Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Do Twitter para a redação para o site para o Twitter

10 de novembro de 2009 6

Alguém ainda duvida que as redes sociais são aliadas do jornalismo? Zero Hora não. Nesta segunda-feira, a repórter Maria Rita Horn ficou sabendo pelo Twitter de um tiroteio que teria acontecido na Faculdade de Comunicação da UFRGS. Assim que viu o comentário desconcertado da professora Marcia Benetti, Maria Rita ficou alerta. Logo em seguida, a confirmação: “RT @guilhermeflach: um homem armado tentou assaltar a Fabico…o segurança reagiu e ele fugiu em uma moto. Ninguém ficou ferido.”


Enquanto a equipe de zerohora.com checava as informações por telefone, o repórter Maicon Bock saía da redação em direção à Fabico. Assim que a matéria foi publicada no site, entrou também no Twitter do jornal.



A notícia, que já circulava na rede, ganhou ainda mais repercussão. A mensagem foi retuitada (encaminhada) dezenas de vezes, e a matéria do site recebeu quase mil visualizações somente a partir do Twitter.

O assunto foi o que rendeu mais acessos: as duas matérias publicadas sobre o ataque foram as mais lidas do dia.

Dominado por segurança, homem atira dentro de prédio da UFRGS

Tiroteio na faculdade da UFRGS deixa estudantes em pânico

Comentários (6)

  • Greyce diz: 10 de novembro de 2009

    Achei muito bacana o post, mostrando de onde partiu a matéria e por onde ela “andou” depois. Essas coisas são sempre boas notícias para o jornalismo. Parabéns pela repercussão, pela explicação e pela excelente cobertura.

  • Luciana Carvalho diz: 10 de novembro de 2009

    Olá,
    Achei muito interessante a abordagem, ainda mais que estou pesquisando as aproximações entre jornalismo e redes sociais na dissertação do Mestrado, que curso na UFSM. Gostaria de saber se o Blog do Editor existe há muito tempo e se foi inspirado em alguma experiência semelhante…
    Obrigada.
    Luciana.

  • Twitter Trackbacks for Blog do Editor » Blog Archive » Do Twitter para a redação para o site para o Twitter [clicrbs.com.br] on Topsy.com diz: 10 de novembro de 2009

    [...] Blog do Editor » Blog Archive » Do Twitter para a redação para o site para o Twitter wp.clicrbs.com.br/editor/2009/11/10/do-twitter-para-a-redacao-para-o-site-para-o-twitter – view page – cached Alguém ainda duvida que as redes sociais são aliadas do jornalismo? Zero Hora não. Nesta segunda-feira, a repórter Maria Rita Horn ficou sabendo pelo Twitter de um tiroteio que teria acontecido… Read moreAlguém ainda duvida que as redes sociais são aliadas do jornalismo? Zero Hora não. Nesta segunda-feira, a repórter Maria Rita Horn ficou sabendo pelo Twitter de um tiroteio que teria acontecido na Faculdade de Comunicação da UFRGS. Assim que viu o comentário desconcertado da professora Marcia Benetti, Maria Rita ficou alerta. Logo em seguida, a confirmação: “RT @guilhermeflach: um homem armado tentou assaltar a Fabico…o segurança reagiu e ele fugiu em uma moto. Ninguém ficou ferido.” Read less [...]

  • Vilson Wilges diz: 10 de novembro de 2009

    A questão da rede e sua importancia nos remetem para um conceito maior. Redes Sociais tornam-se instrumentos que permitem incluir a diversidade e a participação coletiva dos atores sociais; além disso, elas podem ser encaradas não só como instrumentos, como também indicadores de um fenômeno social mais amplo – o CAPITAL SOCIAL.
    Poderíamos então definir Capital Social como uma estrutura social que facilita ações de cooperação entre atores sociais.Em síntese, o Capital Social enfatiza a quantidade e a qualidade de conexões entre os indivíduos numa comunidade, e como elas influenciam o funcionamento desta. Vai neste diapasão minha colaboração com a materia em destaque!!!!

  • Blumenópolis » Blog Archive » _Jornal Zero Hora(RBS)111109 – Blumenau diz: 11 de novembro de 2009

    [...] Alguém duvida que as redes sociais são aliadas do jornalismo? [...]

  • Seno Oliveira Zitzke diz: 11 de novembro de 2009

    Acredito que as redes socias não colaboram com o jornalismo, pois o jornalismo em sua maioria atende aos interesses dos anunciantes, enquanto as redes socias narram o que vêem e não o que lhe és imposto, muitas vezes contradizendo a informação manipulado da midia….

Envie seu Comentário