Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de julho 2013

Confira os destaques da edição desta quinta

31 de julho de 2013 0

Como os leilões influenciam no preço do arroz. E mais:

Zero Hora vence Grande Prêmio CNI de Jornalismo

31 de julho de 2013 0

A reportagem “A agonia das estradas” dos jornalistas Caio Cigana, Humberto Trezzi e Guilherme Mazui, venceu a segunda edição do Prêmio CNI de Jornalismo, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Além do Grande Prêmio José Alencar, o conteúdo foi o vencedor do Prêmio Destaque Regional Sul. Os vencedores foram anunciados na noite desta terça-feira (30), no Unique Palace, em Brasília (DF).

Em um caderno especial com 12 páginas, o trabalho publicado no dia 10 de março de 2013 mostra que o Rio Grande do Sul é a quarta maior economia do país e tem o pior percentual entre asfaltamento e malha rodoviária. Das estradas gaúchas, revela a reportagem, apenas 7,2% são pavimentadas. A equipe de ZH percorreu boa parte das rodovias estaduais e descreveu como a burocracia e a disputa eleitoral deterioram a infraestrutura viária do Rio Grande do Sul.

Caio Cigana recebe o Grande Prêmio José Alencar. Ao seu lado, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade

Entre as 35 reportagens finalistas, outros dois trabalhos do Grupo RBS se destacaram: Mercosul 22 anos, da RBSTV, e SC potência econômica, do Diário Catarinense.

O Prêmio CNI de Jornalismo, que tem como um dos objetivos dar maior visibilidade aos problemas que travam o desenvolvimento brasileiro, é concedido em 13 categorias: Impresso Jornal, Impresso Revista, Telejornalismo, Radiojornalismo, Internet, Destaque Regional Norte, Destaque Regional Nordeste, Destaque Regional Sudeste, Destaque Regional Centro-Oeste, Destaque Sul, Especial Educação, Especial Inovação e o Grande Prêmio José Alencar.

Veja quem foram os vencedores


Confira os destaques da edição desta quarta

30 de julho de 2013 1

no ZH Digital, o jogo que está deixando seus usuários viciados em guloseimas. E mais:

Zero Hora é excelência gráfica do Rio Grande do Sul 2013

30 de julho de 2013 0

Zero Hora venceu pelo terceiro ano consecutivo a categoria Jornal de Circulação Diária o Prêmio Gaúcho de Excelência Gráfica. Em 2013, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica no RS (Abigraf-RS) premiou a edição completa de Zero Hora. Outros dois jornais do Grupo RBS foram finalistas: Pioneiro e Diário Gaúcho.

A distinções anteriores foram conquistadas pela edição light de Zero Hora, jornal que circula sem o encarte de cadernos temáticos. O gerente executivo industrial rede de jornais do Grupo RBS, Eduardo Antunes, recebeu a distinção na sexta-feira, 26, com o gerente executivo de impressão, Cláudio Noronha, e o coordenador de impressão Deivid Ferraboli.

— O prêmio é um reconhecimento ao compromisso que a equipe Industrial do Grupo RBS tem com a qualidade dos produtos impressos, sejam produtos próprios ou dos clientes da Mídia Gráfica, e a competência técnica das nossas pessoas — afirma,  Antunes.

O concurso tem por objetivo divulgar a qualidade e a excelência dos impressos produzidos no Rio Grande do Sul. Em 2013, foram inscritos 514 trabalhos, produzidos por 49 gráficas gaúchas. A relação completa dos vencedores das 44 categorias e mais informações podem ser conferidas no site da Abrigaf.

Parque Gráfico Jayme Sirotsky

O Parque Gráfico Jayme Sirotsky foi inaugurado no dia 26 de junho de 2009. Além de valorizar a mídia impressa, colocou o Grupo RBS em uma nova era de excelência gráfica, possibilitando maior qualidade e agilidade na impressão de jornais. O complexo industrial – que recebeu investimentos de R$ 70 milhões – foi construído de acordo com as normas mais modernas de cuidados ambientais.

O Parque Gráfico, cujo nome homenageia o Presidente Emérito da empresa, começou a sair do papel em 2006, com a aquisição do terreno de 13,6 mil metros quadrados, na Zona Norte de Porto Alegre. As obras foram iniciadas em fevereiro de 2007. O complexo industrial reforça o compromisso do Grupo RBS com a sustentabilidade, a tecnologia e a inovação.



Confira os destaques da edição desta terça

29 de julho de 2013 0

Como está o transporte público no interior do Estado. E mais:

Nesta terça, o sexto episódio de Ao Pé da Letra

29 de julho de 2013 0

A série e de vídeos e textos Ao Pé da Letra que apresenta canções emblemáticas do pop e do rock produzidos no Estado traz nesta terça-feira Os Replicantes. A banda lembra o hit dos anos 80 Surfista Calhorda, com a participação de Carlos Gerbase e integrantes do grupo.

No roteiro de Ao Pé da Letra, os compositores falam sobre a letra, a relação com o contexto em que foi produzida, as referências presentes nos versos, além de resgatar episódios ligados à obra em questão. Cada episódio da série, que teve início em maio, tem uma página com o vídeo do autor e a íntegra da letra com trechos de hipertexto: versos nos quais se pode clicar para acessar informações, referências e imagens relacionadas.

