20 jun19:34

Escola melhora alimentação de alunos e índice de reprovação reduz

Cristiane Rhoden, RBS TV


Você sabe como está a alimentação do seu filho? E o que ele come na escola? Um município do Alto Uruguai está controlando o que vai para a mesa dos estudantes. Em Getúlio Vargas, depois de identificar que o  índice de obesidade infantil cresce entre as crianças, as escolas tiveram que se adaptar a um cardápio mais nutritivo e natural. O resultado melhorou até o desempenho das crianças em sala de aula. O índice de reprovação e infrequência já reduziu em 80%.



Para ensinar aos alunos a importância de uma alimentação saudável,  a escola fez uma pesquisa. Primeiro, o índice de massa corporal das crianças foi medido. Pelo cálculo que leva em conta o peso, altura e idade é possível identificar quem está  desnutrido, com sobrepeso ou obeso. Mais de 800 estudantes foram avaliados. O resultado surpreendeu: 11% dos alunos estão obesos e  7% desnutridos.


- Por perceber que a criança precisa de uma boa alimentação, nós começamos a introduzir alimentos mais naturais. A pesquisa veio ao encontro do dia -a -dia da escola- fala a coordenadora Elizamara Grigoleto Ulrich.


Cada aluno recebeu uma caderneta de avaliação nutricional. Com o documento, os pais podem acompanhar o crescimento dos filhos. Os casos mais graves foram encaminhados aos postos de saúde para atendimento individual.  Os dois filhos da dona de casa Márcia Eliane de Souza estão abaixo do peso e  ela não sabia o quanto a desnutrição pode prejudicar o desempenho na escola.


- A gente pesa todo mês, mas ninguém se preocupava em dizer que as crianças estavam abaixo do peso, para procurar uma nutricionista- diz.


Já o filho da enfermeira Cristiane Carvalho, tem sete anos e pesa 43kg, 10 acima do normal.


- Se a gente manda de casa, eles comem só besteira. Na escola, as crianças tem uma alimentação mais saudável –  conta.


Com a saúde em dia, as aulas ficam mais atrativas. O índice de reprovação e infrequência já reduziu em 80%.


-  Acho que a aceitação dos alunos é 100%. Um estômago bem cheio, uma cabeça pensante melhor- fala a merendeira Cleci Carvalho, que há 18 anos cuida da alimentação de crianças, nas escolas de Getúlio Vargas.


Assista a matéria no Jornal do Almoço.

Por

Comentários