Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Se Viamão não apoiou, eles foram até Bagé para conseguir reconhecimento!

23 de setembro de 2014 0
Crédito: Diego Vara

Crédito: Diego Vara

Ao formar uma banda, sonho de boa parte dos adolescentes, o caminho natural é tentar o reconhecimento no seu bairro, depois, na cidade, no estado, e assim por diante. Pois a história da Death Watch, banda de metal que tem integrantes dos bairros Querência, Esmeralda, Jardim Fiúza e Estalagem, em Viamão, não seguiu bem esse caminho. Somente agora, no dia 12 de outubro, cerca de um ano e meio depois da fundação, é que os guris conseguirão fazer o primeiro show na própria cidade.

- É um cenário bem complicado por aqui. Antes de fechar essa formação e realmente insistir na banda, pensamos em desistir. Não existe apoio da prefeitura nos eventos comunitários. Assisti a um evento, há pouco tempo, que não tinha nem palco. Os caras tocavam no chão, e tinham que levar tudo, desde os equipamentos mais básicos até instrumentos - lamenta Bruno, guitarrista e vocalista da banda.

Metaleiros brazucas de sucesso inspiraram viamonenses 10056178 (detalhe, banda Sepultura)

E foi a mais de 400 quilômetros de distância de sua cidade natal, que os músicos conseguiram reconhecimento. Em agosto, eles participaram do Bagé Rock Festival, em Bagé faturando o prêmio de melhor baterista, para Renato, e ficando em segundo lugar, na categoria melhor banda.

- Tivemos que sair daqui para conseguir algo. Temos mais pessoas que curtem nosso som em outras cidades, como em Porto Alegre e Bagé, do que em Viamão. Tanto é que faremos nosso primeiro show na nossa cidade só agora- lamenta Junior, guitarrista.

Na tão esperada apresentação, que acontecerá no Espaço Urbano, no Centro do município, eles apresentarão a recém-gravada Will Not Fail, além de outras duas próprias e releituras de nomes do gênero, principalmente do Sepultura, um dos grandes inspiradores do grupo.
- A gente sempre curtiu um som mais pesado. E eles são grande referência no mundo. Eu até tive algumas bandas pop antes de entrar na Death, mas a paixão sempre foi o metal_ afirma Renato, baterista e vocalista.

Mesmo com tanta paixão pelo Sepultura, eles afirmam que o foco, a partir de agora, são as composições próprias. Aos poucos, a banda pretende diminuir a quantidade de releituras nos shows, e levar aos fãs do metal as faixas produzidas pela banda.
- A resposta do público ao lançamento da primeira foi boa. Estamos otimistas!- afirma Bruno.
Ainda integra a Death Watchl Alex (vocal).

Pitaco de quem entende 10847265

Juliano “K-lcinha” Carvalho, empresário e produtor musical da dupla Lucas & Felipe, fala sobre a Death Watch:
_ Achei os timbres das guitarras bem legais. Mas deixo uma dica aos guris: um cuidado com a mixagem nas guitarras e na voz, que é interessante. Eu colocaria a voz mais alta. No mais, boa música. Sorte, rapaziada!
<TITULO 1 COLUNA>
O espaço é democrático, mostre seu trabalho aqui!
<CORPO DE TEXTO>
l Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas em MP3 e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.
lAbaixo, ouça um trecho de Will Not Fail.

l Para falar com a banda, ligue para 8556-9538.

Pink Floyd divulga primeiro disco de inéditas em 20 anos

22 de setembro de 2014 0
Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

O Pink Floyd divulgou nesta segunda-feira a capa e a lista de músicas do novo disco da banda, The Endless River, após 20 anos sem lançar material inédito. Na capa, um homem aparece navegando, com um bote, sobre um mar de nuvens. O álbum será lançado no dia 10 de novembro em CD comum, vinil duplo e em um box set de luxo que inclui 39 minutos de material extra.

Há 20 anos sem lançar discos de inéditas, o Pink Floyd ressurgiu das cinzas para lançar um álbum com material novo. The Endless River reunirá sobras das sessões de gravação do último trabalho da banda, The Division Bell, lançado em 1994, recentemente retrabalhadas em estúdio.

Pagode nacional em dose tripla!

20 de setembro de 2014 0

jeito-molequeA noite deste sábado marca um grande encontro do pagode em Porto Alegre! No palco do Pepsi On Stage, Jeito Moleque, Imaginasamba e Ferrugem botam a galera para dançar. Na sexta-feira, Ferrugem se mostrou impressionado com a recepção no aeroporto:

- Olha a recepção da galera no aeroportoo!!!!! Incrível, maravilhoso, MUITO OBRIGADOO!!- postou no facebook.