No site assista aos outros episódios da série, que já apresentou as letras de Infinita Highway (Engenheiros do Hawaii), Verão em Calcutá (Nei Lisboa), Lunático (Cachorro Grande), Amigo Punk (Graforréia Xilarmônica) e Detetive (Comunidade Nin-Jitsu).



Nesta segunda: filmes e séries que chegam em HQs

28 de julho de 2013 0

Confira no Segundo Caderno desta segunda as adaptações de sucessos do cinema e da TV para quadrinhos que estão chegando em HQs. Ao lado, a inspirada no material original do best-seller de George R.R. Martin.



Laerte volta a publicar tira diária em Zero Hora

27 de julho de 2013 0

As tiras de Laerte passam a ser publicadas diariamente a partir deste sábado em Zero Hora. A boa notícia é destaque do caderno Cultura deste sábado, que traz ainda uma reportagem especial com o cartunista. Laerte fala ao repórter Carlos André Moreira de Brasil, de seu trabalho e da ideologia de quem faz rir no país.


Laerte foi parte de um time que renovou o humor no Brasil nos anos 1980.  Ao longo da carreira, criou tipos presentes no imaginário de mais de uma geração de leitores, como os Gatos, o despirocado super-herói Overman, os moradores do Condomínio, além dos anárquicos Piratas. Desde 2009, quando passou a falar abertamente sobre seu processo pessoal como transgênero, Laerte também se tornou uma voz ativa em defesa de causas como o combate à homofobia e a defesa da livre identidade de gênero.

Complexo, desafiador, emocionante

27 de julho de 2013 2

 

 

 

Um artifício eficiente para se montar a pauta de uma reportagem é imaginar: o que o leitor gostaria de saber sobre isso. A cobertura do incêndio e das consequências do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, na madrugada de 27 de janeiro, é uma dessas pautas em que funciona bem usar este artifício. Afinal, desde que a fumaça tomou conta daquele prédio levando 242 pessoas à morte, não faltam questionamentos sobre a tragédia.

Quais os responsáveis? Que punições devem receber? Houve negligência na fiscalização do local por bombeiros e/ou prefeitura? A ação dos bombeiros no combate ao incêndio evitou ou produziu mais mortes? A confusão entre servidores da prefeitura – uns assinando documentos que recomendavam medidas punitivas à boate, outros chancelando o seu funcionamento – pesou para que o fato acontecesse? Haverá justiça ou pizza? Que lições a sociedade tira? Como a cidade dará a volta por cima? E como as famílias podem reagir diante de tamanha dor?

A lista de perguntas e inquietações tomaria mais do que esta página. E a facilidade em tratar desta pauta termina aqui. Responder aos questionamentos para um fato desta grandeza e desta gravidade, lidar com algo que não tem precedentes, mergulhar no emaranhado de leis confusas e contraditórias, tirar pessoas e instituições de posturas defensivas e muitas vezes corporativistas, respeitar a dor e a privacidade sem deixar de mostrar a dimensão da tragédia, levar em conta o tecnicismo de algumas decisões sem deixar de temperar o noticiário com a revolta e a indignação dos que veem sinais de impunidade no ar. Estes são uns poucos itens de outra lista: a da complexidade da cobertura jornalística do Caso Kiss.

Desde 27 de janeiro, Zero Hora mergulhou nesta cobertura – definida por alguns dos mais experientes colegas desta redação como a mais desafiadora da história do jornal. Em uma das muitas discussões internas que temos feito sobre nosso trabalho, alguém disse: “Esta não é uma pauta que escolhemos, é uma pauta que nos escolheu e que devemos levar até o fim”. E assim estamos fazendo.

Neste final de semana, avançamos mais alguns passos. Mostramos uma pesquisa de opinião que traduziu o sentimentos dos santa-marienses seis meses após a tragédia. Luto, indignação (pelo ambiente de impunidade e pela paralisia das autoridades) e disposição para recuperar a cidade do trauma sintetizam estes sentimento. Esquadrinhamos as investigações sobre as 34 pessoas que, em algum momento, foram apontadas como possíveis responsáveis. Nesta edição, além de contar a história e a lição de vida da sobrevivente Kelen Giovana, trazemos uma análise das condições de segurança de 43 casas noturnas gaúchas, uma reportagem de fôlego que rende alentos e alertas sobre situações de insegurança que perduram.

Impressa em centenas de páginas nos últimos 181 dias, a cobertura traz o ingrediente adicional de emocionar cada um de nós, jornalistas. Emoção em doses muito maiores do que qualquer outra pauta pode produzir. Não há como não se impactar pelo drama em série de quem sepultou os filhos, pela vontade de viver de quem luta contra queimaduras e mutilações, pela força de quem transforma perda em solidariedade. E não há como não querer fazer mais e mais jornalismo para chegar às respostas capazes de permitir que a justiça vença, a cidade reaja, a tragédia não se repita e as famílias encontrem a paz.


“Buscar respostas no Caso Kiss é um dos maiores desafios que ZH já enfrentou”

 

Confira os destaques da edição dominical

26 de julho de 2013 0

Na revista Donna, uma entrevista com Anitta. E mais: