Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de abril 2011

4 de maio, o nosso Dia do Leitor

30 de abril de 2011 1

Por RICARDO STEFANELLI – Diretor de Redação

Na quinta-feira à tarde, o major Ilson Krüger, do Estado-Maior da Brigada Militar, ligou para a Redação para dizer que, ao iniciar um trabalho de análise dos acidentes de trânsito, em busca de luzes para a prevenção, acabou deparando com o Mapa das Mortes, publicado por zerohora.com. Não apenas elogiou o trabalho realizado desde janeiro de 2010 pelas equipes de zerohora.com e Rádio Gaúcha, mas também informou que o mapa será usado no trabalho que a corporação começa a realizar. No módulo de inteligência já existem 32 indicadores dos principais crimes. Agora será incluído o 33º indicador, dos homicídios de trânsito. A inspiração foi o Mapa das Mortes.

Minutos depois, o empresário Ernani Davi Rodrigo Dassi, dono de uma empresa de ônibus escolar em Erechim, telefonou para dizer que a Justiça tomara uma decisão favorável a ele no episódio da queda de um veículo, há sete anos, quando morreram 16 crianças e uma professora. Ele disse que gostaria de ver o assunto retratado no jornal – o que ocorreu na página 45 do dia seguinte, pois era de fato notícia o que ele sugeria.

A leitora Alana Lenzbender, de 10 anos, leu num jornal de sua cidade, São Luiz Gonzaga, que um conterrâneo, hoje morando na Inglaterra, conheceu o príncipe William e a família real na fazenda onde ele adestra animais, na Europa. Inclusive, o gaúcho tem foto com o príncipe, que nas últimas semanas dominou o noticiário em função de seu casamento glamouroso. Alana telefonou para o editor da Central do Interior, Thiago Copetti:

– Li uma notícia no jornal da minha cidade que Zero Hora vai gostar de saber.

O prosaico registro sugerido pela menina saiu publicado, com foto do gaúcho e o príncipe, à página 39 de sexta-feira em meio à cobertura do casamento real.

E, por falar em casamento real: o leitor Ricardo Reischak enviou um e-mail indignado sobre o espaço dedicado ao assunto: “É inconcebível e incompreensível que um jornal do porte de Zero Hora esteja dando ampla divulgação para um dos maiores shows de futilidades e banalidades da história, tendo em vista o tal de casamento real que realizar-se-á em Londres. O que tal evento irá acrescentar para nós, brasileiros?”.
O major, o empresário em apuros com a Justiça, a menina interessada em colaborar ou o homem indignado compõem o melhor do jornal: seus leitores. É impressionante o diálogo permanente entre a Redação – por meio de repórteres, colunistas, editores, articulistas – e o público.

Zero Hora vai completar 47 anos na próxima quarta e, mesmo sendo o que no Jornalismo chamamos de “data quebrada”, vamos celebrar não a data do nascimento da marca, mas a comprovação de que o jornal tem cumprido sua missão de permitir a comunicação entre as pessoas.

Com um índice de leitura que alcança 2 milhões de leitores e uma carteira – crescente – de 227 mil assinantes, a Redação produz todos os dias uma conversa com os leitores. Esse é objetivo do jornal impresso que começa a ser produzido de manhã cedo, essa é a tentativa de nosso online, que tenta não apenas colocar notícias no ar, mas especialmente dialogar com os internautas.

Parece falsa modéstia, mas hoje em dia é impossível um meio de comunicação sobreviver sem conversar a todo instante com seu público, sem ser alimentado por ele, sem ser melhorado por ele. Nos finais das tardes de sábado, quando ZH Dominical passa a ser consumida por milhares de gaúchos, começo a receber já em meu celular as mensagens em função desta Carta do Editor. Em geral, são leitores que aproveitam o e-mail para questionar, criticar, cobrar.

São exigentes, alguns indignados e contrariados com o que chamam de “seu jornal”. Cobram, por exemplo, a observância do nosso slogan de “a vida por todos os lados”. Muitas vezes, até, nos acusam de preconceituosos, baseados no enfoque de determinada reportagem. Invariavelmente exigem que deixemos de ser petistas ou tucanos, gremistas e colorados.

Todos têm razão.

ZH é tudo isso, o que pode parecer contraditório. É isso que falaremos aos estudantes de Comunicação de todo o Estado, quando repórteres, editores e colunistas chegarem, nesta semana, para conversar em todas as 20 faculdades de Jornalismo de 15 municípios do Estado, como fazemos já há três anos, para marcar o 4 de maio, o nosso Dia do Leitor.

