Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora
Thumbnail

Gregório Duvivier fala sobre humor, religião e preconceito na Zero Hora deste domingo

A ZH deste domingo (1°/2) traz uma entrevista com o...

Thumbnail

Nesta sexta, a segunda edição da Revista de Verão

Circula nesta sexta-feira, 9 de janeiro, nas edições da Região...

Thumbnail

Zero Hora publica especial sobre crise hídrica

Zero Hora publica nas edições de domingo e segunda-feira uma...

Thumbnail

Entrevero empolgante

Zero Hora entrou em campo neste fim de semana para...

Entrevero empolgante

31 de janeiro de 2015 0

marta gleich

Zero Hora entrou em campo neste fim de semana para ajudar você a acompanhar o Gauchão, na edição que promete ser a mais quente dos últimos tempos. Veja por quê:
-O Grêmio corre atrás do título gaúcho, que não alcança desde 2010. Para o tricolor, que está fora da Libertadores, é a “Copa do Mundo”, como o próprio Ivo Wortmann, auxiliar-técnico de Felipão, disse, e alguns jogadores confirmaram.
-O Inter, que joga a Libertadores também, usará o campeonato para entrosar o time no esquema do novo treinador. Os colorados correm atrás do penta, uma sequência que não se repete desde os anos 70 pelo lado vermelho.
-Os times do interior têm no Gauchão a chance de dar a volta por cima, diante da má performance do ano passado. O Brasil de Pelotas vem embalado pela ascensão à série C do Brasileirão, tem time e treinador bem entrosados e a torcida fanática de sempre. Novo Hamburgo apresenta os seus “galácticos”, jogadores consagrados nacionalmente. Caxias e Juventude sempre figuram como bem cotados, e novatos, como União Frederiquense, aparecem motivados.
-O Gauchão deste ano terá destaque nas duas pontas da tabela. Grêmio e Inter tiveram mais tempo de preparação e, por causa do regulamento, não poderão usar mais de 32 jogadores. Isso fará com que eles usem o grupo principal na maioria dos jogos.
-Na parte de baixo, haverá um risco maior para
os clubes rebaixados. As três equipes que caírem para a segundona provavelmente levarão mais tempo para voltar à elite do Gauchão, já que, a partir deste ano,
só uma equipe sobe.
Com tudo isso em jogo, nossa cobertura está caprichada.
Neste sábado, um guia do Gauchão foi apresentado na edição impressa e nas plataformas digitais com um resumo de cada clube, o esquema tático preferido de cada técnico e um levantamento sobre os jogadores que mais disputaram o tradicional campeonato gaúcho.
Confira!
No caderno ZH Esporte, às segundas-feiras, uma página especial de Entrevero trará tudo o que ocorreu no fim
de semana pelos campos do Interior.
Aos que argumentam que os campeonatos estaduais se esvaziaram ou estão fora de moda, registro algumas perguntas que foram feitas na Redação na última semana: algum colorado ou gremista aí aceita que seu time entre para perder, inicie essa competição sem gana de ser campeão? Algum torcedor do Interior acha que não vale lutar pelo título? (Em algumas cidades, é a única oportunidade para presenciar o futebol profissional, para os times encherem seus estádios, para uma festa com a comunidade). Alguém se recorda como é ruim cair para a série B do Gauchão ou como é o máximo subir para a série A? O Gauchão é, sim, muito importante e valorizado pelas torcidas, e a cobertura de Zero Hora, ainda mais neste ano, que promete, estará à altura desses sentimentos do torcedor.

Gregório Duvivier fala sobre humor, religião e preconceito na Zero Hora deste domingo

30 de janeiro de 2015 0
Lauro Alves

Lauro Alves

A ZH deste domingo (1°/2) traz uma entrevista com o ator, escritor, roteirista e empresário Gregório Duvivier. No bate-papo para o Com a Palavra, ele fala sobre humor, religião, política e preconceito.

— O fanatismo no Brasil também mata. Somos o país mais cristão do mundo e também o que mais mata travestis. A homofobia e a transfobia no Brasil são gigantes, e as religiões não fazem nada para frear isso. Ao contrário, fazem declarações que incitam o ódio com embasamento religioso — comenta o ator, que integra o programa humorístico do Porta dos Fundos.

Leia a entrevista completa na ZH dominical.

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

Zero Hora publica especial sobre crise hídrica

30 de janeiro de 2015 0
Caco Konzen

Caco Konzen

Zero Hora publica nas edições de domingo e segunda-feira uma reportagem especial sobre a escassez de água em São Paulo. Na edição dominical, o jornal mostra a extensão do problema, que já atinge todos os Estados do Sudeste, principalmente a capital paulista. Especialistas tratam das causas da estiagem, de como ela deve ser enfrentada e dos impactos pelo país. De São Paulo, o repórter Marcelo Gonzatto e o fotógrafo Diego Vara contam como pessoas e empresas sofrem com o agravamento da situação. Infográficos explicam os efeitos da falta de chuva para o abastecimento e a geração de energia.

