Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Em Santa Maria, alunos conheceram a rotina da cobertura esportiva em ZH

02 de junho de 2016 1

Por Andressa Marin, acadêmica de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (Unifra)

Na noite desta quarta-feira (1), a editora digital de esporte da Zero Hora Débora Pradella esteve no Centro Universitário Franciscano (Unifra), em Santa Maria. A jornalista participou no evento #ZHnaFaculdade e conversou com os estudantes sobre o trabalho na Editoria de Esportes em ZH com o tema ” A integração on e off e a cobertura digital de Grêmio e Inter”.
Cerca de 150 pessoas, entre alunos e professores, ouviram a explanação de Débora. No primeiro momento, a jornalista apresentou dados da editoria de esporte, a segunda mais acessada pelos internautas. De acordo com a palestrante, o esporte já foi o tema mais consumido, no entanto, a busca por informação sobre política nacional mudou a realidade nesse ano.

Logo após a explanação, houve espaço para perguntas. A editora falou sobre o dia a dia da redação, da cobertura esportiva em tempo real, diferenças entre conteúdo impresso e digital e ferramentas utilizadas para publicar e mensurar resultados. Além disso, Débora também falou sobre a representação feminina na editoria esportiva e como chegou a esse ramo: “O esporte é um negócio apaixonante. Depois que tu começas, não quer mais sair. Estás trabalhando com o lazer das pessoas”, relata a jornalista.

DivulgaçãoCerca de 150 alunos do curso de jornalismo participaram do encontro com a editora Débora Pradella na Unifra

Foto: Roger Haeffner

Colaborou: Gabrielle Righi

 

Comentários (1)

  • Dorian R. Bueno diz: 2 de junho de 2016

    A IMPRENSA ESPORTIVA, SOMENTE JOGA BOLA DE PALAVRAS !!!

    Será que um dia nós teremos alguém da imprensa no comando a DUPLA GRENAL, FGF ou CBF?

    Será que um dia teremos algum treinador vindo da imprensa?

    Será que todos estes analistas que ficam atrás das câmaras dizendo como os times deveriam jogar, teriam a capacidade de estar lá na beira do campo enfrentando na prática suas teorias?

    Será que aquela mesa mágica de analise tática, na prática funcionaria no campo de jogo?

    Será que com toda esta experiência de protagonistas, o time da imprensa poderia dar certo nos clubes e nossa seleção?

    Não sou dono da verdade, mas penso que são todos apenas especialistas com microfone na mão, com muitas teorias, soluções para os clubes vencerem e deixar a torcida mais feliz.

    Seria maravilhoso se o jogador tivesse um CHIP conectado a esta mesa para desempenhar com maior lucidez e êxito todas as instruções.

    Tenho assistido muito e até virou moda quem sabe um novo mercado de trabalho, ex- jogadores, ex-árbitros, sendo muito valorizados dando pitacos, como o se povo fosse burro.

    Ainda bem que eles provavelmente tiveram humildade para perdoar os novos colegas de trabalho, que um dia no passado detonavam eles no desempenho das suas funções.

    Assim é a vida de PROTAGONISTAS DA IMPRENSA.

    Um dia é a caça, no outro é caçador e DEUS por todos, amém.

    Abs. Dorian Bueno – Google+, POA, 02.06.2016

Envie seu Comentário