Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Aprovale"

Vale dos Vinhedos colhe otimismo

07 de fevereiro de 2011 0

O presidente da Associação de Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos, Rogério Valduga, participou da abertura oficial. Foto: Daniela Xu

O cheiro doce exalado pelos parreirais no interior de Bento Gonçalves anuncia: é tempo de vindima no Vale dos Vinhedos. A celebração de abertura do período de colheita da uva no maior polo vitivinícola do Estado ocorreu oficialmente no sábado, com programação especial promovida pelo Hotel Villa Michelon e pela Associação de Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale).

Mesmo com a chuva no  final da tarde de sábado, a programação contou com passeio ciclístico (antecipando uma atividade que deve ser bem mais difundida assim que a proposta da construção de uma ciclovia no Vale dos Vinhedos for concretizada), com colheita e pisa de uvas simbólicas, bênção dos parreirais e o filó, tradicional festa onde  jogos, danças e culinária italianas ganham destaque.

Mais de 40 mil visitantes são aguardados neste ano durante a realização da vindima, que deve ir até meados de abril. Durante os 12 meses de 2010, a região foi destino para 200,5 mil pessoas, o que representa um aumento de 10% em relação ao ano anterior. E, se depender do novo presidente da Aprovale, Rogério Carlos Valduga, as mais de 30 vinícolas que integram o Vale dos Vinhedos terão ainda mais motivos para comemorar.

Valduga tem 44 anos e assumiu a presidência da Aprovale na virada do ano. Ele é proprietário da boutique de vinhos Torcello, que iniciou os trabalhos em 2000.  Confira o que o empresário falou sobre o setor ao jornal Pioneiro.

Pioneiro: Estima-se que a safra deste ano possa ser em torno de 25% maior do que no ano anterior, tendo em vista que tivemos pouca chuvas e bastante calor. Essa previsão está correta?
Rogério Carlos Valduga: A produção dificilmente vai aumentar. Não queremos milhões de quilos a mais na colheita, queremos qualidade. Os produtores costumam retirar cerca de 30% da uva e descartar, é claro que são escolhidos os piores cachos. Desta forma, todos os nutrientes vão para as frutas que ficaram. Ano passado perdemos muita qualidade por causa da chuva, este ano, a ideia é não perder uva. Não existe safra ruim, e sim safras mais fáceis ou mais difíceis. Este ano, pela qualidade da uva que vamos colher, o processo será facilitado.

Pioneiro: Deve haver problema para escoar a produção?
Valduga:
Não, tudo deve correr dentro da normalidade. Esta deve ser uma safra de bastante qualidade, mas não quer dizer que será uma supersafra em quantidade.

Pioneiro: Quais são os seus projetos à frente da Aprovale?
Valduga:
O grande desafio é manter a marca Vale dos Vinhedos. Queremos trabalhar o setor primário. Precisamos que o pessoal invista na terra, para que seus filhos continuem a atividade. Faremos a manutenção do trabalho realizado até hoje.

Pioneiro: Como você avalia a expansão do mercado de vinhos com a marca Vale dos Vinhedos?
Valduga:
Hoje, os vinhos que são reconhecidos na comunidade europeia automaticamente ganham reconhecimento no mundo inteiro. É o que tem acontecido conosco, fruto de muito investimento em setores como a tecnologia, por exemplo. Não chegamos até aqui por acaso.

Com conteúdo de Siliane Vieira

Safra de 10% a 15% maior no Vale dos Vinhedos

27 de dezembro de 2010 1

É com expectativa de bons resultados que os vitivinicultores do Vale dos Vinhedos, região que abrange os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, na Serra gaúcha, aguardam o início da próxima safra da uva. Para o período que se inicia nos primeiros dias de janeiro e segue até março de 2011, a previsão é de que a produção seja de 10 a 15% superior a do ano passado, quando foram colhidos 526 milhões de quilos. 

Além de ganhar em quantidade, também há perspectiva de uma qualidade superior a de 2010, ano em que muitas intempéries, como excesso de chuvas, vendavais e granizo prejudicaram as plantações. Também serão conhecidos nesta colheita os primeiros resultados de um programa de assistência técnica desenvolvido junto ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, que atende a cerca de 600 produtores da região.

