Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de dezembro 2009

Férias com as estrelas

31 de dezembro de 2009 0

Em que canto da areia se concentram as mais belas mulheres de biquíni do Estado? O que escondem os muros dos condomínios da praia? Esses e outros assuntos peculiares ao cotidiano da orla gaúcha podem ser contados este ano pelas grifes do grupo RBS. Cronistas e comunicadores estão no Litoral para que os leitores de Zero Hora gastem ainda mais tempo de leitura embaixo do guarda-sol.

Quem estreou a série, na terça-feira, foi Alexandre Fetter, comunicador da Rádio Atlântida e apresentador do Pretinho Básico. E o assunto surpreendeu: a relação de vizinhos de praia.

Instalado no Imbé, o tema festas e badalações apareceu, no dia seguinte, com a descrição de um dos mais movimentados balneários. O comunicador se despede na próxima edição dominical.

Quem continua a desvendar o cotidiano da orla gaúcha é David Coimbra, que está longe da redação desde o Natal. Com todo o gás, ele retorna escrevendo sua crônica bem humorada direto de Capão da Canoa.

A cobertura especial Estrelas do Mar foi idealizada pelo editor de Geral, Diego Araújo, que todo ano tem a missão de enviar parte de sua equipe para o litoral. Uma ideia que, até o final da temporada, garante ainda a companhia de Fernanda Zaffari, Moisés Mendes, Eduardo Veras, Claudia Laitano, Fabrício Carpinejar e Katia Suman.

As caricaturas são do freelancer Gonza Rodriguez.


O tim-tim do Segundo Caderno

30 de dezembro de 2009 2

Foto Genaro JonerDepois de um ano de “puro glamour”, como lembrou a repórter Patrícia Rocha, o último dia do ano não poderia ser diferente para a equipe do Segundo Caderno.  O balcão do fundo da Redação se transformou hoje em uma festa, com direito a comidinhas trazidas por todos para a comemoração. O que ninguém esperava foi o presente do diretor de Redação, Ricardo Stefanelli: uma espumante.

O brinde foi providenciado com as taças comemorativas aos 45 anos de Zero Hora, que a editora de Moda, Paola Deodoro, tirou do armário imediatamente.
— Na verdade, toda semana a gente come uma coisa boa, mas neste final de ano caprichamos — disse a editora do Gastronomia, Bete Duarte.

Olha o capricho da produção!

Zero Hora recebe Caco Barcellos

29 de dezembro de 2009 3

Jefferson Botega Uma Redação lotada surpreendeu o convidado do último “Imperdível” de 2009. Para quem não leu o texto anterior, o Blog do Editor explica: Imperdíveis são bate-papos promovidos por Zero Hora ao longo do ano que ajudam a melhorar o dia a dia e a qualidade da produção. Hoje, foi a vez de Caco Barcellos, que está na cidade para aproveitar a folga de Ano-Novo e do programa Profissão Repórter, da TV Globo, ao lado da família, no bairro Petrópolis, na Capital.

— Como está grande esta Redação. Faz tempo que não venho aqui. Pensei que teria um grupo pequeno nesta época do ano — disse o jornalista, ao entrar no quarto andar do prédio da Zero Hora e reencontrar velhos conhecidos como o repórter Carlos Wagner e o editor de Fotografia, Ricardo Chaves (foto abaixo). Além de boa parte dos cerca de 230 profissionais de ZH, o encontro atraiu jornalistas da RBS TV, Rádio Gaúcha e outros setores da empresa. Apresentado pelo diretor de Produto da RBS, Marcelo Rech, Caco abriu a conversa agradecendo ao convite e pedindo a participação dos colegas de profissão com perguntas. Em seguida, lembrou de como foi concebido o programa, que começou como um quadro do Fantástico, e suas transformações até o sucesso de hoje.

— A ideia do programa é mostrar o debate ético, as discussões ideológicas e os bastidores de cada reportagem. Mas, no início, foi entendido pelos editores como a exposição de nossos erros, o jeito de pegar o microfone e coisas assim, como um programa humorístico faz. Depois de seis meses, comprovamos audiência e conseguimos o projeto “solo” — contou.

Na Redação, o papo se estendeu. Entre os assuntos, que passaram por Tim Lopes, Rota (a tropa de elite de São Paulo), crimes de colarinho branco e a imprensa mundial, a preocupação com a audiência foi destaque:

— É fundamental que o programa tenha uma boa audiência, que seja atraente. Como torná-lo atraente é a questão. Achamos que um programa atraente é o de reportagem. Mas em vez de falar de vidas, queremos que as pessoas nos permitam mostrar suas vidas.

