Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "eventos"

Vinhos brasileiros que combinam com tudo

05 de abril de 2012 0

Nesta última quarta, dia 05 de abril, tive o prazer de participar de uma degustação que analisou e elencou, entre diversas amostras enviadas por vinícolas, vinhos brasileiros que combinam com  ocasiões especiais. A ideia, criada pelo Ibravin, é demonstrar o potencial do vinho nacional de concorrer de igual para igual com outras bebidas.

Da boa mesa ao romance | Foto: Rafael Lorenzato

Da boa mesa ao romance | Foto: Rafael Lorenzato

Dentre as categorias, as principais são: Boa Mesa, vinhos com veia gastronômica, que harmonizam com pratos bem elaborados e estruturados;  Mesa de Bar, que nada mais é que vinhos jovens, leves e aromáticos, que combinam com a descontração de um fim de tarde, para marcar presença no império da cerveja; já Balada representa vinhos e espumantes que traduzem o charme da noite, vinhos com frescor, mineralidade e  elegância; e Romance, que privilegia vinhos e espumantes com maciez e visual atraente, não sendo à toa a supremacia dos rosés nesse quesito. E ainda contou com Inovação, categoria ligada a novidades das empresas, e a Estilo, sobre a identidade visual do produto, que terá votação através das redes sociais.

A degustação, que foi às cegas, elegeu cinco produtos em cada categoria. Os escolhidos seguem agora rumo a São Paulo para uma segunda fase classificatória, que escolherá os três representantes a serem expostos no estande Combina com Tudo nesta edição 2012 da Expovinis.

Bookmark and Share

Cais do Porto recebe espumantes até domingo

01 de dezembro de 2011 0

Começa hoje, dia 01 de dezembro, a 8ª Feira de Espumantes, Vinhos e Sucos de Uva, no Pórtico Central do Cais Mauá em Porto Alegre. O evento reúne 17 vinícolas nacionais que ofertarão espumantes, vinhos brancos e sucos de uvas – tinto e branco – direto ao consumidor final, permitindo que este antecipe as compras para as festas de final de ano com preços competitivos, podendo, inclusive, degustar os produtos antes da compra. Na última edição, em 2010, foram comercializados aproximadamente 18 mil garrafas.

Um brinde às festas de fim de ano | Crédito: Rafael Lorenzato

Um brinde às festas de fim de ano | Crédito: Rafael Lorenzato

O evento estará aberto ao público nos dias 01 e 02 de dezembro, das 17h às 21h; no dia 03, sábado, das 10h às 21h; e no dia 04, domingo, das 10h às 18h. Com entrada franca, a feira tem em sua programação a realização de cursos e palestras sobre espumantes e vinhos, bem como a apresentação especial de produtos das vinícolas Miolo, Aurora, Nova Aliança, Salton, Perini, Fante, Giaretta, Marson, Basso, Terrasul, Valmarino, Courmayer, Panizzon, São João, Bassani, Gran Legado e Milantino.

Em tempo: a noite contará ainda com a presença de integrantes da Escola de Samba Estado Maior da Restinga, que apresentarão o seu samba-enredo para o carnaval de 2012: “Da mitologia à realidade, a Tinga de taça na mão! Vinhos do Brasil, sinônimo de qualidade, saúde, prazer e prosperidade!”.

Bookmark and Share

Wines of Brasil promove degustação com os 14 vinhos mais exportados

21 de novembro de 2011 1

Com o objetivo de cartografar o paladar dos estrangeiros que compram os vinhos nacionais, a Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho) e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) promoveram uma degustação com os 14 rótulos brasileiros mais vendidos no exterior.

Painel de vinhos degustados | Crédito: Ana Paula Kleinowski, Wines of Brasil, Divulgação

Painel de vinhos degustados | Crédito: Ana Paula Kleinowski, Wines of Brasil, Divulgação

A ideia do projeto é descobrir os “segredos” e analisar os mercados dos principais rótulos nacionais que têm boa aceitação no estrangeiro, facilitando a criação de novos produtos para as vinícolas que buscam comercializar no exterior. Em suma, a intenção é fornecer dados concretos para a escolha dos rótulos que as vinícolas devem priorizar no mercado externo, estabelecendo um padrão de qualidade, variedades de uvas, preços e a presença de madeira nos vinhos.

