Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de maio 2010

No vale dos castelos

31 de maio de 2010 1

O leitor pediu e levou. A edição do caderno Viagem desta terça-feira faz um passeio por castelos no interior da França.

Em uma das regiões que mais concentram castelos, o Vale do Loire, a edição mostra construções que viraram museus, com ambientes recriados para ilustrar um passado de orgulho, glórias e confusões políticas ou se transformaram em hotéis.

Cenários de emocionantes batalhas, os castelos sempre mexeram com a imaginação das pessoas. As cenas de confrontos, claro, fazem parte do imaginário, assim como a histórias de reis, rainhas e princesas. Saiba o que mais eles oferecem aos seus hóspedes e visitantes.

Novo olhar na política

31 de maio de 2010 3

A colunista Rosane de Oliveira ganhou nova assistência para construir diariamente a sua página 10, uma das mais lidas de Zero Hora.

Às vésperas das eleições, assume nesta segunda-feira o lugar de Fabiano Costa — atualmente na Sucursal da RBS, em Brasília — a repórter Letícia Duarte, 29 anos.

Formada em Jornalismo pela Universidade de Caxias do Sul, cidade onde nasceu, Letícia coleciona distinções desde o início da carreira. Em 2002, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo, pela série de reportagens Adolescência Prostituída, publicada no Pioneiro, jornal coirmão de ZH.

Transferida no ano seguinte para Zero Hora, Letícia dedicou-se especialmente a temas como saúde, infância e adolescência, educação e problemas sociais. Em 2005, conquistou o Prêmio Iberoamericano pelos Direitos da Infância, da Unicef, pela reportagem Herdeiros da Aids, que mostrou um retrato da primeira geração de adolescentes a crescer com o vírus.
Em 2007, recebeu o Prêmio Imprensa Embratel, pela série Os Rios Grandes do Sul, publicada em ZH. No mesmo ano, montou a exposição fotográfica Paisagens do Invisível com o material que trouxe de Moçambique, na África Subsaariana, onde atuou como professora de português voluntária por um ano.

— A essência da reportagem é a mesma, cavar informações, mas agora vai ser no campo político. Um dos desafios para mim que sempre gostei de fazer grandes matérias vai ser transformar toda a minha apuração em pequenas notas — diz Letícia.

Entre os trabalhos de destaque de apuração da repórter está ainda a série Mulheres Marcadas pelo Câncer, incluída no livro Zero Hora — 45 Reportagens que fizeram história, alusivo aos 45 anos do jornal lançado no ano passado.

Clubinho ZH para os pequenos

31 de maio de 2010 0

O caderno Meu Filho desta segunda-feira trouxe novidade de ZH aos pais. Crianças a partir de três anos já podem se associar ao Clubinho. Antes, o limite era de cinco a 12 anos, mas inúmeros assinantes de Zero Hora solicitaram que a faixa etária fosse estendida.

Os pais perceberam o interesse dos filhos de aproveitar os benefícios do cartão que dá descontos de até 50% em shows, teatros e outras vantagens para seus associados em espetáculos e parques de diversões, entre outros.

O cartão vale um ano e custa R$ 5. Podem se associar filhos e dependentes de assinantes ZH. Quem se associa recebe o documento em seu nome e uma carta de boas-vindas.

Confira a lista de promoções para as crianças e saiba mais no site www.zerohora.com/clubinho.

Copa não é só futebol

29 de maio de 2010 0

Por Ricardo Stefanelli

Um burburinho diferente na Redação se instala às vésperas de uma Copa do Mundo. Deve ser assim na maioria dos jornais que se preparam para cobrir o maior evento esportivo do mundo, mas ZH apresenta características próprias:

1) Não é apenas a editoria de Esportes que se alvoroça, pois o sistema de força-tarefa começa a contagiar todas as equipes.

2) Copa do Mundo, em ZH, não é sinônimo de futebol. É muito mais.

Mundial de Futebol é um pretexto. Um estímulo para produzir um jornalismo diferenciado, irreverente e, em especial, inovador como um grande painel de tendências. Não por acaso, enviamos para a linha de frente nossos melhores nomes, grifes reconhecidas pelo seu modo de fazer original. Quase todos os veículos de comunicação, na verdade, destacam seus melhores nomes para o palco da Copa, mas poucos dedicam tanto afinco como ZH para a equipe de cozinha – aquela na Redação, na edição, ajudando a fazer brilhar quem viajou.