O que será?

29 de abril de 2011 0

Verissimo circula pela Redação de ZH

O colunista de Zero Hora Luis Fernando Verissimo não costuma andar pela Redação de ZH. Seus textos, envia de onde quer que esteja. Esta semana, o escritor circulou, circulou e deixou muita gente curiosa. O que ele está planejando?

Bom, a semana é de aniversário de ZH e de surpresas para o leitor.

Além da foto de Ricardo Chaves (acima), o escritor foi flagrado em situação suspeita em uma sala de reuniões…

Mostra itinerante no Litoral

29 de abril de 2011 0

Vidas Ausentes chega a Torres

A reportagem de Zero Hora Vidas Ausentes, transformada em mostra fotográfica em fevereiro deste ano, chega segunda-feira ao Espaço Cultural da Ulbra, no campus Torres, no Litoral Norte.Nesta quinta-feira, a mostra deixou o campus de Gravataí, onde os autores participaram do encerramento.


A abertura oficial da Exposição em Torres será às 20h20min, com a presença da direção do campus Torres, coordenadores de curso, professores, acadêmicos e autoridades municipais.

Alunos de 7ª e 8ª séries do município também serão recebidos na quinta-feira pela Universidade para visitar a mostra e participar de palestra sobre mudanças de comportamento, a ser ministrada pelo policial rodoviário federal, Renato Ribeiro.

Vidas Ausentes, com fotos de Ricardo Chaves e textos da repórter Kamila Almeida, retrata sete quartos vazios deixados por jovens vítimas de acidentes nas estradas e ruas do Rio Grande do Sul. A mostra tem o apoio do Grupo RBS e da Fundação Thiago Gonzaga. Em Torres, a exposição tem suporte também da Secretaria Municipal de Educação e Polícia Rodoviária Federal.

Na quinta-feira, Kamila Almeida e Kadão conversaram com o público.




Caderno Vida

29 de abril de 2011 0

Afaste medos, mitos e tabus da menopausa

O caderno Vida deste sábado volta a um assunto sempre atual para as mulheres que se aproximam dos 50 anos. A reportagem vai mostrar como a genética e o estilo de vida podem influenciar no bem-estar no período da menopausa.

Saiba como a alimentação e os exercícios físicos ajudam no equilíbrio da saúde e do bom-humor. Saiba o que pode antecipar a menopausa e qual a atividade física recomendada para quem quer começar a se mexer, antes e depois dos 50.

Bastidores da notícia

29 de abril de 2011 0

Faro infantil para o jornalismo

Por Thiago Copetti

A jovem Alana Lenz Bender, de São Luiz Gonzaga, foi uma das mais gratas surpresas promovidas por leitores que já tive neste um ano. Com seus 10 anos, que se converterão em 11 neste domingo, Alana impressionou com seu “faro jornalístico”.

Depois de ler no jornal de sua cidade que um ex-morador conheceu o príncipe William, da Inglaterra, ela teve a certeza de a notícia interessaria também para a Zero Hora. E alguém deveria nos alertar para isso. Correu até a mãe, Ivete, que estava de saída para o trabalho, e perguntou como fazer essa informação chegar até nós.

— Liga pra eles — disse Ivete, assinante de ZH há mais de cinco anos.

Fui privilegiado e atendi a ligação de Alana. A voz infantil e o estranho fato de um ex-morador de São Luiz Gonzaga ter alguma proximidade com a realeza britânica me soou como uma brincadeira, que poderia ser verdade.
— Mas tu tem certeza? Estas vendo foto dele com o príncipe? — perguntei à Alana.
Sim, tinha foto e a Alana estava certa duplamente: Jauri Pinheiro conheceu William e aquela curiosidade deveria estar em ZH, como foi para a página 39 desta quinta-feira.

—  Li a notícia e na mesma hora pensei que a Zero Hora ia gostar de saber daquilo, apenas isso — simplifica Alana, leitora de tirinhas do Segundo Caderno e do caderno Donna, principalmente, e do restante do jornal quando tem tempo, porque ela cursa a 5a séria, faz ginástica olímpica, inglês e catequese.

Outro grande retorno que tive foi hoje, ao falar com a mãe de Alana:
— Quando vocês ligaram dizendo que iriam fazer a reportagem sugerida por ela, quase que a Alana não conseguia me contar, de tanta alegria.

