Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2012

Carta do Editor: de olho nas tendências

31 de março de 2012 0

* Por Cláudia Laitano

A Redação de Zero Hora tem muitos grupos de trabalho. Alguns se reúnem periodicamente para aperfeiçoar processos internos, outros para analisar diferentes aspectos do produto que entregamos todos os dias para os leitores. Não quero me exibir, mas acho que faço parte do grupo mais divertido de todos.

Formado no começo do ano passado, o Grupo de Tendências é movido basicamente a criatividade, pesquisa e ouvidos atentos. Não é de se estranhar, portanto, que as reuniões da equipe sejam ligeiramente bagunçadas e um pouco barulhentas – quase como uma mesa de bar em tempos de lei seca, ou seja, sem álcool. Falamos sobre o que vemos na rua e o que nos chama a atenção, mas também sobre reportagens de publicações nacionais e estrangeiras. Eventualmente, trazemos convidados de fora do jornal também – profissionais de outras áreas que nos ajudam a descobrir novos assuntos ou novas abordagens de assuntos já conhecidos.

Composto por jornalistas de diferentes áreas e com diferentes perfis profissionais, o Grupo de Tendências tem a missão de detectar novos padrões de comportamento e consumo para apresentá-los ao leitor de Zero Hora, em suas diferentes plataformas, antes que a moda invada as vitrinas ou as ruas, em reportagens que introduzam o assunto de forma atraente e surpreendente. Pegando emprestado do marketing e da publicidade a ideia do “cool hunter”, o caçador de tendências, o grupo funciona como uma espécie de antena da redação. Graças a esse time, o leitor de Zero Hora foi apresentado antes a termos que nos meses seguintes se tornariam frequentes em jornais e revistas de todo o país, neologismos como “coworking”, “crowdfunding” ou “geolocalização”. Neste domingo, você pode conferir mais uma reportagem proposta pelo Grupo de Tendências: as mudanças de comportamento trazidas pelo novo perfil da boemia de Porto Alegre (páginas 30 a 32).

O Grupo de Tendências é formado pelos jornalistas Barbara Nickel (editora de Mídias Sociais), Caue Fonseca (repórter de Geral), Cláudio Rabin (repórter de Mundo), Daniela Santarosa (editora do Vida), Eric Farina (repórter de Economia), Isadora Neumann (repórter de Esporte), Marcelo Sarkis (auxiliar de Divulgação), Mariana Müller (repórter de Geral), Melina Araújo (designer gráfica), Paulo Germano (repórter de Política) e Marcela Duarte (editora de produção da Zero Hora Online). E por mim, a veterana que tem o privilégio de conviver com essa garotada cheia de ideias que tem ajudado Zero Hora a se tornar ainda mais interessante e relevante para os leitores.

Cuidador: uma carreira em alta

30 de março de 2012 1

O caderno Vida deste sábado destaca o trabalho valorizado dos cuidadores. Profissão ainda não regulamentada, oferece ganhos de até R$ 100 por dia aos que se dedicam a idosos e a pessoas portadoras de deficiências.

A reportagem mostra que com o envelhecimento da população vale a pena apostar na qualificação. Conheça cuidadores especiais, as características de um bom profissional e saiba onde se preparar para o trabalho.





Morte de Millôr Fernandes é destaque entre os leitores de Zero Hora

30 de março de 2012 0

A morte do desenhista, jornalista, dramaturgo e escritor Millôr Fernandes, na noite da última terça-feira, causou comoção entre os leitores de Zero Hora. Responsável por grandes marcos no jornalismo brasileiro, Millôr foi um dos assuntos mais comentados desta semana na página de Zero Hora no Facebook. Para ler a matéria publicada nesta quinta em ZH, clique aqui e aqui.

Nossa, que perda para nossa literatura, crônica, humor…..
Leticia Beckenkamp

Grande homem. Referência de sabedoria para todos. O Brasil perde muito. Millôr, sempre vou te amar.
Eva Borges Pereira

Pena! Mais um gênio que se foi.
Vera Cypriano

Estamos ficando cada vez mais sós e sem nossas melhores referências educacionais. Millôr vai, e só posso pensar que na bibliografia da vida, ainda bem, temos mais alguns entre nós. Deus sabe o talento que deu a ele, e ele soube transmitir.
Rosemeri Ciupak

ELE fez o início e o fim, o “intervalo” é a gente quem faz.
Angela Raquel Cembranel

A morte do desenhista, jornalista, dramaturgo e escritor Millôr Fernandes, na noite da ultima terça-feira, causou comoção entre os leitores de Zero Hora. Responsável por grandes marcos no jornalismo brasileiro, Millôr foi um dos assuntos mais comentados desta semana na página de Zero Hora no Facebook. Para ler a matéria publicada nesta quinta em ZH, clique aqui e aqui.