Este otimismo já reflete na indústria, que tem anunciado uma alta demanda da matéria-prima dos sucos, vinhos e espumantes. A uva comum, a chardonnay e a resling têm sido as mais procuradas. As recentes precipitações climáticas registradas no mês de dezembro não chegam a preocupar os dirigentes do setor.

— Foi um episódio isolado, e claro que nos preocupamos com os produtores afetados, mas não é nada que comprometa o resultado da safra em geral, que deverá ser muito boa — avalia o diretor executivo da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho), Hélio Marchioro.

O aumento do preço do quilo da uva, que passou de R$ 0,46/kg para 0,52/KG (o que equivale a 13%), é um fator que motiva o vitivinicultor para a nova época de colheita, que há quatro anos não tinha o preço de seu produto reajustado. Embora o valor tenha ficado abaixo do que era reivindicado, os representantes do setor têm a perspectiva de vender seu produto acima do valor mínimo.

Mas nem tudo são boas notícias para a vitivinicultura no Rio Grande do Sul. A entrada de vinhos estrangeiros no país, principalmente do Chile e da Argentina, é apontada como uma das maiores preocupações. 

— Esta entrada de vinhos estrangeiros, todos com taxa de impostos reduzidas, diminui a nossa demanda e prejudica toda a cadeia produtiva, chegando a quebrar algumas empresas. Os governantes deveriam estar mais atentos a isso — afirma a presidente do sindicato dos trabalhadores rurais de Bento Gonçalves, Inês Bettoni.

A Vindima, como é chamada a época da colheita do fruto dos parreirais, também é motivo de forte apelo turístico nos municípios que tem por tradição a produção vitivinícola. No Vale dos Vinhedos, mais de 30 vinícolas estarão abertas para visitação. A Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) espera que a nova safra seja festejada por mais de 40 mil visitantes.

Com conteúdo de Andrei Andrade

Inverno levará 90 mil visitantes ao Vale dos Vinhedos

22 de junho de 2010 0

Vinho, gastronomia, hotéis, pousadas, paisagem europeia e a chance de neve compõem roteiro aos turistas que vêm à região

Para desfrutar as delícias do inverno não faltam opções no Vale dos Vinhedos. No período entre junho e agosto, a previsão é de que o volume de turistas seja o maior do ano. Os visitantes cada vez mais chegam à Serra atraídos pelos excelentes vinhos, pela gastronomia farta e pelo conforto dos hotéis e pousadas instalados no roteiro enoturístico mais famoso do Brasil. Muitos, inclusive, vêm do Exterior.

A paisagem também surge como um dos principais atrativos para os turistas que percorrem o Vale, entre as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. Segundo a Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), a projeção do fluxo para a temporada de inverno é um aumento de 15% no movimento registrado no mesmo período de 2009, quando 77.318 visitantes passaram pelo roteiro.
Segundo o presidente da Aprovale, Aldemir Dadalt, a região tem atrativos o ano inteiro, mas no inverno o movimento cresce.

“O vinho, nosso produto maior, tem o poder de aproximar as pessoas e fazer amigos. E isso fica ainda melhor quando estamos em um ambiente natural que propicia novas experiências”, afirma.

Dadalt destaca, ainda, a ótima estrutura de atendimento que se formou em torno do enoturismo.

“O Vale dos Vinhedos tem restaurantes, hotéis, pousadas, um SPA do Vinho e, é claro, de vinícolas abertas à visitação e degustação”, relata.

O fluxo de visitantes no Vale aumenta a cada ano. Em 2009, foram 182.229 turistas, um crescimento de 18% em relação ao ano anterior. Segundo a Aprovale, o incremento está diretamente associado ao surgimento de novas vinícolas, pousadas e hotéis diferenciados, além de restaurantes e opções em artesanato local responsáveis por uma ampla rede de atendimento ao turista. O roteiro conta com cerca de 30 vinícolas abertas para visitação.

Somente no feriado de Corpus Christi, o desempenho registrado na sede da Aprovale corresponde a 92,5% de todo atendimento feito em maio. Em comparação com o movimento em junho do ano passado, os quatro dias do feriadão correspondem a 35% do fluxo total do mês.