Já Suel,vocalista do Imagina, em entrevista por telefone ao blog, afirmou que o público pode esperar novidades:

- É um show comemorativo! O público gaúcho pode esperar músicas novas e consagradas, que integram a turnê Você ou NIguém Mais- afirmou.

Enquanto Isso, Bruno, do Jeito Moleque, elogiou os gaúchos:

- Adoramos o Rio Grande do Sul. É, sem dúvida, um dos estados mais calorosos do país e os gaúchos podem esperar por um show animado, cheio de surpresas em sonoridade e repleto de hits, para que ninguém fique parado. O lema em nossos shows é a integração.

l O que: show do Jeito Moleque, Imaginasamba e Ferrugem

l Quando: neste sábado,às 22h

l Onde: Pepsi On Stage, Severo Duilius, 1995

l Quanto: Ingressos a R$ 50 (pista, levando 1kg de alimento não perecível), R$ 100 (pista vip) e R$ 110 (mezanino).

Chay Suede enlouquece as fãs em Porto Alegre

18 de setembro de 2014 0
Crédito: Marcelo Oliveira

Crédito: Marcelo Oliveira

A noite desta quarta-feira foi marcada pela passagem de um furacão no Moinhos Shopping. O ator e cantor Chay Suede esteve na inauguração da loja Schutz, no shopping, e fez um pequeno show. Mesmo em um shopping não tão popular, digamos assim, ele arrastou ao aos local dezenas de fãs, que se acotovelavam para vê-lo cantar e gritavam “Chay, eu te amo!”. Sem muitos estrelismos, o cantor e ator disse que a rotina anda puxada e elogiou as gaúchas:

- Tem sido assim onde vou, mas sempre tento dar o máximo de atenção e carinho para as fãs. Mas as gaúchas, especialmente, são mais calorosas- afirmou o guri, destaque da primeira fase de Império, como José Alfredo.

 

Lançamentos da semana- Malta, Jovens Tardes e Alma do Pampa

17 de setembro de 2014 0

 

Crédito: Divulgação/ Som Livre

Crédito: Divulgação/ Som Livre

 

O destaque, negativo, da semana, fica por conta do lançamento do CD da Malta, vencedora do SuperStar. Cercado de expectativa, o disco é uma versão piorada das músicas apresentadas pela banda no reality da TV Globo. Ainda, os discos Jovens Tardes e do grupo Alma do Pampa. 

 

Cercado de expectativa, chegou o CD da Malta, vencedora do SuperStar, da TV Globo. Sinceramente, é difícil entender como ela venceu a Suricato na final do programa. O disco Supernova (R$ 25, preço médio), parece meio um repeteco (piorado) da banda Reação em Cadeia. Naquele ritmo meloso, com uma performance fraca do vocalista Bruno Boncini, o disco é fruto de uma banda que, na opinião deste colunista, chegou na final do programa mais pela boa votação dos seus fãs do que pela qualidade da música. Das faixas que salvam, Memórias e Diz Pra Mim. Cotação: 1

 

Crédito: Som Livre/ Divulgação

Crédito: Som Livre/ Divulgação

O grande mérito de Jovens Tardes (R$ 20, preço médio), é dar espaço para novos nomes da música nacional, em 18 faixas de um sozinho que mescla um bom pop até com umas pitadas de reggae. Entre os destaques, está a boa faixa Fast Folhinha, com a gaúcha Vanessa Longoni nos vocais, e participação especial de Serginho Moah, Everybody Dies, com o ator e cantor Thalles Cabral, também gaúcho, que atuou em Amor à Vida (2013), como Jonathan e  Ventania, com Mariana Volker.  Cotação: 2,5

Crédito: Divulgação/ Gravadora Vertical

Crédito: Divulgação/ Gravadora Vertical

Em plena Semana Farroupilha, o grupo Alma do Pampa lança Palácio de um Xucro. (R$ 11, preço médio). São 16 boas canções, no estilo que vem deixando o grupo conhecido em bailes pelo Rio Grande afora.  Completando 10 anos de carreira, o grupo traz no CD Alma do Pampa uma turma de parceiros para cantar a vida do gaúcho e seu pago. Com produção do lendário Oscar Soares e composições de Dionísio Costa, João Alberto Pretto, Pedro Neves e outros, vem com destaque para a faixa-título, além de O Patrão Não Vai Me Achar e Eu Sou Gaúcho e Isso Me Basta. Cotação: 2

 

Esse sim, é gaudério desde o nascimento!

