Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

#ZHnaFaculdade: Tulio Milman conversa com alunos da UniRitter

07 de junho de 2016 0

O jornalista Tulio Milman conversou com os estudantes da UniRitter no dia 30 de maio, na 8ª edição do evento que leva profissionais de Zero Hora para as faculdades de Jornalismo do Estado. Com o tema “Multimídia e os novos parâmetros da comunicação” Tulio foi recebido no campus Zona Sul da instituição em Porto Alegre. A cobertura é feita pelos estudantes. Confira:

por Maurício Paulini, aluno de jornalismo da UniRitter

A preocupação com o futuro é uma questão que inquieta. Desde o passado. E ainda no presente tem sido assim. Logo na infância precisamos responder sobre o que queremos ser quando crescer. Na vida escolar temos que debater qual curso superior e qual profissão seria nossa melhor opção. Já na universidade, as dúvidas persistem: é isso mesmo que eu quero fazer? Isto vai me trazer realização pessoal? E profissional? Dá dinheiro?
Essas dúvidas se resumem em uma única questão quando se é estudante ou profissional do Jornalismo. Ela está presente em cada aula, é referida ao menos uma vez por dia, é motivo de seminários, debates e está sempre povoando o imaginário de estudantes da área. A pergunta de um milhão de dólares é: qual o futuro do Jornalismo?

divulgaçãoProfessor Leandro Olegário mediou o debate no auditório da faculdade. Foto: Jennyfer Siqueira

Por certo é necessário consultar quem está nessa caminhada há mais tempo. Professores, repórteres, editores, colunistas, todos têm muito a contribuir para a resolução desse questionamento. Mais uma tentativa de responder esta questão está sendo proposta pelo jornal Zero Hora. Em comemoração aos seus 52 anos, o periódico do Grupo RBS promove o evento intitulado ZH na Faculdade, que reúne profissionais e estudantes de Jornalismo para debater os rumos que a profissão está tomando.

Quando se fala que o jornalista contemporâneo precisa saber transitar pelas diversas nuances da profissão, Tulio é a personificação dessa máxima. Profissional multimídia, costuma dizer que já fez praticamente tudo no jornalismo. Do caderno de gastronomia até coberturas de guerras, passou por duas edições de Jogos Olímpicos e algumas campanhas presidenciais. Além da coluna em ZH, tem participação diária no Jornal do Almoço e Rádio Itapema. Como enviado especial e comentarista do Grupo RBS, já fez cobertura em mais de 15 países, entre eles Jordânia, Estados Unidos e China.

Veja a cobertura dos alunos nos outros 24 eventos

Por toda essa trajetória, Tulio fala com propriedade quando o assunto é a convivência entre as “novas” e as “velhas” mídias.  “As novas mídias não vão matar as tradicionais. O jornal impresso, por exemplo, está cada vez mais se reinventando. No curto prazo podemos afirmar que será uma mídia premium, onde o leitor estará disposto a pagar por um conteúdo exclusivo, analítico e com informações aprofundadas, destaca.
Tulio considera despir-se dos preconceitos um aspecto fundamental para que o trabalho como jornalista seja bem feito. “Na minha época escolar, um professor me pediu pra fazer um trabalho sobre Teixerinha. Eu gostava de rock, e fazer um trabalho sobre Teixerinha beirava a piada. Mas quanto mais eu pesquisei a respeito fui enxergando a importância desse personagem e o tamanho da sua obra. O papel do jornalista é compreender um fato e explicá-lo para o grande público”, afirma.
Do bate-papo com os alunos, além da certeza de que o jornalismo foi, continua sendo e ainda será muito importante para a sociedade, ficou ainda uma mensagem para os futuros profissionais: “Tem muito emprego para jornalista no mundo de hoje”, garantiu o jornalista do Grupo RBS.

 

Envie seu Comentário