Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de julho 2015

ZH dominical destaca as histórias de vítimas de um sistema prisional falho

31 de julho de 2015 0
Rodrigo Rodrigues

Rodrigo Rodrigues

A precariedade da segurança pública permite que um número elevado de condenados esteja à solta com o aval de autoridades do Rio Grande do Sul.

São 4,8 mil criminosos que deveriam estar recolhidos em albergue sob controle do Estado, mas estão nas ruas favorecidos pelo descontrole, erros e omissões na política prisional ao longo dos últimos anos.

O batalhão de condenados em liberdade inclui apenados em prisão domiciliar, com tornozeleiras eletrônicas, e aqueles que foram mandados para casa esperar por vaga em unidades do regime semiaberto.

Leia na ZH dominical (2/8) as histórias de quatro famílias vítimas da falha do sistema prisional.

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

ZH desta sexta traz entrevista com o ministro da Justiça

30 de julho de 2015 0
Marco Favero

Marco Favero

Homem da confiança da presidente Dilma e porta-voz para questões da Lava-Jato, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, continua sob forte pressão do próprio partido. Quanto mais as investigações se aproximam da cúpula do PT, maior é a cobrança de quem exige controle sobre as ações da Polícia Federal.

Há quatro anos e sete meses à frente da pasta, o ministro avisa: as autoridades policiais e o Ministério Público têm plena liberdade e autonomia.

— O ministro da Justiça é o superior hierárquico da Polícia Federal. No que diz respeito às investigações, o ministro não interfere. As investigações devem ser impessoais. Portanto, ao ministro da Justiça não cabe dizer quem deve ser investigado, nem o que deve ser investigado — afirma Cardozo.

Leia a entrevista completa na ZH desta sexta (31/7).

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

Nos bastidores de ZH: desenhando a capa do caderno Educa

30 de julho de 2015 0

estagio

Você já conferiu o caderno Educa desta quinta? A matéria de capa fala sobre estágio e conta com uma ilustração feita pela diagramadora Thais Longaray, com ajuda de sua colega de redação Amanda Souza.

Se estiver curioso para saber como a capa foi desenhada, Thais explica o processo abaixo. Clique no vídeo e confira ;)

Em Pauta ZH recebeu alunos dos oito cursos de Jornalismo da Região Metropolitana

30 de julho de 2015 0

Estudantes e professores dos oito cursos de Jornalismo da Região Metropolitana participaram do primeiro encontro do Em Pauta ZH, que ocorreu na terça (28/7), no Salão Nobre do prédio corporativo do Grupo RBS. As alunas Ana Melo (ESPM), Bárbara Barros (UniRitter) e Vanessa Furtado (Ulbra) trocaram ideias e assistiram juntas ao evento que discutiu os caminhos do Jornalismo.

Lúcia Pires

O debate, que teve mediação dos editores Cláudia Laitano e Rodrigo Müzell, teve como palestrante o jornalista Leandro Beguoci, editor-chefe da F451, com o tema Por que este é o melhor momento da história para ser jornalista?.

Saiba mais sobre o evento

Confira abaixo a entrevista concedida por Cláudia Laitano à estudante Nicolle Timm, da PUCRS.

Adriana Franciosi

Adriana Franciosi

O quanto é importante que um grande veículo de Comunicação, como o Grupo RBS, seja o responsável por promover debates sobre o presente e o futuro do jornalismo?
O jornalismo é um tema que interessa não apenas aos jornalistas, mas a toda a sociedade, uma vez que está profundamente ligado à saúde de uma democracia. Nada mais natural do que um grupo de comunicação assumir o protagonismo nesse debate trazendo para Porto Alegre profissionais que, de diferentes formas, têm contribuído para a reflexão e para a excelência na profissão.

O que eventos como esse têm representado para ti desde que as plataformas digitais colocaram em discussão a profissão?
Como o modelo de negócio do jornalismo tem sido bastante desafiado pelas novas tecnologias, torna-se cada vez mais importante trocar experiências e detectar novas oportunidades. Ao mesmo tempo, o jornalismo, em essência, não mudou tanto. Para fazer bom jornalismo, são necessárias boas práticas – e podemos aprender muito com a experiência dos outros. Essa, aliás, sempre foi a essência da formação do bom jornalista: prestar muita atenção no que os jornalistas que admiramos estão fazendo.