Com uma equipe de 28 pessoas na busca por boas histórias, Caco contou ainda como é feita a escolha das reportagens:

— Todo repórter deve trazer uma sugestão, mas todos tentam derrubá-la. Aquela que sobrevive, é porque tem vida e tem chance.

Viver a emoção com o entrevistado, acompanhar meses uma pessoa e mostrar uma ação, que justifique a verdade da história, é alma do programa comandado por Caco Barcellos, que vai continuar apostando em jovens talentos e em inovação, com performances como a de Eliane Brum, repórter experiente da Revista Época que integrou a equipe no último programa do ano.

— Gostamos de mexer com assuntos que estão todos os dias batendo à nossa porta, mas que talvez não tenham merecido ainda uma visão mais ampla, mais aproximada. Não achamos que um assunto fica velho. Não interessa contar primeiro. Nos interessamos em contar melhor.

Antes de encerrar, os mais jovens tiveram ainda a oportunidade de conhecer um pouco da trajetória do jornalista, contada por ele mesmo:

— Nasci no Partenon, fui taxista, trabalhava para pagar a PUC. Cursava Matemática. Um dia fui trabalhar no jornal do centro acadêmico que se vendia de mão em mão…

Um começo e tanto.

* Confira o registro da visita de Caco Barcellos na coluna RSVip na edição conjunta de Ano-Novo e saiba quais serão as novidades do programa para 2010 no caderno TV+Show do próximo domingo.

A virada na Redação

29 de dezembro de 2009 0

Para quem pensava que o final de 2009 seria igual a tantos outros na Redação se enganou. Os últimos dias têm sido surpreendentes. Contrariando a correria natural da virada, os jornalistas estão sendo convidados hoje a desligar os computadores para um encontro especial: está marcado para as 14h um bate-papo com o repórter Caco Barcellos.

A conversa com Caco Barcellos faz parte de uma programação que ocorre ao longo do ano. São momentos em que o desafio é pensar o que fazemos, rever processos ou conhecer como os diferentes setores da empresa trabalham para melhorar o desempenho.

Em 2009, houve “imperdíveis” inesquecíveis como o encontro do Professor Ruy Ostermann e Luis Fernando Verissimo, no dia 25 de setembro. Nesse dia, um entrevistou o outro em uma salinha improvisada no meio da Redação, com a ajuda de David Coimbra e Rosane de Oliveira. Outro da série foi o do fotógrafo Ricardo Chaves, que exibiu por uma hora, em 12 de novembro, a arte de Cartier Bresson. Foram 17 encontros em 2009. E serão muitos em 2010.

O Blog do Editor promete contar em detalhes a esperada conversa com o gaúcho Caco Barcellos, jornalista que começou sua carreira brilhante no Sul e hoje comanda o Profissão Repórter, programa exibido todas as terças-feiras pela RBS TV. Aguarde!

Cartas do Editor: um manual da Geração Z

26 de dezembro de 2009 0

Ricardo Stefanelli

Vou fazer uma sugestão para este domingo pós-Natal, aproveitando que a parte mais frenética da correria de fim de ano passou e, portanto, estamos em “estado de relaxamento”, o melhor momento mental para ler: pegue uma caneta, abra a página 4 de Zero Hora desta edição em cima de uma mesa e comece a ler sublinhando frases, fazendo anotações laterais e relendo algumas delas antes de mudar de parágrafo. Leia O Retrato da Década, até a página 10, com vagar, como se faz com um livro, pois vale a pena.

Não imagine que Itamar Melo, o principal redator dos textos a seguir, tenha traçado apenas uma retrospectiva. Nada disso. Auxiliado pelos repórteres Caio Cigana, Carlos Ferreira e Léo Gerchmann, ele sintetiza o pensamento dominante de quem se debruça a estudar o mundo depois do ano 2000: estamos diante da década mais retumbante da história.

Tamanho significado exige análise e compreensão, até para não sofrermos com os sentimentos que angustiam a cada troca simbólica de calendário. Nunca antes os filhos sabiam mais do que os pais – e essa é a chave da mudança em curso.

Pinço algumas das frases da reportagem, mesmo fora de contexto, para dar uma noção dos Anos 00. Se o 11 de Setembro assume o status de uma III Guerra Mundial devido a reflexos de insegurança e desconfiança que se estenderão pelas próximas décadas, a internet supera a roda como invento propulsor da humanidade, numa liberdade desenfreada e com impacto impossível ainda de avaliar. As frases da reportagem:

– O mundo ficou à distância de um clique, e as fronteiras se fecharam.