Nós é que te agradecemos e ficamos alegres de ter leitores tão jovens e atentos com a Alana!

Talk show em Pelotas

29 de abril de 2011 0

Schlee abre Encontros com o Professor no sul

Com muito bom humor, o papo entre o colunista de Zero Hora, Ruy Carlos Ostermann, e Aldyr Schlee movimentou o primeiro Encontros com o Professor realizado em Pelotas. No talk show, o jornalista entrevistou o escritor que falou principalmente sobre sua mais recente obra, o romance Don Frutos.


Ostermann revelou antes do encontro que o evento começa pela escolha do entrevistado.

– Gosto de ter uma intimidade, mas ao mesmo tempo poder me surpreender com o que ele vai dizer, e a lei é que o entrevistado tem de falar mais que o entrevistador, estou aqui só para pontuar a conversa – relata.

O auditório do Instituto Simões Lopes Neto ficou lotado. A obra do gaúcho conta os últimos meses de vida de Don Fructuoso Rivera em solo brasileiro, quando ficou exilado antes de retornar ao Uruguai.

Entre os assuntos do bate-papo, a camiseta canarinho da Seleção Brasileira de Futebol, da qual Schlee é o criador, João Simões Lopes Neto e literatura gaúcha.

Por Sancler Ebert

Novos leitores de ZH

29 de abril de 2011 0

PSFL vira plataforma eleitoral

A Turma do Clubinho, o conselho mirim de Zero Hora, surpreende a cada encontro. Esta semana, Martina Acosta, nove anos, mostrou na reunião mensal como a atividade em ZH a diferencia em sua escola. Diante da vontade de se tornar líder de turma, Martina produziu um álbum para os colegas do Colégio Rosário.


Para a plataforma eleitoral, ela juntou textos que considerou interessantes para os alunos do quarto ano. Na seleção estão os Para o Seu Filho Ler Morre filhote de puma no zoo, O que é um ditador (sobre Muamar kadafi), Tenha tranquilidade (sobre a tragédia em Realengo), Como diminuir os carros no caminho da escola, Um país em guerra (sobre a Costa doMarfim, Papai Noel e Coelho de Páscoa juntos, O Rei Roberto e Inteligentes também não escapam (sobre o bullying sofrido por Kate Middleton.

Quer saber o resultado?



— Tive 14 votos e ganhei a eleição — contou.












Livros no viaduto

29 de abril de 2011 0
Fotomontagem emociona leitora


A fotomontagem estampada na capa do Segundo Caderno de Zero Hora desta quinta-feira sobre o FestiPoa Literária repercutiu dentro e fora da Redação. Esta manhã, o editor Ticiano Osório emocionou-se com o e-mail da leitora Emily Walsh e compartilhou o texto com o Blog do Editor. A imagem, que encheu o Viaduto da Borges, no centro da Capital, de livros, foi concebida por Ticiano e pelo repórter Carlos André Moreira e realizada pelo ilustrador Gilmar Fraga. A capa também foi muito elogiada na Redação, em especial, o professor e revisor de ZH, Dioclécio Lopes.


O texto da leitora sobre a capa:

Meu nome é Emily Walsh, sou geógrafa, filósofa e professora de Inglês, mas acima de qualquer qualificação ou adjetivação sou uma ativista e amante dos livros e do seu poder civilizatório e transformador. Não sou de Porto Alegre mas moro aqui há muitos anos. Gostaria de compartilhar e agradecer pelo enorme prazer que a foto-montagem da capa do Segundo Caderno do dia 28/04 me proporcionou, ao retratar o viaduto da Borges de forma tão bela e poética. Uma pérola que pretendo emoldurar e manter perto de mim por muitos anos.

Como estudo o espaço urbano me encanta a ideia da cidade ideal, até por que a inspiração vem de longe, do Saltimbancos do Chico Buarque na infância. Quem imaginou essa montagem retratou um sonho meu, a minha cidade ideal, e isso tem um valor que não sei como retribuir. Gostaria então de solicitar que os autores fossem louvados e que se sintam abraçados com carinho e gratidão, comme il faut.

Muito obrigada,

Emily Walsh

Editorial RBS

28 de abril de 2011 8

Opine: Você concorda que a inspeção

veicular tem finalidade arrecadatória?

