clicRBS
Nova busca - outros

Eleições

25 out18:33

Inscrições abertas para conselheiros tutelares


O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Erechim (Comdicae) abre inscrições para eleição extraordinária de conselheiros tutelares para banco de suplentes. As inscrições devem ser feitas na Secretaria de Cidadania. É  preciso ser 21 anos, curso superior completo, eleitor e ter disponibilidade de horário de trabalho em regime de dedicação exclusiva. A eleição ocorre no dia 31, às 16h, na  Sala de Reuniões dos Conselhos Municipais, no mesmo endereço das inscrições.


Localização:

Secretaria de Cidadania, Av. Salgado Filho, 227, Centro com Aládia; de 25/10 a 31/10, das 08h às 11h30min e das13h30min às 18h.



Comente aqui
31 out15:17

Vale lembrar: o que pode e o que não pode nestas eleições

Guia do eleitor

Para evitar problemas e votar com tranquilidade, o eleitor deve estar atento a algumas restrições impostas no dia do pleito. Confira abaixo uma lista do que pode e do que não pode ser feito:

Distribuição de materiais

A distribuição de panfletos ou brindes (camisetas, bonés, chaveiros, canetas) contendo propaganda eleitoral é proibida no dia da votação.

……

Uso individual de broches, bandeiras ou adesivos

O uso de broches, bandeiras ou adesivos que constituam manifestação silenciosa da preferência do eleitor é permitido. No entanto, é proibida a aglomeração pública de pessoas com vestuário padronizado. ..


Uso de santinho ou cola

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permite e inclusive incentiva o eleitor a levar consigo um “santinho” ou “cola” com o número dos candidatos nos quais deseja votar para a cabine eleitoral.

……

Boca de urna

Boca de urna, além de proibido, é crime e pode resultar em prisão. Quem flagrar alguém fazendo boca de urna deve comunicar a Brigada Militar.

……

Bandeiras e cartazes móveis

Só são permitidas as presenças de bandeiras ou cartazes móveis nas ruas até às 22h da véspera do dia das eleições, e desde que não atrapalhem o bom andamento do trânsito.

Propaganda em veículos de transporte públicos

É proibida a veiculação de propaganda em veículos de transporte público, desde ônibus até táxis e lotação, por tratarem-se de serviços que depende de cessão do poder público.

……

Propaganda em bens particulares

A propaganda em bens particulares – como pinturas em muros ou uso de faixas nas fachadas de residências – é permitida, desde que espontânea e gratuita.

Comícios e carreatas

Estão proibidos no dia do pleito. A realização constitui crime punível com prisão e multa.

……

Showmícios

Showmícios e eventos para promoção de candidatos com a apresentação de artistas, remunerados ou não, estão proibidos durante todo o processo eleitoral. …

Uso de aparelhagem de som

É proibido o uso de alto-falantes e aparelhagem de som no dia do pleito.

……

Bebida alcoólica

A legislação eleitoral não prevê a proibição da venda ou do consumo de bebidas alcoólicas no dia da eleição.

……

Votar por outra pessoa

É crime e pode resultar em até três anos de prisão.

……

Uso de celular na cabine eleitoral

O uso na cabine eleitoral de telefones celulares ou qualquer outro tipo de equipamento tecnológico que possa comprometer o sigilo do voto – máquinas fotográficas, filmadoras, etc – é proibido.

……

Fonte: Tribunal Regional Eleitoral / Rio Grande do Sul

Comente aqui
31 out11:43

Halloween também nas urnas

Marielise Ferreira, Zero Hora


Os eleitores estão fazendo de tudo para conciliar o dia da eleição com o feriado e o lazer das crianças.  Foi vestida de bruxinha que a menina Gabriele Bassi, de nove anos, acompanhou a mãe Franciele ao local de votação, no bairro Três Vendas em Erechim. Dia de Halloween, ela queria brincar.

- Minha irmã está vestida de fada e depois vamos visitar o vovô _ contou a pequena.

Franciele fez questão de votar ainda de manhã para passar o restante do dia com a família.