Será possível pedalar pelo Vale dos Vinhedos ainda em 2010

19 de junho de 2010 0

Tranquilidade e beleza são marcas do roteiro que podem ser desfrutadas também por quem anda de bicicleta

Contemplar uma paisagem de sonho, sem vidros para separar o turista da natureza ou motores que atrapalhem a tranquilidade do passeio. É assim que moradores e visitantes do Vale dos Vinhedos vão poder aproveitar a vista da região em breve. O projeto de uma ciclovia ao longo da RS-444, já comentada aqui pelo Enoblog, está prestes a ser licitado pelo Estado. A obra foi anunciada pela governadora Yeda Crusius (PSDB) durante visita a Bento no começo do ano e animou o setor turístico da cidade.

O traçado da ciclovia sairá do entroncamento da rodovia com a RSC-470 e seguirá por nove dos 17 quilômetros da estrada, passando por vinícolas, hotéis e restaurantes. Além de espaço para as bicicletas, o projeto contemplará pedestres e veículos com a construção de uma via para quem preferir curtir o espaço caminhando e também de refúgio aos motoristas que quiserem parar para admirar a vista. A construção da ciclovia está avaliada em R$ 6 milhões.

O projeto foi muito batalhado pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale). O presidente da entidade, Aldemir Dadalt, é um dos mais empolgados. Segundo ele, a ideia nasceu da visita a outros polos vinícolas do mundo. Regiões como a de Bordeaux, na França, Napa Valley, nos Estados Unidos, e os vizinhos de Mendoza, na Argentina, e Chile possuem passeios voltados para os que consideram a bicicleta a melhor maneira de se conhecer um lugar.

Para Bento, a ideia é oferecer ao turista que chegar a uma das vinícolas a chance de percorrer o trajeto preferido sobre duas rodas. Dadalt quer que o visitante tome a bicicleta e tenha a possibilidade de entregar em outro estabelecimento, deixando a pessoa à vontade para percorrer, além da ciclovia, caminhos pelos parreirais em cada vinícola.

“Quando percorremos outras áreas vinícolas do mundo, vimos que o passeio de bicicleta era um dos mais interessantes e procurados pelos visitantes. Imaginamos que com a ciclovia o Vale dos Vinhedos mude completamente”, acredita Dadalt.

A secretária municipal de Turismo, Ivane Fávero, está animada com o projeto, mas não acredita em um incremento de visitantes. Segundo ela, impulsionado pela ciclovia, o aumento no número de atividades no Vale deve fazer o turista permanecer por mais tempo na região.

“Nosso turista tem um bom nível cultural e busca o contato com a cultura local. O cicloturismo pelas vinícolas é uma forma de viver a nossa cultura”, diz Ivane.

Mesmo sem querer uma invasão, a prefeitura acredita que seja possível aumentar o número de turistas de 700 mil para 1 milhão por ano, com um apelo específico para o público jovem, mais raro na cidade.

Nove quilômetros de extensão

O projeto da ciclovia do Vale dos Vinhedos foi anunciado juntamente com outras sete obras no dia 29 de janeiro, durante visita da governadora Yeda Crusius (PSDB) a Bento Gonçalves. O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) é o responsável pelo projeto. Para elaborar o trabalho, o órgão contou com o auxílio da Aprovale, que doou uma Estação Total, aparelho que permite a realização de medições topográficas.

A ciclovia terá nove quilômetros de extensão e 2,5 metros de largura, mais 1,5 metro para calçada.

“Além do turismo, a pista será uma nova opção de lazer para as famílias de Bento”, Aldemir Dadalt.

Segundo o coordenador do Daer na Serra, Rogério Uberti, 15 empresas vão disputar a licitação. A escolha da empreiteira deve ser definida até o final deste mês. Depois de assinado o contrato com a vencedora, a previsão é de que as obras durem até 10 meses.

Com conteúdo de Vagner Benites

Uma nova marca representa o Vale dos Vinhedos

10 de junho de 2010 0

No post sobre o 2º Prêmio Vinhos do Vale dos Vinhedos, faltou comentar uma novidade que surgiu lá por aquelas bandas. A Aprovale, associação que representa os produtores do Vale dos Vinhedos, apresentou no jantar de entrega dos troféus sua nova identidade visual.

A logomarca veio para comemorar os 15 anos da entidade e renovar conceitos no ano em que deve sair a Denominação de Origem (DO) para a região. O desenho foi desenvolvido pela empresa Túnel Design, de Caxias do Sul.