A degustação dos 14 rótulos foi às cegas, com todos os participantes comentando as características organolépticas dos vinhos, além de preço e embalagem. A condução foi de Júlio César Kunz, da Dunamis, que falou ainda sobre os mercados compradores destes vinhos – Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, Países Baixos, Bélgica e China. Também foram abordados os mercados de Hong Kong, Canadá, Polônia e Suécia.

Participaram do evento representantes de 12 empresas: Aurora, Basso, Boscato, Dal Pizzol, Dom Cândido, Don Giovanni, Don Guerino, Dunamis, Galiotto, Larentis, Perini e Santo Emílio. Os 14 vinhos brasileiros mais exportados são de cinco vinícolas: Aurora, Casa Valduga, Lidio Carraro, Miolo e Salton. Os produtos são exportados entre os valores de US$ 6 a US$ 35.

Confira os rótulos degustados e seus principais destinos:

  • Miolo Alísios do Seival (Pinot Grigio / Riesling) – Inglaterra;
  • Miolo Family Vineyards (Merlot) – Diversos países, destaque para a Holanda;
  • Miolo Cuvée Giuseppe (Merlot/Cabernet Sauvignon) – 10 países, destaque para a Holanda;
  • Miolo Family Vineyards (Cabernet Sauvignon) – Diversos países, destaque para a China;
  • Aurora (Cabernet Sauvignon) – Alemanha;
  • Aurora (Moscatel) – Estados Unidos;
  • Aurora (Chardonnay) – Dinamarca, Japão e Holanda;
  • Casa Valduga Duetto (Chardonnay/Riesling) – Vários países, destaque para a Alemanha;
  • Casa Valduga Premium (Cabernet Franc) – Alemanha;
  • Casa Valduga Gran Reserva (Cabernet Sauvignon) – Vários países, destaque para os EUA;
  • Lidio Carraro Agnus (Merlot) – EUA;
  • Lidio Carraro Dadivas (Chardonnay) – EUA;
  • Salton Flowers (Frisante aromático) – Vários países, destaque para Alemanha e Polônia;
  • Salton Classic (Tannat) – Vários países, destaque para a Bélgica.
Bookmark and Share

Blumenau recebe o Festival Brasileiro da Cerveja

09 de novembro de 2011 0

Nos dias 17, 18 e 19 de novembro acontece, em Blumenau, o Festival Brasileiro da Cerveja. O evento busca reunir cervejólogos e cervejeiros de todo o país, com exposição e comercialização de produtos ao consumidor final. A expectativa dos organizadores é oferecer mais de 150 rótulos de cervejas, buscando uma diversificação de estilos, através de 70 expositores, entre cervejarias artesanais, cervejeiros caseiros e fornecedores do setor.

Evento busca conhecer o consumidor da cerveja no Brasil | Crédito: Rafael Lorenzato

Evento busca conhecer o consumidor da cerveja no Brasil | Crédito: Rafael Lorenzato

A organização destaca que muitas cervejarias levarão produtos ainda não lançados, objetivando buscar a opinião do consumidor na feira. “Muitas delas vão fazer um pré-lançamento dos seus produtos no evento. Dependendo da aceitação do público, vão lançar estes produtos para o mercado”, explica Valmir Zanetti, da coordenação do evento.

Outra atração do festival são as palestras, que reúnem um time bem interessante e plural de especialistas da área. No primeiro dia, às 19h, o mestre cervejeiro Paulo Schiavetto abordará temas ligados à produção de microcervejarias; após, às 21h, Marcelo Carneiro, da cervejaria Colorado, falará sobre a adição de ingredientes exóticos na fabricação de cervejas – vale lembrar que a Colorado é pioneira na produção de cervejas com insumos como rapadura, café, entre outros.

No segundo dia, às 19h, Cilene Saorin, sommelier especializada em cervejas, falará sobre o universo da bebida aliada à gastronomia. Às 21h, o cervejólogo Ronaldo Morado, que editou a Larousse da Cerveja, fala um pouco da história da bebida no Brasil.

Dois palestrantes internacionais são a atração do último dia. Às 19h, Julien Slabbinck fala sobre maltes únicos para produzir cervejas únicas. Já às 21h, Pete Slosberg, um dos pioneiros da Nova Escola Cervejeira Americana, faz a palestra Cerveja e chocolate: dois dos três melhores grupos de alimentos – sou obrigado a concordar!