Na segunda-feira (2/2), um diagnóstico da situação do Rio Grande do Sul apontará se o Estado também corre risco de enfrentar o problema.

Em zh.com.br, o conteúdo se amplia com galerias de fotos, vídeos e infográficos.

A equipe que produz o especial conta ainda com os repórteres Cadu Caldas e Caio Cigana, os editores Leandro Becker e Sabrina Passos, a diagramadora Carolina Moreira e os ilustradores Fernando Gonda e Leonardo Azevedo.

ZH desta sexta-feira destaca os gastos dos deputados federais gaúchos nos últimos quatro anos

29 de janeiro de 2015 1
Rodolfo Stuckert

Rodolfo Stuckert

A edição desta sexta-feira (30/1) tem como destaque um levantamento feito por ZH com as despesas de trabalho — como passagens aéreas, combustível e divulgação — dos deputados federais gaúchos, a partir dos gastos com verba indenizatória.

A soma inclui a prestação de contas de 38 parlamentares (são 31 cadeiras), entre titulares e suplentes que passaram pela Câmara ao longo da legislatura, iniciada em 2011 e que se encerra domingo (1°/2), quando a nova bancada toma posse.

O levantamento é baseado em dados fornecidos pela Casa referentes à cota para o exercício da atividade parlamentar, ajuda de custo mensal que os deputados têm direito para gastos como manutenção de escritório, aluguel de veículos e consultorias.

Confira os outros destaques da edição no vídeo abaixo.

Comitiva da Festa do Figo visita a Redação de ZH

29 de janeiro de 2015 0
Douglas Roehrs

Douglas Roehrs

As soberanas da 42ª Festa do Figo de Nova Petrópolis, acompanhadas da subsecretária de Agricultura e Meio Ambiente do município, Roseli Kuhn, visitaram na tarde desta quinta-feira (29/1) a redação de Zero Hora. A rainha Bruna Fernanda Mielke e as princesas Angélica Andreia Collisselli e Aline Rodrigues de Castro divulgam o evento, que ocorre nos dias 7 e 8 de fevereiro na localidade de Linha Araripe.

— Esperamos a todos de braços abertos. É uma festa para a família toda — convida a rainha.

A abertura oficial da festa, com a participação da Banda Municipal de Nova Petrópolis e a visitação dos estandes pelas autoridades e comunidade, será no sábado (7), às 10h30min. A novidade desta edição fica por conta do fandango com a Banda Estribo de Prata, que se apresenta no mesmo dia, a partir das 16h, com entrada franca.

O público estimado para os dois dias de festa é de 10 mil pessoas. A área de exposições abrigará cerca de 400 estandes, sendo 250 só de figo.

Reação do mercado ao balanço da Petrobras é destaque na ZH desta quinta

28 de janeiro de 2015 0
Agência Petrobras

Agência Petrobras

As ações da Petrobras no Ibovespa tiveram queda acentuada após a divulgação do balanço do terceiro trimestre da empresa, que mostrou lucro de R$ 3,1 bilhões, uma redução de 38% em comparação com o período anterior e 9% em relação ao terceiro trimestre de 2013.

A estatal não contabilizou no balanço, no entanto, os impactos sofridos após as denúncias de corrupção, apuradas pela Lava-Jato.

Saiba por que o mercado reagiu tão mal ao números apresentados na edição de ZH desta quinta-feira (29/1).

Confira os demais destaques da edição no vídeo abaixo.

Os órgãos públicos que podem entrar na mira do governo do Estado para ser extintos são destaque em ZH desta quarta

27 de janeiro de 2015 0
Lauro Alves

Lauro Alves

Uma equipe de trabalho foi designada pelo governador José Ivo Sartori para fazer uma radiografia completa das 20 fundações, 11 sociedades de economia mista e nove autarquias que hoje compõem o organograma do Estado.

Além da extinção de estruturas, há possibilidade de fusão entre parte delas, privatização de outras e transferência de atribuições dos órgãos para Organizações Sociais (OS) e Oscips.

Confira quais as companhias e fundações que podem ser abolidas e as barreiras que o governo enfrentará para isso na ZH desta quarta-feira (28/1).

Veja os outros destaques da edição no vídeo abaixo.