16 de setembro de 2014 4

 

Crédito: Fernando Gomes

Crédito: Fernando Gomes

Aos 14 anos, o jovem gaiteiro José Heduardo Carrão já mostra desenvoltura em meio aos gaudérios mais tradicionais, no Acampamento Farroupilha, no Parque Maurício Sirotksy Sobrinho, na Capital. Morador do Bairro Lami, na Zona Sul da Capital, todo ano, na mesma época, ele se muda para o Piquete Chimango, com os pais, Jorge e Taís. Sem exagero, dá para dizer que ele vive no Acampamento desde que nasceu.

- Com nove dias, os pais já me trouxeram para cá. E a cada ano, a coisa se repete. Neste, vim no dia 16 de agosto e fico até 22 de setembro. Não faltamos um ano, desfilo no 20 de Setembro…

Além da paixão pelo local, onde as fotos para esta matéria foram produzidas, o guri é um prodígio na gaita, instrumento que toca desde pequeno. Sem nenhuma influência dos pais, aprendeu apenas de ouvido, como gosta de ressaltar:

- Em casa, só ouvia CDs do Porca Véia, que toca muito, dos Monarcas, Serranos, José Mendes (falecido em 1974), Gildo de Freitas. E, no ouvido, fui tirando as minhas canções, com uma baita de botão (também conhecida como gaita de oito baixos). Na época do Acampamento, passo o dia todo tocando. Em casa, divido um pouco com outras tarefas. Mas claro que divido meu tempo entre a música e os estudos (ele está na sexta série do Ensino Fundamental).

Tanto solo quanto em grupo, ele já faz sucesso

O jovem talento já esteve em alguns bailes acompanhando grupos como Tchê Barbaridade e Grupo Balanço e com Machado e Marcelo do Tchê_ Grupo Balanço. Aos poucos, vem mostrando seu talento em apresentações solo, como em alguns bailes em Itapuã, em Viamão:

- Gosto de música de baile, é o meu repertório. E sonho em tocar com o Porca Véia, Edson Dutra (de Os Serranos)- afirma o jovem.
Ousado, ele já compôs uma canção própria, É assim que Eu Sou, que estará no seu primeiro disco, que será lançado no início de 2015. Para seguir no mundo musical, ele conta que sonha seguir carreira solo. Mas não descarta convites:
- Mas aceito convite para entrar em grupos – comenta, aos risos.

Pitaco de quem entende:
Paulinho, gaiteiro do grupo Karaguattá, fala do jovem José Heduardo:
- O Rio Grande do Sul é um grande berço de grandes talentos. Vejo com alegria que, a cada dia, surgem grandes músicos e novos talentos, defendendo nossa arte e nossa cultura. Com a ótima contribuição do José Heduardo, ganha o público e todo o cenário artístico. Sucesso, guri!

l Para falar com José Heduardo, ligue para 9891-0887.
l Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas em MP3 e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.
l Confira o desempenho do gaiteiro cantando Eu Não Sou Convencido, de Gildo de Freitas.

Lupicínio, ontem, hoje e sempre!

16 de setembro de 2014 1
Crédito: Acervo pessoal de Lupicínio Rodrigues Filho/ Reprodução.

Crédito: Acervo pessoal de Lupicínio Rodrigues Filho/ Reprodução.

Se esta matéria citasse todos os sucessos compostos por Lupicínio Rodrigues, o maior nome da história da música gaúcha_ e um dos maiores da história da MPB, não sobraria espaço para escrever mais nada. São cerca de 300 composições, que mudaram o panorama da música feita aqui, principalmente entre as décadas de 30 e 50. O gênio Lupi, como era conhecido, completaria 100 anos hoje, caso fosse vivo. E para lembrar a obra do homem que transformou o destino do samba e da música no Rio Grande do Sul, que imprimiu um estilo inconfundível nas chamadas letras “dor de cotovelo”, do romântico inveterado, que dizia que suas músicas apenas reproduziam experiências vividas por ele ou seus amigos, o público pode conferir uma extensa série de eventos, entre shows, programas de televisão, musicais e exposições (confira box).