O convidado do debate de estreia é Leandro Beguoci, que, conforme saiu na matéria do caderno PrOA, acredita que estamos no melhor momento para ser jornalista. Tu também tens uma visão otimista quanto ao futuro do jornalismo?
Sim. Como Leandro, eu acredito que a era da informação traz muitas oportunidades para quem se dedica a apurar, filtrar, explicar essas informações. Nunca fomos tão lidos nem tão necessários. É uma boa época para estar na profissão também porque estamos sendo testemunhas de uma evolução, acelerada pelas novas tecnologias, que traz muitas ferramentas novas. O jornalismo de dados, por exemplo, não existiria sem a tecnologia.

Quais foram as razões que levaram o Grupo RBS a colocar em prática um projeto que busca evidenciar o valor do jornalismo?
Acredito que o objetivo do projeto Em Pauta ZH é projetar Porto Alegre e Zero Hora como referências no debate e na reflexão sobre jornalismo no país, ao mesmo tempo em que reafirmamos nosso investimento em jornalismo de qualidade e nossa crença no valor do jornalismo para a sociedade.

Quais são os objetivos da exposição de fotos e reportagens que integram a ação? E dos debates?
Com a mostra, queremos dar visibilidade ao jornalismo de qualidade realizado por Zero Hora. O trabalho com os imigrantes haitianos e senegaleses foi uma das nossas grandes reportagens em 2015 e temos muito orgulho do resultado. Com a mostra, os leitores podem admirar as fotos em um formato diferente, com uma experiência diversa do papel ou do online. Já os debates pretendem ser bastante livres e variados, trazendo a Porto Alegre tanto jovens jornalistas como Leandro quanto veteranos. A ideia é, basicamente, celebrar o jornalismo de qualidade e o ofício dos jornalistas.

Comitiva da Expo São Luiz 2015 visita a Redação

29 de julho de 2015 0
Douglas Roehrs

Douglas Roehrs

A comitiva da Expo São Luiz 2015, que ocorre de 30 de setembro a 4 de outubro, no Parque de Exposições de Sindicato Rural, em São Luiz Gonzaga, visitou a Redação de ZH na tarde desta quarta (29/7).

O presidente do evento, Sérgio Torres, a rainha Muriel Prestes, as princesas Carla Montano e Alessandra Sanchez e demais membros da equipe divulgaram a programação desta edição. Além da tradicional Expo-feira Agropecuária, o comércio e a cultura do município estarão em destaque nos cerca de 250 estandes.

Os shows ficam por conta de Chimarruts (quinta, 1º/10), Paula Fernandes (sexta, 2/10) e Michel Teló (sábado, 3/10), entre outras atrações.

Confira demais informações no site exposaoluiz.com.br.

ZH desta quinta destaca impunidade de crimes ambientais

29 de julho de 2015 0
Diego Vara

Diego Vara

Em uma sala na Secretaria do Ambiente (Sema), prateleiras abarrotadas de caixas e pilhas de processos são o símbolo do descaso que resultou em uma década de trabalho desperdiçada, além de impunidade e renúncia de receita.

São 2451 multas por queimadas, corte de vegetação nativa ou danos em áreas de preservação, aplicadas entre 2000 e 2009, que acabaram prescrevendo.

Saiba por que o Estado não cobrou as multas na ZH desta quinta (30/7).

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

ZH desta quarta destaca 16ª fase da Operação Lava-Jato

28 de julho de 2015 0
Divulgação

Divulgação

O esquema de desvio de recursos na Petrobras irradiou-se para outros ramos de negócios, segundo a força-tarefa de investigação. O elétrico é o alvo da Polícia Federal na 16ª fase da Operação Lava-Jato, nomeada de Radioatividade.

O foco das investigações são contratos firmados por empresas envolvidas na Lava-Jato com a Eletronuclear, as obras da usina nuclear Angra 3 e pagamentos de propina a funcionários da estatal.

Foram cumpridos 30 mandados judiciais, sendo dois de prisão temporária e cinco de condução coercitiva.

Leia a reportagem completa na ZH desta quarta (29/7).

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

Polos navais do Estado são destaque na ZH desta terça

27 de julho de 2015 0
Fernando Gomes

Fernando Gomes

Os dois polos navais do Rio Grande do Sul vivem momentos distintos. Enquanto no do Jacuí, em Charqueadas, o ambiente é de desalento, em Rio Grande o clima é de esperança com a abertura de novas vagas.

