Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2014

Veja os destaques da Zero Hora desta terça-feira

31 de março de 2014 0

10172489_606726596078665_702650810_o

Caderno Vestibular mostra as novidades da lista de leitura obrigatórias da UFRGS. E mais:

Bastidores: uma semana na cobertura da Segurança no Rio

31 de março de 2014 0

O repórter e colunista de Segurança de ZH Humberto Trezzi e o fotojornalista Fernando Gomes completam nesta terça-feira uma semana de trabalho no Rio. A dupla, experiente na área, seguiu viagem quando o governo federal anunciou o uso do Exército para ocupar o Complexo da Maré, conjunto de 16 favelas situado em área estratégica, próximo ao Aeroporto Internacional Tom Jobim e às três vias mais importantes da Cidade Maravilhosa.

reprodução

“Acompanhamos patrulhas da PM e da Polícia Civil nas favelas da Maré, diariamente. Usamos coletes à prova de bala. Pode parecer exagero, mas não é. Dois colegas da Band foram atingidos por tiros de fuzil no Rio, fazendo cobertura desse tipo. Um morreu, a outra se afastou das ruas, traumatizada.

No domingo, publicamos uma reportagem especial sobre a situação atual das UPPs. Para tanto, percorremos as três principais UPPs, inclusive à noite. Constatamos que o tráfico continua, só que sem armas à mostra. E vimos também que há pesados investimentos sociais junto às UPPs. Para acompanhar os policiais, foram úteis noções recebidas em cursos de deslocamento em área de risco, que eu fiz. E o conhecimento que o Fernando Gomes tem do Rio, cidade onde ele residiu nos Anos 80.

Clique para ler as páginas

reproduçãoreproduçãoreprodução

Trezzi complementa:

— Da Maré saíram muitos dos bandidos que realizaram sete ataques este ano às UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), postos comunitários da PM que representam o resgate da função policial original, defender os moradores e entrosar-se com eles. Os bandidos detestam as UPPs porque elas atrapalham o negócio do tráfico.

Veja alguns vídeos da cobertura:

Nova York, uma viagem para toda a família

31 de março de 2014 0

Lara Ely

O caderno Viagem desta terça-feira (1) dá dicas para equilibrar os gostos de adultos e adolescentes para quem visita a Big Apple. Murais, paredes com grafite (foto), museus, parques com áreas verdes e bons restaurantes são algumas das opções para quem visita o Brooklyn. Descubra outras opções.

 

 

Café ZH reúne dezenas de leitores na zona sul da Capital

31 de março de 2014 0

Bruna Porciúncula

Moradores e representantes de associações de bairros de abrangência do caderno ZH Zona Sul marcaram presença no Café ZH realizado no Machry Armazén & Bistrô, do bairro Tristeza. Os jornalistas receberam pautas e discutiram os assuntos de interesse dos leitores das 14h às 19h de sexta-feira.

— Foi uma tarde de conversa e muitas pautas para a próxima edição do caderno. Com a presença cada vez maior dos moradores estamos conseguimos publicar o que é mais interessante para os leitores — diz a editora Rossani Thomas, coordenadora dos cadernos de bairros de ZH.

Editor de ZH ministra curso de Jornalismo de Guerra na PUCRS

31 de março de 2014 0

O jornalista Luiz Antônio Araujo ministra até o dia 3 de maio o curso Jornalismo de Guerra: Coberturas em Zonas de Conflito na PUCRS, em Porto Alegre. O correspondente, que esteve na Ucrânia recentemente, oferece aos alunos noções teóricas e práticas sobre cobertura jornalística em áreas de conflito por meio de aulas dialogadas, estudos de casos, estudo de material jornalístico produzido por repórteres e veículos de comunicação nacionais e estrangeiros em áreas de conflito e depoimentos de profissionais.

Adriana Franciosi

As aulas são aos sábados, das 8h às 11h35min. Informações: (51) 3320-3727.

 

 

O golpe revisitado

29 de março de 2014 8

carta-da-editor-nilson
Viva a democracia! Ela está permitindo, sem amarras, que o Brasil revisite um dos episódios mais marcantes de sua história: o golpe militar de 1964 e seus desdobramentos em 21 anos de ditadura. E a imprensa – nunca é demais lembrar que sem ela não há democracia – cumpre um papel relevante neste processo.

Zero Hora não esperou o 31 de março para tratar dos 50 anos do golpe. Nas últimas semanas, em vários espaços, tem publicado reportagens, análises, resgates históricos e revelações que ajudam a mergulhar no tema. Acesse todo o nosso conteúdo em zhora.co/50anosdogolpe.

A MÃO CIVIL
Grupos de empresários e estudantes, setores da imprensa e da Igreja Católica e figuras como o político Carlos Lacerda estão entre os representantes civis que chancelaram a derrubada do presidente João Goulart e a ascensão dos militares ao poder. O papel dos civis é analisado em caderno especial nesta edição. Na versão digital, o caderno é enriquecido com conteúdos como a música do cantor Teixeirinha em homenagem ao então presidente Médici, evidenciando a simpatia dos tradicionalistas com os militares.