Reconhecimento justo ao mestre

Depois de estourar no Rio Grande do Sul, entre as décadas de 30 e 50, com clássicos como Se Acaso Você Chegasse, Volta e Nervos de Aço, Lupi, natural de Porto Alegre, foi gravado por nomes nacionais como Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Elis Regina e Luis Gonzaga, para citar apenas alguns. Aliás, segundo a Secretaria Municipal de Cultura, ele é o mais gravado compositor gaúcho de MPB no Brasil e ainda compôs o Hino oficial do Grêmio.
- O pai é um dos grandes ícone da MPB. Necessita mais do que nunca de todo esse reconhecimento. Esse carinho de todo o Rio Grande do Sul por ele é motivo de orgulho não só para os familiares, mas para os próprios gaúchos, por ter um nome como ele_ salienta Lupicínio Rodrigues Filho, o Lupinho, filho de Lupi.
Lupi faleceu em 27 de agosto de 1974, de insuficiência cardíaca, mas suas composições seguem atuais, atestando a atemporalidade que só os gênios conseguem ter. Mesmo com todos esses predicados, Lupi era humilde e soltava pérolas, como em entrevista ao jornal Pasquim:
- Eu não sou músico, não sou compositor, não sou cantor, não sou nada. Eu sou boêmio-

Lupi de todas as formas 
l Nesta terça e quarta, rola o musical paulista Vingança, o Musical, no Theatro São Pedro, às 21h (ingressos a R$ 40). A obra de Lupi é o ponto de partida para o espetáculo, que se passa nos anos 50.
l Nesta terça, na TVCOM, o especial Lupi, O Musical, a partir das 23h15min.
l Nesta quarta-feira, no Teatro Dante Barone da Assembleia, às 19h, acontece o Sarau do Solar Especial Lupicínio Rodrigues, do Regional ao Urbano, com Hique Gomez, acompanhado de Carlitos Magallanes (bandoneon) e Dunia Elias (piano), e Jair Kobe (Guri de Uruguaiana), Ernesto Fagundes e Nelson Coelho de Castro, como convidados especiais.
l Lupi, O Musical _ Uma Vida em Estado de paixão, na quinta e sexta, no Teatro da Amrigs (Ipiranga, 5311), quinta e sexta, às 20h30min, com ingressos a R$ 60. O musical revela um Lupicínio em situações conhecidas e inéditas.
l No dia 4 de dezembro, show da Adriana Calcanhoto cantando Lupi, na Reitoria da UFRGS, pelo projeto Unimusica.
l Em março de 2015, o CD Lupicínio 100 anos deve ser lançado. Os intérpretes ainda não foram definidos.
l Em breve, será gravado um documentário sobre a Elza Soares cantando Lupicínio em Porto Alegre.

l A exposição Lupicínio Rodrigues _ 100 anos (1914-2014), na Galeria dos Municípios, na Assembleia. Das 8h30min às 18h30min, de segunda a sexta (exceto feriados), até 26 de setembro.

l Exposição Um Centenário de Amor e Paixão: Retratos de Lupicínio Rodrigues traz fotografias de toda a trajetória do cantor. Até o dia 30 de setembro, na Sala J.B. Scalco do Solar dos Câmara, Praça Marechal Deodoro, 101, Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h30, com entrada franca.

l Nesta terça-, a partir das 19h30min, na Biblioteca Pública Josué Guimarães, no Centro Municipal de Cultura (Erico Verissimo, 307), o jornalista Marcello Campos e o fotógrafo Ricardo Chaves realizam uma sessão comentada de fotos raras e reproduções de discos e artigos de imprensa sobre Lupi_ material garimpado por Campos para o Almanaque do Lupi, livro que deve ser lançado em novembro, na Feira do Livro.

l Exposição Lupi, o poeta da dor de cotovelo. Nas segundas, das 14h às 21h. De terça a sexta, das 9h às 21h. Aos sábados, domingos e feriados, 12h às 21h, na Sala Radamés Gnattali, na CCMQ (Andradas, 736), com término indefinido.

l No sábado, 27, Orestes Dornelles apresenta o show Sambar, em comemoração aos 100 anos de Lupicínio Rodrigues e Dorival Caymmi, e aos 70 anos de Chico Buarque no MEME Santo de Casa, dia 27 (sábado), às 20h30.

 

 

 

Arlindo Neto vem a Porto Alegre com Jorge Aragão, Marquynhos Sensação e Rogê!