Nossa, que perda para nossa literatura, crônica, humor…..
Leticia Beckenkamp

Grande homem. Referência de sabedoria para todos. O Brasil perde muito. Millôr, sempre vou te amar.
Eva Borges Pereira

Pena! Mais um gênio que se foi.
Vera Cypriano

Estamos ficando cada vez mais sós e sem nossas melhores referências educacionais. Millôr vai, e só posso pensar que na bibliografia da vida, ainda bem, temos mais alguns entre nós. Deus sabe o talento que deu a ele, e ele soube transmitir.
Rosemeri Ciupak

ELE fez o início e o fim, o “intervalo” é a gente quem faz.
Angela Raquel Cembranel A morte do desenhista, jornalista, dramaturgo e escritor Millôr Fernandes, na noite da ultima terça-feira, causou comoção entre os leitores de Zero Hora. Responsável por grandes marcos no jornalismo brasileiro, Millôr foi um dos assuntos mais comentados desta semana na página de Zero Hora no Facebook. Para ler a matéria publicada nesta quinta em ZH, clique aqui e aqui.

Nossa, que perda para nossa literatura, crônica, humor…..
Leticia Beckenkamp

Grande homem. Referência de sabedoria para todos. O Brasil perde muito. Millôr, sempre vou te amar.
Eva Borges Pereira

Pena! Mais um gênio que se foi.
Vera Cypriano

Estamos ficando cada vez mais sós e sem nossas melhores referências educacionais. Millôr vai, e só posso pensar que na bibliografia da vida, ainda bem, temos mais alguns entre nós. Deus sabe o talento que deu a ele, e ele soube transmitir.
Rosemeri Ciupak

ELE fez o início e o fim, o “intervalo” é a gente quem faz.
Angela Raquel Cembranel

Leia na Zero Hora desta sexta-feira

29 de março de 2012 0

Confira os destaques da edição desta quinta-feira, 30 de março de 2012:


Cobertura no site e em caderno especial direto do Iguatemi

29 de março de 2012 0

Este ano, até os cadernos diários que são impressos com a cobertura do Donna Fashion Iguatemi estão sendo feitos no evento. Tudo para que a equipe, também ligada no site, não perca nada.

Na Redação móvel, Mariana Kalil (de pé, ao centro) coordena o evento e as jornalistas que produzem o conteúdo. O fotógrafo Ricardo Duarte flagrou ontem a empolgação da equipe no fechamento do primeiro caderno especial.

Confira como ficou a capa primeira das quatro edições especiais que serão publicadas até segunda-feira.


Editorial diz que a leitura é essencial para formar cidadãos críticos e produtivos. Você concorda?

29 de março de 2012 21

Zerohora.com adianta o editorial que os jornais da RBS publicarão no próximo domingo para que os leitores possam manifestar concordância ou discordância em relação aos argumentos apresentados. Participações enviadas até as 18h de sexta-feira serão selecionados para publicação na edição impressa. Ao deixar seu comentário aqui no Blog do Editor, informe nome e cidade.

Participe!

UM PAÍS DE NÃO LEITORES

Quando classificou o Brasil de país de não leitores, o articulista do Le Monde Diplomatique Lucas Murtinho sequer conhecia o resultado da terceira edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pela Fundação Pró-Livro e pelo Ibope Inteligência e divulgada na última quarta-feira. O novo estudo, feito com 5 mil pessoas em 315 municípios do país, confirma os piores vaticínios: de 2007 para cá, o índice de leitura caiu de 4,7 livros por pessoa para quatro títulos. O número de leitores caiu de 95,6 milhões há cinco anos para 88,2 milhões no ano passado _ uma queda de 9,1% no universo de leitores ao mesmo tempo em que a população cresceu 2,9% no mesmo período.

Se o analfabetismo diminuiu, o acesso à escola se tornou universal e o governo investe cada vez mais na compra a na distribuição de livros para escolas e bibliotecas, por que estamos lendo tão pouco? Talvez não exista uma resposta simples para esta questão, mas a comparação com outros países, inclusive sul-americanos, evidencia o desapreço cultural dos brasileiros pela leitura, especialmente nos formatos tradicionais. Ainda que as novas tecnologias venham despertando o interesse dos jovens pelas letras e pela comunicação escrita, não está comprovado se nessa leitura superficial e interativa o leitor assimila conteúdos suficientes para utilizar na transformação de sua vida.

E não há dúvida de que a leitura transforma. O ato de ler é um processo de entendimento do mundo por meio da palavra, que é o instrumento de interação entre os homens. Portanto, a leitura no papel também é interativa. A leitura do mundo, como disse o educador Paulo Freire, precede a leitura das palavras, mas é a conjugação de letras que dá significado às coisas que nos cercam. Por isso, é decisiva a leitura crítica, que percebe a relação entre texto e contexto. Um leitor crítico é mais do que um decifrador de signos _ é alguém capaz de captar sentidos e utilizá-los em seu próprio benefício e da sociedade.