Como ela, boa parte dos eleitores foi às urnas ainda pela manhã. Nenhum incidente foi registrado em Erechim, conforme o Cartório
Eleitoral.

Comente aqui
31 out11:21

Presos votam no Presídio de Erechim

Marielise Ferreira, Zero Hora



Um esquema de segurança especial foi montado no Presídio de Erechim para que 19 presos votassem esta manhã, no segundo turno das eleições presidenciais. Estavam cadastrados na seção eleitoral, 23 apenados que estavam com prisão preventiva ou temporária decretada e ainda não haviam sido julgados.

No entanto, apenas 19 puderam votar, já que quatro deles tiveram condenação definitiva no período que separou o primeiro do segundo turno, e acabaram impedidos de exercer o direito ao voto.

A urna foi colocada na sala de aulas do presídio, numa pequena sala onde é realizado o atendimento psicológico dos apenados. Pelo pequeno número, a expectativa é que todos eles votem ainda de manhã.

Comente aqui
31 out11:07

Dificuldade não impediu Daiane de votar

Marielise Ferreira, Zero Hora


A dificuldade de locomoção não impediu Daiane Cararo, 28 anos, de exercer o direito ao voto, em Erechim, no norte do Estado. Por volta das 9h30min de domingo ela usou a cadeira de rodas motorizada para chegar ao local de votação, a Escola Dom, no bairro Três Vendas. Usando o pé esquerdo, Daiane assinou a presença na seção eleitoral e acionou a urna eletrônica.

- Vou votar até bem velhinha, faço questão de ajudar a escolher o presidente do Brasil_ contou Daiane.

O exemplo de superação de Daiane, que mesmo tendo nascido com uma má-formação que impede o movimento dos braços, sensibilizou os mesários na seção em que ela votou.

Comente aqui
31 out08:53

Filas para votar em Erechim

Marielise Ferreira, Zero Hora

Filas se formaram nos principais locais de votação, em Erechim, para dar início à votação. Meia hora antes de serem abertas as seções, os eleitores já estavam em frente à vários prédios aguardando pelo momento do voto. A idéia era votar cedo, para poder partir a outros compromissos e aproveitar o restante do feriadão.

Gerci de Quadros, 50 anos, foi uma das primeiras a chegar à Prefeitura de Erechim onde várias seções de votação estão instaladas. Com o título na mão, ela pretendia votar cedo para visitar túmulos de familiares em cemitérios de Jacutinga, Erebango e de Erechim.
Na região de Erechim, devem votar 224 mil eleitores, 72 mil deles cadastrados em Erechim, maior colégio eleitoral.


Gerci de Quadros, 50 anos, foi votar cedo para visitar túmulos de familiares.

Filas se formaram em frente a locais de votação em Erechim.



Comente aqui
31 out08:47

Viajou no feriadão?

Guia do Eleitor

O eleitor que estiver fora do seu domicílio eleitoral no dia das eleições deverá justificar a ausência. Para isso, o eleitor deve comparecer à seção mais próxima para apresentar ao mesário o formulário “Requerimento de justificativa eleitoral” preenchido, junto com seu título de eleitor ou documento oficial com foto (carteira de identidade, de trabalho, funcional ou certificado de reservista).

Atenção: mesmo que não esteja portando seu título, o eleitor deve saber o número de sua inscrição eleitoral, que pode ser consultado pela internet ou nos cartórios eleitorais. O formulário para justificativa estará à disposição – gratuitamente – nos Cartórios Eleitorais, nas Centrais de Atendimento ao Eleitor ou no site do TSE (www.tse.jus.br) no período de 10 dias anteriores ao pleito até o encerramento da votação.

Não há limitações para o número de vezes que se pode justificar o voto. É possível, ainda, a justificativa no prazo de 60 dias após cada pleito, a qual deverá ser redigida, anexando cópia do título eleitoral ou documento de identificação pessoal, juntamente com o respectivo documento comprobatório da impossibilidade (atestado médico, comprovante de viagem, entre outros), dirigido ao juízo eleitoral da sua inscrição (veja o endereço do seu cartório eleitoral), para análise.