Setenta anos da libertação de Auschwitz é destaque na ZH desta terça-feira

26 de janeiro de 2015 0
Rosane Tremea

Rosane Tremea

Há exatos 70 anos, em 27 de janeiro de 1945, eram libertados os prisioneiros dos campos de concentração de Auschwitz, na Polônia, onde mais de 1,3 milhão de pessoas foram mortas na II Guerra Mundial.

Para marcar a data, ZH traz o depoimento de Sara Perelmuter, 90 anos, sobrevivente de Auschwitz que, hoje, mora em Porto Alegre. Além disso, o caderno Viagem faz um passeio pelo complexo, que se transformou em um museu a céu aberto.

Confira os demais destaques da edição desta terça-feira (27/01) no vídeo abaixo.

Dois anos depois

24 de janeiro de 2015 1

marta gleich
Nas semanas que se seguiram à maior tragédia do Rio Grande do Sul – a morte de 242 pessoas na boate Kiss –, os integrantes do Comitê Editorial do Grupo RBS firmaram um compromisso. A imensurável dor provocada pelas perdas daquelas vidas não deveria ser em vão e, no que dependesse dos jornalistas da empresa, não seria. No intuito de que algo assim jamais se repita, combinamos que as redações deveriam manter a Kiss na pauta, acompanhando e cobrando a apuração de responsabilidades, uma melhor legislação para casas noturnas e avanços na prevenção de incêndios. De lá para cá, dezenas, talvez centenas de vezes o assunto esteve em jornais, rádios e TVs da RBS.

Na edição deste domingo, 24 meses depois, Zero Hora traz um novo ângulo ao caso Kiss, invisível até agora para o grande público e igualmente grave: as novas vítimas da tragédia. A cada mês, são registrados de três a cinco novos casos de sobreviventes que, em maior ou menor grau, tiveram sua saúde abalada pelo acontecimento. As chamas da boate Kiss seguem, dois anos depois, alastrando-se e fazendo vítimas.

Os repórteres Juliana Bublitz e Humberto Trezzi, a fotógrafa Andréa Graiz e o assistente Marcelo Carôllo, num trabalho de formiguinha, procuraram 160 sobreviventes. Falaram com cem deles. Desses, 12 relataram sequelas graves que só apareceram recentemente. São homens e mulheres que estiveram no local, pensaram ter se livrado sem maiores problemas físicos ou psicológicos, mas que, de algum tempo para cá, adoeceram, com depressão, estresse pós-traumático, enfisemas, asma, rinite, sinusite.

– Participo da cobertura da tragédia na Kiss desde o primeiro dia, em 27 de janeiro de 2013. É sempre duro voltar a Santa Maria e reviver o drama de quem sobreviveu e de quem perdeu familiares no incêndio. Dessa vez, foi muito impactante saber que as sequelas continuam aparecendo, que as substâncias tóxicas liberadas com o fogo continuam fazendo vítimas. É um sofrimento sem fim – conta Juliana.

– Muita gente desligava ao me anunciar como jornalista. Outros marcavam entrevista e depois nunca mais atendiam ao telefone. Houve até quem simplesmente disse: “Me deixa em paz, por favor. Não posso ouvir falar desse assunto”. É muito dolorido o trauma das vítimas. Uma dor que teima em não desaparecer – relata Trezzi.

No papel, a reportagem editada por Lúcio Charão está nas páginas 14 a 21. A edição nas plataformas digitais, por FêCris Vasconcellos, gerou um site, com depoimentos em vídeo, que você não pode deixar de conferir em zhora.co/2anoskiss. Em outra parte da reportagem digital, ZH visitou sete casas noturnas de Porto Alegre, na companhia de engenheiros especializados em prevenção de incêndios. Todas estão dentro da lei, mas os profissionais identificaram falhas, de leves a graves, que, se resolvidas, poderiam dar ainda mais segurança aos frequentadores.

Infelizmente, não será a última reportagem sobre o assunto. O compromisso firmado no Comitê Editorial se renova, dois anos depois, porque é nosso dever não permitir que irresponsabilidades, omissões e negligências sejam esquecidas.

ZH publica especial sobre os dois anos da tragédia da boate Kiss

23 de janeiro de 2015 0
Andréa Graiz

Andréa Graiz

Dois anos após o incêndio que matou 242 pessoas em 27 de janeiro de 2013 – 235 naquele dia e sete nos meses seguintes –, a maior tragédia da história do Estado continua a fazer vítimas. Sobreviventes e profissionais que estiveram na boate Kiss naquela madrugada e que aparentemente não tinham sinais de doenças, foram descobrindo graves problemas de saúde até 24 meses depois. São as vítimas tardias.

ZH procurou 160 pessoas envolvidas no incêndio. Confira os relatos de quem se dispôs a falar sobre a tragédia na edição deste domingo (25/01).

Veja os demais destaques no vídeo abaixo.