Serviço:
O quê: Festival Brasileiro da Cerveja
Quando: dias 17 de novembro, das 19h à 1h; 18, das 16h à 1h; e dia 19, das 12h à 1h
Onde: Vila Germânica (Rua Alberto Stein, 199 – Velha – Blumenau – SC)
Quanto: R$ 10 para o evento e R$ 20,00 para as palestras (que isentam a entrada no evento), à venda no site oficial e no local

Bookmark and Share

Espumantes que valem ouro

01 de novembro de 2011 3

A Associação Brasileira de Enologia (ABE), que desde 2001 realiza o Concurso do Espumante Brasileiro, divulgou a lista das vinícolas que receberam medalhas de ouro e prata por seus produtos nesta sétima edição. No total, 231 amostras – de 70 vinícolas – foram avaliadas por um painel de degustadores, selecionados entre jornalistas, enólogos, sommeliers e outros especialistas. Classificados entre Espumante de Segunda Fermentação (métodos Charmat e Tradicional) e Espumante de Primeira Fermentação (Moscatel), 72 espumantes foram premiadas, sendo que 49 receberam as Medalhas de Ouro, e 23, de Prata.

Confira a lista dos espumantes premiados com medalha de ouro: Leia mais »

Bookmark and Share

Degustações do fim de semana: da champagne à cerveja especial

21 de outubro de 2011 0

Neste final de semana, Porto Alegre apresenta diversas atrações – todas elas com vagas limitadas – para os degustadores de plantão. Hoje, dia 21 de outubro, às 19h30, na Enoteca Conte Freire, terá a Degustação Vertical Premium da Champagne Dom Perignon, uma das marcas mais famosas e apreciadas no mundo. No evento, será possível conhecer quatro produtos vintage – safrados, normalmente no caso de champagnes e espumantes é sinônimo de muita qualidade – dos anos de 1998, 1999, 2000 e 2002, todos eles com apresentação da Enóloga Maria Amélia Duarte Flores. O evento custa R$ 250,00 e acompanha também queijos e frutas da estação.

Também hoje, às 20h, na Via Vino, ocorre a Degustação de Brancos Top, na qual serão apresentados seis garrafas de duas vinícolas argentinas de destaque. São elas: Las Perdices (Pinot Grigio, Viognier e Torrontes) e Finca La Anita (Tocai Friulano, Semilon e Sauvignon Blanc). O evento terá apresentação do sommelier Maximiliano Piso e custa R$ 80,00.

No sábado, 22 de outubro, na Colônia Villanova, o chef Rodrigo Lopes Ribeiro prepara um almoço temático e harmonizado com vinhos para comemorar a abertura oficial do estabelecimento. O destaque fica para o prato principal: o Escondidinho Villanova, feito com ragú de cogumelos orgânicos, polenta orgânica e queijo colonial, acompanhado de um Pinot Noir 2010 da Vinícola Miolo. O almoço acontece às 13h e custa R$ 60,00.

E por fim, mas não menos importante, domingo, dia 23 de outubro, será o 6º Encontro Aberto da Acerva Gaúcha, que, para quem não sabe, é a Associação dos Cervejeiros Artesanais. No evento, terão bastantes exemplares de cervejas feitas na panela, além de rótulos de microcervejarias, sendo ofertados mais de 1800 litros de cervejas especiais. Infelizmente os ingressos estão esgotados, e não há previsão de abertura de um novo lote.

Em tempo: como já tinha postado, segunda-feira tem o Circuito Brasileiro de Degustação da Ibravin.

Bookmark and Share

Espumante brasileiro em degustação internacional

20 de outubro de 2011 0

A renomada crítica britânica Jancis Robinson apresentará, no Wine Future Hong Kong 2011, que acontece de 6 a 8 de novembro, em Hong Kong, 15 vinhos que, segundo a sua percepção, são relevantes e merecem estar na lista dos enófilos. O interessante é que um deles é o espumante brasileiro Cave Geisse Brut 1998. Produzida pela vinícola Geisse, de Pinto Bandeira, na Serra Gaúcha, a bebida recebeu da crítica a nota 18,5 – em um máximo de 20 pontos -, sendo que a Jancis considerou o produto “um dos mais impressionantes espumantes que me chegaram em muito tempo!”. O preço da garrafa de 1,5l é de 600 reais.