Para contagem do prazo, cada turno é considerado uma eleição.

* E se eu não justificar a ausência no dia da Eleição?

Você poderá, em até 60 dias após a eleição, apresentar a justificativa no seu cartório eleitoral. Para quem não votar no primeiro turno, o prazo encerra-se em 2 de dezembro. O eleitor que não votar e não justificar a ausência nos casos previstos em lei é multado em valor fixado pela Justiça Eleitoral.

* Estou doente ou hospitalizado e não poderei votar. Como proceder?

Se o eleitor não puder se locomover até sua seção eleitoral, deverá apresentar, no prazo de 60 dias, no cartório eleitoral onde está inscrito, pessoalmente ou por familiar, um atestado médico de que estava doente no dia das Eleições.

* Quais são os prejuízos para quem não votar, não justificar a ausência nem pagar multa?

- O eleitor não pode:

> Inscrever-se em concurso público ou tomar posse em cargo público;

> Receber pagamento por serviços prestados a órgãos públicos ou empresas mantidas ou subvencionadas pelo governo;

> Participar de concorrência pública;

> Obter empréstimo em instituições financeiras que tenham participação do governo;

> Obter passaporte ou carteira de identidade;

> Fazer ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo.

Comente aqui
31 out08:41

Participe da cobertura das eleições

Envie fotos, vídeos e textos para participe@clicrbserechim.com.br e acompanhe o andamento da eleição em Passo Fundo no clicRBS Passo Fundo e no Twitter @clicRBS_Erechim.

Comente aqui
31 out02:36

Novo presidente deverá ser conhecido antes das 21h deste domingo

ZEROHORA.COM

O novo presidente da República do Brasil deve ser conhecido, matematicamente, até as 20h30min de domingo. Cerca de 90% dos votos estarão computados até este horário e, com isso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estima que o resultado do pleito esteja definido.

— Por volta de 20h30min, aproximadamente, teremos 90% de votos computados. Com isso já teremos, provavelmente, o resultado da eleição — afirma o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Dutra Janino.

Com o horário de verão, serão três fusos diferentes no país. Isso fará com que, assim como no primeiro turno, os dados iniciais sejam divulgados somente a partir das 19h (horário de Brasília).

— Não divulgaremos os resultados antes das 19h. Nossa expectativa é que, neste horário, entre 40% e 50% da apuração já esteja computada — estima o secretário.

No último dia de campanha, os dois candidatos tiveram atividades em Belo Horizonte, Minas Gerais. De lá, porém, partiram para destinos diferentes. A candidata do PT, Dilma Rousseff, voou para Porto Alegre, onde vota na manhã deste domingo. Ela chegou à capital dos gaúchos por volta das 15h55min e foi direto para seu apartamento na Zona Sul.

De lá, só saiu por volta das 19h45min para ir à casa do ex-marido, Carlos Araújo, e da filha, Paula. Já o candidato do PSDB, José Serra, partiu para uma carreata em São Bernardo do Campo, seguida de uma passeata em Suzano, também na região do ABC paulista. Depois, o tucano respondeu perguntas de internautas feitas via Twitcam.

Comente aqui
30 out10:19

Dilma e Serra lutam pelos votos dos indecisos em último debate

Humberto Trezzi, Zero Hora


Até em função do formato do encontro de ontem à noite, na TV Globo, que não permitiu a Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) dispararem perguntas entre si, os dois candidatos fizeram do último debate o mais propositivo de toda a campanha. Pautados por questionamentos de um grupo de indecisos selecionados em todo o país, os pretendentes ao Planalto se viram forçados a se debruçar sobre temas cotidianos. Deixaram de lado o corolário de denúncias que entupiram a campanha no segundo turno, para, frente a frente com eleitores do estúdio e sob o olhar do Brasil inteiro, convencerem os indecisos de suas propostas em áreas como segurança e saúde.