– Foi como se os humanos tivessem recebido uma versão nova do seu sistema operacional, mais veloz e com recursos inéditos, mas ainda com defeitos de programação.

– Foram anos vividos em banda larga.

– Passamos a querer tudo instantaneamente – e a sermos cobrados a oferecer tudo instantaneamente.

– Quem já saiu de fábrica com o sistema operacional mental dos anos 2000 passou a assombrar os humanos de modelos mais antigos.

Coube aos editores Luciano Peres e Luiz Antônio Araujo, dois dos mais cultos jornalistas de ZH, darem tratamento de ourives ao farto material coletado pela pequena força-tarefa formatada para traduzir a Geração Z, simbolizada nesta reportagem por Jonata, 12 anos, filho e neto de duas Iedas e bisneto de Nair.

Um novo drama, como bem enumera a reportagem, surgiu para os adultos: acompanhar o ritmo das crianças, reencontrar o diálogo diante dos abismos que se criam, reconstituir-se como autoridade de uma nova maneira e, ao mesmo tempo, redescobrir limites em um mundo que explodiu limites. Acreditamos que esse, também, é o papel de um jornal, conexão principal entre aldeias separadas por milhares de quilômetros, mesmo que ao alcance de um mouse.

A solidão é ficar sem acesso. Ou sem sua ZH, que dá sentido a este novo mundo.

Festa e festa

24 de dezembro de 2009 1

Véspera de Natal é dia de tranquilidade na Redação de Zero Hora. A edição conjunta, com validade para hoje e amanhã, garante a todos um descanso — que foi antecedido de muito trabalho. Em casa, todos podem se orgulhar de um jornal que não se cansa de surpreender o leitor. Este ano, a comemoração natalina levou colunistas a entrar na pele do Papai Noel. Entre eles, o Nilson Souza foi um destaque. Um dia antes, teve o cuidado de ir ao Shopping para investigar como se portava o Noel que iria substituir por algumas horas. — Foi uma experiência e tanto. Minha supresa foi a que o Papai Noel que lá estava era meu vizinho — contou. Ricardo ChavesNa hora de colocar a vestimenta, as luvas brancas ficaram grandes. Nilson então ganhou um novo par e pode exercer sua função com brilhantismo. E ontem pela manhã, ainda vivia o sonho de ter sido Papai Noel: — Acabei esquecendo as luvas grandes lá e o Papai Noel, meu vizinho, bateu à minha porta para devolvê-las. Foi muito divertido — disse Nilson. Diversão é o que não faltou neste final de ano na Redação. O Blog do Editor mostra um pouco das festas promovidas por equipes e a grande festa da Redação, que este ano foi promovida no prédio onde por 45 anos funcionou a rotativa de Zero Hora e contou com todas as redações online do Grupo RBS. O show surpresa sacudiu a moçada….

Na Central do Interior (foto abaixo), o jantar teve amigo secreto literário. A escolha dos livros foi bem diversificada…

A turma da Geral também comemorou com uma churrascada….Um segundo encontro (também com churrasco) festejou os prêmios de Jornalismo conquistados pela equipe.

Animação também marcou a festa dos fotógrafos de Zero Hora, na casa de Ricardo Chaves, que este ano foi homenageado pelos 40 anos de profissão….Os também músicos Júlio Cordeiro e Mauro Vieira garantiram a sonorização ao vivo….

Twitter para as compras

23 de dezembro de 2009 0

Foi um dia de estreias para repórteres do Grupo RBS. O site Dinheiro de Zero Hora coordenou uma cobertura minuto a minuto, com relatos e fotos das últimas horas de compras antes do Natal, nos principais centros de compra de Porto Alegre. Hoje cedo, as repórteres Roberta Schuler, do Diário Gaúcho, Giane Guerra, da Rádio Gaúcha, e Kamila Almeida, de Zero Hora, saíram munidas de um celular e um olhar curioso. À tarde, o repórter Alexandre Santi e a estudante de jornalismo Leila Ghiorzi se uniram à equipe.

Durante o dia, eles relataram situações comuns no comércio nesta época: estacionamento lotados, praça de alimentação sem lugar para sentar, falta de sapatos femininos tamanho 36, ou uma dica do papai noel para presentes das crianças: “tudo do Ben 10″.

Nesta quinta-feira, a cobertura online segue em tempo real durante a manhã. Acompanhe no @zhdinheiro

Arte nas bancas

23 de dezembro de 2009 0

Um desfile de cor, imagens e bom gosto tem ocupado o alto da capa de Zero Hora.

