Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "paulo odone"

Conselho Deliberativo do Grêmio aprova mudanças no contrato com a OAS

18 de junho de 2013 2

Por unanimidade, foram aprovadas nesta segunda-feira pelo Conselho Deliberativo as alterações no contrato entre Grêmio e OAS. A expectativa é de que o novo texto seja redigido dentro de uma semana, para poder ser assinado pelas duas partes. Compareceram à reunião 205 conselheiros.

Com as mudanças, o Grêmio obtém redução nos valores gastos com a migração dos associados, posterga dívidas próximas dos R$ 30 milhões com a construtora e passa a receber 2% sobre as vendas dos empreendimentos imobiliários, mas também se vê obrigado a arcar com as despesas de um eventual prejuízo da Arena. Outra contrapartida é dividir com a parceira os lucros gerados a partir de agora pelo Quadro Social.

Ficou estabelecido um prazo de 90 dias, prorrogáveis por mais 90, para que ocorra a troca de chaves entre Grêmio e OAS. Conselheiros ouvidos ao final da reunião estimam que a implosão do Olímpico, para que a OAS construa os prédios que irá comercializar, não se dê antes de dezembro.

O presidente Fábio Koff entrou rapidamente em seu carro e evitou entrevistas. Só irá falar na tarde desta terça-feira, na Arena, em entrevista coletiva, juntamente com Carlos Eduardo Barreto, presidente da Grêmio/Arenas.

Em tom grave, o vice-presidente Romildo Bolzan Júnior alertou que as modificações precisam ser acompanhadas pela adoção de uma nova postura administrativa por parte do clube.Ele deixa claro que será preciso reduzir os custos com o futebol, formando jogadores, e alterar o perfil do quadro funcional,tornando-o mais enxuto.

— O Grêmio passa a viver uma nova era. Terá que fazer um exercício fantástico para racionalizar suas despesas e buscar novas fontes de arrecadação. O contrato melhora rapidamente a condição financeira, mas não nos tira essa obrigação — disse Bolzan.

Ex-presidente Odone fala em “bom senso” após votação

Para o ex-presidente Paulo Odone, “prevaleceu o bom senso”. Ele elogiou a atual direção por passar a olhar para o futuro e compromter-se a reduzir custos.

Para ele, o déficit de R$ 28 milhões registrado no primeiro trimestre “ligou a luz de alerta do Conselho Fiscal e do Deliberativo”.

— Nos unimos em torno de um projeto,  que é bombar a Arena e fazer dela o nosso futuro — destacou.

Também presente à reunião, o ex-presidente Luiz Carlos Silveira Martins, o Cacalo,espera que, a partir de agora, a direção se volte para as questões de campo.

— A Arena é nossa agora — saudou.

Confira os principais pontos que mudaram na parceria entre Grêmio e OAS:

– Este ano, o Grêmio gastaria R$ 43 milhões para acomodar seus associados na Arena, valor que caiu para R$ 12 milhões. Em 2014, o custo passará para R$ 15 milhões. Até o final dos 20 anos de parceria, ele será de R$ 18 milhões fixos.

– Caberá à construtora o pagamento de R$ 1,5 milhão para a conclusão da primeira fase do Memorial do Grêmio, R$ 8 milhões para o CT, R$ 2,5 milhões para as instalações administrativas do clube na Arena. Também serão descontados dos créditos futuros que o Grêmio irá obter com a venda dos imóveis no Humaitá e na Azenha os R$ 10 milhões emprestados no início do ano.

– Valores como os R$ 14,9 milhões gastos em despesas pré-operacionais, R$ 3,3 milhões usados no evento de inauguração e R$ 15,6 milhões, relativos aos encargos de financiamento serão descontados do Lucro Líquido Ajustado da Arena Porto-Alegrense.

– O que incomoda parte do Conselho é o item que trata da divisão de eventuais prejuízos do negócio. Nesse caso, o desconto incidirá sobre o valor fixo de R$ 8,8 milhões a que o clube tem direito a cada ano.