Essa combinação permite, a cada quatro anos, a produção de um caderno cuja unanimidade desmente o aforismo de Nelson Rodrigues. Os leitores ficam cientes de que, a partir de 11 de junho, receberão um suplemento diário recheado de textos qualificados, no qual o bom humor predomina. Aproveitando-se do desfile das 32 pátrias de chuteiras, ZH produz um caderno que dá preferência ao comportamento, à cultura, à geografia, à literatura, à música, à história, à gastronomia. Ao entretenimento. E ao futebol.

L. Potter, Lucianinho e Manoel Soares

No time despachado para a África, não tem perna de pau. L. Potter, integrante permanente do sarcástico Pretinho Básico, da Rádio Atlântida, pode entender pouco de futebol (ele acha que sabe muuuito), mas vai para Joanesburgo não com a missão de falar de bola rolando ou das maçantes discussões de 3-5-2  ou 4-4-2. Sua tarefa é outra:

– Quero assistir ao pior jogo da Copa – contou, às gargalhadas, no bar da Redação esta semana, entre um café e outro. E ameaçou: – Vou ver uma partida da Nova Zelândia…

O repórter comunitário Manoel Soares, da RBS TV, vai contar como um país a mais de 7 mil quilômetros de Porto Alegre pode estar tão próximo de nossa realidade. O repórter e cronista David Coimbra, o insinuante, tenta olhar o que os outros não veem – embora não se possa dizer que seja uma exclusividade sua o vezo para enxergar curvas femininas em tudo. Quando encomendou ao nosso editor de Arte o modelo de suas páginas, ressaltou: “Vou descrever meu dia a dia em Joanesburgo, uma espécie de Diário do David”. Que perigo.

Zé Alberto Andrade, Luiz Zini Pires e Sérgio Boaz em Joanesburgo

ZH terá o Professor Ostermann (em sua 12ª Copa), Falcão – o Rei de Roma, Maurício Saraiva e sua prancheta e o sempre repórter Marcelo Rech. Luis Fernando Verissimo, que em função de suas coronárias aventara em 2006 a possibilidade de assistir do sofá da sala, vai mandar textos diretos da África do Sul.

Do alto de sua experiência de arquibancada, Lucianinho Périco terá espaço no jornal para descrever a mais barulhenta de todas as cornetas de torcedores, a vuvuzela. Nando Gross, também da Rádio Gaúcha, despejará mais do que suas teses, ele que se exibe de ter diploma de técnico, ser médico sem faculdade e músico nas horas vagas. Nando vai contar um pouco de tudo isso nas páginas de ZH, em especial pedimos que ele nos aproxime da musicalidade africana. 

Aos poucos, desde que os comprometidos de Dunga se reuniram em Curitiba, os leitores puderam ter pílulas do que imaginamos para a Copa de 2010. Podem ter certeza de que estamos imbuídos do espírito de não deixar a Copa encher o saco, nem das mulheres. Essa massa de informação sobre o tema pode virar o fio mesmo antes de começar – mas sabemos disso, e nosso esforço é para fazer o que o Fantástico nos ensina todos os domingos: um gol pode ser muito mais do que um gol. 

Na edição deste domingo, nas páginas 39 a 41, Luiz Zini Pires já dá uma boa mostra do que imaginamos, ao passear em Joanesburgo por você que nunca foi à África. Ao sair de Porto Alegre, instruímos Zini a conduzir o leitor em suas andanças. Nos próximos dias, num Guia muito curioso, tenho certeza de que vamos encantar a garotada com a cotação animal que o editor Ticiano Osório criou ao definir cada seleção. O México, por exemplo, não é apenas o país dos bigodudos de chapéu grande: em ZH, será o hipopótamo, aquele gigante simpático por quem todo mundo torce.

Copa, em ZH, é esta alegria. E não é só futebol.

Zero Hora é Top of Mind

28 de maio de 2010 1

Como nos anos anteriores, Zero Hora liderou a categoria jornal dos prêmios da pesquisa Top of Mind, entregues esta semana, em Porto Alegre, - seguida este ano mais uma vez pelo Diário Gaúcho – e, por isso, também aparece na lista das supercampeãs. A distinção é promovida pela Revista Amanhã e Segmento Pesquisas.

Na área de comunicação, o Grupo RBS conquistou o primeiro lugar em outras oito categorias.

– Não tem reconhecimento mais importante para uma empresa como a RBS do que aquele que vem de nosso público – afirmou Eduardo Sirotsky Melzer, vice-presidente executivo do Grupo RBS.