O trabalho é feito diariamente pelo editor da área de diagramação, Daniel Dias, com as imagens de reportagens definidas pelo editor-chefe, Altair Nobre. Por volta das 15h, a dupla começa a pensar na composição que ganha a atenção de quem passa pelas bancas ou recebe sua ZH em casa.

Como trabalho artístico, não é unanimidade. Há leitores que já se incomodaram ao ver parte do nome de ZH escondido pelas imagens. Mas a criatividade e a beleza do novo projeto gráfico de Zero Hora estão mais do que aprovadas. Assinado por Luiz Adolfo Lino da Silva, o projeto foi premiado pela Associação Riograndense de Imprensa em 2009.  O novo visual de ZH também deu ao designer Luiz Adolfo o título de Jornalista do Ano, uma das principais categorias do Prêmio Zero Hora, distinção interna que destaca os melhores trabalhos e profissionais do jornal.

A beleza das capas de papel contagia. Dá uma olhada como Zero Hora apareceu nesta quarta-feira na internet.

Encontro com a turma

22 de dezembro de 2009 0


Um grupo de estudantes ocupou hoje o estúdio da TVCOM, na Redação de ZH. No meio deles, o colunista David Coimbra era só sorrisos. Não era para menos. Alunos da 5ª e da 8ª série da Escola Estadual Prudente de Moraes, por iniciativa própria, agendaram uma visita ao colunista para também homenagear a professora de português, Luciana Lerina (de preto, à direita), que usou as crônicas do jornalista ao longo do ano para ensinar a disciplina.

Por cerca de 30 minutos, a conversa girou sobre o cotidiano da Redação e da escola. A estudante Gabriela Borges, 14 anos, trouxe o caderno para mostrar as atividades. Nele, as crônicas de David aparecem coladas às páginas, seguidas da análise da estudante e de conteúdos relacionados.


— Quero ser jornalista. Ele foi muito atencioso e interessado com o que eu tinha a dizer. Consegui agradecer por ele fazer parte da nossa turma o ano inteiro, mesmo sem saber — disse Gabriela.

Depois do encontro, na conversa com o Blog do Editor, a emoção dos alunos transparecia.

— Ele não estava com pressa. Fiquei preocupado com o tempo dele e tentei ser rápido, mas conseguimos conversar bastante — disse Caio da Silva Guimarães, 16 anos.

Sob o impacto do encontro, Cainan Andrade Frantz, 14 anos, ainda conferia o autógrafo recebido no livro Cris, a Fera, que comprou na Feira do Livro.

— No Canibais (o livro) eu já tinha o autógrafo. Trouxe só pra mostrar. Peguei a assinatura lá na feira. Mas na praça ele estava mais quieto. Aqui, ele falou sobre o jornal e como funcionam os setores da Redação. Foi muito legal — disse o estudante.

Para a professora de português Luciana Lerina, eleita paraninfa da turma, a iniciativa dos alunos surpreendeu.

— Não há gratificação maior para um professor do que uma mobilização como esta — disse, apresentando a filha leitora de oito anos e a professora de história, Sandra Giacomini, que se juntaram ao grupo.

A recíproca é verdadeira. Após o encontro com os alunos, o colunista observou:

— Uma das maiores recompensas profissionais que posso receber é ouvir o que ouvi dos alunos: que eles tomaram gosto pela leitura lendo a minha coluna. Isso faz o trabalho da gente valer a pena.

Visita de final de ano

21 de dezembro de 2009 0

Tradicional visita de fim de ano à Redação de Zero Hora, o presidente do Grupo RBS, Nelson Sirotsky, espalhou otimismo ao traçar perspectivas para a empresa, e para o país, em 2010. Acompanhado da Diretoria Executiva, num roteiro que também se estendeu por outras áreas, Nelson falou cerca de 20 minutos aos jornalistas, em clima descontraído, quando fez um balanço positivo de 2009 — ano que se iniciou de forma pouco auspiciosa no mundo inteiro, com o cenário de crise econômica, mas que se encerra com crescimento da empresa.

Nelson elogiou a qualidade do jornalismo produzido pela Redação de ZH e lembrou dos desafios e das grandes coberturas previstas para o próximo ano, em especial a Copa do Mundo e as Eleições.

— Não é por acaso que vamos continuar crescendo. Acreditamos no que estamos fazendo e estamos prontos para aproveitar todas as oportunidades que o país vai oferecer em 2010. Vocês fizeram muitas coisas espetaculares e estão de parabéns — disse.

A Redação agradeceu a visita e os elogios com palmas calorosas.