– A direção projeta um faturamento de pelo menos R$ 400 milhões ao final da parceria. Para a oposição, ao dividir os lucros do Quadro Social e sujeitar-se a bancar metade do prejuízo, o clube não irá lucrar nem metade disso.

Até dezembro, Odone e Koff assinarão juntos todos os compromissos financeiros do Grêmio

27 de novembro de 2012 0

Não faltou nem mesmo o aperto de mão, mesmo que ele resultasse de um pedido dos fotógrafos. Passado pouco mais de um mês da eleição de 21 de outubro, Paulo Odone e Fábio Koff tiveram nesta terça-feira o seu primeiro encontro, no Olímpico. Intermediada pelo presidente do Conselho Deliberativo, Raul Régis de Freitas Lima, a conversa durou duas horas e teve, também, a presença de vice-presidentes das duas gestões.

- Se fossemos novatos, a eleição teria deixado cicatrizes, feridas e constrangimentos. Mas sabemos distinguir muito bem o que é uma eleição e o que é a vida pós-eleição – disse Odone, que, após o resultado das urnas, estranhara o gesto de Koff de enviar ao estádio uma equipe de transição sem consultá-lo.

Para o presidente que vive os últimos dias de mandato, é obrigação dos dois “superar os episódios que criaram arestas, para que o Grêmio tenha continuidade como instituição”.

- Não há qualquer divergência que impeça a nossa aproximação. O Grêmio é um só, não pode estar cindido. Não havia divergência de natureza pessoal. Eram apenas conceituais e são muito menores do que o interesse comum – avaliou Koff.

Até a posse de Koff, marcada para 18 de dezembro, em sessão solene do Conselho, as gestões serão compartilhadas. Odone autorizou os integrantes da futura direção a dividir as salas com os atuais ocupantes e avisou que todos os compromissos financeiros serão assinados conjuntamente, para que os funcionários não enfrentem problemas no Natal.

Dias 19 e 20, Koff acompanhará, no Paraguai, ao sorteio dos grupos da Libertadores. Dia 21, sentará na cadeira de Odone, dando início a seus dois anos de gestão.


Koff irá ao Paraguai conferir o sorteio dos grupos da Libertadores

20 de novembro de 2012 1

Fábio Koff ainda espera pelo presidente do Conselho Deliberativo Raul Régis de Freitas Lima para marcar a data de sua posse como presidente do Grêmio.

A data inicial, 21 de dezembro, poderá ser revista. Nesse dia, ocorrerá em Assunção, no Paraguai, o sorteio dos grupos para a Libertadores 2013. E Koff já revelou a integrantes de sua diretoria que deseja estar presente à cerimônia.

- O Grêmio quer voltar a ser protagonista nesses eventos – explica o assessor de futebol Rui Costa.

Uma alternativa seria a antecipação para o dia 20 de dezembro. Não é esse, exatamente, o desejo do atual presidente, Paulo Odone. Pelos seus planos, o ato de encerramento da gestão será o Jogo contra a Pobreza, com a presença de Ronaldo Nazário e Zidane, dia 19, na Arena. Odone pretende usar o dia seguinte para “limpar as gavetas”, dando posse a Koff somente dia 21. Agora, será preciso uma nova combinação.

É certo que a posse não ocorrerá na semana do Natal, período em que muitos dirigentes e conselheiros deverão estar viajando.


Odone entrega comando a Koff um dia após o Jogo contra a Pobreza

30 de outubro de 2012 3

O Jogo contra a Pobreza, dia 19 de dezembro, na Arena, com a presença de Zidane, Ronaldo Nazário e Neymar, marcará o encerramento da gestão de Paulo Odone. No dia seguinte, uma quinta-feira, o atual presidente deverá passar o comando do clube a Fábio Koff, eleito pelo voto dos associados dia 21 de outubro.

