clicRBS
Nova busca - outros
18 out16:57

Viadutos assina contrato para obras na ERS-331


O trecho urbano da ERS-331 que passa pelo município de Viadutos receberá a primeira camada asfáltica para nivelamento da rua, uma espécie de tapa buracos. A empresa vencedora da licitação é de Capinzal, Santa Catarina, e teve o contrato assinado na manhã desta terça-feira (18). Prazo para término das obras é de 30 dias.


A obra será realizada pelo valor de R$ 265.747,33 com recursos próprios da prefeitura para reperfilagem em concreto betuminoso usinado a quente, no trecho de pouco mais de um quilômetro, que passa pelo centro da cidade. Conforme o contrato, a empresa fornecerá mão de obra e o material.


De acordo com o engenheiro da prefeitura, Cristiano Zordan Chiochetta, a reperfilagem tem aproximadamente 3 cm de espessura e a pavimentação cerca de 4 cm. A obra é necessária para regularização do leito da pista que depois receberá a camada final.


Junto com a assinatura do contrato foi autorizado o início das obras. Conforme o engenheiro Alessandro Antônio Bittencort dos Santos, na próxima semana será feita a limpeza do local e dado início na colocação da primeira camada asfáltica. O prazo para término das obras é de 30 dias.


A expectativa é iniciar a execução da camada asfáltica do convênio com o Estado assim que esta primeira parte for concluída.


————————————————————————————————-

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Viadutos

Comente aqui
16 out15:25

IDEAU comemora Dia do Professor


É natural que numa instituição de ensino o Dia do Professor seja lembrado de forma diferenciada. Além do abraço e do reconhecimento, outras manifestações de carinho aconteceram em razão do dia 15 de outubro no IDEAU, em Getúlio Vargas.

Tanto na Escola Básica, quanto no Ensino Superior, flores, mensagens e lembranças sensibilizaram os docentes da instituição, em todos os níveis. Neste ano, uma das homenagens partiu do CPM e Clube de Mães do Centro de Educação Básica IDEAU Colégio Sta. Clara.

E na graduação, o Curso de Design de Moda contribuiu confeccionando os sacos de lixo para carro personalizados com o brasão IDEAU que foi dado a cada professor da instituição.



__________________________________
Fonte: Assessoria de Imprensa IDEAU

1 comentário
13 out14:00

Estação recebe apresentação de musical infantil


O Arte Sesc – Cultura por toda parte apresenta o musical infantil “A cãofusão – uma aventura legal pra cachorro”, de Marcelo Adams, no salão de Atos da URI Campus de Erechim, dia 26 de outubro. A comédia conta a história de Lady, uma cadela que vê, com o nascimento do filho da sua dona, sua posição ameaçada pelo novo centro das atenções. A peça será encenada no Centro comunitário Florestinha (Rua Simão Flores s/nº), a partir das 15h.


Em um passeio, ela conhece Malandro, um cão vira-lata que lhe mostra a cidade com outros olhos, a diferença – e os perigos – de viver com liberdade e a poesia existente nas pequenas coisas. Eles se apaixonam. Paralelo a isso, o perverso rato lago, um grande apreciador de ossos, tenta de todas as maneiras enganar os cães Boris e Paco na tentativa de roubar-lhes a comida. Quando os cães da vizinhança, incluindo Lady, são seqüestrados pelo temível Homem dos Cachorros, chega a hora de unir forçar para libertá-los. As galinhas Crista e Moela participam da aventura, em uma grande fantasia musical, onde, desta vez, o mundo é dos cachorros. Com direção de Lucia Bendati, “A cãofusão – uma aventura legal pra cachorro” tem no elenco Cassiano Fraga, Daniel Colin, Denis Gosch, Fernanda Petit, Letícia Paranhos, Patrícia Soso, Ricardo Zigomatico.