Espumante brasileira que é artigo de luxo | Crédito: Divulgação Ibravin, Daniela Villar

Espumante brasileira que é artigo de luxo | Crédito: Divulgação Ibravin, Daniela Villar

Além da Geisse, quatro outras vinícolas brasileiras estarão presentes no evento: Aurora, Lidio Carraro, Miolo e Salton. O objetivo das vinícolas é, através do projeto Wines of Brasil, conquistar mercado e, inclusive, buscar parceiros comerciais na Ásia – a exemplo da Miolo, que fechou recente acordo de exportação de seus produtos para Hong Kong. O projeto Wines of Brasil é realizado em parceria entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Confira os 15 vinhos que serão apresentados por Jancis Robinson no Wine Future 2011:

1. Brasil – Geisse Brut 1998 (magnum);
2. Austrália – Shaw and Smith – M3 Chardonnay 2010 Adelaide Hills;
3. Alemanha – Dr. Loosen, Erdener Treppchen Riesling Kabinett 2008 Mosel;
4. Áustria – Jurtschitsch, Schenkenbichl Grüner Veltliner Reserve Erste Lage 2009 Kamptal;
5. Turquia – Kavaklidere, Prestige Öküzgözü 2008 Elazig;
6. Nova Zelândia – Felton Road, Cornish Point Vineyard 2010 Central Otago;
7. Borgonha (França) – Louis Jadot, Clos St Jacques Premier Cru 1990 Gevrey Chambertin;
8. Piemonte (Itália) – Gaja 2008 Barbaresco;
9. Toscana (Itália) – Antinori, Tignanello 2001 Toscana;
10. China – Grace Vineyard, Tasya’s Reserve Cabernet Sauvignon 2008 Shanxi;
11. Chile – Almaviva 2005 Puente Alto;
12. África do Sul – Vergelegen 2000 Stellenbosch;
13. Argentina – Catena Zapata Catena Alta Malbec 2000 Mendoza;
14. Rhône (França) – Tardieu Laurent, Cuvée Spéciale 2006 Châteauneuf-du-Pape;
15. Califórnia (EUA) – Ridge Monte Bello 1995.

Bookmark and Share

Ibravin realiza Circuito Brasileiro de Degustação em Porto Alegre

19 de outubro de 2011 3

Um recorte de vinhos, espumantes e sucos de uva brasileiros poderá começar a ser degustado no próximo dia 24 de outubro, no Circuito Brasileiro de Degustação, que se inicia em Porto Alegre. Promoção do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o evento, que não é realizado desde 2005, reunirá, neste ano, amostras de 25 vinícolas, de quatro estados produtores do Brasil, Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e, depois de passar pela capital gaúcha, segue rumo a São Paulo (no dia 25) e Rio de Janeiro (dia 27).

O Circuito Brasileiro de Degustação será realizado das 15h às 22h em Porto Alegre, no Salão Nobre da Catedral Metropolitana (Rua Duque de Caxias, 1047). Das 15h às 19h, o evento é fechado para profissionais da área (sommeliers, chefs, proprietários de restaurantes, bares, hotéis, entre outros) e jornalistas. A partir das 19h, o público consumidor em geral poderá participar – o preço do ingresso é de R$ 50. O Ibravin está oferecendo 100 vagas gratuitas para consumidores, desde que se inscrevam com antecedência através do e-mail vinhoearte@gmail.com.

Programação

A novidade desta edição do Circuito será a realização de palestras – que também demandam inscrição prévia – com degustações temáticas, tendo como condutores os principais jornalistas e críticos de vinhos do Brasil. Às 16h, o jornalista Marcelo Copello fala sobre “As raridades dos Vinhos do Brasil”. Em seguida, às 18h, acontece a mesa redonda sobre os espumantes brasileiros. E para finalizar, às 20h, a sommelier carioca Deise Novakoski conduzirá o tema “A Diversidade dos Vinhos Brasileiros”.

Participam do evento as vinícolas Antônio Dias, Basso, Campos de Cima, Casa Valduga, Cave Marson, Cooperativa Vinícola Aurora, Cooperativa Vinícola Garibaldi, Dal Pizzol, Dom Cândido, Domno do Brasil, Don Giovanni, Don Laurindo, Duccos, Dunamis, Góes & Venturini, Larentis, Lidio Carraro, Miolo, Pericó, Perini, Pizzato, Sociedade Vinícola Estrada Real, Salton, Valmarino e Viapiana.