Na 20ª edição da pesquisa, a Gerdau aparece na primeira colocação, seguida por General Motors (GM) e Grupo RBS, as mesmas posições do ano passado.

Da esquerda para a direita, André Gerdau Johannpeter (Gerdau), Walter Othero (GM), Eduardo Sirotsky Melzer (RBS), Rosane Fantinelli (Tramontina) e Ricardo Vontobel (Coca-Cola) com as distinções

Kzuka na Zero com novidades

27 de maio de 2010 0

Com design renovado e novas seções, o Kzuka na Zero traz novidades nesta sexta-feira. Entre elas, as melhores tuitadas da galera e de famosos e a manchete Bizarra da Semana, escolhida pelos guris do Pretinho Básico, da Rádio Atlântida.

A principal inovação é a apresentação do conselho do leitor, que será chamado de Repúblika Kzuka. O grupo foi montado para ajudar a pensar esse novo Kzuka. Durante pelo menos quatro meses, essa turma vai acompanhar repórteres em entrevistas com celebridades, reuniões de pauta, vai dar ideias sobre matérias e ganhar ingressos para festas, entre outras atividades. Eles também irão atualizar o blog lançado nesta semana.

Para completar a Repúblika, será lançado um concurso cultural para preencher duas vagas com leitores do interior do Rio Grande do Sul. Os interessados deverão escrever um post para o blog. Entre os dez mais comentados, dois serão escolhidos, de regiões diferentes do Estado (o regulamento estará disponível em kzuka.com.br/blogdarepublika.

A edição apresenta ainda uma reportagem sobre a Copa.

Editoras comentam o último episódio da série Lost

27 de maio de 2010 17

A conversa começou entre os computadores do Segundo Caderno de Zero Hora, mas foi parar No Bar da Redação, a sessão do Blog do Editor que registra bastidores e leva os jornalistas de ZH ao local mais descontraído do jornal. As editoras Camila Saccomori, Cláudia Laitano e Tatiana Tavares comentam as emoções do último episódio de uma das mais marcantes séries da TV mundial: Lost.

*** CUIDADO – RISCO DE SPOILERS SE VOCÊ NÃO VIU THE END ***

Parte 1:

Parte 2:

Para escolher a TV certa

25 de maio de 2010 0

Alta definição, HD, conversor digital, Full HD , HDTV, tempo de resposta.

Antes de compar um novo televisor para assistir aos jogos da Copa do Mundo é melhor se familiarizar com os termos mais comuns em anúncios desses produtos e conhecer prós e contras de cada oferta.

Em ano de Mundial, as vendas de TVs disparam. E em 2010, fabricantes esperam vender 20% mais aparelhos do que no ano passado. Para ajudar o leitor a escolher o modelo ideal, o caderno ZH Digital, de Zero Hora desta quarta-feira traz uma edição especial com 12 páginas sobre o assunto.

Entre outros assuntos, saiba quais são as principais diferenças entre TVs de plasma e LCD, como funciona a tecnologia 3D para televisores e qual a melhor maneira para instalar seu aparelho de tela plana em casa.

Bandeira hasteada para a Copa

25 de maio de 2010 0

O Grupo RBS já chegou à África do Sul para a cobertura do Mundial de futebol. Parte da equipe, que será de 22 profissionais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, está em Joanesburgo e começará a transmitir as primeiras informações sobre a movimentação em torno do evento.

Até o dia 7 de junho, o editor de Esporte e colunista de Zero Hora, David Coimbra, o restante do grupo desembarca em solo africano com a missão de abastecer diariamente os veículos da plataforma multimídia da RBS.

Na foto, o repórter José Alberto Andrade, o técnico em Operações Jean Pierre Vandresen, ambos da Rádio Gaúcha, e o coordenador de Operações da RBS TV, Caio Klein, hasteiam, respectivamente, as bandeiras da África, do Grupo RBS e do Brasil, na chegada ao hotel.

 

Os 75 anos do churrasco

24 de maio de 2010 0

Zero Hora desta terça-feira vai contar a história de uma família pioneira no negócio do churrasco no Estado. Uma das mais tradicionais do país, a empresa dirigida pela terceira geração, já conta com a quarta na operação e completa 75 anos de sucesso em Porto Alegre.

Saiba como foi a trajetória, a superação de planos econômicos, os momentos de escassez de matéria-prima e os segredos para se manter em alta no paladar dos gaúchos.