A entrada é franca, mediante a doação de 1 kg de massa – alimento será doado a instituições sociais da cidade. Outras informações através do Sesc Erechim (Trav. Ernesto Bernardi, 71) ou pelo telefone (54) 3522-1033.


————————————————————————————————

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc- RS

Comente aqui
12 out15:37

Barão de Cotegipe inaugura nova Unidade Básica de Saúde


Barão de Cotegipe inaugura nesta quarta-feira uma nova Unidade Básica de Saúde.  O local possui auditório para palestras, consultórios médicos e de enfermagem, farmácia, administrativo, atendimento de psicologia, dentre outros.


A construção custou  mais de R$ 800 mil  e, segundo a prefeitura,  deve sanar um problema físico da unidade antiga que não comportava mais a demanda do município. A Unidade Básica de Saúde localiza-se na Rua José Mantovani, ao lado da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário.


——————————————————————————————————————-

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Barão de Cotegipe

Comente aqui
12 out03:24

Arte Sesc apresenta musical “Opera Pampa” em Marcelino Ramos


O Arte Sesc – Cultura por toda parte apresenta o espetáculo “Opera Pampa”, nesta sexta-feira (14), em Marcelino Ramos. O musical homenageia nomes como Vítor Ramil, Jaime Caetano Braun, Nei Lisboa e Lupicínio Rodrigues. Na oportunidade será possível conferir novas versões através do quinteto formado por Rodolfo da Costa (voz e violão), Cassiano Farina (vocais e baixo), Diogo Farina (vocais e violão), Marcelo Silva (Percussão) e Diego “Floreio” Dias (acordeon). A apresentação será no Largo da Matriz, às 20h, com entrada franca.


- A intenção é resgatar clássicos da MPG, sem critério de gêneros ou estilos, desde as milongas, aos sambas e o rock. Além da oportunidade ímpar de levar um show para cidades aonde ainda não havíamos nos apresentado, vamos poder pesquisar ainda mais sobre a cultura do nosso estado – destaca Rodolfo Costa.


Outras informações com o Sesc Erechim, pelo telefone (54) 3522-103, ou na Prefeitura de Marcelino Ramos com a Secretaria de Cultura.


—————————————————————————————-

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc- RS


Comente aqui
06 out12:37

Sucessão na agricultura familiar é tema de debate em Ponte Preta


Ponte Preta discute a  sucessão na agricultura familiar nesta sexta-feira (7),  na comunidade Nossa Senhora do Rosário,  a 5 quilômetros do município. O objetivo do evento é debater, através de exposição, pronunciamentos e visita a uma propriedade, sobre o futuro da agricultura familiar.


De acordo com o gerente adjunto da Emater de Erechim, Paulo Trierveiler,  essa é uma das programações pioneiras no Rio Grande do Sul e a idéia é fazer com que o tema seja discutido por diversas lideranças.


- Temos que trazer essa discussão importantíssima como é a sucessão na agricultura familiar e tentar encaixar ela nos calendários e agendas dos prefeitos, secretários, vereadores, governos municipais, estaduais e federal. Além disso, é um tema que deve ser debatido entre as famílias que moram no campo – explicou


Para o prefeito de Ponte Preta, Luis Carlos Parise, o tema merece atenção especial, pois está ligado diretamente com o desenvolvimento não só do Alto Uruguai, mas também do Estado.


- A base da economia regional é agrícola e nós precisamos tratar desse tema com muito cuidado, até por que a agricultura familiar é responsável por 70% dos alimentos que vão à mesa do povo brasileiro e é geradora de 27% da economia gaúcha. Se o jovem não ficar no campo, que irá produzir alimento? – questiona Parise.


Segundo a organização, em torno de mil pessoas já confirmaram presença. Pessoas interessadas no evento devem procurar a Emater municipal para mais informações. A promoção é da prefeitura de Ponte Preta, Emater-RS, Fetag-RS, Via-Campesina, Fetraf-Sul, AMAU, Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo e Governo do RS.