Zerohora.com adianta o editorial que os jornais da RBS publicarão no próximo domingo para que os leitores possam manifestar concordância ou discordância em relação aos argumentos apresentados. Comentários enviados até as 18h de sexta-feira serão selecionados para publicação na edição impressa. Clique aqui  e participe!


MAIS UM TRIBUTO

Autorizada pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) em outubro de 2009 com o propósito de melhorar a qualidade do ar nas grandes cidades, a inspeção veicular está prestes a ser implantada no Rio Grande do Sul. O projeto preparado pelo governo do Estado com esta finalidade prevê o exame anual de cerca de 950 mil veículos de Porto Alegre e da Região Metropolitana, mediante a cobrança de uma taxa semelhante à vigente em São Paulo, no valor de R$ 61,98 _ o que possibilitaria uma arrecadação de cerca de R$ 58,8 milhões. Diante de tais números e do questionável benefício que tal medida trará à população, parece evidente que o verdadeiro objetivo do novo tributo é confiscar mais recursos dos contribuintes para custear as despesas cada vez maiores de uma administração onerosa e pouco eficiente.

Se o propósito fosse mesmo reduzir o nível de poluição ambiental _ uma causa simpática _, não faria sentido a exclusão de veículos fabricados antes de 1997, que são mais poluentes do que os fabricados nos últimos 15 anos. Aliás, é incompreensível para o cidadão que as exigências e o ônus da instalação de mecanismos antipoluentes não recaiam sobre a indústria automobilística. Também fica difícil de entender que os órgãos públicos ambientais e os departamentos de trânsito não exerçam o seu poder fiscalizador, retirando de circulação os veículos que efetivamente prejudicam o ambiente _ e que são facilmente identificáveis por qualquer cidadão.

Os proprietários de veículos já pagam IPVA, que é uma fonte inespecífica de recursos destinada ao financiamento das ações dos Estados. O aumento vertiginoso da frota de automóveis no país, resultante da ascensão de uma nova classe consumidora, já deveria representar significativa elevação da arrecadação desse tributo. Mas os administradores públicos parecem estar vendo neste fenômeno apenas uma oportunidade para arrecadar mais _ sem acenar com alternativas para a melhora da infraestrutura urbana e para a redução dos engarrafamentos.

A experiência paulista é desanimadora, tanto pela dificuldade de agendamento com a empresa encarregada da inspeção quanto pelos resultados apresentados. Por isso, é essencial que a Assembleia Legislativa do Estado busque informações detalhadas sobre iniciativas semelhantes antes de examinar o projeto que está sendo finalizado pelo Piratini. Mais do que isso: é importante que os parlamentares consultem os cidadãos para saber se estão dispostos a arcar com um novo tributo sem a garantia de que os recursos arrecadados serão utilizados no financiamento de obras e serviços efetivamente necessários para o Estado.

Tudo é nebuloso nesta proposta _ a não ser a evidente ganância do Executivo por aumentar a receita pública. Quem garante que a tal inspeção, com todos os transtornos que fatalmente trará para os proprietários de automóveis, servirá mesmo para aliviar a poluição atmosférica e sonora?

Vencedor do Oscar de filme estrangeiro está no Cineclube ZH

28 de abril de 2011 0

Mais de 100 leitores de Zero Hora ganharam pares de ingresso para assistir sábado Em um Mundo Melhor — que estreia amanhã na Capital (leia crítica no Segundo Caderno desta sexta-feira) e participar do debate promovido por ZH no Arteplex 2. Esta é a segunda edição deste ano do Cineclube ZH , que apresenta o longa dinamarquês, consagrado com o Globo de Ouro e o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2011.

Além dos leitores que enviaram e-mail ao Segundo Caderno na segunda-feira, ZH convidou a psiquiatra e psicanalista Eneida Iankilevich para, depois da sessão, conversar sobre a violência e a intolerância no mundo atual, temas centrais do filme, com a mediação do jornalista Roger Lerina.

O projeto proporciona mensalmente uma sessão gratuita de filme que está chegando ao circuito comercial seguida de debate e abordem temas relevantes para discussão com convidados e críticos de Zero Hora.

Para participar, basta acompanhar o Segundo Caderno para saber as datas de realização do projeto e os momentos em que as inscrições _ que são realizadas pelo e-mail cineclubezh@zerohora.com.br _ são liberadas.

O Cineclube ZH é um evento promovido por Zero Hora e rede de cinemas Arteplex, com apoio cultural da Get Áudio.