O interesse pela leitura deveria começar em casa, mas parcela expressiva de brasileiros só tem acesso a livros na escola. E as escolas do país, principalmente nas redes públicas, ainda deixam muito a desejar no que se refere ao estímulo à leitura. Muitas, ao transformar em obrigação o que deveria ser prazer, afastam ainda mais os jovens dos livros. Não é de admirar que as bibliotecas públicas do país tenham pouca frequência, pois também elas _ ao contrário do que acontece nos Estados Unidos e na Europa _ raramente desenvolvem programações culturais para atrair o público.

Não nos faltam livros, nem oportunidade para lê-los. Falta-nos o interesse pela leitura. Falta-nos a visão de que ler é importante, falta-nos a convicção de que ler realmente transforma as pessoas em seres humanos melhores e mais capacitados para entender o mundo.


Delícias para servir na Semana Santa

29 de março de 2012 0

Restaurantes de todo o Estado elaboram cardápios especiais para a Semana Santa, com os frutos do mar em destaque. O caderno Gastronomia desta sexta-feira descobriu, para quem prefere cozinhar e curtir a Páscoa em família, receitas exclusivas  como  o salmão com endívias assadas e molho de salsa com gengibre e carpaccio de aspargos frescos (foto), que a Estalagem e Restaurante La Hacienda, em Gramado.

Conheça também o cardápio de almoço econômico que o chef Jorge Nascimento preparou para a Páscoa, na cozinha experimental do Hipermercado Big. Aprenda a fazer entrada, prato principal e  sobremesa a R$ 10,30 por pessoa.

Leia na Zero desta quinta-feira

28 de março de 2012 0

Confira os destaques da edição desta quinta-feira, 29 de março de 2012:

Meninos Condenados vence Prêmio de Imprensa CNBB

28 de março de 2012 0

A série de reportagens Meninos Condenados, publicada em janeiro por Zero Hora, venceu o Prêmio Dom Helder Câmara de Imprensa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, a CNBB destacou o trabalho de Adriana Irion e José Luis Costa que mostrou, 10 anos depois, o que aconteceu a uma turma de jovens internos na ex-Febem, em Porto Alegre. O prêmio nacional é conferido a trabalhos nas áreas de Cinema, TV e Imprensa.

Confira outros vencedores:

Dom Helder Câmara de Imprensa
a) Karla Maria, com a reportagem Extermínio silencioso, publicado na Revista Família Cristã;
b) Jornalistas Adriana Irion e José Luis Costa, com a reportagem Meninos Condenados, do Jornal Zero Hora
c) Prêmio de Menção Honrosa para o Jornalista Odilon Rios, com a reportagem, Pacientes convivem com formigas, goteiras e cadáveres em Alagoas.

Margarida de Prata – Cinema
a) As canções, documentário de longa-metragem, de Eduardo Coutinho
b) Diário de uma busca, documentário de longa-metragem, de Flávia Castro
c) A música segundo Tom Jobim, documentário de longa-metragem, de Nelson Pereira dos Santos  
d) Á sombra de um Delírio Verde, documentário de média-metragem, de Cristiano Navarro Peres.

Clara de Assis – Televisão
a) O Documentário Marujada – A festa de São Benedito, de Ivaldo Souza e Marcos Valério, da Rede Nazaré de Televisão
b) A reportagem Dependência Química – álcool e crack, de Thiago Rodrigues Tiburcio, da TV Senado
c) A reportagem Lixo: danos e soluções, de Ioná Marina Moreira Pina Rangel, da Rede Aparecida de Comunicação
d) O documentário Filhos do abandono, do Projeto Comunicar, da TV PUC-RIO.

Prepare-se para o Donna Fashion

28 de março de 2012 0

O Donna Fashion Iguatemi, evento de Moda que se inicia nesta quarta-feira (28), na Capital, terá cobertura especial de Zero Hora.

Quatro cadernos, encartados nas edições de quinta, sexta, sábado e segunda-feira vão destacar desfiles, entrevistas com convidados e fotos dos estilosos que passaram pelo lounge remodelado da 15ª edição, que termina no domingo.

Para mostrar o clima do evento e as coleções outono-inverno 2012, ZH mobilizou uma equipe especial. A cobertura será coordenada pela editora do caderno Donna e curadora do DFI Mariana Kalil.

O Donna Fashion Iguatemi ocorre no 5º andar do shopping Iguatemi, com uma reflexão entre os estilos de vida, mudanças e movimento – muito além de regras e modismos. O DFI é uma realização de Zero Hora e Shopping Iguatemi com patrocínio de Avon.