—————————————————————————————-

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ponte Preta

Comente aqui
21 set16:04

Viadutos organiza a 8ª edição dos jogos Rurais Sol a Sol


A Emater e a Prefeitura de Viadutos preparam a 8ª edição dos Jogos Rurais Sol a Sol, que tem o intuito de promover a integração e a confraternização das famílias rurais, através do esporte, recreação, conhecimento e troca de idéias, melhorando a saúde física e mental.


O evento está marcado para o dia 29 de outubro, na comunidade de Linha Alice, interior de Viadutos com abertura oficial às 8h30min. A partir das 13h30 inicia o desfile com a escolha da Garota Sol a Sol.


——————————————————————————————-

Fonte: Assessoria de Imprensa de Viadutos



Comente aqui
19 set15:56

Escola de Viadutos desenvolve projeto com vovós


Revirando o passado,  crianças de Viadutos descobriram como era a vida antigamente.  Um projeto que conta com a ajuda das avós dos alunos, ensina e fortalece vínculos afetivos. Na última semana, a Escola Municipal de Educação Infantil Viadutos promoveu  mais uma etapa do “Revirando o Passado”. Desta vez eles aprenderam como os avós faziam para se locomover, se comunicar com os parentes e amigos e se divertir.  No fim, a garotada até recebeu uma massagem nos pezinhos.

Depois do papo, os avós aprenderam uma técnica de massagem que fizeram nos pés dos seus netos. De acordo com a diretora da escola, Solange Balbinoti, um dos objetivos da escola é desenvolver um trabalho de qualidade em parceria com a família.


- Os avós também fazem parte do desenvolvimento da criança e por isso são parte no contexto do projeto – explica.


Outra atividade que integrou o projeto foi uma visita a cidade de Marcelino Ramos. Lá conheceram a ponte que liga o RS a SC, a Estação Ferroviária, a Casa da Cultura e a Rádio Salette.


Depois disso, os estudantes foram desafiados e levar para a escola objetos antigos e com isso montaram um mini museu. Eles conseguiram levar desde telefones, até ferro de passar roupas aquecidos com brasa.


————————————————————————————————

Fonte: Assessoria de Imprensa de Viadutos

Comente aqui
08 set18:14

Erval Grande promove a 9ª Festa da Primavera



Conhecida como a Capital das Azaleias, Erval Grande promove a 9ª Festa da Primavera, entre os dias 9 e 11 de setembro. Pelo menos quatro shows devem levar um grande público até a cidade, que celebra a estação mais colorida do ano.











Comente aqui
03 set11:22

Gaúcho mantém fogo de chão há 50 anos

Marielise Ferreira| marielise.ferreira@zerohora.com.br



Danilo Webber, gaúcho de nascimento e coração, mantém há 50 anos um fogo de chão, sem nunca apagar. O galpão que cresceu ao redor do fogo abriga objetos e recordações que contam a história de uma vida e já se transformam em ponto de peregrinação para gaúchos de todos os costados, que passam por Erebango.

Quem vive na lida campeira é acostumado a madrugar para dar comida aos bichos e fazer as tarefas da casa. Mas na propriedade de Webber, a primeira preocupação é com o fogo. Antes mesmo do próprio café, o agricultor junta a lenha e vai dar de comer àquele que considera seu melhor amigo. Com passos largos caminha os poucos metros da casa em que mora com a mulher Aldira, 67 anos, e abre a porta do galpão que protege o fogo de chão, nascido há 50 anos.

“Amor antigo, um dom de deus”. Assim é que ele define sua relação com as labaredas. Desde menino Webber tinha atração pelo colorido vermelho e pelo calor produzido pelo fogo. Vivia tenteando uns gravetos e tirando faíscas de uma pedra, para ver as chamas cintilarem. Criado pelos irmãos depois da morte dos pais, ele herdou as terras em que a família vivia e foi ali, aos 19 anos, que criou o amigo que o acompanharia ao fim dos seus dias.

