Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 21 outubro 2010

Opine sobre o Editorial da RBS que defende pesquisas eleitorais

21 de outubro de 2010 Comentários desativados

Zerohora.com adianta o editorial que os jornais da RBS publicarão no próximo domingo para que os leitores possam manifestar concordância ou discordância em relação aos argumentos apresentados. Comentários enviados até as 18h de sexta-feira serão selecionados para publicação na edição impressa. Participe!


Clique aqui e envie o comentário para o mural. Não esqueça de colocar o seu nome completo e a cidade onde mora.

PESQUISAS SIM, MAS COM TRANSPARÊNCIA

A poucos dias do encerramento de mais um pleito eleitoral em nosso país, percebe-se que, mais uma vez, as pesquisas de intenção de voto tiveram e ainda estão tendo demasiado protagonismo na disputa política, suscitando reações de contrariedade de eleitores, candidatos e partidos. Em consequência, ganham força no Congresso as propostas de restrições, disciplinamento e até mesmo proibição de divulgação de pesquisas eleitorais, sob o pretexto de que tais levantamentos, nem sempre confiáveis, acabam influenciando o eleitorado. A quantidade de sondagens difundidas este ano _ quase uma por dia _ realmente deixa a impressão de que este importante instrumento de aferição da vontade popular está sendo vulgarizado. Mas é um equívoco tentar proibi-las, sonegando do público o direito de conhecer a tendência do eleitorado durante a campanha.
O principal argumento dos opositores das pesquisas é questionável. Se a divulgação das intenções dos eleitores influenciasse tanto quanto alegam, não haveria as viradas que seguidamente ocorrem. Pelo contrário, um dos fatores de descrédito das sondagens é exatamente o fato de, inúmeras vezes, apontarem um resultado e serem contrariadas pelas urnas. Além disso, simplesmente proibir a publicação significaria proporcionar aos partidos e candidatos uma enorme vantagem, já que eles continuariam encomendando levantamentos aos institutos e fariam deles o uso que bem entendessem _ sem que os eleitores pudessem ter as mesmas informações para comparar.
As pesquisas de intenção de voto, realizadas sob critérios científicos e de acordo com as normas do Tribunal Superior Eleitoral, são instrumentos importantes de informação de determinado momento eleitoral. Elas registram este momento como se fotografa uma multidão em movimento: no dia seguinte, ainda que seja mantido o mesmo cenário e o mesmo ângulo, a fotografia já poderá mostrar outras pessoas. O ser humano, felizmente, muda de pensamento e de vontade por conta do seu livre-arbítrio. Aí talvez esteja a melhor explicação para as diferenças entre pesquisas, inclusive daquelas que são feitas pelos mesmos institutos.
Defendemos a livre publicação de pesquisas eleitorais porque a informação sem tutelas é um direito do cidadão. Porém, considerando-se que outros aspectos do processo de escolha de governantes e parlamentares recebem regramento rigoroso, incluindo-se aí a propaganda partidária, as entrevistas aos meios eletrônicos e os debates, seria importante que o Congresso revisasse as regras atuais das sondagens e considerasse a necessidade de aperfeiçoamento.
O importante é que o público tenha a garantia de receber informações verdadeiras, plurais e responsáveis, compiladas e apresentadas com total transparência.

Sant'Ana e o árbitro

21 de outubro de 2010 7


O árbitro do Gre-Nal de domingo, Carlos Simon, encontrou-se esta tarde com o cronista Paulo Sant’Ana no Bar da Redação de Zero Hora. Ouviu do colunista veladas e divertidas críticas às suas atuações em clássicos. E respondeu com um abraço:

— É sempre assim: as críticas são do passado e vão existir no futuro — disse Simon.

O papo só acabou porque Simon desceu ao estúdio da Rádio Gaúcha para gravar o programa Falcão na Gaúcha.

O que você vai ser?

21 de outubro de 2010 0

O Kzuka desta sexta-feira ajuda a responder um perguntinha complicada: O que você vai ser quando crescer?
Escolher a profissão é um drama para a maioria da gurizada. Por isso, a reportagem traz um plano de voo para quem está pensando no futuro.

Enquanto a edição não chega às bancas, a dica é acessar a promoção Rumo Certo no site rumocertokzuka.com.br e completar a frase “Pensar no futuro é…” em até 140 caracteres. As inscrições vão até domingo.
Os 10 vencedores poderão conhecer durante um turno como é o trabalho em uma grande empresa para testar se é isso mesmo que você quer para o seu futuro.

A nova versão do Bar da Redação

21 de outubro de 2010 0

De todas as mudanças no Bar da Redação de ZH, a promovida nos últimos dias, com a retirada da porta de vidro que dividia a área de recepção do ambiente do bar, é a mais festejada por Seu Espina. Com 23 anos de Zero Hora — os 12 últimos no balcão onde recebe visitantes e colegas do jornal  — Nilton Espinosa Lisboa, 72 anos, tem toda razão:

— Ficou mais claro, amplo, e pararam de quebrar as portas de vidro — comemora.

Festejando o fim do quebra-quebra, Seu Espina, como é carinhosamente chamado por todos,  conta que os fotógrafos, com suas mochilas enormes, e os meninos que passavam com os carrinhos levando jornais, eram os campeões da destruição da antiga porta (na foto abaixo).

Com mais espaço e uma visão geral do ambiente o tempo todo, Seu Espina acredita que a circulação integrada vai facilitar a convivência e a recepção dos visitantes.

E do balcão, agora no centro do ambiente, ele continuará a colecionar boas lembranças e momentos  emocionantes do Bar da Redação. Confira abaixo alguns deles.



O início do namoro dos colegas Fabíola Bach e Sérgio Villar, em 2004. O casal hoje mora na zona sul da Capital com os filhos Fernando e Miguel.





Jornalista Paulo Sant'Ana com meninos do Pão dos Pobres, em 2008



Silvio Benfica, entrevistando os candidatos à presidência do Inter, Giovanni Luigi e Pedro Affatato, em 2010



A estreia das mesinhas, na reforma de 2009


A visita do criminalista Lia Pires, em 2010. Na foto, Pires cumprimenta o jornalista Mauro Toralles, observado pelos editores Diego Araújo, Marcelo Ermel e o repórter José Luís Costa.


Todos de olho no novo site

21 de outubro de 2010 0

Se a rotina do clicRBS já é acelerada, imagine às vésperas da estreia do novo novo portal. Nos primeiros dias desta semana, a Redação da ZH testemunhou o trabalho corrido da equipe online para colocar no ar, nesta quinta, a nova versão do site.

— Tudo para facilitar a vida do internauta! — justifica Fabiane Echel, editora do clicRBS.

Mas, para facilitar a vida do internauta com um clicRBS mais clean, com layout e distribuição de conteúdo mais versátil, a correria foi grande. E como tem sido desde que a redação do clic migrou para a redação da ZH, em junho, os profissionais do impresso acabaram vivendo junto a preparação do que estava por vir.

Do Meião da Redação, Fafá (como é chamada a editora) capitaneou todo o processo ao lado do editor-chefe online, Pedro Lopes, e do editor assistente Leonardo Correa.

Confira clicando aqui um dos comerciais anunciando a mudança. As peças da campanha que apresentam o novo portal são bem-humoradas, com “dedinhos” informando que o clicRBS ficou mais rápido, organizado, fácil e de cara nova. O slogan é “tudo com muito menos cliques”. A veiculação ocorrerá em todos os veículos do Grupo RBS.