Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Comentários

26 de setembro de 2015 1

marta-gleich

 

Na semana passada, perguntei aos leitores o que Zero Hora deveria fazer com os comentários em notícias e artigos publicados no site. Hoje os comentários são liberados, sem moderação da Redação, e algumas pessoas os utilizam para ofender e caluniar, baixando o nível da discussão, em vez de aproveitarem o espaço para o debate construtivo. Nossa equipe de desenvolvimento de produtos digitais já começou a trabalhar nisso. Sem censurar a possibilidade de participação, devemos partir para um controle maior do cadastro dos participantes. Essa solução deverá ser implementada em 2016. Agradeço aos leitores atenciosos que dedicaram tempo para nos responder. Foram dezenas de contribuições. Reproduzo algumas respostas à pergunta que fiz: Zero Hora deveria seguir com os comentários abertos, sem mediação?

Júlia: “Fico chocada com comentários ofensivos e que ferem a dignidade das pessoas. E, quando tu ousas responder, és igualmente atacado, sem a menor educação. Que direito têm de agir assim?
Até para não estimular esse tipo de comportamento, acho que certos casos merecem mediação”.

Ana Cláudia: “Sou a favor da manutenção dos comentários, sem moderação, mas sempre com a possibilidade de que alguns sejam despublicados”.

Riva: “Acho que ZH deve banir os comentários no site. Também defendo a liberdade de expressão, mas entendo que as pessoas têm hoje uma infinidade de espaços para exercerem esse direito, nas redes sociais ou no ‘mundo real’, sem esconderem-se no anonimato. Os comentários no site, a meu ver, não acrescentam nada”.

Archie: “Acho que deve continuar publicando comentários, porque eles geram troca de opiniões! O ideal seria as pessoas serem educadas, comentarem sem fazer ofensas pessoais, xingamentos e palavrões”.

Tony: “Acho péssima a ideia de censurar, gosto da liberdade de comentar qualquer notícia. Entendo que esse negócio de moderar comentário deve ser talvez até inviável, mas então que siga como é, porque a falta de educação de uns não pode significar que todos sejam punidos”.

José: “Infelizmente sim, tem que ter moderação. Vejo cada comentário que dá vontade de desligar a internet. Coisa de gente ignorante, mal-intencionada, de baixo nível. Não concordo com Zero Hora dar palanque, ainda que virtual, para esse tipo de gente”.

Amanda: “Penso que ZH deve continuar com os comentários abertos. Vocês estão corretos, publicam matérias de alto nível, bem escritas, apuradas e dentro dos padrões jornalísticos. O problema está nos internautas, que perderam a noção do respeito”.

Andressa: “Eu gostaria que continuasse, sim, pois é importante expormos nossa opinião. Sabemos bem que tem muitos que, só por estarem do outro lado da tela do computador, acham que podem falar o que quiserem, mas esses são minorias. Acompanho os artigos e vejo os comentários, na maioria das vezes são discussões saudáveis”.

Darlan: “Isso de liberar os comentários nunca funcionou. Vira uma esculhambação por qualquer assunto. Deixem o e-mail do jornalista ou editor responsável e pronto. Nós, os leitores, não sabemos nos comportar usando a pseudo ‘proteção’ das redes sociais”.

Jorge: “Os comentários não devem ser censurados. Tem pessoas que, às vezes, se excedem, mas a liberdade de expressão é maior que isso”.

Notícias do Sant’Ana

Leitores perguntam como está Paulo Sant’Ana. Desde 26 de julho, o colunista da penúltima página da edição dominical afastou-se do jornal em licença médica para submeter-se a uma cirurgia. Está hospitalizado no Moinhos de Vento, em recuperação, e seu estado, segundo boletim médico, é estável. Boa recuperação, Sant’Ana!
O jornalista Paulo Germano escreve como interino naquele espaço.

Comentários (1)

  • Harildo Broedel diz: 27 de setembro de 2015

    Ñ será esta sua preocupação com o conteúdo dos parcos comentários que este site recebe algo que só visa aumentá-los? Conhecendo a linha de ação usada pela RBS em busca de audiência – herdada da morta ditadura militar tão gaúcha em seu cerne – convencer o povo através de técnicas subliminares, neste caso “criar um problema e depois oferecer solução”? A sra. segue o passado e aí é que mora sua limitação como editora-chefe! Comentários de leitores hoje são exatamente com as cartas de outrora – as que incensam o jornal são publicadas, as ácidas e críticas, as injuriosas e calumiosas são jogados no lixo. Atualmente o jogar no lixo é algo metafórico, nem gera material para ser reciclado – some no ar, bastando para isto que dois dias se passem…Portando, digníssima e abnegada editora, cuide da linha editorial de ZH – a cada dia mais rasa e copiada de outros veículos de comunicação. Dê atenção à baixa qualidade do seu plantel de jornalistas – principalmente os esportivos. Garimpe entre seus colunistas aqueles que acrescentem algo ao jornal e dispense os repetitivos, fúteis, problemáticos e interessados por demais em fazerem de seus espaços uma maneira de ganharem pequenas vantagens e presentinhos banais! Renove a qualidade editorial deste jornal, afinal o único deste estado – o resto é, verdadeiramente, um resto! Se ouvir verdades incomodam vcs, retirem os comentários de leitores. Eles são inuteis, já que a maioria é escrita por ignorantes boçais, ou por bajuladores ridículos, ou por retardados mentais. Aqueles leitores que poderiam ajudar ZH nesta renovação de conteúdo e qualidade entenderão que ñ se pode esperar que num arroio Dilúvio encontremos margens plácidas e verdejantes, coberta de flores e próprias para o regalo d’alma.

Envie seu Comentário