Junto com a partida de inauguração da Arena, contra o Hamburgo, dia 8, o Jogo contra a Pobreza dará a Odone a chance de fechar com um grande feito o período de dois anos em que esteve à frente do clube.

Melhor para ele, só se o Grêmio chegar à decisão da Copa Sul-Americana. Nesse caso, uma das duas partidas finais também será na Arena, já que o Olímpico irá fechar suas portas no Gre-Nal de 2 de dezembro, na última rodada do Brasileirão.


Grêmio terá terceiro candidato a presidente

06 de setembro de 2012 17

É do Movimento Grêmio Independente (MGI) o lance mais recente da sucessão presidencial do Grêmio. Depois de sugerir o presidente do Conselho Deliberativo Raul Régis de Freitas Lima como candidato de consenso, o movimento irá lançar candidato para concorrer contra Paulo Odone e Fábio Koff, que já abriram disputa.

O mais cotado é o advogado Homero Bellini Jr., que atuou no jurídico e no futebol em gestões passadas do clube.

Com 57 votos no Conselho, o MGI já tem praticamente garantida a cota necessária para atingir a cláusula de barreira de 20% e chegar ao segundo turno.

Na última eleição, o movimento trabalhou para Odone e colocou na chapa como vice-presidente de futebol Antônio Vicente Martins.

Na foto, Bellini aparece à direita.


Vaias das sociais incomodam Vanderlei Luxemburgo

03 de setembro de 2012 6

Vanderlei Luxemburgo apelou aos torcedores do Grêmio, na tarde desta segunda-feira, para que tenham paciência com o time no jogo contra o Atlético-GO. Os únicos elogios do treinador foram para a Geral, “que canta o tempo todo”. Ele queixou-se de alguns gremistas que ocupam as sociais e, por vezes, reagem com vaias diante de alguma jogada errada.

- Tem alguns que são nervosinhos e vaiam. Quem está ao lado precisa inibir para que eles se sintam envergonhados. A torcida precisa caminhar junto com o time, ser o nosso centroavante. Ela sempre fez a diferença em casa, apoiando o time a conquistar vitórias e campeonatos complicados – disse Luxemburgo.

Por conta própria, o presidente Paulo Odone definiu que mulheres não pagarão ingresso quarta-feira. Antes, o departamento de marketing já havia divulgado outras duas promoções. A primeira delas dá direito aos associados de levar de graça um acompanhante. Na segunda, o torcedor que comprar um ingresso ganha outro de graça.

O presidente Paulo Odone brinca ao falar sobre a mágoa de Luxemburgo com as vaias.

- Quando ele vinha como visitante, não percebia que a Geral já fazia isso. Agora ele percebe como é o bafo na nuca – diz.


Odone: "Kleber tem que se cuidar mais"

03 de setembro de 2012 7

Depois do técnico Vanderlei Luxemburgo e do diretor-executivo Paulo Pelaipe, agora é o presidente Paulo Odone quem recomenda a Kleber uma mudança de comportamento. Conforme o dirigente, “o atacante, por sua imagem, tem que se cuidar mais do que os outros”.

- Sinto, mas ele tinha que se cuidar depois de ter recebido o primeiro cartão amarelo. Terá que se policiar sem perder o estilo combativo. Não pode reclamar, o árbitto não pode existir para ele – alertou Odone.

Sábado, contra o Palmeiras, Kleber foi expulso pela segunda vez no Brasileirão – a primeira havia sido contra o Fluminense. Além disso, já cumpriu outras duas suspensões por três cartões amarelos.

Contra o Atlético-GO, quarta-feira, o ataque do Grêmio contará com Leandro e André Lima.


Grêmio diz que Inter é exemplo a ser seguido na política

31 de agosto de 2012 10

O Inter serve de exemplo quando as lideranças políticas do Grêmio falam na necessidade de uma chapa de consenso para as próximas eleições. Com pelo menos um título por ano desde 2002, ano em que o grupo do ex-presidente Fernando Carvalho tomou o comando do clube, o rival é lembrado no Olímpico por ter deixado de lado as brigas políticas em nome de um melhor desempenho dentro de campo.

