Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "bebidas"

Dia de experimentar uma cachacinha

13 de setembro de 2011 0

Hoje, 13 de setembro, é o Dia Nacional da Cachaça, a bebida símbolo do Brasil. Contando com diversos estilos, como prata ou ouro, jovem ou envelhecida, essa é uma bebida complexa e nem sempre fácil de degustar. Segundo o Instituto Brasileiro de Cachaça (IBRAC), o país conta, no momento, com mais de 4 mil marcas da bebida.

A caipirinha clássica é de cachaça | Crédito: Stock Photos

A caipirinha clássica é de cachaça | Crédito: Stock Photos

Mundialmente conhecida – não é raro ver os europeus tomando uma caipirrinha no Velho Mundo –, a boa cachaça é resultado de um processo apurado no qual cada detalhe faz a diferença. A bebida de qualidade é aquela na qual são separadas as partes no alambique, usando apenas o chamado “coração”, a parte do meio, que se apresenta mais delicada ao paladar. O resto, a “cabeça”, cuja concentração de álcool é elevada; e a “cauda”, onde se depositam algumas substâncias tóxicas, é descartado.

Além da qualidade, os entusiastas pela bebida buscam degustar as variações, que são praticamente infinitas, pois vão desde o tempo de envelhecimento – ou não – até fases de maturação em diversos tipos de madeiras, como o carvalho europeu, a umburana, o bálsamo, entre outras, que dão cores e sabores específicos à cachaça. Sem contar as aguardentes compostas – as famosas “conservas” encontradas nos botecos –, que nada mais são do que a cachaça envelhecida com frutas como, por exemplo, abacaxi e butiá.

Ficou com vontade? Então aprenda a fazer uma boa caipirinha e comemore o dia da “marvada”:

Receita Clássica de Caipirinha
1 limão taiti lavado, com casca e sem as “pontas” e o “miolo”;
2 colheres de sopa de açúcar;
Gelo;
50 a 100ml de cachaça, a gosto

Preparo
Após lavar e retirar pontas e miolo, corte o limão em fatias finas e misture-o ao açúcar, macerando com um amassador. Adicione gelo e cachaça, misture e sirva.

Bookmark and Share

Brasil no topo das vendas de vinho do Porto

31 de agosto de 2011 0

O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) divulgou um comunicado que revela o fato de que as vendas de vinho do Porto para o Brasil no primeiro semestre de 2011 cresceram 31,2%, ou seja, para para 2,4 milhões de euros, em relação ao período homólogo de 2010. Dessa forma, o país regressou ao “top 10″ da lista de países consumidores da tradicional bebida portuguesa, passando a ocupar o décimo lugar da tabela, que atualmente é liderada pela França.

Brasil volta à rota do vinho do Porto | Crédito: Divulgação

Brasil volta à rota do vinho do Porto | Crédito: Divulgação

Apesar do aumento das vendas para o Brasil, o valor global de negócios no primeiro semestre do ano caiu para 132,4 milhões de euros – queda de 9,4% – face ao mesmo período do ano passado.

Como eu falei anteriormente, a França reforça o seu lugar no topo da tabela como o maior mercado para o vinho do Porto no mundo, com um volume de negócios de 36,5 milhões de euros até junho. Em seguida, temos a Holanda, com 16,7 milhões de euros; e Portugal, que consumiu 15,1 milhões de euros, sofrendo uma queda de 17,9% quando comparado com com os valores homólogos de 2010.

Os maiores crescimentos na compra de vinho do Porto registaram-se na Polônia e na Finlândia, cujas subidas foram de 58% e 43%, respectivamente. O Brasil e Espanha também tiveram um aumento da procura pelo tradicional produto português, em 31,2% e 8,1%, respectivamente.

Bookmark and Share

Profissão Sommelier

16 de agosto de 2011 0

Mais do que o responsável por indicar e servir vinhos nos restaurantes, o sommelier é o profissional que conhece e orienta seus clientes para a escolha correta de uma bebida, assim como também sua harmonização mais adequada. Assim, trabalha em sintonia com o chef, e pode, dependendo da hierarquia do local onde atua – que pode variar entre restaurantes, hotéis, bares, empresas organizadoras de eventos, consultorias, winebars ou outras lojas especializadas -, coordenar toda a operação de bebidas.

Sommelier, uma profissão em alta | Crédito: Divulgação, We Heart It

Sommelier, uma profissão em alta | Crédito: Divulgação, We Heart It

Para tanto, é preciso que esse profissional não só conheça o vinho e as bebidas em geral, mas ele deve também saber escolher, comprar, armazenar, degustar e, sobretudo, harmonizar. E ele pode até servir o vinho aos clientes, mas o serviço pode também ser feito por garçons bem treinados, ficando o sommelier responsável, nesse caso, pela gestão das questões ligadas às bebidas dentro do estabelecimento.

E isso significa também dar destino adequado às garrafas das bebidas consumidas, avaliar se a venda está congruente com as metas da sua empresa, prospectar novos produtos para degustação e, claro, provar novidades sempre que possível.

Ou seja, é um profissional que deve, sobretudo, ser um grande estudioso, pois necessita estar atento às notícias do setor, sempre experimentando e conhecendo produtos diferenciados. Precisa acompanhar as tendências do mercado de bebidas, e também estudar sempre, mantendo-se comprometido não somente em oferecer novidades, mas também qualidade e satisfação aos seus clientes.

Profissão regulamentada recentemente, através de projeto do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o sommelier, segundo o texto oficial, “executa o serviço especializado de vinhos em empresas de eventos gastronômicos, hotelaria, restaurantes, supermercados e enotecas e em comissariaria de companhias aéreas e marítimas”. Mas esse, é claro, é só o ponto de partida.

A partir do conhecimento adquirido na formação profissional, é possível desbravar o universo dos vinhos e de outras bebidas, criando novas atividades e suprindo deficiências do mercado à medida em que forem surgindo  oportunidades. Basta degustar e descobrir!

Bibliografia interessante para quem quer saber mais sobre vinhos:

  • A arte de degustar o vinho, de Enrico Bernardo. Ibep, 2007.
  • Atlas mundial do vinho, de Jancis Robson e Hugh Johnson. Nova Fronteira, 2008.
  • Gosto e poder – vinho, cinema e busca dos prazeres, de Johnatan Nossiter. Companhia das Letras, 2009.
  • Larrouse do vinho. Larousse Brasil, 2007.
  • O gosto do vinho, de Emile Peynaud e Jacques Blouin. Martins Fontes, 2010.
  • Sommelier: profissão do futuro. Técnicas para formação profissional. Editora SENAC RIO, 2003.
  • Tintos e brancos, de Saul Galvão. Codex, 2006.
Bookmark and Share