15 de setembro de 2014 0
Crédito: Cristina  Granato/ Divulgação

Crédito: Cristina Granato/ Divulgação

Um dos principais representantes da nova geração do samba chega a Porto Alegre em outubro, e muito bem acompanhado! Arlindo Neto, filho de Arlindo Cruz, sobe  ao palco do Opinião, no dia dois de outubro, para lançar o DVD Um Bom Aprendiz,cheio de canções inéditas, autorais e grandes clássicos do gênero, de nomes como Cartola e Noel Rosa. Além disso, Arlindo terá em cena a companhia e a parceria de referências do samba, como os cariocas Marquynhos Sensação, Rogê e o mestre Jorge Aragão.

l O que: Show de Arlindo Neto, Jorge Aragão, Rogê e Marquynhos Sensação 

l Onde: Opinião, José do Patrocínio, 834

l Quando: dia dois de outubro, às 22h30min

l ingressos a R$ 35, à venda nas lojas Multisom dos shopping Iguatemi, Praia de Belas, Moinhos, Total, BarraShopping Sul, Bourbon Ipiranga, Bourbon Wallig, Andradas 1001, Shopping Canoas, Bourbon São Leopoldo e Bourbon Novo Hamburgo e no site opiniaoingressos.com.br

Michel Teló grava nova edição do Bem Sertanejo com Luan Santana e Gusttavo Lima

14 de setembro de 2014 0
Crédito: Instagram/ Reprodução

Crédito: Instagram/ Reprodução

Michel Teló gravou a participação de Gusttavo Lima e Luan Santana para seu quadro no ‘Fantástico’, da TV Globo, o Bem Sertanejo.  Os três, como mostra a foto postada por Teló apostam na moda retrô do topete, estilo de Elvis e do rockabilly dos anos 50 e 60.

- Hoje o Bem sertanejo foi com amigos de longa data! Meus companheiros Luan Santana e Gusttavo Lima! Essa nova geração que faz bonito na música sertaneja! Estamos juntos, gurizada-, escreveu Teló.

A próxima temporada da atração começa no dia 12 de outubro.

Aos 55 anos, uma estreia no disco autoral

12 de setembro de 2014 1

 

Crédito: Washington Possato/ Divulgação

Crédito: Washington Possato/ Divulgação

Um dos bambas do samba, discípulo de Cartola, mais de 700 composições (número que ele revela, de cabeça). Pois dá para acreditar que, aos 55 anos, mais de 30 de carreira, Arlindo Cruz esteja lançando seu primeiro disco 100% autoral? O excelente Herança Popular (R$ 25, preço médio), é o primeiro disco que traz só composições do mestre. Para explicar o motivo desta “demora”, começamos com uma característica bem conhecida do sambista: sua generosidade.

- Eu sempre gostei de dar moral aos parceiros. Sempre recebia muita coisa, me encantava, eu gravava. Quando dá certo, sou o primeiro a vibrar, a ligar pro cara e dizer: “deu certo, meu irmão!”- revela o cantor, aos risos e sempre simpático, em um papo com a coluna, por telefone, do Rio de Janeiro.

CD é repleto de participações especiais

O disco, segundo Arlindo, inaugura um marco, traz influências de todos os seus mestres, e vem arrancando elogios no Rio de Janeiro, como um verdadeiro disco de samba, candidato a clássico da música brasileira.

- Esse disco é um marco, completo 56 anos agora (no domingo). Até me passei um pouco para gravar esse disco autoral (risos). Ele traz a influência dos meus mestres, particularmente do Candeia (sambista falecido em 1978). Esse disco traz samba de roda, de cantiga_ exalta.
O álbum, confirmando outra característica de Arlindo, traz participações especiais de nomes de diferentes gêneros. O Mundo em Que Renasci traz Marcelo D2, enquanto O Surfista e o Sambista vem com Pedro Scooby, namorado de Luana Piovani. Já Paixão e Prazer tem a parceria com Maria Rita, Somente Sombras é com Zeca Pagodinho, Ela Sambou, Eu Dancei, com Mr. Catra e a excelente faixa-título, com Hamilton de Holanda. Essa, aliás, foi fruto de um encontro curioso.

- Já conhecia o trabalho dele, e admirava. O encontrei por acaso. Comprei uma cobertura aqui no Rio (no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste) e a gente começou a se encontrar, ele também mora aqui. Mostrei a música a ele, que logo gostou. Ele representa muito bem a musicalidade do artista brasileiro, toca todos os estilos.
No Rio de Janeiro, o show de lançamento será no dia quatro de outubro. Por aqui, ainda não há data fechada, mas Arlindo promete vir, bem ao seu estilo:
- É só me chamar que eu vou! No Opinião, na Imperadores, na Restinga. Eu sou do povo!.