De namoro firme, ele acendeu um fogo na taquara para aquecer o revirado de feijão, enquanto ia desmanchando a casa velha do pai para levantar ali o seu ninho, local em que pretendia levar a esposa a morar assim que casasse. Era dia de Nossa Senhora Aparecida, 12 de outubro e o agricultor viu no fogo um sentido especial, como se fosse dedicado à sua santa. Decidiu naquela hora, que não deixaria mais o fogo morrer. E assim fez.

Já são 50 anos e o fogo continua ali, fiel. A vida correu ao redor do fogo de chão, muita coisa aconteceu. Para dar conforto, um galpão feito com costaneira de árvores foi construído ao seu redor. Para alertar a quem queira ter um fogo assim em sua casa, Webber alerta que nem tudo é um mar de rosas nesta relação. O fogo também representa um risco.

Uma noite, na década de 80, o fogo sentiu muita fome e queimou o galpão. A família acordou na madrugada e fez de tudo para apagar.

- Não é que daquelas ruínas, só ficou o fogo do velho? conta dona Aldira, que nem sempre compactua – talvez por ciúme- com o amor dedicado do marido.

Meio conta a vontade da família, ele insistiu na amizade. Protegeu as brasas por uns dias, seguiu alimentando o fogo e reconstruiu o galpão ao redor dele.

Quando a dificuldade financeira bateu à porta dos Webber, e ele precisou trabalhar como tarefeiro, ficando vários dias fora de casa, ele teve no fogo seu maior apoio. Com medo que se apagasse, ele levava numa panela de ferro as brasas vivas para a lavoura. Armava acampamento e passava os dias trabalhando e usando o fogo para esquentar o chimarrão, fazer café e o carreteiro do almoço.


PONTO DE PARADA PARA TRADICIONALISTAS


Ao longo destes anos, a história de Webber se espalhou. Considerado ponto turístico da cidade, o fogo de chão passou a receber visitas de comitivas de CTGs, virou ponto de parada das cavalgadas ao Cemitério dos Combates e virou tema de pesquisa para alunos de escolas da região na época farroupilha.

- É no alpendre, junto às cinzas do borralho, teto galvanizado pelo picumã, que Danilo Weber faz as honras da casa_ narra o tradicionalista Dari Schaffer, que se rendeu ao jeito simples e campeiro de ser do gaúcho.

Sentado em um banquinho de couro, ao pé do fogo, ele ceva o mate e entre uma e outra baforada do seu cigarro de palheiro, proseia com o fogo. Conta causos, reparte angústias e dá boas risadas. Se transforma em poesia pura, quando os primeiros raios do dia invadem o galpãozinho, contrastando com o brilho quente do fogo. Acima das labaredas, a velha chaleira pendurada por correntes e ferro e outros utensílios se transformaram em esculturas moldadas pela picumã, acumulada ao longo dos anos. Até para se desfazer das cinzas o gaúcho fica sentido, e uma montanha delas, maior que o próprio dono, já se acumula no quintal, endurecida pelo tempo.

O lugar pitoresco já atraiu visitantes e gente que celebrou ali seus votos. Noivados, casamentos e até batizados já foram assistidos pelo fogo de chão.

- Hoje os filhos dos filhos deles vem aqui matear comigo, e a porteira está sempre aberta_convida Webber.

As paredes do galpão são forradas de memórias, utensílios usados pelo pai, botas velhas, recordações de visitantes, cartas de amigos conquistados de longe, emolduradas em quadros. Até as caveiras de Gaúcho e Diamante, dois bois de canga que o ajudavam a puxar lenha do mato estão por ali fazendo lembrar um pouco da vida do homem que tirou da terra o sustento e criou sete filhos.

Então surge poderosa, a dúvida. Como vai ser, quando o Webber for chamado pelo grande Patrão da querência?

- Quando deus vier me buscar, eu morreria feliz se soubesse que alguém assumiria de cuidar do fogo como eu, de dar de comer a ele.

6 comentários