Leia a reportagem sobre o setor de construção naval do Estado na ZH desta terça (28/7).

Confira os demais destaques do dia no vídeo abaixo.

Exposição abre projeto Em Pauta ZH nesta segunda

26 de julho de 2015 0

Mateus Bruxel

Zero Hora estreia nesta segunda-feira (27) o projeto Em Pauta ZH com a abertura da exposição Imigrantes Contemporâneos: a jornada de haitianos e senegaleses no Brasil no saguão do prédio corporativo do Grupo RBS (Avenida Erico Verissimo, 400). São 19 fotos de Mateus Bruxel feitas durante a reportagem”Inferno na Terra Prometida”, publicada por ZH em 7 de junho.

Na terça-feira (28), profissionais, estudantes e professores de Jornalismo participam do primeiro debate do ano sobre o presente e o futuro da profissão. O encontro será no Salão Nobre do Grupo RBS, em Porto Alegre. Ao longo do ano, os eventos vão apresentar Mostras de grandes reportagens de ZH e aprofundar o debate com profissionais que têm se destacado pelo trabalho ou pela reflexão sobre jornalismo no país.

convite_empauta_zh_a-01_V2

Saiba mais sobre o projeto

Na primeira edição do Em Pauta ZH, o convidado é o jornalista e professor Leandro Beguoci, 32 anos, editor-chefe da F451, empresa de mídia que publica o Gizmodo Brasil e a Trivela. O tema proposto pelo profissional é “Por que este é o melhor momento da história para ser jornalista – O valor do jornalismo e o valor do que produzimos”. A mediação será dos editores Cláudia Laitano e Rodrigo Müzell.

A mostra ficará aberta das 8h às 20h, até 14 de agosto.

 

Nossos filhos

25 de julho de 2015 0

carta_nilson-300x164

 

O filho arma uma travessura, e o pai decide repreendê-lo. Como? Proibindo-o de ir à escola. Bizarro, inacreditável, mas aconteceu. Não dentro de uma casa convencional, mas num dos abrigos que o poder público mantém na Capital para acolher crianças e adolescentes que este mesmo poder público retirou da família porque viviam sob risco.

A história da garota de 16 anos impedida de ir ao colégio é uma das muitas que a jornalista Adriana Irion conta na reportagem Vítimas de Abrigos. Tem também a da criança reprovada porque frequentou o ano letivo com os documentos do irmão, ou da que ouvia coisas do tipo “o juiz jogou vocês aqui como animais, bandos de loucos que tomam remédios”. Ou, ainda, como descreve a jornalista Fernanda da Costa, na parte final da reportagem, segunda-feira, a do menino violentado por um funcionário que o assediou com frases do tipo: “Eu sei o que teu avô fez contigo, eu sei que tu gosta”.

Cenas que se passaram em locais como o abrigo Quero-Quero, descrito por Adriana Irion como “lúgubre, feio, escuro, úmido, sujo, desorganizado, um lugar que cheira mal”. Calejada em tratar de assuntos pesados em editorias como a de Polícia, a repórter não escondeu seu espanto ao ver a realidade dos abrigos. Confessa isso no vídeo que está em zhora.co/AdrianaIrion, produzido para compartilhar a reportagem nas redes sociais.

Se você é daquelas pessoas mais geladas, que entendem ser esse um problema “dos outros”, pense pelo lado pragmático: com o dinheiro dos seus impostos, o poder público monta uma rede de proteção falha, imperfeita, cheia de buracos por onde as crianças escorrem e vão para as ruas, onde se transformam em bandidos, que roubarão seu carro, ameaçarão as “pessoas de bem” com armas em ataques violentos.

Se, antes desse olhar mais prático, você tem uma percepção, digamos, mais epidérmica para a questão, pense que neste momento crianças estão sendo castigadas pela segunda vez. No jargão técnico, estão sendo revitimizadas. Já sofreram em famílias desestruturadas – tente imaginar a cena de um pai jogando o filho contra um aparelho de TV – e agora padecem em locais ironicamente batizados com nomes como João-de-Barro ou Quero-Quero.

Por onde quer que seja olhada, a reportagem é perturbadora. Um coquetel formado por desleixo, despreparo, desamor e burocracia condena inocentes. Em matéria de cuidado com os pequenos, como bem resume Adriana Irion, temos muito a aprender com o joão-de-barro.