelo Medeiros, tem sido aconselhado por amigos a desistir da candidatura à presidência do Inter. Medeiros vem realizando uma série de exames nos últimos dias, a fim de investigar um recente problema de saúde. Caso Marcelo Medeiros não oficialize a sua candidatura até o dia 31, a eleição colorada sofrerá uma mudança dramática.
Neste quadro, os movimentos de Situação ficaram divididos entre apoiar Vitorio Piffero e combatê-lo. Como um chapão, uma coalizão da antiga gestão do clube é quase impossível, muitos votos de conselheiros situacionistas migrariam para Roberto Siegmann – que deverá se apresentar como candidato à sucessão de Giovanni Luigi até a terça-feira e com chances reais de seguir para o segundo turno, atrás do voto dos associados.
E o Convergência Colorada? O movimento, dono de 78 cadeiras no Conselho Deliberativo, segue inclinado a apoiar Piffero. Porém, caso o quadro se altere desta maneira, é possível que o grupo opte por lançar candidatura própria à presidência.
Em tempo: até o momento, Marcelo Medeiros segue candidato à presidência do Inter.

Eleição do Inter: Convergência não fará aliança com a situação e aguarda definição de Piffero. Siegmann fora do páreo

09 de outubro de 2014 0

Ricardo Duarte

Enquanto os movimentos de oposição esperam a oficialização da candidatura Vitorio Piffero (foto) à presidência do Inter para mover as suas peças, o Convergência Colorada (CC) já decidiu que não se coligará à situação. Dono de 78 cadeiras no Conselho Deliberativo, o CC foi procurado pelo candidato situacionista Marcelo Medeiros, a fim de tentar uma aliança já para o primeiro turno da eleição, em 11 de novembro. Porém, como a situação precisa renovar 80 cadeiras no Conselho (eleição que será realizada junto com a escolha do novo presidente), o Convergência perderia espaço – e conselheiros – com esta possível fusão. Rejeitou.

Agora, o Convergência aguarda a definição do nome indicado pelo Diretas Sempre (movimento formado pelos grupos União Colorada, Ação Independente, Mais Inter e alguns conselheiros independentes) para decidir se optará pela coligação ou se lançará candidato próprio. Neste caso, o Convergência poderia até mesmo encorpar a sua chapa com o apoio de outros grupos. Se o Diretas Sempre não conseguir convencer Piffero a entrar na disputa, o ex-presidente do Conselho Deliberativo Luis Antônio Lopes deverá ser o presidenciável. A tendência, porém, é que Vitorio Piffero seja oficializado candidato à sucessão de Giovanni Luigi.

A eleição à presidência do Inter terá um candidato a menos. Roberto Siegmann, ex-vice de futebol da primeira gestão Luigi, desistiu de concorrer. Assim, a eleição ficará entre Medeiros e Piffero ou Lopes e, talvez, um possível candidato do Convergência, caso o grupo desiste de formar uma coalizão com outros movimentos.

Vitorio Piffero diz que "ainda é cedo" para lançar candidatura e critica a gestão por não tentar reunificar o Inter

03 de outubro de 2014 5

Agência RBS

Vitorio Piffero se tornou o grande mistério da eleição à presidência do Inter. Presidente do clube de 2007 a 2010, ele é o trunfo da oposição ao pleito colorado. E promete decidir a sua candidatura somente “aos 45 minutos do segundo tempo”. Ou seja, na véspera da inscrição das chapas, em 31 de outubro.

- É muito cedo ainda – disse Piffero, questionado sobre concorrer à presidência.

Líder do Diretas Sempre, Piffero ainda defende uma coalização da antiga gestão (separada após o fratricídio eleitoral de 2010, quando Giovanni Luigi venceu a eleição de Pedro Affatato), mesmo que entenda ser algo praticamente inviável no momento. E entende que a gestão perdeu tempo e deixou de tentar uma grande aliança no clube.

- Temos que tratar de fazer uma imensa coalizão e não vejo isto ocorrendo. O Inter não pode seguir o rumo de brigas internas, como ocorreu no Grêmio. A coalizão levou o Inter às grandes vitórias. A união nos levou às maiores conquistas internacionais. E a gestão atual pecou ao não tentar fazer a coalizão. No futebol tudo é possível, mas não vejo muitas chances de isto ocorrer – afirmou Vitorio Piffero.

MIG lança Marcelo Medeiros à presidência do Inter

30 de setembro de 2014 5

Divulgação

O Movimento Inter Grande (MIG) lançou na noite desta terça-feira o atual vice de futebol Marcelo Medeiros à sucessão de Giovanni Luigi. Agora, o grupo situacionista passará a negociar com os demais movimentos que integram a gestão, DNA Colorado, Colorado Eu Sou, Inter Maior, Inter Sempre e Alma Colorada, a composição da chapa.
No decorrer dessa semana, Marcelo Medeiros terá uma reunião com o Convergência Colorada a fim de tentar conquistar o apoio do grupo.
Com a confirmação do Movimento Inter Grande, o Inter já tem dois candidatos oficializados para concorrer ao pleito: Marcelo Medeiros e o ex-coordenador político do MIG e atual conselheiro independente Roberto Siegmann. Nos próximos dias, o grupo de Vitorio Piffero anunciará o seu candidato: Piffero ou Luis Antônio Lopes, candidato derrotado por Luigi na eleição de 2012.

Eleição do Inter: Situação confirmará candidatura Marcelo Medeiros, com o apoio de seis movimentos

30 de setembro de 2014 8

Mateus Bruxel

O Movimento Inter Grande (MIG) terá uma reunião, na noite dessa terça-feira, a fim de confirmar o nome de Marcelo Medeiros como o candidato da situação à sucessão presidencial no clube. Como não houve acerto com a antiga situação, hoje oposição e liderada por Vitorio Piffero, a situação definirá o seu nome para o pleito.
O atual vice de futebol terá o apoio dos demais grupos políticos que formam a atual gestão: DNA Colorado, Colorado Eu Sou, Inter Maior, Inter Sempre e Alma Colorada.
Ainda nessa semana, Medeiros se reunirá com as lideranças do Convergência Colorada para tentar uma aproximação e possível aliança com o grupo.