- O Inter cresceu com uma sequência de gestões. Não podemos partir do marco zero a cada dois anos – entende Eduardo Antonini, membro do atual Conselho de Administração e presidente da Grêmio Empreendimentos, empresa que gere a construção da Arena.

Mesmo que o ex-presidente Fábio Koff já tenha aprontado a sua chapa, a ideia de um candidato que unifique todas as facções do clube ainda não está descartada.

O problema é que tanto situação quanto oposição já têm seu nome escolhido quando se fala em quem seria o candidato de consenso. A situação gostaria de Paulo Odone ou Eduardo Antonini. A oposição não abre mão de Fábio Koff. Único nome que serve aos dois lados, o presidente do Conselho Deliberativo Raul Régis de Freitas Lima tem resistido aos convites para se lançar candidato.


Odone sobre Ronaldinho : "Não entraremos em leilão"

02 de janeiro de 2011 4

A forte concorrência estabelecida pelo Flamengo para repatriar Ronaldinho não irá alterar a estratégia do Grêmio. Em Punta Del Este, o presidente Paulo Odone afirmou que o clube sairá da disputa se for obrigado a pagar a multa rescisória de 8 milhões de euros, o equivalente a R$ 17 milhões, fixada pelo Milan. O Grêmio, de acordo com Odone, ainda confia na promessa feita por Assis quanto a uma liberação sem custos.

- O Grêmio não irá entrar em leilão. Não vamos negociar com o Milan. Ele disse que resolveria com o Milan. Não vamos além do que acertamos com ele – disse o presidente, que irá permanecer no balneário uruguaio até o dia 6.

O acerto financeiro entre Grêmio e Assis teria ocorrido em reunião realizada dia 21 de dezembro. Na ocasião, o clube comprometeu-se a pagar salários de R$ 300 mil e oferecer a Ronaldinho o percentual mais elevado sobre contratos firmados a partir da exploração de sua imagem. No final, o rendimento mensal do jogador não seria inferior a R$ 1 milhão.

- Já estamos oferecendo muito para o jogador. Quando negociamos, em nenhum momento cogitamos pagar ao Milan – reiterou o dirigente.

Odone não concorda com a avaliação de que o Grêmio perdeu espaço por não ter enviado um negociador ao Rio. Disse que, desde o primeiro momento, o clube confiou na palavra de Assis.

Concorrência por Ronaldinho não preocupa Grêmio

23 de dezembro de 2010 0

Segundo o jornal italiano Corriere dello Sport, o destino de Ronaldinho pode ser o Palmeiras. Respaldado pela Fiat, sua principal patrocinadora, o clube paulista teria formalizado a Assis uma proposta de 6,8 milhões de euros anuais, o equivalente a R$ 19 milhões. O Grêmio, que propõe ao jogador um teto de R$ 300 mil, mais um gordo percentual sobre os contratos que forem fechados a partir de sua imagem, chegaria, no máximo, a 5,5 milhões de euros, ou R$ 12 milhões.

O Corriere, que já trata Ronaldinho como um ex-jogador do Milan, informa que a relação entre o jogador e o clube ficou desgastada a partir das declarações em que Berlusconi diz duvidar de seu potencial. Revela, também, que Adriano Galliani estaria em São Paulo. A reportagem ainda acrescenta que Ronaldinho vê prejuízos a sua imagem por vestir a camisa 80, e não a 10, hoje entregue ao holandês Seedorf.

Só que nem a forte concorrência parece abalar a confiança de Odone. Além do Palmeiras, Flamengo e Santos também em em Ronaldinho um apreciável acréscimo técnico, mas, sobretudo, uma alavanca para fechar negócios publicitários.

- O que importa é o desejo do jogador de resgatar sua história dentro do clube – avalia Odone.