Bookmark and Share

Aprendendo a harmonizar

12 de outubro de 2011 0

Uma das atividades do curso de sommelier do Senac-RS é compreender de que forma pode se dar a perfeita harmonização entre comida e bebida. Assim, participamos, meus colegas e eu, de um jantar idealizado pelo chef Sander Beschorner e executado pelos estudantes de gastronomia André Renck, André Medeiros, Biba Retamozo, Luiz Augusto e Rosa Elizabeth. No quesito sommelierie, o responsável foi ninguém menos do que o professor Cristiano Ribeiro.

A arte da harmonização | Foto: Rafael Lorenzato

A arte da harmonização | Foto: Rafael Lorenzato

Essa foi a segunda ocasião em que tivemos a oportunidade de trabalhar com a questão da harmonização. Contudo, no primeiro jantar, preparado pelo chef Mamadou Sène, a proposta não era exatamente realizar a tarefa a rigor, mas, sim, experimentar as sensações proporcionadas pela degustação simultânea de cada prato com alguns vinhos selecionados, para apreender de que forma se dão essas interações gastronômicas.

Já com o paladar melhor preparado, partimos para o segundo jantar. Nesse, a ideia de Sander foi ofertar pratos com muito sabor e texturas, com o fim de criar um desafio na hora da harmonização. Assim, brincou com os diversos elementos gustativos, através de preparações que mesclavam o doce, amargo, salgado e ácido.

Endívias: amargor pungente | Foto: Rafael Lorenzato

Endívias: amargor pungente | Foto: Rafael Lorenzato

De entrada, então, foram servidas Endives au beurre de speculoos – endívias acompanhadas de manteiga composta, bananas salteadas e finas bolachas de canela –, acompanhadas do Sauvignon Blanc Taipa Vigneto 2011 da Cave Pericó. Bem amarga, a endívia, mesmo misturada a outros ingredientes adocicados, sobrepujou a bebida, que precisava ter um pouco mais de persistência, álcool e estrutura. Contudo, a combinação entre o doce, o amargo e o ácido do prato foi aceitável, balanceando bem o frescor e o frutado do vinho com os sabores do prato.

Nagê de camarão e vieiras | Foto: Rafael Lorenzato

Nagê de camarão e vieiras | Foto: Rafael Lorenzato

O segundo prato, Crevettes et pétoncles au nauge sauce vanille – nagê de camarão e vieiras ao molho de baunilha – era leve e bem neutro, com exceção do molho, que dava vida a todos os demais ingredientes. Combinando por justaposição, o Don Guerino Reserva Victoria Chardonnay 2011, com passagem por barris de carvalho, trabalhou em conjunto com a preparação, oferecendo sensações semelhantes de acidez, doçura e untuosidade.

Na sequência, tivemos um Filet Wellington a la sauce Godard – filé mignon ao molho Godard, servido com cebolas glaceadas e aspargos salteados –, junto de um Província de São Pedro Cabernet Saugignon da safra de 2010. O vinho, com um toque bem marcante de frutas vermelhas maduras, de excelente acidez e aroma frutado, harmonizou bem com o prato por contraposição, à exceção do aspargo, cuja combinação não funcionou muito. Mas vale a pena ressaltar o fato de que toda literatura especializada em enogastronomia é categórica em afirmar que o aspargo é, realmente, um elemento de difícil harmonização.

Aspargos dificultam a harmonização | Foto: Rafael Lorenzato

Aspargos dificultam a harmonização | Foto: Rafael Lorenzato

Além disso, o molho, feito à base de espumante, deu um tom adocicado à preparação, mesclado à neutralidade da massa de brioche que envolvia a carne. Essa, por sua vez, ganhou um toque forte, salgado, quando aliada ao presunto cru, que também compunha a receita, marcando bastante presença no paladar. O vinho, nesse caso, trabalhou “limpando” a boca para a próxima garfada. Contudo, foi possível perceber a persistência das sensações gustativas tanto do prato quanto do vinho mesmo passado um tempo após a refeição, em uma harmonização bem-sucedida.