Nada de farsa, corrupção, entreguismo, quadrilha e outras expressões fortes que marcaram a reta final da campanha presidencial deste ano. No último e decisivo debate antes das eleições, promovido pela TV Globo na noite de ontem, os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) esbanjaram cautela. Até porque a fórmula do programa impediu a troca direta de farpas – tão comuns em confrontos anteriores e tão do agrado de muitos telespectadores. Não, o tom foi ameno.

Na tentativa de priorizar as metas e não os pecados dos debatedores, a direção da TV determinou que os presidenciáveis não fizessem perguntas um ao outro. Além disso, tampouco jornalistas puderam fazer questionamentos. Os únicos com direito a inquirir os presidenciáveis foram 80 eleitores indecisos, que compareceram pessoalmente nos estúdios da TV Globo. Conscientes de seu poder nesse momento decisivo do pleito, estavam todos sentados nas poltronas do Projeto Jacarepaguá (Projac), a Hollywood construída pela Globo na Zona Oeste carioca, quando os candidatos chegaram aos estúdios, às 21h45min.

O primeiro a desembarcar, vindo de helicóptero para driblar um gigantesco congestionamento, foi Serra, disposto a jogar tudo numa última cartada e assessorado fielmente pela esposa e guru, a chilena Monica. Dilma veio depois, escoltada pelo popularíssimo governador fluminense Sérgio Cabral (PMDB) e seu séquito de colaboradores. Os 80 eleitores indecisos, pinçados entre todas as classes sociais, elaboraram cinco questões, de temas que iam da saúde à educação, passando por segurança pública e ambiente. Destas 400 perguntas, a produção da Globo selecionou apenas 12, consideradas as mais perspicazes.

Convictos de que indecisos, via de regra, não gostam de posturas bruscas, os presidenciáveis trataram de fazer um discurso de agrado ao público que os inquiria. Questionada por um servidor público (ex-agricultor) gaúcho sobre projetos para agricultura, Dilma aproveitou para dar um afago ao Estado que a projetou. Afiançou que, durante o governo Lula, de cada 10 tratores vendidos no Rio Grande do Sul, oito se destinam à agricultura familiar. Serra, encostado nas cordas pelas pesquisas que o mostram 10 pontos atrás da adversária, aproveitou a deixa para dar sua primeira alfinetada: criticou a falta de infraestrutura nas estradas rurais, que causa grande estrago à produção agrícola. E prometeu melhorar essa rede capilar que leva o alimento do campo à cidade.

Assessores de peso para Dilma e Serra

Em resposta a uma eleitora que narrou como ficou refém num assalto, Dilma jurou melhorar as polícias Civil e Militar de todos os Estados – expandindo a bolsa-formação, hoje já concedida a cerca de 360 mil policiais. Ela também disse que vai reforçar o policiamento comunitário nos bairros mais pobres. Serra, no contraponto, concordou que o governo federal deve ampliar sua participação na segurança pública, mas preferiu dizer que vai fortalecer a luta contra o contrabando de armas e drogas nas fronteiras. Ele também defendeu a criação de um Ministério da Segurança. A estratégia de amornar as discussões agradou aos militantes governistas.

“Zero a zero. Bom para quem está jogando pelo empate”, tuitou Marcelo Déda, governador reeleito de Sergipe pelo PT.

Já Jutahy Magalhães, baiano e serrista, elogiou seu candidato. “Serra foi muito objetivo. Falou o que pode fazer, com dados reais”.

E foi assim, com Dilma na defensiva e Serra ligeiramente no ataque (mas sem exaltação), que prosseguiu o debate. É que existia apenas uma brecha para alvejar o oponente: os presidenciáveis podiam comentar a resposta um do outro. E não perderam a oportunidade. O candidato do PSDB era municiado com bilhetinhos, olhares e sinais por pesos pesados do staff tucano, como o paulista Alberto Goldman e o Jutahy. Dilma, nos intervalos, se aconselhava com o petista gaúcho Marco Aurélio Garcia (assessor especial do presidente Lula), cochichava com a petista Marta Suplicy, recolhia dicas com o candidato a vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e o anfitrião fluminense, Sérgio Cabral.

Comente aqui