A RESISTÊNCIA
Documentário já disponível em zerohora.com reconstitui duas passagens do que grupos de esquerda batizaram como resistência armada: o assalto a uma agência do  Banco do Brasil em Viamão, em março de 1970, e, dias depois, a tentativa de sequestro do cônsul dos Estados Unidos em Porto Alegre. Duas ações frustradas que acabaram levando guerrilheiros a prisão e torturas.

CULTURA GOLPEADA
Em quatro edições de março, o caderno Cultura mostrou os impactos da ditadura sobre a música, o cinema, o teatro e as artes visuais, ressaltando alguns dos mais nefastos traços do regime militar, que impôs censura, repressão e perseguições para sufocar a oposição.

HERANÇA ECONÔMICA
Publicada em 23 de março, uma reportagem do caderno Dinheiro percorreu os feitos dos governos militares na economia. Mostrou avanços em áreas como infraestrutura e sublinhou o legado negativo, que incluiu dívida externa, favelização, desemprego e inflação.

USTRA FALA
O coronel Brilhante Ustra, primeiro militar apontado pela Justiça como torturador, tentou negar esta condição em entrevista publicada domingo passado. Mas não resistiu às perguntas da repórter Cleidi Pereira e acabou reconhecendo o uso de técnicas como o interrogatório contínuo, além de dar detalhes de métodos repressivos.

O TORTURADOR
Na sexta-feira, ZH revelou que Paulo Malhães, coronel que torturava e matava no Rio de Janeiro, esteve no RS em 1970 com uma missão sinistra: ensinar e requintar métodos de tortura.

RECONTANDO A HISTÓRIA
Em novembro de 2012, quando não se falava de 50 anos do golpe, ZH desfez uma farsa. Com base em documentos guardados por um militar morto em Porto Alegre, provou que o ex-deputado Rubens Paiva dera entrada em uma unidade da repressão no Rio antes de desaparecer, algo que o regime militar negava. A revelação fez avançar a investigação sobre o assassinato do político, um dos episódios mais simbólicos dos anos de chumbo.

Confira os destaques de Zero Hora neste domingo

28 de março de 2014 0

Neste domingo em ZH: a participação civil no golpe militar

28 de março de 2014 0

CAPA_CADERNO_30O papel dos civis no golpe de 1964, que deu início ao período de 21 anos de ditadura no Brasil, é o foco do caderno especial neste domingo.

São oito páginas sobre o que historiadores já chamam de golpe civil-militar. Na ZHTV, o canal de vídeos do jornal, o destaque é para o documentário A Resistência Armada, com depoimentos de dois ex-guerrilheiros que participaram de ataque a banco, em Viamão, que estreia esta noite.

As reportagens mostram manifestações populares de apoio ao golpe, o papel de empresários na oposição a Jango, e os estudantes anti-UNE que apoiaram a derrubada do presidente.  A forma como a imprensa e muitos intelectuais disseram sim ao golpe também é abordada.

O projeto da editoria de Política, coordenado pela jornalista Dione Kuhn, traz ainda site especial com conteúdos do caderno, galeria de fotos e links. Além disso, o webdocumentário A Resistência Armada conta com depoimentos da ex-guerrilheira Ignez Serpa, a Martinha da VAR-Palmares, e do jornalista e ex-vereador Índio Vargas, autor do livro de memórias Guerra é Guerra, Dizia o Torturador e do historiador Enrique Padrós, da UFRGS.

Os especiais fazem parte da cobertura de ZH sobre os 50 anos do golpe que teve início no primeiro sábado de março com a série O impacto da ditadura nas principais expressões artísticas – Música, Cinema, teatro e Literatura, publicada no caderno Cultura. O jornal também promoveu o evento Com a Palavra – com Flávio Tavares e Nei Lisboa –, publicou especial no caderno Dinheiro e destacou, no Segundo Caderno, a produção literária brasileira sobre o tema.

Veja os destaques da Zero Hora desta sexta-feira

27 de março de 2014 0

Nova imagem

Como atuou no Estado um especialista em tortura do regime militar. E mais:

Café ZH está na zona sul nesta sexta-feira

27 de março de 2014 0

Os jornalistas que produzem o caderno ZH Zona Sul têm um encontro marcado com os leitores do suplemento nesta sexta-feira (28), em mais uma edição do Café ZH. O evento ocorre das 14h às 19h no Machry Armazém & Bistrô (Rua Armando Barbedo, 257), um dos lugares mais charmosos do bairro Tristeza.

cafezh1

Estarão no centro das conversas problemas que afetam o cotidiano dos moradores e os benefícios de morar na área de abrangência do ZH Zona Sul. Os participantes do Café ZH podem levar dicas e informações sobre os 12 bairros de cobertura do suplemento – Camaquã, Cavalhada, Cristal, Espírito Santo, Guarujá, Ipanema, Jardim Isabel, Pedra Redonda, Sétimo Céu, Tristeza, Vila Assunção e Vila Conceição.

A cobertura do evento é publicada no blog e Facebook do suplemento e as reportagens sugeridas, na próxima edição do caderno.