A sobremesa, um Mousse au fruits de la passion et chocolate – musse de maracujá com flores servido em tartelete de chocolate –, veio acompanhada do vinho Quinta de Baldias, um Porto Branco. A alcoolicidade da bebida (19,5%), aliada à sua doçura, mas com um pouco de acidez, casou muito bem com a estrutura do prato, que mesclava a também acidez no maracujá com a untuosidade da massa de tartelete de cacau. Outras opções poderiam ter sido um vinho de colheita tardia ou até mesmo uma espumante, que sempre cai bem. Para atenuar o doce desse porto, a temperatura de serviço foi de 11ºC.

Que tal provar um pedacinho dessa experiência enogastronômica na sua casa? Segue a receita da sobremesa chef Sander Beschorner.

Mousse au fruits de la passion et chocolate

Tartelete de chocolate com musse de maracujá | Foto: Rafael Lorenzato

Tartelete de chocolate com musse de maracujá | Foto: Rafael Lorenzato

Musse de maracujá
500ml de creme de leite fresco;
3 gemas;
150g de açúcar refinado;
125ml de suco de maracujá concentrado;
1 clara de ovo em neve;
1 maracujá fresco.

Pâte Sucrée de chocolate
230g de farinha de trigo;
20g de cacau escuro;
140g de manteiga sem sal;
80g de Açúcar de confeiteiro;
2g de sal;
1 ovo.

Decoração
Flores comestíveis
Calda de maracujá feita com o suco e as sementes da fruta, reduzida em baixa temperatura com um pouco de açúcar

Modo de Preparo:

Musse
Bata o creme de leite fresco até o ponto chantilly e reserve. Em fogo baixo, reduza o suco de maracujá com o açúcar e deixe esfriar. Em seguida, bata as gemas com 100g de açúcar na batedeira até que espume bastante. Quando estiver pronto, misture à nata batida. Para finalizar o musse, bata as claras em neve e misture tudo.

Tartelete
Faça uma sablage (farinha + cacau + manteiga gelada) até formar uma farofa. A seguir, incorpore sal, açúcar de confeiteiro e ovo, misturando até formar uma massa compacta. Amasse levemente até que a massa fique lisa, mas não sove demais, para não modificar a textura da preparação. Leve ao freezer por 30 minutos para descansar em um saco plástico. Após, é só abrir a massa – a melhor forma é fazer isso com ela no meio de dois plásticos – e coloque em formas com fundo removível para assar. Em forno pré-aquecido, deve ficar pronto em 20, 30 minutos.

Montagem
Cobrir as tarteletes, depois de frias, com o musse de maracujá misturado a pétalas de flores comestíveis. Levar para gelar, decorar a gosto e servir com calda de maracujá e flores.

Bookmark and Share

Começa a festa do espumante nacional

06 de outubro de 2011 0

É hoje, às 19h, a abertura oficial da 12ª Fenachamp, em Garibaldi, na Serra Gaúcha. O evento acontece de 6 a 30 de outubro.

Aceita um espumante? | Foto: Rafael Lorenzato

Aceita um espumante? | Foto: Rafael Lorenzato

Em paralelo à programação oficial, que inclui diversos shows e apresentações, a Fenachamp traz também cursos de degustação, organizados pelas próprias vinícolas, e também oferece o Ateliê Gastronômico, com oficinas gastronômicas que serão realizadas em parceria com o Senac.

O evento terá ainda um Sabrage Coletivo, que já possui 168 inscritos e com o qual a organização da festa pretende entrar no livro dos recordes. O sabrage, cerimônia através da qual abrem-se garrafas de espumante com um sabre, acontece no dia 08 de outubro (sábado), a partir das 15 horas.

VII Concurso do Espumante Brasileiro

Acontecerá, também, dentro das atrações da Fenachamp, a sétima edição do Concurso do Espumante Brasileiro. Serão degustados e avaliados, de 25 a 27 de outubro, espumantes que já estejam sendo comercializados, divididos em duas categorias: com segunda fermentação, que inclui os métodos Charmat e Tradicional; e de primeira fermentação, no caso dos Moscatéis.

A avaliação é realizada por um painel de degustadores, selecionados entre jornalistas, enólogos e outros especialistas. Na última edição, 66 vinícolas – de cinco estados – concorreram com 205 amostras. Na ocasião, a vinícola Dal Pizzol recebeu a Grande Medalha de Ouro, por sua Do Lugar Espumante Brut Charmat, que custa aproximadamente R$35,00 no varejo.

Mais informações sobre a Fenachamp podem ser obtidas no site da festa.

Bookmark and Share